ForumDefesa.com

Forças Armadas e Sistemas de Armas => Marinha Portuguesa => Tópico iniciado por: JGS em Abril 10, 2004, 12:46:07 am

Título: U209PN
Enviado por: JGS em Abril 10, 2004, 12:46:07 am
A resvista "Única" do Expresso traz uma reportagem sobre o U209PN, com algumas informações e esquema interno do submarino.

Citar
Os submarinos que aí vêm
 
   
Os dois novos submarinos que a Marinha vai receber são feitos «à medida» das necessidades portuguesas. Movidos a hidrogénio, têm uma autonomia em imersão até 15 dias, contra as oito horas dos actuais submersíveis, os mais velhos da NATO


JGS
Título:
Enviado por: Guilherme em Abril 10, 2004, 12:54:50 am
15 dias em imersão ! :shock:

Espero que o S-34 da Marinha do Brasil, em construção, possua algo semelhante. Ou senão, que o projeto do SMB inclua isso.  8)
Título:
Enviado por: Major Alvega em Abril 10, 2004, 02:43:46 pm
Se referir-se ao Tupi, apesar de ser um submarino moderno não irá ter infelizmente a propulsão AIP (Auxiliary Indepedent Propulsion) que permite essa grande autonomia em imersão.
Título:
Enviado por: Guilherme em Abril 10, 2004, 03:08:51 pm
Citação de: "Major Alvega"
Se referir-se ao Tupi, apesar de ser um submarino moderno não irá ter infelizmente a propulsão AIP (Auxiliary Indepedent Propulsion) que permite essa grande autonomia em imersão.


Sim, mas espero que o SMB, que será um projeto nacional desenvolvido com a experiência adquirida no Tupi, tenha essa propulsão. O SMB será diferente do Tupi, em muitos aspectos.

O S-34, último da classe Tupi, terá 1600 toneladas. Os 2 SMB terão 2500 toneladas.
Título: U209PN
Enviado por: JGS em Abril 10, 2004, 05:12:23 pm
Mais informações da revista, já que  o acesso on line é restrito.
O U-209PN terá 1800 toneladas, 62 m de comprimento, 21 nós de velocidade, e uma tripulação de 32.
Permitirá que todos os tripulantes tenham a sua própria cama e elementos femininos na tripulação.
Oito tubos lança torpedos e mísseis sub superfície.
Os tropedos que podem ser utilizados são:
Blacshark ou A 184 (de origem italiana);
Mk 48 de origem americana;
TP2000 de origem sueca ou DM2A4 de origem alemã.
Serão especialmente equipados para:
Missões de vigilância e guerra de informações.
É o que de mais útil consta do artigo.
JGS
Título:
Enviado por: Fábio G. em Abril 11, 2004, 02:08:04 am
Não me lembro bem mas parece-me que li nalgum sitio que os subs poderiam lançar também misseis anti-aéreos de curto alcance, alguém sabe alguma deste assunto ou tem alguma informação?
Título:
Enviado por: Spectral em Abril 11, 2004, 09:50:56 pm
Citar
Não me lembro bem mas parece-me que li nalgum sitio que os subs poderiam lançar também misseis anti-aéreos de curto alcance, alguém sabe alguma deste assunto ou tem alguma informação?


Talvez se referissem aos mísseis alemães polivalentes Polyphem ( guiamento por cabo de fibra óptica), mas como este projecto foi cancelado não deverá haver nada.
Título:
Enviado por: lf2a em Abril 12, 2004, 02:53:11 pm
Citação de: "Fábio G."
Não me lembro bem mas parece-me que li nalgum sitio que os subs poderiam lançar também misseis anti-aéreos de curto alcance, alguém sabe alguma deste assunto ou tem alguma informação?


Suponho que se trate de um sistema de míssil anti-aéreo portátil do tipo Stinger americano ou Strela russo, ou seja: existe a bordo do submarino mas não é lançado pelo sistema de armas deste.

Cumptos,
lf2a
Título:
Enviado por: fredom em Junho 15, 2004, 02:03:02 pm
quanto tempo os sub. da classe tupi podem ficar submersos???
Título:
Enviado por: Guilherme em Junho 15, 2004, 02:07:11 pm
Citação de: "fredom"
quanto tempo os sub. da classe tupi podem ficar submersos???


"Autonomia: 8.200 milhas ou 12.000(com os tanques de lastro cheios de combustível) a 08 nós.   Em mergulho 50 milhas a 16 nós ou 400 milhas a 04 nós, e autonomia de 50 dias mar"

http://www.infomarmb.hpg.ig.com.br/tupi.htm
Título:
Enviado por: fredom em Junho 15, 2004, 02:10:33 pm
veleu Guilherme  :wink:
Título:
Enviado por: fredom em Junho 15, 2004, 02:13:34 pm
a já aproveitando, acho que vi em um site que eles iam construir apenas um smb pra poder prioriazar o sna ja que $$$ esta curto, vc sabe me dizer se isso procede.
Título:
Enviado por: Guilherme em Junho 15, 2004, 02:21:11 pm
Citação de: "fredom"
a já aproveitando, acho que vi em um site que eles iam construir apenas um smb pra poder prioriazar o sna ja que $$$ esta curto, vc sabe me dizer se isso procede.


Sim, é verdade.
Título:
Enviado por: Guilherme em Junho 15, 2004, 02:35:46 pm
Citação de: "fredom"
veleu Guilherme  :wink:


Vejamos...

"Autonomia: 8.200 milhas ou 12.000(com os tanques de lastro cheios de combustível) a 08 nós. Em mergulho 50 milhas a 16 nós ou 400 milhas a 04 nós, e autonomia de 50 dias mar"

Nó é a velocidade de uma milha náutica por hora.

v = d / t -->> t = d / v

* a 8 nós:

t = 8200 / 8 = 1025 horas -->> 1025 horas (42 dias e 17 horas) a 8 nós.

t = 12000 / 8 = 1500 horas -->> 1500 horas (62 dias e 12 horas) a 8 nós, com os tanques de lastro cheios de combustível.

* a 16 nós:

t = 50 / 16 = 3, 125 horas = 3 horas, 7 minutos e 30 segundos.

* a 4 nós:

50 dias (1200 horas), segundo a fonte citada.

Pode existir alguma outra variável que deva ser levada em conta na determinação da autonomia em horas para 8 e 16 nós. Penso que os 50 dias referem-se somente a 400 milhas/4 nós, e não se referem a 50 milhas/16 nós.
Título:
Enviado por: fredom em Junho 15, 2004, 02:53:21 pm
velu de novo Guilherme  :mrgreen:
Título:
Enviado por: P44 em Junho 15, 2004, 03:04:22 pm
(http://web.1asphost.com/Lusitanos/MARINHA/images/U209PN_diagrama.jpg)
Título:
Enviado por: NVF em Junho 15, 2004, 03:21:24 pm
Caro Guilherme, penso que a autonomia total de 50 dias se refere não só à quantidade de combustível mas também à quantidade de mantimentos para alimentar a tripulação. Os submarios nucleares, por exemplo, costumam ter uma autonomia de 90 dias, porque este é o limite para a quantidade de alimentos que podem transportar — a de combustível é de cerca de 20 anos!

Mas a questão colocada parece-me que ainda não foi respondida. Aliás não me parece que um submarino convencional sem AIP possa estar 50 dias submerso.
Título:
Enviado por: Guilherme em Junho 15, 2004, 04:23:39 pm
Citação de: "NVF"
Mas a questão colocada não parece-me que ainda não foi respondida. Aliás não me parece que um submarino convencional sem AIP possa estar 50 dias submerso.


Também não entendi os 50 dias de autonomia, citados no texto. Fogem do padrão que se esperaria, de acordo com os outros dados apresentados.

Vou perguntar ao pessoal do Arsenal da Marinha.
Título: U209PN /U214
Enviado por: jango em Junho 15, 2004, 10:57:09 pm
É sabido que os novos submarinos portugueses virão equipados com os misseis Sub-Harpoon que podem ser utilizados contra alvos em terra. Alguém sabe se estes misseis já alguma vez foram utilizados em situações reais de conflito nestas condições, ou seja, contra alvos em terra ?
Título:
Enviado por: Fábio G. em Junho 30, 2004, 12:45:26 pm
Citar
Marinha Portuguesa escolhe armamento para os submarinos
A escolha de que tipo de torpedos irá armar os dois submarinos U209PN adquiridos por Portugal ao German Submarine Consortium recaiu sobre o torpedo antinavio Atlas Elektronik GmbH DM2A4. A Marinha Portuguesa demostrou vontade de adoptar para os dois submarinos um sistema lança-mísseis, sem no entanto afirmar se os U209PN irão de facto dispôr desta capacidade. Se isso vier a acontecer, a escolha será feita entre o MBDA Exocet Block 3 e o Boeing Company Harpoon Block 2, ambos de última geração.

Victor Manuel Saraiva Barreira
seguranca & defesa


Bom torpedos já temos só espero que se decidam a comprar os misseis.
Título:
Enviado por: JLRC em Junho 30, 2004, 01:35:04 pm
Citação de: "Guilherme"

Também não entendi os 50 dias de autonomia, citados no texto. Fogem do padrão que se esperaria, de acordo com os outros dados apresentados.


A autonomia refere-se aos dias que o navio, neste caso o submarino, pode estar sem necessidade de ser reabastecido de víveres.
A distância a percorrer sem necessidade de reabastecimento de combustível é o raio de acção e mede-se em milhas náuticas/nós.
"Autonomia: 8.200 milhas ou 12.000(com os tanques de lastro cheios de combustível) a 08 nós. Em mergulho 50 milhas a 16 nós ou 400 milhas a 04 nós, e autonomia de 50 dias mar" .
Interpretando o que acima está escrito deprende-se que o submarino, à velocidade de 8 nós, pode percorrer 8.200 milhas em 50 dias no máximo e a navegar à superfície ou com o snorkel, para poder navegar com os diesel. Mergulhado, usando portanto as baterias, navega 50 milhas náuticas à velocidade de 16 ou 400 milhas náuticas à velocidade de 4 nós. Findo este periodo, tem de vir à superfície ou mergulhado mas com o snorkel a funcionar, ligar os diesel e carregar as baterias. Seja qual for o modo de navegação, só pode navegar 50 dias porque não tem víveres para mais dias.
O snorkel é um tubo que o submarino mergulhado põe fora de água para poder funcionar com os diesel. Serve para recolher oxigénio para a combustão e sobretudo para exaustão dos gases de escape. Como é fácil de se ver, o submarino para navegar com o snorkel não pode mergulhar muito, é quase como navegar à profundidade de periscópio.
Espero que tenha sido claro e me tenha explicado bem.
Cumprimentos
JLRC

Cumprimentos
Título:
Enviado por: FinkenHeinle em Junho 30, 2004, 10:01:40 pm
Citação de: "Fábio G."
Citar
Marinha Portuguesa escolhe armamento para os submarinos
A escolha de que tipo de torpedos irá armar os dois submarinos U209PN adquiridos por Portugal ao German Submarine Consortium recaiu sobre o torpedo antinavio Atlas Elektronik GmbH DM2A4. A Marinha Portuguesa demostrou vontade de adoptar para os dois submarinos um sistema lança-mísseis, sem no entanto afirmar se os U209PN irão de facto dispôr desta capacidade. Se isso vier a acontecer, a escolha será feita entre o MBDA Exocet Block 3 e o Boeing Company Harpoon Block 2, ambos de última geração.

Victor Manuel Saraiva Barreira
seguranca & defesa

Bom torpedos já temos só espero que se decidam a comprar os misseis.


Alguém conhece as características técnicas e desempenho desse torpedo???

É possível fazer uma comparação com o Torp. 2000, que será fabricado no Brasil, e equipará os subs brasileiros???
Título:
Enviado por: lf2a em Julho 02, 2004, 11:10:39 am
FinkenHeinle:
A única informação de que disponho deste tipo de torpedo é a seguinte:

Citar
53.3 cm (21") DM2A3 and DM2A4 Seehecht (Seahake)

Ship Class Used On: Surface ships and Submarines
Date Of Design: 1985
Date In Service: 1987/ 1999 for DM2 A-4
Weight: 3,020 lbs. (1,370 kg)
Overall Length: 259.8 in. (6.600 m)
Explosive Charge: 573 lbs. (260 kg)
Range / Speed: DM2 A-3: 22,000 yards (20,000 m) / 35 knots
Also a lower speed setting for increased range.
DM2 A-4: 55,000 yards (~50,000 m)/ 50 knots maximum speed, different speed settings
Power: Silver-zinc battery on contrarotating skew-back props
Notes:  Wire-guided anti-ship and anti submarine torpedo.  Has passive homing capability.  This torpedo was a joint AEG/Elsag program to upgrade existing Seal/Seeschlange torpedoes.  The seekers were upgraded first (DM2 A-3) then the propulsion plant (DM2 A-4).  The seeker is a modern conformal array offering improved detection range, wider angle of view, better  target recognition and resistance to countermeasures.  DM2 A-3 also uses a fibre-optic-wire for telecontrol and data transmission.  Both torpedoes are very well suited for shallow water operations under the usually adverse sonar conditions in the Baltic sea due to different salt concentrations and water temperatures.
In Germany this torpedo entered service with the Type 206A submarines in the DM2 A-3 version.  The DM2 A-4 version is planned for the for future Type 212 air-independent submarines that are expected to enter service in the year 2000, after long delays caused by budget cuts after the end of the cold war and the German reunification.

The DM2 A-3 version is also used by the Norwegian Ula class (German Type 210 subs) with an option for a later upgrade).  The Italian Type 212 B submarines use the DM2 A-4 version. The Israeli Dolphin-class (German Type S-300) are also being equipped with the DM2 A-4 Torpedo.

The DM2 A-4 export version for non-NATO countries is named "Seahake" and is supposed to be offered with the export submarines of the Type 209-1500 and the new Type 214.
 


Espero que ajude! :wink:

Cmpts,
LF2A
Título:
Enviado por: Spectral em Outubro 07, 2004, 04:34:19 pm
Informação mais detalhada sobre os DM2A4:

The DM2A4
Upgrade provides 'mix-and-match' torpedo

Radical changes in the configuration of the STN Atlas DM2 (Deutsches Modell 2) -- export name: Seehecht (Seahake) -- torpedo family are now being offered as a further upgrade for this weapon or as a new-build weapon, writes E R Hooton. The DM 2A1 entered service in 1976 and, since 1980, STN Atlas has continually upgraded the design, exporting versions that retain the overall capability but lack certain sensitive features. The current production version for the German Navy and NATO is DM2A3.

The latest version, DM2A4 -- export designation Seahake Mod 4 -- has been developed specifically for the German Navy's Type 212 submarine programme and will enter service in about 2003. This retains the electrical propulsion of its predecessor, using new silver-zinc batteries with disc-shaped cells. These power a new 300kW high-frequency, permanent-magnet, synchronised motor with seven-phase stator and planetary gear. The motor has step-less speed changes and is more than 90% efficient. There is also a new fin and rudder design.

The propulsion system is the key to the radical change planned for the DM2A4. In its standard configuration (length 6.6m), the weapon will have four batteries to achieve its maximum range of more than 27nm (50km) and a speed of some 50kt.

There are four other variants, ranging in length from 5.9m down to 4.5m, but with fewer batteries. The M (Medium) version will have three batteries, giving a range of about 21nm (40km); the S (Short) two-battery version will have a range of about 16nm (30km); plus two single-battery versions. Of the latter, the VS (Very Short) version will have a range of about 10nm (17.5km). The maximum speeds of these weapons will range from 90% to 35% of the standard configuration weapon.

On the DM2A4, the mechanical swivelling transducer array is replaced by a conformal sensor, with 38 staves (152 transducers) which produces pre-formed, wide-angle beams. Export weapons will have full digital-signal processing but German Navy weapons, which will be upgraded from the DM2A3, and will retain some analogue features. A fibre-optic wire with two-way communication will complete the guidance system.

The weapon retains the 250kg hexagon/RDT/aluminium high-explosive warhead (equivalent to 460kg of TNT) with magnetic influence and contact fuzes, but with a wake sensor added to improve torpedo counter-countermeasures capabilities.

The most unusual version of the DM2A4 is derived from the VS but with a wake-homing sensor. This weapon is designed specifically for use against merchant ships and is one of a package of DM2A4s sold to an unidentified NATO country.

Growth potential has been built-in to the design with two stages scheduled by 2010 and another in the following decade, the latter as DM2A5 (Seahake Mod 5 for export). Plans also exist for a full-length Autonomous Underwater Vehicle version with a single battery (range up to 54nm [100km]) for use as an exercise target, for minefield reconnaissance and neutralisation using the Seafox system.

From Jane's.

-end
Título:
Enviado por: ALX em Outubro 08, 2004, 01:45:21 am
Citação de: "FinkenHeinle"
Alguém conhece as características técnicas e desempenho desse torpedo???

É possível fazer uma comparação com o Torp. 2000, que será fabricado no Brasil, e equipará os subs brasileiros???


Só lembrando que o contrato com a Bofors foi desfeito... :roll:
Título:
Enviado por: RuiMurteira em Outubro 08, 2004, 12:01:22 pm
Qual o alcance de este torpedo contra sub?
Título:
Enviado por: ALX em Outubro 10, 2004, 12:01:47 am
O alcance máximo é de 50 km.
Mas contra submarinos, eu não sei...
Título:
Enviado por: Centurião em Abril 14, 2005, 08:47:28 pm
Citar
INÍCIO DA CONSTRUÇÃO DOS NOVOS SUBMARINOS


No passado dia 7 de Março realizou-se em Kiel – Alemanha, nas instalações do estaleiro Howaldtswerke Deutsche Werft (HDW), a cerimónia do início de construção dos novos submarinos. Este importante evento contou com a presença de uma delegação do Ministério da Defesa Nacional que integrou nomeadamente o Ministro de Estado, da Defesa Nacional e dos Assuntos do Mar e o Director-Geral de Armamento e Equipamentos de Defesa, sendo a Marinha representada pelo Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada, acompanhado do Vice-Almirante Superintendente dos Serviços do Material e pelo Presidente e demais elementos da Missão de Construção dos Submarinos (MCSUB). O consórcio alemão foi representado por membros da administração da HDW e da THYSSENKRUPP MARINE SYSTEMS (TKMS), grupo industrial onde a HDW foi recentemente integrada.


A cerimónia foi iniciada pelo senhor Walter Freitag, membro da administração da TKMS, dando as boas vindas a todos os presentes e proferindo uma breve alocução onde sublinhou a importância do reagrupamento de empresas de construção naval alemã para permitir manter a competitividade e liderança na construção de submarinos. Salientou as excelentes características dos submarinos cuja produção se ia iniciar, a sua importância para qualquer Marinha com componente oceânica como a de Portugal, terminando com um agradecimento aos intervenientes no processo de negociação, destacando a determinação e empenho do Ministro da Defesa Nacional de Portugal.

O Chefe do Estado-Maior da Armada, Almirante Vidal Abreu, fez incidir a sua intervenção na importância do significado do acto que se celebrava, por marcar o início da fabricação de meios navais indispensáveis à nossa Marinha. Salientou a importância dos submarinos, especialmente os dotados de AIP, (Air Independent Propulsion) para a dissuasão no mar, bem como para a protecção das unidades de superfície, sem a qual o seu valor seria muito reduzido em caso de ameaça. Terminou a sua alocução referindo que as provas dadas pelo estaleiro na construção de submarinos e a boa cooperação com o Estado Português, representado pela MCSUB, são o garante do fornecimento, em 2010, de excelentes unidades navais.

Seguidamente o Ministro de Estado, da Defesa Nacional e dos Assuntos do Mar deu início ao corte, por plasma, de dois segmentos da primeira baliza do casco resistente.

A construção ora iniciada, de dois (1) submarinos tipo 209 PN, foi contratada em 21 de Abril de 2004, tendo o contrato entrado em vigor em 24 de Setembro do mesmo ano.


A continuidade da capacidade submarina materializada, dentro de cinco anos, pela 5ª esquadrilha de dois submarinos modernos, assegurará à Marinha Portuguesa uma valência indispensável a qualquer força naval equilibrada, no conjunto das suas capacidades.

Para além da grande flexibilidade de emprego num alargado leque de situações, os submarinos, pelas suas características de discrição e capacidade de sobrevivência, proporcionam a melhor alternativa para enfrentar a supremacia militar no mar, preservando uma possibilidade de intervenção de elevado poder, quando não houver meios de superfície ou aéreos suficientes, ou não fôr viável o seu uso.

(http://img95.echo.cx/img95/9163/pag519cn.jpg)

(http://www2.hdw.de/schiffsdatenbank/images/medium/big_318_10.jpg)

(http://www2.hdw.de/schiffsdatenbank/images/medium/big_318_11.jpg)

(http://www2.hdw.de/schiffsdatenbank/images/medium/big_318_18.jpg)

(Colaboração da SSM)


--------------------------------------------------------------------------------

Notas

(1) O contrato prevê, como opção, um terceiro submarino
Título:
Enviado por: papatango em Maio 10, 2005, 11:06:34 pm
Esqueci-me da nota sobre a conclusão a que cheguei depois de ver uma quantidade de comentários, notas e reportagens sobre o U-209/U-209PN/U-212/U-214.

Devo confesar, que se tudo o que se diz for verdade, há que reconhecer que os U-209PN são de facto equipamentos muito bons, que dão à marinha portuguesa, uma capacidade que nunca teve.

É pena que, não seja previsível a encomenda do terceiro submarino.

cumprimentos


PS:
Link:
http://www.areamilitar.net/opiniao/U214_U212.asp
Título:
Enviado por: TOMKAT em Maio 25, 2006, 03:03:48 am
Notícia do Correio da Manhã...
Já era de suspeitar,... com tanta "boa notícia",... só podia dar nisto...
Mais um adiamento, ... para já pequeno.... :?

Citar
A contenção orçamental e as novas regras do Eurostat obrigaram o Governo a reduzir as verbas da Lei de Programação Militar (LPM) e a adiar a aquisição de alguns equipamentos. Entre eles, segundo disse ontem o ministro da Defesa, Luís Amado, estão os dois submarinos que deveriam estar disponíveis em 2009 e 2010.

“Há um ligeiro deslize”, reconheceu o ministro, garantindo que este será de apenas alguns meses.

Para reduzir o impacto financeiro no défice orçamental de 2009 e 2010 da compra destes dois submarinos, que custarão ao Estado cerca de 900 milhões de euros, Luís Amado optou por “dilatar no tempo” estes projectos. Assim, o primeiro submarino deverá ficar disponível em 2010, enquanto o segundo ficará em 2011. “Fizemos os ajustamentos necessários”, sublinhou o ministro.


fonte: http://www.correiomanha.pt/noticia.asp?id=202825&idselect=90&idCanal=90&p=200
Título:
Enviado por: pedro em Maio 25, 2006, 12:06:55 pm
Ja era de esperar que algum programa fosse atrasado.
Cumprimentos
Título:
Enviado por: MERLIN em Maio 25, 2006, 12:49:39 pm
Obrigado eurostat! :evil:
Título:
Enviado por: papatango em Maio 25, 2006, 02:24:40 pm
Sería necessário que o Ministério da Defesa, fizesse uma clara declaração de intenções no sentido de afirmar que é sua intenção, dotar a marinha de submarinos modernos, para dissipar as nuvens que se acumulam em cima do projecto dos U209PN.

Até que isso aconteça, os adiamentos só podem ser interpretados de uma forma.

No tempo de guterres, a Marinha foi colocada perante um dilema, quando se tratou de substituir os submarinos:

Ou submarinos novos, ou fragatas novas.

A opção foi por submarinos, tendo-se encontrado uma solução de recurso com duas fragatas antigas, embora de melhor e maior capacidade.

Agora voltaram à carga.

Cumprimentos
Título:
Enviado por: C. E. Borges em Maio 25, 2006, 05:19:55 pm
Viver e conviver num Estado exíguo. Um "deslize", se não me engano, de doze meses. Nem percebo como é que um fabricante se adapta a uma tal situação. E resta saber se no "deslize" não estarão incluídas alterações às opções tecnológicas previamente definidas ...
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Maio 25, 2006, 05:41:16 pm
Não "enbandeiremos em arco", mas também não desesperemos, ao menos é apresentada uma data em concreto pra a entrega dos submarinos:
Citar
Ontem, Luís Amado, admitiu que a entrega dos dois submarinos para a Marinha, previstos na proposta de revisão da LPM, possa sofrer um "ligeiro deslize". "Há um ligeiro deslize no programa de construção dos submarinos. Nos termos do contrato, o primeiro submarino será entregue em Setembro de 2010 e o segundo em Setembro de 2011."

Fonte: http://www.correiomanha.pt/noticia.asp? ... l=21&p=200 (http://www.correiomanha.pt/noticia.asp?id=202901&idselect=21&idCanal=21&p=200)
Título: Re:
Enviado por: JQT em Maio 25, 2006, 06:08:49 pm
Citar
Não "enbandeiremos em arco", mas também não desesperemos, ao menos é apresentada uma data em concreto pra a entrega dos submarinos:


É sempre. E é sempre de um ano. Já com os NPOs foi a mesma coisa.

JQT
Título:
Enviado por: Miguel em Maio 25, 2006, 06:09:18 pm
Barracuda até 2010 :D

old soldiers never die
Título:
Enviado por: P44 em Maio 26, 2006, 09:08:35 am
Citação de: "MERLIN"
Obrigado eurostat! :evil:


Não quiseram a UE?

Não quiseram ser governados por Bruxelas?

Então não se queixem, toca a pôr é a bandeira azul com as estrelinhas á janela...
Título:
Enviado por: alfsapt em Maio 26, 2006, 09:36:36 am
Mas o Eurostat é o culpado ou é desculpa?

Mas afinal de contas o que a UE obriga não é de as contas são para levar a sério? Não obriga a que se o governo assina uma LPM tenha de entrar com esses valores para o Orçamento sem subterfúgios ou malabarismos?

Ou era preferível o que tem sido feito até agora: no papel uma coisa e na realidade outra?

Mas que chatice esta coisa da Europa levar a sério o que os Governos prometem!!!
Título:
Enviado por: ricardonunes em Maio 28, 2006, 08:41:29 pm
No telefornal da RTP, vi uma reportagem a dizer que, com a vinda dos novos submarinos as mulheres poderam embarcar.
Julgo que é das melhores noticias sobre a vinda dos ditos, falo por mim, não consigo imaginar o que é estar enclausurado a uns quantos metros debaixo de água, durante dias, a trocar a cama quente  :?
Título:
Enviado por: papatango em Maio 28, 2006, 11:20:29 pm
Os submarinos em causa não utilizam o sistema de cama quente.
Cada U209PN é o dobro de um Daphné, e tem cerca de metade da tripulação.

Como resultado, há espaço para uma cama para cada tripulante.
Os planos ou pré-planos, prevêm que existam três ou quatro (não me recordo) grupos de acomodações. Para haver mulheres a bordo, deverá haver um numero de mulheres igual ao numero de camas de cada grupo de acomodações (chamemos-lhe camarata).

Cumprimentos
Título:
Enviado por: TOMKAT em Maio 29, 2006, 01:00:23 am
Curiosidade acerca da equipagem feminina nos submarinos.

Na reportagem, atrás referida pelo ricardonunes, foi dito que o U209pn vai ter casas de banho e locais de duche específicas para tripulantes femininos.

No submarino norueguês que está no Alfeite existe uma mulher na equipagem, uma loiraça bem constituída, e, segundo um oficial norueguês entrevistado na mesma reportagem, as casas de banho e os duches são comuns tantos para homens como para mulheres...

Se fosse igual no U209PN ia ser bonito,... os machos submarinistas lusitanos todos a quererem tomar duche ao mesmo tempo que as marujas da guarnição... c34x
Título:
Enviado por: NotePad em Maio 29, 2006, 02:10:02 pm
...
Título:
Enviado por: papatango em Maio 30, 2006, 09:37:56 pm
Nas noticias recentes aparecidas no Correio de Manhã, os submarinos aumentaram de preço e agora aparecem a €550.000.000 cada um.

Neste caso, transformaram-se num dos mais caros submarinos convencionais de que há memória. 700 milhões de dolares, é muito dolar para um submarino.

O que é que terão acordado em colocar nos submarinos, pods para misseis anti-aéreos  :roll: ?

Cumprimentos
Título:
Enviado por: Luso em Maio 31, 2006, 03:39:21 pm
"Tomem lá um dinheiro e atrasem..."
 :roll:
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Junho 02, 2006, 12:24:20 am
Se um estaleiro se atrazar na entrega de um navio ao armador, existem indeminizações compensatórias. Em caso contrário sucede o mesmo.
Só falta saber o preço final dos patrulhas V. Castelo.
Lembrem-se do caso dos hélis para o GALE. A Eurocopter ao não obter certas certificações, perdeu a encomenda e teve de indeminizar o estado português.
Título:
Enviado por: Mazagão em Junho 10, 2006, 07:03:31 pm
Boa tarde,

Aqui fica o link para fotos do U214 da Coreia do Sul. Fotos encontradas num outro forum,

U214 da Coreia do Sul (http://http)
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Junho 10, 2006, 11:39:26 pm
Antes de mais, bem vindo Mazagão.
Mal posso esperar para ver fotos idênticas, mas dos nossos U 214.
Infelizmente ainda temos que esperar mais três anos.
Título:
Enviado por: Rui Elias em Junho 20, 2006, 09:10:28 am
Citar
Nas noticias recentes aparecidas no Correio de Manhã, os submarinos aumentaram de preço e agora aparecem a €550.000.000 cada um


Também achei estranho esse númerio.

Sempre se tinha apontado um custo a rondar os 700 milhões de € para as duas unidades.

Sem querer ser muito chato, mas com o risco de o ser, este aumento no custo vem me dar razão, ao ver que apenas com 2 unidades, acabamos por hipietacar por décadas a possibilidade da Marinha se dotar de meios de superfície oceânicos de qualidade.

Nunca, de há muito anos par cá Portugal esteve na contingência de adquirir fragatas em 2ª mão.

Agora a questão que se coloca é entre 2 OHP's e 2 KD, tudo em 2ª mão.

Muito triste, depois da construção de 3 Dealey, da compra de 4 Reviere e da compra de 3 Meko-200, tudo novo, para além da corvetas e dos patrulhas Cacine, e dos 4 submarinos Daphné.

Se agora a moda é a das ameaças assimétricas e tendo em conta que se um submarino é uma arma de ataque e de dissuasão notável, não é com duas unidades apenas que atingiremos esse patarmar dissasório, ainda para mais com os novos e sosfisticados meios de luta anti-submarina.

Agora pode ser tarde.

Os contratos estão assinados.

Com mais de 1.000 milhões poderiamos encomendar duas plataformas inspiradas nas F-310 norueguesas, mantendo-se o programa previsto do LPD e dos NPO's + as 5 LFC.

Ou em alternativa, que se encomendassem 3 Meko's A-200 novas para juntar às 3 Vasco da Gama que temos, com maiores capacidades AAW e 2 LPD's (um para entrega em 2015 e o outro para 2020), mais um AOR novo, para um programa a desenvolver em 15 anos, que gastar um balúrdio em 2 submarinos, finda a guerra fria.
Título:
Enviado por: Falcão em Junho 20, 2006, 10:04:24 am
Rui:

Para um país como Portugal a arma submarina é fundamental. Mais até do que as unidades de superfície.

É a única capaz de negar a utilização do mar e de por em causa mesmo uma «Task Force» de última geração.

Essas unidades de superfície que apregoa garantiriam esse cometido? :no:
Título:
Enviado por: Rui Elias em Junho 20, 2006, 10:56:37 am
Falcão:

Poderia não garantir, ao contrário dos submarinos.

Mas como as FA's portuguesas são curtas no seu dispositivo, e os orçamentos também (repare que se prevê o gasto de 5,4 mil milhões de euros até 2023), há que fazer opções.

Se se tratassem de 3 submarinos, já ficariamos com uma capacidade acrescida, não aritméticamente (2+1) mas geométrica dado o grau de operacionalidade e estado de prontidão das plataformas.

Mas tratando-se apenas de 2, e mesmo considerando que 2 U-209PN têm maior grau de operacionalidade que 4 Daphné, acho que é pouco para muito dinheiro.

Como se tem visto nos últimos anos, Portugal necessita como do pão para a boca de meios de projecção, navais e aéreos.

Ora o programa do LPD arrasta-se, um novo AOR para a Armada é uma promessa sempre adiada e nada se fala em veradeiros meios de projecção estratégica pelo ar.

Tendo em conta que não existem ameaças a médio prazo à integridade das nossas fronteiras, acho que se deviam fazer escolhas agora.

E uma escolha possível era apostar em meios de projecção, em escoltas capazes e modernas e na formação de unidades mecanizadas e bem equipadas, em capacidade KC para a FAP, etc.

Claro que a manutenção de uma força militar para defender a integridade do todo nacional é fundamental e a principal razão de ser das FA's em qualquer país.

Mas se o dinheiro não estica...


O que fazer com 2 submarinos que nos custarão mais de mil mihões, quando não temos LPD antes de 2015, nem fragatas que nessa altura terão 25 anos de idade, e C-130H com mais 10 anos que os que já têm agora, e não são pucos?
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Junho 20, 2006, 01:34:05 pm
Amigo Rui

você escreveu:
Citar
Ou em alternativa, que se encomendassem 3 Meko's A-200 novas para juntar às 3 Vasco da Gama que temos, com maiores capacidades AAW e 2 LPD's (um para entrega em 2015 e o outro para 2020), mais um AOR novo, para um programa a desenvolver em 15 anos, que gastar um balúrdio em 2 submarinos, finda a guerra fria.

Mas também escreveu:
Citar
Mas como as FA's portuguesas são curtas no seu dispositivo, e os orçamentos também (repare que se prevê o gasto de 5,4 mil milhões de euros até 2023), há que fazer opções.


Então se não há dinheiro, você endivida-se mais: Compra 3 Meko 200, mais 1 LPD, mais um AOR porque normalmente o Rui preconiza a existência de dois.

Então, para o caso de não ter percebido das outras vinte vezes, lá vai.
Fragatas Dealey novas. 50% pagas pelos EUA, classe V. Gama pagas em 60% pela NATO. Aviões A 7, Alfa Jet, F 16 (cerca de vinte encaixotados desde que vieram), M 60, M 109, Chaparral, M 113, tudo oferecido como contrapartidas. Lanchas de fiscalização, comparticipadas pela UE.

Afinal, onde é que o estado português tem dinheiro para comprar tudo o que o Rui preconiza.
Desde 1974 e até agora, pelo menos a marinha não investiu "quase nada" em meios navais, e agora é preciso tudo ao mesmo tempo.Houve um início de aquisições no anterior governo, que vai sendo protelado por este governo actual, cuja "batata quente" vai sobrar para o próximo, já que segundo as novas regras do Eurostat, o grosso do investimento virá no próximo governo.
Fragatas novas? Nem pensar nisso é bom, e a Nato já não deve ir outra vez na conversa.
Só dois submarinos? Mas são dois,e se o Rui mandasse, não teríamos nenhum, o que seria a primeira vez desde 1913 que abdicaríamos da unica arma de dissuasão do nosso arsenal.
 Fragatas em segunda mão? Qual é o problema? Antes isso que nada. O LPD está muito atrazado? também nunca tínhamos tido nenhum, e só servirá para conflitos que não nos dizem directamente respeito, servindo apenas os interesses políticos dos EUA e Israel, presentemente os países mais responsáveis pela instabilidade mundial.
Quanto ao AOR, se não tivermos um número razoável de meios oceânicos, nem sequer será necessário. Essa do triângulo estratégico Lisboa-Madeira-Açores não passa de conversa. Armem-se as ilhas com caças para sua defesa imediata, que as nossas actuais forças navais têm autonomia para lá chegar, sem necessidade do AOR. Claro que eu sou a favor de possuirmos um, mas sem esquadra não faz falta.
Título:
Enviado por: Rui Conceicao em Junho 20, 2006, 10:38:45 pm
Na actualidade, a melhor força de dissuazão é a arma submarina.Basta ver a quantidade de paises que estão com programas nesta area.
Título:
Enviado por: Rui Elias em Junho 21, 2006, 09:26:46 am
Caro Luís:

É óbvio que reconheço as virtualidades e capacidades que a arma submarina pode dar a qualquer país com pretenções oceânicas, quer para ataque, quer para dissuasão e interdição do espaço oceânico.

Mas repare:

Quanto a no passado, mediante contrapartidas e ajudas Portugal ter adquirido Dealey's comparticipadas a 50% e Meko-200 a 60%, isso só indica que afinal o desinvestimeto em defesa vem de muito atrás e que não é coisa só do pós 25 de Abril.

Mas independentemente de considerações políticas, o que nos foi dado ou ajudado, dado está.

Pensemos então no futuro.

E assim temos que:

O programa do LPD está em curso, e esperemos que nenhum contratempo acabe por cancelar esse programa.

E ese programa decorrerá das verbas inscritas na LPM que se espera que seja hoje aprovada.

Quanto ao NPO's, o programa, mais ou menos lentamete prossegue, bem como o das 5 LFC.

O Programa dos EH-101 está praticamente concluido e apenas os 2 SIFICAP serão parcialmente comparticipados pela UE.

Espera-se que dentro de 4 anos sejam recepcionados os 10 NH-90 e mais os helis ligeiros para a FAP e Exército.

O programas do PandurII também está em fase de inicio, e recentemente foi assinada a contratação para a compra de 12 aviões C-295.

Espera-se que finalmente hajam boas novas quanto à substituição da G-3 pela G-36, que já é utilizada em forças especiais e até na GNR.

O programa MLU dos F-16 também prossegue, embora se anuncie a venda de 12 dos 40 aparelhos que temos.

E está em curso a aquisição dos P-3 CUP para substituir os velhos P-3P que tínhamos.

E preve-se, embora sem garantias oficiais para já, a aquisição de duas fragatas de usos gerais que substituam as 2 João Belo que nos restamm.

Tudo isso sem ajudas e sem recurso a contrapartidas, como as que referiu, relativamente ao M-60, M-109, etc.

Portanto esses programas decorrem, e também o da construção e compra dos 2 submarinos.

Se em vez desses 2 submarinos, que segundo alguma comunicação social custarão perto de 1.000 milhões de euros, que tal se com essa verba se adquirissem 2 F-310 como as norueguesas e mais um AOR?

Era a minha ideia.

Porque quanto ao resto, nada parece estar em causa e agora, dados o novos tempos, não se prevê que a NATO volte a comparticipar a compra de equipamentos militares de grande monta, como o que aconteceu nos final dos anos 80 (ainda na guera fria) para a aquisição das 3 Meko-200.

Eu consideraria importante que Portugal pudesse contar com 3 submarinos.

Mas se forem apenas dois, acho que o investimento não compensa.

Está aperceber a minha ideia?

Se houvesse dinheiro para tudo, que viessem os submarios e eu preferia 3 em vez de dois.

Mas havendo falta de verbas...

Não esqueça que em 2015 as 3 Vasco da Gama e as 2 fragatas que aí virão (?) já terão 25 anos de idade.

E depois?  :wink:
Título:
Enviado por: TOMKAT em Junho 21, 2006, 10:02:29 am
Citação de: "Rui Elias"

Não esqueça que em 2015 as 3 Vasco da Gama e as 2 fragatas que aí virão (?) já terão 25 anos de idade.

E depois?  :?
Título:
Enviado por: Viriato1143 em Outubro 15, 2006, 12:24:15 am
Algum dos Camaradas aqui do forum,pode-me informar quando esta prevista a entrega do 1º U209PN a Portugal??
Título:
Enviado por: JLRC em Outubro 16, 2006, 12:41:09 am
Segundo o jornal grego To Thema via Digimedya http://www.digimedya.com/Content/News/149820.aspx (http://www.digimedya.com/Content/News/149820.aspx)
o primeiro submarino grego do tipo U-214, S-120 Papanikolis tem vindo a apresentar graves problema:

Citar
The sub U-214 Papanikolis was to be accepted by 30th of September 2005 then 30th September 2006 but still has severe problems and thus is not going to be accepted and maybe the whole project of the rest constructions and upgrades will be surely affected.
1.Lack of stability while sailing in rough sea conditions ranging from 35-58 degrees
2.The AIP system is out of function after a few hours of sailing
3.The sub is not that "quite" as supposed to be so easier to be detected
4.Problems with the battle system "ISUS"
5.When the sub is sailing more than 3 knots the periscope is trembling so there are troubles in order to lock on targets.
6.Sea water is leaking in the hydraulic systems.


As marinhas brasileira e portuguesa que se cuidem.
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Outubro 16, 2006, 02:00:38 am
Por falar em segredos militar-fotográficos, vejam aqui o montão de fotos dos U 214 gregos. Faz de conta que são os nossos.
http://militaryphotos.net/forums/showthread.php?t=68133 (http://militaryphotos.net/forums/showthread.php?t=68133)
Título:
Enviado por: SSK em Maio 16, 2007, 02:08:10 pm
Da oportunidade que tive de observar o AIP que está na HDW passa 24h sobre 24h a funcionar durante 8dias consecutivos e avarias até os Ferrari têm...

No que diz respeito ao ruído e à estabilidade o nosso submarino é diferente visto ter um comprimento superior e um deslocamento superior, logo a sua estabilidade é diferente do papanikolis bem como a sua assinatura acústica!  :?  :N-icon-Axe: , não tem sido alvo de up-to-dates visto já estar sob o controlo da secção de manutenção do estaleiro.

Por tanto como vê a este nível não tem de haver preocupação, visto os militares que se encontram na missão em kiel estão a fazer um bom trabalho max1x1
Título:
Enviado por: SSK em Maio 18, 2007, 04:40:38 pm
Aqui vai qualquer coisa sobre detecção acústica
(http://img511.imageshack.us/img511/7316/imagem2zv8.jpg)

E também do sistema de armas

(http://img142.imageshack.us/img142/567/imagem3aj7.jpg)
Título:
Enviado por: SSK em Maio 18, 2007, 06:58:11 pm
Visto a primeira imagem ser um U212, fiquem com esta e sejam sinceros  :Bajular:

(http://img233.imageshack.us/img233/9552/u214qs4.jpg)
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Maio 18, 2007, 07:24:39 pm
SSK escreveu:
Citar
Visto a primeira imagem ser um U212, fiquem com esta e sejam sinceros  "É LINDO"

A mim parece-me o Scorpene.
Título:
Enviado por: papatango em Maio 18, 2007, 07:26:00 pm
Pelo perfil da vela, creio que a primeira imagem é do submarino francês Scorpéne
=====
editado
=====

quase coincidência...

nota curiosa:
Vendo o esquema, mostra do lado direito seis tubos de torpedos, o que coincide com o Scorpéne.
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Maio 18, 2007, 07:27:44 pm
Papatango escreveu:
Citar
Pelo perfil da vela, creio que a primeira imagem é do submarino francês Scorpéne

E os lemes a ré não são em X.
Título:
Enviado por: SSK em Maio 18, 2007, 07:35:38 pm
PEÇO DESCULPA TROQUEI-ME, MAS VAI SER ACTUALIZADO :bang:  :bang:
Título:
Enviado por: dtana em Maio 19, 2007, 07:57:15 am
Artigo inglês U-214/U-212/U-209PN

Defense Technology International May 2007....No Nukes No Problem

http://www.nxtbook.com/nxtbooks/aw/dti0507/ (http://www.nxtbook.com/nxtbooks/aw/dti0507/)
Título:
Enviado por: SSK em Maio 19, 2007, 10:31:04 am
Muito obrigado assim facilitou-me a vida :G-Ok:

http://www.nxtbook.com/nxtbooks/aw/dti0507/index.php

Na página 27 podem ver as imagens equivalentes do nosso U209PN com umas pequenas alterações:

1ª os lemes são em +;
2ª o torpedo é o black shark;
3ª não temos Towed-array nem o winch.
Título:
Enviado por: SSK em Maio 20, 2007, 04:16:01 pm
Citação de: "Viriato1143"
Algum dos Camaradas aqui do forum,pode-me informar quando esta prevista a entrega do 1º U209PN a Portugal??


Data prevista da cerimónia de entrega em Kiel (Alemanha) dia 04 de Janeiro de 2010.

Desde que haja dinheiro para pagar ele estará na nossa mão, até porque a construção está bem avançada...
Título:
Enviado por: P44 em Maio 21, 2007, 10:04:11 am
Citar

 :arrow: http://bp0.blogger.com/_f1OZb7DL07k/Rkj ... 14+122.jpg (http://bp0.blogger.com/_f1OZb7DL07k/RkjYchBwyDI/AAAAAAAABIw/jQvo4fjhgoo/s1600-h/2007-05-14+122.jpg)

Submarino português BARRACUDA (S164)enquadrado com o porta-aviões USS DWIGHT D EISENHOWER (CVN69) no Tejo a 14-05-2007.
Esta imagem pode ajudar os circulos nacionais mais politicamente correctos e pacifistas a perceber a necessidade de submarinos por parte da Marinha Portuguesa. Trata-se de uma arma com grande poder dissuasor e uma generosa relação de preço que o torna acessível a nações com grandes limitações económicas mas necessidade de exercer o seu Poder Marítimo. É o caso de Portugal...

Text and images copyright L.M.Correia, unless otherwise stated. For other posts and images, check our archive at the right column of the main page. Thanks for your visit and comments. You are most welcome at any time - Luís Miguel Correia


http://lmcshipsandthesea.blogspot.com/ (http://lmcshipsandthesea.blogspot.com/)
Título:
Enviado por: SSK em Maio 24, 2007, 12:20:09 am
Citação de: "SSK"
PEÇO DESCULPA TROQUEI-ME, MAS VAI SER ACTUALIZADO :bang:  :wink:
Título:
Enviado por: SSK em Maio 24, 2007, 12:26:30 am
Citação de: "papatango"
Os submarinos em causa não utilizam o sistema de cama quente.
Cada U209PN é o dobro de um Daphné, e tem cerca de metade da tripulação.

Como resultado, há espaço para uma cama para cada tripulante.
Os planos ou pré-planos, prevêm que existam três ou quatro (não me recordo) grupos de acomodações. Para haver mulheres a bordo, deverá haver um numero de mulheres igual ao numero de camas de cada grupo de acomodações (chamemos-lhe camarata).

Cumprimentos


Caro papatango tem toda a razão relativamente ao número da guarnição. A dos novos será de 32 militares as dos Albacora é de 56.
Os alojamentos serão três mais a camarinha do Comandante. São dois camarotes de 3 Oficiais e um terceiro alojamento que é comum para sargentos e praças. Por isso é que me parece improvável (não disse impossível) o embarque de mulheres, a não ser que coloquem três ou seis Oficiais do sexo feminino ou então só mulheres sargentos e praças, parece-me difícil...
Título:
Enviado por: Sintra em Maio 24, 2007, 02:02:53 am
Citação de: "SSK"
Citação de: "papatango"
Os submarinos em causa não utilizam o sistema de cama quente.
Cada U209PN é o dobro de um Daphné, e tem cerca de metade da tripulação.

Como resultado, há espaço para uma cama para cada tripulante.
Os planos ou pré-planos, prevêm que existam três ou quatro (não me recordo) grupos de acomodações. Para haver mulheres a bordo, deverá haver um numero de mulheres igual ao numero de camas de cada grupo de acomodações (chamemos-lhe camarata).

Cumprimentos

Caro papatango tem toda a razão relativamente ao número da guarnição. A dos novos será de 32 militares as dos Albacora é de 56.
Os alojamentos serão três mais a camarinha do Comandante. São dois camarotes de 3 Oficiais e um terceiro alojamento que é comum para sargentos e praças. Por isso é que me parece improvável (não disse impossível) o embarque de mulheres, a não ser que coloquem três ou seis Oficiais do sexo feminino ou então só mulheres sargentos e praças, parece-me difícil...


  :twisted:
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 24, 2007, 10:22:29 am
Imaginem só... :twisted:  :wink:
Título:
Enviado por: SSK em Maio 24, 2007, 01:18:10 pm
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Imaginem só... :twisted:  :wink:


Realmente não estou a ver melhor comentário :?
Respeito procura-se :?
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 24, 2007, 02:12:17 pm
Mas eu estava a brincar com a situação... :wink:

Um submarino só com sargentos e praças do sexo feminino, até parece um filme do género anteriormente mencionado. Bem...pelo menos não haveria de faltar Oficiais a querer ir para os Submarinos!  :wink:
Título:
Enviado por: SSK em Maio 24, 2007, 06:29:04 pm
Por principio será fazer embarques nos U-209 brasileiros para se tomar contacto com outra realidade que não a nossa. Serão dois ou três militares a efectuarem este(s) embarque(s) e ainda não se sabem datas.
Citar
21-03-2007 17:53:58
Brasil e Portugal terão cooperação na área de submarinos
Brasília, 21 Mar (Lusa) - As forças armadas do Brasil e de Portugal poderão exercer
uma cooperação na área dos submarinos, afirmou nesta quarta-feira à Agência Lusa
o chefe da delegação do Estado-Maior da Armada portuguesa, almirante João
Carvalho Abreu.
O almirante veio a Brasília participar da 5ª Reunião do Estado-Maior das Marinhas
do Brasil e de Portugal, que acontece de dois em dois anos, alternadamente, em
cada país.
Segundo o oficial, a chegada dos submarinos alemães classe 209 PN a Portugal, em
2010, em substituição aos antigos de origem francesa, da década de 60, permitirá
que esta seja uma futura área de cooperação com o Brasil, que também tem
submarinos alemães e está expandindo sua frota.
O almirante Carvalho Abreu lembrou que o custo dos dois U-209 PN é de 1 bilhão de
euros (cerca de R$ 2,7 bilhão) e que os submarinos estão sendo construídos em
Kiel, Alemanha, nas instalações do estaleiro Howaldtswerke Deutsche Werft (HDW).
Troca de informações
O almirante disse que a intenção das Marinhas do Brasil e de Portugal é melhorar
ainda mais a qualidade das trocas de informação.
A delegação da marinha portuguesa, composta por três oficiais, viaja nesta quartafeira
para o Rio de Janeiro, onde visitará o arsenal da Marinha do Brasil, o centro de
análises de sistemas navais, a Empresa Gerencial de Projetos Navais (Emgepron), o
Corpo de Fuzileiros Navais, além de uma embarcação e do Museu Naval.
Chegada da corte portuguesa ao Brasil
Na 5ª Reunião do Estado-Maior das Marinhas do Brasil e de Portugal, os oficiais dos
dois países trocaram informações sobre assuntos de natureza operacional em várias
áreas, como aquisição de novos meios, treino e intercâmbio, tendo manifestado a
intenção de celebrar com eventos culturais os dois séculos da chegada da corte
portuguesa ao Brasil.
"Pela parte de Portugal há um interesse de celebrar a partida da marinha
portuguesa em 29 de novembro de 1807, com chegada em 22 de janeiro de 1808 a
Salvador e a 7 de março ao Rio de Janeiro", afirmou o almirante Carvalho Abreu.
Além disso, ficou acordado que o veleiro português Sagres vai participar do desfile
naval em setembro, no Rio de Janeiro, nas comemoração do bicentenário do
nascimento do patrono da Marinha do Brasil, almirante Tamandaré.
"É o veleiro mais bonito do mundo, até porque ostenta as Cruzes de Cristo", afirmou
Carvalho Abreu.
Título:
Enviado por: SSK em Maio 24, 2007, 06:44:18 pm
Para não estar a abrir outro tópico. aqui vai
Citar
Venezuela plans nine submarines
Venezuela’s chief of naval operations has revealed plans to acquire up to nine submarines at a cost of $3 billion.
If completed, the plan announced by Vice Admiral Armando Laguna, would make
Venezuela Latin America’s largest operator of submarines. Officially aimed at securing the
country’s Economic Exclusion Zone it is widely viewed as being aimed at the United States
due to the deterioration of relations between Washington and Caracas.
COMPETING
Venezuela, which operates two Type 209/1300 (Sábalo) class boats with a submerged
displacement of 1,600 tons is seeking ones with a displacement of about 1,750 tons.
Venezuela claims France, Germany and Russia are competing but the latter is still regarded
as the favourite with Amur 1650.
Caracas has already placed some $2 billion worth of orders with Spain for four corvettes
and four offshore patrol vessels. It is reported to be seeking an agreement with Spain to
replace American-made components in eight vessels.
Título:
Enviado por: old em Maio 24, 2007, 06:52:16 pm
(http://img440.imageshack.us/img440/6379/209pnmd3.jpg)


Cuantos puertos o arsenales navales tienen capacidad en Portugal para recargar el sistema AIP de Hidrogeno?

Gracias por la foto
Título:
Enviado por: SSK em Maio 24, 2007, 06:55:58 pm
Citar
Cuantos puertos o arsenales navales tienen capacidad en Portugal para recargar el sistema AIP de Hidrogeno?


ZERO :shock:

Os carregamentos serão feitos através de camiões que virão ao cais efectuar o abastecimento.
Título:
Enviado por: Von Einsamkeit em Maio 24, 2007, 07:02:59 pm
Vai ser otimo ter no futuro U-214 Brasileiro x U-214 Portugues
Título:
Enviado por: SSK em Maio 24, 2007, 07:06:15 pm
Citação de: "Von Einsamkeit"
Vai ser otimo ter no futuro U-214 Brasileiro x U-214 Portugues

Poderá ser um exercício engraçado mas tenho dúvidas que os américas não nos passem a vida a chatear para isso também...

Mas o brasileiro não trás AIP...
Título:
Enviado por: Von Einsamkeit em Maio 24, 2007, 07:08:45 pm
Pois é, mas no caso do U-214, planeja-se apenas este e talvez mais um, dai partindo para o SMB - Submarino medio Brasileiro, que vao se construir 2 unidades para dai começar a construir o SNB - Submarino Nuclear Brasileiro

Nao se sabe ainda o que vao instalar no lugar vago do AIP
Título:
Enviado por: Upham em Maio 24, 2007, 07:20:51 pm
Boa tarde!

Citar
--------------------------------------------------------------------------------
 
Citação:
Cuantos puertos o arsenales navales tienen capacidad en Portugal para recargar el sistema AIP de Hidrogeno?  


ZERO  

Os carregamentos serão feitos através de camiões que virão ao cais efectuar o abastecimento.
 


Eu sou um leigo na matéria, mas esta questão lembra-me um excerto de um texto que li há uns anos (ressalvando as devidas diferenças porque se tratam de situações diferentes), sobre as diferenças de projectos entre porta aviões Japoneses e Americanos e como essas diferenças de projecto e construção poderiam ter contribuido para o relativamente fácil afundamento dos 4 porta aviões Japoneses na batalha de Midway, que era a seguinte:
Os Japoneses reabasteciam de combustivel os aviões no convés de vôo através de tubagens embutidas no piso e que estariam ligadas a reservatórios de combustivel, enquanto que pelo contrário os Americanos reabasteciam os aviões também no convés mas através de reservatórios rebocados com capacidade para algumas centenas de litros que eram transportados por elevadores.

Penso que o reabastecimento de Hidrogénio através de camiões cisterna pode em determinadas situações ter vantagens em relação a uma instalação portuaria fixa, por exemplo, ser mais discreto e possibilitar o reabastecimento nalgum porto relativamente pequeno que tenha um cais com capacidade para a acostagem do submarino. As instalações fixas num porto seriam necessáriamente mais volumosas e vulneraveis a um ataque aéreo por exemplo.

Que pensam desta opinião?


Cumprimentos!
Título:
Enviado por: old em Maio 25, 2007, 10:10:08 am
Recarga mediante camiones? E tenido la ocasion de leer un articulo acerca de este pequeño inconvenieite: Mas o menos la resumo:

http://www.defesanet.com.br/zz/mb_u214.htm (http://www.defesanet.com.br/zz/mb_u214.htm)



El hidrogeno es un material muy peligroso de manipular, mucho.

Cada recarga del sistema AIP de los U212/214/209PN necesita de 15 Toneladas de Oxigeno liquido y 2 Toneladas de hidrogeno puro en estado gaseoso. Eso son 8 camiones cisterna. Y representan una carga peligrosa de trasnportar. Tendria que ser un convoy especial

Luego esta el reabastecimiento de los gases al submarino que necesita de unas instalaciones especiales.

Y finalmente el aspecto tactico:

Si el  U209PN tiene como mision realizar un bloqueo lejos de sus bases..¿como recargaria hidrogeno en un puerto extrangero?

Saludos
Título:
Enviado por: SSK em Maio 25, 2007, 02:45:45 pm
O único motor electrico dos U209PN são os Siemens Permasyn, as dimensões são 80% do volume e do peso de um motor electrico DC e 65% do comprimento.
Rated voltage range: 450v - 830v
Turning-gear speed 3 - 4 rpm
Eficiência a 600v, 544v e 520v é >94.5%
As rotações não vos posso divulgar por serem confidenciais :)

Aqui têm uma imagem dele...
(http://www.marina.difesa.it/sommergibili/images/sommergibile/u212a_motor.jpg)
Título:
Enviado por: SSK em Maio 31, 2007, 08:03:42 pm
Citar
Lisbon picks mines
The Portuguese Defence
Ministry is buying MN 102
Murena multi influence mines for
its Type 209PN class submarines.
The mines are being bought from
Italy’s Società Esplosivi Industriali
SpA (SEI SpA) and integration
trials with the HDW-manufactured
torpedo tube system are almost
complete with a torpedo tube will
be able to carry two mines. These
mines are a special version of the
Murena with a new body but the
original target detection
equipment.
Título:
Enviado por: SSK em Junho 02, 2007, 11:25:34 am
A silhueta do submarino na pagina abaixo indicada representa o U214 Grego.
http://areamilitar.net/directorio/NAV.aspx?nn=28

O nosso só vai ter 1 lançador de TCM's de cada bordo, os de vante, o que corresponde aos retangulos a cinzento no costado do submarino.
Título: Minas
Enviado por: tsahal em Junho 03, 2007, 03:21:53 pm
SSK, onde foste buscar o artigo das minas para o U209PN?
Título:
Enviado por: SSK em Junho 17, 2007, 04:29:37 pm
Citação de: "Von Einsamkeit"
Pois é, mas no caso do U-214, planeja-se apenas este e talvez mais um, dai partindo para o SMB - Submarino medio Brasileiro, que vao se construir 2 unidades para dai começar a construir o SNB - Submarino Nuclear Brasileiro

Nao se sabe ainda o que vao instalar no lugar vago do AIP

Citar
Lula defende conclusão de programa nuclear da Marinha

Defesa ocorre quando presidente tem se mostrado insatisfeito com demora em licenças ambientais para a construção de usinas para gerar energia elétrica
Tânia Monteiro

BRASÍLIA - Durante cerimônia de comemoração dos 142 anos da Batalha Naval do Riachuelo, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o comandante da Marinha, almirante Júlio Soares de Moura Neto, defenderam a conclusão do Programa Nuclear da Força Naval, ressaltando a importância dele, pela sua dupla utilidade, de permitir a construção do submarino com propulsão nuclear e pela capacidade de gerar energia elétrica e de desenvolver novos materiais.

A defesa deste programa ocorre justamente no momento em que o presidente Lula tem se mostrado insatisfeito e preocupado com a demora na liberação de licenças ambientais para a construção de usinas para gerar energia elétrica e estaria ameaçando com a reativação de Angra 3, tão criticada pelos ambientalistas.

"A conclusão desse reator permitirá que ingressemos no seleto grupo dos países com capacidade de desenvolver submarinos com propulsão nuclear", disse o presidente. E acrescentou: "desejo enfatizar também a dualidade do programa, pois, inserido no âmbito da defesa, contribui para o progresso nacional pela capacidade de gerar energia elétrica e de desenvolver novos materiais".

Depois de lembrar que o programa Nuclear da Marinha foi iniciado em 1979, o presidente Lula comentou que ele "representa um considerável progresso, com a realização de dois projetos: o do ciclo de combustível, empregando ultracentrífugas projetadas no Brasil, o que já se conseguiu, e a conclusão da unidade de gaseificação de compostos de urânio, que está em andamento".


Tecnologia própria
O presidente elogiou ainda "o desenvolvimento e a finalização, com tecnologia própria, de uma planta nuclear de geração de energia elétrica, incluindo o reator nuclear, o qual está bastante avançado, porém ainda não está pronto". Segundo Lula, "a conclusão desse reator permitirá que ingressemos no seleto grupo dos países com capacidade de desenvolver submarinos com propulsão nuclear".

Já o comandante da Marinha, em sua ordem do dia, ressaltou a importância da conclusão do programa, acentuando que ele representa "um extraordinário progresso no campo da ciência e da tecnologia em prol da nação".

De acordo com o almirante Moura Neto, "o presidente está consciente da importância do programa nuclear da Marinha, não só sob o aspecto da construção, de nos permitir ter um submarino de propulsão nuclear, mas também porque este reator produz energia elétrica, com aspecto dual".

E acrescentou: "estou seguro que o presidente vai proporcionar os recursos que falta para encerrarmos o nosso programa nuclear em torno de cinco".

O comandante disse ao Estado que, para dar prosseguimento ao programa, num ritmo adequado, além dos R$ 45 milhões que estão previstos no orçamento deste ano, são necessários mais R$$ 88 milhões até dezembro, já pedidos ao Ministério da Defesa e à equipe econômica. E, para manter um ritmo de encerramento em cinco anos, o projeto precisa receber R$ 130 milhões, por ano, já inserido no orçamento, durante este período.


Submarino nuclear
"Depois de tantos anos, estamos bem próximos de alcançar a meta de terminar o programa nuclear e aí pensar se quer ou não construir o submarino de propulsão nuclear, mas de toda maneira, o programa nuclear estará completado". Reaparelhamento - Mais uma vez, o comandante da Marinha aproveitou a cerimônia para pedir a execução do programa de reaparelhamento da Força.
"Tenho esperanças muito fortes de que isso aconteça", comentou o almirante, ao lembrar que o próprio presidente Lula, usou seu discurso para dizer que "é indispensável a sua implementação", que considerou "a única forma de manter a Força apta a cumprir efetivamente os seus deveres".


Forças Armadas
Após citar que tem acompanhado os anseios das Forças Armadas, o presidente Lula afirmou que "está convicto de que o papel desempenhado pelo Brasil na comunidade internacional requer que elas estejam adequadamente equipadas e preparadas para o pleno cumprimento de suas funções constitucionais".

O Comandante da Marinha, por sua vez, fez um paralelo com a guerra da tríplice fronteira, lembrando que, naquela época, a invasão do nosso território encontrou o país despreparado e com suas forças armadas desmobilizadas e que faltava poderio militar capaz de dissuadir agressões.

"A história nos propicia ensinamentos que não devem ser esquecidos: a eclosão de conflitos não depende de ameaças pré-definidas", declarou ele, avisando que "Forças Armadas com credibilidade e capacidade de dissuasão não se improvisam, principalmente nesta época de grandes avanços tecnológicos".

E completou salientando que o programa de reequipamento naval "é prioridade máxima" da Força e que, "assim como no passado, o Brasil requer uma Marinha adequadamente dimensionada e equipada, apta a executar efetivamente seu dever, como e quando for demandado pela vontade nacional".

Para tal, lembrou, "é necessário alocar recursos e meios indispensáveis para que ela possa atuar na vigilância e na proteção dos nossos interesses e soberania".
Título: Re: Minas
Enviado por: SSK em Junho 17, 2007, 05:09:35 pm
Citação de: "tsahal"
SSK, onde foste buscar o artigo das minas para o U209PN?

numa das newsletter's que recebo, salvo erro "sply glass".
Título:
Enviado por: Upham em Junho 19, 2007, 01:54:00 pm
Boa tarde!

Penso já ter lido no Fórum (não me lembro em que tópico), que segundo o Tratado do Atlântico Norte, os países membros da Organização que possuam capacidade de efectuar minagem, deverão também ter capacidade de desminagem.

Poderão esclarecer-me sff?

Cumprimentos!
Título:
Enviado por: SSK em Junho 19, 2007, 02:04:25 pm
Se assim o for estamos na "falca" à largos anos :?
É que os Submarinos da Classe Albacora sempre tiveram e têm ainda essa capacidade.
Mais não sei...
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Junho 19, 2007, 02:20:23 pm
Upham escreveu:
Citar
Penso já ter lido no Fórum (não me lembro em que tópico), que segundo o Tratado do Atlântico Norte, os países membros da Organização que possuam capacidade de efectuar minagem, deverão também ter capacidade de desminagem.


O que eu consegui encontrar acerca disso.

P.S. Acho que nos anos 80 e 90 do Século XX os líbios e iranianos não ligaram muito às regras respeitantes a minas flutuantes.


Mines
80. Mines may only be used for legitimate military purposes including the denial of sea areas to the enemy.

81. Without prejudice to the rules set out in paragraph 82, the parties to the conflict shall not lay mines unless effective neutralization occurs when they have become detached or control over them is otherwise lost.

82. It is forbidden to use free-floating mines unless:

(a) they are directed against a military objective; and
(b) they become harmless within an hour after loss of control over them.

83. The laying of armed mines or the arming of pre-laid mines must be notified unless the mines can only detonate against vessels which are military objectives.

84. Belligerents shall record the locations where they have laid mines.

85. Mining operations in the internal waters, territorial sea or archipelagic waters of a belligerent State should provide, when the mining is first executed, for free exit of shipping of neutral States.

86. Mining of neutral waters by a belligerent is prohibited.

87. Mining shall not have the practical effect of preventing passage between neutral waters and international waters.

88 The minelaying States shall pay due regard to the legitimate uses of the high seas by, inter alia, providing safe alternative routes for shipping of neutral States.

89 Transit passage through international straits and passage through waters subject to the right of archipelagic sea lanes passage shall not be impeded unless safe and convenient alternative routes are provided.

90. After the cessation of active hostilities, parties to the conflict shall do their utmost to remove or render harmless the mines they have laid, each party removing its own mines. With regard to mines laid in the territorial seas of the enemy, each party shall notify their position and shall proceed with the least possible delay to remove the mines in its territorial sea or otherwise render the territorial sea safe for navigation.

91. In addition to their obligations under paragraph 90, parties to the conflict shall endeavour to reach agreement, both among themselves and, where appropriate, with other States and with international organizations, on the provision of information and technical and material assistance, including in appropriate circumstances joint operations, necessary to remove minefields or otherwise render them harmless.

92. Neutral States do not commit an act inconsistent with the laws of neutrality by clearing mines laid in violation of international law.
Título:
Enviado por: Upham em Junho 20, 2007, 02:37:45 pm
Boa tarde!

Obrigado luis filipe silva, é uma informação interessante. É retirada de que tratado?

Cumprimentos!
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Junho 20, 2007, 09:14:56 pm
Caro upham

O tratado é este (que não é bem um tratado):
San Remo Manual on International Law Applicable to Armed Conflicts at Sea.
Título:
Enviado por: SSK em Julho 02, 2007, 03:26:45 pm
Noticias fresquinhas das contrapartidas...

Citar
Contrato dos submarinos a 40%,helicópteros a 5%
O presidente da Comissão Permanente de Contrapartidas (CPC) afirma que o contrato de contrapartidas para empresas portuguesas pela compra dos submarinos está cumprido a 40%, mas considera "grave" que o dos helicópteros só tenha 5% de cumprimento.
De acordo com o presidente da CPC, pela aquisição de equipamento militar por parte do Estado português, estão em curso sete contratos de contrapartidas - um dos quais já concluído, relativo à aquisição da primeira esquadrilha de F-16, da responsabilidade da Lockheed Martin, no valor de cerca de 94,7 milhões de dólares.
Também segundo o mesmo responsável, os contratos relativos à aquisição de torpedos para a esquadra de submarinos (de 46,4 milhões de euros) e de veículos blindados com rodas à Steyer (de 516 milhões de euros) "entraram em vigor apenas no início deste ano, porque guardaram visto do Tribunal de Contas".
"Tanto o contrato relativo aos torpedos, como aos veículos blindados com rodas, como só agora entraram em vigor, têm ainda oito anos para serem cumpridos", salienta.
Rui Neves refere que também são recentes os contratos de contrapartidas pela aquisição dos C-295 (assinado em Fevereiro e que aguarda visto do Tribunal de Contas) e para o "up-grade" de duas esquadrilhas de F-16 da Lockheed Martin.
O presidente da CPC sublinha que o maior contrato de contrapartidas, no valor de 1,2 mil milhões de euros, envolve a aquisição de submarinos à HDW, mas adianta que o seu cumprimento, ao fim de ano e meio, "atingiu já os 40%".
"Esses 40% tem muito ver com um conjunto de encomendas colocadas nos estaleiros de Viana do Castelo, que se assumiu como um dos eixos desse concurso", aponta este responsável,que tomou posse do seu cargo em Maio de 2005.
"Independentemente das expectativas de algumas empresas, temos ainda seis anos e meio pela frente" para cumprir o contrato de contrapartidas" com a HDW, refere Rui Neves, adiantando, no entanto, que alguns dos projectos constantes neste programa de contrapartidas "terão de ser redefinidos".
De acordo com a explicação do presidente da CPC, alguns destes projectos de contrapartidas - e que poderão ser reajustados - começaram a ser definidos em 1997, "e em sete anos, até 2004, houve muita coisa que mudou".
Interrogado sobre a possibilidade de os futuros submarinos da Marinha portuguesa ficarem dependentes de uma empresa grega ao nível da manutenção das baterias - uma queixa do presidente da Autosil, Pedro Sena da Silva -, o presidente da CPC desvaloriza este ponto.
"Defendo que deve haver indústrias nacionais viáveis ligadas à Defesa, o que significa têm de trabalhar para o mercado internacional.
Da mesma forma, tenho de aceitar também que Portugal envie alguns dos seus equipamentos para manutenção no exterior", sustenta.
Rui Neves diz mesmo que "Portugal não se pode dar ao luxo de ter uma falsa independência nacional em torno de manutenção de equipamentos".
"Não presumo que as guerras do futuro sejam com a Grécia ou com qualquer outro país" aliado de Portugal na NATO, acrescentou o presidente da CPC.
Já em relação à aquisição de helicópteros EH 101 ao consórcio ítalo-britânico Agusta/Westland, o presidente da CPC reconhece que "é um contrato que tem corrido mal", tendo um grau de cumprimento de cinco por cento num prazo de quatro anos e meio.
"Finalmente, estão a ser criadas as condições para renegociar este contrato, em circunstâncias que defendam o Estado Português, disse Rui Neves. Embora sem especificar em que moldes irá ocorrer a renegociação do contrato.
Sobre os processos de contrapartidas, o anterior presidente da CPC, o ex-dirigente do CDS-PP Pedro Brandão Rodrigues (nomeado para o cargo pelo ex-ministro da Defesa Paulo Portas) recusou-se a prestar declarações à agência Lusa.
No entanto, um membro da sua anterior equipa responsabilizou o segundo Governo socialista de António Guterres (e o então ministro da Defesa Rui Pena) pelas dificuldades criadas na execução das contrapartidas com o consórcio Agusta/Westland.
"No tempo em que Rui Pena foi ministro da Defesa, em 2001, foi cometido um erro, porque se adjudicaram os helicópteros sem se garantirem as contrapartidas, contrato este que apenas fechámos em 2005 e com grande dificuldade", refere um elemento da anterior CPC.
Este ex-responsável da CPC considera "naturais" as queixas de algumas empresas em relação à equipa de Pedro Brandão Rodrigues, "porque há sempre quem pretenda beneficiar de contrapartidas sem ter condições para isso".
"Todos os contratos de contrapartidas negociados pela equipa a que pertenci [entre 2002 e 2005] foram negociados com garantias de 25 por cento do valor total desses mesmos contratos. Só o contrato dos submarinos, por atingir um valor de 1,2 mil milhões de euros, tem uma garantia de 10 por cento", sustenta este responsável da CPC dos tempos dos executivos PSD/CDS-PP.
"No momento em que deixei a CPC não havia nenhuma queixa em relação ao contrato dos submarinos e em todos os contratos o Estado Português ficou bem defendido", advogou ainda.

Agência LUSA
2006-06-30 06:15:06
Título:
Enviado por: SSK em Julho 09, 2007, 11:01:14 pm
Já devem ter visto esta reportagem, fala da despedida do delfim e depois a entrevista ao Sr Comandante Gouveia e Melo.

http://www.youtube.com/watch?v=BCSujMZ4c38
Título:
Enviado por: SSK em Julho 11, 2007, 08:55:53 pm
Citar
                                 CIRCE
Type
   Integrated anti-torpedo countermeasures system.

Description
   HDW in Germany and WASS of Italy have jointly developed the CIRCE rapid reaction multi-effector soft kill torpedo countermeasures system. Circe is designed to counter modern lightweight and wire and non wire-guided acoustic homing heavyweight torpedoes.

   The system operates using stationary jammers and mobile decoys. The decoys are able to produce echoes for any type of torpedo acoustic transmission, by means a wide band signal processing and separate acoustic receiver and transmitter.

   The countermeasures system consists of:
1. Countermeasures launching system, mounted externally on the
    pressure hull of the submarine.
2. Control Computer, fitted with a Man Machine Interface, and connected
    with the torpedo detection system of the submarine, which controls the
    launch of the countermeasures.

   The jammer features a highly efficient transducer, covering the whole torpedo bandwidth, with a switching power amplifier and high-energy density thermal battery. The jammer generates a very high amount of energy spread over the entire reception band of the acoustic head of the torpedo. By emitting a high intensity broadband noise, the jammer masks the target echo as well as target radiated noise, preventing target acquisition by the torpedo.

   The mobile decoys must draw the torpedo away from its real target. To achieve the deception effect, the mobile decoy uses a sophisticated transponder to simulate a real target, generating in real time acoustic echoes to any multifrequency coded pulse emitted by the torpedo. The echo structure is equal to the one of a real target (acoustic length, highlights). During its underwater run the mobile decoy radiates noise, in order to be representative of a moving target. The noise radiation happens independently from the transponder function. Decoys feature, over a wide band, a constant target strength, and are compatible with the jammers presence, also a short distance from these. A high-energy density thermal propulsion battery powers the mobile decoy. The underwater trajectory of the mobile decoys is presetted immediately before the launch. The vector of the mobile target emulator are derived from the A200 mini-torpedo developed by Whitehead Alenia Sistemi Subacquei, within the frame of the Low-Cost Anti-submarine Weapon (LCAW).

   The modular design and commonality with existing devices combined
with simple functional architecture enables the effectors to be easily interfaced with the majority of existing platforms.

   The countermeasures are deployed from a dedicated launching system, one for each side of the submarine, comprising a multibarrelled module fitted externally to the pressure hull. The number of barrels per module
and the number of modules can be tailored to meet customer requirements.

   The system is controlled from a Control Computer in the operations room. The panel of the Control Computer displays the status of the launchers and countermeasures. The system operates automatically via a link with the torpedo alert system. The submarineís sonar provides threat detection and alarm signals which are continuously fed to the CIRCE system which remains in constant stand by ready to respond to any alert. The manual control of the system is possible too.


(http://www.whiteheadaleniasistemisubacquei.com/prodotti/cms/img/CIRCE_01.jpg)
(http://www.whiteheadaleniasistemisubacquei.com/prodotti/cms/img/CIRCE_02.jpg)
(http://www.whiteheadaleniasistemisubacquei.com/prodotti/cms/img/CIRCE_03.jpg)
(http://www.whiteheadaleniasistemisubacquei.com/prodotti/cms/img/CIRCE_04.jpg)

Antes que alguem critique, eu sei que a ultima imagem é de um 212 e que a configuração dos lançadores não vai ser esta.

FONTE http://www.whiteheadaleniasistemisubacquei.com/products.html?cat=2,4
Título: Muito bom.
Enviado por: zocuni em Julho 11, 2007, 09:10:32 pm
Tudo bem,

Excelente artigo,SSK.

Abraços,
Título:
Enviado por: SSK em Julho 11, 2007, 11:44:43 pm
Citar
BLACK-SHARK


Type
   Heavyweight torpedo.

Description
   The BLACK-SHARK Heavy Weight Torpedo is a multipurpose weapon designed to be launched by submarines or surface vessels. It is meant to counter the threat posed by any type of surface or underwater target for the next 20th years. The BLACK-SHARK is a new generation of powerful, long-range, wire guided and self- homing heavyweight torpedoes (21-inch diameter).

Main Characteristics
Dual purpose antisubmarine/antiship torpedo
Adaptability to a large variety of discharge systems: push-out/swim-out launch
Optimised for deep and shallow water operation
Fully digital signal and data processing
Detection capability on low TS, zero doppler targets
Sophisticated ACCM capability
Acoustic head shape designed to reduce flow-noise
Very low radiated noise
Electrical propulsion system with very high energy content primary battery
High speed with stepless speed electronic control
Possibility to simultaneously manage several targets
Length of 6300 mm, allowing integration with any submarine tube
Fibre optic wire guidance communication link
Possibility to integrate it with all modern Torpedo Fire Control Systems, assured by compatibility with STANAG 4405
Simple to interface with ship sensors and computing units
Actual tactical situation permanently available for threat assessment and target selection
Audio channel available

Advanced Acoustic Homing  
The Acoustic Head of Black-Shark, named ASTRA (Advanced Sonar Transmitting and Receiving Architecture), is a state of the art active and passive acoustic head for modern torpedoes which represents the latest effort made by Whitehead Alenia Sistemi Subacquei.
   It is possible to use ASTRA as an additional, remote sensor to the submarine combat suite.
   The main signal and data processing is based on the following criteria:
Spatial filtering
Frequency filtering
Constant False Alarm Rate (CFAR) processing
Echo elongation analysis
Echo angular extension analysis
Echo spatial coherence analysis
DEMON analysis
Medium and high frequency operation in passive mode
Multi-frequency capability

Electrical Propulsion System  
It consists of a new design Al-AgO battery with a very high-energy content, contra-rotating motor and skewed direct-drive propellers, assuring a minimum radiated noise and wakeless run, minimizing the torpedo detectability.

Sensors

Availability of wake sensor for detection and classification
Target tracking
Optimized wake homing capability

Powerful Explosive Charge
Lethal for surface vessels and submarines, activated by both acoustic influence and impact fuses
Safety and reliability verified in any operational phase
Warhead proven against real targets
Insensitive Munition Explosive (STANAG 4439)

Submarine System
Launch performed at any operational depth of the submarine
Presence of the launching submarine is not disclosed (start-up at low speed, cavitation free)
Continuous monitoring of torpedo status in submarine tubes
Availability of compact Torpedo Board Interface (TBI) solutions for integration on existing platforms


(http://www.whiteheadaleniasistemisubacquei.com/prodotti/hwts/img/bsk07.jpg)
Título:
Enviado por: SSK em Julho 14, 2007, 12:09:26 am
Próximo teste que os nossos submarinistas vão fazer:

http://www.youtube.com/watch?v=AD1yu5Cxxkg

http://www.youtube.com/watch?v=i87d_0P2PKs

http://www.youtube.com/watch?v=KCPPdtBZr_w
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 14, 2007, 01:51:16 am
Os nossos submarinistas fazem este tipo de treino em Portugal ou no estrangeiro? Temos alguma torre de mergulho como esta no alfeite?
Título:
Enviado por: Nuno Calhau em Julho 14, 2007, 11:48:45 pm
Os nossos meninos vêm equipados com esta panoplia de armas?

Tenho a sensação de ter lido algures que os torpedos eram de origem Italiana.
E tendo sido o Portas a subornar, perdão negociar...

Um Abraço.
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 14, 2007, 11:57:49 pm
Citação de: "Nuno Calhau"
Os nossos meninos vêm equipados com esta panoplia de armas?

Tenho a sensação de ter lido algures que os torpedos eram de origem Italiana.
E tendo sido o Portas a subornar, perdão negociar...

Um Abraço.


Nuno tens provas? Então não levantes falsos testemunhos porque só se deve acusar alguém quando se tem provas e se dá a cara!

O nosso caro colega SSK tem posto estes artigos não é porque ele acha esses armamentos engraçados, mas porque foram eles os escolhidos pela Armada.
Título:
Enviado por: lurker em Julho 15, 2007, 12:35:01 am
Citação de: "Nuno Calhau"
Os nossos meninos vaem equipados com esta panoplia de armas?

Tenho a sensação de ter lido algures que os torpedos eram de origem Italiana.

Apesar do nome anglófono, o Black Shark é de origem italiana.
Título:
Enviado por: MERLIN em Julho 15, 2007, 01:56:06 am
A Black Shark foi desenvolvida e é fabricada pelo consorcio franco-italiano  WASS. O futuro torpedo dos novos submarinos nucleares franceses sera um derivado do BS.
Cumptos
Título:
Enviado por: SSK em Julho 15, 2007, 06:35:16 pm
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Os nossos submarinistas fazem este tipo de treino em Portugal ou no estrangeiro? Temos alguma torre de mergulho como esta no alfeite?


Existe uma torre destas no alfeite mas só tem 6 metros de altura e foi desactivada à alguns anos atrás, manutenção... foi o problema na altura.
Para começar as primeiras guarnições efectuaram este treino no estrangeiro estando em estudo a construção de uma nova no Alfeite. PAra já não é certo a construção, visto poder ser mais barato os testes serem feitos no estrageiro do que a construção e manutenção de muma estrutura destas no Alfeite.
Título:
Enviado por: SSK em Julho 15, 2007, 06:36:56 pm
Citação de: "Nuno Calhau"
Os nossos meninos vêm equipados com esta panoplia de armas?

Tenho a sensação de ter lido algures que os torpedos eram de origem Italiana.
E tendo sido o Portas a subornar, perdão negociar...

Um Abraço.


Cara Nuno, se não confia :evil:
Título:
Enviado por: Nuno Calhau em Julho 15, 2007, 08:26:50 pm
Meu caro SSK!

Foi simplesmente uma pergunta inocente.
Nunca pus em causa o que voce escreve aqui no forum, pois ao contrario de muitos é dos poucos que sabe o que escreve.
Pois como o Merlin "disse", talvez tenha sido traido pelo nome pouco Italiano.

Quanto a dar a cara, toda a gente sabe pelo menos o meu nome, ao contrario de outros que se escondem por detras de nomes de ferramentas.
Julgando advertidamente uma pessoa.

Caro SSK, aqui ficam as minhas desculpas.
Título:
Enviado por: antoninho em Julho 15, 2007, 10:13:54 pm
Colegas não se metam em novelas de partidos, vamos mas é ser mais elevados nas nossas conversas do que essa triste gente.......(para isso basta a nova geração de jornalistas de trazer por baixo do tapete...)
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 17, 2007, 01:53:12 pm
Citação de: "SSK"
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Os nossos submarinistas fazem este tipo de treino em Portugal ou no estrangeiro? Temos alguma torre de mergulho como esta no alfeite?

Existe uma torre destas no alfeite mas só tem 6 metros de altura e foi desactivada à alguns anos atrás, manutenção... foi o problema na altura.
Para começar as primeiras guarnições efectuaram este treino no estrangeiro estando em estudo a construção de uma nova no Alfeite. PAra já não é certo a construção, visto poder ser mais barato os testes serem feitos no estrageiro do que a construção e manutenção de muma estrutura destas no Alfeite.


Obrigado pela info...mas eu acho muito mau, estas torres podem ser usadas na formação e treino dos mergulhadores (não só militares como civis, não esquecer que a Marinha dá cursos de Mergulhadores profissionais). Tb pode ser usada para treino de mergulho em apneia durante o inverno (tb para civis e /ou militares), etc.

Eu sei, eu começo a pensar em coisas que na prática só acontecem no estrangeiro... :roll:
Título:
Enviado por: SSK em Julho 17, 2007, 05:55:41 pm
Claro que sim, mas isto só demonstra que o senhor está "muito à frente". é uma pena nas "coisas" estatais se pensar sempre em pequeno, também o dinheiro não abunda, pelo menos quando se tráta de investir nas FA's...
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 17, 2007, 06:05:21 pm
:oops:
Título: Coreia do Sul
Enviado por: zocuni em Agosto 11, 2007, 02:23:31 pm
Tudo bem,

Vejam o video do baptismo,dos submarinos U-214.A Coreia do Sul e a Grécia,são os únicos a operar tais modelos,se estiver errado por favor me corrijam.É que vejo os nossos serem apelidados de U-209PN.
Os portugueses são iguais,idênticos a estes.Não vejo a hora de entrarem em operação,parecem fantásticos.

http://br.youtube.com/watch?v=oIkI1spx7qg


A notícia,se alguém souber coreano,por favor traduzir.

http://br.youtube.com/watch?v=MoMRlIFlibY&mode=related&search=



Abraços,
Título:
Enviado por: Upham em Agosto 17, 2007, 01:52:32 pm
Boa tarde!

Ao consultar no areamilitar a informação sobre os submarinos U 209-1500 da marinha da União Indiana, li que estes navios têm a particularidade de estarem equipados com uma cápsula de escape, que comporta a totalidade da tripulação (40) para salvamento em caso de afundamento. Desconhecia que os submarinos podiam ser equipados com este dispositivo. Será á frente da vela? Na foto nota-se uma linha de descontinuidade no casco, parece ser uma tampa de escotinha gigante. Que tipo de dispositivo será? Esférico, cilindrico?
A unica informação que li há uns anos era sobre um dispositivo existente nos submarinos da RN que consistia numas "bolsas" de lona individuais que em caso de afundamento seriam cheias com ar comprimido, permitindo que os marinheiros (um a um) se ejectassem por uma escotilha e flutuassem até á superficie.
Alguem tem informações sobre se os futuros submarinos da Marinha, virão tembém equipados com este tipo de dispositivo?

Cumprimentos!
Título:
Enviado por: SSK em Agosto 17, 2007, 02:53:26 pm
Citar
Desconhecia que os submarinos podiam ser equipados com este dispositivo. Será á frente da vela? Na foto nota-se uma linha de descontinuidade no casco, parece ser uma tampa de escotinha gigante. Que tipo de dispositivo será? Esférico, cilindrico?

Existem vários meios de salvamento de submarinos e submarinistas. O U209 1500 Indiano de facto tem esse sistema instalado. O sistema tem a forma cilindrica está mais ao menos a meio navio e não dá para ver nas fotos, tem tambem reservas de oxigénio para 40 pessoas sobreviverem cerca de 8 horas. Esta cápsula, no que diz respeito à pressão aguenta até à profundidade de colapso do submarino.

Citar
Alguem tem informações sobre se os futuros submarinos da Marinha, virão tembém equipados com este tipo de dispositivo?


Os nossos novos submarinos são equipados com uns fatos, que estão num filme que eu já coloquei aqui neste tópico. Estes fatos são para ser usados em duas situações, escape livre e ascenção livre.

O nosso submarino vem equipado com uma antepara estanque e resistente que poderá dividir o submarino em dois compartimentos completamente separados, sem qualquer tipo de passagem, anão ser passagens de cabos.
Esta antepara tem uma escotilha que pode ser fechada em caso de sinistro, ficando assim um dos compartimentos habitável em "segurança".

Dos dois lados existem tanto escotilhas para fuga ou camaras fixas que permitem a saída dos homens sem que os restantes que estão dentro do submarino fiquem sujeitos à pressão do exterior, o que não acontece no caso das escotilhas. Deste modo tudo o que diz respeito a salvamento, como por exemplo os fatos, são sempre o dobro da guarnição.

Ainda existe a hipótese de o salvamento ser feito por acoplamento de um veiculo de salvamento. Já agora, a NATO está a construir um novo.

Espero que tenha sido suficientemente explicito, porque estar a descrever tudo dáva um imenso texto.
Título: ????
Enviado por: zocuni em Agosto 17, 2007, 09:30:04 pm
Citação de: "SSK"
Ainda existe a hipótese de o salvamento ser feito por acoplamento de um veiculo de salvamento. Já agora, a NATO está a construir um novo.


Tudo bem,SSK

Muito boa sua explicação.Agora fiquei na dúvida,sobre esse veículo de salvamento,como seria,pelo menos o velho?

Abraços,
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Agosto 17, 2007, 10:22:41 pm
Zocuni escreveu:
Citar
Muito boa sua explicação.Agora fiquei na dúvida,sobre esse veículo de salvamento,como seria,pelo menos o velho?


Este é o americano:
http://www.navysite.de/ships/dsrv.htm (http://www.navysite.de/ships/dsrv.htm)

Este o japonês:
http://www.strange-mecha.com/ship/DSRV/DSRV.htm (http://www.strange-mecha.com/ship/DSRV/DSRV.htm)

Este o inglês utilizado com o Khursk:
http://www.naval-technology.com/projects/lr5/ (http://www.naval-technology.com/projects/lr5/)
Título: Submarino
Enviado por: zocuni em Agosto 17, 2007, 10:40:40 pm
Tudo bem,

Luis Filipe Silva.Muito obrigado,suas dicas são excelentes.Embora sendo leigo no assunto,fiquei impressionado com o inglês,o LR5 acompanhado com o Scorpio ROV,que opera a 400 metros e resgata 120 pessoas,impressionante.Agora isto deve custar muito dinheiro?Seria comportável para Portugal ter isto,claro que depois que receber os novos.
Gosto destas coisas altamente tecnológicas e com aplicabilidade prática.

Abraços,
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Agosto 18, 2007, 02:53:01 am
Zocuni escreveu:
Citar
Agora isto deve custar muito dinheiro?Seria comportável para Portugal ter isto,claro que depois que receber os novos.


São tecnologias muito caras. Que eu saiba, só a Inglaterra, Russia, Japão e USA posuem veículos deste tipo. Outras marinhas usam a campânula Mc Can caso do Brasil mas é tecnologia dos anos trinta do século passado.
Os DSRV actuais podem ser aerotransportados, e operados por qualquer navio de apoio a plataformas de petróleo relativamente apetrechados para perar um ROV. O problema maior que estes equipamentos enfrentam, é a acoplagem com o submarino de lado. O LR5 possui diversos hélices que o permitem fazer.
Na práctica quando existe um submarino naufragado em tempo de paz, os países entreajudam-se.
Título:
Enviado por: Luso em Agosto 18, 2007, 01:02:31 pm
Citação de: "SSK"
Espero que tenha sido suficientemente explicito, porque estar a descrever tudo dáva um imenso texto.


Não se preocupe. Esteja à vontade. É sempre um prazer ler as linhas do "nosso" submarinista de serviço. :wink:
Título: $$$$
Enviado por: zocuni em Agosto 18, 2007, 02:11:22 pm
Citação de: "luis filipe silva"
Zocuni escreveu:
Citar
Agora isto deve custar muito dinheiro?Seria comportável para Portugal ter isto,claro que depois que receber os novos.

São tecnologias muito caras. Que eu saiba, só a Inglaterra, Russia, Japão e USA posuem veículos deste tipo. Outras marinhas usam a campânula Mc Can caso do Brasil mas é tecnologia dos anos trinta do século passado.
Os DSRV actuais podem ser aerotransportados, e operados por qualquer navio de apoio a plataformas de petróleo relativamente apetrechados para perar um ROV. O problema maior que estes equipamentos enfrentam, é a acoplagem com o submarino de lado. O LR5 possui diversos hélices que o permitem fazer.
Na práctica quando existe um submarino naufragado em tempo de paz, os países entreajudam-se.


Obrigado,Luis Filipe Silva

Estranho países fortes,e com marinhas pujantes tipo(Alemanha e França),não terem tais submarinos de resgate.Em caso afirmativo,torna tais marinhas algo dependentes de outras.Veja-se o Kursk,em aparente "cenário de paz",e mesmo tendo tal tecnologia,agiram de forma lenta e deu no que deu.Uma tragédia que o governo russo teve de digerir.Claro que isto tudo é muito caro,mas caso aconteça alguma tragédia,o peso dos midia,sociedade é por demais incontrololável.Claro que ser submarinista é uma atividade de alto risco,mas se existe tecnologia para se evitar certas tragédias,porque não usá-las.Falta o melhor,$$$$$$$.

Abraços,
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Agosto 19, 2007, 12:43:14 am
caro Zocuni.
Tinha-me esquecido da Suécia com o seu veículo URV.
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Agosto 25, 2007, 06:28:46 pm
Citar
Começa a construção dos novos U-212
Novos submersíveis serão os mais avançados submarinos convencionais.
24.08.2007


O grupo Thyssen, anunciou o início da construção do quinto e sexto submarinos da classe U212 (chamado aqui de U-212B, para o diferenciar do mais antigo e já operacional U-212A) que deverá estar operacional entre 2012 e 2013.

Os novos submarinos vão manter grande parte das características conhecidas dos U212 ao serviço. Não são conhecidas grandes alterações relativamente à estrutura interna e capacidades de transporte, mas esperam-se algumas modificações que poderão aumentar muito consideravelmente as capacidades da nova arma.

Como todos os submarinos alemães desde os anos 50, o U-212 tem um casco em aço amagnético, que é uma exigência da marinha que espera que os seus submarinos sejam essencialmente utilizados nas águas do Báltico.

Ele conta com seis tubos para lançar torpedos que também podem lançar minas. É aqui que poderão surgir as primeiras modificações significativas, com a inclusão de uma versão mais sofisticada e completa do sistema de combate, que deverá permitir não só permitir a gestão dos torpedos como ainda o futuro lançamento de mísseis anti-navio, característica que os U212 anteriores não possuem.

Outra das possibilidades em estudo, é a de juntamente com o lançamento de mísseis anti-navio os futuros U212 poderem também disparar mísseis anti-aéreos.

A utilização dos novos armamentos passa a ser possível, especialmente porque não só os sensores dos novos U212 serão mais sofisticados e precisos – permitindo maior controle sobre as armas – como também estarão ligados a um sistema de dados militares, em que o U212 será um ponto de ligação de uma rede de computadores, uma espécie de rede local (LAN) encriptada e segura, que permitirá ao U212 saber exactamente onde está e onde estão todos os restantes componentes da força.

Todos os sensores dos vários navios ou aeronaves estarão interligados e mesmo quando submergido, o U212 terá meios para se conectar com a rede. Desta forma, o U212 sabe a cada momento onde estão os potenciais inimigos, porque tem acesso não apenas aos dados dos seus sensores, como também aos dados dos sensores dos navios da esquadra e das aeronaves (aviões ou helicópteros) que estiverem ligados à rede.

Torna-se assim possível a um comandante de uma força, ter uma visão integral da área de conflito, podendo dar ordens a cada um dos seus meios de forma coordenada. O submarino pode por exemplo lançar um torpedo para atacar um navio que está a ameaçar uma fragata ou uma lancha de patrulha, mesmo que não tenha detectado a ameaça através dos seus próprios sensores. Um helicóptero detectado pelo radar de uma fragata, pode ser atacado com um míssil anti-aéreo transportado a bordo do submarino.

Com uma informação completa sobre a área de interesse onde se desenrola um confronto, e com a interligação de dados colhidos pelos vários sensores dos navios e aviões que estão ligados em rede, toda uma esquadra pode passar a funcionar como se tratasse de um único grande navio, com múltiplas possibilidades de resposta disponíveis face às ameaças encontradas.

Juntamente com as fragatas de defesa aérea, os submarinos U212 serão uma arma de grande poder e letalidade funcionando como um multiplicador de força de qualquer esquadra que conte com este tipo de meio.

Embora o custo dos U212 seja elevado – estima-se que entre €500 e €800 milhões – a sua sofisticação técnica, a sua quase indetectabilidade, tornam os submarinos deste tipo cada vez mais interessantes para marinhas com os recursos para os adquirir. Mesmo nos Estados Unidos, os submarinos com sistema de propulsão AIP parecem estar a ser estudados, pelo menos como opção.



in Areamilitar

A manutenção destes meninos vai ser algo puxada... mas vale o esforço!
Título:
Enviado por: SSK em Agosto 27, 2007, 01:00:47 am
Citar
Como todos os submarinos alemães desde os anos 50, o U-212 tem um casco em aço amagnético, que é uma exigência da marinha que espera que os seus submarinos sejam essencialmente utilizados nas águas do Báltico.

Triplica o preço dos submarinos, mas é uma capacidade espectacular para águas pouco profundas como são as do báltico, deste modo o sistema de detecção dos MPA's por anomalias magnéticas fica práticamente fora de jogo.

Citar
A utilização dos novos armamentos passa a ser possível, especialmente porque não só os sensores dos novos U212 serão mais sofisticados e precisos – permitindo maior controle sobre as armas – como também estarão ligados a um sistema de dados militares, em que o U212 será um ponto de ligação de uma rede de computadores, uma espécie de rede local (LAN) encriptada e segura, que permitirá ao U212 saber exactamente onde está e onde estão todos os restantes componentes da força.


Isto não é nava mais nada menos que os Link's, equipamento que os nossos também trazem, de facto é uma grande mais valia, mas não nos podemos esquecer que para isto funcionar o submarino terá que colocar sempre uma antena de fora ou então a Wire-Antenna que limita a manobrabilidade do submarino.


Estes 212B são a par dos 212A muito bons para operar em mares pouco profundos ou em mares onde o submarino não consegue  se esconder devido às desfavoráveis condições de propagação do som na água. Ou seja, o ideal para o Báltico, Mediterrâneo, Adriático e mar do norte.
Título:
Enviado por: DC 38 em Agosto 29, 2007, 12:18:57 am
Olá a todos :)

para todos os curiosos podem ver e saber mais sobre o submarino grego, que será muito semelhante aos nossos na seguinte pagina:

http://militaryphotos.net/forums/showthread.php?t=68133 (http://militaryphotos.net/forums/showthread.php?t=68133)


até tem fotografias do posto de comando e o manual de instruções do periscópio optrónico...

A todos,

BZ
Título: Submarinos U-209
Enviado por: fischt75 em Agosto 29, 2007, 01:05:46 am
U-209 PN
Deslocamento standard: 1700 Ton
Deslocamento máx. : 2020 Ton.
Tipo de propulsão: Gerador AIP - Celulas de combustível
 Comprimento: 67.9 M - Largura: 6.3M
Calado: 6.6 M.
Profundidade: 400 M
Numero de tubos: 8
2 x Gerador AIP - Celulas de combustível Siemens Sinavy (240KW)
2 x Motor a Diesel MTU 16V396 TB-94 (6.24MW)
1 x Motor eléctrico Siemens Permasyn (2.85MW)
Autonomia: 20000Km a 12 nós
 - Nr. Eixos: 1
- Velocidade Máxima: 22 nós
Tripulação / Guarnição: 32
Sistema de lançamento U209214TT
- 12 x ALENIA-Marconi IF-21 Blackshark - sistema de lançamento: lançadores U209214TT
6 x Boeing Company H UGM 84 (Anti-navio)
Radares
- Kelvin Hughes KH-1007 (F) (Navegação - Al.med: 37Km)


O Sistema de Propulsão Independente do Ar, ao invés, permite ao submarino aumentar a sua autonomia em submersão, de 48 a 72 horas (o tempo que decorre num submarino convencional até que as baterias tenham que ser recarregadas) para um período que pode ir de 15 a 21 dias. Isto ocorre, porque se produz energia eléctrica, por meios químicos, sem que seja necessário ao submarino vir à superfície.
Do ponto de vista táctico, um submarino com AIP, é quase invisível, e torna-se quase impossível saber onde se encontra, ou para onde se deslocou submerso. Desde o último dia em que houver uma informação sobre a sua localização, podem passar dias ou semanas, até que se saiba onde se encontra.
Título: Re: Submarinos U-209
Enviado por: old em Agosto 29, 2007, 09:49:42 am
Citação de: "fischt75"
U-209 PN
Deslocamento standard: 1700 Ton
Deslocamento máx. : 2020 Ton.
Tipo de propulsão: Gerador AIP - Celulas de combustível
 Comprimento: 67.9 M - Largura: 6.3M
Calado: 6.6 M.
Profundidade: 400 M
Numero de tubos: 8
2 x Gerador AIP - Celulas de combustível Siemens Sinavy (240KW)
2 x Motor a Diesel MTU 16V396 TB-94 (6.24MW)
1 x Motor eléctrico Siemens Permasyn (2.85MW)
Autonomia: 20000Km a 12 nós
 - Nr. Eixos: 1
- Velocidade Máxima: 22 nós
Tripulação / Guarnição: 32
Sistema de lançamento U209214TT
- 12 x ALENIA-Marconi IF-21 Blackshark - sistema de lançamento: lançadores U209214TT
6 x Boeing Company H UGM 84 (Anti-navio)
Radares
- Kelvin Hughes KH-1007 (F) (Navegação - Al.med: 37Km)


O Sistema de Propulsão Independente do Ar, ao invés, permite ao submarino aumentar a sua autonomia em submersão, de 48 a 72 horas (o tempo que decorre num submarino convencional até que as baterias tenham que ser recarregadas) para um período que pode ir de 15 a 21 dias. Isto ocorre, porque se produz energia eléctrica, por meios químicos, sem que seja necessário ao submarino vir à superfície.
Do ponto de vista táctico, um submarino com AIP, é quase invisível, e torna-se quase impossível saber onde se encontra, ou para onde se deslocou submerso. Desde o último dia em que houver uma informação sobre a sua localização, podem passar dias ou semanas, até que se saiba onde se encontra.


Gran Submnarino!! :shock:  Supongo que el mayor problema sera recargar hidrogeno en puerto. Tendran que construir instalaciones especializadas para esa operacion.

Cuando seran entregados a la MP?
Alguna imagen/foto/ o si es posible maqueta para observar el nuevo pez?

Saludos
Título:
Enviado por: DC 38 em Agosto 29, 2007, 11:03:18 am
Caro OLD,

os Submarinos serão entregues à MP no decorrer de 2010.

Fotos tem aqui algo muito parecido:

http://militaryphotos.net/forums/showthread.php?t=68133 (http://militaryphotos.net/forums/showthread.php?t=68133)

A todos,

BZ
Título:
Enviado por: P44 em Agosto 29, 2007, 12:23:24 pm
:roll:  :(
Título:
Enviado por: Patrick em Setembro 13, 2007, 10:24:05 pm
Ola a todos  c34x

Visto os nossos futuros submarinos estarem equipados com a tecnologia mais recente, haverá  equipamentos ou mais concretamente sonares e detectores de minas "mais a frente" ou  protótipos ou até em fase de estudo??
Sabem de algum site que tenha essa informação??

Abraço
Título: Bom
Enviado por: zocuni em Setembro 14, 2007, 11:01:48 pm
Citação de: "DC 38"
Caro OLD,

os Submarinos serão entregues à MP no decorrer de 2010.

Fotos tem aqui algo muito parecido:

http://militaryphotos.net/forums/showthread.php?t=68133 (http://militaryphotos.net/forums/showthread.php?t=68133)

A todos,

BZ


Tudo bem,

Muito boas fotos dos submarinos em construcção.

Abraços,
Título:
Enviado por: european em Outubro 19, 2007, 09:39:34 am
Very bad news about the greek submarine U214.
It seems that there are serious problems, not easy (aka impossible) to solve.

http://img141.imageshack.us/img141/6702/hdw3qy0.jpg (http://img141.imageshack.us/img141/6702/hdw3qy0.jpg)

http://img141.imageshack.us/img141/4661/hd4rc8.jpg (http://img141.imageshack.us/img141/4661/hd4rc8.jpg)
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Outubro 19, 2007, 10:41:17 am
European isn’t this old news? Last thing I heard was that the initial problems were solved.
Título:
Enviado por: european em Outubro 19, 2007, 10:45:28 am
Citação de: "Cabeça de Martelo"
European isn’t this old news? Last thing I heard was that the initial problems were solved.


No, that's are new documents.
The problem are unsolved and a greek newspaper discovered this documents (provided by HDW and not by Greek navy) that proof that the problem exist and so the Greek gouvernment has the right
to refuse the U214.
Previous questions were denied by HDW.
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Outubro 19, 2007, 11:08:49 am
Oh oh, I think we have a problem! :shock:
Título:
Enviado por: european em Outubro 19, 2007, 11:23:55 am
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Oh oh, I think we have a problem! :wink:
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Outubro 19, 2007, 12:04:05 pm
Yes, but I'm afraid, the Portuguese Government use every single excuse to delay or to cancel the military programmes (NH-90, NPO, the new Assault-Rifle, etc).
Título:
Enviado por: european em Outubro 19, 2007, 12:17:27 pm
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Yes, but I'm afraid, the Portuguese Government use every single excuse to delay or to cancel the military programmes (NH-90, NPO, the new Assault-Rifle, etc).


I don't think that's a problem.
Soon or later Portugal will need new subs. Don't forget that the submarine are the most important weapons of seawar and above all sea defence.
Título:
Enviado por: european em Outubro 19, 2007, 05:07:10 pm
Commercial of HDW for the HS Papanikolis.

(http://img515.imageshack.us/img515/2746/u214bpy0.jpg)

(http://img132.imageshack.us/img132/7295/u214leadership5jagk1.jpg)

HDW forgot to write about some 'little' problems  
:lol:
Título:
Enviado por: SSK em Outubro 19, 2007, 06:37:01 pm
O problema está resolvido, o submarino já não se encontra atribuido nem à secção de instrução nem à secção de fabricos da HDW, mas sim à secção da manutenção.

A entrega do primeiro 214 grego está "presa" por problemas politicos e tambem por um concurso de carros de combate aberto pela grécia ao qual uma empresa alemã está a concorrer e os gregos querem benefeciar dessa situação.


Quanto aos coreanos não existem relatos de problemas. Os coreanos e o segundo e terceiros submarinos gregos foram construídos em estaleiros desses mesmos países.


Para mais, o nosso projecto é diferente dos demais 214. O nosso 214 é maior e tem mais deslocamento, isto não quer dizer que não posso vir a ter problemas...


Já agora para responder a uma questão anterior, o nosso Subharpoon é mesmo o Block II equipado com GPS e sistema de navegação inercial, ou seja de ataque a pontos em terra. Isto se houver dinheiro para comprar.
Quanto aos IDAS o projecto ainda está bastante atrasado, mas os submarinos vêm também prontos para os poder disparar...
Título:
Enviado por: P44 em Outubro 23, 2007, 03:47:55 pm
Citar
Ministry asked to explain preference for faulty German subs

ISLAMABAD: The Senate Standing Committee on Defence has sought an explanation from the Defence Ministry over the controversial purchase of German submarines U-214, which have been found to be lacking stability in rough sea conditions, having faulty Air Independent Propulsion system, vacillating periscopes and were easy to detect.

Committee Chairman Nisar Memon has sought explanation along with full information as to why such subs are being purchased by the Pakistan Navy, though the manufacturers have not yet obtained European Export License.

On the recommendations of the Navy, the Defence Production Division has decided to purchase $1 billion worth of three German manufactured U-214 submarines on a single source basis.

“These subs are not in the service of any navy of the world,” a senior official confirmed to The News. The source said that U-214 manufacturer Howakltsworker-Deutsche Werft GMBH (HDW) had not yet obtained export clearance from the German government or the US Congress for the export of these faulty subs to Pakistan.

The German team, said the source, was summoned for a meeting to discuss various basic issues relating to technicalities of these subs on September 22 this year, but that the meeting did not take place and would now take place in November this year.

Another source said that the submarine section of the Navy had already raised its eyebrows over the functioning and performance of these subs. Some people have already approached the Senate Standing Committee raising many issues.

First, the U-214 (Papanikolis) lacks stability while sailing in rough sea conditions ranging from 35 to 58 degrees. The Greek sea is not so rough as the sea around Pakistan. Two, the Air Independent Propulsion system malfunctions after few hours of sailing.

Three, the sub is not that quiet as is supposed to be, so it is easy to detect it. Four, when the sub is sailing at more than 3 knots, the periscope starts wobbling so there are troubles in looking at the target.

Five, the Greek Navy did not accept the first submarine of Papanikolis class and the HDW will have to pay a penalty of 210 million Euros. The German company HDW and the German government are forcing the Greek government to accept a bad submarine. The HDW has even fired 12 people from the Greek shipyard Skaramanga (full subsidiary of HDW) to push the Greek government to accept the submarine called Papanikolis.

Inquiries are also being held on the performance of Air Propulsion (AIP) system, which was included during the Greek U-214 Sea Acceptance Tests. It was noted by the Greek Navy that the AIP was overheating (despite tests being conducted in Norway) and that the AIP was not capable of delivering the energy it had been designed to deliver.

The source said how it was possible for Pak Navy to build subs in a short time than Agosta with less technical assistance, keeping in mind that the technology provider was using different methodology and it was not clear how much additional cost and delay would be caused due to the change of technology provider.

http://www.thenews.com (http://www.thenews.com)


http://forum.keypublishing.co.uk/showpo ... tcount=647 (http://forum.keypublishing.co.uk/showpost.php?p=1171102&postcount=647)
Título:
Enviado por: Johnnie em Outubro 23, 2007, 06:09:18 pm
Bem...onde há fumo tem que haver fogo, mas no que toca a subs se os alemães não conseguem então ninguém consegue  :roll:
Título:
Enviado por: papatango em Outubro 23, 2007, 09:43:12 pm
O problema é que este tipo de notícias muitas vezes não confirmadas é também resultado de muito "spinning" e de muita pressão das agências de informação.

A notícia sobre os problemas dos submarinos, ou do primeiro submarino grego, que por acaso é o primeiro U-214, já são antigas e entretanto os gregos chegaram a acordo com os alemães, ou pelo menos concordaram em concordar.

Ao mesmo tempo, já foram lançados à água os submarinos da Coreia do Sul e não há nem referência a problemas com os submarinos, que afinal são idênticos aos gregos, embora tenham diferenças, entre as quais está o facto de os coreanos terem optado pelos módulos mais pequenos (nove) enquanto que os gregos optaram pelos módulos maiores (dois).

Mas essa diferença não poderia provocar problemas de estabilidade.

Infelizmente, nem sequer se pode colocar a questão à marinha portuguesa, porque esta evidentemente vai dizer que não tem nada a ver com isso porque o U-209PN não é um U-214.

Creio que só chegaremos a alguma conclusão quando virmos os navios, e sobre as suas dimensões, só depois de os termos medido com fita métrica é que se vai poder concluir alguma coisa sobre o seu tamanho.

Isto de ter submarinos diferentes de toda a gente, pode ser contraproducente, no entanto os vários submarinos da(s) série(s) U-209 são todos diferentes entre sí. Nada impede os U-214 de também serem diferentes.


Cumprimentos
Título:
Enviado por: SSK em Outubro 23, 2007, 11:22:21 pm
O U209PN é na realidade um U214, como toda a gente já percebeu, a única diferença em termos de dimensões para os outros, coreanos e gregos, é o facto de o nosso ter uma antepara estanque e resistente mais ou menos a meio. De facto o nosso sub é maior mas não é diferente no modis operandi dos outros.
Título:
Enviado por: papatango em Outubro 23, 2007, 11:42:06 pm
Antepara que faz o deslocamento máximo do navio passar de cerca de 1700 ton. como os gregos, para ligeiramente mais de 2.000 toneladas, a acreditar nos numeros que foram divulgados pela marinha e pela imprensa...

Será para acomodar o tintol  :twisted:  ?
Título:
Enviado por: hellraiser em Outubro 24, 2007, 01:02:17 am
Acredito, que tudo não passa de alarmismos, e na realidade, os problemas a existirem serão já, corrigidos nos próximos submarinos da série.
Título:
Enviado por: tenente em Outubro 26, 2007, 09:17:03 am
So please help us to reinforce that idea to our government as they think that two subs are enough to our Navy, and I think at leat four would be necessary to give us some underwater defence capabilities.

brgds/ten

Citação de: "european"
 I don't think that's a problem.
Soon or later Portugal will need new subs. Don't forget that the submarine are the most important weapons of seawar and above all sea defence.
Título:
Enviado por: old em Outubro 26, 2007, 09:58:35 am
Citação de: "SSK"
O U209PN é na realidade um U214, como toda a gente já percebeu, a única diferença em termos de dimensões para os outros, coreanos e gregos, é o facto de o nosso ter uma antepara estanque e resistente mais ou menos a meio. De facto o nosso sub é maior mas não é diferente no modis operandi dos outros.


Cual es la funcion de ese compartimento estanco que no llevan otros U214?
Título:
Enviado por: SSK em Novembro 09, 2007, 01:15:43 pm
Esta antepara surgiu no nosso projecto logo em seguida ao acidente do Kursk. Algúem pensou que o existir de uma antepara que divida o submarino em dois possa, em caso de sinistro, salvar mais vidas humanas. Desta forma foi incluida uma antepara que vai dividir os compartimentos operacionais dos habitacionais, assim em caso de sinistro garante-se que pelo menos alguem poderá ficar para contar a história, caso fiquem assentes no fundo.

No que diz respeito à tonelagem/deslocamento, o submarino para além dos centimetros a mais tem o peso da antepara e ainda grande parte dos equipamentos são a dobrar, principalmente os de salvamento.
Título:
Enviado por: SSK em Novembro 12, 2007, 09:37:17 pm
Citar
Novos submarinos com nomes mitológicos  
 
Marinha. 'Tridente' e 'Arpão' chegam a Lisboa em 2010, o primeiro logo em Janeiro e o segundo no Verão.

O Chefe do Estado-Maior da Armada baptizou os novos submarinos do ramo como Tridente (ceptro mitológico de Neptuno, símbolo de domínio dos mares) e Arpão. Os vasos de guerra, que chegam em 2010, estão a ser construídos em estaleiros navais da Alemanha.

M.C.F
 in  Diário de Notícias
12 de Novembro de 2007
 

Que mais se pode dizer depois disto... Tridente é mitológico... e Arpão é o quê???
Sinceramente....
Título:
Enviado por: Luso em Novembro 12, 2007, 09:57:16 pm
(http://www.americarx.com/admin/ARXPRODUCTIMAGES/TImages/Trident/816231.jpg)
Título:
Enviado por: papatango em Novembro 12, 2007, 10:37:21 pm
Pelo que consegui entender, Tridente, é um tipo de arpão...

 :?


Será que o chefe da comissão para atribuir nomes vai dar a cara, ou vai ficar anónimo para não ser satirizado ?
Título:
Enviado por: FS em Novembro 12, 2007, 10:37:35 pm
Isso e capaz de afundar muitos dentes!   :rir:
Título:
Enviado por: Luso em Novembro 12, 2007, 10:56:14 pm
Citação de: "papatango"
Pelo que consegui entender, Tridente, é um tipo de arpão...


E dizem que tem três dentes...
Será que... :shock:

- Arpão (um dentinho)
- Tridente (três dentinhos)...

E como não há três sem dois...

- Falta o Bidente, carago!
Título:
Enviado por: lurker em Novembro 12, 2007, 11:05:46 pm
Acho que seria mais o "Garfo" :)
Título:
Enviado por: ShadIntel em Novembro 12, 2007, 11:54:35 pm
Citação de: "SSK"
Que mais se pode dizer depois disto... Tridente é mitológico... e Arpão é o quê???
Sinceramente....


Bem, se formos buscar muito longe, até nem é totalmente falso. Existe realmente na mitologia egípcia um arpão do Deus Horus. Agora não sei se o CEMA tem realmente tanto conhecimento do antigo Egipto que escolheu de propósito... :?

(http://img50.imageshack.us/img50/4245/f04sant2jus4.jpg)
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Novembro 13, 2007, 03:25:05 am
Em vez de ARPÃO, eu preferia TRITÃO.

Tritão (mitologia)
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Na mitologia grega, Tritão era um deus marinho, filho de Poseidon (Neptuno, na mitologia romana); é geralmente representado com cabeça e tronco humanos e cauda de peixe.
Título:
Enviado por: Duarte em Novembro 13, 2007, 03:36:32 am
O terceiro sub, será Foice, para agradar aos camaradas  :roll:
Título:
Enviado por: FS em Novembro 16, 2007, 05:39:21 pm
Alguns vídeos interessantes sobre o U212. Um do programa "Future Weapons" (Discovery Channel) infelizmente dobrado em russo e outro do canal 1 alemão em alemão!

http://video.google.com/videoplay?docid=-6981528471875032835&q=U+212+weapons&total=3&start=0&num=10&so=0&type=search&plindex=0


http://www.youtube.com/watch?v=eA3Q3DsTlgI


Vídeo grego sobre U214/U209 animação:

http://video.google.com/videoplay?docid=8729518538931605617&q=u214&total=6&start=0&num=10&so=0&type=search&plindex=1
Título:
Enviado por: zocuni em Novembro 16, 2007, 07:04:30 pm
Citação de: "Luso"
Citação de: "papatango"
Pelo que consegui entender, Tridente, é um tipo de arpão...

E dizem que tem três dentes...
Será que... :shock:

- Arpão (um dentinho)
- Tridente (três dentinhos)...

E como não há três sem dois...

- Falta o Bidente, carago!


Luso,

Seguindo a nomenclatura de armas cortantes,com dois dentes poderia perfeitamente se denominar de HORCA.

http://images.google.com.br/imgres?imgurl=http://www.geocities.com/moro_villar/fotos/armas/Jabalina.jpg&imgrefurl=http://www.geocities.com/moro_villar/fotos/armas/&h=939&w=215&sz=6&hl=pt-BR&start=2&um=1&tbnid=2jnu5NIyRFOjvM:&tbnh=148&tbnw=34&prev=/images%3Fq%3Djabalina%2Bgarfio%26svnum%3D10%26um%3D1%26hl%3Dpt-BR%26sa%3DN


Abraços,
Título:
Enviado por: Luso em Novembro 16, 2007, 08:34:57 pm
Não diga isso perto do Pêtê, Zocuni!

Não é "horca": é forquilha. Instrumento agrícola com finalidade principal não letal. :wink:
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Novembro 16, 2007, 09:19:27 pm
Luso escreveu:
Citar
Não diga isso perto do Pêtê, Zocuni!

Ou URSUS que é o nome mitológico de um tractor da época da reforma agrária :twisted:
Título:
Enviado por: hellraiser em Novembro 16, 2007, 09:22:12 pm
Citação de: "luis filipe silva"
Luso escreveu:
Citar
Não diga isso perto do Pêtê, Zocuni!
Ou URSUS que é o nome mitológico de um tractor da época da reforma agrária :twisted:


E segundo alguns uma boa designação geral para os nossos governantes.
Título:
Enviado por: zocuni em Novembro 16, 2007, 09:48:09 pm
Citação de: "Luso"
Não diga isso perto do Pêtê, Zocuni!

Não é "horca": é forquilha. Instrumento agrícola com finalidade principal não letal. :wink:


Tudo bem,Luso

E assim fica melhor?

O nosso novo Almirante!

(http://semanal.expresso.clix.pt/imagens/ed1663/fotos/grande/F1-PU019-CAR.jpg)

O novo submarino é a cara dele.
http://fotos.sapo.pt/pitecos/pic/000h6z7w

Abraços,
Título:
Enviado por: P44 em Novembro 17, 2007, 07:01:31 pm
E esse "almirante" vem com as 61 mil e tal fotocópias já incluídas? :mrgreen:

Haverá espaço a bordo para tanta resma de papel?
Título:
Enviado por: P44 em Dezembro 01, 2007, 05:20:41 pm
aguardo comentários...

(http://bancadejornais.sapo.pt/2007/12/01/sol.jpg)

Citar
MP está a investigar o concurso dos submarinos
Portas apanhado no Furacão

O Ministério Público considera que existem «fortes suspeitas» e «elevada plausibilidade» de que os donativos de um milhão de euros, depositados pelo CDS numa conta bancária, em Dezembro de 2004, tiveram origem no concurso dos submarinos, decidido por Paulo Portas quando era ministro da Defesa.

O inquérito já foi instaurado em Julho de 2006, no Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP), mas só nos últimos meses começaram a ser realizadas diligências.

O processo tem na sua base um conjunto de documentos apreendidos na sede da Escom durante as buscas da Operação Furacão (a mega-investigação de crimes de fraude fiscal e branqueamento de capitais), em Outubro de 2005.

A Escom tem sede nas Amoreiras, em Lisboa, integra o Grupo Espírito Santo (GES), está a ser investigada no processo Furacão e foi a entidade que negociou as contrapartidas do concurso dos submarinos, em 2003, entre o Estado português e o consórcio alemão GSC.

Parte da documentação apreendida foi então remetida ao processo Portucale – onde o MP já investigava a origem dos donativos ao CDS (todos em numerário e com recibos falsos), mas relacionados com crimes de tráfico de influências. O MP interceptara também conversas telefónicas entre Abel Pinheiro, responsável financeiro do CDS, e Paulo Portas, o líder. Nesses telefonemas, referenciam-se «compromissos» e «acordos» com Luís Horta e Costa, administrador da Escom, além de um pagamento «em Dezembro de 2004».

Continue a ler a notícia na edição impressa disponível nas bancas por todo o país
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Dezembro 01, 2007, 07:06:44 pm
P 44 escreveu:
Citar
aguardo comentários...


Eu quero é os submarinos cá e sem defeitos. O resto é política e portanto "limalhas". Como diz no pasquim o Sol, "salpicos".
Título:
Enviado por: nelson38899 em Dezembro 01, 2007, 08:29:16 pm
boas

Eu não percebo, porque se está sempre a bater na mesma tecla, este concurso, como quase todos ja foram a tribunal, e neste caso o vencedor do concurso dos submarinos ganhou o processo no tribunal, ou seja, segundo as nossas lei está tudo legal. Eu sei que querem meter o Portas na cadeia, mas ao menos deixem os submarinos de fora.

Ps. Há uns dias alguem comprou carros de luxo sem concurso publico e contra todas as ordens do ministerio das finanças, porque é que não se investiga isso.


cump.
Título:
Enviado por: papatango em Dezembro 01, 2007, 08:54:37 pm
A única coisa que pode estar em causa é o custo dos submarinos.
Ou seja, terá Portugal pago mais que o devido?

De resto a opção pelos submarinos, a terem as caracteristicas técnicas que a marinha divulgou, foi sem qualquer sombra de dúvida a melhor.

Agora que são caros, são. Isto embora haja que contar com o projecto do LPD que também estava incluido...

O resto, parece-me mais ser política que outra coisa.
São politicos a esgrimir argumentos uns contra os outros sem que nenhum deles sequer saiba a diferença entre um submarino e um torpedo.

Cumprimentos
Título:
Enviado por: Lightning em Dezembro 01, 2007, 11:26:03 pm
Citação de: "nelson38899"
Ps. Há uns dias alguem comprou carros de luxo sem concurso publico e contra todas as ordens do ministerio das finanças, porque é que não se investiga isso.


cump.


Eu acho que sei a resposta...

É porque os militares são maus,
sangessugas do dinheiro dos contribuintes,
não servem para nada,
só querem é tachos para os generais,
os soldados são mercenários que querem ir de férias a 500 contos/mês,
o dinheiro dos submarinos, blindados e aviões dava para fazer muitas escolas e hospitais que tanta falta fazem,

Acho que não me esqueci de nada...

.... ando numa fase pouco boa...
Título:
Enviado por: P44 em Dezembro 13, 2007, 08:54:55 pm
Greek Navy U-214 Class Submarine

http://br.youtube.com/watch?v=W_gAT9S65qU (http://br.youtube.com/watch?v=W_gAT9S65qU)
Título:
Enviado por: zocuni em Dezembro 15, 2007, 12:09:34 pm
Apesar de não entender patavina de grego as imagens são significativas.

Abraços,
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Dezembro 15, 2007, 12:44:23 pm
Citação de: "Lightning"
Citação de: "nelson38899"
Ps. Há uns dias alguem comprou carros de luxo sem concurso publico e contra todas as ordens do ministerio das finanças, porque é que não se investiga isso.


cump.

Eu acho que sei a resposta...

É porque os militares são maus,
sangessugas do dinheiro dos contribuintes,
não servem para nada,
só querem é tachos para os generais,
os soldados são mercenários que querem ir de férias a 500 contos/mês,
o dinheiro dos submarinos, blindados e aviões dava para fazer muitas escolas e hospitais que tanta falta fazem,

Acho que não me esqueci de nada...

.... ando numa fase pouco boa...


Sim...os militares deviam era pagar para estar na tropa, mai nada! :lol:  :wink:
Título: Subs
Enviado por: Lisander em Dezembro 16, 2007, 11:30:58 pm
Bem o pessoal já sabe toda a informação dos submarinos de trás para a frente mas enfim aqui fica, a informação no site da nossa marinha


 http://www.marinha.pt/Marinha/PT/Menu/D ... O+2000%29/ (http://www.marinha.pt/Marinha/PT/Menu/DescobrirMarinha/MeiosOperacionais/SubSuperficie/Submarinos/Submarinos+%28SS+PO+2000%29/)

Saudações
Título:
Enviado por: LM em Dezembro 17, 2007, 11:07:51 am
Portas compra submarinos sem manutenção (http://http)

Isto de notícia só tem o facto de ser publicada em um jornal, porque o titulo é pura "demagogia"... mas talvez alerte alguem que leia o jornal e possa colocar mais detalhes...

"Os dois submarinos adquiridos ao German Submarine Consortium em Abril de 2004 não têm contrato de manutenção técnica e o próprio Ministério da Defesa desconhece qual será o custo anual dessas operações de assistência durante os 32 anos de vida útil daqueles navios.

Como o custo total de 1071 milhões de euros não inclui a despesa com a manutenção, os gastos com os submarinos irão aumentar ainda vários milhões de euros por ano.

Fique a saber tudo na edição desta segunda-feira do jornal 'Correio da Manhã'."
Título:
Enviado por: Johnnie em Dezembro 17, 2007, 11:51:14 am
:shock:  Dassse, não havia nada mais baratinho no mercado?
Título:
Enviado por: nelson38899 em Dezembro 17, 2007, 12:00:32 pm
Citação de: "LM"
Portas compra submarinos sem manutenção (http://http)

Isto de notícia só tem o facto de ser publicada em um jornal, porque o titulo é pura "demagogia"... mas talvez alerte alguem que leia o jornal e possa colocar mais detalhes...

"Os dois submarinos adquiridos ao German Submarine Consortium em Abril de 2004 não têm contrato de manutenção técnica e o próprio Ministério da Defesa desconhece qual será o custo anual dessas operações de assistência durante os 32 anos de vida útil daqueles navios.

Como o custo total de 1071 milhões de euros não inclui a despesa com a manutenção, os gastos com os submarinos irão aumentar ainda vários milhões de euros por ano.

Fique a saber tudo na edição desta segunda-feira do jornal 'Correio da Manhã'."


boas

o unico comentário possivel! Andam a brincar com os dinheiros públicos e volta-se a cometer o mesmo erro dos EH101 em que a manutenção não foi tambem contratualizada. Eu pensei que o portas tinha sido um bom ministro mas afinal, só fez merda.

Cump.
Título:
Enviado por: hellraiser em Dezembro 17, 2007, 03:56:28 pm
Citação de: "nelson38899"
Citação de: "LM"
Portas compra submarinos sem manutenção (http://http)

Isto de notícia só tem o facto de ser publicada em um jornal, porque o titulo é pura "demagogia"... mas talvez alerte alguem que leia o jornal e possa colocar mais detalhes...

"Os dois submarinos adquiridos ao German Submarine Consortium em Abril de 2004 não têm contrato de manutenção técnica e o próprio Ministério da Defesa desconhece qual será o custo anual dessas operações de assistência durante os 32 anos de vida útil daqueles navios.

Como o custo total de 1071 milhões de euros não inclui a despesa com a manutenção, os gastos com os submarinos irão aumentar ainda vários milhões de euros por ano.

Fique a saber tudo na edição desta segunda-feira do jornal 'Correio da Manhã'."

boas

o unico comentário possivel! Andam a brincar com os dinheiros públicos e volta-se a cometer o mesmo erro dos EH101 em que a manutenção não foi tambem contratualizada. Eu pensei que o portas tinha sido um bom ministro mas afinal, só fez merda.

Cump.


E não foi? comprou finalmente uns subs que ja deviamos ter ha 20 anos, alem de não ter ido nas cantigas de manutenção e assim a manutenção sera feita em Portugal criando postos de trabalho para portugueses...
Título:
Enviado por: FS em Dezembro 17, 2007, 04:54:33 pm
Citar
EXPLICAÇÕES DE PAULO PORTAS

Paulo Portas diz que “a Marinha portuguesa sempre teve, tem e, a meu ver, deverá manter capacidades e competências de grande qualidade na manutenção dos seus meios navais”. E, frisa, “nas últimas décadas, o essencial da manutenção dos actuais submarinos e das fragatas foi sendo feita pela Marinha, com os seus técnicos e recursos humanos especializados”.

Mais: “Para que a Marinha mantenha esta capacidade de manutenção é importante proceder à adaptação do Arsenal do Alfeite e à preparação do pessoal. [...] Isso deverá ser previsto no respectivo orçamento de funcionamento e infra-estruturas.”


Correio da Manha
Título:
Enviado por: lurker em Dezembro 17, 2007, 08:43:52 pm
Citação de: "lurker"
E não foi? comprou finalmente uns subs que ja deviamos ter ha 20 anos, alem de não ter ido nas cantigas de manutenção e assim a manutenção sera feita em Portugal criando postos de trabalho para portugueses...


Infelizmente a capacidade de manter equipamento sofisticado criado por outros não cai do céu, leva tempo e dinheiro a desenvolver.

O que isto na prática significaria é que teremos ainda de negociar um contracto com a HDW, na posição desvantajosa de já nos termos comprometido a adquirir os submarinos e sem alternativas à dita HDW (que não sejam enconstar os submarinos ao fim de uns anos).
Título:
Enviado por: FS em Dezembro 17, 2007, 08:49:06 pm
A não ser que no contracto de compra esteja prevista a formacao de técnicos:

Citar
Ao que o CM apurou, a Marinha já está a preparar-se para a manutenção dos novos submarinos, com a presença de quase 200 técnicos em formação na Alemanha. E no âmbito da reestruturação do Arsenal defende a manutenção desta empresa nas actuais instalações.
Título:
Enviado por: SSK em Dezembro 17, 2007, 09:20:00 pm
Existem técnicos em cursos na HDW, bem como em todas as outras empresas que fazem partedo GSC.

O problema não tem a haver com a mão de obra, mas sim com os sobressalentes. Esses sim, vão ter de ser comprados à medida que sejam necessários ou então em pack's. O que pode não ser tão descabido, se tivermos em conta as razões para a esta solução.

Como é de conhecimento geral, o concurso já foi à muito e a tecnologia é como o sonho, pula e avança. Como o dinheiro não estica as negociações foram feitas e a solução encontrada foi abdicar de alguns pack's para podermos ter um submarino actualizado e não um submarino do século XX.
Título:
Enviado por: antoninho em Dezembro 17, 2007, 09:41:01 pm
O preço dos submarinos é de 770 milhões o restante são juros que se tem de pagar a quem pagou os ditos aos alemães e é aí que o negócio está a ser investigado...é que a empresa que representou os alemães é do grupo que emprestou os euros ao estado, isso a meu ver não tem ética do meu ponto de vista...assim como outros pontos ligados a esse negócio.....tal como o dinheiro enviado por parte de uma filial desse banco para um certo partido....
FOI o facto de os juros atingirem o preço de um sub que a marinha desistiu do terceiro....
Título:
Enviado por: SSK em Dezembro 18, 2007, 01:18:23 am
Citação de: "antoninho"
O preço dos submarinos é de 770 milhões o restante são juros que se tem de pagar a quem pagou os ditos aos alemães e é aí que o negócio está a ser investigado...é que a empresa que representou os alemães é do grupo que emprestou os euros ao estado, isso a meu ver não tem ética do meu ponto de vista...assim como outros pontos ligados a esse negócio.....tal como o dinheiro enviado por parte de uma filial desse banco para um certo partido....
FOI o facto de os juros atingirem o preço de um sub que a marinha desistiu do terceiro....


Meu caro, para além de não ter percebido as suas questões colocadas através de reticências, posso garantir-lhe que não foi a marinha que desistiu da compra de algo mas sim os ministério da defesa e o das finanças.
Não se esqueça que na marinha só existem militares que querem dar o seu melhor, mesmo nos submarinos onde as suas acções passam despercebidas. Será que é por quando surgem nos jornais é pela parte de "falcatruas" que nada tem a haver com militares e muito menos submarinistas.
Título:
Enviado por: Lancero em Janeiro 13, 2008, 04:35:10 pm
Citar

CM Online - Domingo, 13 de Janeiro de 2008
Actualidade

Contas públicas em risco
Submarinos vão duplicar o défice

O registo contabilístico da despesa com a compra dos dois submarinos vai ‘rebentar’ com o défice orçamental em 2010. Como estes navios são entregues a Portugal em 2010, o Governo é obrigado, segundo o Eurostast, a registar nesse ano os 973 milhões de euros, com juros incluídos, gastos na sua aquisição. Como o custo dos submarinos representa 0,5 por cento do Produto Interno Bruto (PIB), em 2010 o défice das contas públicas aumentará de 0,4 por cento, previsto no Plano de Estabilidade e Crescimento (PEC), para 0,9 por cento.

O calendário da entrega dos dois submarinos já está definido: segundo a Marinha, o German Submarine Consortium (GSC), vencedor do concurso em 2004, entrega o primeiro navio em Fevereiro de 2010 e o segundo em Setembro do mesmo ano. Por isso, os ministérios da Defesa e das Finanças já estão a avaliar o registo contabilístico dos submarinos. O próprio gabinete do ministro da Defesa, Severiano Teixeira, confirmou ao CM que “o Ministério da Defesa, em articulação com o Ministério das Finanças, encontra-se ainda a equacionar a forma de contabilização desta aquisição em termos de contas nacionais”. E, remata, “é prematuro avançar com qualquer estimativa do impacto desta aquisição no défice orçamental”. Fontes conhecedoras do processo garantem que o custo dos submarinos tem um impacto de 0,5 por cento no PIB. E as contas indicam isso mesmo.

O Tribunal de Contas garantiu ao CM que “a inscrição [do custo] é obrigatória, uma vez que a despesa quando for realizada tem de ter cabimentação orçamental”. E deixou claro que “está a acompanhar a execução do contrato [da compra dos navios] através de uma fiscalização concomitante [de acompanhamento]”. Daí que se o Orçamento do Estado para 2010 não for dotado de verbas para pagar os dois submarinos a instituição pre-sidida por Guilherme d’Oliveira Martins poderá impedir a aquisição daqueles navios submergíveis.


PREVISÃO PARCIAL

O Plano de Estabilidade e Crescimento (PEC) prevê um défice orçamental de 0,4% em 2010. Este valor não inclui a despesa realizada com a compra dos submarinos.


MINISTRO INDIGNADO

A 14 de Março de 2006, o ministro das Finanças, Teixeira dos Santos, não escondeu a indignação por o Eurostast passar, segundo normas aprovadas uma semana antes, a obrigar o registo contabilístico das despesas militares no ano em que é feita a entrega física do equipamento. “Acho criticável que se mude as regras a meio do jogo”, por estar em causa regras com “impacto retroactivo”. E garantiu que a “nova orientação seria implementada a partir de 2005”.


CUSTO DE MANUTENÇÃO ELEVADO

Os dois submarinos 209PN que a partir de Fevereiro de 2010 irão vigiar as águas portuguesas caracterizam-se por incorporar uma alta tecnologia. Por isso, segundo várias fontes conhecedoras do meio militar, os custos de manutenção serão elevados ao longo dos 32 anos de período de vida útil daqueles navios. Neste momento, o Ministério da Defesa não celebrou nenhum contrato de manutenção para os submarinos e desconhece a despesa que tal implicará nos próximos anos. Um dos objectivos é procurar que algumas acções de manutenção sejam realizadas no Arsenal do Alfeite, em Almada. Uma das inovações tecnológicas dos submarinos 209PN é o sistema AIP (Propulsão Independente do Ar), equipamento que permite produzir energia de forma silenciosa, sem combustão, e estar em imersão profunda durante semanas.


ADIAR ENTREGA COM CUSTOS ELEVADOS

O adiamento para 2011 da entrega de um dos submarinos poderá ser uma solução para atenuar o impacto do seu custo no défice orçamental, mas implicará também custos elevados com a armazenagem do navio e eventuais compensações financeiras ao construtor. Se essa opção for possível, o custo com a compra dos submarinos será repartido por 2010 e 2011, atenuando o impacto no défice orçamental. Mesmo assim, o défice, previsto no PEC, aumentará de 0,4 por cento para 0,65 por cento, em 2010, e de 0,2 por cento para 0,45 por cento, em 2011. Os gastos do adiamento também serão elevados. Segundo fonte conhecedora, “a armazenagem de um submarino não pode ser feita em território nacional e a armazenagem numa doca no estrangeiro custa uma pipa de massa”.


OS NÚMEROS EM CAUSA


CUSTO

A preço de contrato, os submarinos custaram 779 milhões de euros. Acresce 194 milhões em juros. Total: 973 milhões.


PIB EM 2010

Em 2006, segundo o INE, o PIB foi de 155 131 milhões de euros. Em 2010 estima-se que o PIB seja de 180 mil milhões.


DÉFICE

Com um PIB de 180 mil milhões de euros, uma despesa de 973 milhões implica a subida do défice previsto para 0,9%.


EUROSTAT

O equipamento militar construído em vários anos tem impacto no défice na data de entrega do produto final, diz o Eurostat.


UNIFORMIZAR

O Eurostat alterou regras por países comprarem equipamento militar com leasing e não registarem o custo da mesma forma.


CARACTERÍSTICAS

- Comprimento: 67,9 metros

- Profundidade máxima de operação: >300 metros

- Autonomia global: 45 dias

- Meios de emergência dimensionados para 43 pessoas (32 da guarnição + 11 passageiros)

- Dois compartimentos estanques e resistentes até à profundidade de colapso

- Duas jangadas salva-vidas accionáveis até à profundidade de colapso

- Dotações de emergência para sete dias de espera em cada compartimento estanque

- Guarnição: 32 sete oficiais, nove sargentos e 16 praças)

- Embarque e desembarque discretos de forças especiais

- Sistema de Comando e Controlo totalmente integrado

- Capacidade de lançamento de torpedos, mísseis e minas


NOTAS


CONCURSO EM 2004

O concurso dos submarinos foi decidido por Paulo Portas, então ministro da Defesa, em 2004. Gerou polémica e levantou dúvidas da parte do concorrente francês.


MISSÃO NA ALEMANHA

A Marinha tem uma equipa na Alemanha, na qual estão incluídos cerca de cem técnicos, a acompanhar a construção dos dois navios submergíveis.


INVESTIGAÇÃO DA JUDICIÁRIA

A PJ tem em curso uma investigação sobre a compra dos submarinos, por suspeitas de eventual transferência de um milhão de euros em donativos para CDS.


António Sérgio Azenha

http://www.correiomanha.pt/noticia.asp? ... al=9&p=200 (http://www.correiomanha.pt/noticia.asp?id=273467&idselect=9&idCanal=9&p=200)
Título:
Enviado por: P44 em Janeiro 13, 2008, 06:04:45 pm
Citar
Contas públicas em risco
Submarinos vão duplicar o défice


 :shock: uhuh agora é que vai ser lindo

A que País serão vendidos os 2 subs???? :roll: tendo a conta que Não há vida para além do défice....????
Título:
Enviado por: Miguel em Janeiro 13, 2008, 06:38:52 pm
Citação de: "P44"
Citar
Contas públicas em risco
Submarinos vão duplicar o défice

 :shock: uhuh agora é que vai ser lindo

A que País serão vendidos os 2 subs???? :roll: tendo a conta que Não há vida para além do défice....????


Estes submarinos vao ter o mesmo destino que o ex Cachalote :evil:
Título:
Enviado por: P44 em Janeiro 13, 2008, 06:51:00 pm
já nada me admirava :roll:
Título:
Enviado por: antoninho em Janeiro 13, 2008, 09:39:01 pm
E pá isto, isto pá, num país porreirista é só fumo politico e em 2008 pode ser pá que os simplex  sejam mais simples prós subs...penso eu de que....
Título:
Enviado por: SSK em Janeiro 15, 2008, 05:59:43 pm
Só mais uma um pouco de gasolina para a fogueira.

Os submarinos prontos para receber os equipamentos e armamento de alto nível mas não equipados, o que simplifica a venda...

A formação de pessoal da manuntenção foi contractualizada mas os sobressalentes nem por isso, quem comprar pode negociar o que queira...

 :wink:
Título:
Enviado por: Jorge Pereira em Janeiro 15, 2008, 07:13:11 pm
Eu não acredito nessas teorias e especulações… :no:

Qualquer governo que avançasse com essa ideia absurda de vender os submarinos ficaria rotulado como o mais irresponsável e traidor na história das Forças Armadas e da Defesa Nacional.

Ficariam com o ónus de serem os coveiros da arma submarina da Marinha Portuguesa, com toda a importância, tradição, e história que esta tem.

Estariam a “ceder” de mão beijada grande parte do controlo da nossa ZEE a outras marinhas, que não se importariam nada de assumir esse papel. Estariam, noutras palavras, a hipotecar grande parte da nossa soberania e a renunciar a todo o potencial que uma arma como esta tem, fundamental para um país com as características do nosso.

Citação de: "1º TEN Armando Dias Correia"
Como poderemos ter mar sem submarinos ?

A aquisição dos novos submarinos tem gerado alguma polémica expressa em vários artigos e entrevistas.

 
 
Enquanto uns apoiam a aquisição, visivelmente orientados por uma visão estratégica de defesa e segurança, outros, orientados por condicionalismos económicos, refugiam-se apenas na elevada soma que este empreendimento irá absorver.

Efectivamente, parece ser mais fácil argumentar com base no que se poderia fazer com o dinheiro que os submarinos vão custar. É muito fácil usar uma linguagem de economia familiar para atacar a necessidade dos submarinos, dizendo que com esse dinheiro se poderia adquirir um sem número de bens na área da saúde e do bem-estar. É pena que não façam também contas às contrapartidas que a industria nacional irá absorver. É preocupante que este tipo de argumentação tenha sido usado irresponsavelmente por alguns políticos. Dado que se chegou a um momento decisivo na apreciação do projecto de aquisição dos novos submarinos nunca é demais apresentar uma reflexão sobre a importância dos submarinos no quadro de uma estratégia nacional.

OS DESAFIOS DO FUTURO

A queda do muro de Berlim não trouxe a paz em que muitos acreditavam, abriu sim uma nova era de incertezas onde parece ser mais difícil prever o desencadear de conflitos. Aliás, a consciência de que vivemos uma época de potenciais crises até levou a NATO a assumir uma nova dimensão ampliando o seu carácter defensivo, para passar a contemplar o direito de ingerência humanitária, as preocupações relacionadas com o terrorismo, a sabotagem, o crime organizado e os problemas associados ao abastecimento de recursos vitais.

A própria União Europeia tem a consciência dos inúmeros problemas de segurança e defesa com que se irá debater nos próximos tempos. Entre eles estão as feridas abertas no Kosovo e na Bósnia, o aumento de pressão demográfica vinda do norte de África, os constantes problemas no médio oriente e na região transcaucasiana e o terrorismo cada vez mais sofisticado. A título de exemplo, parece-me oportuno referir, por exemplo, que a Líbia há pouco tempo estava interessada em mísseis norte-coreanos com alcance suficiente para atingir Portugal (um país da Europa). O despertar desta consciência levou a que muitos políticos europeus passassem a dar valor à ideia do General Charles de Gaulle de criar uma zona de segurança do Atlântico aos Urais. Esta visão também é partilhada pela própria UE, que quer ter capacidade para resolver problemas regionais e está a estudar a possibilidade da criação de uma força de reacção rápida, composta por 50 a 60 mil homens, altamente equipados e dotados de mobilidade estratégica. Os EUA também estão interessados nesta nova estratégia, já que assim podem canalizar recursos para outras zonas de interesse, nomeadamente para o Pacífico. Também é certo que os orçamentos para a defesa terão de aumentar, se a Europa quiser ter forças armadas com capacidade de intervenção comparável à dos EUA.

Portugal está intimamente ligado ao mar por laços históricos, culturais, económicos e estratégicos. É o mar que valoriza a nossa posição periférica em relação à Europa. Este mar que nos deu a identidade tem-nos dado também a nossa independência mercê das muitas alianças que Portugal assinou ao longo da história. Mas este enorme espaço estratégico que é a nossa ZEE tem de ser por nós ocupado de forma efectiva para evitar vazios de poder que viabilizem a instalação de outros interesses. Por isso, é preciso ter meios de defesa e fiscalização integrados numa verdadeira estratégia marítima onde também não seja esquecida a exploração económica do mar e a investigação científica.

É provável que nos próximos anos sejam desenvolvidos grandes esforços na exploração do chamado "espaço interior" (oceanos). A verdade é que, volvidas três décadas desde que o homem pisou a Lua, os oceanos ainda continuam a esconder um novo mundo. Durante o período da guerra fria, a Marinha Americana e a CIA desenvolveram submarinos capazes de colocarem escutas clandestinas em cabos submarinos (1), inspeccionaram submarinos soviéticos afundados a mais de cinco quilómetros de profundidade (2) e até recuperaram bombas atómicas (3) perdidas a cerca de mil metros da superfície. Com o final da guerra fria, muita da tecnologia militar passou a ser partilhada com a sociedade civil, o que permitiu, a título de exemplo, a filmagem do Titanic a quase quatro mil metros de profundidade. Esta tecnologia permite que actualmente se possa descer até aos sete mil metros de profundidade e está a ser usada na recuperação de tesouros afundados, prospecção de petróleo e minérios, investigação cientifica e até mesmo às viagens de turismo. A título de exemplo, recorde-se que no verão passado esteve nos Açores um navio russo que levava turistas nos seus submarinos até ao fundo do mar.

Em Portugal, também tem sido desenvolvido algum trabalho na área da robótica subaquática, mais especificamente a equipa do Prof. António Pascoal, professor do Instituto Superior Técnico e investigador de Sistemas e Robótica. De entre outros veículos submarinos, destaca-se um submarino autómato que foi utilizado no levantamento topográfico de fundo no banco D. João de Castro.

Portugal tem uma enorme ZEE e pode vir a ter uma Plataforma Continental ainda maior, de acordo com a Convenção de Direito do Mar (Montego Bay). A tecnologia está a abrir novas portas para a exploração do mar. É, desta forma, evidente que Portugal precisa de ter meios para patrulhar a três dimensões este enorme património.

Para terminar esta introdução fica, para reflexão, uma frase de Graham Hawkes, construtor do submarino Deep Flight II, capaz de descer às quatro milhas (7400m) de profundidade, que disse: "Ainda estão a ser dados os primeiros passos na descoberta do fundo do mar, não se sabe o que se irá seguir, mas por certo que será uma coisa em grande, seja ela o que for."

A IMPORTÂNCIA DO SUBMARINO

No âmbito específico da segurança e fiscalização, está a ser iniciada a importante empresa da substituição das corvetas e dos patrulhas. Para a renovação da componente estratégica do sistema de forças da Marinha é vital proceder, a curto prazo, à substituição dos submarinos e aquisição de um navio que permita mobilidade estratégica. A importância dos submarinos reside no facto de eles serem por si só a arma dissuasora por excelência, perante fortes e fracos, sendo um importante contributo para a defesa nacional e para o futuro sistema de defesa europeu. Neste sentido, o submarino pode em muito contribuir para prestigiar e valorizar a acção política externa portuguesa. Por força dos tratados assinados, Portugal tem de ter meios para disponibilizar ou então correrá o risco de um outro país o fazer, mas obviamente requerendo, como contrapartida, mais poder e influência...

A história já demonstrou que o submarino é uma arma muito eficaz em operações de interdição do uso do mar por marinhas de superfície inimigas, e uma arma imprescindível em qualquer estratégia que preveja o controlo do uso do mar. Neste último caso, o submarino é usado a vante da força naval em especial para a recolha de informações sobre o inimigo e eventual ataque do mesmo. A vantagem do submarino em qualquer missão está na sua discrição e capacidade de explorar o factor surpresa, na sua auto-sustentação logística, na sua grande imunidade às ameaças aéreas, de aviões e mísseis, e no baixo custo relativo das suas missões. Ele pode operar independentemente em ambientes hostis, por longos períodos, sem ser detectado. Esta capacidade permite-lhe rapidamente deixar de ser uma plataforma não provocatória de vigilância e colheita de informação e se transformar num navio multi-missão em que as únicas limitações são o número de armas que pode transportar.

Para uma Marinha de escassos recursos, como é o caso da nossa, o submarino é uma arma económica que pode ser empregue num vasto leque de missões, que podem ir desde a luta anti-submarina e anti-superfície, ao ataque ou defesa de linhas de comunicação, à minagem, ao reconhecimento, vigilância, recolha de informações, à projecção de operações especiais, até ao também muito importante treino dos aviões e navios de superfície.

Quando se fala de submarinos é vulgar lembrar o papel que as matilhas de submarinos alemães tiveram na Batalha do Atlântico. Também podemos falar do conflito das Falklands/Malvinas em que um único submarino argentino Type 209 (San Luis) conseguiu manobrar e iludir mais de 15 navios da Royal Navy conseguindo disparar 3 torpedos (embora sem o êxito esperado). Neste mesmo conflito um submarino da Royal Navy afundou o cruzador General Belgrano e, segundo consta, depois disso os navios argentinos nunca mais saíram dos portos. A Guerra do Golfo também teria sido diferente se Saddam Hussein tivesse uns seis submarinos modernos e bem treinados e colocasse três deles nas margens do Estreito de Ormuz. E se o Irão tivesse comprado os seis Type 209 que tinha negociado antes de estalar a revolução?

A verdade é que actualmente há 47 países a operarem mais de 600 submarinos, nucleares e convencionais, desde os SSBN, equipados com mísseis balísticos, vocacionados para missões de dissuasão estratégica, até aos discretos submarinos convencionais, equipados com torpedos mortíferos, cuja existência é por si só um grande factor de dissuasão, e que desequilibram no mar qualquer grande poder de superfície. Talvez por isso não haja conhecimento de uma Marinha que tenha abandonado a sua capacidade submarina depois de a ter adquirido.

A diminuição de importância da ameaça nuclear soviética, transportada em especial em submarinos SSBN, levou a que o emprego das forças navais se deixasse de centrar nas "blue waters" e se deslocasse para as "brown waters" (shallow waters) onde cada vez mais se desenvolvem operações anfíbias. Nestes novos cenários estratégicos a profundidade média das águas ronda os 300m, dando ao submarino uma vastidão de espaço para se esconder e mascarar entre o ruído ambiental e a irregularidade magnética existente nas águas costeiras. Nestes cenários os submarinos podem explorar os perfis térmicos e de salinidade, bem como as condições do fundo marinho, para dificultarem a vida dos navios ASW que ouvem uma sinfonia acústica onde é difícil catalogar o "instrumento" submarino. Estes dados levam-me a pensar que as SLOC (linhas de comunicação marítimas) do futuro deverão tentar tirar o máximo partido das "blue waters" onde, aparentemente, é mais fácil detectar um submarino.

Os modernos submarinos diesel eléctricos são muito silenciosos e têm uma grande autonomia em imersão (um mês, se necessário) graças aos modernos sistemas AIP (Air-Independent Propulsion). Além disso, as modernas armas anti-navio permitem ataques a grande distância (por exemplo a 90 milhas com mísseis Harpoon lançados por torpedos) o que confere ao submarino o estatuto de arma dissuasora com um enorme potencial. E para quem, ainda assim, tem dúvidas recordo que há pouco mais de um ano, na Austrália, um torpedo MK48 partiu ao meio e afundou, em dois minutos, uma velha fragata desarmada. Podemos imaginar o que poderá fazer uma arma mais moderna, mais rápida, com características "stealth" (evitar detecção), de maior alcance, melhor guiamento e capaz de evitar contra-medidas. É caso para pensar que as forças de superfície correm grandes perigos...

COMENTÁRIOS FINAIS

O resultado do último conflito nos Balcãs mostrou que as guerras do futuro são essencialmente guerras tecnológicas. "O ideal da vitória, servido pela imaginação humana, leva constantemente a técnica à criação de novas armas, cada vez mais aperfeiçoadas. Fazer errada apreciação das possibilidades da técnica e não avaliar com justeza as consequências das possibilidades tácticas das armas por ela criadas, é caminhar para o insucesso. Não analisar, do ponto de vista das suas possibilidades presentes e futuras, com base na sua provável evolução, as novas armas aparecidas no decurso das batalhas, para, dessa análise, se deduzirem as suas formas de emprego e as indispensáveis medidas de reacção, é aceitar tácita e criminosamente a derrota. A história militar está cheia de factos que o comprovam." Assim escreveu, há meio século, o Cap. Hermes de Araújo Oliveira no seu livro "O Submarino". Efectivamente, apesar da tecnologia ter evoluído muito, os sensores e as armas empregues pelos navios de superfície na detecção e ataque, continuam a não vencer a vantagem que o meio dá ao submarino. Facilmente se reconhece que os submarinos podem perturbar significativamente a navegação marítima, contribuindo decisivamente para o uso, interdição ou controlo do mar. Mas não chega ter tecnologia, é preciso saber usá-la e para isso é necessário estudar, formar, analisar, treinar, realizar exercícios, etc., daí o valor da Escola de Submarinos.

O espanhol Miguel Unamuno escreveu "o que faz Portugal é o mar", o mar é tridimensional, daí a pergunta: como podemos ter mar sem submarinos?
Título:
Enviado por: SSK em Janeiro 15, 2008, 09:37:18 pm
Concordo plenamente consigo, só quis alimentar a fogueira. Julgo que agora é tarde demais, até a nível financeiro, seria uma irresponsabilidade. Não só pela arma enquanto usada para fins bélicos, bem como para missões de interesse público, como é o caso dos combates ao narcotráfico, emigração ilegal e ocasionalmente em casos de navios pesqueiros  estrangeiros (japoneses e coreanos por exemplo)que "rapam" os nossos bancos de pesca dispersos pela nossa ZEE.

SERIA IMPENSÁVEL!!!
Título:
Enviado por: Miguel em Janeiro 15, 2008, 09:51:41 pm
:twisted:

Quem fechou maternidades em Portugal para ir nascer em Espanha pode fazer isso verdade?

Deixem o vender tudo, tudo, tudo que depois vendemos os ministros.
Título:
Enviado por: ricardonunes em Janeiro 15, 2008, 09:53:46 pm
Citação de: "Jorge Pereira"
Eu não acredito nessas teorias e especulações… :arrow:

Citar
Rectificação - Aquisição de projecto de execução para as novas instalações da Esquadrilha de Submarinos na Base Naval de Lisboa - Alfeite.
Ministério da Defesa Nacional
Data Início: 2008-01-11
.....

VI.3) OUTRAS INFORMAÇÕES

Informam-se todos os interessados que, no âmbito do concurso público n.º 0560700980 referente à «Aquisição de projecto de execução para as novas instalações da Esquadrilha de Submarinos na Base Naval de Lisboa - Alfeite», publicado no Jornal Oficial da União Europeia, n.º JO/S S237, de 8 de Dezembro de 2007, ref.ª 288350-2007PT, e no Diário da República, 2.ª série, n.º 239, de 12 de Dezembro de 2007, foi adicionada uma adenda à especificação técnica do respectivo caderno de encargos, passando a mesma a fazer parte integrante das peças do procedimento.

VI.5) DATA DE ENVIO DO PRESENTE ANÚNCIO: 03/01/2008.

3 de Janeiro de 2008. - O Presidente do Conselho Administrativo, Nelson dos Santos Mateus, contra-almirante.
Título:
Enviado por: SSK em Janeiro 15, 2008, 11:40:33 pm
Quem conhece as infraestruturas em causa decerto que não partilha da sua opinião, julgo eu.

Estão perfeitas para os anos 60, para os novo século que já levará uma década à chegada na nova arma não me parecem sequer percárias, mas sim impensáveis. Estamos a falar de tecnologia a sério e a não serem feitas estas obras a manutenção em porto será impossível. E aí, sim, ir-mos ao estrangeiro seria esbanjar dinheiro dos contribuintes.
Título:
Enviado por: ricardonunes em Janeiro 15, 2008, 11:44:37 pm
Arô, não captou minha mensagem, estava muito ruido?
Título:
Enviado por: SSK em Janeiro 16, 2008, 12:09:15 am
Sorry, andava por aqui um sonar de um alvo a pingar e não captei bem o seu efeito hidrofonico. Mas o alvo passou e não enfegou nada mesmo... :wink:
Título:
Enviado por: ricardonunes em Janeiro 16, 2008, 12:25:08 am
Citação de: "SSK"
Sorry, andava por aqui um sonar de um alvo a pingar e não captei bem o seu efeito hidrofonico. Mas o alvo passou e não enfegou nada mesmo... :idea:

 :wink:
Título:
Enviado por: P44 em Janeiro 16, 2008, 08:39:03 am
Oxalá vós todos tenhais razão, mas com este governo espero tudo...
Título:
Enviado por: SSK em Fevereiro 02, 2008, 04:51:08 pm
Citar
Italian Industrie Association for Aerospace Systems and Defence

HEAVY WEIGHT TORPEDO
BLACK-SHARK
Advanced Dual Purpose Wire Guided Torpedo

The BLACK-SHARK Heavy Weight Torpedo is a multipurpose weapon designed to be launched by surface vessels or submarines. It is meant to counter the threat posed by any type of surface or underwater target. The BLACK-SHARK is a new generation of powerful, long-range, wire guided and self- homing heavyweight torpedoes (21-inch diameter).

MAIN CHARACTERISTICS

-   Dual purpose antisubmarine/antiship torpedo
-   Adaptability to a large variety of discharge systems: push-out/swim-out launch
-   Optimised for deep and shallow water operation
-   Fully digital signal and data processing
-   Detection capability on low TS targets
-   ACCM capability
-   Acoustic head shape designed to reduce flow-noise
-   Very low radiated noise
-   Electrical propulsion system with high endurance battery
-   High speed with continuous electronic control
-   Possibility to simultaneously  manage several targets
-   Length: 6300 mm
-   Fibre optic wire guidance communication link
-   lntegrability with all modern Torpedo Fire Control Systems, assured by compatibility with STANAG 4405
-   Simple to interface with ship sensors and computing units
-   Actual tactical situation permanently available for threat assessment and target selection
-   Highly accurate reconstruction of target and torpedo position for maximization of hitting probability


ADVANCED ACOUSTIC HOMING

ASTRA (Advanced Sonar Transmitting and Receiving Architecture) is an active and passive acoustic head for modern torpedoes and represents the latest effort made by Whitehead Alenia Sistemi Subacquei.
It is possible to use the torpedo acoustic head as an additional sensor to the submarine combat suite.
The main signal and data processing is based on the following criteria:

-   Spatial filtering
-   Frequency filtering
-   Constant False Alarm Rate (CFAR)processing
-   Echo elongation analysis
-   Echo angular extension analysis
-   Echo spatial coherence analysis
-   DEMON analysis
-   Medium and high frequency operation in passive mode
-   Multi-frequency capability

ELECTRICAL PROPULSION SYSTEM

This consists of a new design Al-AgO battery with a very high-energy content, contra-rotating motor and skewed direct-drive propellers, assuring a minimum radiated noise and wakeless run, minimizing the torpedo detectability.
An alternative Ag-Zn battery system is available without changing any other propulsion component.

WAKE HOMING CAPABILITY

-   Availability of wake detection and classification
-   Target tracking
-   Optimized homing trajectory

SUBMARINE SYSTEM

-   Launch performed at any operational depth of the submarine
-   Presence of the launching submarine is not disclosed (start-up at low speed, cavitation free)
-   Continuous monitoring of torpedo status in submarine tubes
-   Availability of compact solutions for integration on existing platforms

SURFACE VESSEL SYSTEM

-   Unique anti-vibration design
-   Short reaction time
-   No manoeuvre restrictions for the launching ship


POWERFUL EXPLOSIVE CHARGE

-   Lethal for surface vessels and submarines, activated by both acoustic influence and impact fuses
-   Safety and reliability verified in any operational phase
-   Warhead proven against real targets


Este é o nosso parece-me ser uma excelente arma e de tecnologia de ponta, mas como nem sempre as coisas saem bem.
Os Chilenos, que a par dos malaios, são os únicos já com Black Shark embarcados nos seus Scorpene já têm agendado uma substituição/reparação dos seus torpedos. Os torpedos acusavam uma trepidação/vibração acima dos valores esperados.

A ver vamos os nossos...
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Março 19, 2008, 05:35:54 am
Código de chamada dos novos submarinos: "subdente" e "subpão". :mrgreen:
Título:
Enviado por: Lancero em Março 19, 2008, 12:09:29 pm
Citar
2008-03-17 - 11:00:00

Defesa: Crédito de longo prazo encarece custo
Banca pressiona nos submarinos


A Banca está a pressionar o Governo para que os Ministérios da Defesa e das Finanças, liderados por Severiano Teixeira e Teixeira dos Santos, optem por um contrato de leasing no pagamento dos dois submarinos a partir de 2010, data em que o German Submarine Consortium (GSC) entregará a Portugal os dois navios. Para já, os navios estão a ser pagos, durante a sua construção, por um sindicato bancário constituído pelo Credit Suisse First Boston International (CSFB) e pelo Banco Espírito Santo (BES).

 
Com um custo de aquisição de 779 milhões de euros, segundo a verba contratualizada em 2004, os dois submergíveis, caso sejam pagos através do recurso ao leasing, poderão custar mais de mil milhões de euros aos cofres públicos. E o pior é que essa solução financeira, segundo especialistas conhecedores do processo, não só já não é vantajosa para o Estado, como contraria as próprias recomendações do Tribunal de Contas. Para essa desvantagem, contribui, segundo um especialista conhecedor do processo, a imposição do Eurostat de que o custo da compra dos submarinos tem de ser contabilizado para o défice orçamental no ano da entrega do equipamento, o que elimina as facilidades de gestão de verbas obtidas com o recurso a créditos de longo prazo.

Certo é que o Estado português não gastou, até agora, qualquer verba com a aquisição dos submarinos. Tudo porque, segundo o Ministério da Defesa, “durante o período de construção dos dois submarinos, os pagamentos contratualmente estabelecidos com o consórcio construtor [GSC] estão a ser assegurados por um consórcio financeiro constituído pelo Credit Suisse First Boston International e pelo BES”.

E, assim sendo, com a aproximação do momento da entrega dos submarinos, em 2010, “tem havido pressões sobre o Governo para ser feito um contrato de leasing”, segundo garante fonte conhecedora do processo. “Há pressões, de facto, nesse sentido”, confirma outra fonte próxima do meio militar.

Prova disso é que, segundo apurou o CM, o próprio Ministério da Defesa enviou para o Ministério das Finanças uma proposta, baseada num relatório do Tribunal de Contas, no sentido de os submarinos serem pagos em dinheiro vivo ou através da emissão de dívida pública, em detrimento do recurso a leasing, como recomenda a instituição presidida por Guilherme d’Oliveira Martins.

Para já, o Ministério das Finanças limita-se a dizer que “este assunto está a ser acompanhado”. E, por isso, “não há qualquer comentário adicional a fazer nesta altura”.

Já o Ministério da Defesa garante: “O valor [pela compra dos submarinos] a pagar ao consórcio bancário está dependente das taxas de juro aplicáveis no período de vigência, o que só será apurado em 2010. No que diz respeito à modalidade de financiamento para a aquisição dos submarinos”.

TRIBUNAL DE CONTAS CHUMBA LEASING

O Tribunal de Contas (TC) é categórico na avaliação do acréscimo financeiro provocado pelo leasing como forma de financiamento da compra de equipamento militar: num relatório de 2006, “os auditores examinaram alguns contratos, tendo concluído que os encargos a assumir poderiam exceder, claramente, os oferecidos para o recurso a dívida pública em condições comparáveis de prazo e de indexação das taxas de juro aplicáveis (emissão de Obrigações do Tesouro)”. Dito de outro modo, no entender do TC, a compra dos helicópteros EH101, dos aviões de transporte C295 e dos submarinos através do recurso a contratos de leasing será mais cara para os cofres públicos do que a emissão de dívida pública.

Na altura, o TC convidou o Ministério da Defesa a explicar “como se garantiu, naquelas operações, a obtenção de taxas de juro mais baixas quando a respectiva fixação não decorreu da concorrência aberta e vasta entre prestadores de serviços financeiros”.

DÉFICE PODE DUPLICAR

A contabilização da despesa com os submarinos para efeitos do défice, em 2010, irá duplicar o défice orçamental. Com um custo de quase mil milhões de euros, os dois navios representam 0,5 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) português. Como o défice previsto para 2010 é de 0,4 por cento, o registo da compra dos submarinos dispara o défice para 0,9 por cento.

SAIBA MAIS

779 milhões de euros é o valor da aquisição dos dois submarinos aos alemães do German Submarine Consortium (GSC), em 2004, quando Paulo Portas era ministro da Defesa.

950 milhões de euros é o custo total previsto no programa financeiro anexado ao contrato de compra dos dois submarinos.

ENTREGA

Os dois submarinos 209PN são entregues a Portugal em 2010: o primeiro em Fevereiro e o segundo em Setembro.

MANUTENÇÃO

Quando os submarinos foram adquiridos, o Ministério da Defesa não celebrou contrato de manutenção. Este contrato ainda não existe e os custos serão elevados.

CONCURSO

O concurso dos submarinos foi decidido por Paulo Portas, em 2004. Gerou polémica e levantou dúvidas da parte do concorrente francês.  
António Sérgio Azenha


http://www.correiomanha.pt/noticia.asp? ... idCanal=11 (http://www.correiomanha.pt/noticia.asp?id=282015&idCanal=11)
Título:
Enviado por: SSK em Março 19, 2008, 04:30:14 pm
Citação de: "luis filipe silva"
Código de chamada dos novos submarinos: "subdente" e "subpão". :mrgreen:


Por sinal o do arpão não vai ser esse, vai ser Subarpão
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Março 19, 2008, 05:31:24 pm
SSK escreveu:
Citar
Por sinal o do arpão não vai ser esse, vai ser Subarpão

Eu escrevi assim no gozo :lol:
Título:
Enviado por: SSK em Março 19, 2008, 06:09:53 pm
Eu entendi. É alvo de gozo por todo o lado, com toda a razão...

Que belos nomes :oops:
Título:
Enviado por: P44 em Março 19, 2008, 07:50:32 pm
Realmente..."parabéns" ao autor.... :roll:
Título:
Enviado por: Nuno Calhau em Março 20, 2008, 11:47:16 am
Perdoem-me, mas a quem é que cabe a escolha dos nomes a atribuir aos Navios?

Um Abraço.
Título:
Enviado por: SSK em Março 20, 2008, 07:56:39 pm
Almirante CEMA!
Título:
Enviado por: Nuno Calhau em Março 20, 2008, 09:14:03 pm
ys7x9

Temos de lhe transmitir os nossos sentimentos!

Um Abraço.
Título:
Enviado por: zé do bone em Março 21, 2008, 09:04:09 am
Agradecia que alguém mais elucidado neste assunto, me esclarecesse porque é que anda tudo eriçado com a escolha dos nomes... :?: ) é que eles chegam.... :?
Título:
Enviado por: SSK em Março 21, 2008, 11:08:06 am
Meu caro Zé do Boné,

Não sei se sabe mas existem várias tradições navais e todas elas bem vincadas na mente dos militares e ex-militares da Armada.

Temos várias, muitas mesmo, poderia enumerar algumas. Talvez um dia ganhe paciência e faça um tópico somente dedicado a essa temática. Mas, vamos somente abordar a tradição naval que diz respeito aos nomes dos submersíveis e submarinos da nossa Armada.

Os submersíveis e submarinos portugueses sempre tiveram nomes de animais marinhos!!! Não estou a ver razão nenhuma para essa tradição naval ser quebrada. E a ser quebrada porque não se atribui nomes de pessoas que tanto contribuíram para que nós tivéssemos submersíveis em 1913/14. Sim, os nomes de Fontes Pereira de Melo e de Magalhães Correia.
Mas não Tridente e Arpão são lindos!!! :roll:

No que diz respeito aos submarinos propriamente ditos, o Tridente está bastante desenvolvido, aliás já está com todas as secções soldadas e quase pronto a ir para a água e o Arpão para lá caminha.
Título:
Enviado por: zé do bone em Março 21, 2008, 11:20:37 am
Caro SSK
Agradecido pelo esclarecimento. Posto da forma como colocou, já percebo a razão de todo este "barulho".
Mas já agora permita-me uma pertinência, com todo o devido respeito.
Se não se quebrarem tradições, não se evolui. Como já disse, compreendo perfeitamente a razão para se querer continuar a dar nomes de animais marinhos aos submarinos. Mas sendo estes submarinos, um evoluir da nossa condição como nação utilizadora dessa arma, e porque não passar a dar-lhe o nome de armas navais, ou armas conotadas com o mar ??? Existem vários exemplos por esse mundo fora, por exemplo, os porta-aviões americanos que deixaram de utilizar o nome de batalhas famosas americanas, para passar a utilizar o nome de presidentes americanos.
Talvez não seja descabido de todo dar o nome de Arpão e Tridente aos nosso submarinos, se colocarmos as coisas desta forma, não ???
Apenas a minha sincera opinião...
Título:
Enviado por: SSK em Março 21, 2008, 12:19:31 pm
Todas as opiniões são válidas como é óbvio...

Só não entendo então porque é que os patrulhões voltam ao nomes de cidades, será regredir???

Com a grande dificuldade, que foi e continua a ser, a de justificar os submarinos à sociedade civil e alguma militar portuguesa, julgo ter sido a opção a de mudar para nomes de duas personagens históricas como foram estas duas que indiquei.
Eles mostraram na altura, projectos de construção e também a formulação de uma marinha com submarinos! Coisa que nenhum dos militares de hoje conseguíram fazê-lo! Será que os de hoje são menos competentes e sabedores de para que serve a arma submarina? Bastará pegar nos "catrapázios" da história e ver o que eles contribuíram ao longo dos anos na resolução de conflitos.

Já me esquecia que a história é quase um bicho tão grande como a matemática nos dias que correm!!!...  :?

Pegando no nome destes senhores poderíamos estar a mostrar a toda a sociedade, de novo, que de facto os submarinos são necessários! E, provavelmente muito mais hoje do que à quase um século atrás!
Título:
Enviado por: zé do bone em Março 21, 2008, 12:34:19 pm
Citação de: "SSK"
...Só não entendo então porque é que os patrulhões voltam ao nomes de cidades, será regredir???...


Como em tudo nesta vida, há sempre diferentes pontos de vista, e "cada cabeça, sua sentença"...
Nas chefias militares é a mesma coisa... os governos também o são.
Muito provávelmente (e hipotéticamente), se a pessoa/entidade que decidiu dar esses nomes aos submarinos (repare que eu disse pessoa/entidade, e não CEMA :wink: ) fosse outra, talvez os nomes fossem outros, também...
Título:
Enviado por: Ricardo em Abril 02, 2008, 03:58:04 pm
http://static.publico.clix.pt/homepage/ ... s36fla.swf (http://static.publico.clix.pt/homepage/infografia/sociedade/submarinos/files/submarinos36fla.swf)
Título:
Enviado por: »»Submarinista»» em Abril 04, 2008, 11:52:00 pm
Ricardo,
este ultimo post foi 5 estrelas, gostei mesmo.
Título:
Enviado por: SSK em Abril 05, 2008, 12:17:13 am
Citação de: "»»Submarinista»»"
Ricardo,
este ultimo post foi 5 estrelas, gostei mesmo.


Tá giro, mais cheio de erros!!!...

O que também é normal, visto haver muita informação que é confidencial e claro que os valores são à zona...
Título:
Enviado por: »»Submarinista»» em Abril 05, 2008, 01:03:01 am
Realmente eu reparei que tem vários erros, mas o que gostei no fundo foi a animação que fizeram para comparar as duas classes de submarinos, não vamos entrar em promenores né!! :lol:
Título:
Enviado por: »»Submarinista»» em Abril 05, 2008, 01:06:31 am
Se eu disser que o Delfim deu 19.2 knots, alguem acredita ou nem por isso?  :P
Título:
Enviado por: SSK em Abril 05, 2008, 11:27:38 am
Citação de: "»»Submarinista»»"
Se eu disser que o Delfim deu 19.2 knots, alguem acredita ou nem por isso?  :wink:
Título:
Enviado por: P44 em Abril 05, 2008, 11:32:24 am
Citação de: "Ricardo"

http://static.publico.clix.pt/homepage/ ... s36fla.swf (http://static.publico.clix.pt/homepage/infografia/sociedade/submarinos/files/submarinos36fla.swf)


não consigo aceder a este ficheiro, dá-me erro....
Título:
Enviado por: »»Submarinista»» em Abril 05, 2008, 02:26:50 pm
Citação de: "SSK"
Citação de: "»»Submarinista»»"
Se eu disser que o Delfim deu 19.2 knots, alguem acredita ou nem por isso?  :wink:


Vamos lá então matar essa curiosidade!  :P
Foi durante o ultimo JMC (e quando digo ultimo, foi mesmo o ultimo que houve) no Norte de Inglaterra, no transito para Edimburgo, num canal que agora não me recordo o nome, onde o Delfim e á superficie na sua velocidade maxima de 10 nós (nunca vi dar mais de 10 nós á superficie, embora o pessoal diga que dava 13 nós) com uma corrente a favor de 9.2 nós.
O Cmdte na altura (Gouveia e Melo) fez questão de ficar registado no diário de navegação.
A data não me recordo bem, mas penso ter sido em 1997, se conseguir faça uma busca nos diarios de navegação do Delfim e pode confirmar isto.
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Abril 05, 2008, 02:26:56 pm
Já deves ter visto esta animação P44. É um comparativo entre os dois modelos de sub.
Título:
Enviado por: P44 em Abril 06, 2008, 11:30:57 am
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Já deves ter visto esta animação P44. É um comparativo entre os dois modelos de sub.


não, não vi...alguém me consegue arranjar?

Obrigado.
Título:
Enviado por: SSK em Abril 07, 2008, 11:54:23 pm
Citação de: "»»Submarinista»»"
Citação de: "SSK"
Citação de: "»»Submarinista»»"
Se eu disser que o Delfim deu 19.2 knots, alguem acredita ou nem por isso?  :wink:

Vamos lá então matar essa curiosidade!  :P
Foi durante o ultimo JMC (e quando digo ultimo, foi mesmo o ultimo que houve) no Norte de Inglaterra, no transito para Edimburgo, num canal que agora não me recordo o nome, onde o Delfim e á superficie na sua velocidade maxima de 10 nós (nunca vi dar mais de 10 nós á superficie, embora o pessoal diga que dava 13 nós) com uma corrente a favor de 9.2 nós.
O Cmdte na altura (Gouveia e Melo) fez questão de ficar registado no diário de navegação.
A data não me recordo bem, mas penso ter sido em 1997, se conseguir faça uma busca nos diarios de navegação do Delfim e pode confirmar isto.


Tendo sido num estreito, como desconfiava, acredito solenemente...

Abraço
Título:
Enviado por: »»Submarinista»» em Abril 08, 2008, 05:59:01 pm
eheheheheh
Título:
Enviado por: comanche em Abril 16, 2008, 09:00:13 pm
Defesa: Novos submarinos vão chamar-se "Tridente" e "Arpão"


Citar
Lisboa, 16 Abr (Lusa) -- Os dois novos submarinos da Marinha portuguesa vão ser baptizados de "Tridente" e "Arpão", afirmou hoje o director-geral de Armamento e Equipamento de Defesa na Assembleia da República.

O almirante Viegas Filipe esteve reunido hoje com os deputados da comissão de Defesa Nacional para falar sobre os investimentos nesta área integrados na Lei de Programação Militar (LPM).

De acordo com relatos de deputados feitos à Lusa, o almirante Viegas afirmou que o programa dos submarinos está dentro dos prazos e que "baptismo" dos dois navios deverá acontecer em Julho.

O primeiro dos novos submarinos, cuja compra foi decidida em 2004 e que custarão, no total, cerca de mil milhões de euros, deverá ser entregue em 2010 e o segundo em 2011.

Os anteriores submarinos, da classe Albacora, eram eram o "Barracuda" e "Delfim".
Título:
Enviado por: old em Abril 17, 2008, 12:21:26 pm
Tridente y Arpao

Bonitos nombres :)
Título:
Enviado por: P44 em Abril 17, 2008, 12:32:22 pm
estes nomes já não são novidade nenhuma, já se sabem há séculos.

Quanto a mim são horriveis, mas gostos não se discutem.

Além de que havia a tradição de dar nomes de animais marinhos aos Submarinos, desde o 1º, em 1913, mas enfim...
Título:
Enviado por: SSK em Abril 17, 2008, 06:45:47 pm
A única novidade é o assumir do 2º submarino ser somente entregue em 2011.

Quanto aos nomes  :censurado:  e há quem diga que a marinha é uma casa de tradições e de respeito pelas mesmas!!!!!!!!!!!!!!
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Abril 24, 2008, 11:00:16 pm
:?

Citar

24 Abril 2008 - 19h51


Compra de submarinos pode comprometer descida de impostos
Teixeira dos Santos, ministro das Finanças, admitiu esta quinta-feira, no Parlamento, que a compra de dois submarinos pelo Estado Português, que custarão, no total, mais de mil milhões de euros, poderá vir a comprometer a descida dos impostos.

“Há dois submarinos que vamos ter de pagar. Não sei até que ponto é que não compromete esse desígnio de baixar os impostos”, declarou o governante em resposta a Diogo Feio, líder parlamentar do CDS-PP, durante o debate de urgência dos sociais-democratas sobre a evolução orçamento e política fiscal.

Teixeira dos Santos, perante os protestos da bancada dos democratas-cristãos, e com o presidente do CDS-PP e ministro da Defesa na altura em que foi decidida a compra dos submarinos ausente, deixou no ar uma pergunta: “se ficaram incomodados, digam porquê?”.


 :arrow: http://www.correiomanha.pt/noticia.aspx ... CFCE7AA9C1 (http://www.correiomanha.pt/noticia.aspx?channelid=00000021-0000-0000-0000-000000000021&contentid=79A1C557-4283-4D48-A4A1-94CFCE7AA9C1)
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Abril 24, 2008, 11:14:43 pm
O PS nunca foi a favor dos submarinos (alemães).
Título:
Enviado por: zocuni em Abril 25, 2008, 02:42:20 am
Citação de: "PereiraMarques"
:roll:  :arrow: http://www.correiomanha.pt/noticia.aspx ... CFCE7AA9C1 (http://www.correiomanha.pt/noticia.aspx?channelid=00000021-0000-0000-0000-000000000021&contentid=79A1C557-4283-4D48-A4A1-94CFCE7AA9C1)


Desculpa meio esfarrapada e algo demagógica,feita para se desculparem outros problemas mais graves.É só uma de minhas muitas opiniões,diria algo discutíveis.Nada haver.

Abraços,
Título:
Enviado por: Luso em Abril 25, 2008, 11:57:57 am
Desculpa que diz tudo sobre quem nos governa.
Título:
Enviado por: typhonman em Abril 25, 2008, 03:16:13 pm
Sem comentários, que demagogia barata.
Título:
Enviado por: jmg em Abril 25, 2008, 03:32:23 pm
Preocupado por não poder baixar os impostos por causa de submarinos que são necessários quando há tanto dinheiro mal gasto por esse país fora.
Título:
Enviado por: typhonman em Abril 26, 2008, 12:02:05 am
Fizemos 10 estádios novos ha 4 anos...Por isso dinheiro não falta..Digo eu.
Título:
Enviado por: cariocecus em Maio 05, 2008, 04:44:03 pm
Citação de: "PereiraMarques"
:roll:  :arrow: http://www.correiomanha.pt/noticia.aspx ... CFCE7AA9C1 (http://www.correiomanha.pt/noticia.aspx?channelid=00000021-0000-0000-0000-000000000021&contentid=79A1C557-4283-4D48-A4A1-94CFCE7AA9C1)


Antes de mais, ele, deveria saber e não sabendo devia demitir-se.
Depois, eu não sou ministro das finanças, mas conhecendo alguma coisa a respeito de créditos, tenho quase a certeza que tratando-se de um contracto de leasing a, creio, 30 anos, o impacto que terá na nossa economia é substancialmente menor que os projectos para o aeroporto, para a nova ponte e para o TGV, tudo coisas que o estado terá que pagar já nos próximos 5 anos. Já para não falar que em termos de impostos o negócio terá saldo positivo dadas as contrapartidas negociadas. Se há alguma falha nessa área a culpa é do actual governo, não compreendo portanto o despreendimento do ministro. Foi leviano e acabou por dar um tiro no pé. Como aliás vem sendo imagem de marca dos ministros deste governo
Título:
Enviado por: JLRC em Maio 05, 2008, 10:44:46 pm
Citação de: "cariocecus"
 
Antes de mais, ele, deveria saber e não sabendo devia demitir-se.
Depois, eu não sou ministro das finanças, mas conhecendo alguma coisa a respeito de créditos, tenho quase a certeza que tratando-se de um contracto de leasing a, creio, 30 anos, o impacto que terá na nossa economia é substancialmente menor que os projectos para o aeroporto, para a nova ponte e para o TGV, tudo coisas que o estado terá que pagar já nos próximos 5 anos. Já para não falar que em termos de impostos o negócio terá saldo positivo dadas as contrapartidas negociadas. Se há alguma falha nessa área a culpa é do actual governo, não compreendo portanto o despreendimento do ministro. Foi leviano e acabou por dar um tiro no pé. Como aliás vem sendo imagem de marca dos ministros deste governo


Com todo o respeito caro companheiro cariocecus se há alguém que não sabe o que diz é você. Se soubesse, saberia que o ministro se referia ao facto de que devido às novas regras da União Europeia, as compras de material militar entram nas contas no ano da entraga do material, na totalidade, embora o pagamento se faça espaçadamente, neste caso dos submarinos por cerca de trinta anos. Ou seja, em 2011 vão ter de entrar nas contas os cerca de 1.000 milhões de euros que os submarinos custarão.
Capice?
Título:
Enviado por: zocuni em Maio 05, 2008, 11:30:55 pm
Citação de: "JLRC"
Com todo o respeito caro companheiro cariocecus se há alguém que não sabe o que diz é você. Se soubesse, saberia que o ministro se referia ao facto de que devido às novas regras da União Europeia, as compras de material militar entram nas contas no ano da entraga do material, na totalidade, embora o pagamento se faça espaçadamente, neste caso dos submarinos por cerca de trinta anos. Ou seja, em 2011 vão ter de entrar nas contas os cerca de 1.000 milhões de euros que os submarinos custarão.
Capice?


É verdade,JLRC.Com essas políticas a UE pode a curto prazo inviabilizar a indústria bélica na Europa.Pelos vistos querem uma Europa cada vez mais dependente de outros no caso os EUA.Que política mais desarmamentista,brilhante.Os pacifistas não conseguiriam melhor.

Abraços,
Título:
Enviado por: cariocecus em Maio 07, 2008, 04:12:27 pm
Citação de: "JLRC"
Citação de: "cariocecus"
 
Antes de mais, ele, deveria saber e não sabendo devia demitir-se.
Depois, eu não sou ministro das finanças, mas conhecendo alguma coisa a respeito de créditos, tenho quase a certeza que tratando-se de um contracto de leasing a, creio, 30 anos, o impacto que terá na nossa economia é substancialmente menor que os projectos para o aeroporto, para a nova ponte e para o TGV, tudo coisas que o estado terá que pagar já nos próximos 5 anos. Já para não falar que em termos de impostos o negócio terá saldo positivo dadas as contrapartidas negociadas. Se há alguma falha nessa área a culpa é do actual governo, não compreendo portanto o despreendimento do ministro. Foi leviano e acabou por dar um tiro no pé. Como aliás vem sendo imagem de marca dos ministros deste governo

Com todo o respeito caro companheiro cariocecus se há alguém que não sabe o que diz é você. Se soubesse, saberia que o ministro se referia ao facto de que devido às novas regras da União Europeia, as compras de material militar entram nas contas no ano da entraga do material, na totalidade, embora o pagamento se faça espaçadamente, neste caso dos submarinos por cerca de trinta anos. Ou seja, em 2011 vão ter de entrar nas contas os cerca de 1.000 milhões de euros que os submarinos custarão.
Capice?


com não menos respeito alerto-o para o facto de quem parece não saber do que está a falar é o sr. ministro, o que não me admira nada, e o caro sr..
na realidade o que muda de acordo com o Eurostat, para este tipo de contractos complexos, é o momento em que se considera, para efeitos de risco, a despesa. antes era o momento da transferencia de posse(final do contracto), actualmente é o momento da entrega.
nesse momento entra para as contas o valor do seguro contractado com a entidade financeira, e não a totalidade do contracto.

acresce ainda que o contracto inclui contrapartidas de um valor substancialmente superior ao dos submarinos e que também entram para o cálculo do defice!
No sistema actual as despesas e as receitas são contabilizadas ANTES da transação respectiva ser feita, isto é antes do pagamento

na realidade o ministro coloca-se do lado dos opositores extrangeiros à nossa aquisição de submarinos, em particular dos espanhois.
Título:
Enviado por: Sintra em Maio 07, 2008, 06:07:04 pm
Citação de: "cariocecus"
Citação de: "JLRC"
Citação de: "cariocecus"
 
Antes de mais, ele, deveria saber e não sabendo devia demitir-se.
Depois, eu não sou ministro das finanças, mas conhecendo alguma coisa a respeito de créditos, tenho quase a certeza que tratando-se de um contracto de leasing a, creio, 30 anos, o impacto que terá na nossa economia é substancialmente menor que os projectos para o aeroporto, para a nova ponte e para o TGV, tudo coisas que o estado terá que pagar já nos próximos 5 anos. Já para não falar que em termos de impostos o negócio terá saldo positivo dadas as contrapartidas negociadas. Se há alguma falha nessa área a culpa é do actual governo, não compreendo portanto o despreendimento do ministro. Foi leviano e acabou por dar um tiro no pé. Como aliás vem sendo imagem de marca dos ministros deste governo

Com todo o respeito caro companheiro cariocecus se há alguém que não sabe o que diz é você. Se soubesse, saberia que o ministro se referia ao facto de que devido às novas regras da União Europeia, as compras de material militar entram nas contas no ano da entraga do material, na totalidade, embora o pagamento se faça espaçadamente, neste caso dos submarinos por cerca de trinta anos. Ou seja, em 2011 vão ter de entrar nas contas os cerca de 1.000 milhões de euros que os submarinos custarão.
Capice?

com não menos respeito alerto-o para o facto de quem parece não saber do que está a falar é o sr. ministro, o que não me admira nada, e o caro sr..
na realidade o que muda de acordo com o Eurostat, para este tipo de contractos complexos, é o momento em que se considera, para efeitos de risco, a despesa. antes era o momento da transferencia de posse(final do contracto), actualmente é o momento da entrega.
nesse momento entra para as contas o valor do seguro contractado com a entidade financeira, e não a totalidade do contracto.

acresce ainda que o contracto inclui contrapartidas de um valor substancialmente superior ao dos submarinos e que também entram para o cálculo do defice!
No sistema actual as despesas e as receitas são contabilizadas ANTES da transação respectiva ser feita, isto é antes do pagamento

na realidade o ministro coloca-se do lado dos opositores extrangeiros à nossa aquisição de submarinos, em particular dos espanhois.


 Os Espanhois têm as costas muito largas...  :?
Título:
Enviado por: JLRC em Maio 07, 2008, 08:24:06 pm
Citação de: "Sintra"
 
 Os Espanhois têm as costas muito largas...  :lol:
Título:
Enviado por: SSK em Maio 07, 2008, 10:25:22 pm
E já agora tanto palavreado lindo e caro e depois escreve estrangeiro com X...

 :?
Título:
Enviado por: JLRC em Maio 07, 2008, 10:28:40 pm
Citação de: "SSK"
E já agora tanto palavreado lindo e caro e depois escreve estrangeiro com X...

 :nice:  :nice:  :nice:
Título:
Enviado por: Sintra em Maio 08, 2008, 05:51:02 pm
Citação de: "SSK"
E já agora tanto palavreado lindo e caro e depois escreve estrangeiro com X...

 :lol:  :lol:  :lol:
Título:
Enviado por: SSK em Maio 09, 2008, 11:13:06 pm
Citar
SUBMARINOS      

O ministro da Defesa, Severiano Teixeira, considera o processo de aquisição dos dois submarinos para a Marinha como um assunto de Estado, logo considerado secreto! Como justificação, o facto de o País não dar a conhecer ao mundo a tecnologia que está a ser usada nos mesmos, o tipo de armamento a ser instalado. Como se o mundo estivesse interessado em saber como a nação lusa se vai entretendo e alegremente afundando! Mas se o mundo não está interessado, os portugueses estão e têm o direito de saber quanto custam efectivamente estes dois "caprichos" que directa ou indirectamente vão ter de pagar. Negar isto é dar azo às mais diversas especulações sobre o negócio e pôr em causa, já agora, a necessidade urgente de iniciar contactos para a aquisição do tão necessário e imprescindível "porta-aviões".

António Carvalho
Gouveia

Diário de Notícias
9 de Maio de 2008
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Maio 09, 2008, 11:33:23 pm
Porta-aviões :?:  :?:  :?:  :?:

Houve aqui qualquer coisa que me passou ao lado, não percebi o terceiro sentido da coisa... Alguém que me ilucide, se faz favor!
Título:
Enviado por: SSK em Maio 09, 2008, 11:43:03 pm
Só iluminado António Carvalho de Gouveia é que poderá fazê-lo... Tanto dinheiro mandado fora e ele queixa-se de um que nem sequer ainda teve essa oportunidade de o ser...
Título:
Enviado por: zocuni em Maio 09, 2008, 11:52:12 pm
Realmente essa do Porta-aviões,também não entendo!

Abraços,
Título:
Enviado por: Scarto em Maio 10, 2008, 01:15:02 am
Eu sabia!Tanto segredo por parte do Estado só podia ser porque vamos adquirir um Porta-aviões que por certo irá ser equipado com os F-35!!  :lol:

Agora fora de brincadeiras,o jornalismo em Portugal continua a descer de qualidade..Quanto muito deveria estar-se a querer referir ao LPD não?
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Maio 10, 2008, 10:28:57 am
Meus caros.
O jornalista comentava em tom jocoso que adquirimos os submarinos, que não opinião dele não precisamos. O porta aviões esse claro não precisamos mesmo.
O Homem é A/S (anti-submarino).
Título:
Enviado por: antoninho em Maio 10, 2008, 07:07:02 pm
O grave da questão é o jornalismo de encomenda.....vejam lá se os vêm a criticar os medicamentos que os hospitais queimam por ano pois passaram de validade, os ordenados obscenos de certos ex-políticos, muitos poucos falam nas contrapartidas dessa compra, não vale a pena pôr neste fórum noticias deste tipo, pois acredito que a maioria de nós sabe perfeitamente o que a casa desses jornalistas gasta....já agora esse senhor não é A/S mas P/S.....
Título:
Enviado por: Lancero em Maio 10, 2008, 07:48:20 pm
Por acaso até é uma carta de um leitor  :wink:
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Maio 10, 2008, 09:26:17 pm
Lancero escreveu:
Citar
Por acaso até é uma carta de um leitor

Por acaso não me apercebi. As minhas desculpas aos jornalistas, mas só por esta. :wink:
Título:
Enviado por: Lancero em Maio 10, 2008, 10:36:56 pm
Por isso é que eu disse "por acaso". É que é mesmo por acaso  :D
Título:
Enviado por: Instrutor em Maio 11, 2008, 12:36:04 am
O Homem deve sofrer de fobia a espaços fechados.... Não Não ja sei tentou algum concurso para entrar para o pessoal que opera a esquadrilha de submarinos da armada mas não conseguiu entrar e agora esta revoltada contra os nossos sub. Caros amigos preferia mil vezes 5 submarinos na armada do que um Porta Avioes em todo o caso o ideal era os 5 sub mais o Porta Avioes mas nao podemos eheheheheh assim contentamo-nos com 5 Fragatas 2 Sub, vamos acreditar no LPD e nos Patrulhoes agora a serio gostaria de ver os Patrulhoes mais bem armados tipo com misseis anti navio torpedos e anti aéreos capazes de espantar para bem longe esses traficantes de droga que infestam o nosso mar ja que vai ser a principal missao dos NPO a vigilancia da nossa ZEE.
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Maio 11, 2008, 01:09:48 am
Código: [Seleccione]
agora a serio gostaria de ver os Patrulhoes mais bem armados tipo com misseis anti navio torpedos e anti aéreos capazes de espantar para bem longe esses traficantes de droga que infestam o nosso mar ja que vai ser a principal missao dos NPO a vigilancia da nossa ZEE.

Anti-aéreas para os traficantes de droga... que eu saiba eles entram no nosso país é por mar
Título:
Enviado por: P44 em Maio 11, 2008, 11:13:37 am
Citação de: "Cabecinhas"
Citar
agora a serio gostaria de ver os Patrulhoes mais bem armados tipo com misseis anti navio torpedos e anti aéreos capazes de espantar para bem longe esses traficantes de droga que infestam o nosso mar ja que vai ser a principal missao dos NPO a vigilancia da nossa ZEE.

Anti-aéreas para os traficantes de droga... que eu saiba eles entram no nosso país é por mar


here we go again... c34x

Eu preferia uns GRANIT nos NPO, mas enfim :mrgreen:
Título:
Enviado por: antoninho em Maio 11, 2008, 02:03:50 pm
Ou fazer como os italianos, com um super canhão...... de agua....
Título:
Enviado por: Instrutor em Maio 11, 2008, 05:35:48 pm
Nada disso, era preferível ver os NPO mais bem armados, hoje eles estão vocacionados para a patrulha na nossa ZEE, mas num futuro podemos precisar deles mais bem armados para uma eventual escolta ao NAVpol uma vez que as 5 fragatas que vamos dispor em princípio é para manter 3 a navegar e duas paradas, destas 3 fragatas 1 delas esta dentro das necessidades da NATO, por isso penso que devia-mos armar 2 ou 3 NPOs em Fragatas Ligeiras equipadas com misseis anti navios, torpedos e anti aéreas garantindo a defesa de uma pequena task force composta pelo NAVpol 2 NPOs bem armados 1 Sub e um reabastecedor de esquadra para qualquer enventualidade deixando as restantes fragatas para uso mais apropriado como a defesa da costa portuguesa.
Título:
Enviado por: SSK em Maio 11, 2008, 06:52:02 pm
Está um pouco equivocado...

Das 5 fragatas, uma em reparação prolongada  e uma na nato por ano. Se precisarmos de escoltas para o navpol (se alguma vez o tivermos) não à navio na nato, dúvidas... Para que servem os paises aliados...

Já agora o que é que isto tem a haver com os submarinos??? Só se for o facto de eles também poderem fazer parte desta força...
Título:
Enviado por: lurker em Maio 11, 2008, 07:49:29 pm
Citação de: "antoninho"
Ou fazer como os italianos, com um super canhão...... de agua....


Os NPO têm canhão de água.

Caro Instrutor, isto já foi debatido 1028182 vezes no tópico dos NPO, se quiser procure para trás as várias discussões sobre o armamento dos NPO.
Mas não é possivel transformar os NPO num navio com valor militar sem comprometer a capacidade de fazer a função de patrulha e/ou os custos dessa missão.
Título:
Enviado por: Lancero em Maio 17, 2008, 07:14:36 pm
Citar
12 Maio 2008 - 00h30

Marinha: Único submarino no activo
‘Barracuda’ faz 40 anos
Éo segundo activo mais antigo da Marinha portuguesa. Os quarenta anos que completa este mês de Maio (sempre ao serviço do País) apenas são ultrapassados pelos 71 (46 em Portugal) do navio-escola ‘Sagres’. O submarino ‘Barracuda’ prepara-se novamente para sair para o mar. Vai até ao Funchal para as comemorações do Dia da Marinha (pode ser visitado entre os dias 21 e 25).

Ainda no efectivo devido a aturadas manutenções – mas já a dever alguns anos ao abate a que os seus gémeos ‘Delfim’ e ‘Albacora’ foram sujeitos (respectivamente em 2005 e 2000) – o ‘Barracuda’ vai ainda manter-se ao serviço até 2010.

É esse o ano previsto para a chegada do primeiro dos dois novos submarinos U209PN para a Marinha – já nomeados ‘Arpão’ e ‘Tridente’ (um corte com a tradição da Armada que desde 1913 deu nomes de animais marinhos aos submarinos).

Construído em França, o ‘Barracuda’ entrou a 4 de Maio de 1968 ao serviço da Marinha. Até Dezembro de 2001 (últimos dados disponíveis) cumpriu 38 143 horas de navegação, 26 962 em imersão. Percorrer 790 545 milhas (o equivalente a mais de 36 circum-navegações à Terra).

Mal-amados por muitos devido ao elevado custo de aquisição, os submarinos são armas fundamentais na salvaguarda e fiscalização do espaço marítimo nacional e combate ao tráfico de droga, entre outras missões ao serviço da população ou do Estado. Raramente se ouve falar do trabalho cumprido pelos 54 tripulantes, missões quase sempre secretas, mas todas importantes


Fonte (http://http)
Título:
Enviado por: antoninho em Maio 17, 2008, 08:10:57 pm
E já agora o resto da noticia.......

EPISÓDIO QUE FICOU PARA A HISTÓRIA

O ‘Barracuda’ afundou na década de 80 um porta-aviões americano no Mediterrâneo. O ‘USS Dwight D. Eisenhower’, com a sua escolta, participava com os portugueses num exercício. O ‘Barracuda’ afundou-o numa simulação de ataque com torpedos.
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Maio 17, 2008, 09:11:17 pm
Antoninho escreveu:
Citar
EPISÓDIO QUE FICOU PARA A HISTÓRIA

O ‘Barracuda’ afundou na década de 80 um porta-aviões americano no Mediterrâneo. O ‘USS Dwight D. Eisenhower’, com a sua escolta, participava com os portugueses num exercício. O ‘Barracuda’ afundou-o numa simulação de ataque com torpedos.

Esse é um dos episódios. O outro foi o de o Barracuda ter realmente afundado um navio com torpedos reais.
Título:
Enviado por: pedro em Maio 17, 2008, 09:24:10 pm
Qual foi o navio??
Cumprimentos
Título:
Enviado por: Lancero em Maio 17, 2008, 09:27:14 pm
Citação de: "pedro"
Qual foi o navio??
Cumprimentos

Citar
Das diversas missões efectuadas, destaca-se o primeiro afundamento realizado por um submarino português a um navio de superfície, o M/V "Bandim", que ocorreu em 15 de Dezembro de 1982, por este navio na ocasião constituir um perigo para a navegação

http://www.marinha.pt/Marinha/PT/Menu/D ... racuda.htm (http://www.marinha.pt/Marinha/PT/Menu/DescobrirMarinha/MeiosOperacionais/SubSuperficie/Submarinos/nrp_barracuda.htm)
Título:
Enviado por: pedro em Maio 17, 2008, 09:35:22 pm
Obrigado. :wink:
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Maio 18, 2008, 04:20:04 pm
Citar
Equipamento militar - contas públicas em risco de derrapagem

Governo quer adiar segundo submarino

O Ministério da Defesa está em negociações com o German Submarine Consortium (GSC) para adiar a entrega de um submarino de Setembro de 2010 para o início de 2011. Com esta iniciativa, o Executivo de José Sócrates procura evitar que o custo financeiro da chegada dos dois navios em 2010, como está previsto, contribua para o aumento do défice orçamental de 0,4 por cento para 0,9 por cento.

Ao que o CM apurou, as negociações entre o Ministério da Defesa e o GSC já decorrem há algum tempo e resultam da obrigatoriedade,impostapelo Eurostat em 2006, de registar nas contasnacionaisacomprade equipamento militar no ano em que é feita a sua entrega física. Como o custo de 973 milhões de euros dos dois submarinos representa 0,5 por cento do Produto Interno Bruto (PIB), o registo contabilístico desta despesa num único ano traduz-se no aumento do défice orçamental em 0,5 por cento.

Por isso, em 2010, ano previsto para a entrega dos dois navios à Marinha, o défice das contas públicas irá disparar de 0,4 por cento, previsto no Plano de Estabilidade e Crescimento (PEC), para 0,9 por cento. Em contrapartida, uma entrega repartida dos dois navios por 2010 e 2011 permitirá amortecer o seu forte impacto financeiro em dois anos.

Com a economia portuguesa a evidenciar sérios sinais de abrandamento já no primeiro trimestre deste ano e o próprio Governo a rever em baixa o crescimento económico para 2010 e 2011, o adiamento da entrega de um submarino para 2011 adquire ainda mais importância. Só que, para que este adiamento seja uma realidade, o GSC quer, segundo fonte conhecedora do processo, "um milhão de euros para pagar despesas com amanutençãodosubmarino numa doca até ser entregue a Portugal, em 2011".

MINISTRO JÁ LANÇOU ALERTA

Os Ministérios das Finanças e da Defesa estudam em conjunto a forma de amortecer o impacto financeiro dos submarinos nas contas públicas. E Teixeira dos Santos, ministro das Finanças, já expressou as suas preocupações no Parlamento: "Há dois submarinos que vamos ter de pagar. Não sei até que ponto não compromete esse desígnio de baixar os impostos."

Para já, o Estado ainda não gastou qualquer verba com os navios. Só quando estes forem entregues a Portugal é que o Governo começa a pagá-los ao sindicato bancário que financia a sua construção.

SAIBA MAIS

Aquisição Os submarinos foram adquiridos pelo Governo PSD-CDS, em Abril de 2004. Paulo Portas era ministro da Defesa e Manuela Ferreira Leite ministra das Finanças.

973 Milhões de euros é o custo dos dois submarinos.

1 Milhão de euros é a verba pedida pelo GSC para adiar a entrega de um submarino para 2011.

Sindicato bancário BES e Crédit Suisse constituem o sindicato bancário que financia a construção dos dois submarinos.

António Sérgio Azenha


 :arrow: http://www.correiomanha.pt/noticia.aspx ... 0000000011 (http://www.correiomanha.pt/noticia.aspx?contentid=CDAF5743-D386-4784-A2C1-F10D722497B8&channelid=00000011-0000-0000-0000-000000000011)
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Maio 18, 2008, 06:10:45 pm
Mais uma volta mais uma viagem...
Título:
Enviado por: PedroM em Maio 18, 2008, 07:23:47 pm
Não me parece grave que venha o 2º sub no ínicio de 2011 e não no fim de 2010.
No entanto cada vez mais me convenço que a decisão errada do Paulo Portas está afinal certíssima!
Embora me pareça que o Navpol deveria ser prioritário e a sua aquisição mais urgente que a dos submarinos, se não fora a decisão do Paulo Portas em 2004, nem daqui por 10 anos teriamos submarinos.
Escreveu-se direito por linhas tortas!
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Maio 18, 2008, 08:02:45 pm
Caro PedroM
O problema para as contas dos politicos, é que vêm os dois no mesmo ano. Se viesse um em 2010 e outro em 2011 não havia problema.
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Maio 18, 2008, 08:08:42 pm
Citar
O problema para as contas dos politicos, é que vêm os dois no mesmo ano. Se viesse um em 2010 e outro em 2011 não havia problema.


Por essa ordem de ideiais em 2012 vem o NAVPOL, 2013 o 3º submarino, etc etc  :P
Título:
Enviado por: JLRC em Maio 18, 2008, 10:40:11 pm
Citação de: "Cabecinhas"
2013 o 3º submarino, etc etc  :rir:  :rir:  :rir:
Título:
Enviado por: P44 em Maio 19, 2008, 08:41:38 am
:lol:

2012 0 Navpol

 :toto:
Título:
Enviado por: Lancero em Maio 19, 2008, 12:52:49 pm
Citar

19 Maio 2008 - 00h30

Equipamento militar - Impacto do custo dos submarinos no défice orçamental em 2010

Defesa não negoceia

O Ministério da Defesa fez saber ontem que não está a negociar com o German Submarine Consortium (GSC) o adiamento da entrega de um dos navios de Setembro de 2010 para o início de 2011.


O Ministério de Nuno Severiano Teixeira diz que está sim a estudar uma solução que permita amortecer o impacto financeiro que o custo dos dois submarinos (973 milhões de euros) terá no défice orçamental em 2010, ano para o qual está prevista a entrega dos dois submergíveis a Portugal.

Em resposta à notícia do CM, o Ministério da Defesa, que não respondeu em tempo útil às questões enviadas pelo nosso jornal na sexta-feira, esclareceu ontem que "não está em negociações com o German Submarine Consortium (GSC) para adiar a entrega de um submarino de Setembro de 2010 para o início de 2011".

No entanto, o CM mantém o conteúdo da notícia, segundo a qual a negociação entre o Ministério da Defesa e o GSC tem em vista distribuir o forte impacto financeiro do custo dos submarinos nas contas públicas por 2010 e 2011 em vez de um único ano. A manter-se a entrega dos dois submarinos a Portugal em 2010, o défice orçamental aumentará de 0,4%, como está previsto no Plano de Estabilidade e Crescimento (PEC), para 0,9%.

O próprio ministro das Finanças, Teixeira dos Santos, admitiu recentemente na Assembleia da República que a despesa com os dois submarinos poderá colocar em causa a redução de impostos.

António Sérgio Azenha


Fonte (http://http)
Título: Manutencao
Enviado por: FS em Maio 20, 2008, 02:01:44 pm
Palavras de Melo Gomes, Chefe de Estado-Maior da Armada para o Correio da Manha:

Citar
- Agora os submarinos. O ministro das Finanças lançou algumas críticas ao esforço financeiro, dando a entender que não seria uma prioridade. A opinião pública também não percebe o investimento. De uma vez por todas: porque é que os submarinos são importantes para a Marinha e para Portugal?

- A questão essencial que se põe em relação aos submarinos e da sua necessidade é primeiramente uma questão política.

- Política?

- Sim. É uma questão de querermos ou não conhecer o que se passa nas nossas águas. Quer na superfície, quer na profundidade. Dos potenciais adversários e até dos amigos. Essa questão é absolutamente crucial para um País marítimo.

- São essenciais para se conhecer o que se passa no mar?

- Exacto. Em tempo de paz, em tempo de crise e em tempo de conflito. Segunda questão: os submarinos, na minha perspectiva, vão ser meios, talvez os únicos meios, que tenham capacidade de dissuasão.

- Outra questão política?

- Política. Estas duas são questões políticas.

- São questões políticas que são contestadas por uma grande parte do poder político. Não é estranho?

- Vamos ver. Mas deixe-me falar-lhe na terceira questão: não estou preparado para empenhar uma força naval à distância perante um ambiente hostil ou potencialmente hostil sem ter uma cobertura de um submarino em apoio. Não se pode fazer. Nem nos litorais nem no alto mar.

- Nessas circunstâncias a Marinha ficaria impotente?

- Nessas circunstâncias a Marinha portuguesa seria uma Guarda Costeira pura e simples.

- Sem os submarinos seria uma Guarda Costeira?

- Uma Guarda Costeira pura e simples porque não tinha a capacidade, embora tivesse meios, não tinha a capacidade para os empregar no seu potencial. Ou seja, estávamos a desperdiçar recursos que investimos, designadamente em fragatas e reabastecedores de esquadras, mas de facto não os podíamos usar na medida de todas as suas potencialidades.

- Mas é um investimento muito grande para um País com fracos recursos.

- Eu reconheço que os submarinos são um meio caro. Não tenho nenhuma dúvida sobre. Agora há um balanço entre o que é necessário para o País, o que é que o País entende qual é a mais valia para a sua soberania que os submarinos lhe podem conferir e tudo o resto. Estou absolutamente convencido que esse balanço é positivo. Compreendo que em situações de aperto financeiro as questões sejam mais sublinhadas. Mas a questão para mim é uma questão de fundo.

- São os meios mais caros das Forças Armadas?

- Repare. Fala-se muito nos submarinos, mas os submarinos não é o sistema de forças mais caro que temos programado.

- Qual é?

- Eu não vou revelar qual é o mais caro, mas basta ir consultar a Lei de Programação Militar.

- Esta questão dos submarinos é demagógica?

- Toda a gente fala nos submarinos.

- É um tema fácil?

- Veja isto. O que acontece é que todas as Marinhas que não os têm querem-nos ter e aquelas que os têm não gostam que os outros os venham a ter porque são de facto meios que dão um poder aos Estados muito relevante no mar.

- Os contratos de manutenção dos submarinos estão ou não feitos?

- Nós, na Marinha, não temos a tradição de fazer contratos de manutenção, a não ser para aquilo que nós próprios não conseguimos manter. Nem fazemos contratos de manutenção para navios. Fazemos para pequenos coisas enquanto não adquirimos a tecnologia e a capacidade para fazermos nós as nossas próprias intervenções. Sempre foi assim.

- Para os submarinos também?

- É a mesma coisa. Igual. Nós, neste momento, temos cento e tal técnicos do Arsenal a trabalharem na Alemanha para se especializarem nos diversos sistemas dos submarinos. E esses técnicos vão ser capazes, como sempre foram, há muitos anos, de manter os nossos submarinos. Esse é um ponto completamente assente. Nós não compramos sistemas que não somos capazes de manter. Mais uma vez, uma Marinha não se pode improvisar.

Título:
Enviado por: Cabecinhas em Maio 20, 2008, 02:13:42 pm
:Soldado2:
Título:
Enviado por: Black em Maio 20, 2008, 02:21:06 pm
Citar
- São os meios mais caros das Forças Armadas?

- Repare. Fala-se muito nos submarinos, mas os submarinos não é o sistema de forças mais caro que temos programado.

- Qual é?

- Eu não vou revelar qual é o mais caro, mas basta ir consultar a Lei de Programação Militar.


Alguem me pode dizer qual é?
Título:
Enviado por: P44 em Maio 20, 2008, 02:38:06 pm
eu acho que é o mais caro, mas pelos vistos estou enganado :oops:
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Maio 20, 2008, 02:42:12 pm
O mais caro é o staff do ministério da defesa. :twisted:
Título:
Enviado por: P44 em Maio 20, 2008, 02:45:29 pm
de repente lembrei-me....serão os NPOs?????? :shock:  :shock:
Título:
Enviado por: nelson38899 em Maio 20, 2008, 02:49:17 pm
Só se for pelo aluguer do espaço nos estaleiros de viana do castelo em que os NPO está situados.
Título: Re: Manutencao
Enviado por: ShadIntel em Maio 20, 2008, 03:40:15 pm
Citar
- São os meios mais caros das Forças Armadas?

- Repare. Fala-se muito nos submarinos, mas os submarinos não é o sistema de forças mais caro que temos programado.
:shock:

Citar
- Qual é?

- Eu não vou revelar qual é o mais caro, mas basta ir consultar a Lei de Programação Militar.

 :lol:  Gostei bastante do "não vou revelar", como se fosse algum segredo, seguido do "basta ir consultar...". Cheira-me mais a alguma falta de conhecimento dos detalhes da LPM por parte do CEMA...
Título:
Enviado por: LM em Maio 20, 2008, 04:14:41 pm
Citar
Gostei bastante do "não vou revelar", como se fosse algum segredo, seguido do "basta ir consultar...". Cheira-me mais a alguma falta de conhecimento dos detalhes da LPM por parte do CEMA...


Ou o programa mais caro é de outro ramo das FA e ele está a ser diplomático (só aparentemente...)
Título:
Enviado por: P44 em Maio 20, 2008, 04:16:41 pm
Audis, BMWs e Mercedes????  :?
Título:
Enviado por: antoninho em Maio 20, 2008, 10:17:19 pm
citação:Para a Força Aérea estão destinados aproximadamente mil milhões de euros de investimento, para o Exército 981 milhões e para a Marinha 1,87 mil milhões. Quanto ao Estado-Maior General das Forças Armadas vai receber 53 milhões de euros e os serviços centrais cerca de 1,53 mil milhões de euros.

Não percebi aquela indirecta, depois de ler esta nota ainda menos..........
Título:
Enviado por: Luso em Maio 20, 2008, 11:37:42 pm
Pois para mim é perfeitamente claro:

Citar
Gostei bastante do "não vou revelar", como se fosse algum segredo, seguido do "basta ir consultar...". Cheira-me mais a alguma falta de conhecimento dos detalhes da LPM por parte do CEMA...


Ou então já está a pensar numa revisão à revisão da LPM... :roll:

Não é à toa que é escolhido quem é escolhido.
Título:
Enviado por: zocuni em Maio 21, 2008, 04:46:21 am
Citação de: "antoninho"
citação:Para a Força Aérea estão destinados aproximadamente mil milhões de euros de investimento, para o Exército 981 milhões e para a Marinha 1,87 mil milhões. Quanto ao Estado-Maior General das Forças Armadas vai receber 53 milhões de euros e os serviços centrais cerca de 1,53 mil milhões de euros.

Não percebi aquela indirecta, depois de ler esta nota ainda menos..........


Para uma LPM que se preze,isso é uma ninharia que nem sei se gastarão tudo isso.
Claro que os submarinos são caros ainda para mais os que Portugal adquiriu,mas vale cada cêntimo.A nossa Marinha tem de ter capacidade oceânica e não de guarda-costeira,aliás esses submarinos de uma forma coerente deveriam ser pelo menos três.Devo ser da oposição política querendo derrubar o governo.
Para quem andou depois do 25 de Abril não investindo nada,isso é uma gota no oceano,pelo menos parece que acordaram infelizmente a nossa economia não tem poder de absorção para tais gastos,devido a problemas estruturais crónicos.
Tenho-me dedicado bastante a este tema de reorganização de forças armadas.Portugal em minha modestíssima opinião deveria ter uma forma mista de exército ( SMO e profissionais),a nivel do SMO para tarefas de territorialidade ( cerca de 70% de profissionais e 30% de SMO),no entanto este conceito está ultrapassado no novo conceito,leia-se BrigInt e profissionais a nível de BRR aqui acrescentado o RC Nº3 Estremoz numa vertente de EREC.
Não querendo ser polémico ou iluminado,deveríamos acrescentar uma 3ª BIPara (Beja),1CIA de CTO ou Comandos,mais uma Cia.no 2º Batalhão de fuzileiros navais.
Mais uma fusão em CTC e CTOE (Comando x Rangers),unidades móveis e de alta rotatividade (Lamego,Mafra e Tavira) e mudança para a boina preta,ficando a castanha para todo exército inclusive a cavalaria.
Vejam quanto a pretensão a minha,não sou nada modesto.
Uma remodelação a nível da artilharia não só de campanha como a nível de anti-aéreas,substituição do chaparral,não implicando em novos regimentos.
Para instrução generalizada ficaria o RI Nº1 (Amadora) e RA Nº 5 (Serra do Pilar).
Para sanear uma crónica falta de pilotos para a força aérea,criar um centro de treinamento na região norte,não tenho base nenhuma para afirmar que tal melhoraria a situação,mas poderia ser um indício.
Neste contexto todo e em remodelações iniciais,promoveria a transferência da BA 6 Montijo para a Marinha ou seja uma base aeronáutica,com os linx e os P-3, a BA 3 Tancos para os GALE (helicópteros) de responsabilidade do exército, e a remodelação da BA 2 Ota para o transporte tático e pesado da força aérea,tipo C-295,HÉRCULES c-130 e outros que viessem,compensando a retirada de Figo Maduro.
A criação em Porto Santo duma base aeronáutica devido a algumas especificidades.
A nossa defesa aérea a ser criada e estando funcional está muito bem idealisada com a monotorização nos Açores e Madeira.
A nível dos Açores uma esquadra de F-16 MLU e um contingente alocado em Porto Santo.
Criação de duas zonas militares a continental e a insular e com isso diminuir os lugares de chefia e gastos,podem crer que seria uma economia e tanto,mas mais do que isso criar fontes de receita sobre isto caso queiram desenvolver explicarei minhas ideias.
Muita coisa aqui descrita é óbvia,basta haver poder político para ter coragem para acabar com certas quintinhas.
Se pensam que esgotei minhas remodelações estão enganados ainda não viram nada.Felizmente nunca serei o Ministro da Defesa o o chefe maior das forças armadas,para alivio geral da nação.
Em termos de Marinha em termos oportunos darei mais opiniões furadas.
Estou começando a trilogia de asneiras.

Abraços,
Título:
Enviado por: P44 em Maio 21, 2008, 08:23:50 am
Eu sou mais modesto, só pedia 1/2 dúzia de NPOs, mais 2 NCP, mais 1 Navpol, mais 5 LFC , que os U209PN chegassem a navegar com bandeira portuguesa...

(qualquer semelhança entre esta "wish list" e a realidade é mera coincidência)  c34x
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 21, 2008, 10:42:31 am
Citação de: "zocuni"
Citação de: "antoninho"
citação:Para a Força Aérea estão destinados aproximadamente mil milhões de euros de investimento, para o Exército 981 milhões e para a Marinha 1,87 mil milhões. Quanto ao Estado-Maior General das Forças Armadas vai receber 53 milhões de euros e os serviços centrais cerca de 1,53 mil milhões de euros


Não percebi aquela indirecta, depois de ler esta nota ainda menos..........

Citar
Tenho-me dedicado bastante a este tema de reorganização de forças armadas.Portugal em minha modestíssima opinião deveria ter uma forma mista de exército ( SMO e profissionais),a nivel do SMO para tarefas de territorialidade ( cerca de 70% de profissionais e 30% de SMO),no entanto este conceito está ultrapassado no novo conceito,leia-se BrigInt e profissionais a nível de BRR aqui acrescentado o RC Nº3 Estremoz numa vertente de EREC.

Zocuni as unidades puramente territoriais praticamente acabaram, agora quer-se unidades para as missões lá fora.

Citar
Não querendo ser polémico ou iluminado,deveríamos acrescentar uma 3ª BIPara (Beja),1CIA de CTO ou Comandos,mais uma Cia.no 2º Batalhão de fuzileiros navais.
Mais uma fusão em CTC e CTOE (Comando x Rangers),unidades móveis e de alta rotatividade (Lamego,Mafra e Tavira) e mudança para a boina preta,ficando a castanha para todo exército inclusive a cavalaria.
Vejam quanto a pretensão a minha,não sou nada modesto.
Uma remodelação a nível da artilharia não só de campanha como a nível de anti-aéreas,substituição do chaparral,não implicando em novos regimentos.
Para instrução generalizada ficaria o RI Nº1 (Amadora) e RA Nº 5 (Serra do Pilar).

Sou contra fusões, já se tentou no passado com resultados desastrosos, deixa lá a BRR em paz que este é o caminho (comandos conjuntos mas mantendo a autonomia).

Citar
Para sanear uma crónica falta de pilotos para a força aérea,criar um centro de treinamento na região norte,não tenho base nenhuma para afirmar que tal melhoraria a situação,mas poderia ser um indício.

Zocuni não estou a perseguir-te, mas não entendi, o que é que melhorava ao nível do recrutamento ao ter um centro de treinamento no Norte. :?
 
Citar
Criação de duas zonas militares a continental e a insular e com isso diminuir os lugares de chefia e gastos,podem crer que seria uma economia e tanto,mas mais do que isso criar fontes de receita sobre isto caso queiram desenvolver explicarei minhas ideias.


zocuni as Regiões Militares no continente já acabaram à já algum tempo, por isso ias aumentar ainda mais os lugares de chefia e gastos.
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Maio 21, 2008, 10:51:13 am
Citação de: "zocuni"
 

Para sanear uma crónica falta de pilotos para a força aérea,criar um centro de treinamento na região norte,não tenho base nenhuma para afirmar que tal melhoraria a situação,mas poderia ser um indício.

Isto deve ser o lobi (lobby) do Norte :lol: , mas qual e a utilidade desta medida?


Citação de: "zocuni"
  mas mais do que isso criar fontes de receita sobre isto caso queiram desenvolver explicarei minhas ideias.


Ja agora desenvolva, se faz favor...
Título:
Enviado por: LM em Maio 21, 2008, 11:11:30 am
zocuni:
Citar
Mais uma fusão em CTC e CTOE (Comando x Rangers),unidades móveis e de alta rotatividade (Lamego,Mafra e Tavira) e mudança para a boina preta,ficando a castanha para todo exército inclusive a cavalaria.
Cabeça de Martelo:
Citar
Sou contra fusões, já se tentou no passado com resultados desastrosos, deixa lá a BRR em paz que este é o caminho (comandos conjuntos mas mantendo a autonomia).


Uma unidade que coordene os Comandos + "rangers" é o modelo brasileiro... e eu cada vez acho ser mais lógico - os comandos, em vez de se tornarem um batalhão igual aos paraquedistas, devem assumir missões diferentes, em escalão diferente; a melhor forma é manter uma relação "especial" com as ForEsp, à imagem do "Special Forces Support Group" ou do "75th Ranger Regiment". Por mim é assumir que a BRR é Brigada Paraquedista, reforçada pontualmente por Comandos/Rangers para missões específicas.

Já mexer em boinas... parece-me pedir motins sangrentos, o meu pai ainda guarda com carinho a sua boina preta de cavalaria e estar 2 anos no meio da selva africana não é propriamente férias para recordar. :wink:

As minhas desculpas pelo imenso "off-topic"...
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Maio 21, 2008, 11:24:23 am
Citação de: "LM"
os comandos, em vez de se tornarem um batalhão igual aos paraquedistas, devem assumir missões diferentes, em escalão diferente; a melhor forma é manter uma relação "especial" com as ForEsp, à imagem do "Special Forces Support Group" ou do "75th Ranger Regiment".


Isso ja e assim, existem duas companhias independentes (futuramente 3?), que em termos "administrativos" organizam-se num batalhao. A mim parece-me e que, mantendo as especialidades, os cursos e ate as boinas, separados, os Comandos e OE's deviam estar sediados na mesma unidade territorial, por exemplo Lamego. Facilitava muito mais o treino integrado, de OE's apoiados pelos Cmds, um pouco como explica o LM, e era menos instalaçoes e uma Companhia de Comando e Serviços a manter...
Título:
Enviado por: zocuni em Maio 21, 2008, 12:33:11 pm
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Zocuni as unidades puramente territoriais praticamente acabaram, agora quer-se unidades para as missões lá fora.

Cabeça se ler com atenção o que escrevi,verá que pela nova reorganização do exército tal conceito desaparece,agora eu sou contra isso,admito estar errado mas é o que penso.


Citar
Sou contra fusões, já se tentou no passado com resultados desastrosos, deixa lá a BRR em paz que este é o caminho (comandos conjuntos mas mantendo a autonomia).

Eu sei Cabeça, minha ideia seria de unificar os Comandos e Rangers,numa única força especial de alta capacitação e com as características de ambas,acho muito tipo de tropa para um país tão pouco populoso,mas respeito suas opiniões.Nada como dialogar.Continuariam na BRR.

Citar
Para sanear uma crónica falta de pilotos para a força aérea,criar um centro de treinamento na região norte,não tenho base nenhuma para afirmar que tal melhoraria a situação,mas poderia ser um indício.

Citar
Zocuni não estou a perseguir-te, mas não entendi, o que é que melhorava ao nível do recrutamento ao ter um centro de treinamento no Norte. :?


Pode ter certeza que não tenho a mania da perseguição,pode criticar minhas sugestões à vontade,aliás as coloquei para debate e se possivel melhorar e aprimorar o que penso.
Aqui a explicação são os argumentos que deram para acabar com bastantes unidades a Sul,uma vez que existem estudos das forças armadas em que os contingentes militares são do Norte,quem sabe também incrementaria a pilotagem.Mas na realidade não faço ideia,foi nesse contexto.
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Maio 21, 2008, 01:03:05 pm
Citação de: "zocuni"
Aqui a explicação são os argumentos que deram para acabar com bastantes unidades a Sul,uma vez que existem estudos das forças armadas em que os contingentes militares são do Norte,quem sabe também incrementaria a pilotagem.Mas na realidade não faço ideia,foi nesse contexto.


A instruçao basica de pilotagem esta baseada no sul por razoes muito simples:
- Melhor condiçoes atmosfericas, menos vento, chuva e, principalmente, nuvens (Beja e um "deserto" :evil: lagarto, lagarto) ha menos hipotese de acertar em alguma casa).
Título:
Enviado por: P44 em Maio 21, 2008, 01:30:45 pm
Citação de: "PereiraMarques"
Citação de: "zocuni"
Aqui a explicação são os argumentos que deram para acabar com bastantes unidades a Sul,uma vez que existem estudos das forças armadas em que os contingentes militares são do Norte,quem sabe também incrementaria a pilotagem.Mas na realidade não faço ideia,foi nesse contexto.

A instruçao basica de pilotagem esta baseada no sul por razoes muito simples:
- Melhor condiçoes atmosfericas, menos vento, chuva e, principalmente, nuvens (Beja e um "deserto" :evil: lagarto, lagarto) ha menos hipotese de acertar em alguma casa).


qual quê, a culpa é do Benfica! :lol:
Título:
Enviado por: zocuni em Maio 21, 2008, 01:50:01 pm
Citação de: "PereiraMarques"
A instruçao basica de pilotagem esta baseada no sul por razoes muito simples:
- Melhor condiçoes atmosfericas, menos vento, chuva e, principalmente, nuvens (Beja e um "deserto" :evil: lagarto, lagarto) ha menos hipotese de acertar em alguma casa).


Perfeito,concordo consigo.Agora, parece haver uma falta de pessoal para pilotar.

Abraços,
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Maio 21, 2008, 01:58:46 pm
:roll: Mas nao e por falta de candidatos...

E por dois motivos:
- saida precose de pilotos experientes em meio da carreira, nomeadamente Capitaes e Majores;
- seleccao de candidatos "super-rigorosa" a moda dos anos 60/70, portanto qualquer pequena falha ao nivel da audicao, visao, coluna/estrutura ossea, dentiçao, etc., e motivo de chumbo...

E muito vai dificil arranjar pilotos do que Comandos, Rangers, etc., alem de ter de serem 100% saudaveis e "autenticos atletas", ainda tem de ter conhecimentos medios/avançados de matematica e fisica...
Título:
Enviado por: zocuni em Maio 21, 2008, 02:04:02 pm
Agora estou inteiramente esclarecido,excelente sua resposta Pereira Marques.Continuamos com aquele modelo altamente selectivo e excludente.Deveriam ter outra doutrina.Sendo assim esqueça-se o Norte,nada como estar esclarecido.

Abraços,
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 21, 2008, 03:40:32 pm
Citação de: "PereiraMarques"
:roll: Mas nao e por falta de candidatos...

E por dois motivos:
- saida precose de pilotos experientes em meio da carreira, nomeadamente Capitaes e Majores;
- seleccao de candidatos "super-rigorosa" a moda dos anos 60/70, portanto qualquer pequena falha ao nivel da audicao, visao, coluna/estrutura ossea, dentiçao, etc., e motivo de chumbo...

E muito vai dificil arranjar pilotos do que Comandos, Rangers, etc., alem de ter de serem 100% saudaveis e "autenticos atletas", ainda tem de ter conhecimentos medios/avançados de matematica e fisica...


Pilotos e Prec's, uma das razões por haver tão pouco pessoal a acabr o curso é a exigência muito elevado logo à partida (tanto nos testes médicos como nos testes fisicos). O que faz com que não haja tantos problemas é que os graduados são todos QP e os praças estão lá por amor à camisola (6 anos de contratos e rua...) :roll:
Título:
Enviado por: ruben lopes em Maio 21, 2008, 03:50:12 pm
olá boa tarde a todos, porque esta é a primeira vez que me respondo aqui, porque à muito que me tinha registado mas esqueci-me desse promenor :D .





quanto ao assunto  do qual é aquisição mais cara do LPM, não sei qual será mas  possivelmente poderá ser a substituição do C-130 mas o mais estranho é que como está previsto (acho eu) o C-130 ser substituido pelo A400M(cadaum custa 100 milhões de €) e para que esta aquisição fosse mais cara que os submarinos, teria que se comprar 10 OU 11 A400M o que é estranho porque portugal nunca iria fazer um grande numero de aviões de transporte deste tamanho!!!
Título:
Enviado por: P44 em Maio 21, 2008, 03:54:43 pm
quais A400M, ? nós saímos desse consórcio ainda no tempo do paulo portas

Os subs são de certeza a compra mais cara, a não ser, como escreveu o Luso, que venha aí mais uma revisão da LPM e o CEMA se tenha "descaído"
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Maio 21, 2008, 03:56:44 pm
:roll:  :wink:

BPM
Título:
Enviado por: ruben lopes em Maio 22, 2008, 11:02:41 am
já saimos? então ok na boa! não sabia desse promenor :o
Título:
Enviado por: FAAS em Maio 22, 2008, 09:55:50 pm
Voltando então ao tema, afinal para quando estão previstas as entregas dos submarinos? Estava convencido que o primeiro estava programado para o próximo ano, é correcto?

Cumprimentos
Coiote
Título:
Enviado por: P44 em Maio 22, 2008, 10:05:42 pm
de
http://www.marinha.pt/Marinha/PT/Menu/D ... Treino.htm (http://www.marinha.pt/Marinha/PT/Menu/DescobrirMarinha/MeiosOperacionais/SubSuperficie/Submarinos/Submarinos+%28SS+PO+2000%29/Forma%C3%A7%C3%A3o+e+Treino.htm)

(http://www.marinha.pt/NR/rdonlyres/2BB76F24-28A3-4548-931C-15B83EA7C7FE/3722/tabelaFormacaoETreino.gif)

o primeiro é entregue em 2010(meados?) , o segundo seria no final de 2010(?) mas pelos vistos vai passar para 2011
Título:
Enviado por: jmg em Maio 24, 2008, 11:47:31 am
Só espero que aquando da chegada dos tão aguardados submarinos algum forista com acesso nos faça um convite para vermos as máquinas de perto.
Eu já estou em pulgas para que a nossa marinha recupere a sua credibilidade em guerra submarina.
Título:
Enviado por: P44 em Junho 06, 2008, 08:51:30 am
fotos de um "irmão" sul-coreano

http://img.blog.yahoo.co.kr/ybi/1/24/56 ... 593892.jpg (http://img.blog.yahoo.co.kr/ybi/1/24/56/shinecommerce/folder/295/img_295_18660_7?1212593892.jpg)
http://img.blog.yahoo.co.kr/ybi/1/24/56 ... 593892.jpg (http://img.blog.yahoo.co.kr/ybi/1/24/56/shinecommerce/folder/295/img_295_18660_5?1212593892.jpg)
http://img.blog.yahoo.co.kr/ybi/1/24/56 ... 593892.jpg (http://img.blog.yahoo.co.kr/ybi/1/24/56/shinecommerce/folder/295/img_295_18660_2?1212593892.jpg)

Será que tb teremos direito a ver algo do nosso NRP TRIDENTE, ou será tudo feito no maior secretismo como habitualmente :?:  :oops:  :?
Título:
Enviado por: Lightning em Junho 06, 2008, 06:52:05 pm
ENCONTREI!!!  :wink: .

E por acaso até consta da LPM como o sabio CEMA afirmou  :twisted: (não vale a pena perder tempo a ler texto).

A curiosidade é que o tal programa não pertence a nenhum ramo em particular, mas sim aos Serviços Centrais (seja lá isso o que for), o programa Capacidades Conjuntas (seja lá isso o que for).

Para finalizar vou por os valores
> Capacidade Submarina: 1.070,757 milhões de euros
> Capacidades Conjuntas: 1.716,589 milhões de euros


PS: Talvez seja o  custo dessa historia de unificar os Comandos Operacionais e os Estados-Maiores? :shock:
Título:
Enviado por: Lancero em Junho 06, 2008, 11:00:09 pm
As capacidades conjuntas é muita tralha, entre ela (se lá chegarmos) o NAVPOL.
Título:
Enviado por: Lightning em Junho 06, 2008, 11:09:09 pm
Citação de: "Lancero"
As capacidades conjuntas é muita tralha, entre ela (se lá chegarmos) o NAVPOL.


Está certo, eu pensei que o NAVPOL era a Capacidade Projecção de Força, talvez se refiram ao Corpo de Fuzileiros pois estranhei não os encontrar...
Título:
Enviado por: ruben lopes em Junho 07, 2008, 02:41:29 pm
o que é o NAVPOL? Há, esperem ai já sei, é aquele navio mítico que dizem que já NÃO VAI EXISTIR  :twisted:  :twisted:
Título:
Enviado por: Lightning em Junho 07, 2008, 04:11:42 pm
Citação de: "ruben lopes"
o que é o NAVPOL? Há, esperem ai já sei, é aquele navio mítico que dizem que já NÃO VAI EXISTIR  :twisted:  :twisted:


Quem é que disse isso?
Título:
Enviado por: ruben lopes em Junho 07, 2008, 05:30:41 pm
digo isto porque era para entrar em serviço antes de 2010 e parece que já não vai ser assim. e o que mais me odeia é que ainda não fizeram o contracto para a construção do navio e um navio tipo deste demora 5 a 7 anos a construir e depois tem que se esperar 2 a 4 anos para ser entregue.
e em vez de optar por um LPD de aspecto igual ao LPD Rotterdam, deveria-se comprar um LPD da classe Austin, que os americanos vão retirar da sua marinha ou então (se ouver dinheiro para este navio, o que é pouco provável :cry: ) abrir um contracto com os EUA para construirem um navio do tipo de navios da class San Antonio, que estão a entrar neste momento na marinha dos EUA, porque não entendo porque é que somos membros da Nato e não obtemos ajuda e nem cooperamos com os americanos em programas militares.
Título:
Enviado por: pmdavila em Junho 07, 2008, 05:47:40 pm
Ou seja, em vez de um LPD adequado às nossas necessidades (e novo), prefere um a cair de podre, ou um que leva mais tripulação que não sei o quê. Sim, sem contar com o magnífico preço de 1,7 mil milhões de dólares. Ora, o preço de um "Rotterdam" estima-se em cerca de 200-250 milhões de dólares. Já viu quantos é que dava para comprar com o custo de apenas um "San Antonio"?
Título:
Enviado por: P44 em Junho 07, 2008, 08:42:07 pm
Caro ruben

e que tal informar-se dos custos de um San Antonio antes de lançar ideias mirabolantes???? :roll:

Citar
While its design incorporates notable advances, the San Antonio Class has also had its share of teething problems. So, too, has the New Orleans shipyard to which most of this contract has been assigned. Teething issues are not uncommon in new ship classes, but the number of serious issues encountered in this ship class have been higher than usual. The initial ships have been criticized for sub-standard workmanship, and costs are almost twice the originally promised amounts at over $1.5 billion per ship.


http://www.defenseindustrydaily.com/lpd ... ted-02322/ (http://www.defenseindustrydaily.com/lpd17-san-antonio-class-the-usas-new-amphibious-ships-updated-02322/)
Título:
Enviado por: pmdavila em Junho 07, 2008, 08:47:44 pm
Citação de: "P44"
Caro ruben

e que tal informar-se dos custos de um San Antonio antes de lançar ideias mirabolantes???? :roll:

Citar
While its design incorporates notable advances, the San Antonio Class has also had its share of teething problems. So, too, has the New Orleans shipyard to which most of this contract has been assigned. Teething issues are not uncommon in new ship classes, but the number of serious issues encountered in this ship class have been higher than usual. The initial ships have been criticized for sub-standard workmanship, and costs are almost twice the originally promised amounts at over $1.5 billion per ship.

http://www.defenseindustrydaily.com/lpd ... ted-02322/ (http://www.defenseindustrydaily.com/lpd17-san-antonio-class-the-usas-new-amphibious-ships-updated-02322/)


Retirei o custo de 1,7 mil milhões do relatório do Congresso dos Estados Unidos sobre esta classe. É o que eles estimam que venha a custar o último a sair dos estaleiros...

Adiante, falemos de submarinos...
Título:
Enviado por: P44 em Junho 07, 2008, 08:52:14 pm
então ainda é pior, caro pmdavila c34x
Título:
Enviado por: ruben lopes em Junho 07, 2008, 10:01:10 pm
eu disse que queria um san antonio se houvesse dinheiro, ma scomo já vi que não há, então é para esquecer, então portugal deveria optar por um LPD com algumas exigências à HDW, para termos um LPD mais moderno .
Título:
Enviado por: JLRC em Junho 07, 2008, 10:12:29 pm
Citação de: "ruben lopes"

 e um navio tipo deste demora 5 a 7 anos a construir e depois tem que se esperar 2 a 4 anos para ser entregue.


 :shock:  :shock:  :shock:

Ó Ruben, quem lhe enfiou essa patranha? Eu sei que é novinho mas isso não significa que acredite em todas as patranhas que lhe contem...

Só para sua informação, o Rotterdam holandês demorou 2 anos entre o corte da 1ª chapa e a entrada em serviço. A quilha foi assentada em 23-02-96, foi lançado em 22-02-97 e entregue à Marinha holandesa em 10-12-97. O nosso projecto é semelhante ao Rotterdam.
Título:
Enviado por: NVF em Junho 08, 2008, 04:47:19 am
Felizmente para os holadenses, nao se tratava de um projecto complexo como, por exemplo, o dos NPO.  :mrgreen:
Título:
Enviado por: ruben lopes em Junho 08, 2008, 11:18:49 am
pois, mas não se esqueçam que estamos em Portugal, a terra dos atrasos.
Título:
Enviado por: ruben lopes em Junho 08, 2008, 06:29:10 pm
bem e agora acerca dos submarinos:



http://www.marinha.pt/Marinha/PT/Menu/D ... SS+PO+2000 (http://www.marinha.pt/Marinha/PT/Menu/DescobrirMarinha/MeiosOperacionais/SubSuperficie/Submarinos/Submarinos+(SS+PO+2000))/

Nesta página, há várias informações sobre os submarinos.
Se carregarem em Integração, verão o uso de vários dispoisitivos navais e faltá-nos só o NAVPOL  para ficar completo  (o satélite que estão a ver em cima , na imagem, é um dispositivo provavelmente estrangeiro, para a ajudar as forças navais no planeta)
Título:
Enviado por: ruben lopes em Junho 08, 2008, 06:41:28 pm
bem e agora acerca dos submarinos:



http://www.marinha.pt/Marinha/PT/Menu/D ... SS+PO+2000 (http://www.marinha.pt/Marinha/PT/Menu/DescobrirMarinha/MeiosOperacionais/SubSuperficie/Submarinos/Submarinos+(SS+PO+2000))/

Nesta página, há várias informações sobre os submarinos.
Se carregarem em Integração, verão uma imagem onde está uma legenda abaixo, das capacidades da força naval oceânica, só nos falta a Capacidade da Projecção da Força, que é o NAVPOL (o satélite que vêm acima é estrangeiro, provavelmente americano, pois como é que portugal ia construir e depois por um satélite no espaço?)   :lol:  :lol:
Título:
Enviado por: ruben lopes em Junho 08, 2008, 07:02:42 pm
bem, agora acerca dos submarinos:

http://www.marinha.pt/Marinha/PT/Menu/D ... ubmarinos/ (http://www.marinha.pt/Marinha/PT/Menu/DescobrirMarinha/MeiosOperacionais/SubSuperficie/Submarinos/)

carregam depois em SS PO 2000, e lá há informações acerca dos novos submarinos. Se  carregarem  em Integração, verão um imagem sobre a Capacidade da Força Naval oceânica com uma legenda abaixo com todas as capacidades da força naval, juntamente com os submarinos, (apenas no falta a Capacidade de Projecção da Força, ou seja, o NAVPOL), e o satélite, é um satélite estrangeiro, provavelmente americano, para detectar e avisar à força naval sobre forças inimigas próximas.
Título:
Enviado por: Nuno Calhau em Junho 08, 2008, 07:02:42 pm
Meu caro Ruben.

Como?
Com a colaboração da Agência Espacial Europeia, como haveria de ser!
E não seria o primeiro a ser construído...

PoSat-1, diz-lha alguma coisa?
Bem em 1993 o meu caro ainda não existia, ou já?

Um Abraço.
Título:
Enviado por: ShadIntel em Junho 08, 2008, 07:06:45 pm
Citação de: "ruben lopes"
bem e agora acerca dos submarinos:

http://www.marinha.pt/Marinha/PT/Menu/D ... SS+PO+2000 (http://www.marinha.pt/Marinha/PT/Menu/DescobrirMarinha/MeiosOperacionais/SubSuperficie/Submarinos/Submarinos+(SS+PO+2000))/

Nesta página, há várias informações sobre os submarinos.
Se carregarem em Integração, verão uma imagem onde está uma legenda abaixo, das capacidades da força naval oceânica, só nos falta a Capacidade da Projecção da Força, que é o NAVPOL
Muito obrigado, professor Ruben. Por acaso, não conhecia o site da nossa Marinha, nem a página referente ao programa dos submarinos, actualizada pela última vez uns quatro anos atrás, e com muita "informação" ainda anterior à assinatura do contrato... :lol:  :lol:[/quote]
Ser realista quanto às nossas capacidades, que de facto não são muitas, é uma coisa; gozar com os feitos do seu próprio país, com base em informação errada (ou será simplesmente ausência de pesquisa da informação), é outra. Portugal já participou na concepção de um satélite, que foi lançado por um foguetão Ariane em 1993.

http://www.ineti.pt/projectos/descricao ... x?id=11198 (http://www.ineti.pt/projectos/descricao_projecto.aspx?id=11198)
http://www.skyrocket.de/space/doc_sdat/posat-1.htm (http://www.skyrocket.de/space/doc_sdat/posat-1.htm)

Ainda é jovem, mas já tem idade para pensar antes de escrever disparate atrás de disparate.

Cumprimentos.
Título:
Enviado por: ruben lopes em Junho 08, 2008, 07:15:09 pm
a sério temos um satélite? :o  :o
ÓPTIMO!!!!!!!!
e já agora, nasci em 1992, tenho 15 anos, demasiado novo, não é? :D  :D

e este satélite, é de detecção?
Título:
Enviado por: ShadIntel em Junho 08, 2008, 07:21:35 pm
:sil:

Acho que estou a precisar de uma bebida... forte...
Título:
Enviado por: ruben lopes em Junho 08, 2008, 07:49:41 pm
EU NÃO SABIA QUE EXISTIA UM  SATÉLITE PORTUGUÊS :x  :x
SÓ COMECEI A  INTERESAR-ME SOBRE ASSUNTOS MILITARES À UM ANO E MEIO :evil:  :evil:  :twisted:  :twisted:  :twisted:  :twisted:  :twisted:  :twisted:
Título:
Enviado por: Nuno Calhau em Junho 08, 2008, 07:57:42 pm
Não grite!

Ninguém aqui é surdo, pelo menos nos olhos.


ShadIntel, eu acompanho-o.
Que tal uma CRF reserva?

Um Abraço.

PS
É verdade, este espaço não é nenhum infantário para aturarmos birras
Título:
Enviado por: ShadIntel em Junho 08, 2008, 08:10:54 pm
Boa escolha. Saúde.  :evil:
Quando penso na dificuldade que eu tinha à mesma idade para encontrar este tipo de informações, sem internet, com poucas publicações disponíveis... Lá ia encontrando uns dados num livro, umas linhas numa revista...  :roll:

Abraços.
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Junho 08, 2008, 08:11:15 pm
Calma Ruben.
Tome dois Xanax, conte até cem, e deixe de ver os Tokyo Hotel, que lhe arrazam os nervos.
Título:
Enviado por: JLRC em Junho 08, 2008, 08:11:21 pm
Citação de: "Nuno Calhau"
Não grite!

Ninguém aqui é surdo, pelo menos nos olhos.


ShadIntel, eu acompanho-o.
Que tal uma CRF reserva?

Um Abraço.

PS
É verdade, este espaço não é nenhum infantário para aturarmos birras


Também posso participar na CRF? Da velha, claro  :wink:
Título:
Enviado por: ruben lopes em Junho 08, 2008, 09:01:34 pm
caro luis filipe, para começar, não gosto de tokio hotel
e  agora  a todos, insultarem-me não me afecta nada :D  :D
o que eu não gosto é que quando mando mensagem ficam todos contrariados e respondem de uma forma, não muita, mas algo agressiva ou gozam, só porque não sei uma coisa.
Título:
Enviado por: P44 em Junho 08, 2008, 09:06:26 pm
Salvo erro o po-sat1 já não desempenha nenhuma tarefa especifica, embora ainda "ande por aí" (tipo santana lopes :mrgreen: )

Ou estou enganado?
Título:
Enviado por: ShadIntel em Junho 08, 2008, 09:21:40 pm
Citação de: "P44"
Salvo erro o po-sat1 já não desempenha nenhuma tarefa especifica, embora ainda "ande por aí" (tipo santana lopes :mrgreen: )

Ou estou enganado?

Pelo menos, ainda emite sinal:

http://www.n2yo.com/?s=22826 (http://www.n2yo.com/?s=22826)

Duvido que faça muito mais...
Título:
Enviado por: Nuno Calhau em Junho 08, 2008, 10:28:21 pm
Verdade P44!

Mas superou as espectactivas de longevidade apontadas pelo seu "pai", Fernando Carvalho Rodrigues.
E o cerne da questão aqui, era a capacidade de produção desenvolvimento e colocação em orbita, por parte de Portugal de um "satelite".
Tudo isso foi alcançado com o Posat-1.
De forma modesta é certo, mas...

Um Abraço.
Título:
Enviado por: JLRC em Junho 08, 2008, 10:57:55 pm
Citação de: "P44"
Salvo erro o po-sat1 já não desempenha nenhuma tarefa especifica, embora ainda "ande por aí" (tipo santana lopes :lol:
Título:
Enviado por: Leonidas em Junho 09, 2008, 12:52:07 am
Citar
"... dentro de seis semanas teremos o lançamento à água do primeiro dos novos submarinos, o NRP Tridente, ...


FONTE:
http://www.correiomanha.pt/noticia.aspx ... 0000000010 (http://www.correiomanha.pt/noticia.aspx?contentid=D8BB2C1F-0C3A-4ED1-BFD2-E9859571C57A&channelid=00000010-0000-0000-0000-000000000010)


AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH :banana:  :banana:
Título:
Enviado por: P44 em Junho 09, 2008, 05:01:52 pm
^^ ^alguém arranje um XANAX ao Leonidas :wink:
infelizmente tudo ficou em águas de bacalhau :cry:

[/offtopic]
Título:
Enviado por: nelson38899 em Junho 09, 2008, 05:31:22 pm
Citação de: "P44"
^^ ^alguém arranje um XANAX ao Leonidas :wink:
infelizmente tudo ficou em águas de bacalhau :cry:

[/offtopic]

Continuando mais um bocado no offtopic, Portugal lançou um satélite feito exclusivamente português, mas isso não quer dizer que deixamos essa area, basta ver as ultimas noticias de duas instituições a FEUP e a Eface . elas não os fazem do principio ao fim mas continuam a desenvolver componentes para os satelites.

Citar
Tecnologia: Laboratório espacial europeu leva tecnologia portuguesa
 
 
 
Lisboa, 06 Dez (Lusa) - O novo laboratório espacial europeu Columbus parte hoje para a Estação Espacial Internacional a bordo do Atlantis, levando a bordo tecnologia portuguesa totalmente concebida pelo grupo Efacec, segundo fonte da empresa.

 
 
"É uma bandeira a nível nacional, porque é a primeira vez que um voo espacial integra tecnologia portuguesa de raiz. E para nós também é muito importante, porque significa um poço de conhecimento numa área de ponta", disse à agência Lusa o administrador executivo do grupo Efacec Alberto Barbosa.

Denominado EuTEMP, o equipamento espacial foi integralmente concebido e produzido pela Efacec, certificado pela NASAa e Agência Espacial Europeia (ESA), e vai integrar a missão que começa hoje com a partida da nave espacial `Atlantis` do Cabo Canaveral, na Florida (EUA), para a Estação Espacial Internacional.

"É a primeira vez que vai ser instalado [no espaço] um módulo, em que todo o processo, desde a concepção até ao desenvolvimento, passando pelo projecto, hardware e software, electrónica e mecânica, foi totalmente produzido em Portugal pelos engenheiros da Efacec", frisou Alberto Barbosa.

O EuTEMP será montado na parte externa do módulo europeu Columbus, com o objectivo de medir a temperatura num "momento crítico": quando o astronauta sai para a montagem no próprio Columbus da Plataforma de Experiências Externa da ESA (EuTEF), dedicada à demonstração em órbita de tecnologias espaciais.

"O equipamento vai permanecer bastante tempo no espaço, mas o momento crítico da sua função é durante a montagem do Columbus, durante duas ou três horas, altura em que vai medir as variáveis físicas, a temperatura de vários pontos, uma fase em que a temperatura pode descer a valores muito baixos", explicou.

Apesar das simulações que têm em consideração os fluxos térmicos, podem surgir situações imprevisíveis, havendo por isso necessidade de monitorizar as temperaturas dos vários instrumentos da plataforma, acrescentou.

Concebido durante mais de dois anos, o EuTEMP é uma unidade de medida e aquisição de temperatura de pequenas dimensões, autónoma e alimentada por baterias, que foi construído de modo a resistir às temperaturas do ambiente espacial pelo menos durante diversos dias após o seu lançamento.

O EuTEMP transmitirá os dados para a Terra, através do Columbus, e foi construído para se manter três anos no espaço, podendo funcionar isolado durante 30 dias.

A partir de agora, além dos laboratórios norte-americano e russo, a Estação Espacial Internacional passa também a ter um laboratório europeu, cuja construção começou em 1992 com um custo de 1,3 mil milhões de euros, onde podem ser feitas várias experiências na área da biotecnologia e medicina, entre outras.

Portugal aderiu à ESA em 2000 como estado membro, tendo sido criada uma Task-Force ESA-Portugal, que financiou o EuTEMP, com a missão de apoiar a integração de Portugal nas actividades da ESA no período de transição que termina este ano.

Uma das suas missões é promover a indústria portuguesa no mercado espacial, nomeadamente a Efacec, uma das empresas portuguesas mais envolvidas nas actividades de desenvolvimento de equipamentos para a ESA e o maior grupo no mercado de engenharia electrotécnica no país.

A Efacec tem ainda em curso diversos outros projectos nesta área como o CTTB (Component technology test bed), um projecto com o objectivo de testar o comportamento de diferentes tecnologias electrónicas quando sujeito a determinados ambientes do espaço.

As fases iniciais do projecto já foram adjudicadas à Efacec, tendo sido esta semana aprovada formalmente a sua incorporação na carga do satélite de telecomunicações Alphasat. O maior grupo eléctrico aguarda a adjudicação do modelo final ainda este mês.

O MFS é outro projecto e trata-se de um monitor de radiação para ambientes espaciais, que está a ser desenvolvido para a missão Bepicolombo que irá a Mercúrio em 2012.

JMG

Lusa/Fim
Título:
Enviado por: jmg em Junho 09, 2008, 06:25:03 pm
Citação de: "ShadIntel"
Citação de: "P44"
Salvo erro o po-sat1 já não desempenha nenhuma tarefa especifica, embora ainda "ande por aí" (tipo santana lopes :G-Ok:
Já está nos fávoritos, para elevar o meu profundo patriotismo de vez em quando e ver aonde é que anda o nosso satelite.
Título:
Enviado por: Sintra em Junho 10, 2008, 04:28:05 am
ShadIntel

 Obrigado pelo Link  :lol:
Título:
Enviado por: ruben lopes em Junho 10, 2008, 04:49:38 pm
voltando ao assunto dos submarinos, afinal, portugal vai adiar o 2º submarino para 2011 lá por causa do défice orçamental?
Título:
Enviado por: lexivia em Junho 10, 2008, 08:01:53 pm
Citação de: "ruben lopes"
voltando ao assunto dos submarinos, afinal, portugal vai adiar o 2º submarino para 2011 lá por causa do défice orçamental?


Não sei se é um facto ou se será por essa razão, pois julgo que terá de entrar para o orçamento e subsequentemente para as contas públicas o valor total da compra, isto é, dos dois submarinos no ano de entrega do equipamento, mesmo que seja apenas o primeiro de dois a ser entregue.
Abraço!
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Junho 10, 2008, 09:00:54 pm
Lexivia escreveu:
Citar
Não sei se é um facto ou se será por essa razão, pois julgo que terá de entrar para o orçamento e subsequentemente para as contas públicas o valor total da compra, isto é, dos dois submarinos no ano de entrega do equipamento, mesmo que seja apenas o primeiro de dois a ser entregue.

Só é contado o que for entregue nesse ano.
Título:
Enviado por: lexivia em Junho 10, 2008, 11:55:40 pm
Citação de: "luis filipe silva"
Lexivia escreveu:
Citar
Não sei se é um facto ou se será por essa razão, pois julgo que terá de entrar para o orçamento e subsequentemente para as contas públicas o valor total da compra, isto é, dos dois submarinos no ano de entrega do equipamento, mesmo que seja apenas o primeiro de dois a ser entregue.
Só é contado o que for entregue nesse ano.


Pensei que assim fosse, pois como a compra é por leasing e pensei que após a entrega do primeiro submarino se comece a pagar o leasing dos dois equipamentos.
Título:
Enviado por: lurker em Junho 11, 2008, 12:35:57 am
O pagamento dos submarinos vai ser, de facto, ser feito dessa forma.

Contudo, a UE emitiu uma regra (quiçá para desincentiar este tipo de manobra) em que obriga a que para efeitos do cálculo do défice para o Pacto de Estabilidade e Crescimento, o custo total do equipamento seja contabilizado no ano em que é fisicamente entregue.
Título:
Enviado por: ruben lopes em Junho 14, 2008, 04:21:07 pm
http://www.globalsecurity.org/military/ ... 0-pics.htm (http://www.globalsecurity.org/military/world/europe/ss-po-2000-pics.htm)

imagens acerca dos novos submarinos, num site estrangeiro (mas imagens foram feitas em portugal)
Título:
Enviado por: AMRAAM em Junho 14, 2008, 05:56:46 pm
Bueno,a ver si me pueden ayudar los foreros portugueses.. :wink: ,he visto como se han llevado a cabo estos dias diversas pruebas satisfactorias del misil IDAS,lanzado desde submarinos.Segun parece estos misiles armaran a los submarinos u-212 alemanes.Pues nada aqui va mi pregunta...¿Tiene pensado la armada portuguesa contar con estos misiles en un futuro no muy lejano para equipar a sus u-209PN?
SALUDOS!!
Título:
Enviado por: P44 em Junho 14, 2008, 05:59:59 pm
Citação de: "ruben lopes"

http://www.globalsecurity.org/military/ ... 0-pics.htm (http://www.globalsecurity.org/military/world/europe/ss-po-2000-pics.htm)

imagens acerca dos novos submarinos, num site estrangeiro (mas imagens foram feitas em portugal)


foram retirados do site da Marinha, se não me falha a memória, há já uns bons 4-5 anos ou mais :wink:
Título:
Enviado por: ruben lopes em Junho 14, 2008, 06:07:30 pm
aqui, neste artigo do site areamilitar, sobre os armamentos usados nos novos submarinos, diz que talvez no futuro o míssil IDAS possa ser usado neles :

http://www.areamilitar.net/analise/anal ... ria=42&p=2 (http://www.areamilitar.net/analise/analise.aspx?NrMateria=42&p=2)

para mim o que era optimo, era equipar um submarino com um missil do tipo anti-navio e o outro submarino com o missil IDAS. era uma óptima escolha, não era?
Título:
Enviado por: Lightning em Junho 14, 2008, 06:12:12 pm
Ruben Lopes, quando te apetecer mudar um texto que já tenhas escrito, não tens que escrever outro quase igual, basta carregares onde diz "editar" assim só tens que alterar o que achares melhor, nem tens que voltar a escrever tudo de novo  :wink: .
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Junho 14, 2008, 09:16:26 pm
AMRAAM escreveu:
Citar
.¿Tiene pensado la armada portuguesa contar con estos misiles en un futuro no muy lejano para equipar a sus u-209PN?
SALUDOS!!

Os submarinos são um ponto muito sensivel para o contribuinte português. Na minha opinião pessoal, creio que nenhum governo futuro irá autorizar vebas para uma arma que não se justifica nos U209PN. O nosso cenário não são águas fechadas e com forte oponência aérea.
Se levar os SubHarpoon como está previsto, e não houver problemas com o AIP, já terão uma boa defesa.Uma contra navios, e outra que lhe aumenta a furtividade.
Título:
Enviado por: AMRAAM em Junho 15, 2008, 02:40:28 am
Citação de: "luis filipe silva"
AMRAAM escreveu:
Citar
.¿Tiene pensado la armada portuguesa contar con estos misiles en un futuro no muy lejano para equipar a sus u-209PN?
SALUDOS!!
Os submarinos são um ponto muito sensivel para o contribuinte português. Na minha opinião pessoal, creio que nenhum governo futuro irá autorizar vebas para uma arma que não se justifica nos U209PN. O nosso cenário não são águas fechadas e com forte oponência aérea.
Se levar os SubHarpoon como está previsto, e não houver problemas com o AIP, já terão uma boa defesa.Uma contra navios, e outra que lhe aumenta a furtividade.

Gracias por la respuesta!! :wink:
Título:
Enviado por: ruben lopes em Junho 16, 2008, 06:16:47 pm
ok, eu não entendo.
há fotos dos U-214 da Grécia, mas na fotos dos nossos U-209PN, já que o NRP Tridente vai começar  a navegar  para ai daqui a um mês.
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Junho 16, 2008, 07:54:45 pm
Ruben Lopes escreveu:
Citar
há fotos dos U-214 da Grécia, mas na fotos dos nossos U-209PN, já que o NRP Tridente vai começar a navegar para ai daqui a um mês

Onde é que leu que vai começar a navegar daqui a um mês? O Tridente só será entregue em 2010.

Do discurso do CEMA no Funchal.
Se é certo que dentro de seis semanas teremos o lançamento à água do primeiro dos novos submarinos, o N.R.P. Tridente, e no fim deste ano iremos receber a primeira das duas fragatas adquiridas à Holanda, o N.R.P. Bartolomeu Dias, continuam por operacionalizar três importantes programas de meios navais: o Navio Polivalente Logístico, (o mais conjunto de todos os meios do sistema de forças) as Lanchas de Fiscalização Costeira e os Navios de Patrulha Oceânica.
Título:
Enviado por: ruben lopes em Junho 16, 2008, 10:07:03 pm
era isso o que eu estava a dizer.
que o NRP Tridente vai ser lançado à água, segundo as minhas contas, daqui a três semanas.
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Junho 17, 2008, 03:10:52 am
Ruben Lopes escreveu:
Citar
era isso o que eu estava a dizer.
que o NRP Tridente vai ser lançado à água, segundo as minhas contas, daqui a três semanas.
Não não era isso o que estava a dizer. O Ruben escreveu que:
Citar
há fotos dos U-214 da Grécia, mas na fotos dos nossos U-209PN, já que o NRP Tridente vai começar a navegar para ai daqui a um mês

O ser lançado à água significa que o casco é posto a flutuar, sendo depois acabado. No caso, daqui a dois anos.
Título:
Enviado por: P44 em Junho 17, 2008, 08:23:33 am
ruben...

Nenhum navio é lançado á água completamente terminado, percebe????

o lançamento á água é seguido da fase de aprestamento, feita com o navio a flutuar, amarrado ao cais, e é aí que os sistemas são instalados a bordo e o navio é completado...
Título:
Enviado por: ruben lopes em Junho 17, 2008, 02:23:22 pm
bem, vocês me odeiam, já vi que sim.
Título:
Enviado por: Daniel em Junho 17, 2008, 02:30:20 pm
ruben lopes
Citar
bem, vocês me odeiam, já vi que sim.


Calma caro ruben, aqui ninguem odeia ninguem, :wink:  :jok:
Título:
Enviado por: P44 em Junho 17, 2008, 02:45:35 pm
Citação de: "ruben lopes"
bem, vocês me odeiam, já vi que sim.


eu não odeio ninguém pá (humm.... :roll:   ), estamos aqui para aprender uns com os outros!

é só isso, quando algúem faz uma afirmação "vcs estão todos errados!", eu gosto de tentar perceber porquê.
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Junho 17, 2008, 02:52:36 pm
Citar
bem, vocês me odeiam, já vi que sim.

É pá faça-se um homem e deixe-se de choraminguisses. Não pode ser contrariado, paciência. Isso é um mau principio para a sua formação como cidadão. Sinceramente Ruben. Reveja a sua actuação com calma e medite bem.... c34x
Título:
Enviado por: ShadIntel em Junho 17, 2008, 03:29:58 pm
Citação de: "ruben lopes"
bem, vocês me odeiam, já vi que sim.

Ruben, o que é que isto tem a ver com ódio?  :roll:
Apenas porque escreveu alguns disparates? Todos o fazemos, com mais ou menos frequência. O importante é tentar corrigir-se, e aceitar as correcções feitas pelos outros. Só posso falar por mim, mas estou pronto a "começar de novo": não lhe mando mais bocas, e por sua vez o Ruben tenta pensar e pesquisar um pouco antes de fazer afirmações sem fundamento.
Mas, por favor, deixe de lado qualquer delírio de perseguição, porque acredite que temos todos coisas mais interessantes para fazer...
Título:
Enviado por: Lightning em Junho 17, 2008, 03:33:33 pm
Citação de: "ruben lopes"
bem, vocês me odeiam, já vi que sim.


Eu já ia mandar uma boca a esse português :lol:  :lol: mas para não ferir os sentimentos só ponho a negrito para perceberem.
Título:
Enviado por: Daniel em Junho 17, 2008, 03:44:45 pm
Meus caros, vamos a ter paciência com o ruben, pois tem apenas 15 anos, precisa de ser ensinado, creio que está no lugar certo para aprender com todos vcs, que estão dentro dos assuntos militares, não vamos cair em cima, creio que se está um pouco a massacrar o jovem, lembrar 15 anos. c34x
Título:
Enviado por: Nuno Calhau em Junho 17, 2008, 06:32:30 pm
O menino que aprenda em silêncio!
Ou então, seja humilde e não impertinente, lembre-se que está entre Homens.
Pois eu quando tinha a idade dele, se me porta-se da forma como ele se comporta, estava logo a "encher".

Um Abraço
Título:
Enviado por: Luso em Junho 17, 2008, 08:03:06 pm
Citação de: "ruben lopes"
bem, vocês me odeiam, já vi que sim.


Eu sim.
E cada vem mais.
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Junho 17, 2008, 09:12:09 pm
Citar
Meus caros, vamos a ter paciência com o ruben, pois tem apenas 15 anos, precisa de ser ensinado,

Pois aos 16 anos entrei eu para a tropa. Antes disso os meus pais ensinaram-me umas coisas, acerca de como estar em sociedade. Presentemente desço até eles!....
Título:
Enviado por: Luso em Junho 17, 2008, 10:00:17 pm
Pessoal - por muito que nos custe - vamos manter o sentido do tópico, peço-vos... :wink:

O maroto será trucidado em breve: eu e os restantes moderadores já estamos a tratar disso.
Título:
Enviado por: de la Perière em Junho 17, 2008, 11:41:26 pm
Citação de: "Nuno Calhau"
O menino que aprenda em silêncio!
Ou então, seja humilde e não impertinente, lembre-se que está entre Homens.
Pois eu quando tinha a idade dele, se me porta-se da forma como ele se comporta, estava logo a "encher".

Um Abraço


Para quem tem tanta antiguidade era melhor começar a aprender a escrever em português! Devemos educar os miúdos mas escusamos de os trucidar, senão afastamo-los. E para quem se engana, andam a atirar muitas pedras!
Título:
Enviado por: JLRC em Junho 17, 2008, 11:52:01 pm
Citação de: "Lightning"
Citação de: "ruben lopes"
bem, vocês me odeiam, já vi que sim.

Eu já ia mandar uma boca a esse português :lol:  :wink:  (sem ódios)
Título:
Enviado por: Luso em Junho 18, 2008, 12:03:04 am
Um apreciador de Chesterton! :shock:  :shock:
Título:
Enviado por: ShadIntel em Junho 18, 2008, 12:06:41 am
Citação de: "de la Perière"
Para quem tem tanta antiguidade era melhor começar a aprender a escrever em português! Devemos educar os miúdos mas escusamos de os trucidar, senão afastamo-los. E para quem se engana, andam a atirar muitas pedras!

Caro de la Perière, que tal dar uma vista de olhos ao histórico das mensagens do nosso jovem amigo? Muitas coisas lhe foram explicadas com toda a calma e respeito possível, corrigimos pacientemente inúmeros erros, demo-nos ao trabalho de colocar ligações para toda a informação necessária, com o intuito de o ajudar a perceber um mínimo dos assuntos discutidos aqui... Tudo indica que o Ruben, até agora, não procurou assimilar essas informações, e persistiu em afirmar que tem razão e que estamos todos errados. Para podermos "educar os miúdos", é indispensável que os tais miúdos queiram ser educados...

Cumprimentos.
Título:
Enviado por: Luso em Junho 18, 2008, 12:14:36 am
Citação de: "ShadIntel"
Para podermos "educar os miúdos", é indispensável que os tais miúdos queiram ser educados...


Comentário oportuno e que deve ser aplicado a alguns dos foristas mais novos que estão cheios de... "vitalidade".
Como já aqui foi dito, tais foristas já foram advertidos por diversas vezes. E como compreenderão, não parece muito correcto ficar refém do perigo de "afastar os miúdos".

Um pouco de "trucidamento" faz/fez bem a muita gente. :wink:

Oh pessoal mais novo: leram isto?
Peço-vos que pensem bem antes de "postar" senão chamo o Papatango para falar convosco.

Depois deste interlúdio, pedia-vos que seguissem para o tema do tópico, por favor.
Título:
Enviado por: Instrutor em Junho 18, 2008, 09:50:53 am
Gostaria de saber se os sub ja tem número atribuido vão ser S???
Título:
Enviado por: P44 em Junho 18, 2008, 09:58:57 am
Lógicamente a sequência seria "S167" e "S168" ?

Ou então "andar para trás" e serem "S160" e "S161"????

O pessoal dos subs se calhar sabe
Título:
Enviado por: Instrutor em Junho 18, 2008, 10:10:36 am
Também acho caro P44 que o mais lógico serem o S-167 e S-168, vamos ver.
E quanto a cor dos Submarinos que cor têm? Por acaso nunca estive perto dum Sub, a cor deles é aquele verde caracteristico das nossas Fragatas?? Eu apostava numa cor mais em moda um azul bebe ou cor de rosa, isto claro para enganar o inimigo, mal vissem um submarino com estas cores riam-se logo e era nessa altura que os sub lançavam as garras de fora e atacavam sem piedade o IN, um autêntico lobo vestido com pele de cordeiro :lol: , agora a sério, que cor é mais caracteristico nos SUB.
Título:
Enviado por: P44 em Junho 18, 2008, 10:13:14 am
Oh Camarada

Então não tens visto as fotos de outros subs? :wink:
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Junho 18, 2008, 10:14:12 am
Nos submarinos portugueses actuais é o preto. Até aos anos 60 do Século XX eram cinzentos.
Título:
Enviado por: P44 em Junho 18, 2008, 10:16:00 am
Citação de: "luis filipe silva"
Nos submarinos portugueses actuais é o preto. Até aos anos 60 do Século XX eram cinzentos.


não eras tu que tinhas aí á mão de semear fotos dos antigos classe N para ilustrar? :wink:

Editado:
>>> o antigo S-160 NRP NARVAL

(http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/2/2c/HMS_Spur.jpg)

http://de.wikipedia.org/wiki/Narval_(S160 (http://de.wikipedia.org/wiki/Narval_(S160))
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Junho 18, 2008, 10:49:48 am
Existe aqui no fórum um tópico em Armadas Sistemas de Armas, com a história dos nossos subs e algumas fotos:
http://www.forumdefesa.com/forum/viewtopic.php?t=1113 (http://www.forumdefesa.com/forum/viewtopic.php?t=1113)
Título:
Enviado por: jmg em Junho 18, 2008, 07:22:33 pm
O preto não deve ser só por causa da côr mas talvez também por causa das próprias caracteristicas da pintura. Furtividade????
Título:
Enviado por: DC 38 em Junho 18, 2008, 09:07:13 pm
Citação de: "P44"
Oh Camarada

Os subs regra geral são pintados de preto, a única excepção que conheço são os subs de Israel que são esverdeados...acho que tem a ver com a cor das águas do Mediterraneo naquela zona :wink:


Está corretissimo, mas até os Israelitas estão a voltar à cor preta nos seus Subs. Os novos Subs Israelitas vão ser pretos e está previsto a mudança de cor no Dolphin" na proxima GR.
Título:
Enviado por: ruben lopes em Junho 20, 2008, 02:07:29 am
ai é e vou continuar a mandar mensagens, nem que as apagem.
o senhor intolerante LUSO e outros caros foristas que não deixa pessoas mais novas socializarem-se, É UMA  POUCA VERGONHA.
VÁ APAGA LÁ OUTRA VEZ LUSO, SEU COBARDE, não me consegues enfrentar ou dizer alguma coisa? :twisted:
Título:
Enviado por: lexivia em Junho 20, 2008, 03:08:23 am
Citação de: "ruben lopes"
ai é e vou continuar a mandar mensagens, nem que as apagem.
o senhor intolerante LUSO e outros caros foristas que não deixa pessoas mais novas socializarem-se, É UMA  POUCA VERGONHA.
VÁ APAGA LÁ OUTRA VEZ LUSO, SEU COBARDE, não me consegues enfrentar ou dizer alguma coisa? :twisted:


Caro colega forista, eu também, sou relativamente recente do fórum, não sou nem pretendo ser militar, gosto e interesso-me pelos assuntos aqui retratados e nunca tive problemas como os seus no fórum e não me abstenho de comentar e fazer perguntas. Está claro que pensar no que se vai escrever, ser lógico, aceitar críticas, não pensar ser dono da razão e ser bem educado ajuda e muito à uma participação saudável aqui no Fórum Defesa.
Um abraço!
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Junho 20, 2008, 12:11:49 pm
Citar
ai é e vou continuar a mandar mensagens, nem que as apagem.
o senhor intolerante LUSO e outros caros foristas que não deixa pessoas mais novas socializarem-se, É UMA POUCA VERGONHA.
VÁ APAGA LÁ OUTRA VEZ LUSO, SEU COBARDE, não me consegues enfrentar ou dizer alguma coisa? Twisted Evil


Jovem com atitudes destas arriscas-te a ser expulso do fórum! Além de ameaçares estás a faltar ao respeito aos mais velhos.
Título:
Enviado por: JLRC em Junho 20, 2008, 01:53:00 pm
Citação de: "lexivia"
Citação de: "ruben lopes"
ai é e vou continuar a mandar mensagens, nem que as apagem.
o senhor intolerante LUSO e outros caros foristas que não deixa pessoas mais novas socializarem-se, É UMA  POUCA VERGONHA.
VÁ APAGA LÁ OUTRA VEZ LUSO, SEU COBARDE, não me consegues enfrentar ou dizer alguma coisa? :twisted:

Caro colega forista, eu também, sou relativamente recente do fórum, não sou nem pretendo ser militar, gosto e interesso-me pelos assuntos aqui retratados e nunca tive problemas como os seus no fórum e não me abstenho de comentar e fazer perguntas. Está claro que pensar no que se vai escrever, ser lógico, aceitar críticas, não pensar ser dono da razão e ser bem educado ajuda e muito à uma participação saudável aqui no Fórum Defesa.
Um abraço!


Escreveu muito bem lexivia. Eu não o teria feito melhor. O Rubén, com as atitudes que tem tomado, arrisca-se a que ninguém lhe ligue. Eu já desisti de lhe responder.
Título:
Enviado por: ruben lopes em Junho 20, 2008, 02:42:17 pm
Cabecinhas, eu não quer ser violento :cry: , só quero socializar e conversar com a gente, fico assim porque respondem com uma agressividade horrivel.
não fui expulso,mas já me estão a apagar as imagens, pois o LUSO disse que o ia fazer, e até já o fez.
Título:
Enviado por: Johnny em Junho 20, 2008, 03:40:56 pm
Quais imagens???
Título:
Enviado por: Bulldozer em Junho 20, 2008, 03:54:00 pm
Citação de: "Instrutor"
E quanto a cor dos Submarinos que cor têm? (...) Eu apostava numa cor mais em moda um azul bebe ou cor de rosa, isto claro para enganar o inimigo, mal vissem um submarino com estas cores riam-se logo e era nessa altura que os sub lançavam as garras de fora e atacavam sem piedade o IN, um autêntico lobo vestido com pele de cordeiro :lol: .


Não vejo porque, à semelhança de outros ilustres representantes de Portugal, não se pede tambem à Fatima Lopes ou ao Tenente para darem uma nova e inovadora "roupagem"  aos nossos Tridentes... mas se é so pintura que pretendem... talvez a Paula Rego dê umas Pinceladas!!! ...lol.... Ficariamos certamente com os equipamentos mais avançados do mundo, por fora obviamente! Aí sim, deixariam de existir frotas, inimigos, guerras..... seria tudo classificado como "Fashion Victims"
Título:
Enviado por: Lightning em Junho 20, 2008, 05:07:01 pm
Por acaso apagaram uma mensagem minha em resposta ao Ruben, não sei o que terei escrito de mal mas também não vou fazer birrinha...

Siga a Marinha.
Título:
Enviado por: ruben lopes em Junho 20, 2008, 05:38:57 pm
desculpa johnny, o que eu queria dizer era mensagens.

ABRAÇOS!
Título:
Enviado por: Luso em Junho 20, 2008, 06:51:27 pm
Para informação geral, e para referência futura, devo fazer alguns comentários face ao comportamento do Ruben Lopes.

Citar
De: Luso
Para: ruben lopes
Colocada: Qui 19 Jun, 2008 7:26 pm

Assunto: !  
Senhor Ruben,

Por favor comporte-se.
Seja sereno, minimamente civilizado e humilde.
Comece por conhecer o seu lugar.

E deixe-se de choradeiras.

Grato.


A resposta do forista foi esta, como todos sabem:

ai é e vou continuar a mandar mensagens, nem que as apagem.
o senhor intolerante LUSO e outros caros foristas que não deixa pessoas mais novas socializarem-se, É UMA POUCA VERGONHA.
VÁ APAGA LÁ OUTRA VEZ LUSO, SEU COBARDE, não me consegues enfrentar ou dizer alguma coisa?


Face a estas afirmações, informo a criança que:

1 - a sua insistência em impôr a sua presença a todo o custo neste fórum, quer com constantes "postais" irrelevantes, despropositados e inoportunos não são tolerados;

2 - Que é perigoso fazer ameaças, sobretudo sem conhecer o que há do outro lado;

3 - Que é ridículo fazer ameaças sem correr o risco de arcar com as consequências;

4 - Que a sociabilização que refere implica o respeito pelo outro;

5 - Que deve procurar (e merecer) a atenção que aparenta desesperadamente procurar nos seus paizinhos ou encarregados de educação, que face às evidências, devem estar ausentes de boa parte da sua vida diária;

6 - Que, apesar de manifestar sérios problemas de educação e de controle emocional, dar-lhe-ei uma última oportunidade, por ser práticamente fim-de-semana, por eu estar bem disposto, sobretudo devido à monumental insolência demonstrada e que tenciono guardar para fins científicos e pedagógicos.

O Tópico deve seguir exclusivamente em direcção ao tema original e qualquer desvio subsequente resultará num "postal" apagado.
Título:
Enviado por: jmg em Junho 21, 2008, 02:28:21 pm
Quem estiver a par do armamento do 209 PN que me esclareça sff.
Os mísseis são disparados pelos tubos de torpedos ou por tubos próprios?
Isso não obriga o submarino a subir para uma profundidade adequada?
Não coloca o submarino em risco de ser detectado?
Título:
Enviado por: ShadIntel em Junho 21, 2008, 02:55:18 pm
Citação de: "jmg"
Quem estiver a par do armamento do 209 PN que me esclareça sff.
Os mísseis são disparados pelos tubos de torpedos ou por tubos próprios?
Cada UGM-84 está contido numa cápsula, disparada pelos tubos lança-torpedos, que liberta o míssil quando chega à superfície.

Citar
Isso não obriga o submarino a subir para uma profundidade adequada?
Não me parece que a profundidade tenha muita importância, visto que as cápsulas que contêm os mísseis flutuam até à superfície.

Citar
Não coloca o submarino em risco de ser detectado?

Um submarino, por furtivo que seja, fica sempre vulnerável no momento em que dispara uma arma qualquer. Imagino que a única solução seja afastar-se rapidamente e com a maior discrição possível da área do lançamento (esta suposição está mais baseada no romance 'SSN' de Tom Clancy, do que em qualquer conhecimento ou experiência pessoal  :oops: ).
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Junho 21, 2008, 03:06:11 pm
Interessa também dizer que o alcance do SubHarpoon é de muitas dezenas de Kms, tornando assim mais dificil a detecção do vector de lançamento.
Título:
Enviado por: ruben lopes em Junho 21, 2008, 03:52:52 pm
jmg, segundo o que dizia na area militar, os U209PN são quase virtualmente invisiveis e vão ser os submarinos mais silenciosos do mundo, o que o torna estes submarinos uma arma a temer.
quanto ao alcançe dos harpoon, o alcance é 150km.
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Junho 21, 2008, 08:59:05 pm
Ruben Lopes escreveu:
Citar
jmg, segundo o que dizia na area militar, os U209PN são quase virtualmente invisiveis
A partir de mergulhar bem fundo, qualquer submarino é virtualmente invisivel, o que não quer dizer que seja indetectável. Aí o seu desenho conta muito, e se tiver telhas de absorsão de ondas acústicas e uma boa tripulação, tudo conta.

Citar
vão ser os submarinos mais silenciosos do mundo, o que o torna estes submarinos uma arma a temer.

Os gregos e sul-coreanos não estão de acordo com isso, mas os italianos e alemães sim!..
Título:
Enviado por: jmg em Junho 21, 2008, 09:23:03 pm
Por além do projecto e modelo o facto de haver problemas com os navios também tem a ver com os estaleiros onde são construídos. Formação do pessoal, ferramentas, limalhas etc....
Os sub sul coreanos não foram construídos naquelas bandas??
Título:
Enviado por: P44 em Junho 21, 2008, 10:32:39 pm
os sub coreanos foram construidos na Coreia
Título:
Enviado por: papatango em Junho 22, 2008, 02:53:54 pm
Relativamente aos submarinos coreanos, ainda não vimos nada sobre o assunto, que não seja a alegada tradução do Coreano para inglês de algo publicado num Blog, numa altura em que o governo da Coreia sofre de grande contestação interna.

Há alguém que possa afirmar mesmo que com um fraco grau de certeza, que a notícia coreana não se trata apenas de uma referência às avarias encontradas nos submarinos da Grécia ?

Posso ser apenas eu que estou mal informado, mas tentei seguir os fios à meada, e encontrei várias referências que vão sempre dar no mesmo blog.
Título:
Enviado por: migbar2 em Junho 23, 2008, 12:37:51 am
Citação de: "papatango"
Relativamente aos submarinos coreanos, ainda não vimos nada sobre o assunto, que não seja a alegada tradução do Coreano para inglês de algo publicado num Blog, numa altura em que o governo da Coreia sofre de grande contestação interna.

Há alguém que possa afirmar mesmo que com um fraco grau de certeza, que a notícia coreana não se trata apenas de uma referência às avarias encontradas nos submarinos da Grécia ?

Posso ser apenas eu que estou mal informado, mas tentei seguir os fios à meada, e encontrei várias referências que vão sempre dar no mesmo blog.






Como vêm ás vezes não é nada mau que os nossos jornalistas sejam as "portas" que todos já conhecemos. Se assim não fosse já viram o escandalozinho que eles se punham aí a armar ??? Nós aqui preocupados com os subs á tempos e tempos e aquelas tochas nem sonham  :twisted:  :twisted: . Depois da contestação que a compra dos subs originou uma noticia destas para alguns jornalistas era uma alegria !!!!!
Título:
Enviado por: SSK em Junho 25, 2008, 01:20:46 am
Citação de: "jmg"
Quem estiver a par do armamento do 209 PN que me esclareça sff.
Os mísseis são disparados pelos tubos de torpedos ou por tubos próprios?
Isso não obriga o submarino a subir para uma profundidade adequada?
Não coloca o submarino em risco de ser detectado?


Caro jmg,

Respostas às suas perguntas dão quase uma tese de mestrado.
Título:
Enviado por: DC 38 em Junho 25, 2008, 05:58:35 pm
Citação de: "migbar2"
Como vêm ás vezes não é nada mau que os nossos jornalistas sejam as "portas" que todos já conhecemos. Se assim não fosse já viram o escandalozinho que eles se punham aí a armar ??? Nós aqui preocupados com os subs á tempos e tempos e aquelas tochas nem sonham  :twisted:  :twisted: . Depois da contestação que a compra dos subs originou uma noticia destas para alguns jornalistas era uma alegria !!!!!


Pois é!! Infelizmente os nossos jornalistas (especialmente os da área da Defesa) escrevem muito por "encomenda" e pouco por investigação...
Título:
Enviado por: pn84 em Julho 06, 2008, 02:16:16 pm
Caros amigos, encontrei estas fotos, tiradas no dia 5/07/08, no forum Shipspotting, no qual o seu autor diz desconhecer o submarino que está nas fotos. Só pode ser o nosso ys7x9


(http://img509.imageshack.us/img509/7356/6759871ld6.jpg) (http://http)
Copyright Arne Luetkenhorst

(http://img359.imageshack.us/img359/9277/6759881xz8.jpg) (http://http)
Copyright Arne Luetkenhorst
Título:
Enviado por: HSMW em Julho 06, 2008, 02:36:04 pm
Será? :feliz:
Título:
Enviado por: AMRAAM em Julho 06, 2008, 03:51:35 pm
Si no me equivoco esa foto se corresponde a uno de los submarinos griegos,ya que lei en un foro,que una unidad griega se encontraba de nuevo en el dique seco realizandole algun tipo de revision o arreglo.De hecho aportaban una foto,la cual si no me equivoco se corresponde con la primera posteada por pn84,o si no era muy pero que muy parecida.De todas formas,de lo que no hay duda es que unas breves semanas veremos al fin,al primer submarino portugues :wink: .
SALUDOS!!
Título:
Enviado por: jmg em Julho 06, 2008, 05:54:12 pm
Citação de: "SSK"
Citação de: "jmg"
Quem estiver a par do armamento do 209 PN que me esclareça sff.
Os mísseis são disparados pelos tubos de torpedos ou por tubos próprios?
Isso não obriga o submarino a subir para uma profundidade adequada?
Não coloca o submarino em risco de ser detectado?

Caro jmg,

Respostas às suas perguntas dão quase uma tese de mestrado.


Pois! Deve ser um dos cadeirões para os cadetes da Escola Naval... :wink:
Obrigado.
Título:
Enviado por: SSK em Julho 06, 2008, 06:12:33 pm
Citação de: "jmg"
Citação de: "SSK"
Citação de: "jmg"
Quem estiver a par do armamento do 209 PN que me esclareça sff.
Os mísseis são disparados pelos tubos de torpedos ou por tubos próprios?
Isso não obriga o submarino a subir para uma profundidade adequada?
Não coloca o submarino em risco de ser detectado?

Caro jmg,

Respostas às suas perguntas dão quase uma tese de mestrado.

Pois! Deve ser um dos cadeirões para os cadetes da Escola Naval... :wink:
Obrigado.


Não se lecciona nada disso na Escola Naval.

Vai se aprendendo com muitas horas de imersão e ouvidos bem abertos ao que os mais experientes vão ensinando...
Título:
Enviado por: SSK em Julho 06, 2008, 06:16:30 pm
Citação de: "HSMW"
Será? :feliz:


Eu arrisco num sim.

Reparem bem no TCM.
Título:
Enviado por: P44 em Julho 06, 2008, 07:52:16 pm
Qual era o dia de lançamento??? Dia 15 próximo? se calhar é mesmo :D

Citar
UNKNOWN 214-TYPE SUBMARINE
Arne Luetkenhorst   2008/7/6 3:45
52  0    
Unknown 214 Type sub at HDW Synchrolift 2008/07/05
Periscope is just being fitted by crane
Can't be Papanikolis (S121), she is some meters away in the water...

http://www.shipspotting.com/modules/mya ... lid=677590 (http://www.shipspotting.com/modules/myalbum/photo.php?lid=677590)
Título:
Enviado por: SSK em Julho 06, 2008, 08:09:14 pm
Citação de: "P44"
Qual era o dia de lançamento??? Dia 15 próximo? se calhar é mesmo :D

Citar
UNKNOWN 214-TYPE SUBMARINE
Arne Luetkenhorst   2008/7/6 3:45
52  0    
Unknown 214 Type sub at HDW Synchrolift 2008/07/05
Periscope is just being fitted by crane
Can't be Papanikolis (S121), she is some meters away in the water...
http://www.shipspotting.com/modules/mya ... lid=677590 (http://www.shipspotting.com/modules/myalbum/photo.php?lid=677590)


Acha mesmo que ele já não esteve na água antes do lançamento oficial?

Reparem bem nas características dos U214 gregos e dos U209PN e depois digam qualquer coisa...
Título:
Enviado por: P44 em Julho 06, 2008, 08:38:59 pm
foto do Papanikolis:
(http://media.shipspotting.com/uploads/thumbs/Ship+Photo+PAPANIKOLIS+%28S120%29/663092_800.jpg)
O "nosso" (?)
(http://img509.imageshack.us/img509/7356/6759871ld6.jpg)

porque é que o "nosso" tem aquela "abertura" a ré? :?:

(e parece ser mais "volumoso", tb)
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Julho 06, 2008, 08:47:41 pm
P 44 escreveu:
Citar
porque é que o "nosso" tem aquela "abertura" a ré?

Porque falta lá uma "peçinha". :roll:
Título:
Enviado por: Lightning em Julho 06, 2008, 09:37:16 pm
Citação de: "luis filipe silva"
P 44 escreveu:
Citar
porque é que o "nosso" tem aquela "abertura" a ré?
Porque falta lá uma "peçinha". :lol:  :lol: .
Título:
Enviado por: SSK em Julho 06, 2008, 10:50:59 pm
Citação de: "P44"
foto do Papanikolis:
(http://media.shipspotting.com/uploads/thumbs/Ship+Photo+PAPANIKOLIS+%28S120%29/663092_800.jpg)
O "nosso" (?)
(http://img509.imageshack.us/img509/7356/6759871ld6.jpg)

porque é que o "nosso" tem aquela "abertura" a ré? :wink:
Título:
Enviado por: P44 em Julho 07, 2008, 08:06:25 am
agora que comparo melhor ambas as fotos, realmente a abertura a ré parece dever-se ao facto de faltar uma "pecinha"  :twisted:  ) , dá a sensação do "nosso" ter as obras-mortas (ou vivas? agora já não tenho a certeza) , até mais abaixo.
Título:
Enviado por: DC 38 em Julho 07, 2008, 10:07:42 pm
Citação de: "P44"
a obras-mortas (ou vivas? agora já não tenho a certeza)


Não tem a ver com os 209PN, mas sim com Marinharia  :G-Ok:
Título:
Enviado por: MDN em Julho 07, 2008, 11:15:04 pm
estive a ver esta fotografia do modelo grego, parece ser diferente.... além disso este devido à sujidade nunca esteve molhado portanto numa pool de apostas...

como não está prevista a entrega breve de nenhum submarino além do nosso, por causa das portas laterais ser apenas uma, e por muita vontade nossa!!!!!!

meus senhores apresento-vos o nosso primeiro type-214 tuga!!!!!!
Título:
Enviado por: Katespero em Julho 08, 2008, 10:37:57 pm
Boa noite.

Já li algumas coisitas sobre os nossos futuros submarinos, mas mesmo assim ainda não sei bem uma coisa.....Alguém me sabe dizer para que é que servem os submarinos?!?!?

Não estou a criticar, mas não estamos em guerra, por isso, em tempo de paz....para que servem?!?!?


Cumprimentos e obrigado
Título:
Enviado por: typhonman em Julho 08, 2008, 10:47:25 pm
Citação de: "Katespero"
Boa noite.

Já li algumas coisitas sobre os nossos futuros submarinos, mas mesmo assim ainda não sei bem uma coisa.....Alguém me sabe dizer para que é que servem os submarinos?!?!?

Não estou a criticar, mas não estamos em guerra, por isso, em tempo de paz....para que servem?!?!?


Cumprimentos e obrigado


Tempo de Paz:

-Elemento de dissuação

-Vigilância da nossa ZEE (Zona Económica Exclusiva)

-Operações de introdução de Forças Especiais em territórios sensiveis para eventual recolha de informações ou recolha de refens.

-Treino com Fragatas e Aeronaves de Patrulha Maritima, para missões de luta anti-submarina.

-Manutenção da capacidade submarina.

-Dar protecção contra ameaças navais  a força naval da Marinha que seja destacada para uma missão no âmbito da NATO ou nacional

-Ajuda na luta contra o tráfico de droga no oceano.

-Integrar forças da NATO em exercicios aeronavais.


Em Guerra:


-Luta contra submarinos inimigos/navios

-Ataque de alvos na superficie com misseis Harpoon

-Vigilância/recolha de informação

-Acções de minagem
Título:
Enviado por: SSK em Julho 08, 2008, 11:04:46 pm
Sabe, desde que a guerra-fria terminou os submarinos têm sido usados para diversos tipos de missão. Os teatros de guerra alteraram-se bastante mesmo durante a guerra-fria.
Antes da guerra-fria os submarinos eram usados somente como arma de guerra usada para ataque a navios. Durante a guerra-fria já começaram a ser usados para espionagem, tal e qual agente infiltrado em águas do inimigo sem se saber que ele andava por lá. Depois...

Bem, depois o submarino com o fim de todas as hostilidades entre a URSS e USA começou a ser usado noutros tipos de missões, como por exemplo:
- Inserção de forças especiais,
- reconhecimento de costa de países vizinhos e não só,
- controlo dos corredores de tráfego marítimo,
- vigilância de áreas de interesse dos próprios países (estreitos e canais navegáveis),
- controlo de navios suspeitos,
- ...entre outras...

Existem missões de fiscalização e apreensão de navios tidos como suspeitos de emigração ilegal e traficantes de substâncias psicotropicas após de relatos submarinos que vinham a operar "no meio" dos infractores sem serem vistos. É a vantagem de não serem avistados pelos possíveis infractores.

Se quisermos ser mais amantes da parte bélica, podemos então dizer que são o meio mais eficaz no que diz respeito ao garante da soberania das nossas águas. É a melhor maneira de podermos saber o que se passa dentro das 3 dimensões que tem o oceano.
 
Em tempo de paz serve para o treino de toda uma componente naval das nossas forças armadas, não só Marinha mas também Força Aérea. Se ler um pouco o que aconteceu antes da segunda Guerra Mundial, irá ver que os aliados prepararam muito mal e treinaram muito pouco a sua defesa anti-submarina e os alemães com muito treino em tempo de paz conseguíram sobrepor com alguma facilidade nos 3 primeiros anos da guerra.

Se conseguir imaginar, pense só no seguinte, um submarino ao passar o bugio entra em imersão. Agora diga-me se conseguir para onde é que ele foi. Será que foi para norte, sul ou oeste?!?

Poderia continuar a escrever, mas antes que isto fique longo demais e algo confuso prefiro ficar por aqui.
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Julho 08, 2008, 11:33:54 pm
E confirma-se:
http://www.shipspotting.com/modules/mya ... lid=679502 (http://www.shipspotting.com/modules/myalbum/photo.php?lid=679502)
Título:
Enviado por: Falcão em Julho 08, 2008, 11:42:08 pm
Citação de: "luis filipe silva"
E confirma-se:
http://www.shipspotting.com/modules/mya ... lid=679502 (http://www.shipspotting.com/modules/myalbum/photo.php?lid=679502)


(http://media.shipspotting.com/uploads/thumbs/Ship+Photo+NRP+TRIDENTE+%28S+167%29/679502_800.jpg)

LINDO :!:  :!:

Jorge, baba-te :wink:
Título:
Enviado por: Leonidas em Julho 09, 2008, 01:10:05 am
Saudações guerreiras


Citação de: "Katespero"
“Boa noite.

Já li algumas coisitas sobre os nossos futuros submarinos, mas mesmo assim ainda não sei bem uma coisa.....Alguém me sabe dizer para que é que servem os submarinos?!?!?

Não estou a criticar, mas não estamos em guerra, por isso, em tempo de paz....para que servem?!?!?


Cumprimentos e obrigado


As suas ideias não estão erradas, pois também sou daqueles que tenho a certeza que as armas só têm um propósito. Ainda faltarão muitos séculos para que a humanidade se una com um propósito nobre da construção da paz. Felizmente que esses passos já se iniciaram – e não me refiro á EU/CEE/comunidade do carvão e do aço, mas sim ás Nações Unidas, embora a CEE seja também importante para a Europa. Convém esclarecer que a natureza humana é... Bom escusado será estar a escrever o que quer que seja sobre isso. Talvez numa tertúlia qualquer cheia de intelectuais possam ditar algumas frases todas catitas sobre matéria tão chata.

Não leva a lado nenhum e é completamente desnecessário, como não vem a propósito. Uma das funções de qualquer ser humano é lutar até ao fim pela sua dignidade aprendendo a viver no mundo em que se encontra e não num paraíso qualquer, que só em sonhos existe. Se achamos que está algo de errado é nosso dever emendá-lo. O que não devemos fazer é meter umas vendas nos olhos, quando o aconselhável é andar com a pestana bem aberta. Melhor ainda, será descer á terra. Isso, sim, são atitudes reveladoras de inteligência. A vida é um compromisso cheia de condicionantes, lembre-se.


Irónicamente também se consegue um “equilíbrio”: as armas constroem a paz. É um grande contracenso, sem dúvida! Lamento informá-lo, mas é a realidade que ainda prevalece. É uma faceta humana para a qual ainda não existe cura. Utópico?  100%! Cura para isto? Já agora, acha que são só os submarinos que matam? Será que as suas mãos também não estarão manchadas de sangue inocente?

Perdoe-me se nas minhas palavras possa ler algo de ofensivo. Nada de mais errado. Apenas quero dizer que está demasiado avançado no tempo.  

Cumprimentos
Título:
Enviado por: AMRAAM em Julho 09, 2008, 01:22:39 pm
Citação de: "Falcão"
Citação de: "luis filipe silva"
E confirma-se:
http://www.shipspotting.com/modules/mya ... lid=679502 (http://www.shipspotting.com/modules/myalbum/photo.php?lid=679502)

(http://media.shipspotting.com/uploads/thumbs/Ship+Photo+NRP+TRIDENTE+%28S+167%29/679502_800.jpg)

LINDO :!:  :!:

Jorge, baba-te :wink: ,ya que es un navio muy bonito esteticamente desde mi punto de vista,o al menos esa es la impresion que me povoca al verlo en grada.Solo esperemos que no adolezcan de los problemas que han tenido sus primos coreanos y griegos,y podamos verlos muy pronto en el agua navegando y bajo pabellon portugues. :G-Ok:  :G-beer2:
SALUDOS!!
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Julho 09, 2008, 01:28:44 pm
Obrigado pelas suas palavras AMRAAM. Nós também esperamos como é obvio, que os nossos não venham a ter problemas.
Título:
Enviado por: Johnnie em Julho 09, 2008, 01:41:55 pm
Realmente vão ser caros sem duvida mas são umas belissimas maquinas, não vejo a hora de os ver ao serviço... :wink:
Título:
Enviado por: Katespero em Julho 09, 2008, 06:13:11 pm
Citação de: "SSK"
Sabe, desde que a guerra-fria terminou os submarinos têm sido usados para diversos tipos de missão. Os teatros de guerra alteraram-se bastante mesmo durante a guerra-fria.
Antes da guerra-fria os submarinos eram usados somente como arma de guerra usada para ataque a navios. Durante a guerra-fria já começaram a ser usados para espionagem, tal e qual agente infiltrado em águas do inimigo sem se saber que ele andava por lá. Depois...

Bem, depois o submarino com o fim de todas as hostilidades entre a URSS e USA começou a ser usado noutros tipos de missões, como por exemplo:
- Inserção de forças especiais,
- reconhecimento de costa de países vizinhos e não só,
- controlo dos corredores de tráfego marítimo,
- vigilância de áreas de interesse dos próprios países (estreitos e canais navegáveis),
- controlo de navios suspeitos,
- ...entre outras...

Existem missões de fiscalização e apreensão de navios tidos como suspeitos de emigração ilegal e traficantes de substâncias psicotropicas após de relatos submarinos que vinham a operar "no meio" dos infractores sem serem vistos. É a vantagem de não serem avistados pelos possíveis infractores.

Se quisermos ser mais amantes da parte bélica, podemos então dizer que são o meio mais eficaz no que diz respeito ao garante da soberania das nossas águas. É a melhor maneira de podermos saber o que se passa dentro das 3 dimensões que tem o oceano.
 
Em tempo de paz serve para o treino de toda uma componente naval das nossas forças armadas, não só Marinha mas também Força Aérea. Se ler um pouco o que aconteceu antes da segunda Guerra Mundial, irá ver que os aliados prepararam muito mal e treinaram muito pouco a sua defesa anti-submarina e os alemães com muito treino em tempo de paz conseguíram sobrepor com alguma facilidade nos 3 primeiros anos da guerra.

Se conseguir imaginar, pense só no seguinte, um submarino ao passar o bugio entra em imersão. Agora diga-me se conseguir para onde é que ele foi. Será que foi para norte, sul ou oeste?!?

Poderia continuar a escrever, mas antes que isto fique longo demais e algo confuso prefiro ficar por aqui.



Muito obrigado pela explicação.

Eu sou um fã da Marinha e dos submarinos, mas tenho amigos que me chateiam imenso com estas questões, que felizmente vejo aqui resposta, agora já lhes posso responder.

Vou ler um pouco mais sobre o assunto para poder dizer qq coisa sobre os nossos futuros submarinos.

Cumprimentos
Título:
Enviado por: typhonman em Julho 09, 2008, 07:13:54 pm
Citação de: "Katespero"
Citação de: "SSK"
Sabe, desde que a guerra-fria terminou os submarinos têm sido usados para diversos tipos de missão. Os teatros de guerra alteraram-se bastante mesmo durante a guerra-fria.
Antes da guerra-fria os submarinos eram usados somente como arma de guerra usada para ataque a navios. Durante a guerra-fria já começaram a ser usados para espionagem, tal e qual agente infiltrado em águas do inimigo sem se saber que ele andava por lá. Depois...

Bem, depois o submarino com o fim de todas as hostilidades entre a URSS e USA começou a ser usado noutros tipos de missões, como por exemplo:
- Inserção de forças especiais,
- reconhecimento de costa de países vizinhos e não só,
- controlo dos corredores de tráfego marítimo,
- vigilância de áreas de interesse dos próprios países (estreitos e canais navegáveis),
- controlo de navios suspeitos,
- ...entre outras...

Existem missões de fiscalização e apreensão de navios tidos como suspeitos de emigração ilegal e traficantes de substâncias psicotropicas após de relatos submarinos que vinham a operar "no meio" dos infractores sem serem vistos. É a vantagem de não serem avistados pelos possíveis infractores.

Se quisermos ser mais amantes da parte bélica, podemos então dizer que são o meio mais eficaz no que diz respeito ao garante da soberania das nossas águas. É a melhor maneira de podermos saber o que se passa dentro das 3 dimensões que tem o oceano.
 
Em tempo de paz serve para o treino de toda uma componente naval das nossas forças armadas, não só Marinha mas também Força Aérea. Se ler um pouco o que aconteceu antes da segunda Guerra Mundial, irá ver que os aliados prepararam muito mal e treinaram muito pouco a sua defesa anti-submarina e os alemães com muito treino em tempo de paz conseguíram sobrepor com alguma facilidade nos 3 primeiros anos da guerra.

Se conseguir imaginar, pense só no seguinte, um submarino ao passar o bugio entra em imersão. Agora diga-me se conseguir para onde é que ele foi. Será que foi para norte, sul ou oeste?!?

Poderia continuar a escrever, mas antes que isto fique longo demais e algo confuso prefiro ficar por aqui.


Muito obrigado pela explicação.

Eu sou um fã da Marinha e dos submarinos, mas tenho amigos que me chateiam imenso com estas questões, que felizmente vejo aqui resposta, agora já lhes posso responder.

Vou ler um pouco mais sobre o assunto para poder dizer qq coisa sobre os nossos futuros submarinos.

Cumprimentos



Ainda ontem tive mais uma discussão com uns colegas meus sobre isso, é impressionante a quantidade de ignorância que por aí anda...

Disse-lhes se achavam bem que se Portugal perdesse capacidade de garantir a sua soberania, a Espanha vigiasse as nossas aguas e os nossos ares, e pelo menos 2 deles concordaram, não viam problema nenhum... Enfim...

 :x
Título:
Enviado por: Naadjh em Julho 09, 2008, 07:50:37 pm
Citação de: "SSK"
Ainda ontem tive mais uma discussão com uns colegas meus sobre isso, é impressionante a quantidade de ignorância que por aí anda...

Disse-lhes se achavam bem que se Portugal perdesse capacidade de garantir a sua soberania, a Espanha vigiasse as nossas aguas e os nossos ares, e pelo menos 2 deles concordaram, não viam problema nenhum... Enfim...

 :x


Acho que a culpa não pode ser só das pessoas.. pois é verdade que se não fosse uns quantos curiosos só os militares é que sabiam das coisas..

É preciso integrar as forças militares na sociedade civil.. A culpa está e parte pelos génios comandantes das forças armadas..
Título:
Enviado por: SSK em Julho 09, 2008, 07:58:51 pm
Citação de: "Naadjh"
Citação de: "SSK"
Ainda ontem tive mais uma discussão com uns colegas meus sobre isso, é impressionante a quantidade de ignorância que por aí anda...

Disse-lhes se achavam bem que se Portugal perdesse capacidade de garantir a sua soberania, a Espanha vigiasse as nossas aguas e os nossos ares, e pelo menos 2 deles concordaram, não viam problema nenhum... Enfim...

 :?
Título:
Enviado por: komet em Julho 10, 2008, 12:16:14 am
Errado, a culpa é da TVI, e da Manuela Moura boca Guedes.
Título:
Enviado por: typhonman em Julho 10, 2008, 12:32:51 am
Citação de: "komet"
Errado, a culpa é da TVI, e da Manuela Moura boca Guedes.


E do Miguel Sousa Tavares e do Judice que sempre se afirmaram "contra" os submarinos, o Judice ate é mais abrangente, é contra as Forças Armadas.
Título:
Enviado por: P44 em Julho 10, 2008, 09:21:01 am
nova foto já com a "pecinha"
http://www.shipspotting.com/modules/mya ... lid=680147 (http://www.shipspotting.com/modules/myalbum/photo.php?lid=680147)

 :wink:
Título:
Enviado por: de la Perière em Julho 10, 2008, 11:50:58 am
Citação de: "Typhonman"
Citação de: "komet"
Errado, a culpa é da TVI, e da Manuela Moura boca Guedes.

E do Miguel Sousa Tavares e do Judice que sempre se afirmaram "contra" os submarinos, o Judice ate é mais abrangente, é contra as Forças Armadas.


Tem piada, mas o escritório do Júdice era o representante dos franceses no concurso dos submarinos. Será que se tivesse ganho o Scorpéne o Júdice também seria contra os submarinos? :conf:
Título:
Enviado por: P44 em Julho 10, 2008, 01:50:30 pm
Citação de: "de la Perière"
Citação de: "Typhonman"
Citação de: "komet"
Errado, a culpa é da TVI, e da Manuela Moura boca Guedes.

E do Miguel Sousa Tavares e do Judice que sempre se afirmaram "contra" os submarinos, o Judice ate é mais abrangente, é contra as Forças Armadas.

Tem piada, mas o escritório do Júdice era o representante dos franceses no concurso dos submarinos. Será que se tivesse ganho o Scorpéne o Júdice também seria contra os submarinos? c34x
Título:
Enviado por: pn84 em Julho 10, 2008, 02:09:02 pm
Citar
P44 escreveu:
nova foto já com a "pecinha"
http://www.shipspotting.com/modules/mya ... lid=680147 (http://www.shipspotting.com/modules/myalbum/photo.php?lid=680147)



 :nice:
Título:
Enviado por: Creoula em Julho 14, 2008, 12:28:28 pm
Amanhã será um grande dia :D

Citar
'TRIDENT' É LANÇADO À ÁGUA

O presidente da Assembleia da República português, Jaime Gama, desloca-se hoje a Kiel, na Alemanha, por ocasião da cerimónia de lançamento do primeiro submarino da nova esquadrilha da Marinha portuguesa, o ‘Trident’, que acontece amanhã. A sua mulher, Alda Taborda, será a madrinha deste primeiro de dois novos submarinos da Armada nacional a lançar à água.

A cerimónia de baptismo do ‘Trident’ vai ter lugar nos estaleiros do German Submarine Consortium (GSC) e vai decorrer sob o olhar atento de outros responsáveis políticos e militares portugueses, como o Chefe do Estado-Maior da Armada (CEMA), Fernando Melo Gomes, e o ministro da Defesa português, Nuno Severiano Teixeira.

O ‘Trident’ deverá chegar a Portugal no início de 2010.

SAIBA MAIS

973
O preço dos submarinos adquiridos por Portugal ao German Submarine Consortium, em Abril de 2004, foi de 973 milhões de euros ( 779 milhões de euros com acréscimo de 194 milhões em juros). Os dois submarinos serão entregues em 2010.
in: http://www.correiomanha.pt/noticia.aspx ... 0000000090 (http://www.correiomanha.pt/noticia.aspx?contentid=D7C944CC-64F0-48E9-82CD-7D3AA46EB03A&channelid=00000090-0000-0000-0000-000000000090)
Título:
Enviado por: pmdavila em Julho 14, 2008, 01:07:02 pm
"Trident"...hum...conheço algo com esse nome... :roll:

"Tridente", é capaz de ser outra coisa...
Título:
Enviado por: Lightning em Julho 14, 2008, 04:30:25 pm
Era segredo, mas o nosso Tridente vai lançar "Tridents"... :lol:  :roll:
Título:
Enviado por: nelson38899 em Julho 14, 2008, 04:46:51 pm
esses não sei! mas estes acho que sim!

sub harpoon

(http://www.royal-navy.mod.uk/upload/img_400/999791223f.jpg)
Título:
Enviado por: pmdavila em Julho 14, 2008, 06:07:52 pm
Cá para mim, vamos lançar é disto à água... :lol:
Título:
Enviado por: SSK em Julho 14, 2008, 06:38:09 pm
Imprensa portuguesa....
Título:
Enviado por: jmg em Julho 14, 2008, 07:39:43 pm
Citação de: "pmdavila"
Cá para mim, vamos lançar é disto à água... :lol:


 :rir:  :rir:
Título:
Enviado por: typhonman em Julho 14, 2008, 08:22:00 pm
O lançamento é amanha, a TVI vai lá estar, a terça feira comenta o Miguel Sousa Tavares, logo ele vai "malhar" nos submarinos, por isso estejam atentos ao jornal da noite de amanha.  :lol:
Título:
Enviado por: jmg em Julho 14, 2008, 09:48:39 pm
Se resistir ao embate com o Miguel Sousa Tavares, poderemos dizer que o casco estará preparado para enfrentar o alto mar. :wink:
Título:
Enviado por: typhonman em Julho 14, 2008, 09:53:37 pm
Citação de: "jmg"
Se resistir ao embate com o Miguel Sousa Tavares, poderemos dizer que o casco estará preparado para enfrentar o alto mar. :D
Título:
Enviado por: P44 em Julho 15, 2008, 08:04:08 am
podia-se era pôr o MST num dos tubos lança-torpedos, para fazer um teste de lançamento :wink:

mas cuidado, que as noticias já chegaram á Madeira :shock:

Citar
Correia de Jesus junta-se à comitiva liderada pelo presidente do Parlamento nacional e o ministro da Defesa
“Trident” lançado ao mar na terça
 
O treino das guarnições é um treino de reconversão, isto é, pressupõe que os instruendos sejam submarinistas com pelo menos dois anos de experiência em navegação submarina, sendo a formação ministrada em língua inglesa.
 
 
A cerimónia do lançamento ao mar do primeiro submarino (o NRP “Trident”) da nova esquadrilha da Marinha Portuguesa está agendada para a próxima terça-feira, dia 15 de Julho, em Kiel, na Alemanha.
Na referida cerimónia, estarão presentes o presidente da Assembleia da República, Jaime Gama, o ministro da Defesa nacional, Severiano Teixeira, o Chefe do Estado-Maior da Armada, Melo Gomes, e os deputados Miranda Calha (PS), o madeirense Correia de Jesus (PSD), João Rebelo (CDS-PP) e António Filipe (PCP). Correia de Jesus participa no evento na sua qualidade de vice-presidente da Comissão de Defesa Nacional, a convite do Chefe do Estado-Maior da Armada.
Recorde-se que, ainda no decorrer desta semana, falamos neste espaço dos novos submarinos do tipo U-209/PN, cuja construção foi contratada a 21 de Abril de 2004. A cerimónia de início de construção dos submarinos realizou-se em Kiel - Alemanha, nas instalações do estaleiro Howaldtswerke Deutsche Werft (HDW) no dia 7 de Março de 2005. Aquando da celebração do contrato ficou também garantido a formação e o treino das duas futuras guarnições, um grupo de instrutores e de pessoal militar e civil da Esquadrilha de Submarinos e do Arsenal do Alfeite que serão responsáveis pelos três escalões de manutenção. Esta formação/treino é essencial para a operação de submarinos de uma forma geral e em particular para os da futura 5ª Esquadrilha.
Acresce realçar que o treino das guarnições é um treino de reconversão, isto é, pressupõe que os instruendos sejam submarinistas com pelo menos dois anos de experiência em navegação submarina, sendo a formação ministrada em língua inglesa.
 
 

 
 
JM

 
http://www.jornaldamadeira.pt/not2008.p ... 2008-07-13 (http://www.jornaldamadeira.pt/not2008.php?Seccao=14&id=100265&sdata=2008-07-13)
Título:
Enviado por: LM em Julho 15, 2008, 10:00:44 am
Citar
(...)formação e o treino das duas futuras guarnições, um grupo de instrutores e de pessoal militar e civil da Esquadrilha de Submarinos e do Arsenal do Alfeite que serão responsáveis pelos três escalões de manutenção.


Estes três escalões são todos os que existem ou fica alguma operação de manutenção a ser realizada em outro local?

Aproveitando, o que (em traços muitos gerais) inclui cada um destes escalões e qual a periocidade/tempo de paragem de cada um?
Título:
Enviado por: Creoula em Julho 15, 2008, 10:58:25 am
Citação de: "SSK"
Imprensa portuguesa....

De facto, é demonstrativo da falta de rigor e profissionalismo da imprensa portuguesa. Ontem o Correio da Manhã e hoje o Público baptizam o novo submarino como "Trident". Neste seguimento, quando fôr lançado o "ARPÃO" a noticia deve algo como "Lançamento do Harpoon" :?
Título:
Enviado por: JLRC em Julho 15, 2008, 03:22:25 pm
Citação de: "Creoula"
Citação de: "SSK"
Imprensa portuguesa....
De facto, é demonstrativo da falta de rigor e profissionalismo da imprensa portuguesa. Ontem o Correio da Manhã e hoje o Público baptizam o novo submarino como "Trident". Neste seguimento, quando fôr lançado o "ARPÃO" a noticia deve algo como "Lançamento do Harpoon" :?


Infelizmente não me espanto. Se nos lembrarmos da influência anglo-americana de muitos dos nossos licenciados (vulgo doutores, embora não tenham feito doutoramento nem sequer mestrado) essa designação até surge como natural. Num país em que um Centro Comercial é um Shopping Center, em que os média são os meadia, em que uma sapataria é um Shoes Center, em que até a OTAN é a NATO, não me espanta que Tridente passe a Trident.
Título:
Enviado por: P44 em Julho 15, 2008, 03:26:59 pm
já foi a cerimónia :?:
Título:
Enviado por: TaGOs em Julho 15, 2008, 04:45:33 pm
Citar
É hoje lançado à água em Kiel - Alemanha o primeiro dos dois novos submarinos da Marinha Portuguesa, que será baptizado como "NRP Tridente".
A entrada ao serviço dos dois novos submarinos, irá permitir a substituição da antiga esquadrilha de submarinos franceses da classe "Albacora", da qual só se encontra em serviço o "NRP Barracuda".
Os submarinos contribuem para a prossecução das missões da Marinha e constituem-se como vectores militares estratégicos do poder naval. Os novos SS PO 2000 têm capacidade para missões de protecção e apoio a forças navais e anfíbias, como vigilância, reconhecimento, recolha de informações de forma discreta em zonas hostis, projecção de força e manutenção de paz. No âmbito do contra-terrorismo, tem capacidade para o combate ao narcotráfico, de forma coordenada com outros organismos de Estado e internacionais, e para operações submarinas, contra navios de superfície e outros submarinos, ou com o objectivo de interditar áreas, portos, faixas costeiras e zonas de navegação de interesse.
Desde 1913 que a Marinha opera com submarinos, como parte integrante do poder naval nacional. Com a necessidade de manutenção da sua capacidade submarina, foi contratada, em 21 de Abril de 2004, a construção de dois submarinos do tipo U-209/PN. Aquando da celebração deste contrato, em Kiel, na Alemanha, ficou também garantida a formação das duas futuras guarnições, e de um grupo da Esquadrilha de Submarinos e do Arsenal do Alfeite para a área da manutenção.
A futura guarnição conta com 33 militares, dos quais, 7 oficiais, 10 sargentos e 16 praças. Consegue atingir uma velocidade máxima de 20 nós, bem como garantir uma autonomia máxima de 45 dias. Quanto às armas, tem capacidade para lançar mísseis, de defesa aérea e luta de superfície, e capacidade para lançar torpedos, de luta de superfície e subsuperfície.


Fonte: http://www.marinha.pt (http://www.marinha.pt)
Título:
Enviado por: Lancero em Julho 15, 2008, 06:10:40 pm
A madrinha é a esposa do Jaime Gama  :?
Título:
Enviado por: pmdavila em Julho 15, 2008, 06:18:24 pm
Às tantas a Primeira Dama não estava com muita vontade...
Título:
Enviado por: nelson38899 em Julho 15, 2008, 06:28:55 pm
fotos não há ???? espero que a garrafa tenha partido :wink:
Título:
Enviado por: SSK em Julho 15, 2008, 08:14:05 pm
Citação de: "LM"
Citar
(...)formação e o treino das duas futuras guarnições, um grupo de instrutores e de pessoal militar e civil da Esquadrilha de Submarinos e do Arsenal do Alfeite que serão responsáveis pelos três escalões de manutenção.

Estes três escalões são todos os que existem ou fica alguma operação de manutenção a ser realizada em outro local?

Aproveitando, o que (em traços muitos gerais) inclui cada um destes escalões e qual a periocidade/tempo de paragem de cada um?


Existe sempre um quarto escalão que consiste em manutenção feita pelas empresas fornecedoras, mas só para casos excepcionais. De resto, a manutenção será feita dentro dos moldes (teóricos) dos classe Albacora. Que diga-se de passagem é muito bom!!!

Os escalões consistem, como os actuais, em graus de dificuldade e sensibilidade dos equipamentos. Cada equipamento terá o seu timing, como deve compreender a esta distência temporal e de formação não será fácil dizer-lhe quais os tempos.
A manutenção será feita em ciclos de manutenção/operação com os sumarinos de x e x tempo a efectuarem docagens e afins.

Sei que a resposta não é a melhopr mas de momento é o que há... :?
Título:
Enviado por: paraquedista em Julho 15, 2008, 08:38:04 pm
Do site hdw.de

 Presse  
 
2008-07-15
Launching of the first Class 209PN Submarine for the Portuguese Navy in Kiel  

Hamburg/Kiel, 15.07.2008 On 15th July 2008, the first of two Class 209PN submarines for the Portuguese Navy was launched at Howaldtswerke-Deutsche Werft – a company of ThyssenKrupp Marine Systems – in Kiel. The submarine was named N.R.P. TRIDENTE by Dr. Alda Taborda, wife of the President of the Portuguese Parliament Dr. Jaima Gama.  
 
The new submarine has a combined diesel-electric and fuel cell propulsion system. Equipped with ultra-modern sensors and an integrated Command and Weapon Control System, it is optimally suited to its future reconnaissance and surveillance tasks.

The contract for the two submarines was signed in 2004 between the Portuguese State and the German Submarine Consortium (GSC).

General Data:
Length overall    approx. 68 m
Height                  approx. 13 m
Displacement    approx. 1,850 t
Complement      32
Título:
Enviado por: P44 em Julho 15, 2008, 09:50:05 pm
Citação de: "nelson38899"
fotos não há ???? espero que a garrafa tenha partido :wink:


passou alguma coisa na TV?

só vi os Pandur, na RTP-N
Título:
Enviado por: Lancero em Julho 15, 2008, 10:59:41 pm
Só encontrei esta  :mrgreen:

(http://cache.daylife.com/imageserve/050obt045r0Ph/610x.jpg)

Citar
Tao Xiangli stands on his homemade submarine in a courtyard in Beijing July 10, 2008. The amateur inventor says his submarine is made from old oil barrels but fully functional with a periscope, depth control tanks, electric motors and two propellers. Tao plans to test it soon.
Título:
Enviado por: P44 em Julho 16, 2008, 07:53:54 am
:twisted:

_____________________________________________________



vá lá, pelo menos o DN acertou no nome :mrgreen:


Citar
Novo submarino português já está dentro de água


MANUEL CARLOS FREIRE
Defesa. Cerimónia de baptismo do 'Tridente'

Responsáveis políticos e militares assistiram ao evento em Kiel, Alemanha

O primeiro dos dois novos submarinos da Armada foi ontem baptizado nos estaleiros alemães de Kiel, na presença de vários responsáveis políticos e militares ligados ao programa.

O NRP Tridente é uma versão dos submarinos alemães da classe U-209 e teve, como madrinha de baptismo Alda Taborda, a mulher do presidente da Assembleia da República, Jaime Gama. Esse vaso de guerra chega a Portugal no início de 2010.

O programa dos submarinos foi lançado há mais de uma década e formalmente assinado em 2004, exigindo um investimento da ordem dos mil milhões de euros. Os SS PO 2000 - como são designados os dois submarinos portugueses que substituem os da classe Albacora (em rigor apenas um, o Barracuda, uma vez que os outros já não navegam) - colocam a Armada ao nível das melhores Marinhas europeias em matéria de capacidade submarina, segundo os especialistas.

O Tridente e o Arpão (o segundo dos novos submarinos, que poderá chegar a Portugal apenas em 2011 devido a questões de contabilidade financeira) têm capacidade para navegar em quase todo o Atlântico Sul, circum-navegando o continente africano através do Oceano Índico e do Mar Mediterrâneo, passando pelo Golfo Pérsico. O Mar das Caraíbas passa a estar igualmente ao alcance do poder naval lusitano.

Missões de protecção e apoio a forças navais e anfíbias (vigilância, reconhecimento, recolha de informações em áreas hostis), projecção de força e manutenção de paz, operações de contraterrorismo e combate ao narcotráfico "num contexto alargado de segurança e defesa" são, segundo a Armada, algumas das potencialidades oferecidas pela esquadrilha dos dois SS PO 2000. Destaque ainda para as operações submarinas contra navios de superfície e outros submarinos, ou também para interditar determinadas áreas, portos, faixas costeiras e zonas de navegação de interesse, sublinhou o ramo.

O programa permite reduzir também os custos de operação e manutenção da actual esquadrilha de submarinos, bem como os de pessoal, pois as novas guarnições passam a ter apenas 33 efectivos, menos 21 que as do Barracuda.

Os novos SS PO 2000 conseguirão atingir uma velocidade máxima de 20 nós e ter uma autonomia de 45 dias. A profundidade máxima operacional será de 300 metros.

O presidente do Parlamento, Jaime Gama, o ministro da Defesa, Nuno Severiano Teixeira, o presidente da Comissão de Defesa, Miranda Calha, e os chefes do Estado-Maior--General das Forças Armadas (CEMGFA) e da Armada (CEMA), general Valença Pinto e almirante Melo Gomes, foram alguns dos convidados que assistiram à cerimónia de ontem nos estaleiros do fabricante alemão HDW.

Portugal tem capacidade submarina desde 1913.

http://dn.sapo.pt/2008/07/16/nacional/n ... entro.html (http://dn.sapo.pt/2008/07/16/nacional/novo_submarino_portugues_esta_dentro.html)
Título:
Enviado por: U209PN em Julho 16, 2008, 10:13:35 am
http://www.aviationweek.com/aw/blogs/de ... 7df1bd3356 (http://www.aviationweek.com/aw/blogs/defense/index.jsp?plckController=Blog&plckScript=blogScript&plckElementId=blogDest&plckBlogPage=BlogViewPost&plckPostId=Blog%3a27ec4a53-dcc8-42d0-bd3a-01329aef79a7Post%3a552371d9-3bc5-41c1-be93-417df1bd3356)
Título:
Enviado por: U209PN em Julho 16, 2008, 10:20:21 am
Mais uma.

http://www.pressebox.com/pressemeldunge ... 90884.html (http://www.pressebox.com/pressemeldungen/thyssenkrupp-ag/boxid-190884.html)
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Julho 16, 2008, 10:53:00 am
Foto do lançamento à água do Tridente.
(http://img373.imageshack.us/img373/9368/7a41f04cc12c496e9b3ac27ta5.th.jpg) (http://http)
foto HDW
Título:
Enviado por: LM em Julho 16, 2008, 11:19:25 am
Citação de: "SSK"

Sei que a resposta não é a melhopr mas de momento é o que há... :wink:

Este "quarto" escalão de manutenção (no construtor) é programada (ie vai ser feita de certeza) ou só se tivermos um imprevisto ou upgrade? Costumo verificar no FDB (http://http) que o Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro é dos muito poucos capazes de fazer toda a manutenção de submarinos (corte casco, etc) - é esse "quarto" escalão que eles estarão a falar?
Título:
Enviado por: P44 em Julho 16, 2008, 12:18:23 pm
caro U209PN

os seus links não se conseguem ver :(

no entanto:
(http://www.pressebox.de/uploads/images/131673_200_160.jpg)
"Taufe Tridente": Admiral Fernando José de Melo Gomes, Chief of Naval Staff der Portugiesischen Marine, Taufpatin Dr. Alda Taborda, Walter Freitag, Vorstand von ThyssenKrupp Marine Systems (von links nach rechts)
Título:
Enviado por: Creoula em Julho 16, 2008, 12:47:31 pm
Se alguém souber alemão... http://www.kn-online.de/artikel/2427091 (http://www.kn-online.de/artikel/2427091)
Ainda assim, tem uma foto do TRIDENTE.
Título:
Enviado por: pmdavila em Julho 16, 2008, 01:08:48 pm
Do google translator, das poucas coisas que deu para aproveitar, foi:

"Com 68 metros, é o submarino mais longo construído até agora pela HDW em Kiel"

"Mais três metros de cumprimento que o U214 grego devido a uma antepara especial"

"Assim, tem duas secções, o que aumenta a segurança em caso de emergência"

 :arrow: http://66.102.9.104/translate_c?hl=pt-P ... GlgkhXeP4w (http://66.102.9.104/translate_c?hl=pt-PT&sl=de&tl=pt&u=http://www.kn-online.de/artikel/2427091&usg=ALkJrhhLccESov8Yyz4wcJ5RGlgkhXeP4w)
Título:
Enviado por: AMRAAM em Julho 16, 2008, 01:32:31 pm
Parabens,por los nuevos submarinos!!! :G-beer2:
SALUDOS!!
Título:
Enviado por: P44 em Julho 16, 2008, 01:33:16 pm
É a foto de abertura do www.defense-aerospace.com (http://www.defense-aerospace.com) de hoje  :wink:

(http://www.defense-aerospace.com/base/util/68517_266.jpg)

editado: foto do link postado pelo pmdavila

(http://www.kn-online.de/images/meldungen/99_16wir6hdwART_G5B11D0D51U-Boot_TRIDENTE1.jpg)
Título:
Enviado por: pmdavila em Julho 16, 2008, 01:40:09 pm
Os créditos do link são do Creoula, só meti o mesmo link traduzido pelo google  :wink:
Título:
Enviado por: Daniel em Julho 16, 2008, 01:44:59 pm
Realmente o esse submarino é bem grandão, se comparado com os nosso delfim ou barracuda não tem comparação possivel.
Belos submarinos f2x2x  yu23x1
Título:
Enviado por: P44 em Julho 16, 2008, 01:49:36 pm
Citação de: "pmdavila"
Os créditos do link são do Creoula, só meti o mesmo link traduzido pelo google  :oops:

entretanto pedi a um colega Alemão se pode traduzir o artigo.
quando tiver resposta depois posto aqui :wink:
Título:
Enviado por: JQT em Julho 16, 2008, 08:13:12 pm
Raios, até que enfim uma boa notícia neste país!..

Parabéns Marinha! Parabéns Portugal!

JQT
Título:
Enviado por: SSK em Julho 16, 2008, 08:17:00 pm
Citação de: "JQT"
Raios, até que enfim uma boa notícia neste país!..

Parabéns Marinha! Parabéns Portugal!

JQT


Tão boa, tão boa que ninguém ligou nenhuma...
 :evil:
Vergonha!!!!!!! :shock:
Título:
Enviado por: AMRAAM em Julho 16, 2008, 09:04:26 pm
Hola,con respecto a los nuevos submarinos me gustaria que si no fuese molestia me pudierais aclarar una duda.. :shock: .De esta situacion me surgen algunas preguntas como..: ¿En leasing con respecto a quien,algun banco que ha puesto el dinero al estado o con la empresa constructora?,¿30 años para pagarlos?..Me parece una burrada de tiempo,ya que aunque es normal ver hoy dia como diversos programas son pagados en varias anualidades,es la primera vez que veo unos plazos semejantes,ya que son larguisimos... :wink:
SALUDOS!!
Título:
Enviado por: Luso em Julho 16, 2008, 09:56:47 pm
AMRAAM, de uma forma sucinta, Portugal é um país muito rico mas tem também muitas sanguessugas e parasitas, portanto...
Cá nos arranjaremos.
A bem.
Ou a mal.
Título:
Enviado por: SSK em Julho 16, 2008, 10:23:23 pm
Citar
Alda Taborda, a superdiscreta segunda dama do estado

Alda Taborda, mulher de Jaime Gama - a segunda e muito discreta segunda dama do Estado - baptizou ontem de manhã nos estaleiros da empresa DHW, em Kiel, norte da Alemanha, o nosso futuro submarino "Tridente", uma das duas embarcações que substituirá dentro de um ano os velhinhos "Barracuda" e "Delfim".
Com a madrinha do submarino, além do marido, estiveram às l0h30 em Kiel uma pequena comitiva que incluiu os chefes de Estado-Maior da Armada e das Forças Armadas, os deputados Miranda Calha do PS, Correia de Jesus do PSD e João Rebelo do CDS-PP.
A transmontana Alda Maria Figueiredo Taborda, tem cerca de 60 anos, e mulher do presidente da Assembleia da República, Jaime Gama, e tudo tem feito para se manter no papel de uma discreta professora de Português e Francês que lecciona há 20 anos na Escola Secundária do Lumiar, em Lisboa.
Fonte próxima de Alda e Jaime garantiu ao 24horas que a segunda dama do Estado é "uma senhora muito discreta, recatada e culta que não gosta de exibições".
Além disso "é uma pessoa que adora discutir política e é capaz de ter opinião e argumentar sobre tudo e mais alguma coisa, ate porque lê compulsivamente, desde livros de filosofia elaborada a jornais e revistas", adiantou a mesma fonte.
Alda Taborda é ainda uma excelente cozinheira que adora preparar peixes e pratos de marisco na casa que o casal possui em Aiana de Cima, freguesia do Castelo, em Sesimbra.

JOÃO BÉRNARD GARCIA
 
in  24 Horas
16 de Julho de 2008
Título:
Enviado por: AMRAAM em Julho 16, 2008, 10:29:26 pm
Citação de: "Luso"
AMRAAM, de uma forma sucinta, Portugal é um país muito rico mas tem também muitas sanguessugas e parasitas, portanto...
Cá nos arranjaremos.
A bem.
Ou a mal.

A ver no dudo ni he dicho que Portugal deje de ser mas o menos rico,y parasitos y sanguijuelas los tenemos en todos los paises,no solo en  Portugal.De todas formas me parece una afirmacion un poco simplista de la la situacion portuguesa,pero bueno como este no es el tema que estamos tratando,me gustaria que si fuese posible alguien me respondiese a las dudas que exprese en mi anterior post,el cual ademas no iba con segundas ni malas intenciones,como me da la sensacion que se ha interpretado,despues de leer el post de Luso :wink: .Simplemente me ha extrañado mucho eso de la financiacion a 30 años y lo del leasing...no en si por el hecho,pero si por la forma.
SALUDOS!!
Título:
Enviado por: SSK em Julho 16, 2008, 11:10:00 pm
Quem é amigo, quem é?!?!?

http://www.youtube.com/watch?v=kp1enFYwbKw

 lo3x4  ys7x9  :Bajular:
Título:
Enviado por: Luso em Julho 16, 2008, 11:29:09 pm
Não dá, SSK. Esse deve ser o seu link de acesso pessoal.
Mas há este: :wink:
http://www.youtube.com/watch?v=kp1enFYwbKw (http://www.youtube.com/watch?v=kp1enFYwbKw)
Título:
Enviado por: SSK em Julho 16, 2008, 11:38:55 pm
Citação de: "Luso"
Não dá, SSK. Esse deve ser o seu link de acesso pessoal.
Mas há este: :lol:

Já alterei.
Título:
Enviado por: DC 38 em Julho 16, 2008, 11:45:46 pm
Citação de: "Luso"
Não dá, SSK. Esse deve ser o seu link de acesso pessoal.
Mas há este: :Palmas:    yu23x1    :G-Ok:   e com a garrafa partida o Navio já se pode ir preparando para GRANDES MISSÕES!!!
Título:
Enviado por: AMRAAM em Julho 16, 2008, 11:51:14 pm
Bonito Video!! :G-beer2:  :headb:  :headb:
SALUDOS!!
Título:
Enviado por: Lancero em Julho 17, 2008, 12:44:50 pm
Citar
Non-Subscriber Extract
Portuguese Type 209PN is quick off the mark with harbour trials
By Michael Nitz
17 July 2008

The first of two Type 209PN submarines for the Portuguese Navy was named and launched at ThysssenKrupp Marine Systems' Howaldtswerke-Deutsche Werft shipyard (HDW) in Kiel, Germany, on 15 July.


Tridente began harbour trials immediately following the ceremony and the 68 m-long boat is due to commence sea trials early in 2009, with delivery to the customer by the end of that year.


A procurement contract for Tridente and sistership Arpao - worth around EUR800 million (USD958 million), including offset agreements - was signed by the Portuguese government and the German Submarine Consortium (consisting of HDW, Nordseewerke and trading house MAN Ferrostaal) in April 2004.


Construction of Arpao is running to schedule, according to HDW, and is expected to start sea trials in early 2010, with delivery later that year. The two units will form the 5th Submarine Squadron based in Lisbon.


The boats will replace three ageing Albacora-class submarines built for Portugal in the 1960s, only one of which - NRP Barracuda - remains in service. It is due to decommission in December 2009, leaving the country temporarily without an underwater capability.


182 of 483 words
© 2008 Jane's Information Group

http://www.janes.com/news/defence/jni/j ... _1_n.shtml (http://www.janes.com/news/defence/jni/jni080717_1_n.shtml)
Título:
Enviado por: TaGOs em Julho 17, 2008, 07:02:35 pm
Citar
Ministro da Defesa deslocou-se a Kiel, na Alemanha, para o baptismo do submarino "Tridente"

15.07.2008 O ministro da Defesa Nacional, Nuno Severiano Teixeira, deslocou-se a Kiel, na Alemanha, para assistir ao baptismo e lançamento à água do submarino do tipo U-209/PN encomendado por Portugal em 2004 e cuja chegada ao nosso país deverá acontecer a partir de 2010.

A cerimónia teve lugar no dia 15 de Julho, pelas 11 horas locais, no estaleiro alemão Howaldtswerke Deutsche Werft (HDW) e, além do ministro da Defesa Nacional, contou com a presença do Presidente da Assembleia da República, Jaime Gama, da sua mulher, Alda Taborda, que foi a madrinha do submarino “Tridente”, do Chefe de Estado-Maior-General das Forças Armadas, General Valença Pinto, do presidente da Comissão Parlamentar de Defesa, Júlio Miranda Calha, do Chefe de Estado-Maior da Armada, Almirante Melo Gomes, e de representantes dos partidos com assento parlamentar: os deputados Manuel Correia de Jesus, do PSD, e João Rebelo, do CDS-PP.


Galeria fotográfica

(http://img229.imageshack.us/img229/9310/foto3redhs6.jpg)

(http://img229.imageshack.us/img229/3092/foto2redfd2.jpg)

(http://img229.imageshack.us/img229/488/foto4redes7.jpg)

(http://img229.imageshack.us/img229/7993/foto1redmi4.jpg)

(http://img229.imageshack.us/img229/1922/tridente5redmk4.jpg)

Fonte: http://www.mdn.gov.pt/mdn/pt/Imprensa/n ... 072008.htm (http://www.mdn.gov.pt/mdn/pt/Imprensa/notas/comImp_14072008.htm)
Título:
Enviado por: garrulo em Julho 17, 2008, 07:45:18 pm
Enhorabuena, tiene  un aspecto magnífico.
Título:
Enviado por: Lancero em Julho 17, 2008, 07:56:53 pm
Galeria do presidente do Parlamento

(http://www.parlamento.pt/sites/PAR/PARXLEGA/Multimedia/PublishingImages/fotos/2008/Julho/14_01/02.jpg)

(http://www.parlamento.pt/sites/PAR/PARXLEGA/Multimedia/PublishingImages/fotos/2008/Julho/14_01/03.jpg)

(http://www.parlamento.pt/sites/PAR/PARXLEGA/Multimedia/PublishingImages/fotos/2008/Julho/14_01/01.jpg)

(http://www.parlamento.pt/sites/PAR/PARXLEGA/Multimedia/PublishingImages/fotos/2008/Julho/14_01/04.jpg)

(http://www.parlamento.pt/sites/PAR/PARXLEGA/Multimedia/PublishingImages/fotos/2008/Julho/14_01/05.jpg)

(http://www.parlamento.pt/sites/PAR/PARXLEGA/Multimedia/PublishingImages/fotos/2008/Julho/14_01/07.jpg)

(http://www.parlamento.pt/sites/PAR/PARXLEGA/Multimedia/PublishingImages/fotos/2008/Julho/14_01/08.jpg)

(http://www.parlamento.pt/sites/PAR/PARXLEGA/Multimedia/PublishingImages/fotos/2008/Julho/14_01/10.jpg)

(http://www.parlamento.pt/sites/PAR/PARXLEGA/Multimedia/PublishingImages/fotos/2008/Julho/14_01/09.jpg)

(http://www.parlamento.pt/sites/PAR/PARXLEGA/Multimedia/PublishingImages/fotos/2008/Julho/14_01/11.jpg)
Título:
Enviado por: SSK em Julho 17, 2008, 08:19:21 pm
Ao lado do Senhor Presidente da Assembleia da República encontra-se o Senhor Comandante Frutuoso, futuro Comandante do Tridente e último Comandante do Delfim.
Título:
Enviado por: Katespero em Julho 17, 2008, 09:37:06 pm
Muito bonito.

Espectáculo....um dia ainda vou navegar num submarino destes....
Já estou a aprender umas coisitas....mais um esforço e sou "submarinista" (é assim que se chama, não é?)

Muitos parabéns a todos os que gostam e respiram submarinos.

P.S. Já agora, neste fórum alguém deve ser dos submarinos, algum de vocês foi à cerimónia?!?

Cumprimentos
 :D
Título:
Enviado por: Daniel em Julho 17, 2008, 09:48:56 pm
Bom, há algo que gostaria de ver explicado, o Barracuda leva uma guarnição de 54 pessoas, penço estar certo, sendo que é um submarino bem mais pequeno que o Tridente que leva somente 32, o por que de tanta diferença no apecto de meios humanos, será a teclonógia :?:  gostaria de ver explicado, e desculpem a minha ignorância acerca deste assunto.
Outra o S165 cachalote foi tranferido, algué me sabe dizer para onde c34x  :wink:
Título:
Enviado por: pedro em Julho 17, 2008, 10:29:09 pm
Para o Paquistao.
Cumprimentos
Título:
Enviado por: AC em Julho 17, 2008, 10:37:14 pm
Exacto, a tecnologia permite que o submarino, embora seja maior tenha uma tripulação menor o que liberta mais espaço para melhores condições para a tripulação, sistemas, etc.

Os 12 tubos dos Daphné/Alabaroca não podem ser recarregados.

Os 8 tubos dos U209PN podem, como qualquer submarino minimamente moderno. Não tenho a certeza mas creio que podem levar um máximo de 8 torpedos nos tubos e 16 armazenados. Alguns dos torpedos poderão ser trocados por misseis ou minas, claro.

O Cachalote foi vendido ao Paquistão.
Título:
Enviado por: SSK em Julho 17, 2008, 10:56:05 pm
Citação de: "AC"
Exacto, a tecnologia permite que o submarino, embora seja maior tenha uma tripulação menor o que liberta mais espaço para melhores condições para a tripulação, sistemas, etc.

Os 12 tubos dos Daphné/Alabaroca não podem ser recarregados.

Os 8 tubos dos U209PN podem, como qualquer submarino minimamente moderno. Não tenho a certeza mas creio que podem levar um máximo de 8 torpedos nos tubos e 16 armazenados. Alguns dos torpedos poderão ser trocados por misseis ou minas, claro.

O Cachalote foi vendido ao Paquistão.


Basicamente o que muda são os automatismos que fazem dispensar muitos dos elementos das áreas técnicas (máquinas e electricidade).

Os 8 tubos podem ser carregados e isto não é por o submarino ser moderno. É só uma questão de filosofia. Já na WWII existiam submarinos com capacidade de carregar torpedos que se encontravam já a bordo.
O U209PN não pode levar 16 torpedos em paiol, tem somente 8 espaços que podem ser ocupados por torpedos, minas ou misseis. E, nem todos os tubos podem lançar todos os tipos de armas.

Já agora o Cachalote foi vendido em Julho de 1975 à França que por sua vez o vendeu ao Paquistão em Janeiro de 1977, onde navega com o nome de "GHAZI".
http://www.paknavy.gov.pk/daphne.htm
Título:
Enviado por: AC em Julho 17, 2008, 11:01:16 pm
ys7x9
Título:
Enviado por: Luso em Julho 17, 2008, 11:07:22 pm
Só 8 armas?
Título:
Enviado por: SSK em Julho 17, 2008, 11:09:26 pm
8 nos tubos e 8 "em paiol". Se bem que se forem minas são mais. Acho que não posso dizer quantas é que são por tubo...
 :?
É o normal em SSK's.
Título:
Enviado por: AC em Julho 17, 2008, 11:38:28 pm
Acho que são 3 minas por tubo. Como já se demonstrou, posso estar redondamente errado.
Título:
Enviado por: SSK em Julho 18, 2008, 12:08:16 am
Citação de: "AC"
Acho que são 3 minas por tubo. Como já se demonstrou, posso estar redondamente errado.


Já agora posso saber onde viu tal informação?

Obrigado
Título:
Enviado por: AC em Julho 18, 2008, 12:14:58 am
Diria-lhe de bom gosto mas não me recordo exactamente onde a encontrei.
Tenho a ideia que deparei com esse valor quando procurava informação sobre as minas MN102. Talvez no site do fabricante ou numa publicação online.
Tão pouco fiável quanto isso e a minha memória. :)
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Julho 18, 2008, 02:37:20 am
Segundo li em qualquer lado, só quatro tubos estão aptos a lançar o sub-
Harpoon.
Título:
Enviado por: P44 em Julho 18, 2008, 09:00:27 am
Citação de: "Lancero"
Citar
Non-Subscriber Extract
Portuguese Type 209PN is quick off the mark with harbour trials
By Michael Nitz
17 July 2008

The first of two Type 209PN submarines for the Portuguese Navy was named and launched at ThysssenKrupp Marine Systems' Howaldtswerke-Deutsche Werft shipyard (HDW) in Kiel, Germany, on 15 July.


Tridente began harbour trials immediately following the ceremony and the 68 m-long boat is due to commence sea trials early in 2009, with delivery to the customer by the end of that year.


A procurement contract for Tridente and sistership Arpao - worth around EUR800 million (USD958 million), including offset agreements - was signed by the Portuguese government and the German Submarine Consortium (consisting of HDW, Nordseewerke and trading house MAN Ferrostaal) in April 2004.


Construction of Arpao is running to schedule, according to HDW, and is expected to start sea trials in early 2010, with delivery later that year. The two units will form the 5th Submarine Squadron based in Lisbon.


The boats will replace three ageing Albacora-class submarines built for Portugal in the 1960s, only one of which - NRP Barracuda - remains in service. It is due to decommission in December 2009, leaving the country temporarily without an underwater capability.


182 of 483 words
© 2008 Jane's Information Group
http://www.janes.com/news/defence/jni/j ... _1_n.shtml (http://www.janes.com/news/defence/jni/jni080717_1_n.shtml)


mas não estava previsto o Tridente só entrar ao serviço em 2010 e o Arpão em 2011 :?:
Título:
Enviado por: Daniel em Julho 18, 2008, 09:36:33 am
SSK
Citar
Basicamente o que muda são os automatismos que fazem dispensar muitos dos elementos das áreas técnicas (máquinas e electricidade).

Os 8 tubos podem ser carregados e isto não é por o submarino ser moderno. É só uma questão de filosofia. Já na WWII existiam submarinos com capacidade de carregar torpedos que se encontravam já a bordo.
O U209PN não pode levar 16 torpedos em paiol, tem somente 8 espaços que podem ser ocupados por torpedos, minas ou misseis. E, nem todos os tubos podem lançar todos os tipos de armas.

Já agora o Cachalote foi vendido em Julho de 1975 à França que por sua vez o vendeu ao Paquistão em Janeiro de 1977, onde navega com o nome de "GHAZI".


Muito agradecido pelo exclarecimento, 8 tubos que pode ser carregados, no paiol tem mais 8 espaços o que da um total de 16, creio que bastante bom a capacidade de armamento deste submarino.
Então o Cachalote ainda navega. :lol:

O nosso Tridente é lindão, lindo menino. "Ele é invisível, livre de movimentos, de construção simples e barato. poderoso elemento de defesa, perigosíssimo para o adversário e seguro para quem dele se servir" :wink:
Título:
Enviado por: Johnnie em Julho 18, 2008, 12:09:50 pm
Citação de: "Daniel"

Muito agradecido pelo exclarecimento, 8 tubos que pode ser carregados, no paiol tem mais 8 espaços o que da um total de 16, creio que bastante bom a capacidade de armamento deste submarino.
Então o Cachalote ainda navega. :lol:

O nosso Tridente é lindão, lindo menino. "Ele é invisível, livre de movimentos, de construção simples e barato poderoso elemento de defesa, perigosíssimo para o adversário e seguro para quem dele se servir" :roll:
Título:
Enviado por: P44 em Julho 18, 2008, 12:15:12 pm
fonte:
DAILY COLLECTION OF MARITIME PRESS CLIPPINGS 2008 – 189

Citar
First of Class 209PN Submarine for the
Portuguese Navy launched in Kiel


On 15th July 2008, the first of two Class 209PN submarines for the Portuguese Navy was launched at Howaldtswerke-
Deutsche Werft in Kiel. The submarine was named N.R.P. TRIDENTE by Dr. Alda Taborda, wife of the President of
the Portuguese Parliament Dr. Jaima Gama.
The new submarine has a combined diesel-electric and fuel cell propulsion system. Equipped with ultra-modern
sensors and an integrated Command and Weapon Control System, it is optimally suited to its future reconnaissance
and surveillance tasks.
The contract for the two submarines was signed in 2004 between the Portuguese State and the German Submarine
Consortium (GSC). In the 2nd half of 2005, Empresa de Investigação e Desenvolvimento de Electrónica, S.A. (EID) and
the German company Howaldtswerke-Deutsche Werft GmbH (HDW) signed a contract for Integrated Communications
Systems (ICS) for two submarines and an option for a third unit.
Título:
Enviado por: SSK em Julho 18, 2008, 08:09:41 pm
Citação de: "Johnnie"
Citação de: "Daniel"

Muito agradecido pelo exclarecimento, 8 tubos que pode ser carregados, no paiol tem mais 8 espaços o que da um total de 16, creio que bastante bom a capacidade de armamento deste submarino.
Então o Cachalote ainda navega. :lol:

O nosso Tridente é lindão, lindo menino. "Ele é invisível, livre de movimentos, de construção simples e barato poderoso elemento de defesa, perigosíssimo para o adversário e seguro para quem dele se servir" :roll:


Não se esqueça que um carro não custa só o preço de aquisição! Tem de ter em conta o que ele pode fazer, quantas pessoas são precisas para o fazer andar, quantas são precisas para o manter em bom estado e não se esqueça do quanto ele "bebe".
Para as missões que pode fazer e o custo/benefício que elas podem custar é BARATO!!!
Título:
Enviado por: SSK em Julho 18, 2008, 08:12:43 pm
Citação de: "P44"
Citação de: "Lancero"
Citar
Non-Subscriber Extract
Portuguese Type 209PN is quick off the mark with harbour trials
By Michael Nitz
17 July 2008

The first of two Type 209PN submarines for the Portuguese Navy was named and launched at ThysssenKrupp Marine Systems' Howaldtswerke-Deutsche Werft shipyard (HDW) in Kiel, Germany, on 15 July.


Tridente began harbour trials immediately following the ceremony and the 68 m-long boat is due to commence sea trials early in 2009, with delivery to the customer by the end of that year.


A procurement contract for Tridente and sistership Arpao - worth around EUR800 million (USD958 million), including offset agreements - was signed by the Portuguese government and the German Submarine Consortium (consisting of HDW, Nordseewerke and trading house MAN Ferrostaal) in April 2004.


Construction of Arpao is running to schedule, according to HDW, and is expected to start sea trials in early 2010, with delivery later that year. The two units will form the 5th Submarine Squadron based in Lisbon.


The boats will replace three ageing Albacora-class submarines built for Portugal in the 1960s, only one of which - NRP Barracuda - remains in service. It is due to decommission in December 2009, leaving the country temporarily without an underwater capability.


182 of 483 words
© 2008 Jane's Information Group
http://www.janes.com/news/defence/jni/j ... _1_n.shtml (http://www.janes.com/news/defence/jni/jni080717_1_n.shtml)

mas não estava previsto o Tridente só entrar ao serviço em 2010 e o Arpão em 2011 :lol:
O previsto é logo em Janeiro, provavelmente daí a confusão.
Título:
Enviado por: Daniel em Julho 18, 2008, 08:38:43 pm
Johnnie
Citar
Coff Coff...


Eu acho que o submarinos não foram assim tão caros, se por exemplo comparado a um fragata F100, não sei  se podem comparar, mas ainda assim deixo uma pergunta, quais as possibilidades de um submarino dos nossos afundar uma F100 c34x
Título:
Enviado por: SSK em Julho 18, 2008, 09:14:11 pm
Seja F100, seja qualquer outro navio, depende de muito factor. Posso enunciar alguns:

Qual é a missão,
Navio só ou incorporado numa força naval,
Shallow waters ou deep waters,
Perfil batimétrico
Navio tem defesas anti-torpedo,
etc...

Mas atendendo que só existem dois tipos de navios, os submarinos e os alvos. As possibilidades são sempre 100%  :lol:
Título:
Enviado por: Daniel em Julho 19, 2008, 02:44:01 pm
SSK
Citar
Seja F100, seja qualquer outro navio, depende de muito factor. Posso enunciar alguns:

Qual é a missão,
Navio só ou incorporado numa força naval,
Shallow waters ou deep waters,
Perfil batimétrico
Navio tem defesas anti-torpedo,
etc...

Mas atendendo que só existem dois tipos de navios, os submarinos e os alvos. As possibilidades são sempre 100%  
 
 



Exacto, eu falei duma F100, como poderia ser uma outra, o que me levou a falar da F100 é porque se não estou enganado o custo por fragata, ronda os 700 milhões de euros, por isso quis comparar em termos de capacidades, pois os nossos submarinos creio que fica por unidade 450 milhões de euros, ao que acho ser um meio bem mais perigoso, logo o preço não está caro, isto claro a meu ver. c34x
Título:
Enviado por: AMRAAM em Julho 19, 2008, 03:44:42 pm
Daniel
Citar
Eu acho que o submarinos não foram assim tão caros, se por exemplo comparado a um fragata F100, não sei se podem comparar, mas ainda assim deixo uma pergunta, quais as possibilidades de um submarino dos nossos afundar uma F100 Question Cool
Citar
Exacto, eu falei duma F100, como poderia ser uma outra, o que me levou a falar da F100 é porque se não estou enganado o custo por fragata, ronda os 700 milhões de euros, por isso quis comparar em termos de capacidades, pois os nossos submarinos creio que fica por unidade 450 milhões de euros, ao que acho ser um meio bem mais perigoso, logo o preço não está caro, isto claro a meu ver. Wink Cool

En mi opinion,en un enfrentamiento entre una f-100 y un U-209PN/U214,lleva las de ganar vuestro submarino.Porque si bien es cierto que estas fragatas poseen grandes capacidades, de ahi su alto precio{el cual,en mas de un 50% se lo lleva solo el sistema aegis,lo que encarece el precio del barco una barbaridad,tanto es asi,que la F-105 esta valorada en unos 750 mill.Euros  :? .Asi que yo a dia de hoy daria por favorito en un posible combate a vuestro submarino frente a nuestra fragata.Podre estar equivocado,pero despues de ver como en muchas maniobras donde SSK modernos y muy silenciosos ponen en jaque ,e incluso se permiten el lujo de realizar "jaques mate"-utilizando un simil con el  ajedrez- a armadas tan potentes como la misma US Navy...yo claramente,como ya he dicho apuesto por cualquier sumergible,ya que comparto la opinion del compañero "SSK",donde dice que.."só existem dois tipos de navios, os submarinos e os alvos."  :wink:
SALUDOS!!
Título:
Enviado por: CarlosMC em Julho 19, 2008, 08:45:21 pm
Citação de: "Daniel"
Johnnie
Citar
Coff Coff...

Eu acho que o submarinos não foram assim tão caros, se por exemplo comparado a um fragata F100, não sei  se podem comparar, mas ainda assim deixo uma pergunta, quais as possibilidades de um submarino dos nossos afundar uma F100 c34x


Pus noutro tópico um link para uma notícia em que um u209 brasileiro "afundou" o "Príncipe das Astúrias":
http://piratininga.wordpress.com/2008/0 ... -portugal/ (http://piratininga.wordpress.com/2008/07/04/fragata-liberal-participa-de-exercicio-da-otan-a-convite-de-portugal/)
Título:
Enviado por: nelson henriques em Julho 19, 2008, 09:17:14 pm
:( 750 milhões euros!! É muita fruta! Talvez por isso se tenha tido de optar por certos compromissos no equipamento das fragatas. Mas creio que a Armada Espanhola pode sempre fazer um upgrade, se tal achar necessário, instalando mísseis VLS RUM-139 ASROC. Pelo menos penso que podem ser instalados nos lançadores Mk-41... Junto com um sonar rebocado moderno e o helicóptero Seahawk, isso deve compensar esse ponto fraco.
Título:
Enviado por: nelson henriques em Julho 19, 2008, 09:22:05 pm
Mas claro, sou sempre da opinião de que um bom submarino, junto com uma boa tripulação, terá sempre vantagem em qualquer confronto com navios de superfície. A História assim o comprova c34x
Título:
Enviado por: AMRAAM em Julho 19, 2008, 09:57:55 pm
Citação de: "nelson henriques"
:( 750 milhões euros!! É muita fruta! Talvez por isso se tenha tido de optar por certos compromissos no equipamento das fragatas. Mas creio que a Armada Espanhola pode sempre fazer um upgrade, se tal achar necessário, instalando mísseis VLS RUM-139 ASROC. Pelo menos penso que podem ser instalados nos lançadores Mk-41... Junto com um sonar rebocado moderno e o helicóptero Seahawk, isso deve compensar esse ponto fraco.

Exacto,en cualquier momento,y siempre y cuando la armada vaya con dinero,se pueden instalar algunos sistemas como los TACTAS por ejemplo,ya que en el diseño de las fragatas se tuvo especial cuidado con las futuras capacidades de crecimiento del buque,dejando reservas de espacio y peso,para que en un futuro y si fuese necesario,se pudiesen instalar algunos ingenios que hasta ahora no posee el buque como un CIWS,o el citado sonar remolcado.
PD:Antes se me olvido mencionar en la capacidad antisubmarina de estas fragatas la presencia tambien de 2 lanzadores mk-32 de torpedos mk-46.
SALUDOS!!
Título:
Enviado por: Katespero em Julho 20, 2008, 10:27:23 pm
Gosto dessa ideia..."Só existem dois tipos de navios. Os submarinos e os alvos"

Muito boa, e espelha bem o perigo que é um submarino.

Já agora.....sabem a história de cobrinha?!?

Cumps
Título:
Enviado por: Naadjh em Julho 21, 2008, 12:39:10 am
Alguém me sabe dizer porque puseram o nome U209 se estes são uma versão melhorado do U214?

cumps
Título:
Enviado por: SSK em Julho 21, 2008, 12:59:20 am
Citação de: "Naadjh"
Alguém me sabe dizer porque puseram o nome U209 se estes são uma versão melhorado do U214?

cumps


Este nosso U209PN era inicialmente um verdadeiro U209, mas com o alongar do concurso os alemães desenvolveram os submarinos tipo U214. Estes foram colocados no concurso em vez do inicial U209. Como não podiam mudar o nome, nem o tipo, colocaram U209PN. Por terem alterado o tipo é que a DCN queria impugnar o concurso, visto eles não terem alterado o tipo Scorpéne.
Quanto ao ser um U214 melhorado é falso. É um 214 tal e qual o grego e coreano, com a ressalva de um ou outro equipamento que eles têm a mais, tudo uma questão de Euros. A única mudança a nível de estrutura, os tais 3 metros a mais, foi um requisito português de ter uma antepara resistente a meio navio por uma questão de segurança. Esta antepara surge na sequência do acidente do Kursk, assim pelo menos metade da guarnição está a salvo ou não...
Título:
Enviado por: P44 em Julho 21, 2008, 08:54:32 am
Citação de: "Naadjh"
Alguém me sabe dizer porque puseram o nome U209 se estes são uma versão melhorado do U214?

cumps


complementado  o que o SSK escreveu:
http://www.areamilitar.net/ANALISE/anal ... Materia=15 (http://www.areamilitar.net/ANALISE/analise.aspx?NrMateria=15)
Título:
Enviado por: pmdavila em Julho 21, 2008, 09:26:57 am
Uma questão que me veio à cabeça... O casco do U-209PN é desmagnetizado, ou nem por isso?
Título:
Enviado por: P44 em Julho 21, 2008, 01:32:07 pm
o que é aquele "quadrado" á proa ? o Sonar?

(http://www.mdn.gov.pt/NR/rdonlyres/34DA47D0-FB5A-4E82-A1FE-BC96BAF8AF4D/0/20080714_Submarino_Tridente_nos_Estaleiros_Navais_em_Kiel_1.jpg)

noticia no site do MDN
http://www.mdn.gov.pt/mdn/pt/Imprensa/n ... 072008.htm (http://www.mdn.gov.pt/mdn/pt/Imprensa/notas/comImp_14072008.htm)
Título:
Enviado por: Naadjh em Julho 21, 2008, 06:20:55 pm
Obrigado SKK e P44..
Título:
Enviado por: SSK em Julho 21, 2008, 08:16:15 pm
Citação de: "pmdavila"
Uma questão que me veio à cabeça... O casco do U-209PN é desmagnetizado, ou nem por isso?


Nem por isso, mas tem uma assinatura magnética muito reduzida. E ainda...  :censurado:
Título:
Enviado por: SSK em Julho 21, 2008, 08:18:09 pm
Citação de: "P44"
o que é aquele "quadrado" á proa ? o Sonar?

(http://www.mdn.gov.pt/NR/rdonlyres/34DA47D0-FB5A-4E82-A1FE-BC96BAF8AF4D/0/20080714_Submarino_Tridente_nos_Estaleiros_Navais_em_Kiel_1.jpg)

noticia no site do MDN
http://www.mdn.gov.pt/mdn/pt/Imprensa/n ... 072008.htm (http://www.mdn.gov.pt/mdn/pt/Imprensa/notas/comImp_14072008.htm)


É o Mine avoidance sonar.
Título:
Enviado por: pmdavila em Julho 21, 2008, 08:29:53 pm
O SSK é um poço de conhecimento  :wink:  
Obrigado
Título:
Enviado por: Naadjh em Julho 22, 2008, 12:59:14 am
O pelo que eu li e vi o Nosso U-209Pn é uma misturada do U-212 e o U-214, certo?

E Qual deles preferem o que vamos ter ou os scorpene?

cumps
Título:
Enviado por: Get_It em Julho 22, 2008, 01:22:57 am
Citação de: "Naadjh"
O pelo que eu li e vi o Nosso U-209Pn é uma misturada do U-212 e o U-214, certo?

Não, é mesmo um U-214. Ver o post acima colocado (http://http).

Cumprimentos,
Título:
Enviado por: Naadjh em Julho 22, 2008, 01:36:52 am
Citação de: "Get_It"
Citação de: "Naadjh"
O pelo que eu li e vi o Nosso U-209Pn é uma misturada do U-212 e o U-214, certo?
Não, é mesmo um U-214. Ver o post acima colocado (http://http).

Cumprimentos,


bah esquece a minha cabeça não anda boa.. :S
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Julho 22, 2008, 01:54:52 am
Citar
D.R.  
22 Julho 2008 - 00h30

Equipamento: Tutela tem colaborado com o Ministério Público
DCIAP investiga submarinos
O Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP), liderado pela procuradora-adjunta Cândida Almeida, está a investigar o contrato de contrapartidas de aquisição dos dois submarinos ao German Submarine Consortium (GSC).


Conheça todos os pormenores em exclusivo, na edição do ‘Correio da Manhã’ desta terça-feira.


 :arrow: http://www.correiomanha.pt/Noticia.aspx ... 109B075833 (http://www.correiomanha.pt/Noticia.aspx?channelid=00000090-0000-0000-0000-000000000090&contentid=6ABBDE8C-08DF-4F27-9247-B6109B075833)
Título:
Enviado por: P44 em Julho 22, 2008, 08:16:58 am
Obrigado caro SSK :wink:
Título:
Enviado por: P44 em Julho 22, 2008, 11:29:24 am
Citação de: "PereiraMarques"
Citar
D.R.  
22 Julho 2008 - 00h30

Equipamento: Tutela tem colaborado com o Ministério Público
DCIAP investiga submarinos
O Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP), liderado pela procuradora-adjunta Cândida Almeida, está a investigar o contrato de contrapartidas de aquisição dos dois submarinos ao German Submarine Consortium (GSC).


Conheça todos os pormenores em exclusivo, na edição do ‘Correio da Manhã’ desta terça-feira.

 :arrow: http://www.correiomanha.pt/Noticia.aspx ... 109B075833 (http://www.correiomanha.pt/Noticia.aspx?channelid=00000090-0000-0000-0000-000000000090&contentid=6ABBDE8C-08DF-4F27-9247-B6109B075833)


scanner da noticia completa

(http://i43.servimg.com/u/f43/12/53/24/68/cm-sub10.jpg) (http://http)
Título:
Enviado por: Miguel em Julho 22, 2008, 12:02:27 pm
6 sub U214 encomendados pela turquia esta manha, para ser entregues a partir de 2015
Título:
Enviado por: P44 em Julho 22, 2008, 01:30:49 pm
Citação de: "Miguel"
6 sub U214 encomendados pela turquia esta manha, para ser entregues a partir de 2015

Citar

U-Boot-Auftrag über 2,5 Mrd Euro für HDW/MFI
Dienstag, 22. Juli 2008, 11:24 Uhr  Diesen Artikel drucken[-] Text

Ankara (Reuters) - Die Türkei will nach offiziellen Angaben sechs neue U-Boote der U-214-Klasse von der ThyssenKrupp-Tochter HDW/MFI kaufen.

Verteidigungsminister Vecdi Gönül bezifferte das Volumen des Geschäfts am Dienstag auf rund 2,5 Milliarden Euro. Der Auftrag sei Teil einer Modernisierung der türkischen Marineflotte. Mit dem Zuschlag setzte sich HDW/MFI gegen den zum französischen Thales-Konzern gehörenden Konkurrenten DCNS sowie gegen die spanische Navantia durch.



http://de.reuters.com/article/companies ... 6220080722 (http://de.reuters.com/article/companiesNews/idDEHAG23386220080722)

6 :shock: chiça!!!!
Título:
Enviado por: pmdavila em Julho 22, 2008, 02:38:20 pm
Se a Grécia tem, a Turquia não podia ficar atrás... :roll:
Título:
Enviado por: typhonman em Julho 22, 2008, 02:43:54 pm
Citação de: "P44"
Citação de: "Miguel"
6 sub U214 encomendados pela turquia esta manha, para ser entregues a partir de 2015

Citar

U-Boot-Auftrag über 2,5 Mrd Euro für HDW/MFI
Dienstag, 22. Juli 2008, 11:24 Uhr  Diesen Artikel drucken[-] Text

Ankara (Reuters) - Die Türkei will nach offiziellen Angaben sechs neue U-Boote der U-214-Klasse von der ThyssenKrupp-Tochter HDW/MFI kaufen.

Verteidigungsminister Vecdi Gönül bezifferte das Volumen des Geschäfts am Dienstag auf rund 2,5 Milliarden Euro. Der Auftrag sei Teil einer Modernisierung der türkischen Marineflotte. Mit dem Zuschlag setzte sich HDW/MFI gegen den zum französischen Thales-Konzern gehörenden Konkurrenten DCNS sowie gegen die spanische Navantia durch.


http://de.reuters.com/article/companies ... 6220080722 (http://de.reuters.com/article/companiesNews/idDEHAG23386220080722)

6 :roll:
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Julho 22, 2008, 05:53:26 pm
Com menos "mar" querem mais 6 nós só vamos ter 2 :evil:
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 22, 2008, 06:13:10 pm
Já viste a população da Turquia? São mais que às mães.
Título:
Enviado por: Bravo Two Zero em Julho 22, 2008, 06:34:33 pm
Citação de: "Cabecinhas"
Com menos "mar" querem mais 6 nós só vamos ter 2 :evil:


Com um historial de disputas com a vizinha Grécia, tem de ter umas FAs bem equipadas.....................
Título:
Enviado por: nelson38899 em Julho 22, 2008, 06:35:44 pm
Citação de: "Cabecinhas"
Com menos "mar" querem mais 6 nós só vamos ter 2 :evil:


Eu até gostava de saber qual é o custo de manutenção dos submarinos. Para ver se a Turquia vai conseguir pôr-los todos a navegar depois do primeiro ano.
Título:
Enviado por: Instrutor em Julho 22, 2008, 06:39:48 pm
Caros camaradas o cabeça de martelo tem razão, a população da Turquia ronda as 70 milhoes de pessoas so ultrapassada pela Alemanha no continente Europeu e Medio Oriente, contudo não podemos deixar de referir alguns aspectos de militarização da Turquia, embora ambos paises membros da NATO a Turquia e a Grécia nunca se ententenderam muito bem, razão principal da Turquia ainda nao ter aderido à U.E. por oposição da Grécia, a posição politico-geográfica da Turquia é muito sensível, embora tenha menos "mar" que Portugal, este mar Turco é muito mais sensível que o portugues, nele esta incluido o Bósforo, canal de ligação entre o Mar Negro e o Mar Mediterrâneno, localização próxima à Siria, Iraque, Líbano e Irão paises muito pouco populares nos nossos dias, também nao nos podemos esquecer que o PIB Turco é quatro vezes superior ao Portugues cerca de 1000 bilioes de euros contra cerca de 250 bilioes de euros, a Turquia possui as segundas maiores forças armadas da NATO a seguir aos E.U.A. com cerca de 600 mil homens, Portugal conta com cerca de 40 mil homens, a marinha de guerra turca conta com cerca de 20 navios combatentes entre eles se destacam 8 fragatas Meko, a força aérea conta com cerca de 250 avioes de combate nos quais de destaca o F-16 com mais de 200 avioes, e o exército conta com mais de 300 CC Leopardos A4 entre outros como o M60 120S com mais de 1000 unidades.
Título:
Enviado por: Instrutor em Julho 22, 2008, 06:45:37 pm
A unica "paneleirice" dos turcos é quando ganham confiança com as outras forças armadas de paises amigos, lembro-me de um episodio em santa margarida com um exercício militar conjunto com tropas turcas em vez da continencia habitual dos militares, agaram-se a nos aos beijos na cara.... :roll: cada um com a sua mania.
Título:
Enviado por: DC 38 em Julho 22, 2008, 07:49:00 pm
Citação de: "Instrutor"
A unica "paneleirice" dos turcos é quando ganham confiança com as outras forças armadas de paises amigos, lembro-me de um episodio em santa margarida com um exercício militar conjunto com tropas turcas em vez da continencia habitual dos militares, agaram-se a nos aos beijos na cara.... :diabo:  ao menos os alemães brindam-nos com  :G-beer2:
Título:
Enviado por: migbar2 em Julho 23, 2008, 12:34:18 am
Afinal de contas, os ditos problemas técnicos dos sub, devem ser mais a falta de dinheiro dos Gregos que técnicos...ou então os Turcos são muito maus muçulmanos e em vez de chá andam com uma constante borracheira, para fazerem agora tal encomenda antes de se arranjar soluções para a correcção de tão graves problemas !!!  :twisted:
Título:
Enviado por: pmdavila em Julho 23, 2008, 09:01:22 am
Ou então foram muito espertos e esperaram para que os problemas do primeiro U-214 ficassem resolvidos para os encomendar já sem os ditos problemas...
Título:
Enviado por: AMRAAM em Julho 23, 2008, 12:59:36 pm
Citação de: "pmdavila"
Ou então foram muito espertos e esperaram para que os problemas do primeiro U-214 ficassem resolvidos para os encomendar já sem os ditos problemas...

Completamente de acuerdo contigo,comparto tu opinion.. :wink:.Ello explicaria tambien entre otras cosas,el que se rechace la oferta de navantia en este programa,la cual participaba con el submarino S-80,un proyecto bastante bueno en el papel pero que todavia no se ha hecho realidad,pudiendo presentar tambien problemas en sus inicios como ya ha ocurrido con los U-214.En definitiva,me parece inteligente la opcion tomada por la marina turca ya que se decantan por uno de los mejores submarinos convencionales existentes hoy dia,presente en varias armadas y sobre todo,por un submarino que tras haber pasado por unos inicios un poco turbulentos con diversos fallos en su funcionamiento,ha sabido solucionar estos y a dia de hoy no se ha vuelto a oir nada acerca de este tema,por lo tanto se evita ,asi posibles incertidumbres tanto es su desarrollo,como en su posterior utilizacion.
SALUDOS!!
Título:
Enviado por: Katespero em Julho 24, 2008, 12:04:46 am
Os turcos não foram nada parvos.
Eles já estavam para encomendar os submarinos à muito tempo, mas com o desenrolar do "Papanikolis", eles decidiram esperar mais um pouco. :evil:
Os nossos submarinos são os melhores.. :D  (Pelo menos é o que dizem)

Cumprimentos
Título:
Enviado por: SSK em Julho 24, 2008, 12:42:44 am
Seriam decerto!!! Sim, se viessem com todo os extras, mas o orçamento é reduzido... Mas, a plataforma de série é muito boa.
Título:
Enviado por: P44 em Julho 24, 2008, 10:41:39 am
Um Artigo interessante

Citar
Run Silent, Run Cheap


July 22, 2008: For over a decade, the U.S. Navy has had an internal feud going on over the issue of just how effective non-nuclear submarines would be in wartime. In an attempt to settle the matter, from 2005 to 2007, the United States leased a Swedish sub (Sweden only has five subs in service), and it's crew, to help train American anti-submarine forces. This Swedish boat was a "worst case" scenario, an approach that is preferred for training. The Gotland class Swedish subs involved are small (1,500 tons, 200 feet long) and have a small crew of 25. The Gotland was based in San Diego, along with three dozen civilian technicians to help with maintenance.

For decades, the U.S. Navy has trained against Australian diesel-electric subs, and often came out second. The Gotland has one advantage over the Australian boats, because of its AIP system (which allows it to stay under water, silently, for several weeks at a time). Thus the Gotland is something of a worst case in terms of what American surface ships and submarines might have to face in a future naval war. None of America's most likely naval opponents (China, North Korea or Iran), have AIP boats, but they do have plenty of diesel-electric subs which, in the hands of skilled crews, can be pretty deadly.

It's only a matter of time before China gets lots of AIP boats. Meanwhile, China is rapidly acquiring advanced submarine building capabilities. One new Chinese diesel electric sub design, the Type 39A, or Yuan class, looks just like the Russian Kilo class. In the late 1990s, the Chinese began ordering Russian Kilo class subs, then one of the latest diesel-electric design available. Russia was selling new Kilos for about $200 million each, which is about half the price other Western nations sell similar boats for. The Kilos weigh 2,300 tons (surface displacement), have six torpedo tubes and a crew of 57. They are quiet, and can travel about 700 kilometers under water at a quiet speed of about five kilometers an hour. Kilos carry 18 torpedoes or SS-N-27 anti-ship missiles (with a range of 300 kilometers and launched underwater from the torpedo tubes.) The combination of quietness and cruise missiles makes Kilo very dangerous to American carriers. North Korea and Iran have also bought Kilos.

The Chinese have already built two Yuans, the second one an improvement on the first. These two boats have been at sea to try out the technology that was pilfered from the Russians. A third Yuan is under construction, and it also appears to be a bit different from the first two. The first Yuan appeared to be a copy of the early model Kilo (the model 877), while the second Yuan (referred to as a Type 39B) appeared to copy the late Kilos (model 636). The third Yuan may end up being a further evolution, or Type 39C.

The Type 39, or Song class, also had the teardrop shaped hull, but was based on the predecessor of the Kilo, the Romeo class. The Type 39A was thought to be just an improved Song, but on closer examination, especially by the Russians, it looked like a clone of the Kilos. The Yaun class also have AIP (Air Independent Propulsion), which allows non-nuclear boats to stay underwater for days at a time. China currently has Song class, 12 Kilo class, one Yuan class and 32 Romeo class boats.

Based on the experience with Australian and Swedish subs, the U.S. Navy has been developing new anti-submarine tactics and equipment. In secret, obviously. But now there is another complication. Animal rights groups have succeeded in getting courts to rule that the navy use of their anti-submarine training center near San Diego is illegal, and use of sonar must be limited (because of possible harm to marine animals). The navy keeps fighting the lawsuits, but it now faced with the prospect of abandoning the training site, for one somewhere the lawsuits can't reach. The training site is expensive because it is wired, with under water sensors that enable training or test results to be precisely recorded, and changes made to equipment or tactics. The center also enables sonar operators to get realistic training. There is no opportunity to get trained on the job, as mistakes can get your ship quickly sunk.

Meanwhile, potential enemies build more of their cheaper, and higher quality, diesel-electric boats, and train their crews by having them stalk actual warships (including U.S. ones.) The subs are getting more numerous, while U.S. defenses are limping along because of the sheer technical problems of finding quiet diesel-electric boats in coastal waters, and the inability to train and test enough because of lawsuits.



http://www.strategypage.com/htmw/htsub/ ... 80722.aspx (http://www.strategypage.com/htmw/htsub/articles/20080722.aspx)
Título:
Enviado por: SSK em Julho 24, 2008, 06:14:39 pm
Sem dúvida!!! O que está descrito é uma verdade absoluta, um novo submarino é quase inaudível, sem a necessidade de colocar os GE's a funcionar só muito dificilmente são apanhados por cadeias de hidrofones passivos. A única maneira de os apanhar junto a costa, com base em cadeias de hidrofones, a única maneira é com cadeias de sonares que possam emitir e isto é ilegal.

Agora andam por lá os italianos com os novos U212. Quiçá se um dia não vão ser os U209PN?!?!?
Título:
Enviado por: P44 em Julho 26, 2008, 09:09:39 pm
como prometido há dias, aqui fica a tradução no tal texto em Alemão

(em castelhano :mrgreen: , mas foi o que se arranjou)

 
4 anos despues de firmar el contrato pudo la Presidenta del Parlamento; Alda Maria Figueiredo Tabor dar al barco el
nombre de "Tridente". A continuacion hecharon el barco de 1840 toneladas al agua.
Tridente pertenece al tipo209PN, un tipo que fue desarrollado especialmente para Portugal.
Con 68 metros es el submarino mas largo construido por HDW en Kiel.
El barco tiene un Permasin-Motor electrico de Siemens. La corriente se produce con dos motores Diesel de 16 cilindros,
o para navegar despacio con dos modulos celulares de quemar.
La parte delantera es comparada con el tipo214 Griego 3 metros mas largo y tiene una puerta de presion especial.
Por eso el interior del el barco se divide en 2 partes que asi en caso de emergencia tiene mas seguridad.
Walter Freitag el Presidente de la compania productora senalo la inportancia de el contrato para la empresa y un salto enorme
para la Marina Portugesa.
La empresa HDW que pertenece a Thyssen Krupp Marine Systems construira en colaboracion con Nordseewerken en Emden
hasta 2012 para Portugal, Israel y Alemania a cada Nacion 2 submarinos.
La construcion completa sera en Kiel. Los siguientes proyectos se estan preparando con Turqia, Sudcorea y Pacistan.
Título:
Enviado por: pn84 em Julho 27, 2008, 10:23:00 pm
Li no forum TransportesXXI, que aconteceu uma reunião secreta entre o Ministro das Finanças e o da Defesa, para de entre duas hipoteses escolherem uma:

Adiar a vinda do segundo submarino por 4 a 5 anos

Vende-lo à Venezuela, Chaves já se mostrou interessado.

A ser verdade, sinto nojo destes governantes, são a vergonha deste País. :G-bigun:
Título:
Enviado por: DC 38 em Julho 27, 2008, 10:28:27 pm
Citação de: "pn84"

Vende-lo à Venezuela, Chaves já se mostrou interessado.



Vem no SOL desta semana a negar este facto!!!

Adiar o 2º nvio para 2011?!  provavelmente é tão certo como amanhã estar Sol, agora adiar 4 ou 5 anos é impensavél e julgo que com  a carga de encomendas com que os alemães estão neste momento, eles nunca iriam nessa conversa...

Cá estamos para ver como será...
Título:
Enviado por: AMRAAM em Julho 27, 2008, 10:29:54 pm
Seria una pena lo que dice pn84... :wink:
SALUDOS!!
Título:
Enviado por: CarlosMC em Julho 27, 2008, 10:47:10 pm
Citação de: "DC 38"
Citação de: "pn84"

Vende-lo à Venezuela, Chaves já se mostrou interessado.


Vem no SOL desta semana a negar este facto!!!

Adiar o 2º nvio para 2011?!  provavelmente é tão certo como amanhã estar Sol, agora adiar 4 ou 5 anos é impensavél e julgo que com  a carga de encomendas com que os alemães estão neste momento, eles nunca iriam nessa conversa...

Cá estamos para ver como será...


Também li, algures, que a hipótese de venda tinha sim sido colocada, mas que tinha sido descartada. Seria bastante embaraçoso, a nível internacional, se assim não fosse...
Título:
Enviado por: Jorge Pereira em Julho 28, 2008, 12:48:38 am
Citação de: "pn84"
Li no forum TransportesXXI, que aconteceu uma reunião secreta entre o Ministro das Finanças e o da Defesa, para de entre duas hipoteses escolherem uma:

Adiar a vinda do segundo submarino por 4 a 5 anos

Vende-lo à Venezuela, Chaves já se mostrou interessado.

A ser verdade, sinto nojo destes governantes, são a vergonha deste País. :G-bigun:


Ambas as opções estão definitivamente afastadas. A segunda já foi até desmentida.

Quando muito teremos um pequeno adiamento na entrega do segundo.
Título:
Enviado por: AC em Julho 28, 2008, 01:05:40 am
Exacto.

Para descansar os mais nervosos, lembro que financiamento para a aquisição dos submarinos está incluido na Lei de Programação Militar. Não poderá ser revertida sem uma revisão desta.

A única questão que é expectável é que a entrega do 2º submarino deverá ser atrasada poucos meses para o ínicio de 2011 para que entre no orçamento desse ano.
Título:
Enviado por: Pedro Monteiro em Julho 28, 2008, 03:01:50 am
O trabalho do Sol não oferece qualquer credibilidade. Primeiro, não cita quaisquer fontes para o alegado interesse venezuelano e contactos entre os governos de ambos os países. Segundo, ignora que a Venezuela tem vindo a mostrar interesse na aquisição de submarinos russos. Terceiro, ignora que a frota portuguesa (2 U-209PN) é reduzida face às necessidades de Caracas. Quarto e não menos importante, os equipamentos instalados a bordo constituíriam um obstáculo à aquisição, como no caso dos C-295M.

Depois, o artigo parece basear-se estritamente na ideia que Chaves se rearma e que as boas relações com Portugal permitiriam um acordo. Ora, então, havendo boas relações na esfera militar, porque não vimos contactos no sentido de um acordo de cooperação técnico-militar ou de venda de sistema de comunicações (PRC-525) ou outros equipamentos (Pandur II)? Face às necessidades do país, penso, teria muito mais sentido que os contactos se fizessem nesse sentido.

De resto, o texto serve de pretexto para abordar a origem da compra (governos PSD/CDS) e os problemas nos submarinos gregos... Esperava um trabalho mais completo e consistente de uma jornalista com alguma experiência na área...

Cumprimentos,
Pedro Monteiro
Título:
Enviado por: Menacho em Julho 28, 2008, 11:49:42 am
Disculpen si ya está posteada.

(http://media.shipspotting.com/uploads/thumbs/Ship+Photo+NRP+TRIDENTE+%28S+167%29/680147_800.jpg)

(http://media.shipspotting.com/uploads/thumbs/Ship+Photo+NRP+TRIDENTE+%28S+167%29/679502_800.jpg)

(http://media.shipspotting.com/uploads/thumbs/Ship+Photo+NRP+TRIDENTE+%28S+167%29/675988_800.jpg)

(http://media.shipspotting.com/uploads/thumbs/Ship+Photo+NRP+TRIDENTE+%28S+167%29/677590_800.jpg)


(http://media.shipspotting.com/uploads/thumbs/Ship+Photo+NRP+TRIDENTE+%28S+167%29/675987_800.jpg)

NRP Tridente

HDW TKMS  Synchrolift 2008/07/07
New Class Type U-209PN (in reality they are 214) to be delivered to portugese navy in 2009/2010 + sister NRP ARPAO (S168)
improved side view
Título:
Enviado por: migbar2 em Julho 29, 2008, 12:50:57 am
Mas agora estará na moda portugal pôr á venda o pouco que tem mesmo antes de entrar em serviço !!! e se não é o Estado são os jornalistas ? É os F-16, agora os subs, não quererão tambem vender uns Pandur e uns Leopard ???
Arre , porque é que não pomos á venda estes ministrosinhos .... e jornalistasinhinhinhinhinhos????
Título:
Enviado por: LuisC em Julho 29, 2008, 12:59:06 am
Citação de: "migbar2"

Arre , porque é que não pomos á venda estes ministrosinhos .... e jornalistasinhinhinhinhinhos????


Por uma razão muito simples…ninguém os compra! :lol:
Título:
Enviado por: migbar2 em Julho 29, 2008, 01:03:37 am
Citação de: "LuisC"
Citação de: "migbar2"

Arre , porque é que não pomos á venda estes ministrosinhos .... e jornalistasinhinhinhinhinhos????

Por uma razão muito simples…ninguém os compra! :twisted:  :lol:  :lol:  :lol:  :lol:
Título:
Enviado por: Luso em Julho 29, 2008, 05:26:40 pm
Citação de: "LuisC"
Citação de: "migbar2"

Arre , porque é que não pomos á venda estes ministrosinhos .... e jornalistasinhinhinhinhinhos????

Por uma razão muito simples…ninguém os compra! :twisted:
Título:
Enviado por: nelson38899 em Julho 30, 2008, 12:22:37 pm
Citar
Defesa. Portaria dos ministérios das Finanças, Negócios Estrangeiros e Defesa reduziu significativamente as condições salariais com que militares da Armada iniciaram, em 2004, a prolongada missão de acompanhar e fiscalizar o programa de construção dos dois novos submarinos

Valor do programa é superior a mil milhões de euros

Os militares destacados na Alemanha para acompanhar o programa de construção dos novos submarinos, que já conseguiram poupar "alguns milhões de euros" aos cofres do Estado, acabam de ver o seu estatuto remuneratório alterado a meio da missão.

Fontes militares disseram ao DN que a portaria governamental publicada no passado dia 01 deste mês, produzindo efeitos a partir dessa mesma data, alterou as regras a meio do jogo - os membros da missão passam a receber "ajudas de custo", de valor significativamente inferior ao montante que recebiam, o que está, asseguraram as fontes, a criar um sentimento de injustiça e de falta de reconhecimento em relação ao esforço e aos resultados desse trabalho (por passarem a receber menos que militares destacados em embaixadas no exterior e que fazem trabalhos de secretaria com responsabilidades reduzidas).

A chamada missão de construção dos submarinos (MCSUB) foi criada por portaria em Novembro de 2004, para acompanhar e fiscalizar o Programa Relativo à Aquisição de Submarinos (PRAS) para a Marinha - de valor superior a mil milhões de euros. Os seus membros foram nomeados ao abrigo do regime consagrado para o pessoal das missões militares junto das representações diplomáticas no estrangeiro.

Sendo também uma missão de longo prazo (nalguns casos até seis anos), implicou a ida de familiares para a cidade alemã de Kiel (onde se situam os estaleiros navais da HDW). O problema, segundo as fontes, é que o novo regime remuneratório torna inviável a estabilidade familiar de quem vai chegar ao fim do mês com "saldo negativo" e deverá ter de fazer a família regressar a Portugal.

Uma das fontes frisou que a portaria agora aprovada visou igualar a situação dos quadros da MCSUB aos dos envolvidos noutras missões de acompanhamento recentemente criadas, como a relativa às fragatas holandesas da classe M. E que, no caso dos efectivos destacados na Alemanha, estes até beneficiaram do atraso (ficando subentendido que ele foi propositado) na aplicação do novo regime de abonos. Recorde-se que este está em vigor desde o início deste ano. O facto, segundo outras fontes, é que as regras foram alteradas e podem levar alguns dos militares destacados na Alemanha a pedir o regresso antecipado a Portugal.

Recorde-se que o primeiro dos dois submarinos, o NRP Tridente, foi lançado à água no passado dia 15, em cerimónia a que não assistiu qualquer jornalista português.

Poupanças

Recorrente, nas palavras das fontes, é a preocupação com a alegada afectação na qualidade do trabalho até aqui produzido, devido ao desvio das atenções, do plano profissional para o familiar, por parte dos membros da MCSUB.

A título de exemplo, algumas fontes citaram várias situações em que "a motivação e o empenho" desses quadros permitiu ganhos significativos para o Estado português. Tendo presente que os estaleiros alemães - como qualquer empresa - procuram reduzir custos na construção dos dois submarinos, bem como o que uma fonte qualificou como "as ambiguidades" existentes no contrato de aquisição desses vasos de guerra, o resultado do trabalho dos marinheiros destacados em Kiel é mensurável de várias maneiras, frisaram as fontes.

Uma delas é financeira: os custos da integração dos torpedos foi reduzida em "cerca de nove milhões de euros", o investimento em equipamentos não incluídos no contrato que vão ser instalados nos submarinos, a renegociação das condições de instalação dos militares destacados para acções de formação permitiu poupar mais de cem mil "só este ano".

No plano técnico, a obtenção de documentos técnicos não previstos no contrato e que, entre outros aspectos, reforçam a autonomia da Marinha face aos estaleiros em termos de manutenção dos submarinos.

No dia a dia da sua actividade, os membros da MCSUB chegam a estar durante várias semanas na Noruega para a realização dos testes de mar. Segundo uma das fontes, o novo regime de ajudas de custo não muda com a ida para aquele país escandinavo, onde o custo de vida (leia-se alimentação) é superior ao alemão. Como o valor gasto nas refeições é depois descontado no ordenado, isso contribui para reduzir o valor do salário a receber ao fim do mês, adiantou a referida fonte. http://dn.sapo.pt/2008/07/30/nacional/f ... rtado.html (http://dn.sapo.pt/2008/07/30/nacional/fiscais_submarinos_subsidios_cortado.html)
Título:
Enviado por: João Oliveira Silva em Julho 30, 2008, 04:15:59 pm
Citar
Defesa. Portaria dos ministérios das Finanças, Negócios Estrangeiros e Defesa reduziu significativamente as condições salariais com que militares da Armada iniciaram, em 2004, a prolongada missão de acompanhar e fiscalizar o programa de construção dos dois novos submarinos

Valor do programa é superior a mil milhões de euros

Os militares destacados na Alemanha para acompanhar o programa de construção dos novos submarinos, que já conseguiram poupar "alguns milhões de euros" aos cofres do Estado, acabam de ver o seu estatuto remuneratório alterado a meio da missão.

Fontes militares disseram ao DN que a portaria governamental publicada no passado dia 01 deste mês, produzindo efeitos a partir dessa mesma data, alterou as regras a meio do jogo - os membros da missão passam a receber "ajudas de custo", de valor significativamente inferior ao montante que recebiam, o que está, asseguraram as fontes, a criar um sentimento de injustiça e de falta de reconhecimento em relação ao esforço e aos resultados desse trabalho (por passarem a receber menos que militares destacados em embaixadas no exterior e que fazem trabalhos de secretaria com responsabilidades reduzidas).

A chamada missão de construção dos submarinos (MCSUB) foi criada por portaria em Novembro de 2004, para acompanhar e fiscalizar o Programa Relativo à Aquisição de Submarinos (PRAS) para a Marinha - de valor superior a mil milhões de euros. Os seus membros foram nomeados ao abrigo do regime consagrado para o pessoal das missões militares junto das representações diplomáticas no estrangeiro.

Sendo também uma missão de longo prazo (nalguns casos até seis anos), implicou a ida de familiares para a cidade alemã de Kiel (onde se situam os estaleiros navais da HDW). O problema, segundo as fontes, é que o novo regime remuneratório torna inviável a estabilidade familiar de quem vai chegar ao fim do mês com "saldo negativo" e deverá ter de fazer a família regressar a Portugal.

Uma das fontes frisou que a portaria agora aprovada visou igualar a situação dos quadros da MCSUB aos dos envolvidos noutras missões de acompanhamento recentemente criadas, como a relativa às fragatas holandesas da classe M. E que, no caso dos efectivos destacados na Alemanha, estes até beneficiaram do atraso (ficando subentendido que ele foi propositado) na aplicação do novo regime de abonos. Recorde-se que este está em vigor desde o início deste ano. O facto, segundo outras fontes, é que as regras foram alteradas e podem levar alguns dos militares destacados na Alemanha a pedir o regresso antecipado a Portugal.

Recorde-se que o primeiro dos dois submarinos, o NRP Tridente, foi lançado à água no passado dia 15, em cerimónia a que não assistiu qualquer jornalista português.

Poupanças

Recorrente, nas palavras das fontes, é a preocupação com a alegada afectação na qualidade do trabalho até aqui produzido, devido ao desvio das atenções, do plano profissional para o familiar, por parte dos membros da MCSUB.

A título de exemplo, algumas fontes citaram várias situações em que "a motivação e o empenho" desses quadros permitiu ganhos significativos para o Estado português. Tendo presente que os estaleiros alemães - como qualquer empresa - procuram reduzir custos na construção dos dois submarinos, bem como o que uma fonte qualificou como "as ambiguidades" existentes no contrato de aquisição desses vasos de guerra, o resultado do trabalho dos marinheiros destacados em Kiel é mensurável de várias maneiras, frisaram as fontes.

Uma delas é financeira: os custos da integração dos torpedos foi reduzida em "cerca de nove milhões de euros", o investimento em equipamentos não incluídos no contrato que vão ser instalados nos submarinos, a renegociação das condições de instalação dos militares destacados para acções de formação permitiu poupar mais de cem mil "só este ano".

No plano técnico, a obtenção de documentos técnicos não previstos no contrato e que, entre outros aspectos, reforçam a autonomia da Marinha face aos estaleiros em termos de manutenção dos submarinos.

No dia a dia da sua actividade, os membros da MCSUB chegam a estar durante várias semanas na Noruega para a realização dos testes de mar. Segundo uma das fontes, o novo regime de ajudas de custo não muda com a ida para aquele país escandinavo, onde o custo de vida (leia-se alimentação) é superior ao alemão. Como o valor gasto nas refeições é depois descontado no ordenado, isso contribui para reduzir o valor do salário a receber ao fim do mês, adiantou a referida fonte.


Sinceramente, não estou a perceber isto.
Acho que não sou burro, mas alguém que me explique, isto é, troque por miudos esta coisa.
Não percebo e não gosto de ficar na ignorância.
Obrigado e cumprimentos,
Título:
Enviado por: SSK em Julho 30, 2008, 06:36:05 pm
O que é que não percebeu?
Título:
Enviado por: Luso em Julho 30, 2008, 06:47:59 pm
É simples de perceber mais um episódio tipicamente socialista: tira-se o dinheiro a quem trabalha para dar ao parasita.
Também não sei onde está a dúvida.
Título:
Enviado por: Daniel em Julho 30, 2008, 07:22:30 pm
Citar
Recorde-se que o primeiro dos dois submarinos, o NRP Tridente, foi lançado à água no passado dia 15, em cerimónia a que não assistiu qualquer jornalista português.

Dessa não sabia. :lol:  :lol:  c34x  quem vos  manda poupar :mrgreen:
Título:
Enviado por: João Oliveira Silva em Julho 30, 2008, 07:47:34 pm
Citar
É simples de perceber mais um episódio tipicamente socialista: tira-se o dinheiro a quem trabalha para dar ao parasita.
Concordo, essa já eu lá tinha chegado.
Citar
O que é que não percebeu?
Em concreto isto:
Citar
a ida de familiares para a cidade alemã de Kiel
Citar
devido ao desvio das atenções, do plano profissional para o familiar, por parte dos membros da MCSUB.
Vamos lá por partes:
- quando um militar vai, por exemplo para o afeganistão ou para a Bósnia, leva algum familiar?
- Neste caso de Kiel quantos familiares lá estão? a mulher, os filhos?
- No tempo em que lá estão o que é que estes familiares estão a fazer?  ( no tempo da guerra em áfrica alguns militares, maioritáriamente oficiais milicianos, levavam as esposas recem-casadas e que grande parte delas ocupavam o tempo a dar aulas aos militares e aos naturais ). Na Alemanha o que se faz?
Citar
"a motivação e o empenho"
Mas a motivação e o empenho não está inerente aquilo que fazemos na vida? Eu não vou dizer ao meu patrão: olhe, este mês, para contar com a minha motivação e para eu me empenhar a sério têm que me dar mais algum...  Se fizesse isso, no dia a seguir estava a arrumar carros no Terreiro do Paço, e a minha entidade patronal é generosa.
Pessoalmente já me tenho deslocado ao estrangeiro por motivos profissionais, nomeadamente em acções de formação,  e não é por isso que o meu recibo de vencimento dispara por aí a cima para pagar a estadia dos familiares. Dá para vir duas vezes por mês passar o fim-de-semana a Portugal.
Citar
que já conseguiram poupar "alguns milhões de euros" aos cofres do Estado
Mas não é isto a que estamos profissionalmente obrigados para com a nossa entidade patronal? se eu vir " afanarem " a minha empresa ou com o meu silência permitir que " afanem " a minha empresa, calo-me a não ser que receba mais algum? Nas Forças Armadas e muito em concreto neste caso não é assim?
Não percebo.

Cumprimentos,
Título:
Enviado por: SSK em Julho 30, 2008, 11:34:24 pm
O Ultramar já foi há uns tempos, desde aí muita coisa mudou...

Segundo a lei os militares não têm só deveres, também têm direitos!!!

Os senhores embaixadores em missão no estrangeiro não levam mulher e filhos? Elas dão aulas aos nativos? Os militares que vão para a Bósnia e afins também não vão a ajudas de custo! Vão a oferir o que está em lei para missões do tipo!
Se o seu patrão deixar de lhe pagar o que contratualizou inicialmente não lhe iria causar alguma desmotivação? Ou ia queixar-se ao sindicato? Militares não tem sindicato nem podem rescindir contratos!
Essas formações são de 8 anos? Viagens mais baratas, não de borla, são de 6 em 6 meses! Tal qual o pessoal que está em embaixadas, que é o que sucede neste caso!

Desde já lhe garanto que não faço parte da MCSUB mas sei o que lá se passa! E tenho muitas dúvidas se muitos empresários e técnicos portugueses com a formação fariam um trabalho da qualidade que estes senhores estão a fazer!!!
Título:
Enviado por: de la Perière em Julho 30, 2008, 11:38:52 pm
Citação de: "João Oliveira Silva"
Em concreto isto:
Citar
a ida de familiares para a cidade alemã de Kiel
Citar
devido ao desvio das atenções, do plano profissional para o familiar, por parte dos membros da MCSUB.
Vamos lá por partes:
- quando um militar vai, por exemplo para o afeganistão ou para a Bósnia, leva algum familiar?

O pessoal da MCSUB foi para a Alemanha em 2004 e só tem regresso previsto depois de 2011. Não me parece que o pessoal vá tanto tempo para a Bósnia e para o Afeganistão. Por esse motivo levaram as famílias. Além disso as famílias foram porque lhes foram proporcionadas condições financeiras para isso (algumas mulheres desempregaram-se em Portugal para poderem acompanhar os maridos). É muito aborrecido orientar a vida familiar num pressuposto e a meio mudarem as regras do jogo.

Citar
No tempo em que lá estão o que é que estes familiares estão a fazer?  ( no tempo da guerra em áfrica alguns militares, maioritáriamente oficiais milicianos, levavam as esposas recem-casadas e que grande parte delas ocupavam o tempo a dar aulas aos militares e aos naturais ). Na Alemanha o que se faz?

Pois, as esposas do milicianos que iam para Àfrica iam para um território em que se falava português. Cada familiar dos militares da MCSUB é um caso, mas julgo que nem todos sabem falar alemão para conseguirem emprego na Alemanha.

Citar
Mas a motivação e o empenho não está inerente aquilo que fazemos na vida? Eu não vou dizer ao meu patrão: olhe, este mês, para contar com a minha motivação e para eu me empenhar a sério têm que me dar mais algum...
Pois, mas ter que pagar para trabalhar e ficar junto da família é capaz de ser desmotivador. No seu emprego se estiver desmotivado com o nível salarial se calhar vai à procura de outra empresa onde paguem melhor. Se calhar é isso que o pessoal da MCSUB vai fazer (neste caso pode-se compreender como outra empresa regressar a Portugal para outras funções).

Citar
Pessoalmente já me tenho deslocado ao estrangeiro por motivos profissionais, nomeadamente em acções de formação,  e não é por isso que o meu recibo de vencimento dispara por aí a cima para pagar a estadia dos familiares. Dá para vir duas vezes por mês passar o fim-de-semana a Portugal.

Há que perceber os enquadramentos. Durante quanto tempo foram essas estadias? Não se mediram concerteza em anos (o pessoal da MCSUB já está na Alemanha há 4 anos e ainda faltam pelo menos mais 3). Além disso, se o que recebe já lhe dá para vir duas vezes por mês a Portugal já é bastante mais que as ajudas de custo que o Estado português dá aos seus militares no estrangeiro.

Citar
que já conseguiram poupar "alguns milhões de euros" aos cofres do Estado
Citar
Mas não é isto a que estamos profissionalmente obrigados para com a nossa entidade patronal? se eu vir " afanarem " a minha empresa ou com o meu silência permitir que " afanem " a minha empresa, calo-me a não ser que receba mais algum? Nas Forças Armadas e muito em concreto neste caso não é assim?
Não percebo.


A questão aqui em causa é que, apesar de estarem a fazer o melhor possível, e de até estarem a ter resultados positivos (se calhar mais até que o inicialmente expectável), estão a regredir nas condições de remuneração. Ninguém se está a queixar por estar a fazer o que deve, estão a queixar-se por lhes alterarem as condições de vida (nomeadamente as remunerações).

Espero ter contribuído para o esclarecimento.

Já agora, não faço parte da MCSUB, pelo que estou à vontade para falar. No lugar deles pode ter a certeza que iria ficar desmotivado, e que isso iria ter reflexos no meu desempenho.

Cumprimentos.
Título:
Enviado por: Feinwerkbau em Agosto 01, 2008, 01:50:11 pm
apenas uma pergunta...

normalmente não são os estaleiros que assumem as despesas de alojamento e alimentação? E não fornecem carros de serviço?
Título:
Enviado por: Lancero em Agosto 02, 2008, 12:53:54 pm
Citar
Defesa: Dragagem Base Naval Lisboa e Canal Alfeite em 2009 preparam chegada do novo submarino "Tridente"
02 de Agosto de 2008, 11:00

Lisboa, 02 Ago (Lusa) - A Base Naval de Lisboa e o Canal do Alfeite vão ser dragados no próximo ano, operação imprescindível para permitir o acesso do novo submarino "Tridente" ao Arsenal do Alfeite.

Questionado pela Lusa sobre se a aquisição do novo submarino "Tridente", encomendando em 2004 à Alemanha e que chegará a Portugal em 2010, obriga à limpeza de um 'túnel' do mar até ao Alfeite para que ele possa fazer esse trajecto, o porta-voz do Estado Maior da Armada confirmou a realização de dragagens em 2009.

"Em 2009, serão efectuadas dragagens que se destinarão a repor as cotas de operação dos meios navais", adiantou o porta-voz do Estado Maior da Armada, João Pedro Maurício Barbosa.

Contudo, acrescentou, está apenas prevista a dragagem da Base Naval de Lisboa e do Canal do Alfeite, operação que será efectuada à "cota -8,0 metros ao Zero Hidrográfico".

Os submarinos 209PN, o tipo do submarino "Tridente", "têm um calado médio à superfície de 6,6 metros", referiu ainda João Pedro Maurício Barbosa.

O porta-voz do Estado Maior da Armada sublinhou também que, tendo em conta a taxa de assoreamento existente na zona do Alfeite, as dragagens da Base Naval de Lisboa, do Canal do Alfeite e do Canal de acesso à doca do Arsenal do Alfeite "são operações de execução periódica".

Interrogado igualmente se a chegada do novo submarino irá obrigar a obras de adaptação no Alfeite, João Pedro Maurício Barbosa explicou que essas operações já foram realizadas por conta do Contrato de Contrapartidas.

"As adaptações já efectuadas no Arsenal do Alfeite correram por conta do Contrato de Contrapartidas, tendo sido fornecido equipamento e adaptadas diversas oficinas", disse.

Criado em 1939, o Arsenal do Alfeite, actualmente com 29 áreas tecnológicas, é o estabelecimento fabril da Marinha responsável por reparar e construir navios.

Há cerca de duas semanas, o ministro da Defesa, Nuno Severiano Teixeira, assistiu em Kiel, na Alemanha, ao baptismo e lançamento à água do submarino "Tridente".

O "Tridente" é o primeiro dos dois novos submarinos encomendados à Alemanha, do tipo U-209/PN e que custarão no total mil milhões de euros.

A entrega do "Tridente" está prevista para 2010, enquanto o segundo deverá chegar a Portugal no ano seguinte.

Os dois novos submarinos "Tridente" e "Arpão" vão substituir os anteriores submersíveis da Armada, da classe Albacora, o "Barracuda" e o "Delfim", em fim de vida.
Título:
Enviado por: Lancero em Agosto 02, 2008, 12:54:25 pm
Citar
Defesa: Dragagem Base Naval Lisboa e Canal Alfeite em 2009 preparam chegada do novo submarino "Tridente"
02 de Agosto de 2008, 11:00

Lisboa, 02 Ago (Lusa) - A Base Naval de Lisboa e o Canal do Alfeite vão ser dragados no próximo ano, operação imprescindível para permitir o acesso do novo submarino "Tridente" ao Arsenal do Alfeite.

Questionado pela Lusa sobre se a aquisição do novo submarino "Tridente", encomendando em 2004 à Alemanha e que chegará a Portugal em 2010, obriga à limpeza de um 'túnel' do mar até ao Alfeite para que ele possa fazer esse trajecto, o porta-voz do Estado Maior da Armada confirmou a realização de dragagens em 2009.

"Em 2009, serão efectuadas dragagens que se destinarão a repor as cotas de operação dos meios navais", adiantou o porta-voz do Estado Maior da Armada, João Pedro Maurício Barbosa.

Contudo, acrescentou, está apenas prevista a dragagem da Base Naval de Lisboa e do Canal do Alfeite, operação que será efectuada à "cota -8,0 metros ao Zero Hidrográfico".

Os submarinos 209PN, o tipo do submarino "Tridente", "têm um calado médio à superfície de 6,6 metros", referiu ainda João Pedro Maurício Barbosa.

O porta-voz do Estado Maior da Armada sublinhou também que, tendo em conta a taxa de assoreamento existente na zona do Alfeite, as dragagens da Base Naval de Lisboa, do Canal do Alfeite e do Canal de acesso à doca do Arsenal do Alfeite "são operações de execução periódica".

Interrogado igualmente se a chegada do novo submarino irá obrigar a obras de adaptação no Alfeite, João Pedro Maurício Barbosa explicou que essas operações já foram realizadas por conta do Contrato de Contrapartidas.

"As adaptações já efectuadas no Arsenal do Alfeite correram por conta do Contrato de Contrapartidas, tendo sido fornecido equipamento e adaptadas diversas oficinas", disse.

Criado em 1939, o Arsenal do Alfeite, actualmente com 29 áreas tecnológicas, é o estabelecimento fabril da Marinha responsável por reparar e construir navios.

Há cerca de duas semanas, o ministro da Defesa, Nuno Severiano Teixeira, assistiu em Kiel, na Alemanha, ao baptismo e lançamento à água do submarino "Tridente".

O "Tridente" é o primeiro dos dois novos submarinos encomendados à Alemanha, do tipo U-209/PN e que custarão no total mil milhões de euros.

A entrega do "Tridente" está prevista para 2010, enquanto o segundo deverá chegar a Portugal no ano seguinte.

Os dois novos submarinos "Tridente" e "Arpão" vão substituir os anteriores submersíveis da Armada, da classe Albacora, o "Barracuda" e o "Delfim", em fim de vida.
Título:
Enviado por: Get_It em Agosto 02, 2008, 03:39:38 pm
Ah, NRP "Tridente" :shock: ...ainda não recuperei dos nomes dados aos submarinos.

Cumprimentos,
Título:
Enviado por: Supremo Chanceler em Agosto 02, 2008, 04:07:28 pm
Espero não estar a repetir nenhum post anterior, mas já se tem conhecimento da heráldica dos 2 novos submarinos?
Título:
Enviado por: P44 em Agosto 06, 2008, 06:26:09 pm
:arrow:

http://lmcshipsandthesea.blogspot.com/2 ... naval.html (http://lmcshipsandthesea.blogspot.com/2008/08/analfabetismo-martimo-e-naval.html)

(http://i53.servimg.com/u/f53/12/53/24/68/artigo10.jpg)

Citar
Vale a pena ler este artigo do Sr. Almirante Vieira Matias (fazer click sobre o texto ao lado para ampliar e ler) acerca de declarações infelizes do actual Ministro da Economia sobre a compra de submarinos por Portugal.
Sem querer repetir os argumentos do Sr. Almirante que merecem total concordância, gostava de acrescentar alguns aspectos, na qualidade de cidadão indignado com o actual estado de coisas a que chegaram os assuntos do Mar em Portugal.
Para começar parece-me óbvio que o Sr. Ministro Pinho não reune condições para o desempenho do cargo que vem ocupando. O Mar tem obrigatoriamente que ser visto como prioridade em qualquer política de desenvolvimento da economia e não é aceitável de um alto responsável com uma pasta chave um nível de ignorância tão elevado e atrevido desconhecimento.
O longo processo de substituição dos submarinos da Quarta Esquadrilha, que se arrasta há anos demasiados é por si ofensivo da dignidade da Marinha, dos cidadãos interessados nos Assuntos do Mar e da eficiência que se exige à Governação. Precisamos de submarinos urgentemente e dois não são suficientes. O mínimo são três unidades, para que haja sempre uma no activo.
Neste momento temos um, o NRP BARRACUDA, que serve o País há 40 anos, e que vai ser abatido em 2009, havendo um lapso de tempo, até 2010 em que a Marinha Portuguesa não terá quaisquer submarinos em serviço. Não deveriamos nunca ter reduzido a esquadrilha das quatro unidades originais para as três que duraram mais que quaisquer submarinos congéneres nas Marinhas Europeias. Queremos mais submarinos, e também navios de superfície modernos e adequados às necessidades do País. Urgentemente. É uma vergonha obrigar as guarnições de navios como os da classe CACINE, por exemplo, ao cumprimento de missões de interesse público, quando estas unidades, de que restam 4 no activo, foram concebidas nos anos sessenta para operar no Ultramar, em África. Muitos outros exemplos se podiam referir...
Mas o Mar tem muitas outras vertentes fundamentais para além da Defesa: é urgente fomentar a Marinha de Comércio, hoje quase desaparecida. É fundamental relançar estas actividades associadas ao crescimento da Indústria Naval, pondo os estaleiros a funcionar de forma mais competitiva, com uma maior carteira de encomendas para o mercado interno. Somos totalmente dependentes do estrangeiro em termos de transportes marítimos, repetindo erros do passado que custaram muito caro ao País.
O Sr. Ministro Pinho não é obrigado a gostar de Navios e ou do Mar. Mas tem obrigação de servir o desenvolvimento e os interesses do País. E tudo isso passa pelo Mar para lá das praias, albufeiras e peixinhos. A realidade é ainda mais grave, pois o Ministro da Economia transmite uma visão de ignorância alargada da sociedade portuguesa actual face ao Mar. Há que alterar este estado de coisas a bem de todos.
E aqui para nós, para além do que acima ficou exposto, os submarinistas portugueses são uma élite merecedora do maior respeito e consideração. Não merecem tanto analfabetismo marítimo-governamental...
O assunto está aberto a comentários abaixo... Luís Miguel Correia

Texto do Sr. Almirante Nuno Vieira Matias publicado no Diário de Notícias de 2008-08-02 / Comentários indignados de L.M.Correia, cidadão independente, sem qualquer ligação formal à Marinha para além de gostar de Navios e do Mar
Título:
Enviado por: Falcão em Agosto 07, 2008, 12:36:06 pm
Citação de: "P44"
:idea:  :arrow:

http://lmcshipsandthesea.blogspot.com/2 ... naval.html (http://lmcshipsandthesea.blogspot.com/2008/08/analfabetismo-martimo-e-naval.html)

(http://i53.servimg.com/u/f53/12/53/24/68/artigo10.jpg)

Citar
Vale a pena ler este artigo do Sr. Almirante Vieira Matias (fazer click sobre o texto ao lado para ampliar e ler) acerca de declarações infelizes do actual Ministro da Economia sobre a compra de submarinos por Portugal.
Sem querer repetir os argumentos do Sr. Almirante que merecem total concordância, gostava de acrescentar alguns aspectos, na qualidade de cidadão indignado com o actual estado de coisas a que chegaram os assuntos do Mar em Portugal.
Para começar parece-me óbvio que o Sr. Ministro Pinho não reune condições para o desempenho do cargo que vem ocupando. O Mar tem obrigatoriamente que ser visto como prioridade em qualquer política de desenvolvimento da economia e não é aceitável de um alto responsável com uma pasta chave um nível de ignorância tão elevado e atrevido desconhecimento.
O longo processo de substituição dos submarinos da Quarta Esquadrilha, que se arrasta há anos demasiados é por si ofensivo da dignidade da Marinha, dos cidadãos interessados nos Assuntos do Mar e da eficiência que se exige à Governação. Precisamos de submarinos urgentemente e dois não são suficientes. O mínimo são três unidades, para que haja sempre uma no activo.
Neste momento temos um, o NRP BARRACUDA, que serve o País há 40 anos, e que vai ser abatido em 2009, havendo um lapso de tempo, até 2010 em que a Marinha Portuguesa não terá quaisquer submarinos em serviço. Não deveriamos nunca ter reduzido a esquadrilha das quatro unidades originais para as três que duraram mais que quaisquer submarinos congéneres nas Marinhas Europeias. Queremos mais submarinos, e também navios de superfície modernos e adequados às necessidades do País. Urgentemente. É uma vergonha obrigar as guarnições de navios como os da classe CACINE, por exemplo, ao cumprimento de missões de interesse público, quando estas unidades, de que restam 4 no activo, foram concebidas nos anos sessenta para operar no Ultramar, em África. Muitos outros exemplos se podiam referir...
Mas o Mar tem muitas outras vertentes fundamentais para além da Defesa: é urgente fomentar a Marinha de Comércio, hoje quase desaparecida. É fundamental relançar estas actividades associadas ao crescimento da Indústria Naval, pondo os estaleiros a funcionar de forma mais competitiva, com uma maior carteira de encomendas para o mercado interno. Somos totalmente dependentes do estrangeiro em termos de transportes marítimos, repetindo erros do passado que custaram muito caro ao País.
O Sr. Ministro Pinho não é obrigado a gostar de Navios e ou do Mar. Mas tem obrigação de servir o desenvolvimento e os interesses do País. E tudo isso passa pelo Mar para lá das praias, albufeiras e peixinhos. A realidade é ainda mais grave, pois o Ministro da Economia transmite uma visão de ignorância alargada da sociedade portuguesa actual face ao Mar. Há que alterar este estado de coisas a bem de todos.
E aqui para nós, para além do que acima ficou exposto, os submarinistas portugueses são uma élite merecedora do maior respeito e consideração. Não merecem tanto analfabetismo marítimo-governamental...
O assunto está aberto a comentários abaixo... Luís Miguel Correia

Texto do Sr. Almirante Nuno Vieira Matias publicado no Diário de Notícias de 2008-08-02 / Comentários indignados de L.M.Correia, cidadão independente, sem qualquer ligação formal à Marinha para além de gostar de Navios e do Mar


Parece piada mas não é. Estes são os indivíduos que governam (?) este país. Indivíduos que dificilmente conseguiriam gerir um talho ou um café, estão à frente dos destinos de um país pela simples razão de pertencerem a uma máquina partidária.

Sinto vergonha destas personagens. Mas, o pior de tudo, é que não são casos (tristes) isolados.

Lembram-se do Mário Lino e as suas declarações de um iberista convicto?

E as do Ministro das Finanças a referir-se também aos submarinos?

E as do Primeiro-ministro em relação à Olivença?

Neste leque de “Grandes Portugueses” e “Defensores dos Interesses da Pátria” não podia faltar o Manuel Pinho, um dos mais incompetentes ministros deste triste governo.


Perante isto o que pensará o Sr. Presidente da República? Por questões de menor importância já vi ministros demitidos e Governos a cair!

Pena também é que a revolta e a indignação só venha da mão de militares reformados ou na reserva…

Deveria sim, partir de todos nós.
Título:
Enviado por: jmg em Agosto 08, 2008, 06:01:16 pm
Os governantes devem de perceber que para um país como Portugal, sem capacidade de dissuasão nuclear, sem poderio económico/político/estratégico, a única maneira de ser tomado a sério pelo mundo é ter capacidade submarina.
Essa capacidade transforma-se na única força dissuasora ao dispor da politica (externa) portuguesa.
Sou militar e contra mim falo.
Hoje em dia só somos (os portugueses) reconhecidos internacionalmente pelas nossas capacidades técnicas e humanas. Acho que já é tempo de completar esse reconhecimento com equipamento capaz para que o nosso país seja encarado com seriedade e não como um anão na Europa dos grandes.....
Título:
Enviado por: Katespero em Agosto 23, 2008, 01:30:06 am
Citação de: "João Oliveira Silva"
Citar
É simples de perceber mais um episódio tipicamente socialista: tira-se o dinheiro a quem trabalha para dar ao parasita.
Concordo, essa já eu lá tinha chegado.
Citar
O que é que não percebeu?
Em concreto isto:
Citar
a ida de familiares para a cidade alemã de Kiel
Citar
devido ao desvio das atenções, do plano profissional para o familiar, por parte dos membros da MCSUB.
Vamos lá por partes:
- quando um militar vai, por exemplo para o afeganistão ou para a Bósnia, leva algum familiar?
- Neste caso de Kiel quantos familiares lá estão? a mulher, os filhos?
- No tempo em que lá estão o que é que estes familiares estão a fazer?  ( no tempo da guerra em áfrica alguns militares, maioritáriamente oficiais milicianos, levavam as esposas recem-casadas e que grande parte delas ocupavam o tempo a dar aulas aos militares e aos naturais ). Na Alemanha o que se faz?
Citar
"a motivação e o empenho"
Mas a motivação e o empenho não está inerente aquilo que fazemos na vida? Eu não vou dizer ao meu patrão: olhe, este mês, para contar com a minha motivação e para eu me empenhar a sério têm que me dar mais algum...  Se fizesse isso, no dia a seguir estava a arrumar carros no Terreiro do Paço, e a minha entidade patronal é generosa.
Pessoalmente já me tenho deslocado ao estrangeiro por motivos profissionais, nomeadamente em acções de formação,  e não é por isso que o meu recibo de vencimento dispara por aí a cima para pagar a estadia dos familiares. Dá para vir duas vezes por mês passar o fim-de-semana a Portugal.
Citar
que já conseguiram poupar "alguns milhões de euros" aos cofres do Estado
Mas não é isto a que estamos profissionalmente obrigados para com a nossa entidade patronal? se eu vir " afanarem " a minha empresa ou com o meu silência permitir que " afanem " a minha empresa, calo-me a não ser que receba mais algum? Nas Forças Armadas e muito em concreto neste caso não é assim?
Não percebo.

Cumprimentos,


Caro forista.

Os militares, nomeadamente da Marinha de Guerra Portuguesa, também têm missões no estrangeiro, nas quais, não leva a família, tais como a integração de um navio numa força da NATO, que por norma dura cerca de 6 meses.

Diga-me lá, quantas vezes é que já esteve 6 meses seguidos sem ver a família?

Esta missão é especial e como tal deve ser tratada dessa forma, imagine agora o seu patrão dizer-lhe assim-"Olhe, agora vai ter de ir 8 anos trabalhar para o estrangeiro"- o que é que fazia? Levava a família?

Essa do ir dar formação ao estrangeiro e vir a casa  duas vezes por mês...é porque pode!?!?

Sinceramente, tente-se colocar no lugar daqueles indivíduos.

Cumprimentos
Título:
Enviado por: jmg em Agosto 23, 2008, 09:37:45 am
Andam a apertar com o pessoal quando a sua dedicação ao serviço pelos vistos já permitiu poupar muito dinheiro e evitar problemas tecnicos. :shock:
Título:
Enviado por: André em Agosto 29, 2008, 12:40:12 am
Novos submarinos obrigam a milhões de euros em obras na Base Naval de Lisboa

Vários concursos públicos para obras na Base Naval de Lisboa, mais conhecida por Base do Alfeite, no valor de milhões de euros foram nas últimas semanas anunciados na imprensa portuguesa.

Estas obras estão relacionadas com a aquisição dos novos submarinos "Tridente e Arpão" pelo Estado português.

O Ministério da Defesa Nacional abriu diversos concursos, pelo menos seis só durante o mês de Agosto, para novas infra-estruturas e fornecimentos em obras e serviços, relacionados com os novos submarinos, de origem alemã, da Marinha portuguesa classe U-209/PN.

No concurso divulgado a 05 de Agosto, pela Superintendência dos Serviços do Material e Direcção de Infra-estruturas, num matutino, inscrevem uma "Empreitada de remodelação da Esquadrilha de Submarinos na Base Naval de Lisboa", num valor estimado de 9,55 milhões de euros.

A empreitada de remodelação no valor de mais de nove milhões de euros remete mais informações para o processo NPD 3008018356, da Direcção de Infra-estruturas, mas refere o prazo de 365 dias a contar da data de adjudicação para a execução da obra, o que coincide com a data aproximada para entrega do primeiro submarino, Tridente.

A 07 de Agosto, a Unidade de Apoio às Instalações Centrais de Marinha, anunciou outro concurso público para fornecimento e instalação de sistema de controlo de acessos, num contrato de valor estimado em 150 mil euros.

A marinha ainda a 07 de Agosto anunciou o concurso público número 04/2008 mas através do Arsenal do Alfeite, para a aquisição de uma grua hidráulica telescópica com capacidade para oito toneladas, esta aquisição sem relação directa com a Esquadrilha de Submarinos.

O mesmo jornal publicou mais três concursos, a 26 de Agosto, com as referências 3008018356, 3008018095 e 3008018094, para três empreitadas, sendo duas de remodelação e a outra de adaptação, sem referência a valores naquele matutino.

Os concursos pretendem a "remodelação da rede de abastecimento de energia eléctrica para a Esquadrilha de Submarinos, todos sem valor inscrito naquela publicação, de "adaptação e reparação do Cais 6 na Base Naval de Lisboa", e "empreitada de remodelação das instalações da Esquadrilha de Submarinos".

A 02 de Agosto, a agência Lusa questionou a Marinha sobre a dragagem do Canal do Alfeite, obra considerada imprescindível, para permitir o acesso do novo submarino "Tridente", classe U-209/PN, à Base Naval de Lisboa.

A agência Lusa questionou a Armada se a aquisição do "Tridente", encomendando em 2004 à Alemanha e com entrega prevista a Portugal em 2010, obriga à limpeza de um 'túnel' desde a entrada da Barra até ao Alfeite, para que ele possa fazer esse trajecto.

O porta-voz do Estado-maior da Armada, João Pedro Maurício Barbosa, confirmou apenas "a realização de dragagens em 2009".

"Em 2009, serão efectuadas dragagens que se destinarão a repor as cotas de operação dos meios navais", adiantou o porta-voz do Estado-maior da Armada, João Pedro Maurício Barbosa.

O responsável acrescentou estar apenas prevista a dragagem da Base Naval de Lisboa e do Canal do Alfeite, operação que será efectuada à "cota -8,0 metros ao Zero Hidrográfico".

Os submarinos 209PN, o tipo do submarino "Tridente", "têm um calado médio à superfície de 6,6 metros", referiu o militar.

O porta-voz sublinhou que, tendo em conta a taxa de assoreamento existente na zona do Alfeite, as dragagens da Base Naval de Lisboa, e do Canal de acesso à doca do Arsenal do Alfeite "são operações de execução periódica".

Interrogado igualmente se a chegada do novo submarino irá obrigar a obras de adaptação no Alfeite, João Pedro Maurício Barbosa explicou que essas operações já foram realizadas por conta do Contrato de Contrapartidas de aquisição dos vasos navais.

"As adaptações já efectuadas no Arsenal do Alfeite correram por conta do Contrato de Contrapartidas, tendo sido fornecido equipamento e adaptadas diversas oficinas", disse.

Criado em 1939, o Arsenal do Alfeite, actualmente com 29 áreas tecnológicas, é o estabelecimento fabril da Marinha responsável por reparar e construir navios.

O "Tridente" é o primeiro dos dois novos submarinos encomendados à Alemanha, do tipo U-209/PN e que custarão ao estado um total aproximado de mil milhões de euros.

A entrega do "Tridente" está prevista para 2010, enquanto o segundo deverá chegar a Portugal no ano seguinte.

Os dois novos submarinos "Tridente" e "Arpão" vão substituir os anteriores submersíveis da Armada, da classe Albacora, o "Barracuda" e o "Delfim", em fim de vida.

Lusa
Título:
Enviado por: MoisésPMagalhães em Agosto 31, 2008, 11:10:18 pm
Caro jmg

Não digo que a arma submarina seja a única, com capacidade de ser uma real força dissuasora, concordando no entanto que é uma arma de valor inestimavel a ter para um país como o nosso, e pelo tipo do equipamento em causa, pena é que sejam só duas unidades e não três como estava previsto inicialmente na LPM, mas o facto se sermos lamentavelmente pequenos na ambição assim nos obrigou, penso que a terceira unidade nos daria um real domínio no triângulo Continente, Açores e Madeira como jamais alguma vez poderemos aspirar, fundamentalmente, uma verdadeira capacidade de interdição e dissuasão da nossa ZEE como nunca, mais uma vez perdemos a oportunidade de fazer a diferença e de relançar o saudoso orgulho da nossa Marinha.

Gostaria no entanto de ver nas velas dos novos submarinos a Cruz de Cristo, não sei se seria possível, mas que decerto seria um encontro com o passado, que bonita imagem do Tridente e do Arpão na sua saída do Tejo ostentando a nossa Cruz de Cristo símbolo da grandeza de um Portugal adormecido e de um império esquecido.

Cumprimentos,
Título:
Enviado por: jmg em Setembro 03, 2008, 02:54:30 pm
Em todo o arsenal Português retirando a componente humana com capacidade para passar a uma resistência armada em caso de conflito, penso que só o submarino com a capacidade furtiva e os misseís embarcados (mesmo que convencionais), pode dissuadir minimamente qualquer agressor de nos atacar. Infelizmente não são os nossos F 16 nem leopardos que conferem qualquer vantagem estratégica a Portugal.
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Outubro 01, 2008, 09:45:03 pm
Citar
Cerimónia de lançamento à água do “Tridente”
 
Realizou-se, no passado dia 15 de Julho, no estaleiro da Howaldstwerke-Deutsche Werft GmbH (HDW), a cerimónia de lançamento ao mar e baptismo do primeiro de dois submarinos que neste estaleiro – incorporando trabalho realizado igualmente no da Nordseewerke Emden(NSWE) – estão a ser construídos na sequência da assinatura, em 21 de Abril de 2004, do contrato entre o Estado Português e  o “German Submarine Consortium” (GSC-HDW, NSWE, MAN-Ferrostaal) que envolve o fornecimento de dois submarinos da classe 209PN.

A construção número 383, foi baptizada N.R.P. “Tridente”, e a construção número 384 será baptizada N.R.P. “Arpão”, estando prevista ocorrer durante o primeiro semestre de 2009.

Estas duas novas unidades vêm substituir as três unidades da classe “Albacora” que esforçados serviços à Marinha e a Portugal prestaram ao longo de cerca de quatro décadas.

A classe “Tridente” caracteriza-se pelas suas modernas características e capacidades, representando um salto tecnológico ímpar em relação não só às unidades da 4ª Esquadrilha, como também, em algumas vertentes, às restantes unidades navais combatentes da nossa Marinha.
 

CLASSE “TRIDENTE”

Características
 

A classe “Tridente”, constituída por submarinos Tipo 209PN, deriva, em termos de design, da classe 209, tendo-lhe sido introduzidas algumas alterações e soluções técnicas características dos Tipos 212, da Marinha Alemã e 214, que equipa as Marinhas da Grécia e da Coreia do Sul.

A sua principal diferença em relação a estes dois tipos e ao tipo 209, consiste no facto de estar dotada de uma antepara resistente até à pressão de colapso do casco, separando o navio em dois compartimentos resistentes distintos incrementando a capacidade de sobrevivência da guarnição – ou de alguns dos seus elementos – em caso de acidente em consequência do qual o navio, pelos seus próprios meios, não consiga emergir.

Em termos de salvamento e segurança, esta classe encontra-se igualmente equipada com duas balsas auto-insufláveis, fatos para abandono do submarino a grandes profundidades, eclusas viabilizando a realização de escape e ascensão livres e capacidade, segundo os actuais requisitos NATO, de receber veículos submarinos de salvamento e “pods” – contentores – contendo víveres e água para sobrevivência do pessoal que se encontra no seu interior.

Uma outra característica, herança da adopção de soluções incorporadas nos Tipos 212 e 214, consiste na utilização de apenas um motor eléctrico de propulsão. Este motor, de magnetização permanente possui uma elevada capacidade de resposta para além de uma elevada disponibilidade em caso de avaria, podendo funcionar mesmo quando as suas capacidades estão muito degradadas.

O motor é alimentado por baterias, carregadas por recurso a dois geradores ou à célula de combustível – cujo funcionamento se baseia na reacção de junção de átomos de Hidrogénio e de Oxigénio, da qual resultam água e electrões livres que vão gerar uma corrente eléctrica que alimentará os vários sistemas do navio; conseguindo-se desta forma incrementar a capacidade de navegação em imersão, sem recurso aos motores diesel, pelo que a taxa de indiscrição associada à carga das baterias é significativamente reduzida, o que se traduz em evidentes vantagens operacionais.

Todos os sistemas de bordo relacionados com propulsão, produção e distribuição de energia, segurança em imersão e controlo da plataforma possuem uma elevada taxa de automatismo, o que permitiu reduzir quase para metade a guarnição – cerca de 33 elementos –, sendo controlados pelo sistema de controlo e gestão da plataforma, cujo acrónimo designativo é EMCS.
 
Assim, as mais variadas manobras realizadas a bordo são controladas, na sua grande maioria, pelo simples pressionar de um botão de comando.

(http://www.marinha.pt/extra/revista/ra_set_out2008/pag18_1.jpg)

Os sensores da mais variada ordem – acústicos, electromagnéticos, ópticos, entre outros – são geridos pelo Sistema de Combate onde igualmente são visualizadas  e tratadas as informações obtidas, permitindo um mais correcto processo de assessoria pelas equipas de quarto à decisão do Comandante.

É igualmente através do Sistema de Combate que se planeia e executa o emprego das armas que dotarão estas unidades, com capacidade para lançarem torpedos filo-guiados, mísseis (sub-superfície – superfície e sub-superfície – ar) e minas.

As comunicações compreenderão a capacidade, essencial nos actuais cenários de empenhamento, de comunicação de dados (Link) e por satélite.

 

A CERIMÓNIA

Às 11.34 locais (10.34 em Portugal) quebrou-se a tradicional garrafa de “champagne” contra o costado da construção 383, selando o seu baptismo como N.R.P.”Tridente”. Na ocasião a Madrinha, Drª Alda Taborda – que ficará para sempre ligada ao destino do navio e das suas guarnições – desejou ao navio e aos que nele navegarem que tivesse sempre água sob a quilha e que pudesse sempre, são e salvo, regressar à sua base.
 

De seguida o navio iniciou a descida para a água, afinal o seu elemento natural.

A cerimónia contou com cerca de 300 convidados, de várias nacionalidades, salientando-se a presença do Ministro da Defesa Nacional, Prof. Dr. Nuno Severiano Teixeira, do Presidente da Assembleia da República, Dr. Jaime Gama (cônjuge da Madrinha), do Dr. Miranda Calha, Presidente da Comissão Parlamentar de Defesa, do General CEMGFA e do Almirante CEMA; entre as altas entidades alemãs presentes destacamos o Dr. Rolf Koshorrek, membro do Bundestag, o Secretário de Estado da Defesa, Dr. Rüdiger Wolf, da Presidente da Câmara de Kiel, Drª. Angelika Volquartz e do Vice-CEMA da Bundesmarine, Contra-almirante Hans-Jochen Witthauer.

Registe-se também a presença daquele que se prevê venha a ser o primeiro Comandante do NRP “Tridente”, CTEN Salgueiro Frutuoso.

A cerimónia de baptismo foi precedida pelos discursos do Dr Walter Freitag (membro do Conselho Executivo da ThyssenKrupp Marine Systems e Presidente do Conselho Executivo do Howaldtswerke-Deutsche Werft GmbH), da Drª Angelika Volquartz e do Almirante CEMA.
 

No seu discurso o Dr. Freitag, após dar as boas vindas a todos os presentes, focaria as antigas e profícuas relações entre este estaleiro e a Marinha de Guerra Portuguesa, remontando ao tempo da construção de algumas unidades da classe “João Coutinho”; teceria de seguida alguns considerandos sobre a classe “Tridente”, focando as suas características e capacidades e respingando alguns considerandos sobre a tradicional ligação de Portugal ao Mar e a importância estratégica de que esta relação se reveste no quadro das alianças em que Portugal se insere. Concluiria da mais-valia que estas unidades representam no que à afirmação nacional, contribuição para essas alianças e controlo do Espaço Estratégico de Interesse Nacional concerne, perspectivando os novos cenários e a tipologia de ameaças emergentes.

Referiria ainda a importância económica do programa de aquisição destas duas unidades, nomeadamente nas vertentes da transferência de tecnologia e das contrapartidas obtidas por Portugal.

De seguida discursou a Presidente da Câmara de Kiel, referindo os importantes laços que, desde sempre, ligam a cidade ao Mar, exemplificando as diversas vertentes de envolvimento de algumas empresas ou instituições locais. Terminaria com votos de bem-aventurança para a Marinha e para as guarnições do “Tridente”.

Por último discursou o Almirante CEMA que começou por referir os quase 100 anos da Esquadrilha de Submarinos, explicitando a sua importância no domínio do Mar Português. Proferiu depois algumas palavras de encorajamento e incentivo para as futuras guarnições, estabelecendo o elo que para sempre existirá entre estas e a “sua Madrinha”. Terminou referindo a importância das presenças do Ministro da Defesa Nacional e do Presidente da Comissão Parlamentar de Defesa, por representarem um reconhecimento público do projecto que, referiria, sempre tinham apoiado.

Após os discursos teve então lugar o baptismo, tendo a Madrinha formulado o seguinte voto:

“Baptizo o N.R.P. Tridente e desejo à sua guarnição as maiores felicidades. Faço votos para que sempre navegue em águas safas e possa regressar em segurança à sua base.”.
 
(http://www.marinha.pt/extra/revista/ra_set_out2008/pag19_1.jpg)

Foram então tocados os hinos nacionais de Portugal e da Alemanha pela banda da Polícia do Estado do Schleswig-Holstein, após o que os convidados abandonariam a tribuna para se dirigirem ao local onde seria servido o almoço.

Findo este e com o submarino já a flutuar, foi efectuada uma visita conduzida por um dos elementos da Delegação de Inspecção na Alemanha da Missão de Construção dos Submarinos (MCSUB – PNID) a bordo, na qual participariam o MDN, O PRESCDAR, o General CEMGFA e o Almirante CEMA,.

Agora, com o navio a flutuar, continuarão os trabalhos de montagem de equipamentos e de aprestamento, concomitantes com a realização das Provas de Aceitação a Cais (Harbour Acceptance Trials – HAT); terminadas estas iniciar-se-ão, no dealbar do próximo ano, as Provas de Mar (Sea Acceptance Trials – SAT), que se realizarão, numa primeira fase, nas imediações do fiorde de Kiel, sendo depois, na sua grande maioria, realizadas no Atlântico, ao largo da Noruega.

A entrega definitiva e aumento ao “Efectivo dos Navios da Armada” – altura em que receberá a sua primeira guarnição e içará, pela primeira vez, o jaque nacional e a flâmula, símbolo do seu Comandante – ocorrerá após terminar o treino da guarnição, num longo processo iniciado em 2007, mais precisamente a 7 de Janeiro, e que só terminará durante o primeiro trimestre de 2010, espelhando o elevado grau de complexidade da plataforma e dos sistemas que a equipam.


(Colaboração da MCSUB)

Fotos: Copyright by HDW/YPS

 

 :arrow: http://www.marinha.pt/revista/index.asp ... fault.html (http://www.marinha.pt/revista/index.asp?revista=ra_set_out2008/default.html)
Título:
Enviado por: SSK em Outubro 03, 2008, 04:48:08 pm
Bela 1ª Página!!!

E a máquina é quase tão boa como o pessoal que vai lhe vai dar vida e personalidade!!! :D
Título:
Enviado por: JLRC em Outubro 06, 2008, 01:16:14 am
Já viram este vídeo?

http://www.marinha.pt/sirp/633518911553205584.wmv (http://www.marinha.pt/sirp/633518911553205584.wmv)
Título:
Enviado por: alphaiate em Outubro 06, 2008, 01:36:35 am
orquestra ligeira da policia :D

belo video!!
Título:
Enviado por: Trafaria em Outubro 06, 2008, 02:55:42 am
Nao sei, nao... mas desconfio!
Foi daqui aquela gente toda comer uns bolos e "ganhar" umas ajuditas de custo.

Não sei é se os alemães nao incluirão a festa na factura, tal como os americanos incluiram os gastos das comezainas da inauguração da Ponte 25 de Abril...  :lol:
Título:
Enviado por: jmg em Outubro 06, 2008, 05:19:24 pm
Citação de: "Trafaria"
Nao sei, nao... mas desconfio!
Foi daqui aquela gente toda comer uns bolos e "ganhar" umas ajuditas de custo.

Não sei é se os alemães nao incluirão a festa na factura, tal como os americanos incluiram os gastos das comezainas da inauguração da Ponte 25 de Abril...  :lol:


Nãaaaaaaaa........
Eles não fariam isso!
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Outubro 11, 2008, 08:05:35 pm
Citar
Quando era ministra das Finanças de Durão Barroso
Ferreira Leite diz que travou “desastre” que seria compra de submarinos

11.10.2008 - 19h55 Lusa

A líder do PSD, Manuela Ferreira Leite, garantiu hoje que a compra de dois submarinos só não foi "um verdadeiro desastre" para as contas públicas graças à sua intervenção no sentido de diminuir os encargos. O semanário “Sol” noticia hoje que "o impacto que terá no défice das contas públicas a compra de dois novos submarinos já foi escolhido pela equipa de José Sócrates como um dos temas da frente de combate político ao PSD" e que o assunto servirá para atacar a líder da oposição.

"Manuela Ferreira Leite teve uma intervenção directa neste dossier, quando era ministra das Finanças do Governo de Durão Barroso, e esse facto vai ser usado como arma de arremesso contra o PSD durante a campanha eleitoral", escreve o jornal. Ao falar aos jornalistas em Tondela (Viseu), à margem do congresso distrital autárquico do PSD, Manuela Ferreira Leite admitiu que este até é um tema que lhe agrada debater, porque esteve nele "muito envolvida, mas no sentido contrário àquele em que é dada a notícia".

Referiu que, durante o Governo de António Guterres, do qual fazia parte José Sócrates, tinha sido lançado um concurso "para três submarinos, em condições absolutamente lesivas do interesse nacional em termos de taxa de juro". "Eram três submarinos com uma taxa de juro de sete por cento, na altura em que a taxa de juro - mesmo no mercado, não era preciso ser para o sector público -, era de um por cento, 1,5 por cento", referiu.

Neste âmbito, enquanto líder da bancada do PSD, lutou "violentamente contra isso" e, após a eleição de Durão Barroso para primeiro-ministro, na condição de ministra das Finanças, conseguiu que "passasse de três para dois submarinos e que os encargos com a dívida fossem menos de metade". "Portanto, eu estou bem satisfeita pelo facto de esse assunto vir à baila, porque significa que se isso não é um verdadeiro desastre a mim se deve", frisou.

A líder social-democrata lembrou ainda que nessa altura o PS atacou esta posição com o argumento de que se estava "a arranjar uma lei de programação militar semelhante à da Argélia".


 :arrow: http://ultimahora.publico.clix.pt/notic ... id=1345701 (http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1345701)
Título:
Enviado por: cromwell em Outubro 11, 2008, 08:16:41 pm
Citação de: "PereiraMarques"
Citar
Quando era ministra das Finanças de Durão Barroso
Ferreira Leite diz que travou “desastre” que seria compra de submarinos

11.10.2008 - 19h55 Lusa

A líder do PSD, Manuela Ferreira Leite, garantiu hoje que a compra de dois submarinos só não foi "um verdadeiro desastre" para as contas públicas graças à sua intervenção no sentido de diminuir os encargos. O semanário “Sol” noticia hoje que "o impacto que terá no défice das contas públicas a compra de dois novos submarinos já foi escolhido pela equipa de José Sócrates como um dos temas da frente de combate político ao PSD" e que o assunto servirá para atacar a líder da oposição.

"Manuela Ferreira Leite teve uma intervenção directa neste dossier, quando era ministra das Finanças do Governo de Durão Barroso, e esse facto vai ser usado como arma de arremesso contra o PSD durante a campanha eleitoral", escreve o jornal. Ao falar aos jornalistas em Tondela (Viseu), à margem do congresso distrital autárquico do PSD, Manuela Ferreira Leite admitiu que este até é um tema que lhe agrada debater, porque esteve nele "muito envolvida, mas no sentido contrário àquele em que é dada a notícia".

Referiu que, durante o Governo de António Guterres, do qual fazia parte José Sócrates, tinha sido lançado um concurso "para três submarinos, em condições absolutamente lesivas do interesse nacional em termos de taxa de juro". "Eram três submarinos com uma taxa de juro de sete por cento, na altura em que a taxa de juro - mesmo no mercado, não era preciso ser para o sector público -, era de um por cento, 1,5 por cento", referiu.

Neste âmbito, enquanto líder da bancada do PSD, lutou "violentamente contra isso" e, após a eleição de Durão Barroso para primeiro-ministro, na condição de ministra das Finanças, conseguiu que "passasse de três para dois submarinos e que os encargos com a dívida fossem menos de metade". "Portanto, eu estou bem satisfeita pelo facto de esse assunto vir à baila, porque significa que se isso não é um verdadeiro desastre a mim se deve", frisou.

A líder social-democrata lembrou ainda que nessa altura o PS atacou esta posição com o argumento de que se estava "a arranjar uma lei de programação militar semelhante à da Argélia".

 :evil:
Então foi ela que fez a diminuição dos submarinos. :cry:
Em vez de elegirem o Passos Coelho como presidente do PSD, que é jovem e parece ser um homem com grandes ideias, foram elegir essa bruxa que antes já se tinha mostrado não ter jeito nenhum para a política.
Título:
Enviado por: Tiger22 em Outubro 12, 2008, 03:26:55 pm
Citação de: "cromwell"
Citação de: "PereiraMarques"
Citar
Quando era ministra das Finanças de Durão Barroso
Ferreira Leite diz que travou “desastre” que seria compra de submarinos

11.10.2008 - 19h55 Lusa

A líder do PSD, Manuela Ferreira Leite, garantiu hoje que a compra de dois submarinos só não foi "um verdadeiro desastre" para as contas públicas graças à sua intervenção no sentido de diminuir os encargos. O semanário “Sol” noticia hoje que "o impacto que terá no défice das contas públicas a compra de dois novos submarinos já foi escolhido pela equipa de José Sócrates como um dos temas da frente de combate político ao PSD" e que o assunto servirá para atacar a líder da oposição.

"Manuela Ferreira Leite teve uma intervenção directa neste dossier, quando era ministra das Finanças do Governo de Durão Barroso, e esse facto vai ser usado como arma de arremesso contra o PSD durante a campanha eleitoral", escreve o jornal. Ao falar aos jornalistas em Tondela (Viseu), à margem do congresso distrital autárquico do PSD, Manuela Ferreira Leite admitiu que este até é um tema que lhe agrada debater, porque esteve nele "muito envolvida, mas no sentido contrário àquele em que é dada a notícia".

Referiu que, durante o Governo de António Guterres, do qual fazia parte José Sócrates, tinha sido lançado um concurso "para três submarinos, em condições absolutamente lesivas do interesse nacional em termos de taxa de juro". "Eram três submarinos com uma taxa de juro de sete por cento, na altura em que a taxa de juro - mesmo no mercado, não era preciso ser para o sector público -, era de um por cento, 1,5 por cento", referiu.

Neste âmbito, enquanto líder da bancada do PSD, lutou "violentamente contra isso" e, após a eleição de Durão Barroso para primeiro-ministro, na condição de ministra das Finanças, conseguiu que "passasse de três para dois submarinos e que os encargos com a dívida fossem menos de metade". "Portanto, eu estou bem satisfeita pelo facto de esse assunto vir à baila, porque significa que se isso não é um verdadeiro desastre a mim se deve", frisou.

A líder social-democrata lembrou ainda que nessa altura o PS atacou esta posição com o argumento de que se estava "a arranjar uma lei de programação militar semelhante à da Argélia".

 :evil:
Então foi ela que fez a diminuição dos submarinos. :cry:
Em vez de elegirem o Passos Coelho como presidente do PSD, que é jovem e parece ser um homem com grandes ideias, foram elegir essa bruxa que antes já se tinha mostrado não ter jeito nenhum para a política.


Leia a notícia na íntegra meu caro. Não fosse o PSD (Manuela Ferreira Leite Ministra das Finanças assinou o despacho :wink: ) e o CDS-PP (Paulo Portas) não teríamos comprado submarinos. A pior tragédia para a defesa é ter o PS e outros partidos de esquerda no poder!!!
Título:
Enviado por: JLRC em Outubro 12, 2008, 05:56:02 pm
Curiosa conclusão a sua, Tiger. Então a Manuela diz que o PS lançou concurso para 3 submarinos e que ela no governo do Durão é que baixou o número de 3 para 2 e agora você, num acto digno de um qualquer Copperfield, diz que graças a ela é que temos submarinos? Ou será que o queria dizer era que graças a ela em vez de 3 vamos só ter 2 submarinos?
Título:
Enviado por: P44 em Outubro 12, 2008, 06:46:28 pm
Citar
12 Outubro 2008 - 00h30

Submarinos: Líder do PSD considera positivo falar do negócio
Ferreira Leite diz que evitou um “desastre”
A líder do PSD, Manuela Ferreira Leite, referiu ontem que a compra dos dois submarinos para as Forças Armadas só não foi um "verdadeiro desastre" para as contas do Estado devido à sua intervenção enquanto ministra das Finanças do Governo de Durão Barroso.




A líder dos sociais-democratas reagiu assim à notícia ontem publicada pelo semanário ‘Sol’ que deu conta que a intervenção de Ferreira Leite no dossiê dos submarinos 'vai ser usado pela equipa de José Sócrates como arma de arremesso contra o PSD durante a próxima campanha eleitoral para as Legislativas de 2009'.

À margem do congresso distrital autárquico do PSD, que ontem se realizou em Tondela, Manuela Ferreira Leite demonstrou 'nada temer' sobre o assunto. Pelo contrário, admitiu até que é um tema que lhe agrada debater, porque esteve nele 'muito envolvida, mas no sentido contrário àquele em que é dada a notícia'.

Ferreira Leite recordou que durante o governo de António Guterres – do qual fazia parte José Sócrates –, tinha sido lançado um concurso para a compra de três submarinos 'em condições lesivas do interesse nacional em termos de taxa de juro. Era um juro a 7%, na altura em que no mercado o juro era a 1,5 %. Lutei na Assembleia da República contra isso', disse, adiantando que depois como ministra das Finanças conseguiu que 'passasse de três para dois submarinos e que os encargos com a dívida fossem menos de metade. Portanto, estou satisfeita por o assunto vir à baila. O facto de não ser um verdadeiro desastre a mim se deve', concluiu a líder do PSD.


http://www.correiomanha.pt/noticia.aspx ... 0000000090 (http://www.correiomanha.pt/noticia.aspx?contentid=5B04CA96-75E1-4D9D-9AC0-D01BF94584BD&channelid=00000090-0000-0000-0000-000000000090)
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Outubro 12, 2008, 07:16:51 pm
Tia Manela disse:
Submarinos: Líder do PSD considera positivo falar do negócio
Ferreira Leite diz que evitou um “desastre”


Muito obrigado tia....E se calhar também pela falta dos contratos de manutenção.... Ou isso terá sido o Tio Bagão???
Um desastre é esta corja de políticos incompetentes que para poupar uns trocos desarmam a Nação. Se tivessem competência, eram gestores de empresas privadas... Como não têm, temos que levar com eles a (des)governar o País!....
Título:
Enviado por: Tiger22 em Outubro 12, 2008, 08:16:26 pm
Citação de: "JLRC"
Curiosa conclusão a sua, Tiger. Então a Manuela diz que o PS lançou concurso para 3 submarinos e que ela no governo do Durão é que baixou o número de 3 para 2 e agora você, num acto digno de um qualquer Copperfield, diz que graças a ela é que temos submarinos? Ou será que o queria dizer era que graças a ela em vez de 3 vamos só ter 2 submarinos?


Uma coisa é dizer e ter no papel que se vai comprar 3, 5 ou 20 e outra completamente diferente é concretizar.
A redução foi motivada pelos sacrifícios que o país estava a passar e que dificilmente compreenderia a compra de 3 submarinos por mais de 1.5 mil milhões de euros.
Mais vale 2 e um em opção que nenhum!
O PS é especialista em projectos virtuais. Tudo no papel, tudo iremos ter e depois……nada!
O fórum está cheio desses exemplos.
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Outubro 12, 2008, 09:01:14 pm
Tiger 22 escreveu:
Citar
A redução foi motivada pelos sacrifícios que o país estava a passar e que dificilmente compreenderia a compra de 3 submarinos por mais de 1.5 mil milhões de euros.

Mas o país compreende o dinheiro que é gasto com investigações policiais que dão em nada graças aos magistrados que mandam o delinquente para casa, as minorias étnicas que têm direito a casa (para traficar e guardar o saque). Todas as benesses desses inúteis que são os nossos políticos, da intervenção estatal nos bancos que sempre nos tentaram "sacar" o máximo.
Claro que isso toda a gente compreende!....
Título:
Enviado por: JLRC em Outubro 12, 2008, 10:40:31 pm
Citação de: "Tiger22"
Citação de: "JLRC"
Curiosa conclusão a sua, Tiger. Então a Manuela diz que o PS lançou concurso para 3 submarinos e que ela no governo do Durão é que baixou o número de 3 para 2 e agora você, num acto digno de um qualquer Copperfield, diz que graças a ela é que temos submarinos? Ou será que o queria dizer era que graças a ela em vez de 3 vamos só ter 2 submarinos?

Uma coisa é dizer e ter no papel que se vai comprar 3, 5 ou 20 e outra completamente diferente é concretizar.
A redução foi motivada pelos sacrifícios que o país estava a passar e que dificilmente compreenderia a compra de 3 submarinos por mais de 1.5 mil milhões de euros.
Mais vale 2 e um em opção que nenhum!
O PS é especialista em projectos virtuais. Tudo no papel, tudo iremos ter e depois……nada!
O fórum está cheio desses exemplos.


Isso que você está a fazer tem um nome, "demagogia". Vindo da sua parte até não é de estranhar. Eu por acaso também não sou apoiante deste governo, como certamente sabe, mas não ando aqui pelo forum a dizer inverdades sem depois explicar o que quis dizer com elas e o porquê. Quanto à opção do 3º foi muito boa, já se concretizou? Há data para ela? Ou não passou de propaganda para inglês ver? Por acaso diverte-me a maneira descarada como querem branquear os sucessivos governos PPD e PPD/CDS e atirar as culpas de tudo para cima deste governo. São todos iguais. O que eu sei é que o governo do Guterres abriu concurso para 3 submarinos e a Manuela mais o Paulinho deitaram um fora.
Título:
Enviado por: Edu em Outubro 12, 2008, 10:49:58 pm
Pessoalmente perferia saber que se gastaram 2 mil milhões de euros em 4 submarinos e que tinhamos a nossa ZEE bem vigiada, e que viviamos num país com uma capacidade de dissuasão maritima bastante boa, do que se gaste o mesmo dinheiro (na realidade muito mais) em derrapagens orcamentais de determinados projectos que nunca se chegam a justificar que no fundo só acontecem porque quem faz a obra é amigo e se a gente o ajudar hoje amanhã quando sairmos do cargo ele tambem nos vai ajudar, em milhares de estudos que no fundo só 10 é que vão ter utilidade, ou então como agora veio a publico para pagar a mudança de mobiliario e bens pessoais de um Coronel para Italia, porque pelos vistos corrupção não há só entre os politicos...
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Outubro 13, 2008, 01:03:38 am
Edu escreveu:
Citar
Pessoalmente perferia saber que se gastaram 2 mil milhões de euros em 4 submarinos e que tinhamos a nossa ZEE bem vigiada,
Sinceramente não sei qual é o seu conceito de estratégia para usar submarinos a vigiar a nossa ZEE. :shock:
Não será mais barato ser vigiada por aviões e navios de patrulha?

Citar
ZEE - Zona Económica Exclusiva

Área marítima, delimitada por uma linha distante 200 milhas das costas. A protecção ambiental desta área, assim como a sua exploração cientifica e económica, é da responsabilidade exclusiva do país a que se encontra adjacente.
Título:
Enviado por: Tiger22 em Outubro 13, 2008, 08:39:19 pm
Citação de: "JLRC"
Citação de: "Tiger22"
Citação de: "JLRC"
Curiosa conclusão a sua, Tiger. Então a Manuela diz que o PS lançou concurso para 3 submarinos e que ela no governo do Durão é que baixou o número de 3 para 2 e agora você, num acto digno de um qualquer Copperfield, diz que graças a ela é que temos submarinos? Ou será que o queria dizer era que graças a ela em vez de 3 vamos só ter 2 submarinos?

Uma coisa é dizer e ter no papel que se vai comprar 3, 5 ou 20 e outra completamente diferente é concretizar.
A redução foi motivada pelos sacrifícios que o país estava a passar e que dificilmente compreenderia a compra de 3 submarinos por mais de 1.5 mil milhões de euros.
Mais vale 2 e um em opção que nenhum!
O PS é especialista em projectos virtuais. Tudo no papel, tudo iremos ter e depois……nada!
O fórum está cheio desses exemplos.

Isso que você está a fazer tem um nome, "demagogia". Vindo da sua parte até não é de estranhar. Eu por acaso também não sou apoiante deste governo, como certamente sabe, mas não ando aqui pelo forum a dizer inverdades sem depois explicar o que quis dizer com elas e o porquê. Quanto à opção do 3º foi muito boa, já se concretizou? Há data para ela? Ou não passou de propaganda para inglês ver? Por acaso diverte-me a maneira descarada como querem branquear os sucessivos governos PPD e PPD/CDS e atirar as culpas de tudo para cima deste governo. São todos iguais. O que eu sei é que o governo do Guterres abriu concurso para 3 submarinos e a Manuela mais o Paulinho deitaram um fora.


Leia e veja se percebe o que lê. Eu não digo “inverdades”. São factos!
Quanto era o tempo previsto para o accionamento da 3ª opção? Quanto tempo teve o PSD, CDS-PP depois da assinatura do contrato dos submarinos no poder? Exacto! Foi o PS que não quis accionar a terceira opção. Como seria o PS a não comprar nenhum submarino se o contrato não tivesse sido assinado antes da queda do anterior governo. É sempre assim, o PS compra tudo e disponibiliza tudo……no papel. Foi o caso dos submarinos, é a actual vergonha dos NPO. Não me interessa se gosta ou não desta realidade, mas é a que é. Não tente sanear esta vergonha. Basta fazer as contas: temos 11 anos de governo PS e 3 do PSD, CDS-PP. Quem terá a maior responsabilidade do estado actual das coisas?
Título:
Enviado por: jmg em Outubro 13, 2008, 09:36:46 pm
Não vale a pena estarem chateados porque os submarinos vão ser dois.
Tenho pena que aquela coisa do +1 de opção fosse realmente para calar alguns quando o que se pretendia eram dois.
E acreditem que mesmo assim temos sorte porque se bem se lembram até a NATO estava contra esta aquisição.
São dois, venham eles dar um impulso tecnológico e operacional ao país.
Título:
Enviado por: Instrutor em Outubro 13, 2008, 10:22:07 pm
O que vale é que ela não ganha as proximas eleições. Precisamos de gente com sangue nas veias e nao de leite para fazer andar este país e modernizar de facto as nossas FAP que bem merecem e precisamos.
Aumento ao efectivo do numero de CC LeoII A6;
Substituição dos M-113 pelos Ulan/Pizarro ou Puma;
Novos blindados de rodas 4x4;
Substituição do sistema lança misseis AA Chaparral pelos Avenger;
Substituição da G-3 pela G-36 ou G-416;
Construção do NAVpol;
Construção dos NPO;
Construção de um novo reabastecedor de esquadra;
Aumento ao efectivo de 1 terceiro sub;
Aumento do numero de Fragatas com a compra de pelo menos mais 2 escolham: (Horizon, Fremm ou F-100);

Substituição dos F-16 pelos Typhoon ou F-35;
Substituição dos C-130 pelos A400M;
Sustituição dos Falcon 50 pelos Falcom 900X;
Compra de pelos menos 1 ou 2 avioes abastecedores;
Helicopteros ligeiros e médios para o UALE e FAP (NH-90; A-109 ou Ec-635)



E isto é só a ponta do icebeberg de material que necessitamos minha nossa ja temos matéria para debater para os próximos 50 anos. :lol:
Título:
Enviado por: jmg em Outubro 13, 2008, 10:25:18 pm
Citação de: "Instrutor"
O que vale é que ela não ganha as proximas eleições. Precisamos de gente com sangue nas veias e nao de leite para fazer andar este país e modernizar de facto as nossas FAP que bem merecem e precisamos.
Aumento ao efectivo do numero de CC LeoII A6;
Substituição dos M-113 pelos Ulan/Pizarro ou Puma;
Novos blindados de rodas 4x4;
Substituição do sistema lança misseis AA Chaparral pelos Avenger;
Substituição da G-3 pela G-36 ou G-416;
Construção do NAVpol;
Construção dos NPO;
Construção de um novo reabastecedor de esquadra;
Aumento ao efectivo de 1 terceiro sub;
Aumento do numero de Fragatas com a compra de pelo menos mais 2 escolham: (Horizon, Fremm ou F-100);

Substituição dos F-16 pelos Typhoon ou F-35;
Substituição dos C-130 pelos A400M;
Sustituição dos Falcon 50 pelos Falcom 900X;
Compra de pelos menos 1 ou 2 avioes abastecedores;



E isto é só a ponta do icebeberg de material que necessitamos minha nossa ja temos matéria para debater para os próximos 50 anos. :lol:
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Outubro 13, 2008, 10:26:45 pm
Nunca percebi bem esta atitude da OTAN em não "querer" que nós adquirisse-mos novos submarinos... será devido aquela situação do barracuda e do navio almirante dos EUA num exercício  :twisted:
Título:
Enviado por: triton em Outubro 13, 2008, 10:30:50 pm
Os EUA querem que a gente se lixe, e que continuemos a comprar o material Militar que os americas já não utilizam.
Título:
Enviado por: Instrutor em Outubro 13, 2008, 10:42:42 pm
jmg  :wink:
Título:
Enviado por: jmg em Outubro 13, 2008, 10:56:41 pm
Já agora acrescentámos 2 duzias de Pzh 2000, só por causa das cócegas.
Para os nossos artilheiros poderem brincar também. :wink:
Título:
Enviado por: Edu em Outubro 14, 2008, 12:11:34 am
Não tinha qualquer conhecimento dessa historia de não quererem que comprassemos os submarinos. Teoricamente sendo a NATO uma aliança defensiva devia ter em interesse que os seus membros tivessem o melhor armamento possivel de forma a aumentar a protecção de todos, mas pelos vistos interessa-lhes ter alguns paises a quem vender o lixo mais caro que a uma sucateira. Enfim cada vez acredito menos na NATO...

Sendo assim até tenho uma melhor opinião pelos politicos (em relação á que tinha) porque apesar de a NATO não querer sempre veem 2 submarinos, pessoalmente perceria que fossem 4, mas não sei se Portugal teria capacidade de operar 4, deixo esta questão a quem poder responder.

Cumprimentos
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Outubro 14, 2008, 01:42:17 am
Esta é uma opinião meramente pessoal e até um pouco especulativa, mas a mim parece-me que a NATO, conhecendo a falta de vontade político-económico crónica de Portugal em comprar armamento militar, nunca acreditou que Portugal levasse/leve a aquisição de Submarinos para a frente, neste sentido preferiam que ficasse logo determinado desde o princípio que a vigilância submarina da costa portuguesa fosse exercida por alguém (Espanha, EUA :?: ) que não Portugal, do que não ser vigiada por ninguém...
Título:
Enviado por: P44 em Outubro 14, 2008, 08:15:04 am
e vamos lá a ver se os 2 não serão vendidos assim que estiverem 100% operacionais c34x
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Outubro 14, 2008, 09:00:44 am
Vendem-se os dois para depois comprar-mos o 3º  :twisted:
Título:
Enviado por: nelson38899 em Outubro 14, 2008, 09:07:17 am
A história que me recordo passou-se da seguinte forma. No inicio da década de noventa, Portugal disse há NATO  que pretendia comprar novos submarinos de modo a poder melhorar a marinha e para isso acho que abriu um concurso mas a compra do novo submarino demorou tanto tempo, que a NATO  cansou-se e disse a Portugal que o submarinos já não eram necessário que outro país iria fazer esse trabalho por nós
Título:
Enviado por: cromwell em Outubro 14, 2008, 09:11:56 pm
Citação de: "nelson38899"
A história que me recordo passou-se da seguinte forma. No inicio da década de noventa, Portugal disse há NATO  que pretendia comprar novos submarinos de modo a poder melhorar a marinha e para isso acho que abriu um concurso mas a compra do novo submarino demorou tanto tempo, que a NATO  cansou-se e disse a Portugal que o submarinos já não eram necessário que outro país iria fazer esse trabalho por nós


Nessa altura, antes deles nos disserem isso, se calhar os tipos da NATO estavam a enfiar uma coisinha pelo nariz a dentro. :lol:
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Outubro 14, 2008, 10:42:17 pm
nelson38899 escreveu:
Citar
A história que me recordo passou-se da seguinte forma. No inicio da década de noventa, Portugal disse há NATO que pretendia comprar novos submarinos de modo a poder melhorar a marinha e para isso acho que abriu um concurso mas a compra do novo submarino demorou tanto tempo, que a NATO cansou-se e disse a Portugal que o submarinos já não eram necessário que outro país iria fazer esse trabalho por nós


Provávelmente a história não é bem essa.

1º A Armada não pretendia melhorar a sua capacidade, mas sim substituir os velhos submarinos da classe Albacora. Portanto não é um melhoramento mas sim uma substituição.



2º A NATO não se cansa. Não lhes sendo pedidas ajudas monetárias, o que se calhar aconteceu, a NATO não tem nada a ver com isso.

3º A NATO NUNCA afirmaria que alguém iria fazer esse trabalho por nós.
A diplomacia contorna essas frases cruas.
Título:
Enviado por: P44 em Outubro 15, 2008, 08:07:23 am
Existe um tópico em que se falou disso (de 2004)

Citação de: "Ricardo Nunes"
Citar
NATO considera compra de submarinos um desperdício

A NATO considerou um desperdício o investimento de centenas de milhões de euros gastos na compra de novos submarinos para a Armada portuguesa, adianta a edição desta quarta-feira do Diário de Notícias.

A posição da NATO acompanhou a recusa de um pedido da Marinha portuguesa para que a organização apoiasse o programa de compra destes equipamentos, que será assinado esta quarta-feira, e que envolve cerca de 770 milhões de euros.
Em comunicado, a NATO deu a conhecer que não ajudará o País nesta questão, considerando que «Portugal tem pouco dinheiro e o pouco que tem será desperdiçado na compra de submarinos».

Segundo fontes da NATO, a Marinha pretendia obter apoio para ultrapassar as reservas da opinião pública, fortemente atingida pela política praticada pelo actual Governo.

Deste modo, aquele organismo aconselhou Portugal a reorientar os milhões de euros que vão ser gastos nos submarinos para outros equipamentos e sistemas de armas ligados a outras capacidades navais.

21-04-2004 8:32:55

A notícia do DN:


Citar
Marinha pediu à NATO para apoiar submarinos
MANUEL CARLOS FREIRE
A NATO considerou um desperdício o investimento de centenas de milhões de euros na compra de submarinos novos para a Armada portuguesa, revelaram ao DN fontes aliadas.

A posição da NATO acompanhou a recusa, em Novembro passado, de um pedido da Marinha portuguesa para que a organização aliada apoiasse e justificasse a existência daquele programa - que é assinado hoje e vai custar apenas 770 milhões de euros - com as suas necessidades operacionais, adiantaram as fontes.

"Portugal tem pouco dinheiro e o pouco que tem será desperdiçado na compra de submarinos, tendo--nos pedido que justificásemos tal opção. Não o faremos", escreveu a NATO num dos documentos classificados acerca dessa matéria e citado pelas fontes.

A Marinha, de acordo com as fontes, pretendia obter - de uma forma que, no mínimo, deve ter suscitado grande preplexidade numa organização com a cultura, responsabilidades e procedimentos da NATO - apoio para ultrapassar as reservas da opinião pública, fortemente atingida pela necessária política de austeridade do Governo PSD/PP.

Embora mantendo o programa de submarinos na sua lista de necessidades operacionais, a NATO reduziu acentuadamente a prioridade da sua concretização face à importância de outras missões decorrentes do actual contexto geoestratégico. Nesse sentido, a Aliança aconselhou Portugal a reorientar os milhões dos submarinos para outros equipamentos e sistemas de armas ligados a outras capacidades navais - que vão desde a projecção de forças (necessárias às operações de paz, por exemplo) ao controlo do mar em águas oceânicas e costeiras ou à fiscalização.

A título de exemplo, a NATO assinalou que a Marinha apenas pode satisfazer actualmente três dos 19 compromissos com forças navais que a NATO espera de Portugal, observaram as fontes. Um desequilíbrio que levou a Aliança a classificar a Armada portuguesa de forma particularmente negativa, enfatizaram as fontes.

Por isso, os responsáveis da NATO foram alertando Portugal para a necessidade de aplicar aquelas centenas de milhões de euros noutros programas de reequipamento nacional mais necessários à actividade operacional da Marinha e de que a Aliança precisa, referiram as fontes aliadas.

Responsáveis da NATO e de Portugal estiveram reunidos em Novembro passado, no quadro das consultas destinadas à revisão das propostas de forças militares dos países aliados para 2004.

MARINHA A Armada condicionou nos últimos anos o seu reequipamento - nomeadamente a aquisição do navio polivalente logístico, que foi integrado nas contrapartidas a dar pelo fabricante dos submarinos - à manutenção da capacidade submarina.

O facto de outros países costeiros europeus estarem a adquirir submarinos e de Portugal ter uma enorme zona económica exclusiva a proteger foram duas das razões que levaram o Governo português a assumir a opção de compra dos novos aparelhos alemães.



em
http://forumdefesa.com/forum/viewtopic. ... highlight= (http://forumdefesa.com/forum/viewtopic.php?t=342&start=0&postdays=0&postorder=asc&highlight=)
Título:
Enviado por: P44 em Outubro 15, 2008, 08:11:42 am
A título de exemplo, a Dinamarca abdicou da sua componente submarina, preferindo investir na componente de superficie.
Hoje tem as 2 navios "multi-tarefas" do tipo ABSALON  e prepara-se para construir uma classe de "navios-patrulha" desenvolvidos a partir da Absalon.

Enfim, são filosofias...(se bem que no nosso caso duvido que haja alguma)...tomara nós por exemplo ter 2 Absalon, que dão muito jeito como navios de apoio logistico, podendo ao mesmo tempo desempenhar missões de combate, e são relativamente baratos...
Título:
Enviado por: SSK em Outubro 15, 2008, 08:08:31 pm
Não se esqueçam da posição geográfica da Dinamarca, não é bem igual à nossa a nossa. A Dinamarca desistiu porque o projecto em que estavam a participar com a Suécia e a Noruega nunca mais avançava. Principalmente por os submarinos ainda serem recente.

Quanto à NATO não querer que nós comprássemos submarinos, mera especulação, não me digam que agora já acreditam em tudo o que sai nos jornais. A NATO precisa de submarinos como de pão para a boca, existem dezenas de submarinos no mar ao serviço da NATO todos os dias. Existe uma enorme vontade da NATO em que os nossos "Tridente" participem na NRF's e quanto mais depressa melhor.
Título:
Enviado por: jmg em Outubro 19, 2008, 04:23:49 pm
Caro SSK não digo que a NATO não precise de SUB´s, mas que provavelmente não acreditava que o nosso país conseguisse levar este programa avante sozinho.
Somos da NATO mas não deixámos de ser parentes pobres e até aí sempre fomos ajudados (e muito) para a concretização de projectos ( F16, M60, VdG.....)
Título:
Enviado por: triton em Outubro 19, 2008, 04:41:20 pm
Gostaria de ver o Nosso País em Guerra, como é que nos iríamos safar com tão poucos meios?
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Outubro 19, 2008, 05:02:27 pm
:shock:  :shock:  :lol:

Aconselho-o a arrepiar caminho, se não há-de ficar conhecido como a anedota do fórum :roll:

* Preço de contrato
** Preço de contrato mais juros
Título:
Enviado por: jmg em Outubro 19, 2008, 05:07:51 pm
Citação de: "triton"
Não me levem a mal, mas por que raio é que só comprámos 2 submarinos? porque razão não comprámos 5 ou 10? Eu sei que neste país ninguem quer gastar dinheiro com as Forças Armadas, mas poça, 2 submarinos? É como os Leopard, porque se comprou 37 e não 50?


 :shock:  :cry:
Título:
Enviado por: cromwell em Outubro 19, 2008, 07:00:01 pm
Citação de: "jmg"
Citação de: "triton"
Não me levem a mal, mas por que raio é que só comprámos 2 submarinos? porque razão não comprámos 5 ou 10? Eu sei que neste país ninguem quer gastar dinheiro com as Forças Armadas, mas poça, 2 submarinos? É como os Leopard, porque se comprou 37 e não 50?

 :shock:  :evil:
Se o problema era o dinheiro, poderiam mudar a sua compra e entrega para um futuro próximo, mas como estamos em Portugal, quanto mais rápido se resolve as coisas, melhor. :twisted:
Título:
Enviado por: jmg em Outubro 19, 2008, 08:00:42 pm
Não se aborreça.
Bem ponderado e tendo de optar por um ou outro troco 1 sub por um NAVPOL. E assim daqui a 15 anos comprámos o 3º Sub que é para não serem abatidos todos ao mesmo tempo.
É necessário haver desfasamento.
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Outubro 19, 2008, 09:57:28 pm
Citação de: "jmg"
E assim daqui a 15 anos comprámos o 3º Sub que é para não serem abatidos todos ao mesmo tempo.
É necessário haver desfasamento.


Tecnicamente esse tipo de soluções não costuma ser muito boa...daqui a 15 anos esse modelo pode já não se fabricar e mesmo que se fabricasse, dificilmente teria as mesmas características técnicas e em termos logísticos teriamos de manter duas cadeias diferentes.

Aliás este é um problema que se poderia colocar à Esquadrilha de Helicópteros da Armada se quisesse adquirir novos helicópteros Super Lynx Mk. 95, esse modelo já não se fabrica. Portanto ou adquiriamos outra versão do Super Lynx ou compravamos Super Lynx em 2.ª mão de versões mais próximas das Mk. 95 (por ex. HMA.8 da Royal Navy) e posteriormente modificar para Mk. 95.
Título:
Enviado por: P44 em Outubro 20, 2008, 08:06:31 am
Citação de: "cromwell"
Citação de: "jmg"
Citação de: "triton"
Não me levem a mal, mas por que raio é que só comprámos 2 submarinos? porque razão não comprámos 5 ou 10? Eu sei que neste país ninguem quer gastar dinheiro com as Forças Armadas, mas poça, 2 submarinos? É como os Leopard, porque se comprou 37 e não 50?

 :shock:  :evil:
Se o problema era o dinheiro, poderiam mudar a sua compra e entrega para um futuro próximo, mas como estamos em Portugal, quanto mais rápido se resolve as coisas, melhor. :wink:
Título:
Enviado por: Vicente de Lisboa em Outubro 20, 2008, 05:15:52 pm
Pequena pergunta à qual não consegui responder só lurkando pela thread - um dos meninos chama-se Tridente, e já há nome para o proximo?
Título:
Enviado por: LM em Outubro 20, 2008, 05:32:40 pm
Citação de: "Vicente de Lisboa"
Pequena pergunta à qual não consegui responder só lurkando pela thread - um dos meninos chama-se Tridente, e já há nome para o proximo?


Arpão (S168)

Fonte (http://http)
Título:
Enviado por: LM em Novembro 26, 2008, 06:38:52 pm
Poder Naval OnLine em Kiel (http://http)

Citar
A imprensa brasileira foi convidada para conhecer as instalações do estaleiro alemão HDW em Kiel na Alemanha. Foram selecionados três veículos de comunicação, sendo um periódico diário, uma revista voltada ao segmento de defesa e um representante da mídia eletrônica (internet).
O Poder Naval OnLine foi escolhido neste terceiro segmento e o nosso editor Alexandre Galante está na Alemanha, numa visita de cinco dias promovida pela HDW, para conhecer de perto a maneira alemã de se fazer submarinos.

Citar
Passamos praticamente por baixo do primeiro submarino português U209PN que está aqui em Kiel e vimos o outro bem de perto em construção. É um 214 um pouco mais comprido, com alguns equipamentos diferentes.

Citar
Na primeira e segunda fotos, o U-209PN da Marinha de Portugal, que na realidade é um Tipo 214 modificado.
Título:
Enviado por: Daniel em Novembro 26, 2008, 07:35:31 pm
LM
Citar
Passamos praticamente por baixo do primeiro submarino português U209PN que está aqui em Kiel e vimos o outro bem de perto em construção. É um 214 um pouco mais comprido, com alguns equipamentos diferentes.

Quer dizer que vamos ter dois tipos de submarinos, uma mais pequeno, outro um pouco mais comprido :D  c34x

Citar
Na primeira e segunda fotos, o U-209PN da Marinha de Portugal, que na realidade é um Tipo 214 modificado.


Mas esse submarino não é o U209PN, é o Papanikolis da marinha da Grécia, bem não sei se o rapaz é jornalista. c34x
Título:
Enviado por: JLRC em Novembro 26, 2008, 11:49:10 pm
Citação de: "Daniel"

Quer dizer que vamos ter dois tipos de submarinos, uma mais pequeno, outro um pouco mais comprido :D  c34x


 :shock:  :shock:  :oops:
Título:
Enviado por: Daniel em Novembro 27, 2008, 06:19:09 am
JLRC
Citar
Ó Daniel, você vai ter que ir a umas aulas de interpretação de português


Calma caro JLRC, foi uma piadinha pelos visto não teve graça denhuma. :oops:
Título:
Enviado por: Vicente de Lisboa em Novembro 27, 2008, 12:53:23 pm
Citação de: "LM"
Citação de: "Vicente de Lisboa"
Pequena pergunta à qual não consegui responder só lurkando pela thread - um dos meninos chama-se Tridente, e já há nome para o proximo?

Arpão (S168)

Fonte (http://http)

Vou atrasado - mas obrigado!
Título:
Enviado por: JLRC em Novembro 27, 2008, 07:29:34 pm
Citação de: "Daniel"
JLRC
Citar
Ó Daniel, você vai ter que ir a umas aulas de interpretação de português

Calma caro JLRC, foi uma piadinha pelos visto não teve graça denhuma. :oops:
Título: ??????
Enviado por: P44 em Novembro 29, 2008, 12:11:04 pm
Citar
Alemães fazem queixa a Severiano Teixeira
Empresa construtora dos submarinos foi alvo de buscas

Por Graça Rosendo*

Horst Weretecki, director da Man Ferrostaal, empresa alemã construtora dos dois submarinos comprados por Portugal, escreveu ao ministro da Defesa queixando-se de uma busca feita pelas autoridades portuguesas na sede da empresa em Sintra. Segundo Weretecki, os agentes levaram documentos em segredo de Estado



Numa carta redigida em inglês, Horst Weretecki – que dirige o departamento dos negócios governamentais da Man Ferrostaal – informou o ministro português de que a sede da sua empresa em Portugal foi alvo de buscas realizadas pelo Ministério Público, durante as quais foram apreendidos diversos documentos.

Segundo soube o SOL, Weretecki diz ainda que, de acordo com o advogado da empresa, entre a documentação apreendida estarão documentos importantes, alertando para o facto de estes poderem ser considerados segredo de Estado. E informa Severiano Teixeira que a sua empresa recorreu desta diligência do Ministério Público.

* com Helena Pereira


http://sol.sapo.pt/PaginaInicial/Socied ... _id=118359 (http://sol.sapo.pt/PaginaInicial/Sociedade/Interior.aspx?content_id=118359)
Título:
Enviado por: Daniel em Novembro 29, 2008, 04:10:18 pm
Muito estranho, essa notícia. :conf:
Título:
Enviado por: P44 em Novembro 30, 2008, 08:46:53 pm
tb veio na TSF

Citar
Empresa construtora de submarinos alvo de buscas
Ontem às 10:51
 O director da Man Ferrostaal, construtora dos dois submarinos comprados por Portugal, escreveu ao ministro da Defesa queixando-se de uma busca feita pelas autoridades portuguesas na sede da empresa em Sintra. Horst Weretecki refere que os agentes levaram documentos em segredo de Estado.  
O director da Man Ferrostaal, que dirige o departamento dos negócios governamentais da Man Ferrostaal, informou o ministro da Defesa, Nuno Severiano Teixeira, que a sede da sua empresa em Portugal foi alvo de buscas realizadas pelo Ministério Público, durante as quais foram apreendidos diversos documentos.

Segundo soube o semanário SOL,  Horst Weretecki refere ainda na cara que redigiu que, de acordo com o advogado da empresa, entre a documentação apreendida estão documentos importantes.

E alertou para o facto desses documentos poderem ser considerados segredo de Estado.

O director da Man Ferrostaal informou entretanto o ministro da Defesa, que a sua empresa já recorreu desta diligência do Ministério Público.

O semanário adianta ainda que a carta foi recebida com surpresa pelo gabinete de Nuno Severiano Teixeira que optou por não responder.

O Ministério da Defesa argumenta que trata-se de uma investigação criminal sobre a qual a tutela não tem qualquer intervenção.

O Inquérito está nas mãos do Departamento Central de Investigação e Acção Penal, liderado por Cândida Almeida, e resulta de provas recolhidas em 2005 ao abrigo da Operação Furacão.

De acrescentar que as contrapartidas pela compra dos dois submarinos, no valor de 700 milhões de euros, representam um investimento que rondam os 1200 milhões de euros.


http://tsf.sapo.pt/PaginaInicial/Portug ... id=1051775 (http://tsf.sapo.pt/PaginaInicial/Portugal/Interior.aspx?content_id=1051775)
Título:
Enviado por: U209PN em Dezembro 02, 2008, 08:43:54 pm
Tridente está de volta kiel...

HDW TKMS Synchrolift 2008/11/21
New Class Type U-209PN to be delivered to portugese navy in2009/2010 + sister NRP ARPAO (S168)

(http://media.shipspotting.com/uploads/photos/rw/781665/Ship+Photo+NRP+TRIDENTE+%28S+167%29.jpg)
Título:
Enviado por: SSK em Dezembro 05, 2008, 04:23:58 pm
O Tridente já voltou para a água.

Não se preocupem quanto ao hélice. Este não é o verdadeiro.
Título:
Enviado por: pmdavila em Dezembro 05, 2008, 05:20:50 pm
Citação de: "SSK"
O Tridente já voltou para a água.

Não se preocupem quanto ao hélice. Este não é o verdadeiro.


Bem me parecia que seria muito "descuido" de uma empresa como a HDW andar por aí a mostrar as hélices dos submarinos a toda a gente... O mesmo se passará com o Papanikolis, suponho?
Título:
Enviado por: Akagi em Janeiro 02, 2009, 10:56:27 pm
Faço a seguinte pergunta:

Tenho lido em alguns foruns espanhois, que os novos submarinos que eles estão a construir da classe S80, que são os mais modernos do mundo não nucleares. Sera que são mesmo superiores aos nossos futuros U209?
Título:
Enviado por: Cláudio C. em Janeiro 02, 2009, 11:15:47 pm
Não sei, mas isso vindo de espanhóis é de suspeitar... O s80 é copia do scorpene francês, e este é considerado inferior ao nosso modelo alemao, pelo menos o seu sistema AIP.

Já agora, o s80 têm capacidade para disparar tomawakes, os nossos u 209pn têm quanto sei capacidade também para disparar misseis contra alvos na terra, pergunto eu por mera hipotese académica, poderão também os nossos submarinos disparar misses cruzeiro do tipo tomawake também? Como disse é uma mera questão académica pois nunca a nossa armada comprara tal meio nem precisa (digo eu).
Título:
Enviado por: antoninho em Janeiro 02, 2009, 11:26:12 pm
Só quando estiverem a navegar é que se pode afirmar tal...isso já deu pano para mangas neste forum............

http://forumdefesa.com/forum/viewtopic. ... sc&start=0 (http://forumdefesa.com/forum/viewtopic.php?t=4977&postdays=0&postorder=asc&start=0)
Título:
Enviado por: cromwell em Janeiro 03, 2009, 10:05:51 am
Citação de: "Akagi"
Faço a seguinte pergunta:

Tenho lido em alguns foruns espanhois, que os novos submarinos que eles estão a construir da classe S80, que são os mais modernos do mundo não nucleares. Sera que são mesmo superiores aos nossos futuros U209?


Isso é só mentiras dos espanhois que têm a mania de dizerem que são melhores e sabem fazer o melhor.
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Janeiro 03, 2009, 10:26:02 am
Citação de: "Akagi"
Faço a seguinte pergunta:

Tenho lido em alguns foruns espanhois, que os novos submarinos que eles estão a construir da classe S80, que são os mais modernos do mundo não nucleares. Sera que são mesmo superiores aos nossos futuros U209?


É muito cedo para dizer seja o que for. O S80 é basicamente um Scorpene com sistemas Norte-Americanos.

Vê este artigo e tira as tuas conclusões:

 :arrow: http://www.areamilitar.net/DIRECTORIO/nav.aspx?nn=155 (http://www.areamilitar.net/DIRECTORIO/nav.aspx?nn=155)
Título:
Enviado por: SSK em Janeiro 03, 2009, 11:35:53 am
Muita coisa mudou dos scorpene para os S80. Um exemplo é o AIP, o dos espanhóis está ainda em desenvolvimento e será decerto diferente do AIP francês, melhor ou não não se sabe, diferente!

O míssil é um acessório "porreiro", e até útil, caso o submarino seja usado como parte integrante de uma força ou usado em apoio a essa mesma força. Caso contrário pouco irá ser útil para as missões típicas de submarinos.  

Quanto ao submarino ser melhor ou não, o que interessa é a massa que está lá dentro, a capacidade de explorar a máquina e aproveitar todas as suas capacidades. Para tal serão necessárias missões reais, emprego da arma em zonas hostis. Os espanhóis estão mais perto disso, eles vivem dentro do mediterrâneo, nós nem por isso. Ah, e têm dinheiro para as fazerem...
Título:
Enviado por: Menacho em Janeiro 04, 2009, 12:03:41 am
En ese artículo hay un error, además de mucho sectarismo.

Navantia no fue a EEUU a por tecnologia por que estaba enfadada con DCN, DCN se enfadó con Navantia por que esta prefirió el sistema de combate de los EEUU en lugar del francés, es decir, al reves de como pone el artículo.

Y los Tomahawks, son un arma ofensiva...................o disuasoria....¿no?... c34x ....además de no poseer capacidad de ataque a tierra, mientras que el S-80 si...
Título:
Enviado por: Cláudio C. em Janeiro 04, 2009, 04:05:30 am
O U-214 tem oou não tem capacidade de atacar alvos em terra? Não tou a perceber bem...
Título:
Enviado por: Cláudio C. em Janeiro 04, 2009, 04:09:23 am
Citação de: "Menacho"
Cuando un U-214 tenga que emerger para respirar......el S-80 seguirá al acecho con su AIP, escuchando como el U recarga sus baterias con el ruidoso diesel en superficie..... c34x ....además de no poseer capacidad de ataque a tierra, mientras que el S-80 si...



Explique la isso melhor, o meu espanhol esta enferrujado, então o s-80 também não tem de vir a superfície para recarregar baterias?
Título:
Enviado por: AC em Janeiro 04, 2009, 04:40:01 am
Citação de: "Cláudio C."
O U-214 tem oou não tem capacidade de atacar alvos em terra? Não tou a perceber bem...


O U-214 pode atacar alvos em terra com mísseis SubHarpoon mas os S-80 irão poder utilizar misseis Tomahawk.
Título:
Enviado por: Get_It em Janeiro 04, 2009, 05:14:27 am
Citação de: "AC"
Citação de: "Cláudio C."
O U-214 tem oou não tem capacidade de atacar alvos em terra? Não tou a perceber bem...

O U-214 pode atacar alvos em terra com mísseis SubHarpoon mas os S-80 irão poder utilizar misseis Tomahawk.

Ora aí está. Mísseis de cruzeiro Tomahawk. Senão estou em erro um Harpoon deverá ter um alcance entre os 100-150 km, enquanto um Tomahawk deverá ter um de 2.500 km. A carga explosiva carregada pelo Tomahawk também é mais do dobro da carga carregada pelo Harpoon.

Cumprimentos,
Título:
Enviado por: Cláudio C. em Janeiro 04, 2009, 12:57:05 pm
E não podera o u-214 ser equipado com um sistema que permita a instalaçao de misseis tomawake? Só por curiosidade mesmo  :lol:
Título:
Enviado por: SSK em Janeiro 04, 2009, 12:57:15 pm
Boas,

É claro que o tomahawk é superior aos harpoon. Mas só quem conhece pouco de submarinos é que pode dizer barbaridades do tipo o S-80 não tem de colocar o mastros snort de fora para ter de efectuar renovação de ar e carregamento de baterias.
O S80 é em tudo idêntico ao U214, com a referida diferença do míssil, quanto ao torpedo de última geração é que eu tenho umas dúvidas, bem como às Torpedo Counter Measures, se o Sr. Menacho me souber esclarecer sobre essa tão precisa arma que é esse tal torpedo de última geração agradecia.

Quanto ao armamento, não nos podemos esquecer que o submarino não tem espaço ilimitado para levar armas, se bem conheço os submarinos... A ter de levar Tomahawk, subharpoon, torpedos e minas dá para aí dois de cada. Claro que dependerá sempre da missão em causa, mas não nos podemos esquecer que os submarinos convencionais tem normalmente espaço para 10 a 20 armas e não mais do que isso.
Título:
Enviado por: old em Janeiro 04, 2009, 01:13:17 pm
Misiles? Para que? Bien como elemento disuasorio, pero la principal mision de un SSK es localizar, neutralizar y destruir Submarinos enemigos. Su principal arma es la discreccion.

Y aqui es donde importa y mucho la firma acustica de determinado modelo de submarino. No es lo mismo disponer de un modelo generico tipo Scorpene o U214 o Kilo de los cuales hay bastantes paises operandolos que modelos mas restringidos como los U212 o S80 no tan extendidos y que seguramente presenten una firma acustica mas desconocida.

Saludos
Título:
Enviado por: Lancero em Janeiro 04, 2009, 02:19:28 pm
Citação de: "old"
Y aqui es donde importa y mucho la firma acustica de determinado modelo de submarino. No es lo mismo disponer de un modelo generico tipo Scorpene o U214 o Kilo de los cuales hay bastantes paises operandolos que modelos mas restringidos como los U212 o S80 no tan extendidos y que seguramente presenten una firma acustica mas desconocida.


Basta um para passar a ser conhecida ;)
Título:
Enviado por: sivispacem em Janeiro 04, 2009, 06:08:47 pm
Citação de: "SSK"
O Tridente já voltou para a água.

Não se preocupem quanto ao hélice. Este não é o verdadeiro.


Boas!

Digam-me lá que eu não sei - o que é que tem um hélice de submarino de tão secreto que não deve ser revelado?
Obrigado
Título:
Enviado por: Lancero em Janeiro 04, 2009, 06:36:22 pm
O número de pás na hélice e outros pormenores que sou incopetente para falar permitem, pela sua assinatura sonora, identificar um submarino.
Título:
Enviado por: SSK em Janeiro 04, 2009, 07:15:54 pm
Citação de: "old"
Misiles? Para que? Bien como elemento disuasorio, pero la principal mision de un SSK es localizar, neutralizar y destruir Submarinos enemigos. Su principal arma es la discreccion.

Y aqui es donde importa y mucho la firma acustica de determinado modelo de submarino. No es lo mismo disponer de un modelo generico tipo Scorpene o U214 o Kilo de los cuales hay bastantes paises operandolos que modelos mas restringidos como los U212 o S80 no tan extendidos y que seguramente presenten una firma acustica mas desconocida.

Saludos


Não há mais S80 porque não os conseguiram vender, como por exemplo aos turcos e paquistaneses...

Acusticamente são todos diferentes, mesmo sendo do mesmo "modelo" o que conta são as frequências emanadas!!! Não duvide...
Título:
Enviado por: SSK em Janeiro 04, 2009, 07:19:32 pm
Citação de: "sivispacem"
Citação de: "SSK"
O Tridente já voltou para a água.

Não se preocupem quanto ao hélice. Este não é o verdadeiro.

Boas!

Digam-me lá que eu não sei - o que é que tem um hélice de submarino de tão secreto que não deve ser revelado?
Obrigado


O hélice pode funcionar como uma amostra da impressão digital de um ser humano. Conhecendo o número de hélices, de quantas pás tem cada hélice, a dimensão e a sua curvatura pode-se chegar aos valores das frequências produzidas. Assim se pode identificar uma classe de navios, para dizer que é o Tridente e não o Arpão é necessário conhecer mais uns pormenores que não são mostrados pelo hélice, mas sim por outros equipamentos ou mesmo pelo casco.
Título:
Enviado por: sivispacem em Janeiro 04, 2009, 07:42:12 pm
Citação de: "SSK"
Citação de: "sivispacem"
Citação de: "SSK"
O Tridente já voltou para a água.

Não se preocupem quanto ao hélice. Este não é o verdadeiro.

Boas!

Digam-me lá que eu não sei - o que é que tem um hélice de submarino de tão secreto que não deve ser revelado?
Obrigado

O hélice pode funcionar como uma amostra da impressão digital de um ser humano. Conhecendo o número de hélices, de quantas pás tem cada hélice, a dimensão e a sua curvatura pode-se chegar aos valores das frequências produzidas. Assim se pode identificar uma classe de navios, para dizer que é o Tridente e não o Arpão é necessário conhecer mais uns pormenores que não são mostrados pelo hélice, mas sim por outros equipamentos ou mesmo pelo casco.


Obrigado pelas explicações, Lancero e SSK!

Mas a NATO não possui uma 'biblioteca' de assinaturas acústicas de subs, divulgada pelos páises membros? Pelo menos em tempos isso existia, ignoro se distribuída de igual forma por todos, mas...
Título:
Enviado por: Cláudio C. em Janeiro 04, 2009, 09:06:44 pm
Informação muito útil caro SSK  :D
Desculpem la insistir nesta pergunta, talvez absurda, mas é possível instalar os misseis cruzeiro Tomahawk num U-214?

Cumprimentos
Título:
Enviado por: old em Janeiro 04, 2009, 09:22:19 pm
Citação de: "sivispacem"
Citação de: "SSK"
Citação de: "sivispacem"
Citação de: "SSK"
O Tridente já voltou para a água.

Não se preocupem quanto ao hélice. Este não é o verdadeiro.

Boas!

Digam-me lá que eu não sei - o que é que tem um hélice de submarino de tão secreto que não deve ser revelado?
Obrigado

O hélice pode funcionar como uma amostra da impressão digital de um ser humano. Conhecendo o número de hélices, de quantas pás tem cada hélice, a dimensão e a sua curvatura pode-se chegar aos valores das frequências produzidas. Assim se pode identificar uma classe de navios, para dizer que é o Tridente e não o Arpão é necessário conhecer mais uns pormenores que não são mostrados pelo hélice, mas sim por outros equipamentos ou mesmo pelo casco.

Obrigado pelas explicações, Lancero e SSK!

Mas a NATO não possui uma 'biblioteca' de assinaturas acústicas de subs, divulgada pelos páises membros? Pelo menos em tempos isso existia, ignoro se distribuída de igual forma por todos, mas...

Me suena haber leido algo sobre la Inteligencia acustica en la lucha ASW A Nato creo  posee una buena biblioteca con las firmas acusticas de los Submarinos Nucleares Rusos, pero seguramente la Royal Navy o la Marine Nationale, etc etc etc no faciliten datos sensibles de sus Submarinos a nadie. Aliados o no.

Citar
Informação muito útil caro SSK Very Happy
Desculpem la insistir nesta pergunta, talvez absurda, mas é possível instalar os misseis cruzeiro Tomahawk num U-214?

Cumprimentos


Yo creo que si. Todo es cuestion de €. Seria montar un sistema de combate (software) capaz de operar esos misiles y disponer de unos tubos lanzatorpedos especiales.

saludos
Título:
Enviado por: Lightning em Janeiro 04, 2009, 09:26:18 pm
Citação de: "sivispacem"
Mas a NATO não possui uma 'biblioteca' de assinaturas acústicas de subs, divulgada pelos páises membros? Pelo menos em tempos isso existia, ignoro se distribuída de igual forma por todos, mas...


Talvez haja de submarinos externos à NATO (por exemplo Russos, Chineses, etc), mas partilhar as assinaturas dos submarinos desses mesmos paises com os outros não, sei de histórias de P-3 Orion nossos apanharem submarinos americanos e depois eles nos virem  chatear para apagar a cassete ou dar-lhas, ou algo assim do género, por exemplo acontece o mesmo com as frequencias de radares na Força Aérea quando fomos para a Lituânia os Americanos devem-nos ter dado, na boa, as frequencias que eles tem em que operam os Migs e Sukois Russos mas se quisessemos a frequecia do F-22 eles :censurado: , o ponto acente é, pode haver partilha da informação referente a possiveis adversários mas não a deles próprios.
Título:
Enviado por: SSK em Janeiro 04, 2009, 11:49:21 pm
Nem mais!!! Quem hoje é amigo amanhã pode não o ser... e um submarino é um submarino...

Quanto aos tomahawk, esqueçam lá isso teria de se gastar dinheiro a adaptar os tubos, que julgo não terem as dimensões "normais", pelo menos no que diz respeito ao diâmetro.
Título:
Enviado por: sivispacem em Janeiro 05, 2009, 12:03:33 am
Talvez haja de submarinos externos à NATO (por exemplo Russos, Chineses, etc), mas partilhar as assinaturas dos submarinos desses mesmos paises com os outros não, sei de histórias de P-3 Orion nossos apanharem submarinos americanos e depois eles nos virem  chatear para apagar a cassete ou dar-lhas, ou algo assim do género, por exemplo acontece o mesmo com as frequencias de radares na Força Aérea quando fomos para a Lituânia os Americanos devem-nos ter dado, na boa, as frequencias que eles tem em que operam os Migs e Sukois Russos mas se quisessemos a frequecia do F-22 eles :G-sig:
Título:
Enviado por: Cláudio C. em Janeiro 05, 2009, 12:20:12 am
Citação de: "SSK"
Nem mais!!! Quem hoje é amigo amanhã pode não o ser... e um submarino é um submarino...

Quanto aos tomahawk, esqueçam lá isso teria de se gastar dinheiro a adaptar os tubos, que julgo não terem as dimensões "normais", pelo menos no que diz respeito ao diâmetro.


Estava a perguntar por mera curiosidade, não fazem falta a Portugal, amenos como factor de dissuasão.
Título:
Enviado por: FoxTroop em Janeiro 05, 2009, 12:41:44 am
Gostaria de ver tomahawk nos nosso sub's. Acredito que com a ordem internacional a degradar-se cada vez mais e devido à nossa importância estratégica acho que num futuro incerto essas armas seriam a espada de Dâmocles de um potencial agressor
Título:
Enviado por: Cláudio C. em Janeiro 05, 2009, 12:43:51 am
Pois, mas não devemos ter dinheiro para um único só se calhar... Acho que Portugal não terá estofo para uma aquisição dessas...nem nos próximos anos...

Cumprimentos
Título:
Enviado por: FoxTroop em Janeiro 05, 2009, 12:51:50 am
Poderia ser negociado com os "amigos" americanos em troca de contrapartidas, acho. Posso estar enganado mas penso que o nosso espaço marítimo junto com os arquipélagos ainda pesam muito na doutrina americana de projecção de força e SLOC'S

Perdoem-me mas não estou muito dentro do assunto.
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Janeiro 05, 2009, 03:30:46 am
FoxTroop escreveu:
Citar
Gostaria de ver tomahawk nos nosso sub's. Acredito que com a ordem internacional a degradar-se cada vez mais e devido à nossa importância estratégica acho que num futuro incerto essas armas seriam a espada de Dâmocles de um potencial agressor


Caro Fox Troop
Só por curiosidade. Na sua opinião, quem seriam os inimigos que íamos atacar com mísseis de cruzeiro? Eu sei mas não digo. c34x
Título:
Enviado por: nelson38899 em Janeiro 05, 2009, 09:04:55 am
Citação de: "luis filipe silva"
FoxTroop escreveu:
Citar
Gostaria de ver tomahawk nos nosso sub's. Acredito que com a ordem internacional a degradar-se cada vez mais e devido à nossa importância estratégica acho que num futuro incerto essas armas seriam a espada de Dâmocles de um potencial agressor

Caro Fox Troop
Só por curiosidade. Na sua opinião, quem seriam os inimigos que íamos atacar com mísseis de cruzeiro? Eu sei mas não digo. :twisted:
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Janeiro 05, 2009, 11:10:03 am
Citar
Eu não sou o Fox Troop mas se quiser posso lhe dar algumas localizações interessantes em dois continentes diferentes

E de quantos tomahawk precisava? 50, 150? E qual o tipo (ou tipos)de ogiva?
Título:
Enviado por: P44 em Janeiro 05, 2009, 11:32:06 am
Citar
Talvez haja de submarinos externos à NATO (por exemplo Russos, Chineses, etc), mas partilhar as assinaturas dos submarinos desses mesmos paises com os outros não, sei de histórias de P-3 Orion nossos apanharem submarinos americanos e depois eles nos virem  chatear para apagar a cassete ou dar-lhas, ou algo assim do género, por exemplo acontece o mesmo com as frequencias de radares na Força Aérea quando fomos para a Lituânia os Americanos devem-nos ter dado, na boa, as frequencias que eles tem em que operam os Migs e Sukois Russos mas se quisessemos a frequecia do F-22 eles :G-sig:


mas existem maneiras de disfarçar a "assinatura" de um sub..."mexendo nos motores" por exemplo, pelo menos foi o que li
Título:
Enviado por: nelson38899 em Janeiro 05, 2009, 11:46:39 am
Citação de: "luis filipe silva"
Citar
Eu não sou o Fox Troop mas se quiser posso lhe dar algumas localizações interessantes em dois continentes diferentes
E de quantos tomahawk precisava? 50, 150? E qual o tipo (ou tipos)de ogiva?


isso é mais complicado, pois depende da base a atacar, ou seja, se é uma base naval ou terrestre, depende do país que vamos atacar e também depende do ataque a realizar ou seja se o objectivo é atacar um aglomerado de forças terrestres ou conjunto de aviões. Existe muitas variáveis a ter em conta antes de atacar seja o que for. Mas seria interessante possuir arma no nosso arsenal.

    *  SLCM (Sea-Launched Cruise Missile): BGM-109A/.../F, RGM/UGM-109A/.../E/H
    * GLCM (Ground-Launched Cruise Missile): BGM-109G
    * MRASM (Medium-Range Air-to-Surface Missile): AGM-109C/H/I/J/K/L

http://www.astronautix.com/lvs/tomahawk.htm (http://www.astronautix.com/lvs/tomahawk.htm)
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Janeiro 05, 2009, 11:46:47 am
Citar
mas existem maneiras de disfarçar a "assinatura" de um sub..."mexendo nos motores" por exemplo, pelo menos foi o que li

Kitá-los? Se se colocar uma ponteira de escape no Snorckel também faz um barulho diferente... :lol:  c34x
Título:
Enviado por: Lightning em Janeiro 05, 2009, 12:39:22 pm
Citação de: "sivispacem"
Sim, mas existindo os meios necessarios é relativamente fácil saber a frequência de radares... qualquer equipamento de SIGINT o faz... ou mesmo a assinatura acústica dos subs dos nossos parceiros, (por exemplo em exercícios)...


Peço desculpa, eu sei que este tópico é sobre o U209PN, mas agora lembrei-me de outra história, é que recentemente houve um exercício de várias Forças Aéreas da NATO e os americanos ficaram chateados com os franceses porque os aviões deles estavam mais interessados em recolher informações do que em participar no exercício :lol: .
Título:
Enviado por: Cláudio C. em Janeiro 05, 2009, 01:24:37 pm
Citação de: "Lightning"
Citação de: "sivispacem"
Sim, mas existindo os meios necessarios é relativamente fácil saber a frequência de radares... qualquer equipamento de SIGINT o faz... ou mesmo a assinatura acústica dos subs dos nossos parceiros, (por exemplo em exercícios)...

Peço desculpa, eu sei que este tópico é sobre o U209PN, mas agora lembrei-me de outra história, é que recentemente houve um exercício de várias Forças Aéreas da NATO e os americanos ficaram chateados com os franceses porque os aviões deles estavam mais interessados em recolher informações do que em participar no exercício :lol: .


A assobiar para o lado como quem não quer a coisa! :lol:
Título:
Enviado por: sivispacem em Janeiro 05, 2009, 02:23:23 pm
Citar
Peço desculpa, eu sei que este tópico é sobre o U209PN, mas agora lembrei-me de outra história, é que recentemente houve um exercício de várias Forças Aéreas da NATO e os americanos ficaram chateados com os franceses porque os aviões deles estavam mais interessados em recolher informações do que em participar no exercício :lol: .


Isso foi no último Red Flag! E os americanos ficarem chateados com isso é de uma enorme hipocrisis, vindo de quem vem...
Os franceses eram para participar com Mirage 2000, mas depois de saberem da presença dos SU 30 mudaram de ideias (e de aparelhos!!( :)
Título:
Enviado por: Menacho em Janeiro 05, 2009, 03:08:20 pm
Citação de: "SSK"
Boas,

É claro que o tomahawk é superior aos harpoon. Mas só quem conhece pouco de submarinos é que pode dizer barbaridades do tipo o S-80 não tem de colocar o mastros snort de fora para ter de efectuar renovação de ar e carregamento de baterias.
O S80 é em tudo idêntico ao U214, com a referida diferença do míssil, quanto ao torpedo de última geração é que eu tenho umas dúvidas, bem como às Torpedo Counter Measures, se o Sr. Menacho me souber esclarecer sobre essa tão precisa arma que é esse tal torpedo de última geração agradecia.


por partes, como se que el amigo SSK es un experto, sabrá que un sistema AIP permite recargar la bateria del submarino con ese sistema sin necesidad de subir snorkel......................!Qeso es precisamente el AIP!!

Otra cosa es que no tenga que dar snorkel nunca, la autonomia estará dada por la cantidad de combustible para el sistema AIP que se lleve, pero que en cualquier caso un submarino con AIP tendrá muita mias autonomia en inmersao que uno sin AIP......si el caro amigo SSK opina lo contrario me gustaria que lo expusiera..


Citar
El sistema de propulsión de los S-80 será diésel-eléctrico, con tres generadores diésel, incorporando, como importante innovación, una plataforma independiente de la atmósfera (AIP), basada en una pila capaz de ser alimentada con oxígeno e hidrógeno, que le dará la condición 'anaerobia' para navegar en inmersión. Un silencioso motor eléctrico de imanes permanentes moverá una gran hélice de paso fijo y de especial diseño que anulará las 'cavitaciones' a velocidad elevada. El combustible utilizado es bioetanol.

Con respecto al torpedo, el elegido y comprado ( una primera fase de 40 torpedos ya ha sido encargada y pagada), es el DM2A4, considerado uno de los mais modernos y eficaces torpedos:

Citar
El DM2A4 es un torpedo pesado fabricado y diseñado en Alemania por STN Atlas Elektronik como una variante mejorada del DM2 (Deutsches Modell 2, (torpedo) Alemán Modelo 2), torpedo que fue desarrollado en 1976. Siendo el sucesor del DM2A3, el modelo A4 utiliza un sistema de propulsión eléctrica y es guiado desde la plataforma de lanzamiento por un cable de fibra óptica.

El DM2A4 es el primer torpedo en utilizar cable de fibra óptica para su guiado (el torpedo lleva un carrete donde está enrollado el fino hilo de fibra óptica –uno de los extremos está conectado al torpedo mientras que el otro está conectado a la plataforma de lanzamiento- y al ser lanzado, el cable se va desenrollando manteniendo el contacto y el traspase de información con escasos milisegundos de demora entre el torpedo y la plataforma de lanzamiento, que permite su guiado)

 
Este torpedo tiene cuatro baterías que le permiten tener un rango de hasta 50 km (27 millas nauticas) y alcanzar una velocidad de hasta 90 km/h (50 nudos). Además el torpedo puede ser utilizado como ROV (Remote operated vehicle, Vehículo a control remoto) para misiones no tripuladas de reconocimiento.

Esta arma tiene la cabeza de combate de 250 kg de hexogen/RDX/aluminio de alto explosivo (que es equivalente a 450 kg de TNT), con espoletas magnética o de contacto. El torpedo mide 66 dm de longitud, aunque existen variantes más cortas, y tiene un diámetro de 533 mm.

El DM2A4 fue ordenado por la Armada Alemana para equipar a sus sumbarinos Tipo 212

También ha sido adquirido por España para equipar a sus submarinos de la futura clase S-80.



Aquí un video del anterior DM2A3 impactando y cortando por la mitad a una fragata Leander:

http://es.youtube.com/watch?v=_oUNt47G-08

Lo que no se es por que Portugal no adquirió al igual que la Armada alemana para sus U este torpedo............

Cumprimentos
Título:
Enviado por: AC em Janeiro 05, 2009, 06:32:52 pm
Pequenas notas:
Citação de: "SSK"
Quanto aos tomahawk, esqueçam lá isso teria de se gastar dinheiro a adaptar os tubos, que julgo não terem as dimensões "normais", pelo menos no que diz respeito ao diâmetro.

Segundo a informação disponível na web, os Tomahawk funcionam em tubos de dimensões standard.

Citação de: "Claudio C."
Pois, mas não devemos ter dinheiro para um único só se calhar... Acho que Portugal não terá estofo para uma aquisição dessas...nem nos próximos anos...

O custo de um Tomahawk não é muito diferente do de um torpedo: 1-1.5M USD.


Mas o raciocínio do SSK é essencialmente válido: haverá  decerto custos exorbitantes para integrar um Tomahawk no U-214/209PN e U-214/209PN leva uma quantidade limitada de munições (8 nos tubos e 8 recargas).

Adiciono ainda que para tirar partido de uma arma com alcance de 2500km, é preciso dispor de uma rede de informações adequada.

A modo que Tomahawks não me parecem grande prioridade.
Título:
Enviado por: AC em Janeiro 05, 2009, 06:38:22 pm
Já agora, já se sabe qual o sistema AIP que vai ser usado nos S-80?
Título:
Enviado por: SSK em Janeiro 05, 2009, 11:47:50 pm
Citação de: "AC"
Já agora, já se sabe qual o sistema AIP que vai ser usado nos S-80?


O sistema está ainda em desenviolvimento.

No que diz respeito a assinaturas acústicas é óbvio que se podem mudar as velocidades dos motores (diesel), mas os espaçamentos entre linhas de frequências estão sempre lá e são sempre múltiplos. O motor em causa terá sempre o mesmo número de cilindros e trabalhará sempre a 2 ou 4 tempos. A frequência dos conversores será sempre 60 Hz (ocidentais) e 50 Hz (pacto de Varsóvia).

O custo do Tomahawk é muito semelhante ao torpedo DM2A4, um pouco mais barato até.


Caro Menacho,
Quanto ao AIP carregar baterias não é totalmente verdade. O AIP somente alimente os circuitos eléctricos de bordo, as baterias só podem ser carregadas pelo diesel. Libertação de hidrogénio deve dizer-lhe algo...

Caso não tenha lido o que escrevi, não referi a autonomias...

O DM2A4 é um belo torpedo sim senhor, mas em tudo semelhante ao Black Shark. Conheço bem as diferenças entre ambos, acredite, uns superiores numas áreas outro noutras, complementam-se. A grande diferença entre ambos é na inteligência interna no modo como fazem o ataque, ambas muito válidas.
Título:
Enviado por: Cláudio C. em Janeiro 06, 2009, 12:33:17 pm
O preço do Black Shark era entao identico ao DM2A4? So para fazer uma comparaçao como o preço do tomahawke!  :wink:

Cumprimentos e obrigados
Título:
Enviado por: Menacho em Janeiro 06, 2009, 08:28:11 pm
Citação de: "SSK"
Citação de: "AC"
Caro Menacho,
Quanto ao AIP carregar baterias não é totalmente verdade. O AIP somente alimente os circuitos eléctricos de bordo, as baterias só podem ser carregadas pelo diesel. Libertação de hidrogénio deve dizer-lhe algo...

Caro SSK..............estas confundido.... :wink:

El AIP propulsa un submarino de manera continuada durante varios dias:

http://www.elsnorkel.com/web/index.php?option=com_content&task=view&id=300&Itemid=133

(http://www.elsnorkel.com/images//submarinos/tecnologia/aip2.jpg)

Citar
Este nuevo sistema de propulsión además de ser silencioso permite navegar en patrulla a 6 nudos en forma permanente por mas de quince días. En caso de requerir velocidades mayores se conecta al motor la corriente de la batería.

Otro tipo es el MESMA:

Citar
El sistema AIP propuesto para los Scorpene era el MESMA, este no le otorga mayor velocidad, su funcion es darle mayor duracion sumergido sin renovar el aire.

El AIP de MESMA (Módulo Energie Sous-Marin Autonome) consisten en vapor calentado por un circuito primario, en el cual una cámara de combustión quema una mezcla gaseosa de combustible (gasoil o etanol) y el oxígeno (LOX)
El oxígeno líquido se guarda a baja presión en un tanque criogénico. La energía térmica es convertida en energía eléctrica, usando un ciclo convencional de Rankine que abarca un Generador de Vapor, Turbo-alternadores y un Condensador.
Los caudales del oxígeno y del combustible son determinados directamente por demanda de la potencia. Los productos de la combustión se generan y se guardan. El rango de la potencia es el 150 a 600kW.En la operación, el oxígeno líquido guardado a –185 C se bombea en un vaporizador (similar al usado en centrales nucleares) donde llega a Después se trae en la cámara de combustión y se combina con etanol, produciendo una salida termal de 700C y la presión de 60 bares. Un re-circulator recicla la parte del gas de escape refrescado para regular la temperatura dentro del circuito primario. Estos gases se pasan a través de un cambiador de calor (produciendo vapor en 500 C y 18 bares de presión).
En el MESMA, se elimina la generación de baja frecuencia de los sonidos. El LOX y el etanol se guardan por separado para satisfacer rigurosas normas de seguridad y requisitos de almacenaje peligrosos. Los estándares del control y de la contención deben mucho a la experiencia de DCN en el campo de la propulsión nuclear. Aspectos principales del sistema son almacenaje del oxígeno en áreas confinadas; ignición; producción del vapor; generación de la energía eléctrica y discreción acústica.El CONCEPTO de MESMA la función primera de un sistema Aire Independiente de la Propulsión (AIP) es generar la electricidad para un submarino sumergido. El MESMA, basado en un motor cerrado del ciclo de Rankine, ofrece la capacidad de operar el sistema de propulsión, sistemas de combate y auxiliares principales, y la recarga de sus baterías. Los sistemas de AIP amplían los periodos de inmersión, ( es decir reduce la necesidad de realizar snorkel para recargar las baterias

Citar
El sistema MESMA anaerobico (no necesita aire), en el cual el calor en el circuito primario es producido quemando etanol con oxigeno, puede ser facilmente instalado durante el periodo de construccion del navio o en una modernizacion posterior para convertirlo de clase CM-2000 a AM-2000 standard. Con el, sus capacidades permanecen las mismas, triplica su limite de patrulla en inmersion, su longitud es de 70m y su desplazamiento sumergido va a las 1.870 toneladas.



El actual prototipo de AIP para el S-80 genera 300 Kw continuos.

Una foto de como quedará el S-80:

(http://i5.photobucket.com/albums/y168/rgc/S-80A.jpg)

Cumprimentos
Título:
Enviado por: bidas em Janeiro 06, 2009, 11:24:33 pm
Stirling:
(http://zone.sousmarins.free.fr/drivprincip-aip-kockum.jpg)
A imagem ^^^^ é  a mesma mas a fonte é outra c34x  c34x

MESMA:
(http://zone.sousmarins.free.fr/mesma-principe.jpg)

Fuel cells:
(http://img376.imageshack.us/img376/8388/20090106230342eu2.jpg) (http://http)
"The fuel cells generate electricity for low speed propulsion, the operation of the electrical
equipment during silent run and for battery recharge. In case of high power demand,
e.g. for escape purposes, the lead acid batteries provide burst speed capability."
Retirado de:
"Fuel Cell Propulsion of Submarines
Dr. Albert E. Hammerschmidt, Siemens AG, Erlangen"
Em:
"Paper to be presented at: Advanced Naval Propulsion Symposium 2006, October 30-
31, 2006, Arlington, VA, USA"

Citar
El actual prototipo de AIP para el S-80 genera 300 Kw continuos

Prototipo? Quem é o fabricante? A informação que obtive é que isso dos 300kW é mais uma especificação do que uma característica de prototipo. Se tiver mais informações agradecia a sua partilha.

Cumprimentos,

bidas
Título:
Enviado por: papatango em Janeiro 06, 2009, 11:37:29 pm
Em teoria a principal diferença entre os sistema AIP do S-80 e do U-214 ou do U-212 é o combustível.

Conforme o SSK referiu, há uma diferença entre as baterias que são alimentadas pelos motores a Diesel e as células de combustivel ou pilhas de combustível. Um U-214 é um Hibrido. Ele tem um sistema de propulsão Diesel-Electrico convencional e depois tem o AIP.

A especificação do sistema do S-80 é para 300kW.
O sistema não existe e está em desenvolvimento nos Estados Unidos.
O S-80 está dependente do desenvolvimento do sistema, e até agora não há grandes novidades.
Título:
Enviado por: AC em Janeiro 07, 2009, 01:05:20 am
Er...
300kW não é muito diferente dos 240/306 kW que as células de combustível do U-214 fornecem...
Para por isto em contexo, o motor eléctrico do U-214 tem uma potência de 2850kW, os dois geradores diesel fornecem 940kW e o(s) motores diesel 3120kW cada um.
E já agora, segundo este panafleto (http://http) da Siemens, as células de combustível do U-212/214 também podem ser utilizadas para recarregar baterias.
O que faz sentido, uma vez que as baterias permitem velocidades bastante mais elevadas que as células de combústivel.

Quanto ao S-80, para começar eu gostava de saber se vão usar um sistema de células de combústivel como os U-212/214 ou se vão usar o sistema MESMA de turbina a vapor desenvolvido para o Scorpene.
Título:
Enviado por: bidas em Janeiro 07, 2009, 01:26:52 am
Citação de: "bidas"
Prototipo? Quem é o fabricante? A informação que obtive é que isso dos 300kW é mais uma especificação do que uma característica de prototipo. Se tiver mais informações agradecia a sua partilha.

Cumprimentos,

bidas

Bem já encontrei a resposta para a minha pergunta, UTC POWER, boa escolha, quero dizer boa alternativa à Siemens :D

Sim AC como eu já disse antes no mesmo "panfleto", podem propulsionar o submarino a baixa velocidade, podem alimentar o equipamento electrifico e podem carregar as baterias, bem para a próxima traduzo.

Cumprimentos,

bidas
Título:
Enviado por: SSK em Janeiro 07, 2009, 06:32:27 pm
Não estou enganado! sim, porque o Motor eléctrico dos submarinos é considerado mais um sistema eléctrico de bordo. A comunicação entre a célula de combustível e a bateria não existe. Se observar um esquema técnico pode observá-lo, como eu já o fiz.
Título:
Enviado por: AC em Janeiro 07, 2009, 08:07:15 pm
Ó SSK, não vou duvidar de si em questões de submarinos mas... porque diabos não existe essa possibilidade?

A mim parece-me interessante que se o submarino estiver algum tempo parado pudesse aproveitar para recarregar as baterias a partir das células.

E o problema da libertação de H2 e O2 não me parece terrivelmente complicado de resolver...
Título:
Enviado por: SSK em Janeiro 07, 2009, 08:53:41 pm
Citação de: "AC"
Ó SSK, não vou duvidar de si em questões de submarinos mas... porque diabos não existe essa possibilidade?

A mim parece-me interessante que se o submarino estiver algum tempo parado pudesse aproveitar para recarregar as baterias a partir das células.

E o problema da libertação de H2 e O2 não me parece terrivelmente complicado de resolver...


O problema não é o O2 , visto esse existir num reservatório, a questão é mesmo o facto do AIP não ter "potência" suficiente para carregar as baterias e alimentar todo o navio. Assim, o AIP, pelo menos o nosso, é somente usado para trânsito/patrulhas silenciosos e longos, questões tácticas.

Para carregar uma bateria seria necessário muitos mais amperes para ser "rentável" efectuar tal carga.
Título:
Enviado por: FoxTroop em Janeiro 07, 2009, 09:10:52 pm
Penso que existe uma ameaça a médio prazo contra o nosso País por isso falo dos Tomahawk. Considero que os Harpoon são bons misseis mas deveriam ser complementados por um sistema de maior alcançe e poder de destruição.

Penso que a única possibilidade de conseguirmos preservar o que é nosso (se quisermos realmente) e garantir a integridade da nossa Pátria sem que ela tenha de ambicionar a umas FA demasiado pesadas para ser suportadas é garantir, através de uma ameaça assimetrica, um nível de destruição que leve alguem a pensar 500X. Isso significa, entre outras coisas, uma esquadrilha de submarinos eficaz com capacidade de atacar alvos estratégicos a longa distancia (penso que me faço entender quanto ao tipo de cabeça de guerra)
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Janeiro 07, 2009, 11:38:52 pm
Citar
(penso que me faço entender quanto ao tipo de cabeça de guerra)

Nuclear???? :shock:  :shock:
Título:
Enviado por: FoxTroop em Janeiro 07, 2009, 11:56:44 pm
Sim, porque a médio prazo penso que uma corrida a esse tipo de armamento acontecerá.

Considero que o agravamento da ordem mundial tornará essa alternativa, a única capaz, para que pequenos países com áreas estratégicas de alto valor, como o nosso, garantirem a sua integridade. Como o nosso território não tem extensão para uma dispersão eficaz de sistemas de retaliação a solução está em colocar esses sistemas em meios altamente discretos e "escorregadios" (sub's)

Considero que Portugal já hoje em dia está a sofrer pressões nesse sentido e que se começa a formar uma ameaça tangível. Encapuçada mas tangível.

As enormes pressões de países terceiros para que não renovássemos a arma submarina (sinceramente a única coisa que possuímos com real capacidade de ameaça a alguém) levou-me pela 1ª vez a pensar no porquê de tanta opinião contra, e depois, com meia dúzia de acontecimentos atípicos deduzi que sem essa arma ficaríamos completamente atados militarmente.
Título:
Enviado por: Feinwerkbau em Janeiro 08, 2009, 12:17:42 am
cuidado que essas warheads magoam......

e já agora, alguém vende disso a paises como Portugal? ( curiosidade )
Título:
Enviado por: SSK em Janeiro 08, 2009, 12:25:29 am
Citação de: "Cláudio C."
O preço do Black Shark era entao identico ao DM2A4? So para fazer uma comparaçao como o preço do tomahawke!  :wink:

Cumprimentos e obrigados


O do Black Shark foi consideravelmente mais barato, mas só por motivos negociais, visto a wass querer entrar no mercado alemão. O valor certo não tenho.
Título:
Enviado por: FoxTroop em Janeiro 08, 2009, 12:35:51 am
Pois magoam, mas convém não esquecer que não são armas de ataque ou defesa mas sim de auto-destruição. E que se a guerra fria não passou a quente foi por causa disso mesmo.

A capacidade tecnológica e base cientifica temos cá. A vontade e meios práticos é que duvido, mas considero que é uma questão de vontade.
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Janeiro 08, 2009, 04:52:07 am
Podemos comprar no Paqustão ou na India, e em vez de um Tomahawk Tercom, mandamos um TGV tercom.
Título:
Enviado por: Feinwerkbau em Janeiro 08, 2009, 08:39:46 am
Citação de: "FoxTroop"
Pois magoam, mas convém não esquecer que não são armas de ataque ou defesa mas sim de auto-destruição. E que se a guerra fria não passou a quente foi por causa disso mesmo.

A capacidade tecnológica e base cientifica temos cá. A vontade e meios práticos é que duvido, mas considero que é uma questão de vontade.


qualquer dia temos os EUA a dizer que nos vão invadir pq temos "weapons of mass destruction"..  :twisted:

e os acordos de não proliferação?

já agora, canto custa uma ( apenas uma ) ogiva??

pois é.... o mal destas armas é que se temos uma, apontam-nos logo 5 ou 6...........

não me agrada a sensação de andar na rua no meu dia a dia, com uma arma apontada à cabeça....
Título:
Enviado por: TOMSK em Janeiro 08, 2009, 11:28:41 am
Citar
Penso que existe uma ameaça a médio prazo contra o nosso País por isso falo dos Tomahawk

E a qual ameaça se refere?

Citar
Como o nosso território não tem extensão para uma dispersão eficaz de sistemas de retaliação a solução está em colocar esses sistemas em meios altamente discretos e "escorregadios" (sub's)


Efectivamente, deixem-me dizer-vos uma coisa interessante.
Há muitos séculos atrás, quando andávamos nas coisas dos Descobrimentos, chegámos à Índia. Depois conquistámos lá uns pequenos pedaços e fomos resistindo, cercados de inimigos, na maior parte. E um dos governadores da Índia mandou uma vez uma carta ao Rei de Portugal a dizer que : " Que fique a saber que os muros da Índia devem ser esta armada ". Ou seja, ele referia-se que`pela reduzida dimensão do território que tínhamos para defender, e por conseguinte os poucos soldados que tínhamos em relação aos nossos inimigos, a defesa do território devia estar assente numa Armada poderosa e bem equipada, que pudesse levar vantagem em relação aos inimigos.
Resumindo, a defesa da Índia Portuguesa devia jogar-se no mar e não em terra, onde eramos substancialmente inferiores em números.

E hoje, parece tão actual esta afirmação. Não é preciso saber que há pressões de outros para acabarmos com os sub´s, etc. Basta ver, que pela nossa ZEE, e pelos "poucos homens em terra", ontem como hoje, a defesa de Portugal deve ter uma grande prepnderância no factor maritímo, principalmente e actualizando, na arma submarina.
Título:
Enviado por: Menacho em Janeiro 08, 2009, 12:03:55 pm
Citação de: "SSK"
.A comunicação entre a célula de combustível e a bateria não existe. Se observar um esquema técnico pode observá-lo, como eu já o fiz.


 :shock:  ¿Seguro?....yo si la veo


(http://img187.imageshack.us/img187/5446/drivprincipaipkockumyk8.jpg) (http://http)
(http://img187.imageshack.us/img187/drivprincipaipkockumyk8.jpg/1/w358.png) (http://http)
Título:
Enviado por: FoxTroop em Janeiro 08, 2009, 03:03:10 pm
Citar
qualquer dia temos os EUA a dizer que nos vão invadir pq temos "weapons of mass destruction".. Twisted Evil

e os acordos de não proliferação?

já agora, canto custa uma ( apenas uma ) ogiva??

pois é.... o mal destas armas é que se temos uma, apontam-nos logo 5 ou 6...........

não me agrada a sensação de andar na rua no meu dia a dia, com uma arma apontada à cabeça....


Acredite se quiser mas se algum dos países recentemente atacados tivesse realmente essas armas, pura e simplesmente não teria sido atacado.

Os acordos de não proliferação são muito bons para quem já as tem, pois não as deixa de ter e impede os outros de também as ter e falar de igual para igual :twisted:

Não me importo de as ter apontadas a mim sabendo que posso pagar na mesma moeda, agora estarem apontadas e não poder piar.......

Não existem grandes entraves e custos na produção das ogivas mas sim na manutenção e armazenamento assim como na seguranças desses sistemas. Aí entra a única coisa que me preocupa realmente, a queda do português para o facilitismo e o desleixo das normas que com coisas dessas não pode existir.
Título:
Enviado por: tamokae em Janeiro 08, 2009, 03:04:16 pm
Então observe e veja melhor! Pelas suas afirmações suspeito que deve ser um tecnico da area, assim sendo deve saber distinguir, o que seria ou sera a "cereja" e o que actualmente se consegue atingir.

Sonhos tambem eu tenho, propaganda.....


Bom Ano a todos


LFHF
Título:
Enviado por: Jorge Pereira em Janeiro 08, 2009, 06:14:41 pm
Citação de: "FoxTroop"
Penso que existe uma ameaça a médio prazo contra o nosso País por isso falo dos Tomahawk. Considero que os Harpoon são bons misseis mas deveriam ser complementados por um sistema de maior alcançe e poder de destruição.

Penso que a única possibilidade de conseguirmos preservar o que é nosso (se quisermos realmente) e garantir a integridade da nossa Pátria sem que ela tenha de ambicionar a umas FA demasiado pesadas para ser suportadas é garantir, através de uma ameaça assimetrica, um nível de destruição que leve alguem a pensar 500X. Isso significa, entre outras coisas, uma esquadrilha de submarinos eficaz com capacidade de atacar alvos estratégicos a longa distancia (penso que me faço entender quanto ao tipo de cabeça de guerra)


Penso que estará a pensar em qualquer coisa como esta:

http://www.fas.org/nuke/guide/israel/mi ... peye-t.htm (http://www.fas.org/nuke/guide/israel/missile/popeye-t.htm)
Título:
Enviado por: Feinwerkbau em Janeiro 08, 2009, 08:41:11 pm
em relação aos Tomahawk estarei de acordo...

quanto às cabeças de guerra, nem pouco mais ou menos, são das que aleijam muito  :roll:

mas vejo-os mais com uma missão anti-naval ou contra uma muito pseudo eventual ameça de um país próximo, ou no apoio ao combate a células terroristas num país africano amigo e a pedido do mesmo....

e o custo?
Título:
Enviado por: AC em Janeiro 08, 2009, 08:42:43 pm
Err.. deixemo-nos de sonhos.

a) Portugal assinou o tratado de Não Proliferação Nuclear. Qualquer tentativa de desenvolver armas nucleares levaria a sanções militares, económicas e diplomáticas.
c) Não temos onde realizar os testes de ogivas nucleares nem forma de obter o conhecimento necessário para as desenvolver sem os ditos testes.
d) Desenvolver armas nucleares e miniaturizar a tecnologia ao ponto de caber num Tomahawk requer décadas e rios de dinheiro.
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Janeiro 08, 2009, 09:54:27 pm
E agora a dura realidade. Esperemos que este governo não resolva em nome da crise, vender os dois submarinos a outro país.
Título:
Enviado por: AC em Janeiro 08, 2009, 10:07:14 pm
Citação de: "SSK"
Para carregar uma bateria seria necessário muitos mais amperes para ser "rentável" efectuar tal carga.


Ah. Era isso que me estava a escapar.
Obrigado. :)
Título:
Enviado por: SSK em Janeiro 08, 2009, 10:11:03 pm
Citação de: "Menacho"
Citação de: "SSK"
.A comunicação entre a célula de combustível e a bateria não existe. Se observar um esquema técnico pode observá-lo, como eu já o fiz.

 :shock:  ¿Seguro?....yo si la veo


(http://img187.imageshack.us/img187/5446/drivprincipaipkockumyk8.jpg) (http://http)
(http://img187.imageshack.us/img187/drivprincipaipkockumyk8.jpg/1/w358.png) (http://http)


Para além de ter cortado a parte em que está escrito no AIP "português", que é tão nosso como o vosso será espanhol, a ligação que vê da bateria é o "barramento" que liga a bateria ao motor eléctrico. Esta ligação pode muito bem passar num quadro em que existam ligações das diversas fontes de alimentar/carregar a bateria. Se for conhecedor dos submarinos espanhóis saberá que os antigos Daphné e os Agosta têm quadros semelhantes que permitem carregar a bateria pelos diesel's de bordo ou por carga proveniente de terra. E, de certo que essas que não alimenta o motor eléctrico a partir de terra!
Título:
Enviado por: SSK em Janeiro 08, 2009, 10:13:46 pm
Citação de: "luis filipe silva"
E agora a dura realidade. Esperemos que este governo não resolva em nome da crise, vender os dois submarinos a outro país.


É a segunda pessoa que oiço/leio dizer isto HOJE! O Senhor não sei, mas o outro está bem informado sobre estes assuntos. A ver vamos, como diz o cego...
Título:
Enviado por: bidas em Janeiro 09, 2009, 12:37:41 am
Citação de: "SSK"
Citação de: "Menacho"
Citação de: "SSK"
.A comunicação entre a célula de combustível e a bateria não existe. Se observar um esquema técnico pode observá-lo, como eu já o fiz.

 :?  :?

cumprimentos,

bidas
Título:
Enviado por: P44 em Janeiro 09, 2009, 10:56:33 am
Citação de: "SSK"
Citação de: "luis filipe silva"
E agora a dura realidade. Esperemos que este governo não resolva em nome da crise, vender os dois submarinos a outro país.

É a segunda pessoa que oiço/leio dizer isto HOJE! O Senhor não sei, mas o outro está bem informado sobre estes assuntos. A ver vamos, como diz o cego...


onde há fumo...
Título:
Enviado por: Miguel em Janeiro 09, 2009, 11:35:40 am
Citação de: "SSK"
Citação de: "luis filipe silva"
E agora a dura realidade. Esperemos que este governo não resolva em nome da crise, vender os dois submarinos a outro país.

É a segunda pessoa que oiço/leio dizer isto HOJE! O Senhor não sei, mas o outro está bem informado sobre estes assuntos. A ver vamos, como diz o cego...


claro que vao ser vendidos, em nome da crise para financiar TGV etc...

Portugal chegou ao estado de "clochardisation" neste novo millenio.

Mafia,Corupçao,Incompetencia, 3 simples palavra para designar o estado ao que chegamos.
Título:
Enviado por: tamokae em Janeiro 09, 2009, 05:23:43 pm
A maioria dos ditos tecnicos "politicos", eng. advog. arq. presidentes de concelhias dos aparelhos partidarios, tem uma grande falta de conhecimento do territorio nacional e suas mais valias.

Todos vão para a cama a sonhar ser o seu presidente de alguma coisa, ou o fontes pereira de melo ou americo tomas, so que constatam que o seu diploma e so da 4 classe ou os restantes foram a conta do aparelho.

Navios como os que vamos receber, não me parece que aqueles que, manifestaram desejo, cheguem la....

este iato de tempo da para tudo ate para pensar que com cacilheiros chega e sobra.

as alterações são graduais e progressivas, nestas materias rupturas e passos maiores do que a nossa realidade permite, e para enterrar o nosso futuro.
Título:
Enviado por: Jorge Pereira em Janeiro 09, 2009, 10:55:38 pm
Citação de: "SSK"
Citação de: "luis filipe silva"
E agora a dura realidade. Esperemos que este governo não resolva em nome da crise, vender os dois submarinos a outro país.

É a segunda pessoa que oiço/leio dizer isto HOJE! O Senhor não sei, mas o outro está bem informado sobre estes assuntos. A ver vamos, como diz o cego...



Não acredito. Seria o fim da capacidade submarina de Portugal, visto já não haver nenhum submarino com capacidade para “aguentar mais uns tempos”. Esta perda seria injustificável para um país com uma das maiores ZEE do mundo, em vias de ampliar a sua plataforma continental, ZEE que possui rotas marítimas das mais importantes do tráfego internacional, legal e ilegal, para já não falar de que Portugal é um país constituído por dois importantes arquipélagos que necessitam de manter as suas vias de comunicação marítimas salvaguardas com o continente em qualquer circunstância.

Seria também uma afronta total às Forças Armadas, que estou certo que contaria com a oposição da parte responsável dos partidos da oposição, do Presidente da República, e como não poderia deixar de ser, das Chefias Militares. Estas teriam de se demitir em bloco em sinal de protesto e até de dignidade para com as instituições que chefiam e representam.

Por tudo isto, e por outros dois motivos que não quero aqui revelar, penso que este governo não quererá assumir tamanho ónus de tal barbaridade.
Título:
Enviado por: P44 em Janeiro 10, 2009, 10:29:20 am
Eu então não me admiraria nada que tal viesse a acontecer.

Aliás há bem pouco tempo li um comentário num forum estrangeiro em que se fala que a POLÓNIA, além do interesse no Papanikolis, estaria interessada em adquirir, num futuro não muito distante...mais DOIS!

Agora façam as contas que quiserem...
Título:
Enviado por: FoxTroop em Janeiro 10, 2009, 11:58:07 am
Também não acredito que tal possa acontecer, seria uma irresponsabilidade tremenda por parte dos nossos lideres, assim como duvido que a Polónia, neste quadro geral de crise, possa adquirir, assim do nada, mais dois sub's. Nós é que deveríamos adquirir mais um.

Quanto aos Tomahawk, se apenas com cabeças convencionais, teríamos de adquirir um nº bastante elevado de misseis de modo a serem suficientemente dissuasores. Como a capacidade de armas dos sub's é reduzida, automaticamente seriam precisos mais sub's ou então unidades de superfície com capacidade de lançamento daí, na minha opinião, só com capacidade nuclear ou então nada.

Convém não esquecer que os países do Magrebe têm mostrado interesse na aquisição e desenvolvimento de capacidades nucleares (pacificas). Uma vez adquiridos esses conhecimentos bastará apenas vontade politica para o passo seguinte. Ainda não muito tempo foi discutido num congresso em Portugal, por especialistas militares e políticos,  que desequilíbrios e ameaças uma situação dessas pode trazer entre outras coisas relativas ao tema.

Não acredito que a Espanha, envolvida como está no norte do Magrebe, fique a olhar e em caso extremo não desenvolva um programa nuclear militar como contra-peso. Para mais se a ordem internacional se continuar a degradar, de nada valerá ONU's  & cia porque "não há razão, onde não há força"  Nesse caso  Portugal ficará extremamente dependente e vulnerável tanto mais que as intenções dos altos quadros militares espanhóis em relação ao nosso país são tudo menos segredo. Inúmeros "incidentes" (que levaram ao extremo de obrigar o PR a visitar umas ilhas que todos nós conhecemos para afirmar a nossa soberania) assim como uma aumento pouco explicável das FA espanholas (como tem sido assinalado por varias altas patentes das nossas FA) e o apetite cada vez mais mal camuflado dos US nas nossas ilhas (vitais para as SLOC americanas) levam-me a pensar que poucas alternativas temos de momento.

Não sou um perito, muito longe disso, assim como não tenho conhecimento dos todos os dados e isto é apenas a minha opinião.
Título:
Enviado por: SSK em Janeiro 10, 2009, 03:01:52 pm
Citação de: "bidas"
Citação de: "SSK"
Citação de: "Menacho"
Citação de: "SSK"
.A comunicação entre a célula de combustível e a bateria não existe. Se observar um esquema técnico pode observá-lo, como eu já o fiz.

 :?  :?

cumprimentos,

bidas


Não vou falar mais sobre este assunto, já me chateia as pessoas não lerem todos os "post" sobre este assunto. Acreditem no que quiserem...


Relativamente a futuras vendas, afrontas e chefias militares prefiro não falar porque nunca se sabe o que vai na cabeça dessa malta, bem como as negociatas que podem ser feitas... A venda não tem lógica, mas estamos em Portugal, o país das crises, aeroportos, TGV's, EURO's 2004 e construções megalómanas...
Título:
Enviado por: LM em Janeiro 10, 2009, 08:52:53 pm
Esta hipotese de os U209PN não virem devia ter um tópico próprio que era para eu não o ler e não estar a sofrer em antecipação... nem quero pensar nisso, já estragaram qualquer alegria que podia sentir com a recepção das fragatas BD...
 :shock:  :?  :(
Título:
Enviado por: cromwell em Janeiro 11, 2009, 11:53:25 am
O off-topic já está muito grande, gente.
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Janeiro 11, 2009, 12:26:33 pm
Citar
O off-topic já está muito grande, gente.

Meu caro Cromwell
Não vejo em que discutir assuntos relativos à classe Tridente, seja off topic, já que este é o tópico dedicado a eles.
Título:
Enviado por: P44 em Janeiro 22, 2009, 11:07:50 am
a proposito....

Citar
quinta-feira, 22 de Janeiro de 2009 | 10:40    

Airbus: deputado do PS acusa Lino de «manifesta negligência»

O deputado do PS e autor do relatório parlamentar sobre acompanhamento do processo de contrapartidas, Ventura Leite, acusou, na quarta-feira, o ministro dos Transportes e Obras Públicas de «manifesta negligência» na gestão do processo de aquisição dos novos aviões da TAP. Como tal, o parlamentar pede ao primeiro-ministro que chame a si o controlo dos processos de construção do TGV e Novo Aeroporto de Lisboa (NAL).

Segundo avança a edição desta quinta-feira do jornal Público, Ventura Leite considera ainda que Mário Lino registou, ao longo do processo de aquisição dos Airbus, um «desperdício de oportunidades» de obter compensações para a indústria portuguesa num negócio que ascendeu a 2,5 mil milhões de euros.

«Houve manifesta negligência», afirmou Ventura Leite, reforçando as conclusões do relatório discutido anteontem em comissão parlamentar, cuja votação foi adiada para Fevereiro.

«A partir de certo ponto, a repetição da negligência em detrimento do interesse do país poderá ter outra explicação», considerou ainda, sublinhando que «nenhum outro país repete os mesmos erros ao longo de tanto tempo».

De resto, o relatório refere outros exemplos de falta de aproveitamento de contrapartidas em grandes negócios, como é o caso das compras de material militar (submarinos e helicópteros), apontando o dedo aos sucessivos governos por esse facto.


O deputado eleito por Setúbal, que se encontra no seu primeiro mandato, apela, por isso, ao primeiro-ministro, José Sócrates, para que «chame a si o controlo» dos grandes investimentos públicos anunciados, TGV e NAL, e que, com visão estratégica, se faça «o que se fez no caso das eólicas».

«Portugal tem de assumir ao mais alto nível a liderança do processo, não o pode deixar em mãos de governantes que já mostraram a sua incapacidade», acusa este economista, apontando o dedo tanto ao ministro Mário Lino como ao responsável pela pasta da Economia, Manuel Pinho, por «nunca ter assumido as suas responsabilidades no processo da TAP e ter remetido sempre para o MOPTC».

Entretanto, a subsidiária portuguesa da Lauak garantiu ontem que nenhum dos seus contratos com a Airbus está ligado à compra de aviões que a TAP realizou junto deste fabricante e que nunca foi contactada por parte do Governo português para qualquer negócio nesse sentido.


http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?s ... 336&page=1 (http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?section_id=12&id_news=369336&page=1)
Título:
Enviado por: Moisés Magalhães em Fevereiro 01, 2009, 05:38:20 pm
Como português e patriota, muito lamento, a manifesta negligência por parte do nosso governo em relação ás negociações ou bem mais grave, à falta delas, das contrapartidas económicas, pelas aquisições e muito em particular as em equipamento militar, mas não me supreende o facto de o responsavel ser o ministro das obras públicas ser um exemplo, este é acusado por alguns, se ser um iberista convicto, como várias vezes em público a sua simpatia pelo outro lado da fronteira ficou bem expressa, na minha opinião este, como alguns outros, não passam de Condes Andeiros que no presente momento vendem ou possibilitam a venda de Portugal a potenciais interesses estrangeiros.

Como disse anteriormente neste fórum, considero a importância da componente submarinista em Portugal, como estratégica, se não como a última linha de defesa no âmbito da defesa do nosso mar, se realmente ambição existisse, não seriam SÓMENTE dois submarinos ... mas sim TRÊS ou mesmo QUATRO!!!!!!.

Perdoem-me alguns, mas não consigo nunca, permanecer indiferente à tentativa de outros, insistirem e reduzirem o NOSSO PORTUGAL á semelhança da sua própria pequenês.  

Cumprimentos,
Título:
Enviado por: TOMSK em Fevereiro 02, 2009, 12:49:36 am
Totalmente de acordo. Também já eu referi aqui anteriormente, a minha crença pessoal que pelas características geo-estratégicas de Portugal, a arma submarina devia ser a grande aposta e a "jóia-da coroa" das Forças Armadas nacionais. Mais do que honrar a tradição maritíma portuguesa, é apostar num "seguro de defesa" tremendamente efectivo. A sua discrição e furtividade são por si só uma arma dissuasora, que põe em sentido qualquer adversário, para além dos novos sistemas de armamento, por exemplo a capacidade de atingir alvos em terra até cerca de 150 Km dentro da costa do inimigo, a partir do mar, na sua obscuridade, portanto invisível ao adversário.

Nas palavras de quem sabe, deixo aqui um comentário do Comandante Gouveia e Melo:

"É preciso não esquecer que Portugal tem um território que está dividido em dois arquipélagos e uma parcela no continente. A uníca coisa que une estas parcelas do território é o mar. E esse mar esta posicionado numa área geo-estratégica fundamental para o mundo ocidental.
-Se nós não ocuparmos esse mar - que é nosso por natureza - alguém o vem ocupar por nós!
E perdemos assim independência, autonomia e segurança num contexto que não é o actual, mas ninguém nos garante que daqui a quarenta anos não possa ser um contexto diferente.
O preço deste submarino é um preço pequeno para assumir a segurança porque esse preço não seria pago em euros mas seria pago em falta de segurança e com consequências tremendas para Portugal"


Por isso, que se deixem de fantochadas de Mundiais com Espanha e guardem o pouco dinheiro que nos resta para o que realmente faz falta para garantir a independência do nosso mar, e logicamente de Portugal.
Título:
Enviado por: P44 em Fevereiro 06, 2009, 01:17:12 pm
http://www.ejercitosdelmundo.es/viewtop ... 009#p20582 (http://www.ejercitosdelmundo.es/viewtopic.php?f=68&t=98&p=21009#p20582)
Título:
Enviado por: migbar2 em Fevereiro 07, 2009, 01:16:45 am
Citação de: "P44"
http://www.ejercitosdelmundo.es/viewtopic.php?f=68&t=98&p=21009#p20582






Mas de onde é que sairam estes rumores que já andam nas bocas do mundo?
Título:
Enviado por: Tiger22 em Fevereiro 07, 2009, 01:26:00 am
Citação de: "migbar2"
Citação de: "P44"
http://www.ejercitosdelmundo.es/viewtopic.php?f=68&t=98&p=21009#p20582





Mas de onde é que sairam estes rumores que já andam nas bocas do mundo?



Não há rumores por esse mundo fora. É o nosso “amigo” Menacho que anda no “leva e traz”. A fonte dele é este fórum. :roll:
Título:
Enviado por: P44 em Fevereiro 07, 2009, 10:22:11 am
no militaryphotos tb já falaram disto...
Título:
Enviado por: General Spínola em Fevereiro 07, 2009, 11:31:42 am
E quando recebemos os dois submarinos?
Título:
Enviado por: P44 em Fevereiro 07, 2009, 11:35:15 am
em teoria, 2010 e 2011
Título:
Enviado por: cromwell em Fevereiro 07, 2009, 02:15:32 pm
Eu gostava é de saber porque é que na areamilitar, diz que o primeiro submarino vai ser entregue este ano.
 :roll:
Título:
Enviado por: Jorge Pereira em Fevereiro 10, 2009, 06:04:11 pm
Esqueçam os rumores:

Os submarinos vão gerar milhões em contrapartidas à indústria nacional de moldes, electrónica, automóvel, naval, etc. Só para a Lisnave estão previstos 300 milhões de Euros. Nesta altura de crise, é como pão para a boca!

O Governo nos últimos tempos tem gasto/prevê gastar centenas de milhões do erário público em tranches exorbitantes e em questões absurdas e mirabolantes:

1800 Milhões de euros para o BPN.
7000/15000(?) Milhões no TGV.
Várias centenas de milhões da CGD para financiar um especulador financeiro como o Joe Berardo.

Por muito irresponsável que se fosse, seria impossível justificar, face ao exposto,  a alienação de um investimento que ronda só os 900 milhões de euros que implicaria a perda da “escola” submarina da Armada (que demora décadas a formar) de um país com uma da maiores e mais movimentadas ZEE do mundo, com tudo o que isto implicaria ao nível da soberania e identidade nacional.

Seria brincar com o fogo…
Título:
Enviado por: papatango em Fevereiro 10, 2009, 06:33:18 pm
Citação de: "cromwell"
Eu gostava é de saber porque é que na areamilitar, diz que o primeiro submarino vai ser entregue este ano.
 :mrgreen:
Título:
Enviado por: Miguel em Fevereiro 10, 2009, 08:38:28 pm
Citar
Por muito irresponsável que se fosse, seria impossível justificar, face ao exposto, a alienação de um investimento que ronda só os 900 milhões de euros que implicaria a perda da “escola” submarina da Armada (que demora décadas a formar) de um país com uma da maiores e mais movimentadas ZEE do mundo, com tudo o que isto implicaria ao nível da soberania e identidade nacional.


Explique isso ao Ze Manuel......

Na minha opiniao Portugal de hoje esta perdido, dentro de alguns anos a nossa defesa vai ser responsabilidade da Espanha no melhor dos casos... Se entretanto Espanha nao fique sob tutela do FMI...

O Ze Manuel quer é jogos de futebois, behemesW c34x , churrascos e novelas para a Ze Maria

Para os velhotes rezar muito....

Perdemos a batalha, duro mais terrivelmente cruel..
Título:
Enviado por: TOMSK em Fevereiro 10, 2009, 08:54:50 pm
A solução era ter de novo Paulo Portas com a pasta da Defesa.

Quer se goste quer não goste, com os legítimos defeitos a se apontar, o facto é que ele foi nos últimos anos o único verdadeiro Ministro da Defesa. Não deixou de ter os seus pontos negativos, volto a frisar!
Mas foi mais competente que a maioria.
E não sou eu o único a achar isto...
Título:
Enviado por: Charlie Jaguar em Fevereiro 10, 2009, 11:28:41 pm
Desculpem o off-topic.

Citação de: "Miguel"
Citar
Por muito irresponsável que se fosse, seria impossível justificar, face ao exposto, a alienação de um investimento que ronda só os 900 milhões de euros que implicaria a perda da “escola” submarina da Armada (que demora décadas a formar) de um país com uma da maiores e mais movimentadas ZEE do mundo, com tudo o que isto implicaria ao nível da soberania e identidade nacional.

Explique isso ao Ze Manuel......

Na minha opiniao Portugal de hoje esta perdido, dentro de alguns anos a nossa defesa vai ser responsabilidade da Espanha no melhor dos casos... Se entretanto Espanha nao fique sob tutela do FMI...

O Ze Manuel quer é jogos de futebois, behemesW :roll:
Título:
Enviado por: teXou em Fevereiro 11, 2009, 02:49:37 am
Alguem sabe por onde anda o nosso Tridente ?
Fotos ?

SSK ... allo, está ?  :wink:
Título:
Enviado por: Duarte em Fevereiro 11, 2009, 05:38:33 am
Citação de: "Charlie Jaguar"
Desculpem o off-topic.

É engraçado, Miguel, deveras engraçado. Falas tanto mal do país e dos portugueses estando lá fora sem passares por aquilo pelo que nós passamos todos os dias. Conheço-te há já alguns anos e sei que não tens remédio, mas é muito bom falar do lado de fora sem experimentar o que se passa cá dentro.

Para vocês Portugal está sempre perdido, sem rumo, e "Oh Salazar,  ergue-te da campa que estás perdoado!" Um bocadinho de juízo e falar com conhecimento de causa não te faria mal nenhum.  :lol:
Título:
Enviado por: Miguel em Fevereiro 11, 2009, 11:57:17 am
Charlie Jaguar

Salazar governou bem até aos anos 50, depois devia se ter retirado, talvez dar o lugar ao Rei ou outro sistema.
Alias a PIDE eram incompetentes por nao ter previsto o 25 abril...

Deviamos ter tido um sistema de transiçao igual ao de Espanha.Quando o Franco faleceu o Rei ficou e ainda esta. E olhe que na Espanha existe muitos menos casos de politicos coruptos de que em portugal.

Desde 1974, Portugal perdeu a cabeça, o que nos valeu foi os fundos da CEE durante os anos 80 e 90, agora parace um barco a deriva sem comandante.Ponto Final.

A classe Politica Portuguesa é uma vergonha.

O unico partido que ainda se aproveita e o PP/CDS....

Sou contra a corrupçao e contra o afundamento de uma naçao MILENAR o resto que se lixe..
Título:
Enviado por: Charlie Jaguar em Fevereiro 11, 2009, 01:00:17 pm
Citação de: "Miguel"
Charlie Jaguar

Salazar governou bem até aos anos 50, depois devia se ter retirado, talvez dar o lugar ao Rei ou outro sistema.
Alias a PIDE eram incompetentes por nao ter previsto o 25 abril...

Deviamos ter tido um sistema de transiçao igual ao de Espanha.Quando o Franco faleceu o Rei ficou e ainda esta. E olhe que na Espanha existe muitos menos casos de politicos coruptos de que em portugal.

Desde 1974, Portugal perdeu a cabeça, o que nos valeu foi os fundos da CEE durante os anos 80 e 90, agora parace um barco a deriva sem comandante.Ponto Final.

A classe Politica Portuguesa é uma vergonha.

O unico partido que ainda se aproveita e o PP/CDS....

Sou contra a corrupçao e contra o afundamento de uma naçao MILENAR o resto que se lixe..


Como se costuma dizer, I rest my case.  :twisted:

Peço desculpa a todos pelo off-topic.  :wink:
Título:
Enviado por: P44 em Fevereiro 11, 2009, 03:22:42 pm
Citação de: "Jorge Pereira"



O Governo nos últimos tempos tem gasto/prevê gastar centenas de milhões do erário público em tranches exorbitantes e em questões absurdas e mirabolantes:

1800 Milhões de euros para o BPN.
7000/15000(?) Milhões no TGV.
Várias centenas de milhões da CGD para financiar um especulador financeiro como o Joe Berardo.




hmmm... eu não poria as mãos no fogo...já se viu que enterrar milhões em bancos falidos , e/ou para ajudar os amigalhaços banqueiros e/ou "empresários" (tipo pinto balsemão, que até tornou a SIC em mais um canal de propaganda do PS), em relação a isso o zé povinho não diz um piu...mas se calhar com a "anunciada" venda dos subs em nome da crise o governo receberia aplausos retumbantes...

enfim, a mim nada já me admira
Título:
Enviado por: AC em Fevereiro 12, 2009, 07:23:55 pm
Epa, perdoem-me o offtopic mas diachos, vocês começam a ser pior que o Zé Povinho.

Os submarinos são necessários e estou optimista que o rumor da sua venda não tem fundamento.

Mas porra, estão a comparar alhos com bogalhos com impactos a curto e médio prazo diferentes nas contas do Estado, em particular nas do défice.

O Tridente representa 350M EUR a menos que se vão poder gastar com a administração pública, sistema de nacional de saúde, educação, etc em 2010. E o Arpão representa outro tanto em 2011. A longo prazo, são 700M EUR que vão sair dos cofres do Estado para não mais voltar.

Os 1400M EUR que a CGD já injectou no BPN, mais os que há-de injectar, são um investimento da CGD numa coisa que vai dar prejúzo e que a CGD de outra forma poderia ter investido em algo mais lucrativo. Mas em qualquer caso, é dinheiro da CGD que seria investido nalguma coisa. Não são 1400M EUR que vão ser retirados à despesa do OE.
 A longo prazo, o Estado vai pagar, de uma forma ou doutra o prejuízo desta operação. Mas nem esse prejuíuzo há-de ser a totalidade do dinheiro injectado no BPN nem há-de se reflectir todo no OE de um ano.

A curto prazo, o projecto ferroviário de alta velocidade não vai ser uma despesa do Estado. A despesa do Estado com isso vai ser a longo prazo nos 40 anos que se sequirem à conclusão das linhas. E provavelmente, ao fim de 40 anos há-de ser bem mais que 15.000M EUR...

O Joe Berardo? Não há política nisso. O Joe Berardo obteve empréstimos de vários bancos em 2007. Esses bancos emprestaram-lhe dinheiro não porque gostem da cara dele mas porque gostam dos juros que ele ia pagar sobre o empréstimo.
Com os problemas do BCP e a crise financeira, as garantias dadas na altura do empréstimo perderam valor e as possibilidades de a CGD e os outros bancos reaverem a totalidade do que o Berardo lhes deve nos prazos contratados é nula.
Por isso, a CGD e os outros bancos re-negociaram os empréstimos concendo prazos adicionais em troca de garantias adicionais.
Business as usual.
Título:
Enviado por: Jorge Pereira em Fevereiro 12, 2009, 11:27:49 pm
Vamos por partes, caro AC:

Citação de: "AC"
O Tridente representa 350M EUR a menos que se vão poder gastar com a administração pública, sistema de nacional de saúde, educação, etc em 2010. E o Arpão representa outro tanto em 2011.

Essa regra de contabilizar o total da despesa de aquisição no ano em que se recebe o equipamento foi emanada do Eurostat. Na minha opinião um erro crasso.

350 milhões de euros não é nada de especial no nosso OE. Comparar isso com aquilo que eventualmente se deixa de gastar em sectores como a saúde e a segurança social é completamente demagógico. Se soubesse o desperdício e sorvedouro de dinheiro que é o ministério da saúde graças à desorganização e, principalmente, aos interesses que gravitam em torno deste, deitava as mãos à cabeça. E estamos a falar de um ministério que mais coisa menos coisa “derrete” 7.000 milhões de euros ao ano. O mesmo se podia dizer da segurança social.

Esses tais 350 milhões também deixaram de ter o “dramatismo” que alguns lhe davam há uns tempos atrás a partir do momento em que a Comissão Europeia flexibilizou a norma para manter os défices públicos abaixo dos 3%. É só ver o que se passa por essa Europa fora. É só ver os milhões que por cá são agora anunciados todos os dias em obras e projectos mais que questionáveis e duvidosos.

Citação de: "AC"
A longo prazo, são 700M EUR que vão sair dos cofres do Estado para não mais voltar.

Desculpe mas isso não está correcto.

As contrapartidas oferecidas pelo GSC totalizam 1.210 milhões de Euros, que entrarão no OE de forma indirecta, em forma de impostos (dos trabalhadores que graças a essas contrapartidas terão emprego para consumir e pagar, por exemplo IVA e IRS, das empresas que também graças a essas contrapartidas gerarão matéria colectável que serão obrigadas à pagar ao estado em forma de IRC), ou se quiser, e ao contrário, essa carga de trabalhos permitirá ao estado pagar menos subsídios de desemprego a esses mesmos trabalhadores que se não fossem as ditas contrapartidas poderiam estar eventualmente no desemprego.

Citação de: "AC"
Os 1400M EUR que a CGD já injectou no BPN, mais os que há-de injectar, são um investimento da CGD numa coisa que vai dar prejúzo e que a CGD de outra forma poderia ter investido em algo mais lucrativo. Mas em qualquer caso, é dinheiro da CGD que seria investido nalguma coisa. Não são 1400M EUR que vão ser retirados à despesa do OE.
A longo prazo, o Estado vai pagar, de uma forma ou doutra o prejuízo desta operação. Mas nem esse prejuíuzo há-de ser a totalidade do dinheiro injectado no BPN nem há-de se reflectir todo no OE de um ano.


Esse prejuízo não será reflectido no orçamento de um só ano, de facto, mas será reflectido no orçamento de MUITOS anos consecutivos e seremos todos nós a pagar isso. Os reforços de capital da CGD são feitos através de emissão de divida pública, e essa mesma dívida pública somos nós que a pagamos.

Citação de: "AC"
A curto prazo, o projecto ferroviário de alta velocidade não vai ser uma despesa do Estado. A despesa do Estado com isso vai ser a longo prazo nos 40 anos que se sequirem à conclusão das linhas. E provavelmente, ao fim de 40 anos há-de ser bem mais que 15.000M EUR...

Quanto mais tempo se dilatar uma dívida no tempo mais iremos pagar por ela. Isto é óbvio, mas parece ser a prática comum da nossa sociedade e deste governo em particular, as fugas para a frente. Quem vier depois que pague! Irresponsável. Para já não falar do absurdo do projecto do TGV em si e dos valores associados.

Citação de: "AC"
O Joe Berardo? Não há política nisso. O Joe Berardo obteve empréstimos de vários bancos em 2007. Esses bancos emprestaram-lhe dinheiro não porque gostem da cara dele mas porque gostam dos juros que ele ia pagar sobre o empréstimo.
Com os problemas do BCP e a crise financeira, as garantias dadas na altura do empréstimo perderam valor e as possibilidades de a CGD e os outros bancos reaverem a totalidade do que o Berardo lhes deve nos prazos contratados é nula.
Por isso, a CGD e os outros bancos re-negociaram os empréstimos concendo prazos adicionais em troca de garantias adicionais.
Business as usual.


As principais decisões da CGD são políticas. Quem é que acha que boicotou a opa da SONAE sobre a PT?

 :wink:
Título:
Enviado por: AC em Fevereiro 12, 2009, 11:55:37 pm
Tem razão, esqueci-me completamente das contrapartidas...

Não estava a discutir que 350M EUR são muito ou pouco para o nosso OE.
Estou apenas a clarificar que cada uma daquelas situações têm naturezas diferentes e o impacto delas nas contas do Estado também é diferente, a curto e longo prazo.

De resto, só discordo de si em duas coisas:
Eu sou a favor do projecto ferroviário de alta velocidade, mas isso você já sabe e temos outros tópicos para isso. :)
Naturalmente que as principais decisões da CGD são políticas mas isso não quer dizer que a decisão de emprestar $$ ao Berardo tenha sido.
Título:
Enviado por: P44 em Fevereiro 14, 2009, 11:21:16 am
Citar
O Tridente representa 350M EUR a menos que se vão poder gastar com a administração pública, sistema de nacional de saúde, educação, etc em 2010. E o Arpão representa outro tanto em 2011. A longo prazo, são 700M EUR que vão sair dos cofres do Estado para não mais voltar.


que raio de contas são essas???? :shock:

os 2 subs vão ficar em mais de 1 milhão de Euros, contando com os juros  dos pagamentos a prestações!!!!!
Título:
Enviado por: JOELPMARTINS em Fevereiro 14, 2009, 11:37:41 am
Desculpe mas o caro amigo esta errado! :roll:
Título: U209PN
Enviado por: tsahal em Fevereiro 14, 2009, 11:59:22 am
Posso tar errado, mas acho que o valor dos dois submarinos é de 770 ME mas que atinge cerca de 1095 ME com os juros. De momento são os valores que tenho na mente, ou seja posso estar errado, teria que confirmar.

Para as contrapartidas, o valor atinge 1210 ME.
Título:
Enviado por: AC em Fevereiro 14, 2009, 02:55:43 pm
Citação de: "P44"
Citar
O Tridente representa 350M EUR a menos que se vão poder gastar com a administração pública, sistema de nacional de saúde, educação, etc em 2010. E o Arpão representa outro tanto em 2011. A longo prazo, são 700M EUR que vão sair dos cofres do Estado para não mais voltar.

que raio de contas são essas???? :shock:

os 2 subs vão ficar em mais de 1 milhão de Euros, contando com os juros  dos pagamentos a prestações!!!!!


Estava a ser simpático para os submarinos mas você faz ainda melhor. :)

Agora a sério...
Não tenho a certeza se os juros também têm de ser contabilizados nas despesas de 2010 e 2011 por isso estava só a falar no "preço" e depois meti a pata na poça ao somar para 700M EUR.

Portanto, retificando o que escrevi com a informação disponível:
«O Tridente representa, no mínimo, 385M EUR a menos que se vão poder gastar com a administração pública, sistema de nacional de saúde, educação, etc em 2010. E o Arpão representa outro tanto em 2011. A longo prazo, são 900-1100M EUR que vão sair dos cofres do Estado, dos quais apenas uma parte vai regressar através das receitas fiscais geradas pelos 1210M EUR em contrapartidas.»
Título:
Enviado por: P44 em Fevereiro 14, 2009, 03:19:27 pm
Citação de: "JOELPMARTINS"
Desculpe mas o caro amigo esta errado! :roll:


realmente... :oops: tou louro hoje
Título: Offset.
Enviado por: tsahal em Fevereiro 14, 2009, 03:33:52 pm
AC, desde quando que os valores das contrapartidas se tornam receitas fiscais como afirmou???????

Do meu ponto de vista, o estado faz tudo para que o valor das contrapartidas seja o mais alto possível mais complicada é a taxa de execução pq torna-se complicado uma empresa conseguir cumprir por falta de projectos e areas em Portugal onde isso possa ser investido para alem da falta de ambição das empresas.

Podemos sempre esplicar-lhe o que são contrapartidas! Basicamente são valores investidos em projectos industriais (criação de empresas ou desenvolvimento de qualquer sistema) nacionais ou formação de pessoas, ajuda na obtenção de contratos externos, ect pelo empresa vencedora de um determinado concurso.

São 1210 ME e não 1200 ME como referido por si.
Título: Re: Offset.
Enviado por: AC em Fevereiro 14, 2009, 03:56:23 pm
Citação de: "tsahal"
AC, desde quando que os valores das contrapartidas se tornam receitas fiscais como afirmou???????


Note que escreve parte. Não o todo nem sequer me aventuro a estimar qual o valor dessa parte.

Uma parte do valor entrar na economia nacional como benefício das contrapartidas efectivamente executadas irá eventualmente passar pelos vários mecanismos de taxação habituais.
Por exemplo, algum do valor das contrapartidas (executadas) vai pagar salários de pessoas e essas pessoas pagam IRS, IVA e ISP, além de fazerem descontos para a segurança social.
Título: Re: Offset.
Enviado por: nelson38899 em Fevereiro 14, 2009, 04:18:56 pm
Citação de: "AC"
Citação de: "tsahal"
AC, desde quando que os valores das contrapartidas se tornam receitas fiscais como afirmou???????

Note que escreve parte. Não o todo nem sequer me aventuro a estimar qual o valor dessa parte.

Uma parte do valor entrar na economia nacional como benefício das contrapartidas efectivamente executadas irá eventualmente passar pelos vários mecanismos de taxação habituais.
Por exemplo, algum do valor das contrapartidas (executadas) vai pagar salários de pessoas e essas pessoas pagam IRS, IVA e ISP, além de fazerem descontos para a segurança social.


quando se fala em contrapartidas nem sempre se fala em investir o dinheiro todo na industria, mas sim no dinheiro que certos projectos vão gerar no futuro a essas empresas, pelo que me disseram é assim que se calcula o dinheiro das contrapartidas.
Título:
Enviado por: AC em Fevereiro 14, 2009, 05:59:26 pm
Correcto.
Título:
Enviado por: U209PN em Fevereiro 22, 2009, 03:59:22 pm
NRP TRIDENTE & PAPANIKOLIS por baixo. 21/02/2009 kiel

(http://media.shipspotting.com/uploads/photos/rw/839195/Ship+Photo+PAPANIKOLIS+%28S+120%29%26TRIDENTE.jpg)
Título:
Enviado por: Cláudio C. em Fevereiro 22, 2009, 06:54:14 pm
É impressão minha ou o Tridente é um pouco mais comprido?
Título:
Enviado por: TOMSK em Fevereiro 22, 2009, 08:53:49 pm
Citação de: "Cláudio C."
È impressão minha ou o Tridente é um pouco mais comprido?


Penso que não...é talvez uma "ilusão de óptica" pelo facto do Papanikolis estar na água, ligeiramente à frente do Tridente.
Título:
Enviado por: papatango em Fevereiro 22, 2009, 10:07:12 pm
O U-209PN é de facto mais comprido.
E tem um deslocamento superior.

Um submarino mais longe, se fosse uma questão de perspectiva, seria ou pareceria mais pequeno e não maior que um que está mais próximo.
Título:
Enviado por: HSMW em Fevereiro 22, 2009, 10:38:10 pm
Citação de: "papatango"
O U-209PN é de facto mais comprido.
E tem um deslocamento superior.

Um submarino mais longe, se fosse uma questão de perspectiva, seria ou pareceria mais pequeno e não maior que um que está mais próximo.


Exactamente! Isto já me estava a fazer confusão, então está mais longe e parece maior?    :shock: É de facto maior!
Título:
Enviado por: Cláudio C. em Fevereiro 22, 2009, 10:51:30 pm
Ah bom também estava a ficar um pouco confuso eheh

Obrigado
Título:
Enviado por: JLRC em Fevereiro 23, 2009, 01:25:57 am
O Tridente tem uma antepara estanque que o Papanikolis não tem, o que o torna mais comprido e com maior deslocamento. Julgo que a antepara foi exigência da Marinha portuguesa na sequência do acidente do Kursk.
Título:
Enviado por: Cláudio C. em Fevereiro 23, 2009, 02:06:10 am
Citação de: "JLRC"
O Tridente tem uma antepara estanque que o Papanikolis não tem, o que o torna mais comprido e com maior deslocamento. Julgo que a antepara foi exigência da Marinha portuguesa na sequência do acidente do Kursk.


Importa-se de me explicar p.f. o que é uma antepara e para o que serve? É que efectivamente ja ouvi falar muito nesse termo ligado a industria naval mas nunca entendi bem o que era!

Saudaçoes
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Fevereiro 23, 2009, 03:42:25 am
Cláudio C. escreveu:
Citar
Importa-se de me explicar p.f. o que é uma antepara e para o que serve? È que efectivamente ja ouvi falar muito nesse termo ligado a industria naval mas nunca entendi bem o que era!

Antepara equivale a uma parede de uma divisão (numa casa).

A dieferença entre o Papanikolis e o Tridente é de 2,9 metros. De notar que o Tridente se vê completamnte, e o Papanikolis está na água, não se vendo a totalidade do navio.
Se traçarem duas linhas obliquas entre o leme de direcção do tridente e o do papanikolis (por baixo do 2º guincho azul à esquerda) e a curva do convés, verão que a diferença não é tão grande assim.
Título:
Enviado por: pchunter em Fevereiro 23, 2009, 11:42:43 am
Esta diferença já estava prevista em projecto ou foi para resolver os problemas de estabilidade verificados no Papanikolis?
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Fevereiro 23, 2009, 02:45:56 pm
Uma antepara não resolve problemas de estabilidade. Apenas aumenta a probabilidade da tripulação ter maior hipótese de sobrevivência em caso de desastre, pois cria mais um compartimento estanque.
Título:
Enviado por: Cláudio C. em Fevereiro 23, 2009, 06:36:04 pm
Citação de: "luis filipe silva"
Cláudio C. escreveu:
Citar
Importa-se de me explicar p.f. o que é uma antepara e para o que serve? É que efectivamente ja ouvi falar muito nesse termo ligado a industria naval mas nunca entendi bem o que era!
Antepara equivale a uma parede de uma divisão (numa casa).

A dieferença entre o Papanikolis e o Tridente é de 2,9 metros. De notar que o Tridente se vê completamnte, e o Papanikolis está na água, não se vendo a totalidade do navio.
Se traçarem duas linhas obliquas entre o leme de direcção do tridente e o do papanikolis (por baixo do 2º guincho azul à esquerda) e a curva do convés, verão que a diferença não é tão grande assim.


Muito obrigado Luis Filipe! Ja estou esclarecido!

Saudações
Título:
Enviado por: Nuno Calhau em Fevereiro 23, 2009, 06:42:05 pm
Exorto todos os interessados em questões de ordem nacional a dar uma vista de olhos ao artigo que a "Revista de Marinha" trás sobro a ZEE e os submarinos.

A citada revista tem também um artigo da entrega da Bartolomeu Dias à armada.

Um Abraço.
Título:
Enviado por: Lightning em Fevereiro 23, 2009, 08:02:13 pm
http://www.marinha.pt/revista/index.asp ... fault.html (http://www.marinha.pt/revista/index.asp?revista=ra_fev2009/default.html)
Título:
Enviado por: P44 em Fevereiro 24, 2009, 11:37:31 am
Citação de: "Nuno Calhau"
Exorto todos os interessados em questões de ordem nacional a dar uma vista de olhos ao artigo que a "Revista de Marinha" trás sobro a ZEE e os submarinos.

A citada revista tem também um artigo da entrega da Bartolomeu Dias à armada.

Um Abraço.


onde se refere a possivel "venda" dos U209PN
Título:
Enviado por: Daniel em Fevereiro 24, 2009, 12:26:42 pm
P44
Citar
onde se refere a possivel "venda" dos U209PN

 :?:

Vem algo na Revista da Armada, que cite a possivel venda dos submarinos c34x
Título:
Enviado por: SSK em Fevereiro 24, 2009, 05:18:33 pm
Citação de: "JLRC"
O Tridente tem uma antepara estanque que o Papanikolis não tem, o que o torna mais comprido e com maior deslocamento. Julgo que a antepara foi exigência da Marinha portuguesa na sequência do acidente do Kursk.


A decisão não veio de dentro da Marinha submarinista. Nas nossas águas isto não ia adiantar de nada, a única coisa que esta antepara traz é um valor de aquisição muito superior. Podia-se ter comprado 3 ou 4 com o valor de dois com antepara resistente.

Quanto ao Tridente está bom e recomenda-se. Bem como, o Barracuda que mais uma vez participou no INSTREX 01-09, dando um ar da sua graça.

Um Submarino é sempre um Submarino e uma fragata será sempre um alvo...
Título:
Enviado por: Lightning em Fevereiro 24, 2009, 05:25:24 pm
Citação de: "SSK"
A decisão não veio de dentro da Marinha submarinista. Nas nossas águas isto não ia adiantar de nada, a única coisa que esta antepara traz é um valor de aquisição muito superior. Podia-se ter comprado 3 ou 4 com o valor de dois com antepara resistente.


Deve-me estar a escapar alguma coisa, então se não adianta nada ter antepara, para que comprar submarinos com antepara, já que ficam mais caros quase o dobro?
Título:
Enviado por: SSK em Fevereiro 24, 2009, 05:33:08 pm
Foi tudo empolgado pela desgraça que aconteceu ao Kursk. Em águas com profundidades pequenas a antepara é uma boa ajuda para quem estiver do lado certo. Nas nossas com profundidades sempre superiores à da cota de destruição não adianta nada visto nem o casco aguentar em caso de desgraça.

Isto cheirou-me mais a descargo de consciência da classe política, bem como das chefias que pouco ou nada sabem de submarinos.
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Fevereiro 24, 2009, 05:52:21 pm
E assim se fesfaz um mito  :?
Título:
Enviado por: migbar2 em Fevereiro 24, 2009, 06:39:30 pm
Citação de: "P44"
Citação de: "Nuno Calhau"
Exorto todos os interessados em questões de ordem nacional a dar uma vista de olhos ao artigo que a "Revista de Marinha" trás sobro a ZEE e os submarinos.

A citada revista tem também um artigo da entrega da Bartolomeu Dias à armada.

Um Abraço.

onde se refere a possivel "venda" dos U209PN





Mas...aonde ???
Título:
Enviado por: Cláudio C. em Fevereiro 24, 2009, 06:45:18 pm
Também não encontrei esse artigo!
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Fevereiro 24, 2009, 08:30:07 pm
Não é a revista da armada, mas sm a Revista de Mainha. Tem que comprar.... :twisted:
Título:
Enviado por: Lince em Fevereiro 24, 2009, 10:35:45 pm
Citação de: "P44"
Citação de: "Nuno Calhau"
Exorto todos os interessados em questões de ordem nacional a dar uma vista de olhos ao artigo que a "Revista de Marinha" trás sobro a ZEE e os submarinos.

A citada revista tem também um artigo da entrega da Bartolomeu Dias à armada.

Um Abraço.

onde se refere a possivel "venda" dos U209PN


Vi a revista e não encontrei nada do que diz. Podia referir onde viu isso?
Título:
Enviado por: Nuno Calhau em Fevereiro 24, 2009, 11:07:37 pm
Citação de: "P44"
Citação de: "Nuno Calhau"
Exorto todos os interessados em questões de ordem nacional a dar uma vista de olhos ao artigo que a "Revista de Marinha" trás sobro a ZEE e os submarinos.

A citada revista tem também um artigo da entrega da Bartolomeu Dias à armada.

Um Abraço.

onde se refere a possivel "venda" dos U209PN


Não caro P44.

Achei o artigo no seu todo estupendo!   :wink:

Um Abraço.

PS

Sr. João josé Brandão Ferreira:

 ys7x9  ys7x9
Título:
Enviado por: Lince em Fevereiro 24, 2009, 11:17:04 pm
Meus caros, não estou a perceber nada! O artigo fala em vendas ou não? Eu não vi! Alguém me explica se me está a passar alguma coisa. Agradecido. c34x
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Fevereiro 25, 2009, 09:26:13 am
Atenção que a Revista de Marinha não é a Revista da Armada.
Título:
Enviado por: LM em Fevereiro 25, 2009, 10:29:49 am
Citação de: "Lince"
Meus caros, não estou a perceber nada! O artigo fala em vendas ou não? Eu não vi! Alguém me explica se me está a passar alguma coisa. Agradecido. :x
Título:
Enviado por: U209PN em Fevereiro 25, 2009, 10:45:49 am
(http://media.shipspotting.com/uploads/photos/rw/841302/Ship+Photo+PAPANIKOLIS+%28S+120%29%26TRIDENTE.jpg)
Título:
Enviado por: P44 em Fevereiro 25, 2009, 10:57:24 am
Citação de: "LM"
Citação de: "Lince"
Meus caros, não estou a perceber nada! O artigo fala em vendas ou não? Eu não vi! Alguém me explica se me está a passar alguma coisa. Agradecido. :x

Calma que é só um boato :mrgreen:

o povo é sereno!

mas para evitar mais fanicos, transcrevo o parágrafo, do texto que vem na página 18, da REVISTA DE MARINHA nº948 Fevereiro/Março 2009 , da autoria do sr. João José Brandão Ferreira, TCOR PILAV (Ref.), Comd. de LInha Aérea.

Citar

(...)
Agora que o primeiro submarino já foi lançado á água (embora a Nação não tenha dado conta disso...), começa-se a ouvir quem defenda a sua...venda.
(...)
Título:
Enviado por: Charlie Jaguar em Fevereiro 25, 2009, 11:44:48 am
És um espalha-brasas, é o que é!  :twisted:
Título:
Enviado por: Falcão em Fevereiro 25, 2009, 05:33:45 pm
Com todo o respeito, acho de muito mau gosto, e em nada ajuda à arma submarina portuguesa e a Portugal, esta veiculação de rumores infundados.
Título:
Enviado por: FoxTroop em Fevereiro 25, 2009, 05:38:33 pm
Isso ainda não passa de boatos. Considero que não passa de uma manobra de alguns sectores que andam a mandar o barro à parede a ver se cola. Seria uma insanidade completa por parte dos nossos lideres políticos uma coisa dessas. À que ter calma e esperar.
Título:
Enviado por: HSMW em Fevereiro 25, 2009, 05:42:35 pm
Deve fazer parte das contas orçamentais do costume...
Entra-se com as receitas das possíveis vendas, F-16, Pumas e agora os submarinos.
Título:
Enviado por: migbar2 em Fevereiro 25, 2009, 10:49:35 pm
O facto puro e simples é que quem foi contra esta opção de equipamento, continuará a defender a sua dama até ao fim. Muitas opiniões defendem que esta aquisição veio atrapalhar outras consideradas por eles mais importantes: substituição da G-3, navio polivalente logistico, blindados ligeiros entre outros reequipamentos que poderiam ser antecipados por libertação de verbas como MLU das fragatas, meios de defesa aérea do exército, etc. Não há aqui nenhuma tomada de posição nova, mas apenas o que tem vindo á discussão desde que se encomendou os submarinos.
Título:
Enviado por: old em Fevereiro 26, 2009, 08:24:03 am
Buena foto del U214 navegando y el U209PN en la grada. Estos alemanes son autenticos expertos en fabricar Submarinos!

Cual es el torpedo elegido para los U209PN?
Va a montar los Sub-Harpoon?
Que tipo de AIP llevan?

Un saludo y gracias
Título:
Enviado por: AC em Fevereiro 26, 2009, 11:29:51 am
O torpedo escolhido foi o BlackShark.
Sim, vai ter SubHarpoon.
O sistema AIP baseia-se em células de combustível, como todos os U-212 e U-214.
Título:
Enviado por: Lanceiro 2 em Fevereiro 26, 2009, 07:06:52 pm
os Submarinos não vão ser vendidos pois não??
Cumprimentos.
Título:
Enviado por: antoninho em Fevereiro 26, 2009, 08:21:20 pm
NÃO, de uma vez por todas não dêem ouvidos a 5ª colunas que mais não querem que transformar o país em uma mera quinta para políticos de pornocracia...já agora, aconselho vivamente, a comprarem a revista de marinha, onde é dado uma opinião veemente de repudio a esses mesmos políticos e mais não digo...........


pornocracia =do grego porne, prostituta e kratein, governo
Título:
Enviado por: migbar2 em Fevereiro 26, 2009, 10:05:57 pm
Citação de: "antoninho"
NÃO, de uma vez por todas não dêem ouvidos a 5ª colunas que mais não querem que transformar o país em uma mera quinta para políticos de pornocracia...já agora, aconselho vivamente, a comprarem a revista de marinha, onde é dado uma opinião veemente de repudio a esses mesmos políticos e mais não digo...........


pornocracia =do grego porne, prostituta e kratein, governo





A defesa em Portugal é um milagre permanente  :mrgreen: ....
Título:
Enviado por: Cláudio C. em Fevereiro 26, 2009, 10:37:16 pm
Uma pergunta, talvez seja ridícula eheh, os nossos submarinos irão ter capacidade para utilizar misseis anti-aérios? Penso que na Alemanha se esta a desenvolver um projecto nesse sentido!

Obrigados
Título:
Enviado por: SSK em Fevereiro 26, 2009, 11:43:41 pm
Citação de: "Cláudio C."
Uma pergunta, talvez seja ridícula eheh, os nossos submarinos irão ter capacidade para utilizar misseis anti-aérios? Penso que na Alemanha se esta a desenvolver um projecto nesse sentido!

Obrigados


Sim, vai ter.

Só falta comprá-los...
Título:
Enviado por: antoninho em Fevereiro 26, 2009, 11:44:42 pm
Pelo menos o construtor assim o demonstrou, agora se a marinha os vai comprar...........
Título:
Enviado por: antoninho em Fevereiro 26, 2009, 11:48:52 pm
Já agora
SSK e os sub-harpoon??
Título:
Enviado por: SSK em Março 01, 2009, 07:36:44 pm
Citação de: "antoninho"
Já agora
SSK e os sub-harpoon??


Nada para ninguém... Foi comprado o sistema que os permite lançar e algumas cápsulas, no que diz respeito ao míssil propriamente dito "nickles"...
Título:
Enviado por: migbar2 em Março 01, 2009, 09:37:04 pm
Citação de: "SSK"
Citação de: "antoninho"
Já agora
SSK e os sub-harpoon??

Nada para ninguém... Foi comprado o sistema que os permite lançar e algumas cápsulas, no que diz respeito ao míssil propriamente dito "nickles"...





Se foram realmente compradas as cápsulas já não é mau...
Título:
Enviado por: Cláudio C. em Março 01, 2009, 09:38:21 pm
Citação de: "migbar2"
Citação de: "SSK"
Citação de: "antoninho"
Já agora
SSK e os sub-harpoon??

Nada para ninguém... Foi comprado o sistema que os permite lançar e algumas cápsulas, no que diz respeito ao míssil propriamente dito "nickles"...




Se foram realmente compradas as cápsulas já não é mau...


É porque existe intenção de adquirir os misseis, digo eu...
Título:
Enviado por: papatango em Março 01, 2009, 10:16:53 pm
O submarino deverá ter capacidade para lançar mísseis Sub Harpoon, não tendo necessáriamente essa capacidade quando for entregue.

Já relativamente aos mísseis anti-aéreos, no U-214, para já, é novidade. A possibilidade da sua utilização nos U-212 já foi testada, mas no U-214 ainda não (o que não é exactamente estranho, afinal trata-se de um sistema novo).


Considerando os sistemas a adquirir pela marinha, e a capacidade de ligação que poderá haver entre eles também não estou a ver grandes utilizações para os sistemas anti-aéreos em submarinos.
Título:
Enviado por: P44 em Março 04, 2009, 08:05:20 pm
não directamente relacionado mas...

Citar
U.S. professor recommends Gotland-class submarine

13:38 GMT, March 4, 2009 In the February issue of the respected Armed Forces Journal, Professor Mikan Vego of the US Naval War College proposes that the US Navy complement its force of nuclear submarines with a number of conventional submarines. This proposal derives from expectations that the US nuclear submarine force will be reduced over the next 15 to 20 years, and that conventional submarines are better suited for shallow-water missions, as in the littoral zone off the US coast. It is precisely these zones that are currently subject to the greatest threat, throughout the world.

Professor Vego points to Kockums’ Gotland-class submarine as one of two main candidates in the field of advanced conventional (non-nuclear) submarines. The Gotland class is described as exceptionally manoeuvrable, silent-running, difficult to detect and tough, with the ability to remain submerged for weeks at a time. HMS Gotland also enjoyed considerable success during the two years in which she was leased to the US with a Swedish Navy crew. Her performance gained the attention of naval and industry professionals throughout the world.

Compared with other conventional submarines of similar capabilities, the Gotland class comes with an attractive price tag, notes Professor Vego. According to him, a Gotland-class submarine costs almost 30 percent less than other comparable submarines. And the Gotland class also possesses better stealth characteristics.


http://www.defpro.com/news/details/5948/ (http://www.defpro.com/news/details/5948/)


(http://img145.imageshack.us/img145/2915/gotland9au.jpg)
Título:
Enviado por: Instrutor em Março 04, 2009, 10:32:52 pm
Tirando os sub nucleares, estes submarinos com AIP sao actualmente a melhor arma existente no mundo. Quem possui este tipo de submarino pode dar grandes dores de cabeça à melhor esquadra do mundo. Para mim actualmente o melhor submarino mundial convencional vao ser os nossos U209PN. Alguém discorda??
Título:
Enviado por: teXou em Março 04, 2009, 10:36:57 pm
Citação de: "Instrutor"
...  . Alguém discorda??

NÃO ! :Palmas:
Título:
Enviado por: SSK em Março 04, 2009, 11:28:21 pm
Citação de: "Instrutor"
Tirando os sub nucleares, estes submarinos com AIP sao actualmente a melhor arma existente no mundo. Quem possui este tipo de submarino pode dar grandes dores de cabeça à melhor esquadra do mundo. Para mim actualmente o melhor submarino mundial convencional vao ser os nossos U209PN. Alguém discorda??


Tenho algumas dúvidas, mas só o tempo as esclarecerá...
Título:
Enviado por: psaa em Março 05, 2009, 08:30:36 am
Citação de: "SSK"
Citação de: "Instrutor"
Tirando os sub nucleares, estes submarinos com AIP sao actualmente a melhor arma existente no mundo. Quem possui este tipo de submarino pode dar grandes dores de cabeça à melhor esquadra do mundo. Para mim actualmente o melhor submarino mundial convencional vao ser os nossos U209PN. Alguém discorda??

Tenho algumas dúvidas, mas só o tempo as esclarecerá...


Também penso que teremos de esperar para ver realmente as suas verdadeiras capacidades.
Título:
Enviado por: Daniel em Março 05, 2009, 10:52:07 am
Instrutor
Citar
Alguém discorda??


Os espanhóis  :lol:  c34x
Título:
Enviado por: Akagi em Março 05, 2009, 10:52:32 am
Citação de: "Instrutor"
Tirando os sub nucleares, estes submarinos com AIP sao actualmente a melhor arma existente no mundo. Quem possui este tipo de submarino pode dar grandes dores de cabeça à melhor esquadra do mundo. Para mim actualmente o melhor submarino mundial convencional vao ser os nossos U209PN. Alguém discorda??


Segundo os espanhois o melhor "sub"com esta tecnologia são os  S80 que eles estão a construir em Cartagena, para a armada espanhola.

Mas esta afirmação vinda de quem vem...........é de desconfiar
Título:
Enviado por: old em Março 05, 2009, 11:17:52 am
Citação de: "Akagi"
Citação de: "Instrutor"
Tirando os sub nucleares, estes submarinos com AIP sao actualmente a melhor arma existente no mundo. Quem possui este tipo de submarino pode dar grandes dores de cabeça à melhor esquadra do mundo. Para mim actualmente o melhor submarino mundial convencional vao ser os nossos U209PN. Alguém discorda??

Segundo os espanhois o melhor "sub"com esta tecnologia são os  S80 que eles estão a construir em Cartagena, para a armada espanhola.

Mas esta afirmação vinda de quem vem...........é de desconfiar


Porque? Su sistema AIP es revolucionario , su firma acustica es totalmente desconocida y su arsenal es bastante potente. Veremos a ver como salen.

En foros Italianos y Alemanes los U212 son los mejores Sub del mundo, suelen despreciar a los U214 como Submarinos de segunda fila o para exportacion

En foros Chilenos o Indios el Scorpene es de lo mejorcito que hay en SSKs

En foros Griegos estan que no mean con los U214

Incluso para los Argentinos sus TR 1700 son increibles  :?

Y par Portugal Obviamente el mejor Submarino son sus U209PN.

Datos objetivos? Existen pocos la verdad. No se puede afirmar que tal o cual modelo sea el mejor del mundo tan a la ligera
Título:
Enviado por: Instrutor em Março 05, 2009, 11:50:45 am
Cada um defende o seu, mas muito importante, para alem da maquina o melhor é a sua tripulação, e de facto os nossos submarinistas sao excelentes e ja agora temos uma tradiçao em submarinos muito superior ao nosso querido vizinho.
Sem uma tripulaçao motivada e treinada de nada valem os submarinos.
Título:
Enviado por: MARIA JOSE em Março 05, 2009, 12:27:09 pm
DESDE CUANDO TIENEN UNA TRADICION EN SUB SUPERIOR A LA DE ESPAÑA?

PONGA EL LISTADO DE SUBMARINOS QUE HA TENIDO LA ARMADA PORTUGUESA EN TODA SU HISTORIA Y YO LE COLOCARÉ LA MIA.
Que absurdos son algunos portugueses.
Título:
Enviado por: AC em Março 05, 2009, 12:33:59 pm
Citação de: "old"
Porque? Su sistema AIP es revolucionario , su firma acustica es totalmente desconocida y su arsenal es bastante potente. Veremos a ver como salen.


Afinal, qual é o sistema AIP dos S80? O MESMA?
Título:
Enviado por: Jorge Pereira em Março 05, 2009, 12:35:10 pm
Citação de: "MARIA JOSE"
DESDE CUANDO TIENEN UNA TRADICION EN SUB SUPERIOR A LA DE ESPAÑA?

PONGA EL LISTADO DE SUBMARINOS QUE HA TENIDO LA ARMADA PORTUGUESA EN TODA SU HISTORIA Y YO LE COLOCARÉ LA MIA.
Que absurdos son algunos portugueses.



:arrow: http://www.forumdefesa.com/forum/viewtopic.php?t=1113 (http://www.forumdefesa.com/forum/viewtopic.php?t=1113)
Título:
Enviado por: MARIA JOSE em Março 05, 2009, 12:43:23 pm
Treinta y nueve submarinos han navegado a lo largo de la historia con pabellon español.

http://www.submarinos.net/bio.php?idBiografia=184 (http://www.submarinos.net/bio.php?idBiografia=184)

http://www.regmurcia.com/servlet/s.Sl?s ... REPORTAJES (http://www.regmurcia.com/servlet/s.Sl?sit=a,75,c,371,m,1071&r=CeAP-7295-R_538_DETALLE_REPORTAJES)
Título:
Enviado por: Charlie Jaguar em Março 05, 2009, 12:45:58 pm
E se voltássemos ao tema central do tópico ao invés de tentar transformar isto num concurso para ver quem mija mais longe?  :roll:
Título:
Enviado por: MARIA JOSE em Março 05, 2009, 12:48:36 pm
No es cuestión de ver quien la tiene mas larga.
Es cuestion de que cuando se afirma algo, tiene que ser documentado.
Fin del off topic por mi parte.
Título:
Enviado por: old em Março 05, 2009, 12:59:01 pm
Citação de: "AC"
Citação de: "old"
Porque? Su sistema AIP es revolucionario , su firma acustica es totalmente desconocida y su arsenal es bastante potente. Veremos a ver como salen.

Afinal, qual é o sistema AIP dos S80? O MESMA?


No.

El AIP  de los S80 se trata de una planta que transforma el Etanol en Hidrogeno a bordo, para evitar tener que repostar Hidrogeno en puerto. Operacion complicada y delicada.

Las Pilas de combustible son de la empresa norteamericana UTC Power y la planta trasnformadora es de Navantia.

A ver como funciona porque es la primera vez que se utiliza algo asi en Submarinos y es el motivo del retraso de un año en la entrega de los mismos.
Título:
Enviado por: Jorge Pereira em Março 05, 2009, 01:03:37 pm
Citação de: "MARIA JOSE"
No es cuestión de ver quien la tiene mas larga.
Es cuestion de que cuando se afirma algo, tiene que ser documentado.
Fin del off topic por mi parte.

O que é que tem a ver número com história e tradição?


Citar
As primeiras experiências submarinas na península ibérica tiveram lugar no rio Tejo, em 1538, quando se experimentou uma espécie de câmara em forma de sino para alojar mergulhadores. Poucas décadas mais tarde em 1580, mergulhadores portugueses atacaram por debaixo da água uma frota espanhola fundeada em Lisboa.


Citar
Em 1889, O Primeiro-Tenente João Augusto Fontes Pereira de Melo, projectou um submarino movido por baterias de acumuladores, em imersão, e por um motor de petróleo em superfície. O Estado-Maior da Marinha Portuguesa aceitou a iniciativa que não passou nunca da fase experimental ao ser rejeitada pelo Governo.

Citar
Em 1905 outro oficial, o Também Primeiro-Tenente Valente da Cruz apresentou um novo projecto que também não foi desenvolvido.


Citar
É interessante aqui assinalar que nesta altura ainda faltavam 5 anos para que a Espanha tivesse o seu primeiro submarino.


Citar
Em 1914 é constituída a Escola de Navegação Submarina o que faz dela uma das mais antigas do mundo.


Citar
La Ley Miranda de 1915: la creación del Arma Submarina Española
 
La Ley de 17 de febrero de 1915 (D.O. núm. 39, del 18 de febrero), que en honor de su autor ha pasado a la historia con el nombre de “Ley Miranda”, supuso el definitivo nacimiento del Arma Submarina Española, al incorporar en su virtud, los primeros submarinos a nuestra flota.



Fim do off-topic.
Título:
Enviado por: MARIA JOSE em Março 05, 2009, 01:10:53 pm
El ISAAC PERAL ESTABA OPERATIVO Y NAVEGANDO ANTES DE LA GUERRA HISPANO NORTEAMERICANA.Exactamente en 1888.

http://perso.wanadoo.es/pfcurto/peral.html (http://perso.wanadoo.es/pfcurto/peral.html)

http://www.cartagenaantigua.es/Submarin ... Peral.html (http://www.cartagenaantigua.es/Submarino/Museo_Peral/Museo_Peral.html)
Título:
Enviado por: Cláudio C. em Março 05, 2009, 01:17:32 pm
Citação de: "MARIA JOSE"
DESDE CUANDO TIENEN UNA TRADICION EN SUB SUPERIOR A LA DE ESPAÑA?

PONGA EL LISTADO DE SUBMARINOS QUE HA TENIDO LA ARMADA PORTUGUESA EN TODA SU HISTORIA Y YO LE COLOCARÉ LA MIA.
Que absurdos son algunos portugueses.


Cara Maria José, penso todos os membros deste fórum já sabem as suas opiniões mesmo sem a senhora as proferir, acho  que nem necessita de as dar na maioria das vezes, muito menos e as dar em alto som! :lol:
Brincando...

Respeitosamente
Título:
Enviado por: AC em Março 05, 2009, 01:19:02 pm
Citação de: "old"
El AIP  de los S80 se trata de una planta que transforma el Etanol en Hidrogeno a bordo, para evitar tener que repostar Hidrogeno en puerto. Operacion complicada y delicada.


Obrigado. Ok, assim faz tudo sentido.
Título:
Enviado por: Cláudio C. em Março 05, 2009, 01:23:02 pm
Pelo pouco que sei os U212 são para finalidades diferentes que o U214, designadamente para operar em aguas costeiras e de pouca profundidade daí serem mais pequenos também, ao contrario dos U214 que são mais vocacionados para o mar aberto, por isso também são maiores e têm mais autonomia, daí eu achar que é difícil dizer qual o que é melhor ao comprara-los pois têm características de acordo com a sua empregabilidade.
Estou certo ou a dizer um grande disparate?
Título:
Enviado por: Daniel em Março 05, 2009, 01:40:10 pm
Instrutor
Citar
Alguém discorda??


Eu tinha avisado, logo já nos cairam em cima, aqui ninguém pode dizer que têm algo melhor que os espanhóis, que logo vêem dizer o contrário, ou povinho, é que está merdddd......... já me começa a criar algum desconforto, de uma vez por todas acho que o que aqui é escrito deve ser respeitado, gostem ou não os castilhanos, se não lhes gusta andar daqui para fora, quanto a Maria Jose, quando diz que alguns portugueses son absurdos, quero te dizer, se alguém é absurdo, esse alguém és tu, desde que chegastes neste fórum não tens feito outra coisa a não ser desmentir, denegrir, menosprezar, tudo o que é portugues, por isso e muito mais, mete-te no teu lugar, aqui não é espanha, nem fóruns espanhóis que vocês dizem o que querem acerca de PORTUGAL, mete isso na tua cabeça, de uma vez por todas, é por haver tipos como tu, quem têm dificuldade de reconhecer PORTUGAL  pelo que foi e pelo que é, que tem muitas discussões inúteis por aqui, pela ultima vez deve ser feito alguma coisa, para o bem deste fórum, e para que estas merddd..... acabem. c34x
Título:
Enviado por: AC em Março 05, 2009, 01:48:18 pm
Caro Daniel,
não se exalte.
Fazendo um pouco de advogado do diabo, que factos é que você tem para defender objectivamente a afirmação de que os U209PN  são melhores que os S-80?

É bom ter orgulho em ser português e isto é um fórum português.
Mas honestamente, quem faz afirmações destas sem ter factos arrisca-se a ser confrontado com estas questões e a dar uma má imagem dos portugueses.
Título:
Enviado por: FoxTroop em Março 05, 2009, 01:55:24 pm
As mesmas que les para dizer que o S-80 é melhor que os outros. mas numa coisa concordo, a MONJITA está sempre armada aos cucos a atacar à minima coisa e a sorte é o pessoal ser tolerante a ainda rir com a coisa. Num forum espanhol, um português que se comportasse assim duvido que se aguentasse muito tempo.

Agora tu, MONJITA, escrever em letras grandes significa que estás a gritar. Como esta noite dormi pouco gritar cai-me mal. E a proposito a história submarinista portuguesa é das mais antigas do mundo.
Título:
Enviado por: MARIA JOSE em Março 05, 2009, 02:33:15 pm
Amigo mio, la MONJITA, no ha dicho nada del S-80, por la sencilla razón de que está en construcción y es un prototipo. Mientras no navegue,solo se podrá comparar sobre el papel y para mi eso seria una fantasmada.
Si he saltado ha sido por la gratuita afirmacion de un forista que se permite decir, sin venir a cuento que la armada portuguesa tiene mas tradicion en el arma submarina que la de los vecinos. Cuando eso es falso y fácilmente comprovable con datos.
Yo no intervengo si las cosas no me afectan y si ademas son ciertas.
Saludos.
Título:
Enviado por: Daniel em Março 05, 2009, 02:51:39 pm
AC
Citar
Caro Daniel,
não se exalte.
Fazendo um pouco de advogado do diabo, que factos é que você tem para defender objectivamente a afirmação de que os U209PN são melhores que os S-80?

Caro AC, com todo o respeito, 1 não estou exaltado, a não ser cansado de levar com certas pesssoas, 2 aconselho primeiro ler antes de comentar, até para não cair no ridiculo, aonde é que vc leu que eu disse ou afirmei, que o U209PN é melhor que o S80, eu simplemente respondi a um tópico de caro Instructor em que pergunta, Alguém discorda??, eu em tom de brincadeira disse, os espanhóis, agora para voçe ter uma idéia real das coisas, tem fóruns espanhóis que dizem a boca cheia que quando o S80 estiver pronto será o melhor do mundo, mas lá voçe não encontra logo de seguida, um portugues dizer o contrário, percebeu onde quer chegar c34x
Título:
Enviado por: teXou em Março 05, 2009, 05:06:02 pm
U.S. professor recommends Gotland-class submarine
Citar
In the February issue of the respected Armed Forces Journal, Professor Mikan Vego of the US Naval War College proposes that the US Navy complement its force of nuclear submarines with a number of conventional submarines. This proposal derives from expectations that the US nuclear submarine force will be reduced over the next 15 to 20 years, and that conventional submarines are better suited for shallow-water missions, as in the littoral zone off the US coast. It is precisely these zones that are currently subject to the greatest threat, throughout the world.

Professor Vego points to Kockums’ Gotland-class submarine as one of two main candidates in the field of advanced conventional (non-nuclear) submarines. The Gotland class is described as exceptionally manoeuvrable, silent-running, difficult to detect and tough, with the ability to remain submerged for weeks at a time. HMS Gotland also enjoyed considerable success during the two years in which she was leased to the US with a Swedish Navy crew. Her performance gained the attention of naval and industry professionals throughout the world.

Compared with other conventional submarines of similar capabilities, the Gotland class comes with an attractive price tag, notes Professor Vego. According to him, a Gotland-class submarine costs almost 30 percent less than other comparable submarines. And the Gotland class also possesses better stealth characteristics.
http://www.defpro.com/news/details/5948/ (http://www.defpro.com/news/details/5948/)

O HMS Gotland: A tecnologia utilizada pelos suecos é mesmo assim muito próxima da nossa, para não dizer outra coisa.  :idea:
http://en.wikipedia.org/wiki/HMS_Gotland_(Gtd (http://en.wikipedia.org/wiki/HMS_Gotland_(Gtd))
Título:
Enviado por: MARIA JOSE em Março 05, 2009, 06:47:01 pm
Hay algunos que no soportan la verdad. Yo no consiento ni consentire una mentira sobre mis FAS o mi pais.
Decir la verdad apoyada en datos a nadie puede ofender salvo a los mentirosos.
¿Se ha dado de alta para decir esto?. Aquí se habla de submarinos señor.
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Março 05, 2009, 08:13:31 pm
Com respeito à arma submarina em Portugal e Espanha, Portugal teve o primeiro submarino entregue, o Espadarte, em 1912. O primeiro submarino espanhol, o Isaac Peral, foi entregue em 1917. Portanto a nossa arma submarina é mais antiga cinco anos.
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Março 05, 2009, 09:06:45 pm
The Peral was launched on 8 September 1888, sixteen days before another pioneer electric submarine, the french Gymnote. On 6 March 1889 her sea trials started, which consisted of handling and surface navigation. On 7 August that year, she submerged for the first time up to the turret. Eighteen days later she would successfully fire her first trial torpedo (without warhead). On 5 December she submerged at 7.5 m; twenty days later she would pass her first non-static dive test, sailing at a steady depth of 9.5 meters, and later in 1890 maintaining the same depth and sailing underwater for one hour. The submarine had reach a maximum depth of 30 meters in trials.

Citar
Citar
On 25 June that year she made two simulated engagements on the cruiser Colón, one at day and other at night. At the daylight trial the submarine was unable to attack the cruiser, as her optical turret was spotted less than 1,000 yards (910 m) away from the cruiser, which had 200 civilian and military guests, and obviously expected to see the submarine, a fact that angered Isaac Peral.The simulated night attack was successful. The staff that evaluated the trials of the submarine submitted a report, considering speed and range insufficient, being especially critical about the failure of the submarine in daylight attack and its electric motors. However, overall the report was positive, and a second submarine was ordered, again under the direction of Isaac Peral but also managed by several naval departments. Peral designed a 30-meter submarine of 130 tonnes, imposing the condition of choosing the yard where the submarine would be built and the choosing the team. These conditions were not accepted by the authorities, who considered this a refusal of Peral to build the submarine. Finally they ordered Peral to return the submarine to the La Carraca yard where she was built. On 11 November 1890 a decree set the end of the projects of underwater navigation in the Spanish navy.

Portanto o submarino de Peral nunca esteve ao serviço da armada espanhola. Fez apenas diversos testes, e depois foi abandonado.
Título:
Enviado por: antoninho em Março 05, 2009, 09:07:21 pm
Por acaso já alguém rebateu o que "ela" disse?? Depois como português que sou, fico aborrecido é por eles espanhóis, terem governantes que não brincam em serviço quando se trata de dar os meios que as forças armadas espanholas necessitam, o tempo que vocês perdem em malhar no orgulho de um cidadão espanhol, malhem é nos políticos que desgovernam o nosso!!!
Quanto ao problema de um submarino ser melhor que o outro, isso só os deuses vão saber, mas a construção alemã tem nisso uma tradição que a espanhola ainda levará algum tempo a lá chegar, isso aí é que tem que ser dito, ou não???
Título:
Enviado por: MARIA JOSE em Março 05, 2009, 09:10:15 pm
Señores el Isaac Peral era una realidad en 1888 no los proyectos de papel que ustedes tenian.

Los alemanes tienen mas tradicion constructora que nosotros, EFECTIVAMENTE,pero ustedes no tienen ninguna.
Ya he comentado que del S-80 hablaré cuando esté en el agua.
Título:
Enviado por: Daniel em Março 05, 2009, 09:23:59 pm
Citar
O primeiro Submersível chegava não só a Portugal mas à Península Ibérica,... a nossa vizinha Espanha não possuía ainda Submersíveis. Portugal adiantara-se na adopção dessa nova arma de guerra naval e o “Espadarte” foi assim, ao tocar nos portos Espanhóis de Barcelona, Valência e Alicante, motivo de forte interesse oficial e popular. O jornal “El Guante Blanco” de Valência, num artigo intitulado “El terrible submergible”, comentava:

“La aparicion del submergible português “Espadarte” – el Escalante, como decian los chiquillos del Gra – en nuestro porto, ha  sido  un verdadeiro exito para el digno representante de nuestra vecina Republica Lusitana. No han visto ustedes el submergible portugues? Vaya una cosa bonita, por lo rara!”
Assim falavam os espanhóis em contraposição com alguns portugueses que escreviam certas palavras insensatas sobre a feliz ideia de dotar a Marinha Portuguesa com a arma submarina. Cedo essas bocas foram caladas com a expressão máxima da capacidade da arma – os torpedos – com ogiva de exercício foram lançados frente a Algés contra um rebocador do Arsenal e contra o torpedeiro nº 3 tendo as esteiras passado precisamente sob os alvos visados. Para além deste exercício foram efectuados mais quatro até final do ano onde foi possível testemunhar o factor surpresa e a incrível capacidade de descrição em acções simuladas contra cruzadores, torpedeiros e contratorpedeiros. Uma das testemunhas num destes exercícios foi o Presidente do Ministério, que ao assistir ao mérito e eficácia do “Espadarte”, assentou a encomenda de mais 3 submarinos. Do sucesso destes exercícios resultaram ainda três certezas:

- As guarnições dos nossos cruzadores e contratorpedeiros mostraram uma ausência total de treino;

- O pessoal do “Espadarte” tinha demonstrado que a arma submarina se apresentava com perspectivas de eficiência;

- Não devíamos nem podíamos suster a nossa marcha no sentido de criar na Marinha Portuguesa uma força de acção submarina.

De início, sem outros da sua espécie, o “Espadarte” começou com uma tarefa importante neste período conturbado da primeira guerra, como patrulhador da entrada da Barra de Lisboa.
 

 
Estojo com o tinteiro de prata e pena de ouro
 Nasceram assim os Submarinos em Portugal contribuindo como mais um instrumento da ciência ao serviço do homem... “para fazer reinar sobre os mares maior igualdade, menor iniquidade e, portanto, mais liberdade e mais paz”. Ao “Espadarte” seguiram-se outros num total de 14 que ao longo deste 90 anos constituíram sucessivamente as 4 Esquadrilhas, em várias cerimónias de recepção em que o simbolismo esteve sempre patente pelo uso repetido da pena dourada que hoje repousa no Museu de Marinha aguardando o tão esperado momento da continuidade e a consequente celebração de cem anos de Submarinos.

 

 
Título:
Enviado por: Lancero em Março 05, 2009, 09:29:42 pm
Quem tiver algo a acrescentar sobre o U209PN, faça favor.
Quem não o tiver, não escreva.
Limpeza higiénica realizada.
Título:
Enviado por: MARIA JOSE em Março 05, 2009, 09:29:49 pm
Hijo mio, si sabes leer, hazlo con el link que he colocado sobre el Isaac Peral. ¿De qué año hablas? Yo de 1888.
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Março 05, 2009, 09:32:57 pm
Citar
Señores el Isaac Peral era una realidad en 1888 no los proyectos de papel que ustedes tenian.

O que não lhes serviu de muito, pois os primeiros submarinos da armada espanhola foram desenhados e construídos na Amèrica e Itália. Não estou a tirar o mérito a Isaac Peral, mas quando vocês tiveram o primeiro submarino operacional, já nós tínhamos cinco anos de prática com essa arma.
Título:
Enviado por: Lancero em Março 05, 2009, 09:39:42 pm
Citação de: "Lancero"
Quem tiver algo a acrescentar sobre o U209PN, faça favor.
Quem não o tiver, não escreva.
Limpeza higiénica realizada
.
Título:
Enviado por: Instrutor em Março 05, 2009, 09:43:19 pm
Lancero Lancero.... entao tu ves muito bem que somos provocados e ainda por cima apagas a nossa opiniao e deixas a daquela marraquitica??? :evil:
Título:
Enviado por: Lancero em Março 05, 2009, 09:52:16 pm
Citação de: "Instrutor"
Lancero Lancero.... entao tu ves muito bem que somos provocados e ainda por cima apagas a nossa opiniao e deixas a daquela marraquitica??? :evil:


Ela (?) está a falar de submarinos e já foi devidamente rebatida. Vocês não falam de nada que possa ser adequado ao tópico.
Título:
Enviado por: Instrutor em Março 05, 2009, 10:01:13 pm
Falamos Falamos, ela é que é culpada :lol:  va a serio tens razao estamos a dar muita importancia a pessoas de 5ª categoria.
Voltando ao tema, o segundo U209PN como vai a sua construção?
Título:
Enviado por: migbar2 em Março 05, 2009, 10:10:26 pm
Quanto aos nossos submarinos muito me agrada dizer que a Coreia do Sul, recorde-se país que leva a defesa muito a sério por estar em permanente estado de pré-guerra e para além do mais com significativa capacidade financeira e tecnológica, gostou tão pouco dos seus primeiros U214 que agora resolveu adquirir mais seis. Taditos, devem estar loucos  c34x...é que aqueles subs têm enormes probabilidades de não servirem apenas para passear em exercícios tipo feira das vaidades...
Título:
Enviado por: pchunter em Março 05, 2009, 11:39:32 pm
Para mim o único defeito do U209PN/U214 é serem só dois!!
Título:
Enviado por: SSK em Março 06, 2009, 01:35:37 am
Este forum está a perder imensa qualidade, não se discute nada de interessante, somente uns comentários de alguém que escreve numa língua diferente da nossa e com poucos conhecimentos do que é a arma submarina e a sua história.

E que tal discutir-se algo de estruturante, por exemplo:
 :arrow: Antepara resistente num SSK?
 :arrow: Qual é o melhor sistema de salvamento de submarinos, a teoria alemã ou a da maioria dos países?

O que vos parece senhores moderadores?

Cumprimentos
Título:
Enviado por: Daniel em Março 06, 2009, 08:54:58 am
SSK
Citar
Este forum está a perder imensa qualidade, não se discute nada de interessante, somente uns comentários de alguém que escreve numa língua diferente da nossa e com poucos conhecimentos do que é a arma submarina e a sua história.

E que tal discutir-se algo de estruturante, por exemplo:
 Será que o único defeito é serem só dois?
 Antepara resistente num SSK?
 As células de combustível será o melhor AIP para as nossas missões?
 Qual é o melhor sistema de salvamento de submarinos, a teoria alemã ou a da maioria dos países?

O que vos parece senhores moderadores?

Cumprimentos


X2 Concordo plenamente, o problema não é o que descutir, mas sim, que cada vez que se descute algo, que não é do agrado de alguns espanhóis, sermos constantemente agredidos com palavras desmentindo a tudo e a todos, palavras essas de desprezo as FAP e a Portugal, por isso e muito mais, e já que nada é feito me remeto por algum tempo ao silêncio, tem um ditado popular que se diz, mais me bates, mais eu gosto de ti, por minha parte fim do off topic. c34x

Cumprimentos
Título:
Enviado por: Akagi em Março 06, 2009, 10:40:04 am
Deixando os espanhois lá com a sua joia dos S80, voltemos aos nossos U214.
Compramos o que de melhor há não nuclear, e estando já operacional.

Realmente só pecam por serem poucos, pois o bom seriam 3, e o ideal eram 4. Pois assim podiamos manter permanentemente 2 em patrulha, 1 de reserva, e outro em revisão, mantendo assim a rotação sem por em causa as operações de patrulhamentos das nossas aguas.
Título:
Enviado por: Nuno Calhau em Março 06, 2009, 07:31:29 pm
Caro SSK!  ys7x9  ys7x9

E como eu aprendi no serviço militar, "As ordens recebem-se em sentido e cumprem-se em passo de corrida!".

Um Abraço.

PS

A ver se este passa pelo "lápis azul".
Título:
Enviado por: AC em Março 06, 2009, 11:00:56 pm
Citação de: "SSK"
:)

Citar
As células de combustível será o melhor AIP para as nossas missões?


Eu diria que é o melhor sistema AIP da actualidade, ponto final.
Dados concretos sobre a performance dos submarinos são ... *poucos*, como habitual.
Mas creio que um U-212 pode estar submerso mais tempo (3 vs 2+ semanas) e atingir maiores velocidades (8 ou 9 nós vs 5) do que um Gotland. Isto para comparar submarinos com objectivos e dimensões semelhantes.

Teoricamente, a superioridade das células de combustível é simples de explicar.
O diversos sistemas AIP usam diferentes fontes de combustível mas são iguais na parte que me parece mais complicada: todos têm de armazenar oxigénio líquido.
Uma vez que os motores térmicos são menos eficientes, consomem mais oxigénio para produzir a mesma quantidade de energia. Logo, tendem a perder em autonomia.
Além disso, a potência dos motores é limitada pela necessidade de os manter silenciosos. Nas células, acho que é principalmente limitada pelo preço e/ou pela eficiência que se pretende.
Título:
Enviado por: SSK em Março 07, 2009, 11:45:18 am
Não esquecer que as células de combustível não carrega as baterias. O que elas fazem é produzir energia para fazer rodar o permasyn.

O Closed Cycle Diesel seria 3/4 geradores a produzir rápidamente energia para carga de uma bateria. O que para missões do tipo das nossas seria o mais apropriado e barato.

Nós não andamos dias e dias na costa do inimigo. Se tivermos situações de aperto são sempre coisas momentâneas e sempre em águas oceânicas. Assim, sempre que tivermos situações de aperto lá se gastam milhões para fugir a algo e com limite de velocidade com as células de combustível. O gasóleo é barato e pode ser reabastecido no mar o Hidrogénio nem é barato nem se pode reabastecer no mar...

O silêncio é algo de relativo, principalmente quando existem condições oceanográficas, para quem anda por baixo, que permitem contornar o motor a diesel a trabalhar.
Título:
Enviado por: nelson38899 em Março 07, 2009, 11:54:58 am
boas

Como está a correr as provas do submarino??

Já passaram perto da nossa costa, ou os testes são só no mar do norte
Título:
Enviado por: AC em Março 07, 2009, 03:10:54 pm
SSK,

há aí um detalhe importante: também tem de re-abastecer de oxigénio para poder queimar esse diesel enquanto submergido. E para conseguir armazenar oxigénio suficiente dentro do submarino, tem de estar no estado líquido, a uma temperatura inferior a 183 ºC.
A produção e transporte de oxigénio líquido é mais complicada.
E uma vez mais: um motor a diesel ia requerer mais oxigénio para a mesma quantidade de energia produzida.

Já o hidrogénio, nos submarinos alemães, é armazenado em matrizes de hidretos metálicos, que permitem temperaturas e pressões relativamente simples.
E neste caso, pode ser obtido com alguma facilidade localmente, a partir da electrólise da àgua ou conversão de etanol. O sistema pode ser compacto q.b.:
- Os S-80 usam células de combustível e fazem a conversão de etanol para hidrogénio dentro do próprio submarino.
- A Air Products criou uma estação de abastecimento de hidrogénio para a marinha alemã do tamanho de um contentor standard (daqueles que são transportados de camião).

Como você diz, os nossos submarinos não andam dias a fio perto da costa. Qual é a possibilidade de esconder o ruido dos geradores diesel quando o submarino está em mar alto, com o fundo oceânico a uma profundidade maior do que a que o submarino pode atingir?
Título:
Enviado por: MERLIN em Março 07, 2009, 05:13:37 pm
O principal problema do AIP é o custo do hidrógenio e da complexidade de carregar o mesmo. Só à uma empresa (holandesa) que o faz, por isso o custo de utilização do AIP nos nossos U209PN vai ser altíssimo. E com os orçamentos actuais....
Cumptos
Título:
Enviado por: antoninho em Março 07, 2009, 05:58:36 pm
Mas olhem que as ultimas descobertas têm sido animadoras, menos para a industria do petróleo....

Descoberta forma de produzir hidrogênio sem gasto de energia.

5 de fevereiro de 2009

Cientistas descobriram uma nova forma de produzir hidrogênio, considerado o combustível do futuro por ser capaz de gerar eletricidade em células a combustível sem gerar qualquer tipo de poluente. A nova técnica produz hidrogênio puro sem consumir energia.

Produção de hidrogênio

Hoje, praticamente a totalidade do hidrogênio é produzido a partir do gás natural, um combustível fóssil como o petróleo, o que anula seus benefícios ambientais, além de sair caro demais.

Os pesquisadores das universidades Penn State e Virginia, nos Estados Unidos, descobriram como produzir hidrogênio mergulhando aglomerados de átomos de alumínio em água. Os aglomerados quebram as moléculas de água, produzindo hidrogênio e oxigênio.

A quebra da molécula de água também pode ser feita por meio de eletrólise, mas o processo consome mais energia do que produz.

Aglomerados de alumínio

Os pesquisadores descobriram que, além das propriedades eletrônicas dos aglomerados de alumínio, o seu formato é essencial na reação com a água.

"Nossas pesquisas anteriores sugeriam que eram as propriedades eletrônicas que governavam tudo sobre esses aglomerados de alumínio, mas este novo estudo mostrou que é o arranjo dos átomos no interior dos aglomerados que faz com que eles quebrem as moléculas de água," explica o professor A. Welford Castleman Jr.

Reação espontânea

A molécula de água liga-se entre dois pontos do aglomerado de alumínio, com um dos pontos funcionando como um ácido de Lewis - um centro positivamente carregado que aceita um elétron - e o outro ponto funcionando como uma base de Lewis - um centro negativamente carregado pronto para ceder um elétron.

O alumínio ácido de Lewis liga-se ao oxigênio da molécula de água e o alumínio base de Lewis dissocia o átomo de hidrogênio. Se o processo ocorrer uma segunda vez, envolvendo dois outros átomos de alumínio, restarão dois átomos de hidrogênio, que se ligarão para formar uma molécula de hidrogênio na forma de gás (H2).

Produção de hidrogênio sem gasto de energia

O hidrogênio é produzido a temperatura ambiente. "A capacidade para produzir hidrogênio a temperatura ambiente é importante porque significa que nós não usamos nenhum tipo de calor ou energia para disparar a reação," afirmam os pesquisadores.

A descoberta é importante não apenas para a produção de hidrogênio, mas também por abrir caminho para uma nova abordagem na produção de catalisadores, que poderão ser desenvolvidos para quebrar outras moléculas.

Reciclagem dos aglomerados de alumínio

Agora os pesquisadores querem descobrir como reciclar os aglomerados de alumínio para que eles possam ser reutilizados continuamente, abrindo a possibilidade de uso prático da nova tecnologia.

A reciclagem consistirá em uma forma para retirar o grupo hidroxila (OH-) que fica ligado aos aglomerados de alumínio depois que a molécula de hidrogênio é liberada.

fonte: Inovação Tecnológica

retirada de http://www.portalh2.com.br/prtlh2/noticias.asp?id=596 (http://www.portalh2.com.br/prtlh2/noticias.asp?id=596)
Título:
Enviado por: AC em Março 07, 2009, 06:19:29 pm
Citação de: "MERLIN"
Só à uma empresa (holandesa) que o faz,


Há diversas empresas que fornecem equipamento de produção e abastecimento de hidrogénio.
Até ver, a HDW tem fornecido aos clientes equipamento da Air Products, uma empresa americana.
Título:
Enviado por: Daniel em Março 07, 2009, 06:22:34 pm
MERLIN
Citar
O principal problema do AIP é o custo do hidrógenio e da complexidade de carregar o mesmo. Só à uma empresa (holandesa) que o faz, por isso o custo de utilização do AIP nos nossos U209PN vai ser altíssimo. E com os orçamentos actuais....
Cumptos


Sabendo isto me pergunto, porque é que os alemães sabendo dessas dificuldades, custo do hidrógenio, uma empresa somente capaz de fazer o trabalho, constroem tais submarinos com essa complexidade, então, e os submarinos gregos, e os da coreia do sul, não falo tanto do preço do hidrógenio, mas sim de uma empresa só para fazer o serviço, toda essa logística, não poderá levar a algumas dificuldades de operação :roll: c34x
Título:
Enviado por: AC em Março 07, 2009, 06:33:01 pm
Há uma coisa errada no que o Merlin escreveu: não há só uma empresa a fornecer equipamento para a produção e abastecimento de hidrogénio.

Com esta questão das energias alternativas há diversas empresas no negócio.
Título:
Enviado por: MERLIN em Março 07, 2009, 09:10:26 pm
Eu nao falei em produzir hidro. mas sim em poder abastecer os sub, e nesse caso só os holandeses o fazem. Quanto a questão da HDW, esta rem acordos com a empresa holandesa via a damen-Royal Schelde.

Cumptos
Título:
Enviado por: AC em Março 07, 2009, 09:44:42 pm
O abastecimento dos submarinos é feito pelas respectivas marinhas, nas suas bases.

O equipamento para o fazer é fornecido pela própria HDW e feito pela Air Produtcs. A marinha alemã, pelo menos, dispõe de equipamento móvel montado num atrelado de camião.

A fonte de hidrogénio tem sido empresas locais.

Alguns press releases:
http://www.airproducts.com/PressRoom/Co ... ul2007.htm (http://www.airproducts.com/PressRoom/CompanyNews/Archived/2007/12Jul2007.htm)
http://www.airproducts.ie/news/2007-07-12.htm (http://www.airproducts.ie/news/2007-07-12.htm)
http://www.airproducts.ie/news/2006-08-23.htm (http://www.airproducts.ie/news/2006-08-23.htm)

http://www.h2daily.com/index.php/200707 ... arine.html (http://www.h2daily.com/index.php/20070715544/Latest/-Air-Products-Provide-Fuel-For-Hellenic-Navy-Hydrogen-Submarine.html)

Honestamente, não encontro nenhum vestígio de envolvimento da  Damen-Royal Schelde nem de nenhuma empresa holandesa, a não ser que o equipamento seja da subsidiária holandesa da Air Products.
Título:
Enviado por: SSK em Março 10, 2009, 09:58:35 pm
CAro AC,

Relativamente ao oxigénio para o CCD pode bem ser ar comprimido, visto não ser necessário Oxigénio no estado liquido.
Título:
Enviado por: P44 em Março 13, 2009, 04:16:08 pm
Citar
08 Março 2009 - 22h00

Defesa: Donativos recebidos pelo CDS-PP em 2004 estão sob suspeita
Negócio investigado


A Comissão Permanente de Contrapartidas (CPC) está a ser um dos alvos principais das investigações do Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP) à compra dos dois submarinos, cujo custo ascende a 973 milhões de euros com juros incluídos. E um dos pontos altos das diligências ocorreu em Julho do ano passado, quando foram feitas buscas à CPC, uma acção que permaneceu em completo segredo, para encontrar o contrato original das contrapartidas da aquisição dos navios.

'O DCIAP e a Polícia Judiciária já foram várias vezes à CPC para averiguar e consultar a documentação, e andaram à procura do contrato original das contrapartidas dos submarinos', garantiu ao CM fonte próxima da CPC. O próprio presidente da CPC, embaixador Pedro Catarino, não esconde a acção das autoridades: 'A única coisa que posso dizer é que as indicações das minhas duas tutelas [Economia e Defesa] vão no sentido de dar toda a colaboração e abrir tudo o que aqui temos à Procuradoria-Geral da República, e é isso que temos feito.'

Para já, as autoridades investigam se o depósito de quase 1,1 milhões de euros em donativos nas contas do CDS-PP em Dezembro de 2004, quando Paulo Portas era ministro da Defesa, terá sido um benefício do CDS-PP por via do negócio dos submarinos. E apuram também se a comissão superior a 30 milhões de euros paga à Escom, empresa do Grupo Espírito Santo que representou o consórcio vendedor, terá gerado pagamentos de comissões ilícitas.

PROJECTOS POUCO EXECUTADOS

A menos de quatro anos do termo da execução do contrato de contrapartidas dos submarinos, 'formalmente, só está executado 25 por cento [do valor total]', afirma o presidente da CPC.

Como o contrato de contrapartidas ascende a 1200 milhões de euros (em regra, o valor dos projectos oferecidos pelo vendedor é pelo menos igual ao valor da compra do equipamento), significa que só estão executados 300 milhões de euros. Falta aprovar outro tanto que já foi apresentado. Pedro Catarino diz que  'o contrato dos submarinos é talvez o programa mais problemático, e é uma boa lição para o futuro.'

DEPÓSITO ELEVADO EM DEZEMBRO

Entre 27 e 30 de Dezembro de 2004, dois meses antes das eleições legislativas de 2005, foram depositados nas contas do CDS-PP donativos de quase 1,1 milhões de euros.

O partido liderado por Paulo Portas já garantiu que foram passados recibos referentes a todos os donativos. Entre os cerca de seis mil recibos passados, está um em nome de Jacinto Leite Capelo Rego. Em 2004, o CDS-PP angariou em donativos quase 1,3 milhões de euros, quase tanto como em 2001, 2002 e 2003.

SAIBA MAIS

ENTIDADE RESPONSÁVEL

A CPC é responsável pelo acompanhamento da execução dos projectos económicos oferecidos a Portugal pelos vendedores de equipamento militar.

973

milhões de euros é o custo da aquisição dos dois submarinos ao German Submarine Consortium (GSC), grupo alemão, com juros incluídos.

3

era o número de submarinos que estava inicialmente previsto comprar para a Marinha. A escolha do vencedor do concurso internacional gerou polémica.

António Sérgio Azenha


http://www.correiodamanha.pt/noticia.as ... 0000000181 (http://www.correiodamanha.pt/noticia.aspx?contentid=B7BB7C94-BB00-4ACE-957F-A4C8B87D6119&channelid=00000181-0000-0000-0000-000000000181)
Título:
Enviado por: AC em Março 13, 2009, 07:46:19 pm
Citação de: "SSK"
CAro AC,

Relativamente ao oxigénio para o CCD pode bem ser ar comprimido, visto não ser necessário Oxigénio no estado liquido.


Caro SSK,
Nenhum sistema AIP, incluindo as células de combustível, necessita de oxigénio em estado líquido.

A opção (em todos os sistemas de AIP) pelo oxigénio em estado líquido deriva de que oxigénio 99,9% puro em estado líquido é a forma mais compacta de armazenar oxigénio e de, em todos os sistemas AIP, o oxigénio ser sempre o factor limitativo.

Em qualquer sistema AIP conhecido, o oxigénio vai sempre acabar antes do hidrogénio/diesel/etanol, simplesmente porque é mais fácil aumentar a quantidade de hidrogénio/diesel/etanol que se transporta do que a quantidade de oxigénio.
Título:
Enviado por: JLRC em Março 13, 2009, 08:50:41 pm
Citação de: "P44"

Entre os cerca de seis mil recibos passados, está um em nome de Jacinto Leite Capelo Rego.


Só pode ser brincadeira de mau gosto. Jacinto Leite Capelo Rego=Já sinto o leite cá pelo rego. Era uma anedota que correu há uns tempos atrás sobre o portinhas.
Título:
Enviado por: Lancero em Março 13, 2009, 09:19:32 pm
Esse não era um dos doadores fantasmas do CDS?
Deu muito barulho há dois anos.
Título:
Enviado por: Charlie Jaguar em Março 15, 2009, 12:35:41 pm
Citação de: "JLRC"
Citação de: "P44"

Entre os cerca de seis mil recibos passados, está um em nome de Jacinto Leite Capelo Rego.

Só pode ser brincadeira de mau gosto. Jacinto Leite Capelo Rego=Já sinto o leite cá pelo rego. Era uma anedota que correu há uns tempos atrás sobre o portinhas.


 :lol:  :lol:
Título:
Enviado por: Charlie Jaguar em Março 17, 2009, 12:41:14 pm
Notícia presente na edição de ontem, Segunda-feira 16 de Março de 2009, do diário 24 Horas. Peço desculpa pelo tamanho da imagem, mas ao menos assim o artigo encontra-se legível.


(http://img8.imageshack.us/img8/1231/screenshot145t.jpg) (http://http)
Título:
Enviado por: Daniel em Março 17, 2009, 01:52:13 pm
Mas o Submarino em baixo não é o grego :?:  c34x
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Março 17, 2009, 02:24:38 pm
Claro que o que está na água é o Papanikolis..
Esta é mais uma óptima peça jornalistica do lobby anti-submarino.
O problema não é o pagamento dos submarinos, a efectuar durante 25 ou 30 anos(não me lembro), mas sim a inclusão do custo total de cada submarino no orçamento de estado, no ano da entrega.
Título:
Enviado por: typhonman em Março 17, 2009, 03:35:25 pm
Sem duvida que este artigo é um grande "torpedo" num artigo ja torpedeado demais... Enfim, o 24 Horas nunca primou por imparcialidade..
Título:
Enviado por: Charlie Jaguar em Março 17, 2009, 04:45:50 pm
A notícia do 24 Horas não tem ponta por onde se lhe pegue, mas ainda assim quis aqui deixá-la para que todos a pudessem ler.  :)
Título:
Enviado por: P44 em Março 17, 2009, 04:47:20 pm
mas como agora o défice já pode disparar á vontade, não vai existir nenhum problema, certo?
Título:
Enviado por: Marinheiro de Agua Doce em Março 17, 2009, 04:48:27 pm
http://duartelevypt.wordpress.com/2009/ ... no-outono/ (http://duartelevypt.wordpress.com/2009/03/16/submarinos-de-paulo-portas-chegam-no-outono/)

No corpo do artigo têm um link para fazer o download do documento de baptismo do Tridente.
Título:
Enviado por: Daniel em Março 17, 2009, 06:23:48 pm
Marinheiro de Agua Doce
Citar
No corpo do artigo têm um link para fazer o download do documento de baptismo do Tridente.

Nesse artigo entre tantas barbaridades está o seguinte.

Citar
O “Tridente” e o “Arpão”, cuja compra foi criticada até pela NATO que afirmava que o nosso país não tinha qualquer necessidade de se dotar deste tipo de embarcações


O jornalismo que é feito em Portugal é de burros, pois não sabem nem ver o que no faz falta para continuarmos a ser Portugal, vão por aquilo que os  outros dizem achar bem ou mal para país, não percebem nada do país, o que eu fico meio :evil:
Título:
Enviado por: Nuno Calhau em Março 17, 2009, 08:18:22 pm
O que eu não sabia era que os submarinos eram do "Portas" :shock:

Que ele atraca de popa (outros dizem abica), utilizando a linguagem marítima, isso é do conhecimento publico.

Agora os submarinos serem dele... Essa não sabia! :oops:


Um Abraço.
Título:
Enviado por: SSK em Março 17, 2009, 08:58:04 pm
Citação de: "Nuno Calhau"
Que ele atraca de popa (outros dizem abica), utilizando a linguagem marítima, isso é do conhecimento publico.

Abicar é o que se faz nos desembarques nas praias. Atracar de popa é como se atraca na maioria dos portos do mediterrâneo.

O Arpão é possível o que está a seco sim senhor, aliás penso que já estará dentro de água.
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Março 17, 2009, 09:01:22 pm
Citar
Tanto o “Tridente” como o “Arpão” vêm equipados com oito canos de torpedo, dispondo igualmente de canos com capacidade para disparar mísseis
Serão canos de esgoto, pois dos torpedos e misseis são tubos.

Nuno Calhau escreveu:
Citar
O que eu não sabia era que os submarinos eram do "Portas"

Eram, mas o Sócrates comprou-lhos c34x
Título:
Enviado por: TOMSK em Março 17, 2009, 09:05:00 pm
O título dado à noticía é já por si nojento.

Possivelmente não vão "à bola" com o Paulo Portas. E depois querem meter a compra dos submarinos no assunto.
O que eu considero injusto, pois para mim, Paulo Portas foi dos melhores Ministros da Defesa que tivemos nestes últimos anos.

Depois, como diz o Daniel, este jornalismo é feito por burros.
Nem sequer se preocupam em informar-se melhor sobre quais foram os critérios para a NATO achar que Portugal não "tinha qualquer necessidade de se dotar deste tipo de embarcações."

Ora, qualquer pessoa com um palmo de testa à frente, e algum conhecimento de cultura geral, haveria de se interrogar porque razão a NATO critica a compra de dois meios militares (que ao fim ao cabo, poderão contribuír para o potencial militar da própria NATO), e tendo Portugal das maiores ZEE's da Europa, a compra de meios navais para a defesa e patrulha dessa área seja criticada.

Mas não. O que vende é o jornalismo-espectáculo.

O que o senhor jornalista devia saber era que a compra destes submarinos trouxe de facto algum mal-estar à NATO, mas em sectores conotados com Espanha. Isso veio noticiado na imprensa portuguesa, devem recordar-se.

Quanto ao porquê das critícas na NATO espanhola, penso que não é necessário enunciar as razões...

Este tipo de jornalismo, o melhor é fazer duas coisas.
Ou não ler.
Ou serve para substituir pelo papel higiénico.
Título:
Enviado por: Instrutor em Março 17, 2009, 09:55:10 pm
Este loby anti submarino estes sacanas, parasitas que estao contra a modernização da marinha neste caso, devem estar a chorar os 1000 milhoes de euros a serem pagos aleasing e durantes alguns anos, com esse dinheiro quantas chouriças alheiras vinho dava para comprar para encher a pança a esses chupistas desavergonhados ou para enterrar em bancos fraudulentos. Abaixo esses chupistas gordos merendeiros que nao querem a modernização das nossas FORÇAS ARMADAS e zelarem pela segurança dos portugueses. :evil:
Título:
Enviado por: Moisés Magalhães em Março 17, 2009, 09:57:48 pm
Caro TOMSK

Não poderia estar mais de acordo.

Lamentavelmente e de uma forma propositada a questão das contrapartidas é sempre um assunto a não mencionar, mas pior do que tudo é sem dúvida a falta de orgulho nacional, expressada por este tipo de notícia encomendada.

Quanto ao ex-ministro da defesa, podem alguns criticá-lo, mas no entanto se os submarinos são uma realidade a ele o devem, e no passado recente, de todos os ministros da defesa, penso que podemos  afirmar com absoluta certeza que contra tudo e contra todos este foi sem dúvida o que melhor desempenho teve, com uma maior visibilidade e dignificação das nossas FA, quem não se lembra do caso do "PRESTIGE", um presente envenenado do outro lado da fronteira.

Cumprimentos,
Título:
Enviado por: migbar2 em Março 17, 2009, 10:06:18 pm
Citação de: "Instrutor"
Este loby anti submarino estes sacanas, parasitas que estao contra a modernização da marinha neste caso, devem estar a chorar os 1000 milhoes de euros a serem pagos aleasing e durantes alguns anos, com esse dinheiro quantas chouriças alheiras vinho dava para comprar para encher a pança a esses chupistas desavergonhados ou para enterrar em bancos fraudulentos. Abaixo esses chupistas gordos merendeiros que nao querem a modernização das nossas FORÇAS ARMADAS e zelarem pela segurança dos portugueses. :evil:



Aqui não se trata apenas da segurança seja de quem for !!! Temos interesses que são só nossos e nesses ninguém nos ajudará em caso de necessidade!!! Ou temos ferramenta, ou ficamos na merd....
Agora aqui vai uma pergunta pertinente; com tanta gente a escrever aqui no forum e noutros que tais, não temos o poder de contra atacar este tipo de "fazedores de opinião" distorcidos ? Será que ninguém consegue fazer-se ouvir neste país sempre a pender para o mesmo lado? Mas que democracia é esta com os média quase todos na mão de uma corja alinhada em Iberismos, talvez por pensarem que será aí que mamarão mais?...talvez lhes venha a sair o tiro furado...a bem, ou a mal...
Título:
Enviado por: typhonman em Março 17, 2009, 11:58:40 pm
Penso que um e-mail para a ERC, entidade reguladora da comunicacao pudesse alertar o levyzinho para a treta de artigo que escreveu....
Título:
Enviado por: TOMSK em Março 18, 2009, 12:22:41 am
Se o objectivo de um jornal é informar, o 24Horas opta por desinformar.
O que é pena, pois o povo devia ser esclarecido da importância das forças armadas para Portugal.

Não se iludam. Estes senhores jornalistas que criticam a compra de material topo de gama são os mesmos que alguns anos atrás desfaziam o exército pelos "fumegantes" M-60, no dia de Portugal.

É simples. Deixem de comprar o 24Horas.
Ou então, se ainda tiverem algum em casa, façam como eu já referi. Coloquem-no no suporte do papel higiénico para as utlizações que lhe são devidas:
Só serva para limpar m.....
Título:
Enviado por: Daniel em Março 18, 2009, 08:08:18 am
Moisés Magalhães
Citar
de todos os ministros da defesa, penso que podemos afirmar com absoluta certeza que contra tudo e contra todos este foi sem dúvida o que melhor desempenho teve, com uma maior visibilidade e dignificação das nossas FA, quem não se lembra do caso do "PRESTIGE", um presente envenenado do outro lado da fronteira.


Sem duvida, eu já o tinha dito, gostaria sim, de ver o Paulinho de volta, ele chegou e fez obra, ainda que muitos o critiquem, nota não sou do partido de Paulo Portas, mas é a relidade, quanto ao jornalismo em Portugal de alguns meios de comunicação é uma vergonha, uma profunda falta de conhecimento. c34x
Título:
Enviado por: Nuno Calhau em Março 19, 2009, 12:44:07 am
Caro Daniel!

Políticos são políticos, e eu como apolítico, nem deles devia falar.

Mas é sabido que os citados, só se movem quando daí advêm dividendo, percebe?

Financiamentos de partidos, financiamentos pessoais etc. etc.

Esse Senhor (será:?: :mrgreen:  

Agora uma pergunta para a restante rapaziada; qual foi o último ministro da defesa que serviu nas Forças Armadas portuguesas?

Penso que isto diz o estado em que vão as coisas...

Um Abraço.
Título:
Enviado por: raphael em Março 19, 2009, 01:33:32 am
Citação de: "Nuno Calhau"
Caro Daniel!

Políticos são políticos, e eu como apolítico, nem deles devia falar.
Mas é sabido que os citados, só se movem quando daí advêm dividendo, percebe?
Financiamentos de partidos, financiamentos pessoais etc. etc.
Esse Senhor (será:?: :mrgreen:  
Agora uma pergunta para a restante rapaziada; qual foi o último ministro da defesa que serviu nas Forças Armadas portuguesas?
Penso que isto diz o estado em que vão as coisas...
Um Abraço.


Esta pode ser fora de contexto mas o MDN de Espanha não é uma senhora?? E eles estão assim tão mal dirigidos??
Título:
Enviado por: Daniel em Março 19, 2009, 08:54:17 am
Nuno Calhau
Citar
Mas é sabido que os citados, só se movem quando daí advêm dividendo, percebe?

Financiamentos de partidos, financiamentos pessoais etc. etc.



Quem é que não o faz, o certo é que com dividendos ou não, fez obra, Submarinos, Pandur, NPO, enfim, tem outros que tiram dividendos e não fazem nada. c34x
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Março 19, 2009, 11:07:22 am
Os últimos "trambolhos" do Guterres, Veiga Simão, Castro Caldas e Rui Pena, cumpriram o SMO. Desde então, o Paulo Portas, o Luís Amado e o Severiano Teixeira não cumpriram SMO.
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Março 19, 2009, 02:11:10 pm
Citar
Os últimos "trambolhos" do Guterres, Veiga Simão, Castro Caldas e Rui Pena, cumpriram o SMO. Desde então, o Paulo Portas, o Luís Amado e o Severiano Teixeira não cumpriram SMO.

Isso foi porque acabou o serviço militar obrigatório. :lol:  :lol:
Título:
Enviado por: Instrutor em Março 19, 2009, 06:41:28 pm
As vezes quem cumpre SMO nao quer dizer nada, mas para mim os dois melhores ministros da defesa que ja tivemos foram o Fernado Nogueira, e Paulo Portas, este ultimo o unico erro que aponto foi o erro atenpadamente corrigido de preferir as Fragatas americanas Olivier Perry qual coisa as fragatas holandesas M.
Agora tb no tempo do Fernado Nogueira coincidiu a chegada dos F-16, Vasco da Gama, Chaparral, entre outros... ou estou equivocado nas datas??
Deste que esta la estre trambolho dos everino teixeira o que foi o que ja comprou??? Nickls Batatoides, andam a chegar agora os Fragatas Bartolomeu Dias vao chegar os Submarinos os Leopardos e as Pandur tudo graças a anteriores ministros.
Título:
Enviado por: pchunter em Março 19, 2009, 06:55:36 pm
Pois encomendar é fácil o pior é pagar, não se esqueçam que isto tudo tem de ser pago. Eu sou a favor da venda de património das FA para pagar o reequipamento, mas não para pagar salários e reformas a generais!
Título:
Enviado por: AC em Março 19, 2009, 07:05:31 pm
Citação de: "Instrutor"
Deste que esta la estre trambolho dos everino teixeira o que foi o que ja comprou??? Nickls Batatoides, andam a chegar agora os Fragatas Bartolomeu Dias vao chegar os Submarinos os Leopardos e as Pandur tudo graças a anteriores ministros.


Isso é uma afirmação com muito pouca substância..

Todos os programas de aquisição militar tendem a atravessar vários governos, começando na capacidade autónoma das Forças Armadas de definir o que precisam e pesquisar o mercado, e depois pelo acto de formalizar um contracto e finalmente pela gestão desse contracto.

É verdade que já durante o tempo de Paulo Portas como MD  tinham ido elementos do exército inspectionar Leopard 2 alemães e se desenvolviam esforços para a vinda de duas fragatas OHP mas foi só durante o actual governo que a aquisição dos Leopard 2 e das duas Karel Doorman foi concretizada.

Acho que não é senão lógico que atribuamos o crédito (ou descrédito) a quem assumiu o compromisso.
Senão, pela mesma lógica podiamos dizer que os submarinos são obra do Governo do Guterres. Ou quiçá mesmo do Cavaco Silva.
Título:
Enviado por: Instrutor em Março 19, 2009, 07:25:15 pm
O que interesa é que se invista nas FAP isso sim, o poder economico, politico e estratégico, gira tudo em torno de umas Forças Armadas poderosas.
Título:
Enviado por: pmdavila em Março 22, 2009, 08:10:26 pm
NRP Arpão

(http://img407.imageshack.us/img407/4674/nrparpo.jpg) (http://http)


Link da notícia em alemão (http://http)
Título:
Enviado por: Lancero em Março 22, 2009, 11:01:18 pm
Hélice tapada  :G-Ok:
Título:
Enviado por: P44 em Março 23, 2009, 11:24:47 am
Citar
the construction of the second U209PN is basically finished and the sub is just getting ready for its launch. It was towed out of the construction hall and is now outside awaiting its launch.


alguma ideia de quando terá lugar tão "secreto acontecimento"?  :roll:
Título:
Enviado por: pmdavila em Março 23, 2009, 01:48:25 pm
Citação de: "Lancero"
Hélice tapada  :roll:
Título:
Enviado por: Lancero em Março 23, 2009, 02:26:22 pm
Como o SKK aqui explicou, aquela não era a hélice "verdadeira" ;)
Título:
Enviado por: pmdavila em Março 23, 2009, 02:49:29 pm
Citação de: "Lancero"
Como o SKK aqui explicou, aquela não era a hélice "verdadeira" :wink:
Título:
Enviado por: antoninho em Março 23, 2009, 02:55:10 pm
E aí têm uma noticia do Tridente com uma foto de provas no mar....

http://www.kn-online.de/schleswig_holst ... rt=gallery (http://www.kn-online.de/schleswig_holstein/wirtschaft/?em_cnt=82332&em_art=gallery)
Título:
Enviado por: Crypter em Março 23, 2009, 03:15:02 pm
Citação de: "antoninho"
E aí têm uma noticia do Tridente com uma foto de provas no mar....

http://www.kn-online.de/schleswig_holst ... rt=gallery (http://www.kn-online.de/schleswig_holstein/wirtschaft/?em_cnt=82332&em_art=gallery)


É impressão minha, ou tem a bandeira alemã hasteada?
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Março 23, 2009, 03:18:20 pm
Até ser entregue definitivamente a Portugal estão matriculados em Kiel, e hasteiam a bandeira alemã.
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Março 24, 2009, 02:39:01 pm
E aqui vai uma foto do NRP Tridente. (desconheço o autor)
(http://img528.imageshack.us/img528/2444/ro94345.th.jpg) (http://http)
Título:
Enviado por: Instrutor em Março 25, 2009, 05:07:27 pm
Para alem dos torpedos Blackshark que vao equipar os submarinos, ja se sabe alguma coisa sobre os misseis (Sub-Harpoon)?? Vão ser comprados ou nao??
Título:
Enviado por: SSK em Março 25, 2009, 07:16:41 pm
Sabe-se exactamente o que eu já tinha escrito. Não há compras sem dinheiro... Se isto fosse casinhas e carros de combates a incêndios ou algo que desse votos...
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Março 26, 2009, 04:04:39 pm
Citação de: "SSK"
Sabe-se exactamente o que eu já tinha escrito. Não há compras sem dinheiro... Se isto fosse casinhas e carros de combates a incêndios ou algo que desse votos...


E mesmo que fosse...o MAI o que costuma fazer é fazer grandes entregas de viaturas para a populaça ver na TV, à 1ª vista parece muita coisa, mas para as necessidades reais dos Bombeiros/INEM é bastante escasso. :roll:
Título:
Enviado por: João Oliveira Silva em Março 26, 2009, 04:17:27 pm
Citar
mas para as necessidades reais dos Bombeiros/INEM é bastante escasso.


Isto é fugir ao tema deste tópico, mas convém esclarecer isto.
O INEM é pago na integra por uma taxa directa que é debitada a todos os titulares de seguros.
O OGE ainda recebe o que excede no orçamento do INEM e em alguns anos têm sido muita massa
É um abuso o que os políticos da nossa praça fazem.
Fazem-se passar como os verdadeiros arautos e super mecenas quando nós é que pagamos, mas eles fazem o show-off.
Cumprimentos,
Título:
Enviado por: FAAS em Março 27, 2009, 12:23:16 am
Alguém me confirma ou corrige a informação presente a duas ou três páginas atrás que refere os nossos vindouros submarinos como sendo os dois maiores construídos na Alemanha? Acho pouco provável...

Cumprimentos
Título:
Enviado por: Nuno Calhau em Março 27, 2009, 12:28:24 am
Até há bem pouco tempo a Alemanha só tinha submarinos costeiros, não me espanta nada tal afirmação.

Contudo penso, que os que Israel encomendou têm maior tonelagem.

Um Abraço.
Título:
Enviado por: AC em Março 27, 2009, 12:31:12 am
Creio que é verdade.
Supostamente os U-209PN são 10-15% maiores que os U-214 (1700t) o que os coloca nas 1890-1955t e portanto, um pouco maiores que os U-209 normais (1800t).
Por pouco, serão os maiores submarinos que constroem, pelo menos desde a WW2.
Não sei se durante a WW2 não terão construido submarinos maiores.
Título:
Enviado por: Instrutor em Março 27, 2009, 10:33:48 pm
É verdade, que os submarinos portugues sao os maiores jamais construidos na Alemanha, sao cerca de 3 metros mais compridos que o modelo U214 gregos, contudo informação chegada, diz que serão por um breve periodo de tempo, ja que os israelitas vao ou ja encomendaram um ou dois submarinos com um pouco mais de tonelagem face aos nossos. Embora é motivo de orgulho para todos os portugueses, temos os maiores e melhores submarinos convencionais no mundo, pelo menos ate 2016 data prevista da entrega dos submarinos a Israel.
Título:
Enviado por: Instrutor em Março 27, 2009, 10:44:06 pm
Ja agora, qual é o alcance máximo de um torpedo Blackshark??

Artigo interessante:

www.aiad.it/upload/aziende/azienda_/BLACK_engl.rtf (http://www.aiad.it/upload/aziende/azienda_/BLACK_engl.rtf)
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Março 28, 2009, 03:04:35 am
Citar
Ja agora, qual é o alcance máximo de um torpedo Blackshark??


Max Range 50,000 m (164,042 ft), Top Speed 26 mps (50 kt)
Título:
Enviado por: SSK em Março 28, 2009, 02:05:42 pm
Ou um pouquinho mais...

São dados sempre classificados ...
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Março 28, 2009, 07:22:07 pm
Isto é um pouco fora do contexto, mas o que é necessário "fazer" para se ser submarinista?
Título:
Enviado por: P44 em Março 28, 2009, 08:06:48 pm
Mais umas fotos do Tridente  :wink:

http://avozdaabita.blogspot.com/2009/03 ... e-mar.html (http://avozdaabita.blogspot.com/2009/03/nrp-tridente-provas-de-mar.html)
Título:
Enviado por: Crypter em Março 28, 2009, 10:52:13 pm
Citação de: "P44"
Mais umas fotos do Tridente  :wink:

http://avozdaabita.blogspot.com/2009/03 ... e-mar.html (http://avozdaabita.blogspot.com/2009/03/nrp-tridente-provas-de-mar.html)


Agora, comparando com os marinheiros que se vêm, é que da pra ter uma ideia da dimensão do bixo!!
Título:
Enviado por: papatango em Março 28, 2009, 11:51:41 pm
Os U-209PN não são os maiores submarinos convencionais do mundo, nem os maiores submarinos fabricados na Alemanha.

De memória lembro-me dos  TR-1700 classe Santa Cruz para a Argentina são maiores (2264t)  e além disso detêm o recorde de mais rápidos submarinos não nucleares do mundo.
Além dos alemães há submarinos holandeses como os Zwardvis 2600t e os Collins 3400t que são igualmente muito maiores que os U209PN.

Cumprimentos
Título:
Enviado por: Daniel em Março 29, 2009, 09:51:38 am
papatango
Citar
Além dos alemães há submarinos holandeses como os Zwardvis 2600t e os Collins 3400t que são igualmente muito maiores que os U209PN.


Caro papatango, bem vindo, tem andado desaparecido, há fotos desses submarinos holandeses, esses submarinos que idade têm :roll:  c34x
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Março 29, 2009, 12:30:45 pm
Existem também os japoneses da classe Oyashio de 3 600 tons submerso.
http://www.military-today.com/navy/oyashio_class.htm (http://www.military-today.com/navy/oyashio_class.htm)

http://commons.wikimedia.org/wiki/File: ... SS590.JPEG (http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Japanese_Submarine_Oyashio_SS590.JPEG)

classe Collins:
http://www.navy.gov.au/HMAS_Farncomb (http://www.navy.gov.au/HMAS_Farncomb)

classe Walrus HmNls Zwardvis:
http://www.shipspotting.com/modules/mya ... ?lid=62965 (http://www.shipspotting.com/modules/myalbum/photo.php?lid=62965)
Título:
Enviado por: SSK em Março 30, 2009, 04:47:06 pm
Citação de: "Cabecinhas"
Isto é um pouco fora do contexto, mas o que é necessário "fazer" para se ser submarinista?


Primeiro e como é óbvio estar na marinha, depois e independentemente da classe é necessário pertencer a uma especialidade que os submarinos tenham nas suas guarnições. Se reunir estas condições tem ainda de esperar que abram novos cursos de especialização, a seguir tem de passar em testes médicos e psicotecnicos. Claro que só vale a pena concorrer se não gostar de tomar banhos diários ou mesmo semanais, se não gostar de telefonar para a família nem de ver os amigos no messenger e ainda de não saber notícias do que se passa no mundo... Se reunir estas condições e outras tantas que não vale a pena enunciar VENHA DAÍ!!!!....
Título:
Enviado por: Lancero em Março 30, 2009, 04:52:34 pm
Caro SKK, pegando na deixa.
Há um mito (será?) de que há limites de altura e peso para que se possa ser submarinista (embarcado). Corresponde? Ou aplica-se apenas o bom senso?
Título:
Enviado por: TOMSK em Abril 01, 2009, 09:54:33 am
José Sócrates admite cancelar a vinda dos U-209 PN

(http://planetamercuryii.blogs.sapo.pt/arquivo/socrat10.jpg)

"O primeiro-ministro José Sócrates confirmou hoje que o grave défice das contas públicas portuguesas poderá causar o cancelamento de alguns projectos tidos como de "segunda prioridade". Entre eles encontram-se os dois submarinos U-209 PN, adquiridos por Paulo Portas.

José Sócrates escusou-se a responder sobre qual será a trajectória do desequilíbrio das contas públicas em 2009, continuando no entanto a defender a realização das grandes obras públicas.

«Não podemos cometer o erro de nada fazer, este é o momento em que as pessoas e as empresas olham para o Estado. O TGV e o Aeroporto de Alcochete irão criar mais oportunidades para empresas e mais emprego».

Já quanto ao tema dos submarinos, o primeiro-ministro confirmou que a compra está a ser estudada por uma comissão delegada para esse fim pelo PS.

«Não me parece que os submarinos sejam uma prioridade de momento para Portugal. Devo dizer que existe uma forte possibilidade de cancelarmos a compra» afirmou Sócrates.

Se a vontade do primeiro-ministro se concretizar prevê-se um aliviar siginificativo nas contas públicas já este ano."


(Feliz dia das mentiras!)
 :rir:
Título:
Enviado por: LM em Abril 01, 2009, 10:46:35 am
:evil:

Estou fisicamente mal devido à "piada de 1 Abril"... a sério, já estive melhor... porra
Título:
Enviado por: HSMW em Abril 01, 2009, 10:57:03 am
Querem matar-me do coração ou quê!  :x
Título:
Enviado por: psaa em Abril 01, 2009, 11:53:02 am
Bem, esta até deu um calafrio na espinha!   :lol:
Título:
Enviado por: Feinwerkbau em Abril 01, 2009, 01:16:39 pm
o homem ainda lhe vai instaurar um processo por difamação, Sr. TOMSK  :twisted:

acreditei até ao fim  :oops:
Título:
Enviado por: SSK em Abril 01, 2009, 05:15:16 pm
Citação de: "Lancero"
Caro SKK, pegando na deixa.
Há um mito (será?) de que há limites de altura e peso para que se possa ser submarinista (embarcado). Corresponde? Ou aplica-se apenas o bom senso?


Não existe nada de limites, nem mínimos nem máximos, e quanto bom senso é o mesmo que nos outros locais. 0zero0!!!
Título:
Enviado por: Instrutor em Abril 02, 2009, 11:19:06 am
Que susto...... ia tendo um ataque cardiaco........ havia guerra em Portugal se isso acontecesse..... BFFD (BATALHAO de FORISTAS do FORUM DEFESA), nem OE´s nem Comandos nem Paras seguravam a nossa relatiação....... era o cerco total ao Palácio de São Bento..... :lol:  :lol:
Título:
Enviado por: P44 em Abril 02, 2009, 11:30:27 am
o mais giro é se a mentira se torna verdade  :lol:
Título:
Enviado por: Instrutor em Abril 02, 2009, 11:56:39 am
Sim caro P44, e se o senhor Socrates ve esta suposta brincadeira e se aproveita dela para confirmar isso.... ai o senhor TOMSK tem muito que explicar...... a dar ideias ao inimigo??? A isso se chama traição....... e é punida com prisao........ :lol:  :lol:
Título:
Enviado por: teXou em Abril 02, 2009, 01:29:51 pm
Já se treina !  :twisted:

Citar
Las dotaciones de la flotilla de submarinos portugueses reciben formación en Cartagena

Las dotaciones de la flotilla de submarinos portugueses se encuentra desde hoy en Cartagena para recibir formación y entrenamiento en la Escuela de la Base de Submarinos del arsenal militar cartagenero, informó el capitán de navío y jefe de la Flotilla de Submarinos de la Armada de ese país Henrique Melo.


Melo, acompañado por el oficial español de la flota de submarinos Francisco Javier González-Huix realizó una visita de cortesía a la alcaldesa de Cartagena Pilar Barreiro en el Palacio Consistorial donde atendieron a los medios de comunicación.


Henrique Melo señaló que el objetivo de esta escala en la ciudad de Cartagena es que 40 miembros de la dotación que dirige reciban entrenamiento, hasta el próximo día 3 de abril, en el tanque de escape libre de la Escuela de Submarinos de la ciudad.


Los militares portugueses realizarán ejercicios y simulacros sobre cómo escapar de un submarino hundido a la superficie, un ejercicio necesario para poder obtener la certificación que requieren para hacerse cargo los nuevos submarinos que formarán parte de su flota.

El único lugar en toda la península ibérica con una torre de escape libre para poder realizar estos ejercicios es la Escuela de la Base de Submarinos de Cartagena, de ahí que los portugueses hayan elegido España, en vez de Alemania, que era la otra opción.


La Armada portuguesa tiene previsto que el próximo mes de mayo otros 40 miembros de la dotación de la flotilla de submarinos acudan a la base de submarinos de Cartagena para recibir la misma formación.


El simulador del escape libre, ubicado en el edificio de la Escuela de Submarinos de Cartagena, consiste en una torre de diez metros de altura, llena de agua a presión, con una serie de escotillas que simulan las del submarino por la que habría que salir a la superficie.


Previamente a este ejercicio, que las dotaciones de cualquier submarino tienen que realizar al menos una vez al año, deben pasar un entrenamiento en la cámara hiperbárica del Centro de Buceo de la Armada Española en Cartagena. (Link (http://http))
Título:
Enviado por: Lancero em Abril 02, 2009, 03:56:25 pm
Consta é que a viagem de autocarro até lá não correu muito bem...
Título:
Enviado por: teXou em Abril 03, 2009, 09:37:03 pm
:?:  :conf:
Título:
Enviado por: SSK em Abril 03, 2009, 11:51:40 pm
Citação de: "Lancero"
Consta é que a viagem de autocarro até lá não correu muito bem...


Foi um pouco atribulada sim. Foi só um susto...

Nada que demova os submarinistas de cumprir a sua missão com sucesso. Posso adiantar que ao contrário da maior parte dos países nós não tivemos nenhum chumbo neste teste.
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Abril 04, 2009, 11:06:15 am
Ainda bem, pelo menos ainda podemos contar com (algum) factor humano para contrabalançar tudo o resto. :G-Ok:
Título:
Enviado por: Lancero em Abril 06, 2009, 06:07:29 pm
Citar
DATA: 2009-04-03

ACTO: Declaração de rectificação de anúncio n.º 209/2009

D.R. n.º 66 Série II

EMISSOR: Ministério da Defesa Nacional Marinha Superintendência dos Serviços do Material Direcção de Infra-estruturas

Ver página(s) em formato PDF
TEXTO:

MODELO DE ANÚNCIO DO CONCURSO PÚBLICO
Declaração de rectificação de anúncio

1 - IDENTIFICAÇÃO E CONTACTOS DA ENTIDADE ADJUDICANTE
Designação da entidade adjudicante: Ministério da Defesa Nacional
Marinha
Superintendência dos Serviços do Material
Direcção de Infra-Estruturas
Serviço/Órgão/Pessoa de contacto: Divisão Administrativa e Financeira
Endereço: Praça do Comércio
Código postal: 1100 148
Localidade: Lisboa
Telefone: 00351 213217600
Fax: 00351 213255518
Endereço Electrónico: di.daf@marinha.pt

2 - OBJECTO DO CONTRATO
Designação do contrato: Aquisição de Projecto de Execução para a Oficina de Torpedos Pesados "Black Shark"

15 - DATA DE ENVIO DO ANÚNCIO PARA PUBLICAÇÃO NO DIÁRIO DA REPÚBLICA
2009/04/03

17 - OUTRAS INFORMAÇÕES
A presente declaração de rectificação, diz respeito ao anúncio de procedimento n.º 1350/2009, publicado no Diário da República, 2ª série, Parte L, n.º 63, de 31 de Março de 2009.

18 - IDENTIFICAÇÃO DO AUTOR DO ANÚNCIO
Nome: Nelson dos Santos Mateus, Contra-almirante
Cargo: Director
Título:
Enviado por: Lancero em Abril 06, 2009, 06:21:15 pm
Citar
DATA: 2009-04-01

ACTO: Anúncio de procedimento n.º 1370/2009

D.R. n.º 64 Série II

EMISSOR: Ministério da Defesa Nacional Marinha Superintendência dos Serviços do Material Direcção de Navios

Ver página(s) em formato PDF
TEXTO:

MODELO DE ANÚNCIO DO CONCURSO PÚBLICO


1 - IDENTIFICAÇÃO E CONTACTOS DA ENTIDADE ADJUDICANTE
Designação da entidade adjudicante: Ministério da Defesa Nacional
Marinha
Superintendência dos Serviços do Material
Direcção de Navios
Endereço: Base Naval de Lisboa
Código postal: 2810 001
Localidade: Alfeite - Almada
Telefone: 00351 210901300
Fax: 00351 210901479
Endereço Electrónico: www.marinha.pt (http://www.marinha.pt)
Endereço desse serviço: Direcção de Navios
Divisão Administrativa e Financeira
Base Naval de Lisboa
Código postal: 2810 001
Localidade: Alfeite - Almada
Telefone: 00351 210901300
Fax: 00351 210901479
Endereço Electrónico: aquisicoes.dn@marinha.pt (http://mailto:aquisicoes.dn@marinha.pt)

15 - DATA DE ENVIO DO ANÚNCIO PARA PUBLICAÇÃO NO DIÁRIO DA REPÚBLICA
2009/04/01

16 - O PROCEDIMENTO A QUE ESTE ANÚNCIO DIZ RESPEITO TAMBÉM É PUBLICITADO NO JORNAL OFICIAL DA UNIÃO EUROPEIA: Sim

17 - OUTRAS INFORMAÇÕES

Prazo contratual a contar da celebração do contrato:
1º Pontão - 6 meses;
2º Pontão - 12 meses.

18 - IDENTIFICAÇÃO DO AUTOR DO ANÚNCIO
Nome: JORGE MANUEL NOGUEIRA PAIVA - CFR AN
Cargo: CHEFE DA DIVISÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA
Título:
Enviado por: migbar2 em Abril 06, 2009, 10:04:32 pm
Citação de: "Lancero"
Citar
DATA: 2009-04-01

ACTO: Anúncio de procedimento n.º 1370/2009

D.R. n.º 64 Série II

EMISSOR: Ministério da Defesa Nacional Marinha Superintendência dos Serviços do Material Direcção de Navios

Ver página(s) em formato PDF
TEXTO:

MODELO DE ANÚNCIO DO CONCURSO PÚBLICO


1 - IDENTIFICAÇÃO E CONTACTOS DA ENTIDADE ADJUDICANTE
Designação da entidade adjudicante: Ministério da Defesa Nacional
Marinha
Superintendência dos Serviços do Material
Direcção de Navios
Endereço: Base Naval de Lisboa
Código postal: 2810 001
Localidade: Alfeite - Almada
Telefone: 00351 210901300
Fax: 00351 210901479
Endereço Electrónico: www.marinha.pt (http://www.marinha.pt)
Endereço desse serviço: Direcção de Navios
Divisão Administrativa e Financeira
Base Naval de Lisboa
Código postal: 2810 001
Localidade: Alfeite - Almada
Telefone: 00351 210901300
Fax: 00351 210901479
Endereço Electrónico: aquisicoes.dn@marinha.pt (http://mailto:aquisicoes.dn@marinha.pt)

15 - DATA DE ENVIO DO ANÚNCIO PARA PUBLICAÇÃO NO DIÁRIO DA REPÚBLICA
2009/04/01

16 - O PROCEDIMENTO A QUE ESTE ANÚNCIO DIZ RESPEITO TAMBÉM É PUBLICITADO NO JORNAL OFICIAL DA UNIÃO EUROPEIA: Sim

17 - OUTRAS INFORMAÇÕES

Prazo contratual a contar da celebração do contrato:
1º Pontão - 6 meses;
2º Pontão - 12 meses.

18 - IDENTIFICAÇÃO DO AUTOR DO ANÚNCIO
Nome: JORGE MANUEL NOGUEIRA PAIVA - CFR AN
Cargo: CHEFE DA DIVISÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA




Será que vão acabar agora as "bocas" ou ainda vai aparecer alguém a afirmar que ouviu dizer que ouviram dizer que disseram que os pontões vão servir de stand de vendas para os nosso subs???? :roll:
Título:
Enviado por: P44 em Abril 07, 2009, 10:29:26 am
Citar
Las dotaciones de la flotilla de submarinos portugueses reciben formación en Cartagena


Mas os espanhois não eram aqueles que não percebiam nada de submarinos, e tinham-nos todos avariados???? :twisted:
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Abril 07, 2009, 10:50:04 am
Treinar é uma coisa, fazer é outra...percebes a diferença não percebes?! :lol:

Os Espanhóis a esse nível estão numa posição invejável, graças a um investimento brutal na área, eles agora têm simuladores para tudo e mais alguma coisa (estou a falar não na área naval mas sim na Escola de Pára-quedismo, mas presumo que na scola de Submarinos seja a mesma coisa).
Título:
Enviado por: SSK em Abril 07, 2009, 07:20:25 pm
Citação de: "P44"
Citar
Las dotaciones de la flotilla de submarinos portugueses reciben formación en Cartagena

Mas os espanhois não eram aqueles que não percebiam nada de submarinos, e tinham-nos todos avariados???? :twisted:


Foi somente o teste de Escape/Ascensão livre. Não houve formação para além desta
Título:
Enviado por: old em Abril 08, 2009, 09:31:37 am
Como curiosidad

¿cual es la base de los Tridente y Harpon?

(bonitos nombres)
Título:
Enviado por: TOMSK em Abril 08, 2009, 09:51:02 am
Citação de: "old"
Como curiosidad

¿cual es la base de los Tridente y Harpon?

(bonitos nombres)


Suponho que se refere à "Base" Naval de Lisboa, no Alfeite-Almada.
Título:
Enviado por: U209PN em Abril 09, 2009, 07:49:12 pm
NRP TRIDENTE S167 & PAPANIKOLIS S120
De volta a kiel 4/7/09

http://media.shipspotting.com/uploads/p ... 120%29.jpg (http://media.shipspotting.com/uploads/photos/rw/871669/Ship+Photo+NRP+TRIDENTE+%28S+167%29+%26+PAPANIKOLIS+%28S120%29.jpg)

http://media.shipspotting.com/uploads/p ... 120%29.jpg (http://media.shipspotting.com/uploads/photos/rw/871671/Ship+Photo+NRP+TRIDENTE+%28S+167%29+%26+PAPANIKOLIS+%28S120%29.jpg)
Título:
Enviado por: U209PN em Abril 09, 2009, 07:52:02 pm
mais uma...

http://media.shipspotting.com/uploads/p ... 120%29.jpg (http://media.shipspotting.com/uploads/photos/rw/871673/Ship+Photo+NRP+TRIDENTE+%28S+167%29+%26+PAPANIKOLIS+%28S120%29.jpg)
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Abril 09, 2009, 08:43:41 pm
Tem uma cacetada à proa abaixo da linha de água, ou é impressão minha!!! :shock:
Título:
Enviado por: ShadIntel em Abril 09, 2009, 09:18:08 pm
Citação de: "luis filipe silva"
Tem uma cacetada à proa abaixo da linha de água, ou é impressão minha!!! :shock:

Não sei se é uma cacetada, mas veja nesta página uma fotografia do mês de Fevereiro, já lá estava essa sombra:

http://www.forumdefesa.com/forum/viewto ... &start=750 (http://www.forumdefesa.com/forum/viewtopic.php?t=294&postdays=0&postorder=asc&start=750)
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Abril 24, 2009, 09:11:35 am
Declaração de rectificação de anúncio n.º 262/2009. D.R. n.º 80, Série II de 2009-04-24.

Ministério da Defesa Nacional Marinha Superintendência dos Serviços do Material Direcção de Infra-estruturas

Aquisição de Projecto de Execução para a Oficina de Torpedos Pesados "Black Shark"
Título:
Enviado por: Vicente de Lisboa em Abril 24, 2009, 09:26:51 am
Citação de: "PereiraMarques"
Declaração de rectificação de anúncio n.º 262/2009. D.R. n.º 80, Série II de 2009-04-24.

Ministério da Defesa Nacional Marinha Superintendência dos Serviços do Material Direcção de Infra-estruturas

Aquisição de Projecto de Execução para a Oficina de Torpedos Pesados "Black Shark"

Alguém passa isso por um tradutor MarinhaBurucratês - Português aqui para os newbies por favor?  :?
Título:
Enviado por: JMM em Abril 24, 2009, 10:03:25 am
Provavelmente quer dizer que vão contratar externamente o projecto para a oficina para a manutenção dos Blackshark. Mal comparado é como abrir um concurso para Arquitectos nos desenharem a casa que queremos construir.

Um abraço
João
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Abril 24, 2009, 11:39:14 am
Tem alguma coisa a ver com o facto de os virmos a produzir ou é só a sua manutenção?
Título:
Enviado por: P44 em Abril 24, 2009, 12:03:55 pm
oficina de manutenção
Título:
Enviado por: sivispacem em Abril 24, 2009, 12:54:36 pm
Citação de: "P44"
oficina de manutenção


Só uma achega... não se esqueçam que estamos a falar de 'bichos' com perto de 6m de comprimento e umas boas centenas de kgs de peso (acho eu, de memória...)

Acresce o facto de estarem 'n' gerações à frente dos anteriores L3 (ou seriam L4??)...

Não podem ser alvo de uma manutenção feira em qualquer vão de escada... :o))

Para mais informações:
http://www.aviationweek.com/aw/generic/ ... o%20Market (http://www.aviationweek.com/aw/generic/story_generic.jsp?channel=dti&id=news/DTITORP.xml&headline=Submarine%20Orders%20Are%20a%20Boon%20for%20Torpedo%20Market)

Cmpts

CF
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Abril 24, 2009, 02:57:08 pm
Do pouco que eu sei acerca do assunto.
Nas oficinas de manutenção são efectuadas as revisões periódicas dos torpedos, substituição de componentes com um prazo tais como o combustível, carregamento de baterias, instalação dos cabos de comando do torpedo, e preparação dos torpedos de exercício. Essas oficinas têm ferramentas específicas de modelo para modelo. Os torpedos Mk 46 são intervencionados nas instalações do Marco do Grilo.

ver mais aqui:
http://www.marinha.pt/extra/revista/ra_ ... ag_23.html (http://www.marinha.pt/extra/revista/ra_set_out2006/pag_23.html)
Título:
Enviado por: SSK em Abril 25, 2009, 05:44:35 pm
Citação de: "luis filipe silva"
Do pouco que eu sei acerca do assunto.
Nas oficinas de manutenção são efectuadas as revisões periódicas dos torpedos, substituição de componentes com um prazo tais como o combustível, carregamento de baterias, instalação dos cabos de comando do torpedo, e preparação dos torpedos de exercício. Essas oficinas têm ferramentas específicas de modelo para modelo. Os torpedos Mk 46 são intervencionados nas instalações do Marco do Grilo.

ver mais aqui:
http://www.marinha.pt/extra/revista/ra_ ... ag_23.html (http://www.marinha.pt/extra/revista/ra_set_out2006/pag_23.html)


Nem mais....

Os L3 têm a sua manutenção assegurada no Marco do Grilo. Os Black Shark vão ter a sua manutenção , configuração e interpretação de dados no mesmo sítio.



http://www.wass.it/WASSWEB/brochure/black_shark.pdf
Título:
Enviado por: Lancero em Abril 26, 2009, 05:57:00 pm
(http://media.shipspotting.com/uploads/thumbs/rw/886403_800/Ship+Photo+NRP+TRIDENTE+%28S+167%29.jpg)

(http://media.shipspotting.com/uploads/thumbs/rw/886404_800/Ship+Photo+NRP+TRIDENTE+%28S+167%29.jpg)

Citar
On trials Kieler Förde 2009/04/23
Photo by Dieter Luetkenhorst
New Class Type U-209PN to be delivered to portugese navy in 2009/2010 + sister NRP ARPAO(S168


http://www.shipspotting.com/modules/mya ... 04&cid=170 (http://www.shipspotting.com/modules/myalbum/photo.php?lid=886404&cid=170)
Título:
Enviado por: Lancero em Abril 29, 2009, 10:44:18 am
Olhós juntinhos  :)


(http://media.shipspotting.com/uploads/thumbs/rw/888221_800/Ship+Photo+NRP+ARPAO+%28S168%29+%26+NRP+TRIDENTE+%28S167%29.jpg)

Citar
Kiel HDW 2008/04/28 a lot work left....
New Class Type U-209PN to be delivered to portugese navy in 2009/2010


E só o Arpão

(http://media.shipspotting.com/uploads/thumbs/rw/888649_800/Ship+Photo+NRP+ARPAO+%28S168%29.jpg)

(http://media.shipspotting.com/uploads/thumbs/rw/888219_800/Ship+Photo+NRP+ARPAO+%28S168%29.jpg)


http://www.shipspotting.com/search.php? ... on=results (http://www.shipspotting.com/search.php?query=U-209PN&action=results)
Título:
Enviado por: P44 em Abril 29, 2009, 03:03:20 pm
e já há mais.... :D

(http://media.shipspotting.com/uploads/thumbs/rw/888651_800/Ship+Photo+NRP+TRIDENTE+%28S+167%29.jpg)

(http://media.shipspotting.com/uploads/thumbs/rw/888652_800/Ship+Photo+NRP+TRIDENTE+%28S+167%29.jpg)

(http://media.shipspotting.com/uploads/thumbs/rw/888653_800/Ship+Photo+NRP+TRIDENTE+%28S+167%29.jpg)

Citar
On her way to trials Kieler Förde outbound 2009/04/29
New TKMS Class Type U-209PN to be delivered to portugese navy in2009/2010
Título:
Enviado por: Instrutor em Abril 30, 2009, 11:27:31 am
Ja se sabe a data da chegada do Tridente a Portugal?? Ja acabaram os testes no mar??
Título:
Enviado por: P44 em Abril 30, 2009, 02:32:07 pm
Citação de: "Instrutor"
Ja se sabe a data da chegada do Tridente a Portugal?? Ja acabaram os testes no mar??


o Tridente vai começar Agora os testes de mar propriamente ditos (ver legenda acima). Até agora fez testes em "águas rasas"

Antes desta crise a entrega estava prevista para 2010 (défice oblige), agora como o défice já não interessa para nada pode ser que venha mais cedo????
Título:
Enviado por: Instrutor em Abril 30, 2009, 02:55:00 pm
E o Arpão, como esta o seu processo??
Título:
Enviado por: P44 em Abril 30, 2009, 05:34:48 pm
o Arpão era para ser entregue em 2011
Título:
Enviado por: Instrutor em Maio 01, 2009, 12:27:18 am
Com o defice arrebentado pode ser que venha em 2010....  :lol:  :lol:
Título:
Enviado por: Ricardo em Maio 20, 2009, 06:18:45 pm
http://ema.marinha.pt/NR/rdonlyres/0712 ... _209PN.pdf (http://ema.marinha.pt/NR/rdonlyres/0712367C-CF96-4A68-98D6-A0719FBF46CA/0/Submarinos_Convencionais_209PN.pdf)
Título:
Enviado por: P44 em Junho 17, 2009, 12:55:09 pm
NRP ARPÃO

(http://media.shipspotting.com/uploads/thumbs/rw/923743_800/Ship+Photo+NRP+ARPAO+%28S168%29.jpg)

http://www.shipspotting.com/modules/mya ... lid=923743 (http://www.shipspotting.com/modules/myalbum/photo.php?lid=923743)
Título:
Enviado por: Nuno Calhau em Junho 17, 2009, 04:14:35 pm
O NaCl é tramado! :shock:

Um Abraço.
Título:
Enviado por: Lancero em Junho 17, 2009, 08:33:08 pm
Citar
Defesa: Severiano Teixeira em Kiel no baptismo de novo submarino "Arpão"

Berlim, 17 Jul (Lusa) - O ministro da Defesa Nacional, Nuno Severiano  Teixeira, assiste na quinta-feira, em Kiel, Alemanha, ao baptismo e lançamento  à água do submarino "Arpão", encomendado por Portugal em 2004, disse hoje  à Lusa uma fonte diplomática.  

 

   O "Arpão" é um dos dois novos submarinos do tipo U-209/PN encomendados  pela Marinha Portuguesa ao German Submarine Consortium, empresa do grupo  Thyssen Krupp.  

 

   No total, os dois submersíveis, considerados dos mais modernos do mundo,  custarão mil milhões de euros.  

 

   A compra integra-se no programa de renovação da frota da Armada, que  deverá estar concluída em 2012.  

 

   O outro submarino, o "Tridente", foi baptizado em Kiel a 15 de Julho  de 2008, será entregue a Portugal em 2010, e o "Arpão no ano seguinte. Depois  das fases de testes e de instrução das respectivas tripulações, já em alto  mar.  

 

   A cerimónia de baptismo do "Arpão" decorre de manhã no estaleiro alemão  Howaldtswerke Deutsche Werft (HDW), em Kiel, e nela participam, além de  Severiano Teixeira, o chefe do Estado Maior da Armada, Almirante Melo Gomes,  o chefe da Esquadra Portuguesa de Submarinos, capitão de mar e guerra Gouveia  e Melo, e os deputados da comissão de assuntos parlamentares de defesa Agostinho  Gonçalves (PS), Henrique Freitas (PSD) e João Rebelo (CDS-PP).  

 

   A madrinha do "Tridente" será a antiga primeira dama, Maria Barroso.  

 

   Portugal encomendou, em 2004, os dois submarinos alemães ao HDW, maior  fabricante mundial de submarinos não nucleares, após rejeitar a proposta  francesa do Scorpéne, dos estaleiros DCNI.  

 

   O "Tridente" e o "Arpão", com 68 metros de comprimento e uma tripulação  de 32 efectivos,  atingem avelocidade máxima de 20 nós e têm autonomia de  45 dias.  

 

   Os motores são movidos a "fuel cell", o que os torna particularmente  silenciosos e sem combustão, dificultando o reconhecimento por forças inimigas.  

 

   A sua aquisição, decidida pelo anterior ministro da Defesa Nacional,  Paulo Portas, destinou-se a substituir os únicos submersíveis da classe  Albacora que a Armada actualmente possui, o "Barracuda" e o "Delfim", ambos  em fim de vida.  

 

   O "Barracuda" é o único sobmarino português no activo, e já navega há  41 anos.  
Título:
Enviado por: Chicken_Bone em Junho 17, 2009, 09:03:06 pm
Fogo! Não imaginava que cagassemos tanto dinheiro! 1000 milhões por 2 submarinos?!

Citar
Defesa: Severiano Teixeira em Kiel no baptismo de novo submarino "Arpão"
19h57m

Berlim, 17 Jul (Lusa) - O ministro da Defesa Nacional, Nuno Severiano Teixeira, assiste na quinta-feira, em Kiel, Alemanha, ao baptismo e lançamento à água do submarino "Arpão", encomendado por Portugal em 2004, disse hoje à Lusa uma fonte diplomática.

O "Arpão" é um dos dois novos submarinos do tipo U-209/PN encomendados pela Marinha Portuguesa ao German Submarine Consortium, empresa do grupo Thyssen Krupp.

No total, os dois submersíveis, considerados dos mais modernos do mundo, custarão mil milhões de euros.


http://jn.sapo.pt/PaginaInicial/Interio ... id=1265174 (http://jn.sapo.pt/PaginaInicial/Interior.aspx?content_id=1265174)
Título:
Enviado por: migbar2 em Junho 17, 2009, 09:37:58 pm
Citação de: "Chicken_Bone"
Fogo! Não imaginava que cagassemos tanto dinheiro! 1000 milhões por 2 submarinos?!





Então o caro forista pensava que eram de graça?
E depois aqui a malta passa o tempo a pedir mais equipamento e tal, que não temos nada e etc...O que é moderno e sofisticado sai caro. Há que ter opções! Se não se tem, ai Jesus que não há, mas se se tem, ai Jesus que é tão caro...curioso!
Título:
Enviado por: Jorge Pereira em Junho 17, 2009, 11:43:55 pm
Olha, olha!  :roll:

Ou talvez alguém lhes explicou a importância dos submarinos para Portugal!

Nada como reconhecermos os nossos erros a tempo de emendar. :twisted:
Título:
Enviado por: pchunter em Junho 18, 2009, 12:09:06 am
Para que servem os submarinos NRP Tridente e NRP Arpão?

Artigo interessante, vale a pena ler.

http://www.naval.com.br/blog/?p=12112
Título:
Enviado por: Instrutor em Junho 18, 2009, 01:06:25 am
Excelente texto e com um grau enorme de veracidade.
Temos de continuar a modernizar as nossas Forças Armadas. Serão elas o nosso principal pilar num futuro incerto, se queremos estabilidade tanto social, económica e política nada melhor que possuirmos umas Forças Armadas Operacionais e Modernas, isto dos submarinos é um pequeno passo para a nossas auto-afirmação num Mundo cada vez mais heliocentrico.
Título:
Enviado por: Carlos Barbosa em Junho 18, 2009, 10:12:58 am
Li o artigo e naturalmente acho um pouco “visionário de superioridade” que coloca num ponto de ficção científica.
Em relação ás característica do nosso submarino, até posso dizer que estão correctas. É um bom submarino, vem-nos dar um poderio que há muito não se tinha nas nossas água e irá trazer o respeito de outras nações.
Agora fazer comparações com algumas classes de submarinos, bem isso já não sei,..  dizer ou indirectamente mostrar que é “melhor”… sem comentários.
Outro ponto, acho-o sem razão e não há veracidade alguma. Independência da Madeira ou Açores, Seria bom para Espanhóis e Americanos. Em que parte entra o submarino, em caso de independência irá atacar o quê e quem?
Há vozes aqui na ilha que reclamam essa palavra de independência… (isso eu sei) mas como estado soberano iríamos viver de que? Bananas e peixe espada preto, lololol  ;)
Título:
Enviado por: P44 em Junho 18, 2009, 11:08:07 am
já pintado de fresco ;)

(http://media.shipspotting.com/uploads/thumbs/rw/925470_800/Ship+Photo+NRP+ARPAO+%28S168%29.jpg)

http://www.shipspotting.com/modules/mya ... lid=925470 (http://www.shipspotting.com/modules/myalbum/photo.php?lid=925470)
Título:
Enviado por: Daniel em Junho 18, 2009, 03:14:33 pm
Carlos Barbosa

Citar
P.S: Atenção, não me vêm com a história que a Madeira existe graças aos dinheiros de Lisboa. Isso é assunto para um tópico só relacionado com isto.


A história é simples, a Madeira existe graças a sua descoberta por portugueses, como tal é Portugal, isso nem se descute, quanto a essas vozes existe um bom remédio, outra coisa a madeira não existe graças ao dinheiro de lisboa, mas sim sobrevive graças a esse dinheiro. c34x
Título:
Enviado por: Lancero em Junho 18, 2009, 04:31:55 pm
(http://i180.photobucket.com/albums/x137/Lancero4/junho09/20090618135902ENLUS0176478312453335.jpg)

Citar

Maria de Jesus Simoes Barroso Soares, wife of former Portuguese President Mario Soares, christens the new submarine boat 'N.R.P. Arpao' for the Portuguese navy on the premises of the 'Howaldswerke - Deutsche Werft GmbH' in Kiel, Germany, 18 June 2009. The boat of the class 209PN is 68 metres long and is inteded for a crew of 32 people. The submarine boat has both an electrical engine and a fuel-cell power plant.
Título:
Enviado por: Carlos Barbosa em Junho 18, 2009, 05:54:54 pm
Citação de: "Daniel"
Carlos Barbosa

Citar
P.S: Atenção, não me vêm com a história que a Madeira existe graças aos dinheiros de Lisboa. Isso é assunto para um tópico só relacionado com isto.

A história é simples, a Madeira existe graças a sua descoberta por portugueses, como tal é Portugal, isso nem se descute, quanto a essas vozes existe um bom remédio, outra coisa a madeira não existe graças ao dinheiro de lisboa, mas sim sobrevive graças a esse dinheiro. c34x



Resposta errada.
São de dinheiros da UE, divisas internas e o resto que vem de Lisboa. Nesse ponto de vista de sobrevivência Portugal era só Lisboa o resto era deserto, pois todas as regiões beneficiam do Orçamento Anual. Se fosse só desse dinheiro a Madeira tal como o resto das zonas do país não estariam desenvolvidas. Mais uma achega e para não teres dúvidas. Durante muitos e muitos anos tudo o que era tributado aqui na ilhota, IVA, IRS, IRC todo o tipo de burocracia onde era necessário pagar, impostos relacionados com o ramo do imobiliário, veículos, etc etc etc etc; era canalizado para o Governo Central. Há muito pouco tempo esses dinheiros começaram a ficar na ilha, daí o orçamento da Madeira ser cada vez mais baixo em relação ao passado. Por sua vez, nos media o Alberto João Jardim diz que a república deve dinheiros á Madeira. Se fizermos as contas do valor que já foi para o GC e aquilo que já foi atribuído á Madeira a percentagem é muito baixa (São essa bocas que o AJJ manda para Lisboa que dá uma péssima imagem da ilha). Aquilo que ouves na TV ou lês em jornais de uns pseudo-comentadores que nunca tiveram na Madeira é preciso saber a história dos factos.
Desculpem-me deste off-topic, é preciso perceber a realidade das coisas, compreender  que Portugal é grande, em território, mar e espaço aéreo mas peca por vezes pela informação que as pessoas têm.
Sou português e morrerei assim.
Como eu disse isto dá um novo tópico

P.S: Em relação ao AJJ, é um tipo que desce a um nível mauzinho, detesto que o faça. Lá governar a ilha ele sabe, isso está á vista de todos.
Título: U209PN.
Enviado por: tsahal em Junho 18, 2009, 07:32:27 pm
Aqui ficam algumas fotos do Arpão e Tridente.
http://poadu.wordpress.com (http://poadu.wordpress.com)
Título:
Enviado por: P44 em Junho 18, 2009, 08:51:47 pm
epa , vão discutir a Madeira para o tópico respectivo!
Título:
Enviado por: cromwell em Junho 18, 2009, 09:22:32 pm
Citar
Submarino "Arpão" é hoje lançado à água
18-06-2009 0:00
 
 
 

É hoje lançado à água em Kiel - Alemanha o segundo dos dois novos submarinos da Marinha Portuguesa, que será baptizado como NRP “Arpão".
A entrada ao serviço dos dois novos submarinos irá permitir a substituição da antiga esquadrilha de submarinos franceses da classe "Albacora", da qual só se encontra ao serviço o NRP “Barracuda".
 



Os submarinos contribuem para a prossecução das missões da Marinha e constituem-se como vectores militares estratégicos do poder naval. Os novos SS PO 2000 têm capacidade para missões de protecção e apoio a forças navais e anfíbias, como vigilância, reconhecimento, recolha de informações de forma discreta em zonas hostis, projecção de força e manutenção de paz. No âmbito do contra-terrorismo, têm capacidade para o combate ao narcotráfico, de forma coordenada com outros organismos de Estado e internacionais, e para operações submarinas, contra navios de superfície e outros submarinos, ou com o objectivo de interditar áreas, portos, faixas costeiras e zonas de navegação de interesse.

Desde 1913 que a Marinha opera com submarinos, como parte integrante do poder naval nacional. Com a necessidade de manutenção da sua capacidade submarina, foi contratada, em 21 de Abril de 2004, a construção de dois submarinos do tipo U-209/PN. Aquando da celebração deste contrato, em Kiel, na Alemanha, ficou também garantida a formação das duas futuras guarnições e de um grupo da Esquadrilha de Submarinos e do Arsenal do Alfeite para a área da manutenção.

A futura guarnição do NRP "Arpão" conta com 33 militares, dos quais 7 oficiais, 10 sargentos e 16 praças. Consegue atingir uma velocidade máxima de 20 nós, bem como garantir uma autonomia máxima de 45 dias. Quanto às armas, tem capacidade para lançar mísseis, de defesa aérea e luta de superfície, e capacidade para lançar torpedos, de luta de superfície e subsuperfície.
 
Título:
Enviado por: typhonman em Junho 18, 2009, 10:57:32 pm
Citação de: "P44"
epa , vão discutir a Madeira para o tópico respectivo!


x2
Título:
Enviado por: Instrutor em Junho 18, 2009, 11:08:54 pm
Bem isso da Madeira e dos Açores nem comento.
Maravilhem-se é com estas excelentes fotos dos nosso meninos.....
Título:
Enviado por: Instrutor em Junho 18, 2009, 11:11:32 pm
Digam-se so uma coisa, isto da intenção da vinda de um terceiro submarino, nao passou mesmo disso intenção???????? Ou ainda se qustiona a vinda de um terceiro submarino? como vi neste site...

http://forumarmada.no.sapo.pt/Esquadra.html (http://forumarmada.no.sapo.pt/Esquadra.html)
Citar: "Construtor: HDW, como parte do German Submarine Consortium (HDW, Thyssen Nordseewerke, Ferrostaal)

Deslocamento (ton.): 1850 à superfície / 2020 em imersão

Dimensões (comprimento x diâmetro do casco resistente x calado à superfície): 67,9 x 6,3 x 6,6 metros

Máxima profundidade operacional: 400 m

Velocidade (nós): 20 (máxima em imersão), 12 (superfície)

Máxima autonomia: 45 dias

Máxima autonomia em imersão contínua: 350 mn / 1400 mn com AIP

Armamento:

- 8 x tubos lança-torpedos de 533mm para WASS Black Shark

- Minas

- Mísseis anti-superfície UGM-84 Sub Harpoon

Guarnição: 33

Descrição: Quinze anos depois de o EMA ter iniciado o processo, e cinco após ter sido lançado o concurso, em Setembro de 2003 foi finalmente escolhido o novo tipo de submarino a equipar a Armada, o modelo alemão designado por U209PN, com características e capacidades equivalentes ao modelo alemão U214 e à classe israelita Dolphin. O contrato-programa, assinado a 21 de Abril de 2004 com o German Submarine Consortium, compreende a aquisição imediata de dois submarinos e a opção por um terceiro mais tarde, além da infra-estrutura destinada à nova classe. No entanto, em 2004 foi anunciado que a Marinha não tenciona efectivar a opção pelo terceiro submarino, por não o julgar necessário. Com datas de entrega originalmente agendadas para o 2º semestre de 2009 e 1º de 2010, estas foram no entanto adiadas por um ano de acordo com a LPM aprovada em Julho de 2006. Esta esquadrilha destina-se a substituir a classe Albacora. Serão os primeiros submarinos portugueses com sistema de propulsão independente de ar (AIP), mísseis anti-navio e a poderem embarcar tripulantes femininos."
Título:
Enviado por: nelson38899 em Junho 18, 2009, 11:16:03 pm
Citação de: "Instrutor"
Digam-se so uma coisa, isto da intenção da vinda de um terceiro submarino, nao passou mesmo disso intenção???????? Ou ainda se qustiona a vinda de um terceiro submarino?


Para ser sincero, num futuro próximo só teremos 5 fragatas e dois sub. Por isso acho que foi mesmo só uma intenção.
Título: U209PN
Enviado por: tsahal em Junho 19, 2009, 12:03:39 am
Um terceiro é necessario. A tactica de operação de submarinos diz que para uma força naval ser operacionalmente credivel tem que ter no minimo 3 subs. Um em manutenção, um em porto ready to sail e um em operação.

Penso que futuramente será adquirido um 3 mas trata-se da minha opinião pessoal, ou seja vale o que vale.
Título: Re: U209PN
Enviado por: nelson38899 em Junho 19, 2009, 09:01:41 am
Citação de: "tsahal"
Um terceiro é necessario. A tactica de operação de submarinos diz que para uma força naval ser operacionalmente credivel tem que ter no minimo 3 subs. Um em manutenção, um em porto ready to sail e um em operação.

Penso que futuramente será adquirido um 3 mas trata-se da minha opinião pessoal, ou seja vale o que vale.


Apesar de tacticamente ser necessário, não estou a ver o governo a gastar mais 500 milhões de euros a não ser que esse sub seja construído em Portugal. Desta forma seria, um forma de contornar a contestação que tem havido com a compra dos sub. Porque não se esqueçam que compra de armamento nunca deu votos. E os políticos vivem desses votos.
Título:
Enviado por: cromwell em Junho 19, 2009, 09:30:23 am
O que era necessário em vez do terceiro submarino era uma fragata de defesa aérea, para ser a flagship da nossa marinha.
Título:
Enviado por: tgcastilho em Junho 19, 2009, 01:34:41 pm
Citação de: "cromwell"
O que era necessário em vez do terceiro submarino era uma fragata de defesa aérea, para ser a flagship da nossa marinha.


Matar pardais?
Título:
Enviado por: nelson38899 em Junho 19, 2009, 02:30:26 pm
Citação de: "tgcastilho"
Citação de: "cromwell"
O que era necessário em vez do terceiro submarino era uma fragata de defesa aérea, para ser a flagship da nossa marinha.

Matar pardais?


Na lista de pardais podemos incluir F18, eurofighters, Harriers e F-16C/D Block 50/52???
Título:
Enviado por: SSK em Junho 19, 2009, 03:39:41 pm
Citar
Post retirado do Blog do Poder Naval (brasileiro) em 17JUN [http://www.naval.com.br/blog/], o qual tece alguns considerandos curiosos sobre os SSGs da classe Tridente.

 

Sito:

 
Para que servem os submarinos NRP Tridente e NRP Arpão?

 

A aquisição de duas fragatas holandesas muito modernas com baixa assinatura radar e excelente equipamento de combate a juntar às três “Vasco da Gama” e a próxima chegada a Portugal dos dois submarinos NRP “Tridente” e NRP “Arpão” (U-209PN) vieram proporcionar à Marinha de Guerra portuguesa um excelente poder militar.

A Espanha possui armamento naval muito superior. Contudo, na leitura de certos blogs militares do país vizinho, verifica-se que está a causar um engulho muito grande a presença dos dois U-209PN (U-214) naquilo que para a Marinha espanhola foi sempre o seu mar e para os portugueses é naturalmente o mar português que se estende à vasta zona exclusiva marítima dos Açores e da Madeira. Os espanhóis escrevem algumas vezes que as águas territoriais portuguesas são a ponte marítima entre o Norte e o Sul da Espanha, sendo, por isso, vitais para os interesses castelhanos.

Além disso, para a Marinha Espanhola, Portugal foi sempre um pequeno país pobre e coitadinho, apesar de estar no trigésimo lugar entre os mais ricos per capita no Mundo num universos de quase 200 nações.
Portugal mostrou já que foi capaz de conter o défice e construir condições para o investimento público. Claro, a crise económica e financeira mundial veio alterar a situação, mas neste campo, os países mais avançados estão a sofrer muito mais que Portugal.

Não devemos esquecer que da grande crise e depressão de 1929-39 resultaram duas guerras importantes para Portugal, a guerra civil espanhola de 1936-39 e a II. Guerra Mundial de 1939-45. Em ambas, Portugal não foi envolvido porque possuía uma liderança forte e o país estava unido, mesmo que à força, mas isso blindou Portugal das influências e apetites estrangeiros que poderiam atirar o País para uma guerra que não era a sua e de que sairia sempre muito prejudicado, principalmente em vidas humanas.

Alguns sinais de uma possível ameaça espanhola começam a ser vislumbrados hoje, traduzida na forma agressiva como empresas de comunicação social, inteiramente detidas por capitais espanhóis, leia-se Prisa, procuram desestabilizar a governação portuguesa e impedir que o País venha a ser dotado de uma liderança forte que não se vergue a medos patológicos. As pátrias subsistem ao longo de séculos com sacrifícios pessoais e raramente só com benefícios imediatos. Perdida ou reduzida uma independência é que se vem a saber qual o custo dessa perda. O medo é sempre o maior inimigo de um povo.

Os dois novos submarinos serão, sem dúvida, respeitados por qualquer submarino nuclear de ataque norte-americano como os da classe “Los Angeles” muito ruidosos ou da nova classe “Virgínia” muito simplificados.
Há quem diga que duas unidades são poucas, mas a verdade é que a manutenção dos U 209PN é mais rápida e simples, como dizem os especialistas, e se o ideal de ter três unidades não foi conseguido, as duas representam já algo.

Pelas suas características de silêncio absoluto, quase nula assinatura sonar e capacidade para navegarem em profundidade durante um largo tempo sem serem detectados por navios ou submarinos adversos, os U 209PN serão verdadeiros “guerrilheiros” do mar, temíveis por poderem atacar submarinos, navios de superfície e mesmo importantes alvos terrestres.

Curiosamente, a detecção deste tipo de submarinos por forças adversas baseia-se não na procura do ruído que não fazem, mas antes na ausência de ruído, isto é, num chamado “buraco de silêncio” relativamente ao ruído habitual dos peixes no mar, o que pode ser evitado pela emissão de ruído marítimo gravado no submarino.
Os novos submarinos poderão impedir o apoio marítimo a uma tentativa independentista dos arquipélagos da Madeira e dos Açores que poderão procurar noutros lados os apoios financeiros que o Continente pode não estar em condições de dar. E não têm faltado ameaças de, pelo menos, um governo regional.

Os EUA teriam sempre interesse numa Madeira e nuns Açores independentes que se tornariam em seus protectorados. Uma Espanha também teria o mesmo interesse, principalmente se Portugal estivesse desgovernado por falta de uma maioria parlamentar ou por lutas intestinas muito graves.

Numa situação dessas, do exterior poderia não haver invasão, mas apenas “apoio humanitário” em medicamentos e, porque não, armas como mísseis anti-navio e anti-aéreos embalados em caixotes com o emblema da Cruz Vermelha Internacional, embarcados num navio mercante. O torpedeamento ou obrigação de paragem de navios “humanitários” faria mudar a situação radicalmente sem que as marinhas estrangeiras estivessem interessadas num combate. É que os meios bélicos próprios para o combate não servem sempre para isso sob o ponto de vista político. Uma coisa é a “ajuda humanitária”, outra coisa é o combate em águas territoriais de outro país. O inverso não é o mesmo. A nação jurídica tem todo o direito de travar combate seja contra quem for no seu território ou no mar adjacente e o direito internacional não o pode impedir.

Os dois submarinos são um instrumento do direito do Estado português que pode ameaçar todo e qualquer contraventor desse mesmo direito e podem impedir a tempo uma situação do tipo Kosovo. Nenhum marinha estaria à vontade nos mares insulares, sabendo da presença de um terrível e invisível inimigo.
As forças armadas de um pequeno país destinam-se a obrigar um agressor a travar combate. Esse facto é intolerável no âmbito do direito internacional, apesar de nem sempre ser bem sucedido.

Recorde-se que apoios “humanitários” do tipo referido não têm faltado no Mundo desde 1945 até hoje.
A crescente desorganização da União Europeia devido à crise leva-nos a imaginar o seu quase desmembramento. Actualmente, cada nação trabalha por sua conta. Já não há disciplina na zona Euro e ninguém sabe o que fazer. O proteccionismo instala-se e pouco falta para surgirem apetites bélicos para desviar as atenções dos 30 a 40 milhões de desempregados que poderão ser registados até ao fim do ano corrente.

A tão morosa unidade europeia pode desaparecer de um dia para o outro e ser substituída por eixos como o de Paris-Berlim e, porque não, Paris-Berlim-Madrid. Esse sim, muito perigoso para Portugal a oeste e para a Polónia a leste.
Mesmo fora de um cenário europeu. Os dois submarinos ultra-silenciosos podem intervir para a defesa de cidadãos e interesses portugueses na Guiné, por exemplo, apesar de que as actuais fragatas serão aí suficientes como se verificou no passado relativamente recente. Mas uma unidade submarina pode fazer desembarcar mais facilmente uma pequena força de fuzileiros para libertar portugueses, salvar um chefe de Estado ou observar de perto certas situações ameaçadoras. Os dois submarinos não servem verdadeiramente como arma de agressão, mas apenas como arma defensiva e psicológica com poder real.

Num país com uma certa força aérea, a presença invisível de submarinos portugueses poderia servir também como arma psicológica na defesa de cidadãos portugueses e interesses se acontecesse uma profunda alteração política anti-Portugal ou anti-Europa.
Nessa situação, o bloqueio psicológico ou real de um porto poderia levar a soluções pacíficas sem causar vítimas ou prejuízos para ambas as partes e serenar os ânimos belicosos, fazendo imperar o bem senso e o respeito mútuo.

No contexto actual de crise económica, uma Paz tida como garantida até agora pode repentinamente deixar de o ser. Mesmo um país como Portugal não pode descurar a posse de forças verdadeiramente operacionais, mesmo que em número limitado. Mais importante que o número é, sem dúvida, a dupla operacionalidade dos homens e do material moderno.
O registo contabilístico da despesa com a compra dos dois submarinos vai afectar um pouco o défice orçamental em 2010. Como estes navios são entregues a Portugal em 2010, o Governo é obrigado, segundo o Eurostast, a registar nesse ano os 973 milhões de euros, com juros incluídos, gastos na sua aquisição. Como o custo dos submarinos representa 0,5 por cento do Produto Interno Bruto (PIB), em 2010, o défice das contas públicas aumentará de 0,4 por cento, previsto no Plano de Estabilidade e Crescimento (PEC), para 0,9 por cento.

A preço de contrato, os submarinos custaram 779 milhões de euros. Acresce 194 milhões em juros. Total: 973 milhões. Em 2010 estima-se que o PIB seja de 180 mil milhões. Assim, uma despesa de 973 milhões implica a subida do défice previsto para 0,9%. Claro, com a actual crise, as contas públicas de todos os países do Mundo, sem excepções, estão a sofrer profundas alterações.

Para o Ministro das Finanças, a alteração exigida pelo Eurostat não se pode aplicar à compra destes submarinos porque isso representaria um efeito retroactivo, dado que a decisão de Bruxelas é posterior à compra dos submarinos.

Os submarinos serão pagos ao longo de vinte anos num misto de crédito/leasing, pelo que a influência nas despesas públicas de 2010 é quase virtual.
Mas é curioso que uma empresa que adquira bens de equipamento não pode contabilizar o custo total dos mesmos num só ano, pelo terá de considerar os períodos de amortização legais que variam conforme os bens em causa. Porque razão a Comissão Europeia resolveu exigir algo de diferente?

Por Dieter Dellinger - redactor da Revista de Marinha - dedica-se à História Náutica, aos Navios e Marinha e apresenta o seu livro “Um Século de Guerra no Mar”
Título:
Enviado por: Luso em Junho 19, 2009, 06:07:40 pm
Citar
Alguns sinais de uma possível ameaça espanhola começam a ser vislumbrados hoje, traduzida na forma agressiva como empresas de comunicação social, inteiramente detidas por capitais espanhóis, leia-se Prisa, procuram desestabilizar a governação portuguesa e impedir que o País venha a ser dotado de uma liderança forte que não se vergue a medos patológicos.


Detecto aqui uma dupla negação: como é possível iberistas atacarem iberistas?
Liderança forte?
O patriotismo é a última defesa para um desonesto - e ainda por cima - iberista?

São os únicos pontos que estranho.
Título:
Enviado por: Daniel em Junho 19, 2009, 06:23:24 pm
Luso
Citar
Detecto aqui uma dupla negação: como é possível iberistas atacarem iberistas?
Liderança forte?
O patriotismo é a última defesa para um desonesto - e ainda por cima - iberista?

São os únicos pontos que estranho.

 :conf:
Título:
Enviado por: Falcão em Junho 19, 2009, 06:39:00 pm
Esse artigo mistura realidades com autênticos disparates. Independência das regiões autónomas é de partir a rir. Parece mais um iluminado que nunca saiu do continente.
O perigo espanhol, esse, é bem real. Apesar da cegueira (bem paga?) de alguns.
Título:
Enviado por: Daniel em Junho 19, 2009, 07:07:21 pm
Citar
A frente do sub parece um pouco quadrada …nao parece muito hidrodinamica!!


O que têm a dizer sobre este comentário :?:
Título:
Enviado por: Instrutor em Junho 19, 2009, 09:19:07 pm
Citação de: "Falcão"
Esse artigo mistura realidades com autênticos disparates. Independência das regiões autónomas é de partir a rir. Parece mais um iluminado que nunca saiu do continente.
O perigo espanhol, esse, é bem real. Apesar da cegueira (bem paga?) de alguns.


E bem moldada pela TVI, que nos seus noticiarios.....bem um pouco ortodoxos..... ah é verdade são controlados pela Prisa, uma empresa audiovisual espanhola........ pode bem moldar a mente dos portugueses relativamente à serventia das FAP............. para além das 5 fragatas que iremos dispor dentro de um futuro proximo, de dois submarinos, um NAVpol e um AOR, a nossa Frota ira limitar-se a 7 navios combatentes, 1 de transporte e 1 reabastecedor, nao concordavam em comprar pelos menos mais 2 Fragatas tipo as FREMM ou as La Fayette? Temos militares para as guarnecer, com a retirada dos efectivos das Corvetas para os NPO (3 x 70 efectivos - Baptista de Andrade e 4 x 100 Joao Coutinho prefaz um total aproximado de 600 militares) ora se alguns efectivos vao para os NPO (35 x 6 NPO - prefaz um total de 200 militares) ficavamos com mais ou menos 200 militares para cada fragata, que pensao disto?? Não trazia uma maior valencia a nossa Marinha, e nao ficamos com um grave problema daqui a 30 anos com a substituição completa da frota combatente as 5 VdG e BD?


Poderiamos ficar com a seguinte força combatente naval:
2- Submarinos U209PN;
3- Fragatas Vasco da Gama;
2- Fragatas Bartolomeu Dias;
2- Fragatas (Fremm ou La Fayette);
1- NAVpol;
1- AOR;


Vamos buscar dividendos agora com a noticia da venda do BPP  :banana:
Título:
Enviado por: FoxTroop em Junho 19, 2009, 09:26:10 pm
Apesar de alguns disparates evidentes o artigo foca algo muito real. O incomodo "castelhano" perante a aquisição destas armas e a sua razão para o mesmo. Porque teme Espanha os nosso sub's? Que intenções terão para os incomodar tanto?

Num cenário, cada vez mais possível, de fortes perturbações geo-políticas a sobrevivência da nossa independência está no nosso mar. Apenas uma potente ameaça dissuasora, que pode mover-se indetectável e desferir golpes profundos num possível adversário, poderá salvaguardar-nos como nação.

Para isso penso que que mais um sub ou dois seria o ideal mas temos de viver de acordo com as nossas capacidades. O que seria muito importante, no meu ponto de vista, era equipar essas armas com sistemas com ais capacidade de ataque. A minha opinião sobre que tipo de armas deveríamos pensar em desenvolver (em parceria com o Brasil), já foi aqui colocada antes e não me vou alongar, mas que uma ameaça toma cada vez mais forma isso é praticamente inegável.
Título:
Enviado por: Luso em Junho 19, 2009, 09:38:20 pm
Citação de: "FoxTroop"
A minha opinião sobre que tipo de armas deveríamos pensar em desenvolver (em parceria com o Brasil), já foi aqui colocada antes e não me vou alongar, mas que uma ameaça toma cada vez mais forma isso é praticamente inegável.


Precisamente.
E creio que não faz mal em repetir essa ideia.

Muito mais que "Espanha, Espanha, Espanha!, deverá ser "Brasil, Brasil, Brasil".
Mas jamais com subserviências.
Título:
Enviado por: 2dmaio em Junho 19, 2009, 10:06:32 pm
Esta fotografia já contempla a bandeira portuguesa no U-209PN Arpão.
Na realidade são U-214... o AIP da um exelente poder a essa arma de ataque naval.


(http://img19.imageshack.us/img19/509/nrparpao2.jpg)


Saudações
Título:
Enviado por: Moisés Magalhães em Junho 19, 2009, 11:41:51 pm
Citação de: "FoxTroop"
Apesar de alguns disparates evidentes o artigo foca algo muito real. O incomodo "castelhano" perante a aquisição destas armas e a sua razão para o mesmo. Porque teme Espanha os nosso sub's? Que intenções terão para os incomodar tanto?

Num cenário, cada vez mais possível, de fortes perturbações geo-políticas a sobrevivência da nossa independência está no nosso mar. Apenas uma potente ameaça dissuasora, que pode mover-se indetectável e desferir golpes profundos num possível adversário, poderá salvaguardar-nos como nação.

Para isso penso que que mais um sub ou dois seria o ideal mas temos de viver de acordo com as nossas capacidades. O que seria muito importante, no meu ponto de vista, era equipar essas armas com sistemas com ais capacidade de ataque. A minha opinião sobre que tipo de armas deveríamos pensar em desenvolver (em parceria com o Brasil), já foi aqui colocada antes e não me vou alongar, mas que uma ameaça toma cada vez mais forma isso é praticamente inegável.


Caro FoxTroop, não poderia estar mais de acordo, no entanto apesar do artigo pecar por algumas incongruências, que serão meramente de promenor, é extremamente abrangente numa prespectiva geopolítica e socioeconómica no contexto da realidade portuguesa.

Seria mais do que necessário o 3º submarino, penso e acredito que uma 3º unidade nos daria uma real capacidade de interdição do mar português no triângulo Continental e Arquipelagos, perdemos a oportunidade de construir uma verdadeira ameaça a quem ousar ameaçar o nosso mar.

Acreditem aqueles, os mais permissivos e despreocupados, e não me refiro somente ao nosso poder político hiprócrita e vendido mas também a uma pseudoelite iberista, que a ameaça sempre existiu, existe, e é real, é uma ameaça que tem rosto e tem nome, em tempos davam pelo nome de castelhanos.

Do outro lado da fronteira que nos atenta e espreita caracterizada pela soberba e arrogância desmedida, o incómodo será sempre sentido,  sempre que a nossa capacidade de defesa como nação aumenta.

Cumprimentos,
Título:
Enviado por: migbar2 em Junho 20, 2009, 12:13:27 am
Citação de: "Moisés Magalhães"
Citação de: "FoxTroop"
Apesar de alguns disparates evidentes o artigo foca algo muito real. O incomodo "castelhano" perante a aquisição destas armas e a sua razão para o mesmo. Porque teme Espanha os nosso sub's? Que intenções terão para os incomodar tanto?

Num cenário, cada vez mais possível, de fortes perturbações geo-políticas a sobrevivência da nossa independência está no nosso mar. Apenas uma potente ameaça dissuasora, que pode mover-se indetectável e desferir golpes profundos num possível adversário, poderá salvaguardar-nos como nação.

Para isso penso que que mais um sub ou dois seria o ideal mas temos de viver de acordo com as nossas capacidades. O que seria muito importante, no meu ponto de vista, era equipar essas armas com sistemas com ais capacidade de ataque. A minha opinião sobre que tipo de armas deveríamos pensar em desenvolver (em parceria com o Brasil), já foi aqui colocada antes e não me vou alongar, mas que uma ameaça toma cada vez mais forma isso é praticamente inegável.

Caro FoxTroop, não poderia estar mais de acordo, no entanto apesar do artigo pecar por algumas incongruências, que serão meramente de promenor, é extremamente abrangente numa prespectiva geopolítica e socioeconómica no contexto da realidade portuguesa.

Seria mais do que necessário o 3º submarino, penso e acredito que uma 3º unidade nos daria uma real capacidade de interdição do mar português no triângulo Continental e Arquipelagos, perdemos a oportunidade de construir uma verdadeira ameaça a quem ousar ameaçar o nosso mar.

Acreditem aqueles, os mais permissivos e despreocupados, e não me refiro somente ao nosso poder político hiprócrita e vendido mas também a uma pseudoelite iberista, que a ameaça sempre existiu, existe, e é real, é uma ameaça que tem rosto e tem nome, em tempos davam pelo nome de castelhanos.

Do outro lado da fronteira que nos atenta e espreita caracterizada pela soberba e arrogância desmedida, o incómodo será sempre sentido,  sempre que a nossa capacidade de defesa como nação aumenta.

Cumprimentos,





Então rapaz, andas desaparecido  :?
Título:
Enviado por: old em Junho 20, 2009, 09:25:57 am
Porque va a temer Espanha sus Submarinos?  :shock:  Pensaba que eran paises aliados y amigos.


En ultimo extremo la propia Espanha tendra unos 6 Submarinos mas bien seria al reves lo del miedo.

Algunos son muy paranoicos y ven fantasmas donde no los hay.

Pero, es lo que siempre se suele leer en este foro.
Título:
Enviado por: cromwell em Junho 20, 2009, 10:40:35 am
Citação de: "old"
Porque va a temer Espanha sus Submarinos?  :shock:  Pensaba que eran paises aliados y amigos.


En ultimo extremo la propia Espanha tendra unos 6 Submarinos mas bien seria al reves lo del miedo.

Algunos son muy paranoicos y ven fantasmas donde no los hay.

Pero, es lo que siempre se suele leer en este foro.


Os S-80 vão ser só 4.
Título:
Enviado por: old em Junho 20, 2009, 11:10:41 am
Citação de: "cromwell"
Citação de: "old"
Porque va a temer Espanha sus Submarinos?  :)
Título:
Enviado por: Lancero em Junho 20, 2009, 11:21:59 am
Cruzes, não se infecte mais um tópico.
Título:
Enviado por: P44 em Junho 20, 2009, 12:25:56 pm
x2

por amor de deus, vão andar á bofetada para outra freguesia!
Título:
Enviado por: 2dmaio em Junho 20, 2009, 01:00:11 pm
Depois de ler algumas colocações dos colegas foristas, lastimo que exista tanta rivalidade entre espanhois & portugueses, talvez seja por minha existencia, tanto en lugares de lingua espanhola como portuguesa.
Varios povos existiram na peninsula, com o tempo uma etnia algo generica se firmou, nas tradições apesar de diferenciadas, sempre se encontra algo em comum, inclusive nos dialetos e linguas que se falam.
A impressão que tenho quando leio o que os colegas escrevem é como se estivesse lendo o que arabes x israelitas escreveriam sobre eles mesmos.
Gente, voces são povos vizinhos e viveram em mais harmonia que a maioria dos povos europeus.   :shock:

Saudações.
Título:
Enviado por: 2dmaio em Junho 20, 2009, 01:07:03 pm
Citar
Con los S80 es exactamente lo mismo


Lo supones solamente, tu no lo puedes asegurar !

Solo quando empiecen a construirlos en los astilleros...

Saludos
Título:
Enviado por: cromwell em Junho 20, 2009, 01:21:48 pm
Citação de: "old"
Citação de: "cromwell"
Citação de: "old"
Porque va a temer Espanha sus Submarinos?  :)


Sorte a vossa. :(
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Junho 20, 2009, 02:39:34 pm
Citação de: "2dmaio"
Depois de ler algumas colocações dos colegas foristas, lastimo que exista tanta rivalidade entre espanhois & portugueses, talvez seja por minha existencia, tanto en lugares de lingua espanhola como portuguesa.
Varios povos existiram na peninsula, com o tempo uma etnia algo generica se firmou, nas tradições apesar de diferenciadas, sempre se encontra algo em comum, inclusive nos dialetos e linguas que se falam.
A impressão que tenho quando leio o que os colegas escrevem é como se estivesse lendo o que arabes x israelitas escreveriam sobre eles mesmos.
Gente, voces são povos vizinhos e viveram em mais harmonia que a maioria dos povos europeus.   :lol:

Se colocares as mesmas pessoas que andam quase a arrancar os olhos uns aos outros, frente a frente, sabes o que acontece? Nada.
 :lol:
Título:
Enviado por: Chicken_Bone em Junho 20, 2009, 03:28:45 pm
Isto é um fórum ligado à defesa e logo passível de ter uns dick (pila) cheney que só vêem inimigos.

Vamos lá voltar ao tópico, mas é. Senão, chapada para todos os Portugueses. Os Espanhóis ainda seriam capazes de gostar.... :twisted:

Alguém sabe como será com a manutenção dos subs ( http://en.wikipedia.org/wiki/Type_214_submarine (http://en.wikipedia.org/wiki/Type_214_submarine) )?
 A Marinha (ou Armada ou lá como se chama) trata dos arranjos mínimos e, mudanças de componentes maiores, levam-nos de volta os estaleiros dos fabricantes?

Já agora, quem arranjar fotos dos subs que tente ver se haverá tripulação feminina atraente.
Título:
Enviado por: Carlos Barbosa em Junho 20, 2009, 03:29:43 pm
É fantástico ver as fotos dos nossos submarinos, são um espectáculo.
Pessoal estou com uma dúvida, poderá ser ignorância minha. Sabemos que os submarinos podem navegar submersos sem ser detectáveis; sendo o ruído produzido pelos mesmos um factor em ser detectável ou não, sabendo que tipo de material é construído um submarino, o metal é de fácil localização, como iludem um sonar?
Vendo as características das aeronaves que têm um material diferente e as tornam mais difíceis de detectar, o submarino torna-se mais fácil de encontrar pelos factos que já enumerei.
Título:
Enviado por: Chicken_Bone em Junho 20, 2009, 03:44:32 pm
ó Barboso:

http://en.wikipedia.org/wiki/Type_214_submarine (http://en.wikipedia.org/wiki/Type_214_submarine)
Duas coisas importantes são o pouco ruído do sistema de propulsão e, parece que o casco não magnético.

A forma dele, do mesmo modo que os aviões (cmo o F-117) também é optimizada para absorver e dispersar as ondas.
Aqui já não tenho a certeza, mas é quase garantido que as tintas e protecções do casco usam materiais tipo RAM (radar absorbent materials).

Outra suposição é terem muita espuma, borracha e outros plásticos para isolamento.

Imaginando que a tecnologia usada nele tem semelhanças ao dos Astute, talvez consigas encontrar mais informação sobre este.
O que se tem feito pra o Astute  ta num artigo (vê a revista em  http://www.aviationweek.com/aw/generic/ ... hannel=dti (http://www.aviationweek.com/aw/generic/channel_dti.jsp?channel=dti) ). acho que é nessa revista (recebo algumas sobre estes assuntos, por isso não garanto) que explica q o pessoal encarregue da detecção de embarcações procura pela falta de ruído, em vez de pelo ruído, já que são tão silenciosos.
Título:
Enviado por: old em Junho 20, 2009, 10:37:59 pm
Citação de: "cromwell"
Citação de: "old"
Citação de: "cromwell"

Sorte a vossa. :(


Suerte? jeje La Armada Espanhola tambien tiene muchas carencias y falta de cosas. Se podria hacer una buena lista. Por si le sirve de consuelo.


Enhorabuena por los nuevos Submarinos, se ven bonitos en las fotos. Una excelente (y carisima €) compra
Título:
Enviado por: migbar2 em Junho 20, 2009, 11:08:19 pm
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Citação de: "2dmaio"
Depois de ler algumas colocações dos colegas foristas, lastimo que exista tanta rivalidade entre espanhois & portugueses, talvez seja por minha existencia, tanto en lugares de lingua espanhola como portuguesa.
Varios povos existiram na peninsula, com o tempo uma etnia algo generica se firmou, nas tradições apesar de diferenciadas, sempre se encontra algo em comum, inclusive nos dialetos e linguas que se falam.
A impressão que tenho quando leio o que os colegas escrevem é como se estivesse lendo o que arabes x israelitas escreveriam sobre eles mesmos.
Gente, voces são povos vizinhos e viveram em mais harmonia que a maioria dos povos europeus.   :lol:

Se colocares as mesmas pessoas que andam quase a arrancar os olhos uns aos outros, frente a frente, sabes o que acontece? Nada.
 :lol:





O colega permita-me discordar, mas o que aconteceria não seria exactamente nada !!!!! Iam é todos beber umas cervejolas até cair !!!! Como se diz na minha terra, isto é mais "fogo de vista" que outra coisa  :wink: .
Título:
Enviado por: migbar2 em Junho 20, 2009, 11:12:20 pm
Citação de: "old"
Citação de: "cromwell"
Citação de: "old"
Citação de: "cromwell"

Sorte a vossa. :(

Suerte? jeje La Armada Espanhola tambien tiene muchas carencias y falta de cosas. Se podria hacer una buena lista. Por si le sirve de consuelo.


Enhorabuena por los nuevos Submarinos, se ven bonitos en las fotos. Una excelente (y carisima €) compra






...pois é, se a vós vos falta muita coisa, então e nós que nem draga minas temos??? Só temos meios de detecção de minas e depois para as desactivar só com mergulhadores  :? !!!!
Título:
Enviado por: 2dmaio em Junho 21, 2009, 12:21:46 am
Coloco aqui uma parte relativa ao U-214 publicada tempos atrás em um artigo sobre submarinos alemães, para quem se interesse pelo asunto. Espero que gostem dos detalhes.

Tipo 214

É o submarino oceânico irmão do U212A, dotado do mesmo sistema AIP de células de combustível e de desenho modular, concebido para atender aos requisitos das mais diferentes marinhas.
Na década de 90, estimativas davam conta de que nas primeiras décadas do século XXI, mais de 20 países iriam adquirir de 50 a 60 submarinos, sendo que a metade deles iria para países do Pacífico asiático e os demais para a Europa, Oriente Médio e América Latina.
Cientes de tal potencial mercadológico e entendendo que o Tipo 212 se mostraria caro demais para ser competitivo no mercado internacional fora da OTAN, os estaleiros alemães decidiram investir no desenvolvimento de uma nova classe de submarinos, a partir da experiência acumulada com a família 209.
À primeira vista, o U214 se parece com o U212, mas num exame mais detalhado pode-se notar as semelhanças com o casco do famoso Tipo 209, incluindo o leme em cruz (mais simples que o leme em “X” do U212) e o diâmetro de 6,30m. Os hidroplanos dianteiros que eram retráteis no 209, foram deslocados para cima. A “vela” também foi redesenhada, apresentando um formato semelhante ao da classe “Dolphin” construída para a Marinha de Israel e revestida com material radar-absorvente.
O casco do U214, de 64m de comprimento, é construído em aço de alta resistência HY100, permitindo ao submarino mergulhar a profundidades superiores a 400m. A aplicação no casco de material especial que absorve a energia de sonares (revestimento anecóico) é opcional.
Especial atenção foi dada ao controle das assinaturas acústica, magnética, radar e infravermelha do submarino. A maquinaria foi montada em suportes elásticos com isolamento acústico e praticamente todas as aberturas do casco foram eliminadas, para reduzir ao máximo o ruído do fluxo do mar.
Todas essas medidas foram feitas com o objetivo de reduzir significativamente o ruído irradiado, diminuindo o risco de detecção e aumentando o alcance de detecção do sonar do próprio submarino.

Virtualmente indetectável

O perfil de missão do U214 é de 50 dias seguidos, com uma tripulação de cerca de 30 homens. O submarino é capaz de atingir altas velocidades de 16 a 20 nós por horas seguidas, várias vezes durante o curso da missão.
Em operações de patrulha e interceptação a velocidades de 2 a 6 nós, o submarino faz uso do sistema AIP fuel cell. Dependendo das reservas de reagentes a bordo,
o sistema AIP permite ao U214 operar por períodos de até três semanas, constantemente operando mergulhado, sem a necessidade de usar o snorkel.
Operando totalmente oculto e com um nível baixíssimo de ruído próprio, o submarino pode fazer uso de todo o potencial de seus próprios sensores, com um risco mínimo de detecção pelo inimigo.
Ao mesmo tempo, com as baterias totalmente carregadas, o U214 é capaz de navegar à velocidade máxima por várias horas, para deixar uma área rapidamente em caso de fuga ou mover-se para outra área de operações e imediatamente reiniciar o padrão de busca ultra-silencioso usando o sistema AIP, sem a necessidade de recarregar as baterias imediatamente.
A velocidades de 6 nós, as reservas de diesel a bordo vão permitir um alcance de missão da ordem de 12.000 milhas ou aproximadamente 12 semanas de duração de missão.

Comando e Controle no estado-da-arte

A superioridade tática proporcionada pelo sistema de propulsão híbrida
independente da atmosfera, é ainda mais ampliada com uma completa suíte de sensores acústicos, que podem atingir alcances muito maiores que os empregados nos submarinos anteriores. A classificação de alvos e a geração de dados do alvo para emprego de armas e controle é entregue ao CWCS (Command and Weapon Control System), que é o núcleo do sistema maior ISUS 90, da STN ATLAS Elektronik.
O CWCS controla um sistema completo de sonares, que consistem nos seguintes componentes:
-  sonar ativo para determinação de alcance e marcação de alvos
-  sonar cilíndrico (cylindrical array) de média freqüência para detecção passiva
-  sonar de flanco (flank array) para cobrir a transição de freqüências médias para baixas
- sonar rebocado (towed array) para baixas freqüências em ambientes com médio nível de ruído
-  sonar passivo para cálculo dos dados do alvo (curso e distância)
-  sonar de interceptação para registrar emissões de sonar adversário

O CWCS também recebe dados do sistema de periscópio, composto de:
-  um mastro optrônico com telêmetro laser, um sensor de imagens termais e um sistema combinado de ESM/GPS
-  um periscópio de ataque com sensor ótico de medição de distância
Um sistema sonar de detecção de minas opcional também provê dados de navegação adicionais ao submarino.

O sistema ISUS 90 é um componente integral do U214, com arquitetura aberta para possibilitar atualizações no futuro. Ele combina todos os sensores do submarino (sonares, periscópio de ataque, mastro optrônico) o sistema de armas (torpedos) e o sistema de navegação, através de um databus de alta performance, disponibilizando todas as informações coletadas ao comandante (dados de entrada, avaliação das ameaças) e automaticamente realizando as seqüências de engajamento. O 214 é equipado com um sistema de navegação e de comunicações de alto padrão, superior em muitos aspectos aos sistemas usados em navios de superfície, para que o submarino possa fazer uso total das vantagens do sistema AIP.

O sistema de armas

- O U214 leva oito tubos lança-torpedos de 533mm, para um total de 16 torpedos e/ou mísseis. Quatro tubos são equipados com o WES (Weapon Expulsion System) para lançamento de mísseis anti-navio do tipo Sub-Harpoon ou Sub-Exocet SM-39.
- Além do sistema ofensivo, o U214 também conta com um sistema anti-torpedo para autodefesa, denominado CIRCE.
- Em desenvolvimento conjunto pela STN ATLAS Elektronik e a Allied Signal ELAC, o sistema consiste em uma unidade de comando e controle e quatro conjuntos lançadores com até dez tubos de descarga para os dispositivos despistadores denominados “effectors”. Os “effectors” são pequenos veículos submarinos de 120cm de comprimento e 12,7cm
de diâmetro, semelhantes a mini-torpedos. Estes veículos agem como “jammers” e “decoys” (bloqueadores e despistadores) e são dotados de hidrofones e emissores acústicos próprios.
No modo “jamming” o veículo gera um sinal acústico maior que o do submarino, para cegar o sonar do torpedo inimigo. No modo “decoy”, o veículo gera sinais para simular os ecos do sonar, dando uma posição falsa do submarino ao sonar do torpedo inimigo.
Um sofisticado “software” de simulação de alvos foi usado para conter a ameaça de torpedos inteligentes. Os algoritmos empregados pelos “effectors” fornecem combinação dinâmica para ângulos de aspecto e distâncias falsas do alvo para o torpedo. Múltiplos veículos podem ser lançados ao mesmo tempo para enganar torpedos no modo de reataque.

Forte concorrência

O Tipo 214 materializa o sonho de todas marinhas menos capazes: o submarino não-nuclear independente da atmosfera. Ele pode cumprir uma vasta gama de missões, incluindo operações em “águas marrons” (mares litorâneos) e em “águas azuis” (alto-mar), sem degradação de desempenho, devido às suas características “stealth”, inerentes ao sistema AIP. O U214 é um submarino ideal para operações do tipo:
-  anti-submarino e anti-navio, com o emprego torpedos e mísseis
-  vigilância, observação e reconhecimento
-  lançamento de minas e inteligência
-  treinamento e operações em conjunto com forças de superfície
Em que pesem suas qualidades e inovações, o U214, ele tem que enfrentar proporcionalmente uma concorrência muito maior do que o seu irmão mais velho U209 teve em sua época.
Os estaleiros russos e franceses também estão disponibilizando submarinos convencionais de projeto moderno, dotados de sistemas AIP às marinhas interessadas em renovar sua frota submarina. Além disso, muitas soluções AIP podem ser implementadas em unidades operacionais ou em construção, através da inclusão de uma seção adicional no submarino, como feito para a marinha de Singapura.
Por outro lado, o custo das células de combustível também ainda é relativamente alto, mas deverá cair à medida que mais e mais submarinos com esse tipo de propulsão forem ao mar.
Na Coréia do Sul, duas unidades já estão em serviço e uma delas já bateu o recorde mundial de autonomia submersa por submarinos convencionais.
Portugal encomendou dois submarinos U214, que foram redesignados como U209PN. O primeiro, Tridente, deve entrar em serviço no final de 2009.
No total, já são 18 submarinos Type 214 contratados por diversos paises.

Saudações
Título:
Enviado por: nelson henriques em Junho 21, 2009, 08:40:52 am
Engraçado, pensava que eram 6 tubos para 12 torpedos... Excelente artigo, muito interessante
Título:
Enviado por: Instrutor em Junho 21, 2009, 02:58:18 pm
Citação de: "2dmaio"
Coloco aqui uma parte relativa ao U-214 publicada tempos atrás em um artigo sobre submarinos alemães, para quem se interesse pelo asunto. Espero que gostem dos detalhes.

Tipo 214

É o submarino oceânico irmão do U212A, dotado do mesmo sistema AIP de células de combustível e de desenho modular, concebido para atender aos requisitos das mais diferentes marinhas.
Na década de 90, estimativas davam conta de que nas primeiras décadas do século XXI, mais de 20 países iriam adquirir de 50 a 60 submarinos, sendo que a metade deles iria para países do Pacífico asiático e os demais para a Europa, Oriente Médio e América Latina.
Cientes de tal potencial mercadológico e entendendo que o Tipo 212 se mostraria caro demais para ser competitivo no mercado internacional fora da OTAN, os estaleiros alemães decidiram investir no desenvolvimento de uma nova classe de submarinos, a partir da experiência acumulada com a família 209.
À primeira vista, o U214 se parece com o U212, mas num exame mais detalhado pode-se notar as semelhanças com o casco do famoso Tipo 209, incluindo o leme em cruz (mais simples que o leme em “X” do U212) e o diâmetro de 6,30m. Os hidroplanos dianteiros que eram retráteis no 209, foram deslocados para cima. A “vela” também foi redesenhada, apresentando um formato semelhante ao da classe “Dolphin” construída para a Marinha de Israel e revestida com material radar-absorvente.
O casco do U214, de 64m de comprimento, é construído em aço de alta resistência HY100, permitindo ao submarino mergulhar a profundidades superiores a 400m. A aplicação no casco de material especial que absorve a energia de sonares (revestimento anecóico) é opcional.
Especial atenção foi dada ao controle das assinaturas acústica, magnética, radar e infravermelha do submarino. A maquinaria foi montada em suportes elásticos com isolamento acústico e praticamente todas as aberturas do casco foram eliminadas, para reduzir ao máximo o ruído do fluxo do mar.
Todas essas medidas foram feitas com o objetivo de reduzir significativamente o ruído irradiado, diminuindo o risco de detecção e aumentando o alcance de detecção do sonar do próprio submarino.

Virtualmente indetectável

O perfil de missão do U214 é de 50 dias seguidos, com uma tripulação de cerca de 30 homens. O submarino é capaz de atingir altas velocidades de 16 a 20 nós por horas seguidas, várias vezes durante o curso da missão.
Em operações de patrulha e interceptação a velocidades de 2 a 6 nós, o submarino faz uso do sistema AIP fuel cell. Dependendo das reservas de reagentes a bordo,
o sistema AIP permite ao U214 operar por períodos de até três semanas, constantemente operando mergulhado, sem a necessidade de usar o snorkel.
Operando totalmente oculto e com um nível baixíssimo de ruído próprio, o submarino pode fazer uso de todo o potencial de seus próprios sensores, com um risco mínimo de detecção pelo inimigo.
Ao mesmo tempo, com as baterias totalmente carregadas, o U214 é capaz de navegar à velocidade máxima por várias horas, para deixar uma área rapidamente em caso de fuga ou mover-se para outra área de operações e imediatamente reiniciar o padrão de busca ultra-silencioso usando o sistema AIP, sem a necessidade de recarregar as baterias imediatamente.
A velocidades de 6 nós, as reservas de diesel a bordo vão permitir um alcance de missão da ordem de 12.000 milhas ou aproximadamente 12 semanas de duração de missão.

Comando e Controle no estado-da-arte

A superioridade tática proporcionada pelo sistema de propulsão híbrida
independente da atmosfera, é ainda mais ampliada com uma completa suíte de sensores acústicos, que podem atingir alcances muito maiores que os empregados nos submarinos anteriores. A classificação de alvos e a geração de dados do alvo para emprego de armas e controle é entregue ao CWCS (Command and Weapon Control System), que é o núcleo do sistema maior ISUS 90, da STN ATLAS Elektronik.
O CWCS controla um sistema completo de sonares, que consistem nos seguintes componentes:
-  sonar ativo para determinação de alcance e marcação de alvos
-  sonar cilíndrico (cylindrical array) de média freqüência para detecção passiva
-  sonar de flanco (flank array) para cobrir a transição de freqüências médias para baixas
- sonar rebocado (towed array) para baixas freqüências em ambientes com médio nível de ruído
-  sonar passivo para cálculo dos dados do alvo (curso e distância)
-  sonar de interceptação para registrar emissões de sonar adversário

O CWCS também recebe dados do sistema de periscópio, composto de:
-  um mastro optrônico com telêmetro laser, um sensor de imagens termais e um sistema combinado de ESM/GPS
-  um periscópio de ataque com sensor ótico de medição de distância
Um sistema sonar de detecção de minas opcional também provê dados de navegação adicionais ao submarino.

O sistema ISUS 90 é um componente integral do U214, com arquitetura aberta para possibilitar atualizações no futuro. Ele combina todos os sensores do submarino (sonares, periscópio de ataque, mastro optrônico) o sistema de armas (torpedos) e o sistema de navegação, através de um databus de alta performance, disponibilizando todas as informações coletadas ao comandante (dados de entrada, avaliação das ameaças) e automaticamente realizando as seqüências de engajamento. O 214 é equipado com um sistema de navegação e de comunicações de alto padrão, superior em muitos aspectos aos sistemas usados em navios de superfície, para que o submarino possa fazer uso total das vantagens do sistema AIP.

O sistema de armas

- O U214 leva oito tubos lança-torpedos de 533mm, para um total de 16 torpedos e/ou mísseis. Quatro tubos são equipados com o WES (Weapon Expulsion System) para lançamento de mísseis anti-navio do tipo Sub-Harpoon ou Sub-Exocet SM-39.
- Além do sistema ofensivo, o U214 também conta com um sistema anti-torpedo para autodefesa, denominado CIRCE.
- Em desenvolvimento conjunto pela STN ATLAS Elektronik e a Allied Signal ELAC, o sistema consiste em uma unidade de comando e controle e quatro conjuntos lançadores com até dez tubos de descarga para os dispositivos despistadores denominados “effectors”. Os “effectors” são pequenos veículos submarinos de 120cm de comprimento e 12,7cm
de diâmetro, semelhantes a mini-torpedos. Estes veículos agem como “jammers” e “decoys” (bloqueadores e despistadores) e são dotados de hidrofones e emissores acústicos próprios.
No modo “jamming” o veículo gera um sinal acústico maior que o do submarino, para cegar o sonar do torpedo inimigo. No modo “decoy”, o veículo gera sinais para simular os ecos do sonar, dando uma posição falsa do submarino ao sonar do torpedo inimigo.
Um sofisticado “software” de simulação de alvos foi usado para conter a ameaça de torpedos inteligentes. Os algoritmos empregados pelos “effectors” fornecem combinação dinâmica para ângulos de aspecto e distâncias falsas do alvo para o torpedo. Múltiplos veículos podem ser lançados ao mesmo tempo para enganar torpedos no modo de reataque.

Forte concorrência

O Tipo 214 materializa o sonho de todas marinhas menos capazes: o submarino não-nuclear independente da atmosfera. Ele pode cumprir uma vasta gama de missões, incluindo operações em “águas marrons” (mares litorâneos) e em “águas azuis” (alto-mar), sem degradação de desempenho, devido às suas características “stealth”, inerentes ao sistema AIP. O U214 é um submarino ideal para operações do tipo:
-  anti-submarino e anti-navio, com o emprego torpedos e mísseis
-  vigilância, observação e reconhecimento
-  lançamento de minas e inteligência
-  treinamento e operações em conjunto com forças de superfície
Em que pesem suas qualidades e inovações, o U214, ele tem que enfrentar proporcionalmente uma concorrência muito maior do que o seu irmão mais velho U209 teve em sua época.
Os estaleiros russos e franceses também estão disponibilizando submarinos convencionais de projeto moderno, dotados de sistemas AIP às marinhas interessadas em renovar sua frota submarina. Além disso, muitas soluções AIP podem ser implementadas em unidades operacionais ou em construção, através da inclusão de uma seção adicional no submarino, como feito para a marinha de Singapura.
Por outro lado, o custo das células de combustível também ainda é relativamente alto, mas deverá cair à medida que mais e mais submarinos com esse tipo de propulsão forem ao mar.
Na Coréia do Sul, duas unidades já estão em serviço e uma delas já bateu o recorde mundial de autonomia submersa por submarinos convencionais.
Portugal encomendou dois submarinos U214, que foram redesignados como U209PN. O primeiro, Tridente, deve entrar em serviço no final de 2009.
No total, já são 18 submarinos Type 214 contratados por diversos paises.

Saudações



 :Palmas:
Título:
Enviado por: Daniel em Junho 21, 2009, 03:42:34 pm
Li no site Poder Naval o seguinte.

Citar
U-209PN terão capacidade de defesa anti-aérea.


Isso é verdade :?:

http://www.naval.com.br/blog/?p=12321&cpage=1
Título: U209.
Enviado por: tsahal em Junho 21, 2009, 05:15:16 pm
Os tubos estão preparados para o lançamento dos torpedos e das minas ja encomendados e de misseis. Se vieram a adquirir misseis, vejo apenas duas opções o SubHarpoon e o IDAS (pq n o Exocet) e nenhum deles é anti-aéreo e que eu saiba n existem submarinos com capacidade anti-aérea, talvez em 2100 quem sabe! Daniel faça perguntas com sentido e n aberações. O jornalista que escreveu devia querer dizer anti-superficie e por lapso saiu anti-aéreo, erros acontecem, vc deveria ter percebido isso logo.
Título: Re: U209.
Enviado por: JLRC em Junho 21, 2009, 05:25:24 pm
Citação de: "tsahal"
Os tubos estão preparados para o lançamento dos torpedos e das minas ja encomendados e de misseis. Se vieram a adquirir misseis, vejo apenas duas opções o SubHarpoon e o IDAS (pq n o Exocet) e nenhum deles é anti-aéreo e que eu saiba n existem submarinos com capacidade anti-aérea, talvez em 2100 quem sabe! Daniel faça perguntas com sentido e n aberações. O jornalista que escreveu devia querer dizer anti-superficie e por lapso saiu anti-aéreo, erros acontecem, vc deveria ter percebido isso logo.

Caro tsahal

A sua agressiva, despropositada e ignorante resposta ao Daniel obriga-me a responder-lhe da mesma maneira. Na realidade a pergunta do Daniel é muito pertinente e o ignorante é você que deu uma resposta sem sentido e aberrante. Se tivesse-se dado ao trabalho de fazer uma pequena investigação logo teria constatado que o míssil IDAS que você menciona é na realidade um míssil anti-aéreo baseado no IRIS-T.

Citar
IDAS (Interactive Defence and Attack System for Submarines) is a short-range missile currently being developed for the new Type 212 submarine class of the German Navy.

IDAS (based on the IRIS-T air-to-air missile) is primarily targeted against air threats, such as ASW helicopters, but also against small or medium-sized surface vessels or coastal land targets. It is currently being developed by Diehl BGT Defence and HDW, which is a part of Thyssen-Krupp Marine Systems (TKMS), to be fired from Type 212's torpedo tubes. IDAS will be fibre-optic[citation needed] guided and officially has a range of approx. 20 km. Four missiles will fit in one torpedo tube, stored in a magazine. First deliveries of IDAS for the German Navy are scheduled from 2009 on and operational service is planned from 2014 on.[1]

The IDAS system is also the world's first[citation needed] missile which gives submarines the capability to engage air threats, and the first tube-launched missile that does not emerge in a capsule, but is fired directly from the torpedo tubes.


(http://img241.imageshack.us/img241/1320/geridas.th.jpg) (http://http)
Título:
Enviado por: Chicken_Bone em Junho 21, 2009, 05:33:50 pm
Ó tsahal, o Daniel perguntou e não afirmou. Ainda para mais leu-o num "site" que parece ser dedicado a assuntos navais.
No entanto, ninguém aqui tem obrigação de saber sobre o assunto. Por isso, não vale a pena teres a cabeça metida num sítio escuro, que tresanda e é húmido.

Já que pareces saber muito do assunto e o pessoal está interessado (como eu) em saber mais, por favor avança e elucida-nos.
Título: IDAS.
Enviado por: tsahal em Junho 21, 2009, 05:44:34 pm
Então vc é outro ignorante como ele pq se pensar um pouco verá que para o IDAS ser Anti-Aéreo teria que ter capacidade de atingir aeronaves de asa fixa.  Pode atingir helicópteros quando eles estão a sobrevoar a baixa altitude para efectuar uma operação ASW e pq o missil ao emergir para atingir um navio ou um alvo terrestre precisa de atingir uma determinada altura e se essa altura corresponder ao local o está o tal helicóptero pode sim atingir caso esteja uns metros mais acima, nem heli nem avião. Por isso dizer que o IDAS é um missil anti-aéreo n faz sentido.

Membro que o IDAS é um sistema defensivo e não ofensivo.

O facto de um missil ser baseado noutro n significa que tenha o mesmo fim e capacidades.
Título: Re: IDAS.
Enviado por: cromwell em Junho 21, 2009, 05:49:34 pm
Citação de: "tsahal"
Então vc é outro ignorante como ele pq se pensar um pouco verá que para o IDAS ser Anti-Aéreo teria que ter capacidade de atingir