ForumDefesa.com

Forças Armadas e Sistemas de Armas => Força Aérea Portuguesa => Tópico iniciado por: tenente em Junho 07, 2015, 07:46:17 pm

Título: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: tenente em Junho 07, 2015, 07:46:17 pm
Boas a Todos,

Este seria o hidroavião ideal não só para os combates aos fogos florestais mas também para ser usado em operações SAR pois tem, na realidade na sua versão 415 MP,
Multi purpose, essas capacidades.
Quanto a mim poderíamos/deveríamos possuir pelo menos seis unidades deste modelo e incorporá-las na nossa FA, como por exemplo os Espanhóis tem feito nos últimos anos com os Canadairs CL215/415, esquadra essa que tem alguns pilotos Portugueses, da ex aerocondor, pilotos esses certificados não só para este equipamento mas também para os PBY Catalina, aeronaves que já operaram em anos anteriores, no combate aos fogos florestais, em Portugal.
Junto as características destas aeronaves, publicadas pelo fabricante :

http://www.bombardier.com/en/aerospace/ ... craft.html (http://www.bombardier.com/en/aerospace/amphibious-aircraft.html)

Bombardier 415 MP
Combining a state-of-the-art surveillance suite with direct water intervention capabilities.

Strength and Versatility

Flexibility and ruggedness are the hallmarks of the Bombardier 415 MP amphibious aircraft. Combining a state-of-the-art surveillance suite with direct water intervention capabilities, this versatile mission-specific aircraft offers exceptional low-level, low-speed manoeuvrability, making it the perfect choice for a wide range of special missions on inland, coastal and offshore waters.

Special Missions

With Western civil certification for both the aircraft and its surveillance suite, the Bombardier 415 MP aircraft is a proven ally in:

Search and rescue (SAR)
•Civil SAR
•Disaster SAR

Utility transport
•Cargo
•Personnel

Law enforcement
•Illegal immigration
•Drug and other smuggling
•Illegal fishery
•Terrorism
•Piracy at sea

Environmental control
•Oil pollution
•Forest fires

Special Mission Equipment
•Autopilot and military mission management system (MMMS)
•Forward-looking infrared (FLIR)
•Side-looking airborne radar (SLAR)
•Fully integrated weather radar
•Direction finder antenna (DF)
•Still and video cameras
•Cabin accommodation for stretchers and berths
•Enlarged aft cargo door
•Available floor space for customer supplied boat or other
•Marine radio package
•Secure intercom


Engine - 2 X Pratt & Whitney Canada PW123AF
Power - 2,380.00 Horsepower
Avionics -

Maximum Cruising Speed - 359.00 km per hr    223.08 mph
Service Ceiling - 4,480.56 metres   14,700.00 feets
Rate of Climb - 487.68 mpm   1,600.00 fpm
Numbers Ordered/Sold - 67

Cabin Height - 1.90 metres  6.23 feets
Cabin Width - 2.40 metres  7.87 feets
Cabin Length - 9.40 metres  30.84 feets
Exterior Length - 19.80 metres  64.96 feets
Wingspan / Rotor Diameter - 28.60 metres  93.83 feets
Fuselage Diameter - 2.69 metres  8.83 feets
Baggage Volume - 1.40 cubic metre  49.44 cubic feet

Maximum Take Off Weight - 19,890.36 kgs  43,850.00 lbs
Maximum Payload - 2,903.04 kgs  6,400.00 lbs
Fuel Tank Capacity - 1,529.85 gallon  5,791.09 litres
Fuel Economy - 0.42 km per litre  0.99 NM per gallon
Minimum Take Off Distance - 813.82 metres  2,670.00 feets
Minimum Landing Distance - 664.46 metres  2,180.00 feets



Cumprimentos
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: nelson38899 em Junho 07, 2015, 09:01:06 pm
Se for o avião que estou a pensar, nós em principio alugaremos dois aviões desses, para os ter-mos em permanência no nosso território.

http://www.segurancaonline.com/noticias/detalhes.php?id=2836
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: tenente em Junho 07, 2015, 10:49:32 pm
Não, não são deste modelo, serão os Canadair CL215 ou caso se consiga alugar, os melhorados CL415, os Bombardier 415 MP são aeronaves semelhantes, no aspecto exterior, fuselagem e planos de asa, mas já com upgrades e, com capacidade multiusos, possibilidades que os seus antecessores, os CL215/415, não possuem.  :wink:

Cumprimentos
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: Get_It em Junho 08, 2015, 01:00:39 am
Não esquecer do tópico «Combate a fogos pela F.A.P. (http://http)». Mesmo esta aquisição anda a ser discutida pelo governo desde 2013 (e talvez até antes): http://www.forumdefesa.com/forum/viewtopic.php?p=237451#p237451.

Inclui umas conversações bem interessantes sobre as capacidades das aeronaves anfíbias versus helicópteros.

Outra notícia de 2014: http://www.forumdefesa.com/forum/viewtopic.php?p=249678#p249678.

Cumprimentos,
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: Menacho em Junho 08, 2015, 05:57:29 pm
Son un os avioes magníficos, ojalá puedan disponer de ellos, son muito eficientes:

(http://www.aviationcorner.net/public/photos/1/8/avc_00314418.jpg)

(http://1.bp.blogspot.com/-ZacR6GItH-g/VXQ0LKdFwKI/AAAAAAAAsKw/yIU3V4mTxBY/s1600/v.jpg)

(http://www.ejercitodelaire.mde.es/stweb/ea/ficheros/jpg/89722A42A84356F5C12579410024DB70T20.jpg)

(http://www.abc.es/Media/201308/17/grupo-fuegos--644x362.jpg)

(https://i.vimeocdn.com/video/341075258_1280x720.jpg)

(http://4.bp.blogspot.com/-MhG1bvkua-A/TVed11ep3BI/AAAAAAAAAMU/lCjOjRjoeZo/s1600/CL+415+Ecorche.jpg)
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: tenente em Junho 08, 2015, 10:58:32 pm
Conheço bem o CL415, e tenho muita pena que os nossos decisores políticos não queiram entender que é preferível adquirir os meios mais pesados, o CL215/415, ou preferencialmente o Bombardier 415 MP, ao invês, de pagar o seu aluguer anualmente, pois, para alguém deve ser melhor deste modo.
Os meios com maior capacidade de descarga, deveriam fazer parte integrante da nossa Força Aérea, e deveriam ser na época dos fogos florestais, alocados aos meios Aéreos Nacionais de combate e na época baixa, inverno, destacados, por exemplo, como reforço na patrulha marítima ou em outras missões de apoio !  :snipersmile:
Devemos ser mais inteligentes que as outras Nações,............. :?:  :?:  :?:  

Citação de: "Menacho"
Son un os avioes magníficos, ojalá puedan disponer de ellos, son muito eficientes:

(http://www.aviationcorner.net/public/photos/1/8/avc_00314418.jpg)

(http://1.bp.blogspot.com/-ZacR6GItH-g/VXQ0LKdFwKI/AAAAAAAAsKw/yIU3V4mTxBY/s1600/v.jpg)

(http://www.ejercitodelaire.mde.es/stweb/ea/ficheros/jpg/89722A42A84356F5C12579410024DB70T20.jpg)

(http://www.abc.es/Media/201308/17/grupo-fuegos--644x362.jpg)

(https://i.vimeocdn.com/video/341075258_1280x720.jpg)

(http://4.bp.blogspot.com/-MhG1bvkua-A/TVed11ep3BI/AAAAAAAAAMU/lCjOjRjoeZo/s1600/CL+415+Ecorche.jpg)
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: Leonidas em Junho 10, 2015, 01:30:14 am
Se fossem somente 6 unidades então seria preferível que viessem equipados com motores a jato. A não ser que em vez de 6 venham 15. Talvez aí já poderia pensar em controlo do território. Brincar ao faz-de-conta com o fogo não dá. Os resultados falam por si. E só por causa disso, não seria má ideia andar somente atrás do Sócrates.

Cump.
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: tenente em Junho 10, 2015, 08:47:09 am
Penso que o indicado seriam não 15 mas já agora 17 para termos tantos quantos os Espanhóis, se bem que apenas temos cerca de 1/3 do território deles, mas como somos mais ricos............... c34x  c34x


http://www.ejercitodelaire.mde.es/ea/pa ... 5900263C7C (http://www.ejercitodelaire.mde.es/ea/pag?idDoc=5864A9DE5E87B418C12570DD0042998E&idRef=D356CA9B4A0F13D9C125745900263C7C)


Grupo 43

La misión principal del 43 Grupo de Fuerzas Aéreas, según el vigente Acuerdo de Colaboración entre el Ministerio de Defensa y el Ministerio de Medio Ambiente, es colaborar con la Dirección General para la Biodiversidad en la extinción de incendios forestales y la secundaria participar en el apoyo de las misiones del Servicio de Búsqueda y Salvamento (SAR). Actualmente tiene dependencia operativa de la Unidad Militar de Emergencias.
 
Para atender a las misiones citadas, el 43 Grupo dispone de 14 aviones CL-215T y 3 aviones CL-415.

EXTINCIÓN DE INCENDIOS

El 43 Grupo mantiene un servicio de alarma, con tripulaciones y aviones para actuar en caso de incendio forestal, durante los 365 días del año.
 
Entre el 1 de octubre y el 15 de junio se mantienen dos aviones con sus tripulaciones en situación de despegue inmediato en la Base Aérea de Torrejón. Sin embargo, es en la denominada Campaña de Verano (entre el 15 junio y el 30 de septiembre) cuando la Unidad realiza su mayor esfuerzo, manteniendo un mínimo del 70% de los aviones disponibles, con sus tripulaciones, listo para actuar en cualquiera de las áreas de riesgo de la Península e Islas Baleares.
 
Durante este período la Unidad despliega en 5 destacamentos (Santiago de Compostela, Zaragoza, Albacete, Málaga y Palma de Mallorca), además de mantener el servicio de alarma en la Base Aérea de Torrejón.

Durante el invierno el acuerdo contempla la posibilidad de establecer destacamentos en aquellas zonas que se determinaran de riesgo.
La misión de extinción es, sin duda, uno de los vuelos que mas riesgos entraña. El vuelo a muy baja altitud, el humo que disminuye la visibilidad, el viento que provoca turbulencias y aviva el fuego, la gran concentración de medios aéreos sobre la misma zona, la orografía de la zona de incendio que suele ser escarpada…estos son sin duda factores de riesgo que el 43 Grupo asume y afronta con seguridad a través de un continuado plan de adiestramiento. Conociendo lo arriesgado de la misión es fácilmente comprensible el gran número de horas de experiencia que se requiere antes de actuar como Comandante de Aeronave en misiones de extinción.
 
EXTINCIONES EN EL EXTRANJERO Y MISIONES DE INTERCAMBIO INTERNACIONALES
 
El 43 Grupo de FF.AA. también participa en misiones internacionales, colaborando en la lucha contra incendios y en ejercicios de intercambio con distintas naciones de nuestro entorno que operan el mismo tipo de avión, al objeto de compartir experiencias y formas de actuación comunes. Esta acción en común sirve para evitar incidentes y/o accidentes en el desarrollo de las misiones de extinción con aviones de distintos países en la misma formación, ya que la sintonía entre las distintas tripulaciones es la adecuada.

Las misiones y colaboraciones han ido aumentando año tras año, siendo cada vez más habitual observar a nuestros aviones operando en los países de nuestro entorno. En los últimos años se han efectuado actuaciones o colaboraciones en Francia, Marruecos, Portugal, Italia, Croacia y Grecia.
 
Todas éstas tienen gran importancia, ya que no sólo contribuyen a unificar procedimientos de operación entre todos los países usuarios de este tipo de avión, sino que permiten dar los primeros pasos hacia una actuación globalizada, al menos a nivel europeo, en la lucha contra incendios.

APOYO AL SERVICIO DE BUSQUEDA Y SALVAMENTO ( Em Portugal não aprendemos mesmo nada com quem bem emprega oa meios que possui !!!!!!!!)

La misión secundaria de la Unidad es de apoyo al Servicio de Búsqueda y Salvamento, y se realizan operaciones en coordinación con otras unidades SAR del Ejército del Aire, principalmente con el 802 (Madrid) y 801 (Palma de Mallorca) Escuadrones, que colaboran con aviones C-212 Aviocar y helicópteros Puma y Super Puma, además de los aviones de lucha antisubmarina P-3 Orión pertenecientes al Ala 11 ubicada en Morón de la Frontera (Sevilla).
 
Periódicamente se participa en los ejercicios SURMAR, ejercicios que se realizan para mantener el entrenamiento en la búsqueda y rescate de supervivientes de un accidente aéreo en el mar. El 43 Grupo también ha venido realizando diversos ejercicios SURMAR internacionales con algunos países mediterráneos, entre los que se incluyen Francia e Italia.
 
EXHIBICIONES
 
A menudo se solicita la presencia de la Unidad en diferentes exhibiciones aéreas, tanto estáticas como dinámicas, con el fin de dar a conocer el avión.
 
El 43 Grupo de FF.AA. siempre estará dispuesto a colaborar en estos actos que permiten a todo aquel que se acerque mostrarle nuestro avión y cómo desempeñamos nuestra misión para proteger el medio ambiente de los fuegos por toda la geografía española.



Cumprimentos
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: lexivia em Junho 10, 2015, 08:43:10 pm
Amigos, o combate aos fogos faz-se e deve-se fazer por gestão e ordenamento do território e com técnicas florestais.
A posse do território não é como no tempo dos romanos, em que faço o que quero e como quero. O território é um recurso. Se herdarmos uma fábrica ou uma mina, o que fazemos? Ou nos tornamos empresários ou vendemos. Nota, não estou a dizer que todos têm de vender mas têm um porção do território pelo qual são responsáveis.
O combate a fogos é muito mas muito mais barato na prevenção. Temos de ter meios, sim temos mas ao não ter medidas de gestão e preventivas faz ganhar dinheiro a muitos muitos "interessados", porque acham que não é a força aérea a coordenador o combate aéreo?
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: NVF em Junho 10, 2015, 09:19:38 pm
O problema é que o argumento da prevenção — de inquestionável veracidade, diga-se — tem sido usado ad nauseum nos últimos 30 anos como justificação para não se adquirirem meios aéreos combate próprios. A nossa frota de meios aéreos próprios é uma anedota. Somos um dos poucos países da orla mediterrânica com uma dimensão significativa (territorial e populacional) cuja maioria da frota de meios aéreos de combate é alugada. Até os pobres dos Croatas — com menos recursos que nós — têm 6 CL-415.

Lista simplificada de meios aéreos (somente aviões) de combate a incêndios florestais de países da orla mediterrânica:
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: SinSy em Junho 10, 2015, 09:28:11 pm
Citação de: "NVF"
O problema é que o argumento da prevenção — de inquestionável veracidade, diga-se — tem sido usado ad nauseum nos últimos 30 anos como justificação para não se adquirirem meios aéreos combate próprios. A nossa frota de meios aéreos próprios é uma anedota. Somos um dos poucos países da orla mediterrânica com uma dimensão significativa (territorial e populacional) cuja maioria da frota de meios aéreos de combate é alugada. Até os pobres dos Croatas — com menos recursos que nós — têm 6 CL-415.

Lista simplificada de meios aéreos (somente aviões) de combate a incêndios florestais de países da orla mediterrânica:
    Croácia 6 CL-415, 6 Air Tractor
    França 12 CL-415
    Grécia  8 CL-415, 13 CL-215
    Israel 7 Air Tractor
    Itália  19 CL-415, 10 Air Tractor
    Macedónia 3 Air Tractor
    Marrocos  6 CL-415
    Espanha 4 CL-415, 21 CL-215/CL-215T, 3 Air Tractor


Em termos de capacidade de água, qual é o que tem mais capacidade, o Kamov ou o Canadair?
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: lexivia em Junho 10, 2015, 09:35:13 pm
Citação de: "NVF"
O problema é que o argumento da prevenção — de inquestionável veracidade, diga-se — tem sido usado ad nauseum nos últimos 30 anos como justificação para não se adquirirem meios aéreos combate próprios. A nossa frota de meios aéreos próprios é uma anedota. Somos um dos poucos países da orla mediterrânica com uma dimensão significativa (territorial e populacional) cuja maioria da frota de meios aéreos de combate é alugada. Até os pobres dos Croatas — com menos recursos que nós — têm 6 CL-415.

Lista simplificada de meios aéreos (somente aviões) de combate a incêndios florestais de países da orla mediterrânica:
    Croácia 6 CL-415, 6 Air Tractor
    França 12 CL-415
    Grécia  8 CL-415, 13 CL-215
    Israel 7 Air Tractor
    Itália  19 CL-415, 10 Air Tractor
    Macedónia 3 Air Tractor
    Marrocos  6 CL-415
    Espanha 4 CL-415, 21 CL-215/CL-215T, 3 Air Tractor


A orla mediterrânea começa em Gibraltar na sua parte Noroeste.  :mrgreen:  :mrgreen:
O problema do argumento da prevenção é que nunca se verdadeiramente se implementou e tal "política" ou interesse continua, também, a servir para os equipamentos sejam alugados aos "interessados".
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: tenente em Junho 11, 2015, 10:59:12 am
Citação de: "SinSy"
Citação de: "NVF"
O problema é que o argumento da prevenção — de inquestionável veracidade, diga-se — tem sido usado ad nauseum nos últimos 30 anos como justificação para não se adquirirem meios aéreos combate próprios. A nossa frota de meios aéreos próprios é uma anedota. Somos um dos poucos países da orla mediterrânica com uma dimensão significativa (territorial e populacional) cuja maioria da frota de meios aéreos de combate é alugada. Até os pobres dos Croatas — com menos recursos que nós — têm 6 CL-415.

Lista simplificada de meios aéreos (somente aviões) de combate a incêndios florestais de países da orla mediterrânica:
    Croácia 6 CL-415, 6 Air Tractor
    França 12 CL-415
    Grécia  8 CL-415, 13 CL-215
    Israel 7 Air Tractor
    Itália  19 CL-415, 10 Air Tractor
    Macedónia 3 Air Tractor
    Marrocos  6 CL-415
    Espanha 4 CL-415, 21 CL-215/CL-215T, 3 Air Tractor


Em termos de capacidade de água, qual é o que tem mais capacidade, o Kamov ou o Canadair?

O CL215/415 consegue carregar um pouco mais de 1000 L que o K32.
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: tenente em Junho 11, 2015, 11:13:02 am
Citação de: "lexivia"
Amigos, o combate aos fogos faz-se e deve-se fazer por gestão e ordenamento do território e com técnicas florestais.
A posse do território não é como no tempo dos romanos, em que faço o que quero e como quero. O território é um recurso. Se herdarmos uma fábrica ou uma mina, o que fazemos? Ou nos tornamos empresários ou vendemos. Nota, não estou a dizer que todos têm de vender mas têm um porção do território pelo qual são responsáveis.
O combate a fogos é muito mas muito mais barato na prevenção. Temos de ter meios, sim temos mas ao não ter medidas de gestão e preventivas faz ganhar dinheiro a muitos muitos "interessados", porque acham que não é a força aérea a coordenador o combate aéreo?

Completamente de acordo, se a prevenção fosse efectuada a seu tempo e devidamente, talvez e digo talvez com metade dos meios aéreos dos que actualmente estão alocados ao combate dos fogos florestais conseguíssemos evitar os Perdas/desastres anuais em vidas Humanas e bens materiais.

Serão sempre rpt sempre necessários meios aéreos pesados para uma intervenção mais musculada, meios esses que não temos possuído o que obriga a alugarmos grande número de meios aéreos ligeiros e médios de modo a ser possível ter uma capacidade de descarga capaz de debelar os focos dos incêndios, obrigando no entanto a que se efectuem mais horas de voo, consuma mais combustível, e sejam necessários mais meios humanos, tanto pilotos como pessoal de apoio de terra, combustíveis, manutenção, etc.......a  quem é que isto convirá sabem ???????????

A esperteza saloia e não só............... de quem nos dirige não tem permitido que a coordenação dos meios aéreos seja feita pela FAP, organismo que deveria congregar a totalidade desses meios e, o seu empenhamento nos diversos teatros de operações. :roll:

A entrega destas unidades a entidades civis é mais uma prova dos boys e seus jobs, os amiguinhos, as quintinhas e a corrupção de mão dada como não poderia deixar de ser.

Cumprimentos
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: Menacho em Junho 14, 2015, 07:48:48 pm
11  a la vez soltando agua


(http://i295.photobucket.com/albums/mm153/sandglasspatrol/blog/blog006/11xCL415_zps2eronqss.jpg)
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: Leonidas em Junho 14, 2015, 11:15:39 pm
Saudações Guerreiras

Citação de: "tenente"
… APOYO AL SERVICIO DE BUSQUEDA Y SALVAMENTO ( Em Portugal não aprendemos mesmo nada com quem bem emprega oa meios que possui !!!!!!!!)

Caro tenente, também partilho na íntegra as suas preocupações. As críticas que se fazem ao poder político também nesta matéria são mais que justas e justificadas.

Porém, apostar tudo num só meio, e que ainda por cima é um avião anfíbio, para um país como Portugal, não considero que seja a melhor solução.
Não que não possa ter o seu lugar, mas nunca em função de um qualquer meio super especializado como são esse tipo de aviões.
 
Portugal não consegue competir com recursos como mais nenhum país que seja tão ou mais fustigados por fogos de grandes dimensões. Logo, a decisão de emprego de meios aéreos pesados deveria caber em 1º lugar às plataformas que a força aérea possuiria para o efeito. Isto, por si só, iria sempre rentabilizar os meios que teríamos sem gastar dinheiro á toa. É a decisão mais sóbria e que mais lógica tem para o meu país.

Um meio anfíbio, e especificamente, os canadair, pecam por serem muito lentos. Só uma frota com um nº razoável poderá ser eficaz.

Temos que ter em conta que no verão uma desgraça não vem só. Acontece sempre muita coisa ao mesmo tempo e nos mais variados locais. Os espanhóis não ajudam com transvazes e retenção de águas nos rios que lá nascem, e o alqueva não fica propriamente perto dos acontecimentos.


Cump.
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: lexivia em Junho 15, 2015, 12:54:08 am
Citação de: "Leonidas"
Saudações Guerreiras

Citação de: "tenente"
… APOYO AL SERVICIO DE BUSQUEDA Y SALVAMENTO ( Em Portugal não aprendemos mesmo nada com quem bem emprega oa meios que possui !!!!!!!!)

Caro tenente, também partilho na íntegra as suas preocupações. As críticas que se fazem ao poder político também nesta matéria são mais que justas e justificadas.

Porém, apostar tudo num só meio, e que ainda por cima é um avião anfíbio, para um país como Portugal, não considero que seja a melhor solução.
Não que não possa ter o seu lugar, mas nunca em função de um qualquer meio super especializado como são esse tipo de aviões.
 
Portugal não consegue competir com recursos como mais nenhum país que seja tão ou mais fustigados por fogos de grandes dimensões. Logo, a decisão de emprego de meios aéreos pesados deveria caber em 1º lugar às plataformas que a força aérea possuiria para o efeito. Isto, por si só, iria sempre rentabilizar os meios que teríamos sem gastar dinheiro á toa. É a decisão mais sóbria e que mais lógica tem para o meu país.

Um meio anfíbio, e especificamente, os canadair, pecam por serem muito lentos. Só uma frota com um nº razoável poderá ser eficaz.

Temos que ter em conta que no verão uma desgraça não vem só. Acontece sempre muita coisa ao mesmo tempo e nos mais variados locais. Os espanhóis não ajudam com transvazes e retenção de águas nos rios que lá nascem, e o alqueva não fica propriamente perto dos acontecimentos.


Cump.

Caro Leonidas, não estou a defender nem a acusar ninguém mas cuidado quando se diz que os espanhóis não ajudam com tranvazes.
Infelizmente fomos nós que nos atrasámos com o Plano Nacional de Água e respectivos Planos de de Bacia Hidrográfica para planear e negociar os acordos internacionais, mas lá conseguimos. A verdade é que não temos somos um país com orografia para ter imensos planos de água que permite ter um uso alargado de meios anfíbios pesados.
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: raphael em Junho 15, 2015, 01:26:00 pm
Bem tecendo algumas considerações, não menosprezem os espanhóis porque eles em parte vão ser a nossa tábua de salvação nesta matéria.
Eles já operam Canadair...logo nós também iremos operar Canadair (previsivelmente).

Hipóteses:
  Poderemos vir a adquirir três aviões novos (Canadair), quando temos um avião novo temos que ter formação de pilotos, tripulação e mecânicos...para quando? para já...logo poderemos recorrer a quem com experiência e próximo? os vizinhos aqui do lado. Em que formato? integrando nas tripulações pessoal nosso da Força Aérea, daqueles que apesar de novos em idade e fruto das restrições nas horas de vôo não estão integrados em nenhuma esquadra de vôo.
  A coisa bem protocolada (custos envolvidos, etc) iniciamos desde logo a operação conjunta com Espanha e vamo-nos autonomizando à medida que vamos ganhando experiência.
  A questão do multipurpose não se coloca...o Canadair não permite SAR? Ainda bem...porquê? Porque combater um incêndio com uma aeronave de asa fixa não é o mesmo que voá-la do ponto A para o ponto B, existem condições de excepção desde altas temperaturas, ar mais rarefeito (sim porque num incêndio para emprego do meio aéreo estará a consumir-se muito oxigénio na zona, serão vôos a menor altitude, etc.
 Há que ter treinados procedimentos para recolha de água, distâncias, ponto de entrada, ponto de saída, cada rio cada albufeira tem as suas particularidades. O treino é essencial.
 Quando é que se treina para a época de incêndios? Fora da época de incêndios, logo o off-season dá para treinos.
  O SAR atualmente desempenhado pela FAP não está a ser pago mas temos os meios adstritos para o efeito e que realizam a missão excelentemente com os meios à disposição, já temos em alerta H24 cerca de 600 militares em Portugal Continental e ilhas, para um efetivo do Ramo abaixo dos 7mil militares é um grande esforço, não é preciso sobrecarregar ainda mais a estrutura.

  Ponto decisivo a aquisição ou não pode estar dependente da cor política vencedora nas eleições...porque quem era o MAI à altura da criação da EMA...alguém se recorda?
  O combate aos incêndios passou a ser um negócio, a EMA não lucrava com os aviões parados no chão, eram pagos se voassem...

  Este projeto tem tudo para dar certo é preciso é que haja vontade política para tal. Não resultou com os MAFFS do C-130H porque eram demasiado eficientes e o poder político e outras forças não quiseram. Esperemos que desta vez não criem entraves imaginários.
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: Leonidas em Junho 16, 2015, 02:13:58 am
Saudações Guerreiras

Citação de: "lexivia"
Caro Leonidas, não estou a defender nem a acusar ninguém mas cuidado quando se diz que os espanhóis não ajudam com tranvazes.

Quantas centenas de notícias gostaria de consultar sobre desvios e retenções de caudais nos rios internacionais?

Cump.
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: mafets em Junho 16, 2015, 10:07:21 am
E mais não digo:  :roll:
(http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/3/39/Michigan_National_Guard_firefighting_bucket.jpg)
(http://www.acclaimimages.com/_gallery/_free_images/0420-0908-1500-1203_military_firefighter_dropping_water_bombs_on_a_wildfire_from_a_helicopter_o.jpg)
(http://i.ytimg.com/vi/VdRqys4ZNOU/maxresdefault.jpg)
(http://www.fire.uni-freiburg.de/iffn/country/de/de_2_1.jpg)
Citar
German Armed Forces CH-53G in joint fire fighting operations with the Greek Armed Forces Bell UHD helicopters. Photo: Courtesy LtCol K.Zernia
(http://www.africanaerospace.aero/media/images/articles/6571.jpg)
Citar
Airbus Military reveals details of C295 firefighter programme
(https://milinme.files.wordpress.com/2011/06/trainig-laf-pilots-and-crew-on-wildfire-fighting.jpg)
(http://www.aviationtrivia.org/images/AlouetteIII_bucket.jpg)
(http://i.ytimg.com/vi/fnlwB1yitfE/0.jpg)
Citar
Lama SA 315B Helicopter: Take-off and Firefighting Bambi Bucket!

Cumprimentos
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: lexivia em Junho 16, 2015, 02:20:49 pm
Citação de: "Leonidas"
Saudações Guerreiras

Citação de: "lexivia"
Caro Leonidas, não estou a defender nem a acusar ninguém mas cuidado quando se diz que os espanhóis não ajudam com tranvazes.

Quantas centenas de notícias gostaria de consultar sobre desvios e retenções de caudais nos rios internacionais?

Cump.

Notícias há muitas, conhecimento infelizmente à pouco. Das matérias que domino cada vez que vejo uma notícia até me arrepio.
Uma coisa é, dava jeito receber mais água ou reter água em determinados momentos, outra coisa é cumprir o que está estabelecido (mínimos).
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: nelson38899 em Junho 16, 2015, 04:48:13 pm
Citação de: "Leonidas"
Saudações Guerreiras

Citação de: "lexivia"
Caro Leonidas, não estou a defender nem a acusar ninguém mas cuidado quando se diz que os espanhóis não ajudam com tranvazes.

Quantas centenas de notícias gostaria de consultar sobre desvios e retenções de caudais nos rios internacionais?

Cump.

Se quiser mais avise

http://www.dn.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=1462717&seccao=Sul
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: lexivia em Junho 16, 2015, 05:45:39 pm
Citação de: "nelson38899"
Citação de: "Leonidas"
Saudações Guerreiras

Citação de: "lexivia"
Caro Leonidas, não estou a defender nem a acusar ninguém mas cuidado quando se diz que os espanhóis não ajudam com tranvazes.

Quantas centenas de notícias gostaria de consultar sobre desvios e retenções de caudais nos rios internacionais?

Cump.

Se quiser mais avise

http://www.dn.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=1462717&seccao=Sul

Se quiser ler todo o texto que escrevi, agradeço.
Cumps.,
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: Leonidas em Junho 18, 2015, 12:25:15 am
Saudações guerreiras

Questão; constatação, então?  :D

Penso estarmos todos do mesmo lado. Cada um na sua onda, por direito próprio, mas toda a gente a querer o mesmo, felizmente.
As ações de qualquer estado não só se regem pela sua própria iniciativa. Quem a tem então está bem mais preparado para qualquer tipo de eventualidade, como não poderia deixar de ser. Quem não a tem, sujeita-se.

Mesmo partindo do princípio que o estado português dominasse a iniciativa, ou seja, pensasse em estar o menos possível dependente de terceiros, neste caso em concreto, o impacto de tudo aquilo que se passa do outro lado da fronteira nunca pode ser menosprezado. Estamos a falar de números sempre consideráveis, pois Portugal infelizmente não tem rios suficientemente grandes para ter a melhor das iniciativas.

Mas não me quero aventurar muito na matéria porque não sou perito nestas coisas. Pode já estar a decorrer alguma coisa que possa minorar as nossas necessidades, não querendo cair na tentação da crítica injustificada. A questão da água tem até o poder de, no pior dos cenários, fazer jorrar milhões de litros de sangue, se for preciso.

Cump.
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: mafets em Junho 20, 2015, 09:54:57 am
http://defesanacionalpt.blogspot.pt/2015/06/proteccao-civil-nao-garante-que-todos.html
Citar
A Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) informou hoje que apenas um dos cinco helicópteros Kamov da frota do Estado está operacional e não garante a entrada de outras duas aeronaves no dispositivo de combate a incêndios deste ano.

"Neste momento está apenas em condições de plena operacionalidade um dos cinco Kamov da frota do Estado", refere a ANPC, adiantando que duas aeronaves vão ser reparadas num "curto espaço de tempo" e as outras duas requerem intervenções mais profundas, "não sendo possível garantir a sua entrada no actual dispositivo".

Para compensar a falta destes meios, a Protecção Civil sublinha que foram adoptadas medidas alternativas que "passam pela antecipação da entrada de meios aéreos no dispositivo, nomeadamente helicópteros ligeiros e aviões bombardeiros médios".

Em comunicado, a ANPC garante que está a diligenciar no sentido de reforçar ainda mais o dispositivo com meios aéreos que permitam "minimizar o impacto da indisponibilidade dos helicópteros Kamov".

Esta situação com os helicópteros deve-se, segundo a ANPC, com o processo de transferência, iniciado em Março, dos Kamov para a empresa Everjets, que ganhou o concurso público de operação e manutenção dos aparelhos para os próximos quatro anos.

Durante este processo, a ANPC detectou "não conformidades graves no estado das aeronaves", que ditaram "a impossibilidade de os helicópteros estarem em plena condição de serem operados".

A Protecção Civil realça que todos os aparelhos "inspeccionados necessitaram ou necessitam de intervenções técnicas".

"Dada a gravidade da matéria apurada, esta Autoridade irá agir por todos os meios ao seu dispor para defesa e garantir do interesse patrimonial do Estado", sustenta.

Fonte oficial da ANPC disse à Lusa que "no limite" poderá ser interposta uma acção judicial, mas não especificou contra que entidade.

No comunicado, a ANPC refere também que o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais (DECIF) prevê um total de 49 meios aéreos para a época mais crítica em fogos, entre 01 de Julho e 30 de Setembro.

A fase "Bravo", que está a decorrer até 30 de Junho, prevê o empenhamento de 30 meios aéreos desde 15 de Junho, segundo o DECIF.

A agência Lusa contactou a ANPC sobre o número de meios aéreos actualmente operacionais no combate aos fogos, mas não obteve, até ao momento, qualquer resposta.
Vamos Bem... :roll:
(http://static.globalnoticias.pt/storage/ng1153965.jpg?type=big&pos=0)
(http://www.bps.pt/wp-content/uploads/2015/05/kamov_2.jpg)

Cumprimentos
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: Luxo em Junho 20, 2015, 01:23:03 pm
Não será agora tempo de atribuir os meios da ex. EMA à uma instituição mais seria.
Estou à pensar na GNR porque e à instituição que mais uso poderá ter fora da época dos fogos florestais (controlo rodoviário, controlo fronteiras terrestres e marítimas, SAR com os GIPS, ...e outros). Na época dos fogos florestais, Claro que à missão principal será o combate aos fogos florestais como fizeram os Pumas da policia federal alemã em Portugal.
Nada impede à GNR ter um acordo com à FAP (mais ou menos igual ao da marinha) para à formação dos pilotos, manutenção, disposição de bases aéreas). Isto no espírito de à GNR ser uma forca intermediara entre forcas armadas e forca de segurança civil
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: Edu em Junho 20, 2015, 03:41:17 pm
Os meios aéreos de combate aos incêndios deviam estar todos na FAP, sendo operados exclusivamente por pilotos da FAP e manutenção tendencialmente feita da mesma maneira como é feita para outras aeronaves da FAP.

Não há nada que inventar aqui, não se compreende porque não é feito.

Digo mais, no dia em que o combate aéreo de incêndios passar a ser exclusivamente da responsabilidade da FAP (provavelmente nunca virá a acontecer) a taxa de incêndios nesse ano ver-se-á reduzida em 50% ou mais. Provavelmente nesse momento deixaríamos de precisar de uma grande parte dos meios aéreos adquiridos.
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: mafets em Junho 20, 2015, 04:15:25 pm
Citação de: "Edu"
Os meios aéreos de combate aos incêndios deviam estar todos na FAP, sendo operados exclusivamente por pilotos da FAP e manutenção tendencialmente feita da mesma maneira como é feita para outras aeronaves da FAP.

Não há nada que inventar aqui, não se compreende porque não é feito.

Digo mais, no dia em que o combate aéreo de incêndios passar a ser exclusivamente da responsabilidade da FAP (provavelmente nunca virá a acontecer) a taxa de incêndios nesse ano ver-se-á reduzida em 50% ou mais. Provavelmente nesse momento deixaríamos de precisar de uma grande parte dos meios aéreos adquiridos.
100% de acordo. Mas se caso algum destes "crânios políticos" não quisesse sempre têm a "famosa" UALE (ou o que dela resta, ), à 20 anos a operar sem um único meio aéreo http://www.exercito.pt/sites/UALE/Paginas/Localizacao.aspx.
(http://www.exercito.pt/sites/UALE/Infra-Estruturas/PublishingImages/unidade-gift.gif)
 Além disso não concordo com o estatuto que a GNR tem vindo a adquirir porque o MAI entende que deve ter umas "forças armadas" sobre a sua tutela onde "mande e desmande" sem que o PR possa dizer seja o que for (não que o actual diga alguma coisa mas nunca se sabe o futuro  c34x  ).  :roll:
(http://img.photobucket.com/albums/v293/ilha113/gnr1.jpg)
(http://www.operacional.pt/wp-content/uploads/2013/05/19.Segurex-13.jpg)
(http://shipsoncamera.com/wp-content/uploads/2013/01/FALCAO_DA_MADEIRA_24_NOVEMBRO_2012-500x333.jpg)
(http://i677.photobucket.com/albums/vv133/mergeri2/GNR/img-X26174733-0001_zps61194e82.jpg)
(http://i677.photobucket.com/albums/vv133/mergeri2/GNR/img-X26174733-0002_zpsf7cb556c.jpg)

Cumprimentos
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: Luso em Junho 20, 2015, 04:22:37 pm
Citação de: "Edu"
Os meios aéreos de combate aos incêndios deviam estar todos na FAP, sendo operados exclusivamente por pilotos da FAP e manutenção tendencialmente feita da mesma maneira como é feita para outras aeronaves da FAP.

Não há nada que inventar aqui, não se compreende porque não é feito.

Digo mais, no dia em que o combate aéreo de incêndios passar a ser exclusivamente da responsabilidade da FAP (provavelmente nunca virá a acontecer) a taxa de incêndios nesse ano ver-se-á reduzida em 50% ou mais. Provavelmente nesse momento deixaríamos de precisar de uma grande parte dos meios aéreos adquiridos.

O Sistema alimenta-se das ineficiências do Estado e, sempre que possível, cria-as.
O Sistema também inventa ou cria necessidades para depois o Estado dar respostas... ineficientes.
É raro quando assim não é.

Uma coisa a propósito dos Kamov, que me lembro da altura: antes da aquisição, na imprensa muito se falava da dívida da ex-URSS e depois...
Tal como no "Plano Inclinado" em que o Medina Carreira falava da necessidade do Estado executar obra útil, renovando escolas. Passado algum tempo... "Parque Escolar".
Só um à-parte que me pareceu interessante.
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: Get_It em Junho 20, 2015, 04:45:17 pm
Citação de: "Luxo"
Não será agora tempo de atribuir os meios da ex. EMA à uma instituição mais seria.
Estou à pensar na GNR porque e à instituição que mais uso poderá ter fora da época dos fogos florestais (controlo rodoviário, controlo fronteiras terrestres e marítimas, SAR com os GIPS, ...e outros). Na época dos fogos florestais, Claro que à missão principal será o combate aos fogos florestais como fizeram os Pumas da policia federal alemã em Portugal.
Eu até noutros tempos concordaria com isso a 100%, no entanto a GNR nos últimos anos tem-se transformado num monstro. É necessário fazer uma reforma e reorganização total (http://http) das forças de segurança e das forças armadas ao mesmo tempo. Portanto acabo por ter agora a mesma opinião que o Edu (p259547 (http://http)) e o mafets (p259549 (http://http)). A única diferença é que acho que a manutenção destes meios que acabam por ser dedicados ao combate aos incêndios, - os helicópteros ligeiros já não contam aqui por serem bem mais polivalentes, - poderia ser subcontratada a uma empresa privada (p.e. fabricante no caso da Bombardier) e que também poderia-se recorrer à contratação de civis no caso de necessidade de reforçar as tripulações durante a época de incêndios. Relativamente à referência ao UALE pelo mafets, mesmo que tendo sido feita de forma sarcástica, acho que é uma unidade que precisa de morrer.

Quanto ao comentário do mafets relativamente aos F-16 pintados de azul: antes disso ainda estou à espera de ver a missão de busca-e-salvamento privatizada, seguida pela patrulha marítima e por fim pelo transporte estratégico e de altas entidades. E não sei até que ponto é que isto será anedota ou ficção.

Cumprimentos,
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: Luxo em Junho 21, 2015, 09:12:00 am
Isto da GNR ter barcos, blindados ligeiros e helicópteros (pelo menos, ja teve alouette II) não tem nada de extraordinário. E só olhar para as congéneres Guardia civil, Gendarmerie, Carabinieri.... O problema e existir duplicação de forcas e de meios e não haver especialização das FS (tipo modelo belga: uma forca mais local com missões de policia de proximidade e outra mais nacional com missões de ordem publica, controlo fronteiras.), articuladas com as FA.
Concordo totalemente que se um dia o estado vier à comprar aviões tipo Canadair, estes devem ser atribuídos à FAP.
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: mafets em Junho 21, 2015, 10:35:55 am
Citação de: "Luxo"
Isto da GNR ter barcos, blindados ligeiros e helicópteros (pelo menos, ja teve alouette II) não tem nada de extraordinário. E só olhar para as congéneres Guardia civil, Gendarmerie, Carabinieri.... O problema e haver duplicação de forcas e de meios e não haver especialização das FS (tipo modelo belga: uma forca mais local com missões de policia de proximidade e outra mais nacional com missões de ordem publica, controlo fronteiras.), articuladas com as FA.
Concordo totalemente que se um dia o estado vier à comprar aviões tipo Canadair, estes devem ser atribuídos à FAP.
Tudo países com a dimensão e o dinheiro de Portugal.  :roll: Aliás, Portugal precisa de duas policias para que? Uma não chegava? O que uma faz também pode fazer a outra caso a legislação o permita, mas como Portugal é o pais das "capelinhas" agora temos uma policia a fazer de exercito e marinha (basta ver o que se passou no Iraque). :roll:
(http://static.globalnoticias.pt/Storage/TSF/2011/big/ng1748321.jpg)
(http://resistir.info/iraque/imagens/gnr_iraque_25pc.jpg)
E escrevam o que o Get_it disse: As próximas capelinhas serão o SAR e transporte Vip (pelo menos).  E acabar com a UALE? Esqueçam! Onde colocavam aquela gente toda (ha-de continuar mesmo sem meios aéreos por mais 20 anos)?  :twisted:
Citar
http://www.exercito.pt/sites/UALE/Noticias/Documents/Boletim%20Informativo%20UALE%203%C2%BATrimestre%202014.pdf
(http://www.exercito.pt/sites/UALE/PublishingImages/organograma2.png)
(http://www.exercito.pt/sites/BrigRR/Noticias/PublishingImages/Dia%20da%20UALE%20-%20Desfile%20das%20For%C3%A7as%20em%20Parada.jpg)
Por ultimo, fala-se de Canadair e que tal extender a outros aparelhos como o Fireboss ou air Tractor, com um preço diferente e igualmente adequados À realidade Portuguesa?  :roll:
(http://www.airtractor.com/sites/default/files/planes/air-tractor-802F-fire-boss-6.jpg)
(http://www.ojodigital.com/foro/attachments/vehiculos-maquinas-tecnologia/43927d1236591517-air-tractor-ii-airtractor_850px.jpg)

Cumprimentos
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: Edu em Junho 21, 2015, 11:08:24 am
Mesmo os Kamov, independentemente de terem sido uma boa ou má escolha, deveriam ter sido desde o primeiro momento integrados na FAP.

E obviamente outros meios a serem adquiridos, e até concordo com o Mafets relativamente ao Air Tractor e Fireboss, devem fazer parte da FAP.

A nível dos incêndios em Portugal não há assim tanto a dizer, uma coisa torna-se óbvia, quem combate os incêndios não pode lucrar com essa actividade, é simples.

E quem de forma indirecta lucrar com o combate aos incêndios (por exemplo fornecedores de equipamentos dos bombeiros, etc.) tem de ser mantido sob o olhar atento das autoridades e serviços de informação a nível de ligações pessoais, contactos, comunicações, contas bancárias, etc.
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: Luxo em Junho 21, 2015, 11:39:27 am
Falei no modelo belga por ser um país com uma população similar à portuguesa (menos no poder de compra). Depois pode existir prioridades diferentes entre o poder local (luta contra estacionamento ilegal,  gráfitis,. ..entre otros exemplos) e o poder central.
Isto pode tamben ser feito por unidades diferentes dentro de uma mesma força.
Mas é verdade que tenho uma preferência por um modelo dual, com uma das FS de estatuto militar, mas com especializacao das FS (mas é só uma preferência minha )
Ao nível dos aviões, como já foi aqui escrito, países como a Grécia o Croácia também têm Canadair.
Aliás, a força aérea grega tem Canadair e Fireboss.
Em Espanha, a força aérea tem Canadair e algumas regiões tem Fireboss (deles ou contratados ao ano, isto não sei)
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: mafets em Junho 21, 2015, 02:05:24 pm
Citação de: "Luxo"
Falei no modelo belga por ser um país com uma população similar à portuguesa (menos no poder de compra). Depois pode existir prioridades diferentes entre o poder local (luta contra estacionamento ilegal,  gráfitis,. ..entre otros exemplos) e o poder central.
Isto pode tamben ser feito por unidades diferentes dentro de uma mesma força.
Mas é verdade que tenho uma preferência por um modelo dual, com uma das FS de estatuto militar, mas com especializacao das FS (mas é só uma preferência minha )
Ao nível dos aviões, como já foi aqui escrito, países como a Grécia o Croácia também têm Canadair.
Aliás, a força aérea grega tem Canadair e Fireboss.
Em Espanha, a força aérea tem Canadair e algumas regiões tem Fireboss (deles ou contratados ao ano, isto não sei)
Mas o problema aqui é o "poder de compra". Portugal não o têm para ter duas forças policiais e umas FA com toda a gente a querer ter helicópteros (bastaria um comando conjunto como se chegou a pensar), blindados, lanchas, etc,  quando as mesmas F.A. tem carência de determinados meios, manutenção, pessoal. etc.  
(https://cc3413.files.wordpress.com/2010/10/g3.jpg)
(http://images.aad.gov.au/img.py/56af.jpg?width=640&height=343)
Além disso o combate aos incêndios é um negocio. E por isso a Fap foi afastada, quando usava os C130 com o MAFFS, algo que ainda muitos países usam (sobre as experiências feitas com os c295 espanhóis já se falou cá alguma coisa?).  
(http://2.bp.blogspot.com/-mT8qd2dFi04/Uhs18JY5tFI/AAAAAAAABcs/n-lGvSHcRE4/s1600/image002.jpg)
(http://3.bp.blogspot.com/-ua3SUI5q8bE/Uhs18KrA_6I/AAAAAAAABco/fE-SoDzMPwQ/s1600/179915_10200194020197285_2015018243_n.jpg)
(http://3.bp.blogspot.com/-X1793xkmfWA/UmTk8KN8gPI/AAAAAAAADik/qhhLunMaM6k/s1600/image002-719181.png)
(http://2.bp.blogspot.com/-GsX7OPzOYBg/Uq7-G4t4suI/AAAAAAAAOZc/-gSDfkAZqFM/s1600/12_11_2013_2.jpg)
Lembram-se novamente dos PUMA que ninguém quis? Pois, custavam aquando da recepção dos EH101, à volta de 6 milhões ao ano e ficariam por 25 milhões a reconversão para ANPC. Os KAVOV é só segundo o novo contrato de 36 milhões por 4 anos dá qualquer coisa como 9 milhões por ano, sendo que a actual empresa que ainda faz manutenção até ao final do ano ainda acabou de receber à pouco mais 14 milhões. E quantos KAMOV estão operacionais? Foi importante criar mais outra "capelinha" que sempre deu prejuízo. Lá fora, usa-se  além dos C130, Pumas e Alouette, como reforço aos meios existentes, publicos e privados, Fireboss/Airtractor e Canadair.
(http://www.aviationtrivia.org/images/AlouetteIII_bucket.jpg)
(http://i.ytimg.com/vi/eAAQl-DdjPg/hqdefault.jpg)
Portanto, antes de mais era dotar alguns dos meios existentes na FAP,dar treino às tripulações e investir alguns milhões na aquisição de equipamento, depois dotar a FAP com mais alguns Fireboss/Airtractor (quem sabe dava para fora a epoca de incêndios ser armado como o N4247U  :roll: ) e mandassem a UALE às "malvas". Só que da mesma forma que o MAI quer ter a suas "F.A." também o exercito não desarma com os helis. Mas são apenas meras opiniões pessoais alicerçadas em factos. :roll:
(http://www.firebossllc.com/images/gallery/014.jpg)
(https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/a/a8/FR_canadair.jpg)

Saudações
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: Get_It em Junho 21, 2015, 06:59:17 pm
Citação de: "Luxo"
Isto da GNR ter barcos, blindados ligeiros e helicópteros (pelo menos, ja teve alouette II) não tem nada de extraordinário. E só olhar para as congéneres Guardia civil, Gendarmerie, Carabinieri.... O problema e existir duplicação de forcas e de meios e não haver especialização das FS (tipo modelo belga: uma forca mais local com missões de policia de proximidade e outra mais nacional com missões de ordem publica, controlo fronteiras.), articuladas com as FA.
Eu acho que o principal problema não é o da GNR ter barcos, blindados ligeiros ou helicópteros/UAVs ou até existir até certo ponto uma duplicação de forças e de meios. O problema é a dimensão da coisa e a mentalidade que o MAI e a GNR anda a ter que acaba por ser como foi escrito aqui: o MAI a querer ter as suas próprias "forças armadas". O Iraque é um bom exemplo e é bom olharmos lá para fora e vermos o que anda a acontecer com as forças policiais nos Estados Unidos.

Citação de: "Luxo"
Depois pode existir prioridades diferentes entre o poder local (luta contra estacionamento ilegal,  gráfitis,. ..entre otros exemplos) e o poder central.
Isto pode tamben ser feito por unidades diferentes dentro de uma mesma força.
A existência de prioridades diferentes entre os poderes (comandos) locais e o poder (comando) central não pode ser visto como o principal motivo para estar a dividir as forças em diferentes organizações e entidades. Essas diferenças vão sempre existir de alguma forma e para sermos eficientes as unidades territoriais e regionais devem ter alguma autonomia e o comando central deve estar consciente dessas necessidades.

Citação de: "Luxo"
Mas é verdade que tenho uma preferência por um modelo dual, com uma das FS de estatuto militar, mas com especializacao das FS (mas é só uma preferência minha )
Sim, tudo bem. Mas temos então de escolher um modelo e segui-lo. Não é deixar cada uma das quintas (entidades) e os donos das plantações (ministérios) decidirem o que querem fazer como está a acontecer agora.

Se é para manter a GNR como uma força de segurança com estatuto militar então que se passem grande parte das outras missões estritamente civis e nas regiões urbanos para outras entidades (PSP, SEF, ASAE, etc.) e que se acabe com algumas das unidades nas forças armadas (polícias militares, PJM) ou que se passem algumas das missões dessas unidades para a GNR. Algo um bocado ao estilo do que é feito na Holanda.

Outra coisa que também precisamos de deixar de fazer é que cada vez que uma entidade receba mais meios e responsabilidades que outra entidade venha exigir também a sua parte: ao estilo do que quase aconteceu com a PSP absorver o SEF.

Cumprimentos,
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: night_runner em Junho 21, 2015, 08:04:00 pm
Citação de: "Get_It"
Não é deixar cada uma das quintas (entidades) e os donos das plantações (ministérios) decidirem o que querem fazer como está a acontecer agora.
Esse é que é o problema!! Não é haver quintas, porque elas têm de existir sempre, é o desgoverno que existe! No fundo é tudo uma questão de mentalidade, a mentalidade portuguesa! Podemos dar as voltas que quisermos que vamos parar sempre ao mesmo sítio: não há Estado! Existem governos que se vão sucedendo mas é só isso. Mas está tudo OK porque o povo votou...
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: tenente em Junho 29, 2015, 05:39:09 pm
Citação de: "Edu"
Os meios aéreos de combate aos incêndios deviam estar todos na FAP, sendo operados exclusivamente por pilotos da FAP e manutenção tendencialmente feita da mesma maneira como é feita para outras aeronaves da FAP.

Não há nada que inventar aqui, não se compreende porque não é feito.

Digo mais, no dia em que o combate aéreo de incêndios passar a ser exclusivamente da responsabilidade da FAP (provavelmente nunca virá a acontecer) a taxa de incêndios nesse ano ver-se-á reduzida em 50% ou mais. Provavelmente nesse momento deixaríamos de precisar de uma grande parte dos meios aéreos adquiridos.

1000% de ACORDO !!!!!!

Aqui neste caso, e na aviação, refiro uma máxima que transmitimos diariamente aos mais maçaricos, quando agranelam ou fazem merda, durante as operações de voo, ou de handling : " Na aviação está tudo inventado, não inventes ................. " as reticências são os impropériozitos, adequados á situação, não fossemos nós Lusos !!!
Não vale a pena estarmos com delongas ou desvios de percurso, todas as derivas que neste caso tomarmos irão apenas prolongar os gastos inúteis atribuídos aos amigos de A, B ou C alimentando os tão acostumados compadrios !
A FAP, deve ser a entidade a tomar as rédeas da gestão dos meios  AEREOS, alocados ao Combate dos fogos florestais, enquanto tal não aconteça continuamos a perder tempo, dinheiro e esforços, não inventemos e atribuamos aos especialistas na matéria, leia-se FAP, os meios humanos e materiais para que a missão seja cumprida eficazmente.

Cumprimentos
Ten
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: mafets em Junho 30, 2015, 10:34:28 am
Entretanto:  :roll: http://www.publico.pt/sociedade/noticia/ministra-alertada-ha-cinco-meses-que-helicopteros-podiam-nao-estar-a-funcionar-no-verao-1700535
Citar
A ministra da Administração Interna, Anabela Rodrigues, recebeu uma carta no início de Fevereiro, alertando-a para a possibilidade de os helicópteros pesados Kamov, que integram a frota de meios aéreos do Estado, não estarem a operar na época em que habitualmente se concentram mais incêndios florestais.

A carta foi enviada por Pedro Silveira, presidente da Heliportugal, a empresa que vendeu os aparelhos e esteve a assegurar a sua manutenção até ao início deste mês. E a realidade veio dar-lhe razão: a um dia de entrar na fase Charlie, a mais crítica dos fogos, a Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) só tem um dos seis Kamov a operar. E com o acidente desta segunda-feira, também os helicópteros ligeiros, inicialmente quatro Ecureuil B3, estão reduzidos a duas aeronaves.

No documento, o presidente da Heliportugal diz escrever à ministra depois “de vários pedidos de reunião quer por telefone, quer por email, quer por carta registada ao senhor presidente da ANPC”, manifestando uma “enorme apreensão com o que se está a passar com os helicópteros Kamov”. “É nosso sentimento que o país vai ficar sem estes meios aéreos disponíveis (...) exactamente no pior momento”, acrescentava a carta.  

No dispositivo de combate estava previsto que a ANPC tivesse ao seu dispor 49 meios aéreos para combater os incêndios entre 1 de Julho e 30 de Setembro. Mas, pelo menos no início desta fase, apenas poderá contar com 44 aparelhos, a esmagadora maioria ligeiros. Os meios aéreos pesados, usados no combate aos fogos de maior dimensão, estão reduzidos a um helicóptero Kamov e a dois aviões bombardeiros pesados, um número que contrasta com os sete previsto no dispositivo, que integra a frota do Estado e os aparelhos alugados.  

Em resposta ao PÚBLICO, a ANPC diz que conta ter durante o próximo mês os dois Kamov “com problemas mais ligeiros” a funcionar. Mas estas duas aeronaves ainda continuam paradas à espera da chegada de novos motores. Estes helicópteros estão inoperacionais, um desde 30 de Dezembro do ano passado e outro uns dias mais tarde, ou seja, ambos há mais de seis meses.

No penúltimo dia do ano, um dos Kamov teve um incidente grave em São Brás de Alportel, no Algarve, durante um voo para treinar a utilização do guincho usado para as missões de resgate e salvamento. Na sequência deste incidente, foi determinada uma inspecção aos motores de todos os helicópteros pesados, tendo-se detectado fissuras num outro motor, o que obrigou o aparelho a parar, explica o responsável pelo Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves, Álvaro Neves. Foi aberta uma investigação e, neste momento, as aeronaves ainda estão à guarda desta investigação. “Mal a Autoridade Nacional de Protecção Civil tenha os motores, liberto os aparelhos da investigação”, garante Álvaro Neves.

A ANPC não explica porque não mandou reparar mais cedo os aparelhos, atirando as culpas para a Heliportugal que diz era responsável pela “manutenção das aeronaves”. Pedro Silveira responde que a manutenção contratualizada era apenas a programada e, como tal, não incluía este tipo de reparação. Insiste que isso mesmo foi reconhecido pelo Ministério da Administração Interna que lançou um concurso no final de Maio para reparar estes aparelhos, com um preço base de três milhões de euros. Mas nem a Heliportugal, nem nenhuma outra empresa concorreu.

“O Estado foi atrasando o conserto destes helicópteros e depois queria obrigar-nos a fazer a reparação em 30 dias, o que era manifestamente impossível”, justifica Pedro Silveira. Mas isto só explica porque há dois helicópteros parados.

Um outro teve um acidente grave em Setembro de 2012 e, desde então, ou seja, há mais de dois anos e meio que não funciona. O Estado nunca teve dinheiro para o reparar. Isto porque, como se tem optado por não fazer seguros para aeronaves, cada vez que há um acidente ou um incidente grave o MAI fica com o total dos encargos. Por isso mesmo, o Estado nunca substituiu o helicóptero ligeiro destruído num acidente em Novembro de 2007, que provocou a morte do piloto da aeronave. Tal não acontecerá, contudo, com o aparelho acidentado esta segunda-feira, já que, actualmente, os helicópteros estão a ser operados por privados que possuem seguro dos aparelhos.

Um outro esteve envolvido num incidente em Agosto de 2013, que obrigou o aparelho a aterrar de emergência no aeródromo de Viseu. Esteve sem funcionar até há cerca de um mês, altura em que a Heliportugal o entregou à protecção civil após o Estado ter autorizado a reparação. Contudo, entretanto, foi detectado um problema num dos motores, tendo a ANPC responsabilizado a Heliportugal pela deficiente reparação. Pedro Silveira garante que o motor era novo e não tinha qualquer problema, atribuindo o problema às sete horas que a aeronave operou após a reparação.  
(http://imagens6.publico.pt/imagens.aspx/791516?tp=UH&db=IMAGENS&w=749)
(http://www.bv-guimaraes.org/site/wp-content/uploads/Heli_AS350.jpg)

Saudações
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: tenente em Junho 30, 2015, 07:08:24 pm
Citação de: "mafets"
Entretanto:  :roll: http://www.publico.pt/sociedade/noticia/ministra-alertada-ha-cinco-meses-que-helicopteros-podiam-nao-estar-a-funcionar-no-verao-1700535
Citar
A ministra da Administração Interna, Anabela Rodrigues, recebeu uma carta no início de Fevereiro, alertando-a para a possibilidade de os helicópteros pesados Kamov, que integram a frota de meios aéreos do Estado, não estarem a operar na época em que habitualmente se concentram mais incêndios florestais.

No dispositivo de combate estava previsto que a ANPC tivesse ao seu dispor 49 meios aéreos para combater os incêndios entre 1 de Julho e 30 de Setembro. Mas, pelo menos no início desta fase, apenas poderá contar com 44 aparelhos, a esmagadora maioria ligeiros. Os meios aéreos pesados, usados no combate aos fogos de maior dimensão, estão reduzidos a um helicóptero Kamov e a dois aviões bombardeiros pesados, um número que contrasta com os sete previsto no dispositivo, que integra a frota do Estado e os aparelhos alugados.
(http://imagens6.publico.pt/imagens.aspx/791516?tp=UH&db=IMAGENS&w=749)

Saudações

À parte do restante discurso comento apenas esta parte sobre o período em que os meios aéreos estão operacionais/alocados ao combate ao fogos florestais de 01JUL/30SET !!!????

Então o mês de junho não é considerado como período de risco para os incêndios florestais meus senhores ???? :?  :?
Só este anos já tivemos mais uns 3570 incêndios que no mesmo mês de 2014 com uma área ardida de mais 14.971 hectares, só mais 9.446 do que no mesmo período de 2014, quando as chamas consumiram 5.525 hectares !!!! :N-icon-Gun:

Cumprimentos
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: mafets em Julho 02, 2015, 10:15:32 am
A propósito do Helicóptero que caiu: http://www.bps.pt/geral/operacao-de-remocao-helicoptero-caido-em-lago-em-lamoso-imagens/
Citar
Remoção de helicóptero que caiu durante uma operação de combate a incêndios, numa lagoa no interior de uma pedreira em Lamoso, Paços de Ferreira
(http://www.bps.pt/wp-content/uploads/2015/07/ng4396361.jpg)
(http://www.bps.pt/wp-content/uploads/2015/07/ng4396363.jpg)
(http://www.bps.pt/wp-content/uploads/2015/07/ng4396364.jpg)
(http://www.bps.pt/wp-content/uploads/2015/07/ng4396354.jpg)

Saudações
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: Leonidas em Julho 06, 2015, 03:47:38 am
Citar
Não será agora tempo de atribuir os meios da ex. EMA à uma instituição mais seria.
Estou à pensar na GNR porque e à instituição que mais uso poderá ter fora da época dos fogos florestais (controlo rodoviário, controlo fronteiras terrestres e marítimas, SAR com os GIPS, ...e outros). Na época dos fogos florestais, Claro que à missão principal será o combate aos fogos florestais como fizeram os Pumas da policia federal alemã em Portugal.
Nada impede à GNR ter um acordo com à FAP (mais ou menos igual ao da marinha) para à formação dos pilotos, manutenção, disposição de bases aéreas). Isto no espírito de à GNR ser uma forca intermediara entre forcas armadas e forca de segurança civil.

Temos que partir do princípio que todas as instituições são sérias. O problema é que os meios não chegam ou o que existe não dá.
O estado pecou por incompetência na decisão de adquirir meios que não se conseguem rentabilizar de forma eficiente. E mesmo o que temos nem a funcionar está.

A melhor ideia para os kamov é: vendê-los o mais rapidamente possível. É na única coisa em que acredito.  Assim, ainda estávamos a tempo de ir buscar algum.  

Só por curiosiodade, os franceses (armé de l ´air) utilizam os “esquilos” para intercepção de avionetas.  

http://rpdefense.over-blog.com/tag/masa/

06/02/2015 Sources : Armée de l'air
 Embarqués à bord d’hélicoptères Fennec, ils assurent la protection aérienne du territoire français, contribuant à la posture permanente de sûreté (PPS).
 Du 2 au 4 février 2015, une campagne de tir air-sol organisée au profit des équipes « mesures actives de sûreté aérienne » (MASA) s’est déroulée sur le champ de tir de Captieux (33).
 Des spécialistes des escadrons de protection des bases aériennes 115 d’Orange et 107 de Villacoublay et du commando parachutiste de l’air n°30 (CPA 30) de Bordeaux participaient à cet exercice, tout comme l’équipage d’un Fennec de l’escadron d’hélicoptère 5/67 « Alpilles ».
 Cette campagne de tir a permis la reconduction des licences opérationnelles délivrées à une vingtaine de chefs d’équipe et de tireurs embarqués. Chaque équipe MASA a réalisé deux séances de jour, ainsi qu’un tir de nuit, délivrant plusieurs types de munitions (calibre 7,62 mm de fusil HK 417, calibre 12 de fusil à pompe TPS, fusées éclairantes, etc.).
 365 jours par an, 24 heures sur 24, l’armée de l’air est responsable en toutes circonstances de la défense aérienne du territoire national. S’appuyant sur un dispositif permanent interarmées et interministériel travaillant en réseau (radars, centre national des opérations aériennes), des hélicoptères et des avions de chasse de la permanence opérationnelle (PO) répartis sur l’ensemble de l’Hexagone, se tiennent prêts à décoller à tout moment pour effectuer des missions MASA.


Citar
«Eu até noutros tempos concordaria com isso a 100%, no entanto a GNR nos últimos anos tem-se transformado num monstro.»
«o MAI a querer ter as suas próprias "forças armadas".»
«O problema é a dimensão da coisa e a mentalidade que o MAI e a GNR anda a ter que acaba por ser como foi escrito aqui: o MAI a querer ter as suas próprias "forças armadas".»
Citar
Além disso não concordo com o estatuto que a GNR tem vindo a adquirir porque o MAI entende que deve ter umas "forças armadas" sobre a sua tutela onde "mande e desmande" sem que o PR possa dizer seja o que for (não que o actual diga alguma coisa mas nunca se sabe o futuro  ). Qualquer dia, para juntar aos blindados, às lanchas e aos helis da ANPC ainda se arranja uma "esquadrilha de F16 pintadinha de azul" e lá vai a rapaziada fazer novamente uma perninha no Iraque (que por lá está muito perigoso para andar pelo chão  )
.  

Eu ainda não entendi por que razão o MAI e afins desejam ter as suas próprias “FAs”!
Não é mais do mesmo? Há falta de meios!
A propósito do Iraque 2ª guerra do golfo: Foram exatamente as forças da GNR que avançaram e não o exército, num cenário de guerra autêntica. Qualquer meio do exército “pintado á GNR” não terá sido mal empregue. Foi pela discordância na questão do envolvimento português no Iraque entre PM e PR, na altura, que avançou a GNR e não o exército, se não me falha a memória.  

Citar
«O Iraque é um bom exemplo e é bom olharmos lá para fora e vermos o que anda a acontecer com as forças policiais nos Estados Unidos.»
:?:


http://www.portugal.gov.pt/pt/os-ministerios/ministerio-da-administracao-interna/mantenha-se-atualizado/20140226-mai-incendios-bombeiros.aspx

 
Citar
PORTUGAL VAI COMPRAR DOIS AVIÕES DE COMBATE A FOGOS FLORESTAIS

2014-02-26 às 15:04

O Ministro da Administração Interna afirmou que está a decorrer o processo de compra de dois aviões Canadair de combate a incêndios florestais, na reunião do grupo de trabalho para Análise da Problemática dos Incêndios Florestais, da Assembleia da República. Miguel Macedo acrescentou que Portugal precisa de ter no dispositivo mais meios aéreos próprios, para ter capacidade de combater grandes incêndios florestais
Embora no passado tenha sido feita a opção de alugar a outros países este tipo de aviões, agora «há um consenso que Portugal precisa de ter, pelo menos, um aparelho Canadair», afirmou o Ministro que acrescentou que os aviões custam cerca de 37 milhões de dólares cada, sendo comprados com recurso a fundos comunitários.

Miguel Macedo afirmou que não é fácil adquirir estes aviões no mercado a preços razoáveis, uma vez que «estes meios não abundam», mas Portugal «não pode, por sistema, em cada verão, recorrer à generosidade de outros países».
Relativamente à rede nacional de postos de vigia para deteção de incêndios, atualmente da responsabilidade da GNR, o Ministro informou que esta deve passar a ser gerida pelas autarquias locais a partir do próximo ano. Os 231 postos de vigia da GNR funcionam durante o verão e, nesses meses, costumam dar emprego a cerca de 1000 pessoas.

Miguel Macedo referiu também que há falta de condições de treino dos bombeiros voluntários, uma matéria em que «há quase tudo para fazer» e na qual estamos «muito longe» de ter as condições de «treino que deviam ser adequadas para este tipo de situações».
Está a decorrer uma «revisão completa ao programa da Escola Nacional de Bombeiros», que passa em aproximar a formação aos corpos de bombeiros e recorrer às novas tecnologias, acrescentando que, antes da época de fogos, vão realizar-se ações de formação em estruturas espalhadas pelo País.
Miguel Macedo informou que estão a ser criadas bases logísticas, em vários pontos do País, para apoiar as estruturas de bombeiros durante a época de fogos, locais onde será possível aos profissionais descansar, tomar banho e comer, pois «ficou bem visível», durante os incêndios de 2013, que há falta de estruturas de apoio.
Citar
Incêndios. Governo vai comprar dois meios aéreos
 
Portugal vai recorrer a financiamento europeu, anunciou a ministra da Administração Interna.

11-01-2015 14:32
A ministra da Administração Interna, Anabela Rodrigues, anunciou este domingo, em Torres Vedras que o Governo vai comprar dois meios aéreos para o combate aos incêndios florestais.

"O Governo iniciou esta semana o processo que levará à aquisição pelo Estado Português de dois meios aéreos, pesados, anfíbios de asa fixa, para combate a incêndios florestais", afirmou Anabela Rodrigues, durante a tomada de pose dos órgãos da Liga Portuguesa de Bombeiros.
A governante adiantou que a aquisição daqueles equipamentos "será possível com recurso a financiamento europeu e foi ponderada de forma a permitir que os respectivos fundos continuem a estar disponíveis para outras áreas de equipamento dos bombeiros".

O presidente da Liga, Jaime Marta Soares, sublinhou a necessidade de a lei do financiamento dos bombeiros entrar em vigor com rapidez, para resolver o problema da falta de sustentabilidade financeira de muitas corporações e, com isso, melhorar a resposta de socorro às populações.
Sem apontar prazos e sem responder aos jornalistas, Anabela Rodrigues afirmou, durante o seu discurso, que "o trabalho está concluído no que diz respeito ao financiamento pela administração central, representando um aumento do financiamento em mais de 10%, estando neste momento em curso um esforço final de negociação com a Associação Nacional dos Municípios Portugueses (ANMP)" para responderem também ao financiamento.
À alegada falta de respostas da ANMP, o presidente da Liga mostrou-se "estupefacto" e disse que irá sensibilizar os autarcas para a necessidade de assumirem a sua "responsabilidade" e financiamento por terem competências de Proteção Civil.

A liga dos Bombeiros Portugueses pediu a reforma da lei orgânica do Instituto Nacional de Emergência Médica e da Autoridade Nacional da Proteção Civil de modo a englobar os bombeiros nas decisões, bem como a criação do cartão social do bombeiro e do Observatório Nacional para os Incêndios Florestais.
A ministra da Administração Interna respondeu que também é intenção do Governo criar esse observatório, enquanto "espaço de reflexão, análise, diálogo e partilha constantes, na busca das melhores soluções em três áreas fundamentais: prevenção, fiscalização e combate".
Quanto ao cartão social do bombeiro, Anabela Rodrigues manifestou "disponibilidade para analisar e discutir" uma proposta a ser apresentada pela Liga dos Bombeiros Portugueses.

http://rr.sapo.pt/informacao_detalhe.as ... did=174411 (http://rr.sapo.pt/informacao_detalhe.aspx?fid=25&did=174411)

http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=828580&tm=8&layout=121&visual=49

Citar
Especialista diz que faltam bombeiros florestais e há muitos meios aéreos
Lusa 14 Mai, 2015, 15:01
O especialista em incêndios florestais Paulo Tavares considerou hoje que há "um desequilibro no investimento ao combate" aos fogos, apontando a falta de bombeiros florestais e o excesso de meios aéreos.
"O nosso dispositivo, para a dimensão do país, talvez se possa considerar sobredimensionado", disse à agência Lusa o investigador do Centro de Investigação e de Tecnologias Agroambientais e Biológicas (CITAB) da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), a propósito da fase Bravo de combate a incêndios florestais, que começa na sexta-feira.

Como exemplo, referiu que "é excessivo" o número de meios aéreos, que se reflete num "desequilíbrio de investimento no combate".
Paulo Tavares adiantou que "os meios aéreos têm uma relação custo/benefício muito alta" e "aquilo que fazem não compensa de modo nenhum os custos que têm".
"Existe a perceção pública de que com mais meios aéreos se consegue atacar melhor os incêndios, a verdadeira solução está no terreno, não está no ar", disse, apontando a falta de "especialização e profissionalização" dos bombeiros, apesar de Portugal ter os meios e feito investimento nos últimos anos.
O investigador da UTAD explicou que a falta de especialização está relacionada com "combatentes mais aptos em enfrentar o fogo florestal", uma vez que bombeiros portugueses "estão mais treinados para defender pessoas e bens" e não as florestas.
"Apesar de todo o investimento, não vemos grandes avanços na eficácia, como em Espanha e em outros países, que conseguiram melhorar as estatísticas de fogos", sustentou.

Além da falta bombeiros sapadores, Paulo Tavares considerou também que há pouca visão técnica, fundamental para extinguir um incêndio o mais rápido possível.
"Com poucos meios de combate podemos fazer bastante melhor, é preciso ter uma visão técnica sob o incêndio, saber ler o incêndio, aplicar conhecimento técnico mais avançado que em Portugal é extremamente escasso", sustentou.
Para o docente, os passos dados em Portugal "têm sido muito tímidos", apesar de estar tudo diagnosticado há muito anos.
Paulo Tavares destacou a especialização e o investimento feito nas equipas mais vocacionadas para o fogo florestal, como foi o caso dos GIPS da GNR, bombeiros "Canarinhos" e sapadores florestais, mas considerou que o esforço foi escasso.
"Tinha que haver um investimento na formação a todos os níveis, desde o bombeiro treinado para usar a água, até ao técnico florestal que deveria ter as competências para fazer a análise de incêndios e dirigir as técnicas de combate", afirmou.

Devido a este modelo de combate, assente em bombeiros mais vocacionados para a proteção de bens e pessoas, o investigador considerou que em Portugal ainda se continua a usar mais água do que ferramentas de sapador ou máquinas de rasto.
Paulo Tavares reconheceu que este a ano houve avanços no número de bombeiros formados, mas o problema está nos formadores, que não têm as competências necessárias, nomeadamente conhecimento técnico no combate a incêndios.
O investigador defendeu ainda a existência de corpos de bombeiros "mais estáveis" e "com melhor formação".
"Enquanto o combate aos incêndios estiveram tão dependentes do voluntariado e dos bombeiros sazonais é muito difícil ter um corpo profissional estável a atuar nesta área e conseguir melhores resultados", concluiu.

Cump.
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: NVF em Julho 07, 2015, 04:58:54 am
Video impressionante de dois Canadair a reabastecerem.

https://www.facebook.com/ClimatologiaGeografica/videos/573048359455249/?fref=nf
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: Menacho em Julho 30, 2015, 10:42:18 pm
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: tenente em Agosto 11, 2015, 09:32:14 am
Citação de: "tenente"
Citação de: "mafets"
Entretanto:  :roll: http://www.publico.pt/sociedade/noticia/ministra-alertada-ha-cinco-meses-que-helicopteros-podiam-nao-estar-a-funcionar-no-verao-1700535
Citar
A ministra da Administração Interna, Anabela Rodrigues, recebeu uma carta no início de Fevereiro, alertando-a para a possibilidade de os helicópteros pesados Kamov, que integram a frota de meios aéreos do Estado, não estarem a operar na época em que habitualmente se concentram mais incêndios florestais.

No dispositivo de combate estava previsto que a ANPC tivesse ao seu dispor 49 meios aéreos para combater os incêndios entre 1 de Julho e 30 de Setembro. Mas, pelo menos no início desta fase, apenas poderá contar com 44 aparelhos, a esmagadora maioria ligeiros. Os meios aéreos pesados, usados no combate aos fogos de maior dimensão, estão reduzidos a um helicóptero Kamov e a dois aviões bombardeiros pesados, um número que contrasta com os sete previsto no dispositivo, que integra a frota do Estado e os aparelhos alugados.
(http://imagens6.publico.pt/imagens.aspx/791516?tp=UH&db=IMAGENS&w=749)

Saudações

À parte do restante discurso comento apenas esta parte sobre o período em que os meios aéreos estão operacionais/alocados ao combate ao fogos florestais de 01JUL/30SET !!!????

Então o mês de junho não é considerado como período de risco para os incêndios florestais meus senhores ???? :?  :?
Só este anos já tivemos mais uns 3570 incêndios que no mesmo mês de 2014 com uma área ardida de mais 14.971 hectares, só mais 9.446 do que no mesmo período de 2014, quando as chamas consumiram 5.525 hectares !!!! :N-icon-Gun:

Cumprimentos

Parece-me que a 30JUN, quando escrevi o post acima, estava sem querer, a adivinhar o que ia acontecer neste verão ! A Área ardida é enorme, muito superior á dos anos anteriores e a fase Charlie ainda não terminou !! :G-beer2: ........... continuamos felizes e contentes!
Os nossos combatentes, aqueles milhares de Heróis, que diariamente andam no terreno, com mangueiras, pás e picaretas, esses, aos olhos de quem planeia as campanhas dos combates aos incêndios florestais, devem ser descartáveis, é como há uns dias uma das associação de Bombeiros afirmou, " Continuam a ser EXPLORADOS ", e eu assino por baixo !! :G-beer2:  :G-beer2:

Cumprimentos e gozem o pouco verde que vamos tendo no Nosso Portugal
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: mafets em Agosto 11, 2015, 10:26:33 am
Salvo erro agora já estão 3 Kamov operacionais e 3 Écureuil (o que caiu como tinha seguro foi substituído por outro). O lamentavel foi não terem alugado mais pois, como aliás previ, o preço agora pedido era muito alto.
(http://www.oje.pt/wp-content/uploads/2015/06/Kamov.jpg)
(http://static.noticiasaominuto.com/stockimages/1370x587/9670316.jpg)
Citar
O presidente da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) disse hoje que três dos cinco helicópteros Kamov estão operacionais para combater os incêndios florestais, sendo a recuperação dos outros dois "demorada e complexa".

Francisco Grave Pereira disse também que foi ponderada a possibilidade de alugar outros meios pesados para substituir os Kamov, mas foi descartada essa hipótese, ao ser feita uma ponderação entre preço, histórico do dispositivo a funcionar com os cinco helicópteros e comportamento de todos os meios envolvidos.

Na conferência de imprensa, o comandante operacional nacional, José Manuel Moura, afirmou que se tem conseguido dar, até agora, uma resposta operacional com os 47 meios aéreos.

Devido aos problemas dos helicópteros Kamov, detetados durante o processo de transferência para a empresa que ganhou o concurso público de operação e manutenção dos aparelhos para os próximos quatro anos, a ministra da Administração Interna, Anabela Rodrigues, determinou, em junho, à Inspeção-Geral da Administração Interna (IGAI), a abertura de um inquérito.

http://www.sapo.pt/noticias/recuperacao-de-dois-kamov-vai-ser-demorada-e-_55c0cbf1dfda06b616934b1d
Lá por fora as f.a. continuam a ajudar os meios privados mas por cá era mau para o negócio.  :roll:
(http://static3.businessinsider.com/image/55ad0173371d2232008b7b8d-1024-683/hh-139a-caglieri_16.jpg)
(http://www.lw.admin.ch/internet/luftwaffe/de/home/aktuell/reports/brand.parsys.74883.Image.direct.jpeg)

Cumprimentos
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: tenente em Agosto 11, 2015, 02:33:31 pm
Citação de: "mafets"
Salvo erro agora já estão 3 Kamov operacionais e 3 Écureuil (o que caiu como tinha seguro foi substituído por outro). O lamentavel foi não terem alugado mais pois, como aliás previ, o preço agora pedido era muito alto.
(http://www.oje.pt/wp-content/uploads/2015/06/Kamov.jpg)
(http://static.noticiasaominuto.com/stockimages/1370x587/9670316.jpg)
Citar
O presidente da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) disse hoje que três dos cinco helicópteros Kamov estão operacionais para combater os incêndios florestais, sendo a recuperação dos outros dois "demorada e complexa".

Francisco Grave Pereira disse também que foi ponderada a possibilidade de alugar outros meios pesados para substituir os Kamov, mas foi descartada essa hipótese, ao ser feita uma ponderação entre preço, histórico do dispositivo a funcionar com os cinco helicópteros e comportamento de todos os meios envolvidos.

Na conferência de imprensa, o comandante operacional nacional, José Manuel Moura, afirmou que se tem conseguido dar, até agora, uma resposta operacional com os 47 meios aéreos.

Devido aos problemas dos helicópteros Kamov, detetados durante o processo de transferência para a empresa que ganhou o concurso público de operação e manutenção dos aparelhos para os próximos quatro anos, a ministra da Administração Interna, Anabela Rodrigues, determinou, em junho, à Inspeção-Geral da Administração Interna (IGAI), a abertura de um inquérito.

http://www.sapo.pt/noticias/recuperacao-de-dois-kamov-vai-ser-demorada-e-_55c0cbf1dfda06b616934b1d
Lá por fora as f.a. continuam a ajudar os meios privados mas por cá era mau para o negócio.  :roll:
(http://static3.businessinsider.com/image/55ad0173371d2232008b7b8d-1024-683/hh-139a-caglieri_16.jpg)
(http://www.lw.admin.ch/internet/luftwaffe/de/home/aktuell/reports/brand.parsys.74883.Image.direct.jpeg)

Cumprimentos

Só possuímos um Kamov Operacional, pelo menos ontem só estava um no activo .
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: HSMW em Agosto 11, 2015, 04:29:50 pm
Este tópico era para ser apenas sobre os Bombardier...
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: tenente em Agosto 12, 2015, 08:20:43 am
Citação de: "HSMW"
Este tópico era para ser apenas sobre os Bombardier...

pois era mas vá se lá saber o porquê das derivas a que os tópicos neste fórum estão sujeitos, fala-se de tudo menos do que ao tópico diz respeito....... :lol:  :lol:  :lol: .
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: tenente em Agosto 09, 2016, 08:55:07 pm
O melhor dos melhores CL415 é sem dúvida este o CL415MP
a polivalência deste meio aéreo é a sua grande mais valia

http://www.bombardier.com/en/aerospace/amphibious-aircraft.html

http://www.redstar.gr/Foto_red/Eng/HAF/Air_Power_CL415MP.html

Abraços
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: Cabeça de Martelo em Agosto 10, 2016, 02:52:43 pm
O melhor dos melhores CL415 é sem dúvida este o CL415MP
a polivalência deste meio aéreo é a sua grande mais valia

http://www.bombardier.com/en/aerospace/amphibious-aircraft.html

http://www.redstar.gr/Foto_red/Eng/HAF/Air_Power_CL415MP.html

Abraços

Já se compravam uns 5, não?! >:(

Para a FAP!!!
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: tenente em Agosto 10, 2016, 02:58:46 pm
O melhor dos melhores CL415 é sem dúvida este o CL415MP
a polivalência deste meio aéreo é a sua grande mais valia

http://www.bombardier.com/en/aerospace/amphibious-aircraft.html

http://www.redstar.gr/Foto_red/Eng/HAF/Air_Power_CL415MP.html

Abraços

Já se compravam uns 5, não?! >:(

Para a FAP!!!

Já deveriam estar ao Serviço da FAP há uns bons anos e pelo menos seis unidades que eram as que necessitávamos, não só para os combates aos FF como para nos meses de inverno efectuarem a patrulha marítima, ou serem mesmo alugados a terceiros,  ao invés de andarmos ano após ano a alugar meios aéreos, e, mais grave, meios deste mesmo modelo e a mendigarmos mais uns quantos como este ano já aconteceu com dois Canadairs Espanhóis e uma aeronave Italiana do mesmo tipo, e o que é engraçado é que este equipamento para os outros Países é adequado combatendo os incêndios FF de há muitos anos a esta parte, mas, para PORTUGAL não serve ???????
No entanto andamos a alugar anualmente o mesmo tipo de aeronaves, Tenham Vergonha !!!!!

Abraços
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: oi661114 em Agosto 10, 2016, 05:52:48 pm
O melhor dos melhores CL415 é sem dúvida este o CL415MP
a polivalência deste meio aéreo é a sua grande mais valia

http://www.bombardier.com/en/aerospace/amphibious-aircraft.html

http://www.redstar.gr/Foto_red/Eng/HAF/Air_Power_CL415MP.html

Abraços

Já se compravam uns 5, não?! >:(

Para a FAP!!!

(http://www.bombardier.com/content/dam/Websites/bombardiercom/Banners/banner-920x270/ba/bombardier-aerospace-amphibiousaircraft-415mp.jpg/_jcr_content/renditions/cq5dam.web.920.270.jpeg)

Pois, a bandeira portuguesa está lá no avião ... ::)
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: mafets em Agosto 10, 2016, 06:08:42 pm
O melhor dos melhores CL415 é sem dúvida este o CL415MP
a polivalência deste meio aéreo é a sua grande mais valia

http://www.bombardier.com/en/aerospace/amphibious-aircraft.html

http://www.redstar.gr/Foto_red/Eng/HAF/Air_Power_CL415MP.html

Abraços

Já se compravam uns 5, não?! >:(

Para a FAP!!!

Já deveriam estar ao Serviço da FAP há uns bons anos e pelo menos seis unidades que eram as que necessitávamos, não só para os combates aos FF como para nos meses de inverno efectuarem a patrulha marítima, ou serem mesmo alugados a terceiros,  ao invés de andarmos ano após ano a alugar meios aéreos, e, mais grave, meios deste mesmo modelo e a mendigarmos mais uns quantos como este ano já aconteceu com dois Canadairs Espanhóis e uma aeronave Italiana do mesmo tipo, e o que é engraçado é que este equipamento para os outros Países é adequado combatendo os incêndios FF de há muitos anos a esta parte, mas, para PORTUGAL não serve ???????
No entanto andamos a alugar anualmente o mesmo tipo de aeronaves, Tenham Vergonha !!!!!

Abraços

A volta de 150 milhões de euros fora contratos, peças, etc, por inegável utilidade que tenham durante todo o ano, não estou a ver. Principalmente quando nem dinheiro para os restantes "Tejo", as suas calibre .50 e os seus radares de navegação existe. Mais isto sou eu, que face à negociata dos incêndios entre políticos e privados, principalmente quanto a meios aéreos, nem um Airtractor em segunda mão vejo o estado adquirir... ::)
 
(http://4.bp.blogspot.com/-bf0w6nIN02E/UQ6KbxccHqI/AAAAAAAAHho/uA4pZt0nMtw/s1600/AirTractor_850px.jpg)

Cumprimentos
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: perdadetempo em Outubro 14, 2016, 06:21:11 pm
A BOMBARDIER vendeu à  Viking Air Limited. os (type certificates) dos CL-215 e CL-415 que ficará a ser o único responsável pela manutenção, certificação/fornecimento de peças e eventual construção destas aeronaves.

fica aqui os links,
cumps,

http://fireaviation.com/2016/06/21/bombardier-sells-their-air-tanker-business/

http://www.bombardier.com/en/media/newsList/details.bca-201600620-bombardier-announces-a-definitive-agreement-for-th.bombardiercom.html

http://www.vikingair.com/
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: Get_It em Agosto 19, 2017, 03:28:57 pm
Continua o esforço para retomar a produção. Só nos ficava bem assinar uma letter of intent para 2 aeronaves, visto até que temos políticos que adoram assinar essas coisas e até as autárquicas estão aí à porta.

Global water bomber manufacturing program and '900 new jobs' could be headed for Calgary (http://"http://www.vancouversun.com/global+water+bomber+manufacturing+program+jobs+could+headed+calgary/13415013/story.html") (1 de Junho de 2017)

Viking Air looking at new production of Bombardier CL-415
(18 de Agosto de 2017)
Citação de: David Pugliese / Ottawa Citizen
Viking Air of British Columbia is looking at whether it is worthwhile to begin new production of the Bombardier CL-415.

In 2016, Viking acquired Bombardier’s Amphibious Aircraft program, which includes Type Certificates for CL-215 and CL-415 and after-market services.

(...)

Viking president David Curtis told Carla Wilson of the Victoria Times Colonist that he is finalizing a business case to start building the CL-415. Curtis is going before the company’s board in two weeks to seek a green light to start talking to potential customers about the plane, the article noted.

"We have interest from around the globe," Curtis told Wilson.

A pause on the manufacture of Viking’s Twin Otter 400 aircraft has resulted in 212 employees being temporarily laid off both in the Victoria area and in Calgary, Alberta where the company has facilities. It will remain to be seen whether Viking proceeds with production of the water bomber. In May, the Calgary Sun was reporting on similar plans on the CL-415 that Viking said could bring up to 900 new jobs to Calgary. "What we’re looking to do is something very similar to what we did with the Twin Otter," Curtis told the Sun. "As you can imagine, it’s a pretty complex financing program to ramp it all up. You need customers on board, you need financing behind it. But we’ve already invested a significant amount."

In the past, Bombardier marketed the CL-415 not only as a forest fire fighting platform but one that could be used for specialized military and security missions.
Fonte: http://ottawacitizen.com/news/national/defence-watch/viking-air-looking-at-taking-over-production-of-bombardier (http://ottawacitizen.com/news/national/defence-watch/viking-air-looking-at-taking-over-production-of-bombardier)

Cumprimentos,
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: Charlie Jaguar em Agosto 21, 2017, 01:08:04 pm
Continua o esforço para retomar a produção. Só nos ficava bem assinar uma letter of intent para 2 aeronaves, visto até que temos políticos que adoram assinar essas coisas e até as autárquicas estão aí à porta.

Global water bomber manufacturing program and '900 new jobs' could be headed for Calgary (http://"http://www.vancouversun.com/global+water+bomber+manufacturing+program+jobs+could+headed+calgary/13415013/story.html") (1 de Junho de 2017)

Viking Air looking at new production of Bombardier CL-415
(18 de Agosto de 2017)
Citação de: David Pugliese / Ottawa Citizen
Viking Air of British Columbia is looking at whether it is worthwhile to begin new production of the Bombardier CL-415.

In 2016, Viking acquired Bombardier’s Amphibious Aircraft program, which includes Type Certificates for CL-215 and CL-415 and after-market services.

(...)

Viking president David Curtis told Carla Wilson of the Victoria Times Colonist that he is finalizing a business case to start building the CL-415. Curtis is going before the company’s board in two weeks to seek a green light to start talking to potential customers about the plane, the article noted.

"We have interest from around the globe," Curtis told Wilson.

A pause on the manufacture of Viking’s Twin Otter 400 aircraft has resulted in 212 employees being temporarily laid off both in the Victoria area and in Calgary, Alberta where the company has facilities. It will remain to be seen whether Viking proceeds with production of the water bomber. In May, the Calgary Sun was reporting on similar plans on the CL-415 that Viking said could bring up to 900 new jobs to Calgary. "What we’re looking to do is something very similar to what we did with the Twin Otter," Curtis told the Sun. "As you can imagine, it’s a pretty complex financing program to ramp it all up. You need customers on board, you need financing behind it. But we’ve already invested a significant amount."

In the past, Bombardier marketed the CL-415 not only as a forest fire fighting platform but one that could be used for specialized military and security missions.
Fonte: http://ottawacitizen.com/news/national/defence-watch/viking-air-looking-at-taking-over-production-of-bombardier (http://ottawacitizen.com/news/national/defence-watch/viking-air-looking-at-taking-over-production-of-bombardier)

Cumprimentos,

Sim, era uma excelente oportunidade para a trupe de circo Costa & Cia.

Dois já não eram maus; aliás, o que será feito do par de Canadairs/Bombardiers que era para vir no tempo do Passos Coelho por 37M USD cada, mais um mistério dos muitos que assolam há décadas a política portuguesa.  ::)

Contudo, duas aeronaves é claramente pouco. É melhor do que nada, verdade seja dita, porém basta uma avaria ou estar um deles em manutenção e volta-se à estaca zero, ou seja, sem meios aéreos pesados próprios e lá se volta de novo a ter de pedir ajuda aos vizinhos.
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: tenente em Agosto 21, 2017, 02:10:07 pm
Continua o esforço para retomar a produção. Só nos ficava bem assinar uma letter of intent para 2 aeronaves, visto até que temos políticos que adoram assinar essas coisas e até as autárquicas estão aí à porta.

Global water bomber manufacturing program and '900 new jobs' could be headed for Calgary (http://"http://www.vancouversun.com/global+water+bomber+manufacturing+program+jobs+could+headed+calgary/13415013/story.html") (1 de Junho de 2017)

Viking Air looking at new production of Bombardier CL-415
(18 de Agosto de 2017)
Citação de: David Pugliese / Ottawa Citizen
Viking Air of British Columbia is looking at whether it is worthwhile to begin new production of the Bombardier CL-415.

In 2016, Viking acquired Bombardier’s Amphibious Aircraft program, which includes Type Certificates for CL-215 and CL-415 and after-market services.

(...)

Viking president David Curtis told Carla Wilson of the Victoria Times Colonist that he is finalizing a business case to start building the CL-415. Curtis is going before the company’s board in two weeks to seek a green light to start talking to potential customers about the plane, the article noted.

"We have interest from around the globe," Curtis told Wilson.

A pause on the manufacture of Viking’s Twin Otter 400 aircraft has resulted in 212 employees being temporarily laid off both in the Victoria area and in Calgary, Alberta where the company has facilities. It will remain to be seen whether Viking proceeds with production of the water bomber. In May, the Calgary Sun was reporting on similar plans on the CL-415 that Viking said could bring up to 900 new jobs to Calgary. "What we’re looking to do is something very similar to what we did with the Twin Otter," Curtis told the Sun. "As you can imagine, it’s a pretty complex financing program to ramp it all up. You need customers on board, you need financing behind it. But we’ve already invested a significant amount."

In the past, Bombardier marketed the CL-415 not only as a forest fire fighting platform but one that could be used for specialized military and security missions.
Fonte: http://ottawacitizen.com/news/national/defence-watch/viking-air-looking-at-taking-over-production-of-bombardier (http://ottawacitizen.com/news/national/defence-watch/viking-air-looking-at-taking-over-production-of-bombardier)

Cumprimentos,

Sim, era uma excelente oportunidade para a trupe de circo Costa & Cia.

Dois já não eram maus; aliás, o que será feito do par de Canadairs/Bombardiers que era para vir no tempo do Passos Coelho por 37M USD cada, mais um mistério dos muitos que assolam há décadas a política portuguesa.  ::)

Contudo, duas aeronaves é claramente pouco. É melhor do que nada, verdade seja dita, porém basta uma avaria ou estar um deles em manutenção e volta-se à estaca zero, ou seja, sem meios aéreos pesados próprios e lá se volta de novo a ter de pedir ajuda aos vizinhos.

no Exercito aprendi o seguinte CJ:
dois = a um
Um = a zero

se fossem seis era o mínimo dos mínimos !!!!

Abraços
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: Get_It em Agosto 23, 2017, 08:17:51 am
se fossem seis era o mínimo dos mínimos !!!!
Pronto, 4 com a opção para mais 2 e não se fala mais nisso. ;)

Dois já não eram maus; aliás, o que será feito do par de Canadairs/Bombardiers que era para vir no tempo do Passos Coelho por 37M USD cada, mais um mistério dos muitos que assolam há décadas a política portuguesa.  ::)
É impressionante que a compra dos Canadair já vem de antes do governo do Coellho; é estudos e propostas com anos e mais anos. O Miguel Macedo foi provavelmente quem andou mais na nossa imprensa a falar de boca cheia acerca da compra de aviões pesados de combate aos incêndios: Portugal estuda compra de aviões usados a Espanha para combater fogos (http://rr.sapo.pt/informacao_detalhe.aspx?fid=29&did=143306) (24 de Março de 2014).

Citação de: Celso Paiva Sol / Renascença
A Renascença sabe que em cima da mesa de Miguel Macedo está a hipótese de comprar a Espanha aviões Canadair em segunda mão.

O Governo pondera comprar aviões usados de combate a incêndios, em vez dos novos Canadair que o ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, admitiu adquirir.

A Renascença sabe que em cima da mesa de Miguel Macedo está a hipótese de comprar a Espanha aviões Canadair em segunda mão.

Por se tratarem de aviões usados, Portugal poderá comprar mais do que os dois inicialmente pensados.

(...)

Portugal recusou €50 milhões da UE para compra de aviões
(28 de Agosto de 2016)
Citação de: Joana Nunes Mateus, Paulo Paixão / Expresso
A Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) não aceitou a disponibilidade dos fundos europeus do Portugal 2020 para a compra de dois aviões pesados anfíbios de combate a incêndios com um "desconto" que podia chegar aos 85%.

O convite esteve aberto até 29 de Fevereiro de 2016, mas a ANPC optou por não apresentar qualquer candidatura. Em causa estavam €50 milhões, a fundo perdido, para comparticipar, até 85%, a compra das duas aeronaves.

A decisão do actual Governo causou estranheza na ‘máquina’ que trata dos fundos comunitários, até porque não foi nada fácil, durante o anterior Executivo, convencer a Comissão Europeia a aceitar desembolsar dinheiro para Portugal adquirir aviões.
Ao que o Expresso apurou, Bruxelas evita subsidiar meios de transporte e, no âmbito das negociações do Portugal 2020, Lisboa teve de justificar quão decisivo era este investimento.

Portugal «é o único país do sul da Europa que ainda não dispõe deste tipo de meios», ficando «dependente do mercado internacional de locação durante a época mais crítica de combate a incêndios florestais, mercado esse cada vez mais exíguo e oneroso», lê-se no convite do Portugal 2020 que a ANPC recusou.

O gabinete do secretário de Estado da Administração Interna (SEAI), Jorge Gomes, explicou ao Expresso as razões da recusa: «Não basta comprar os aviões. É preciso garantir a operação e manutenção, os voos de treino, os salários dos pilotos e mecânicos, a substituição de peças e os combustíveis, entre outros aspectos».

O Governo está agora a reavaliar a questão: «A sustentabilidade da operação e manutenção dos meios deve ser um factor decisivo na decisão de aquisição. É essa avaliação que, com transparência e rigor, iremos realizar».

Segundo o SEAI, actualmente, no período crítico de incêndios florestais, Portugal aluga dois aviões pesados anfíbios, que actuam em parelha. Para garantir a plena operacionalidade desses dois meios (ou seja, para acautelar as paragens para manutenções ou reparações), a empresa fornecedora tem três aviões em permanência. O Estado paga anualmente pela disponibilidade, manutenção e operação destes meios €4,7 milhões. Sem mais despesas ou custos de investimento.

Para o membro do Governo, comprar sai mais caro do que alugar. Primeiro, a aquisição de três aeronaves idênticas às usadas actualmente teria um custo aproximado para o Estado de €140 milhões. Depois, os encargos com a manutenção de dois aviões pesados anfíbios, para um ciclo de vida de 25 anos, foram estimados em €15 milhões.

Além disso, os €50 milhões davam apenas para comprar um avião e não dois. Quando o actual Governo iniciou funções, tomou conhecimento de que o modelo de avião previsto (Canadair) foi descontinuado pelo fabricante, que encerrou a linha de produção. Esse facto limitou, desde logo, a elaboração do estudo económico e financeiro (análise custo-benefício da operação), obrigatório em candidaturas deste montante.

João Almeida, secretário de Estado da Administração Interna do Executivo PSD/CDS, membro do Governo que se empenhou para que Bruxelas abrisse os cordões à bolsa para a compra de aviões pesados, mostrou-se prudente, quando instado a comentar a situação.

(...)
Fonte: http://expresso.sapo.pt/sociedade/2016-08-28-Portugal-recusou-50-milhoes-da-UE-para-compra-de-avioes (http://expresso.sapo.pt/sociedade/2016-08-28-Portugal-recusou-50-milhoes-da-UE-para-compra-de-avioes)

Recusaram este apoio e agora lemos estas pérolas:
Citação de: Lusa
O Governo autorizou hoje, por diploma, o início de negociações com a Embraer para comprar cinco aeronaves militares KC-390, usadas também para combate a incêndios florestais, e pediu uma avaliação da suspensão da modernização das actuais aeronaves C-130H.
:toto:

Cumprimentos,
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: Viajante em Agosto 23, 2017, 10:36:08 am
Vai uma aposta em como a ANPC não tinha os 15 a 50% da verba para efectuar a compra? :)
Mesmo com o dinheiro dado (não é reembolsado) à UE!

Não me admira essa decisão. A ANPC deve ter feito contas ao que precisava de investir para comprar os aviões, ao quadro permanente de pilotos, mecãnicos........ peças..... combustível...... para operar os mesmos e chegou à conclusão que é mais prático pagar a privados, as despesas são deles e se os aparelhos caírem, que se desenrasquem..... pagam só pelas horas de utilização!!!!!!
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: overlord em Agosto 23, 2017, 03:04:32 pm
Vai uma aposta em como a ANPC não tinha os 15 a 50% da verba para efectuar a compra? :)
Mesmo com o dinheiro dado (não é reembolsado) à UE!

Não me admira essa decisão. A ANPC deve ter feito contas ao que precisava de investir para comprar os aviões, ao quadro permanente de pilotos, mecãnicos........ peças..... combustível...... para operar os mesmos e chegou à conclusão que é mais prático pagar a privados, as despesas são deles e se os aparelhos caírem, que se desenrasquem..... pagam só pelas horas de utilização!!!!!!

Eu em relação a isso tenho a minha opinão que é enquanto portugal pagar por horas de utilização de meios aereos e não tiver meios proprios em quantidade mais do que suficiente para todas as necessidades vão continuar a existir incendios com fartura sendo ateados a meio da noite.

Não estou a dizer que portugal ficava sem incendios mas digo que iriam secalhar reduzir para 1/4.

Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: Charlie Jaguar em Agosto 24, 2017, 03:24:37 pm
Vai uma aposta em como a ANPC não tinha os 15 a 50% da verba para efectuar a compra? :)
Mesmo com o dinheiro dado (não é reembolsado) à UE!

Não me admira essa decisão. A ANPC deve ter feito contas ao que precisava de investir para comprar os aviões, ao quadro permanente de pilotos, mecãnicos........ peças..... combustível...... para operar os mesmos e chegou à conclusão que é mais prático pagar a privados, as despesas são deles e se os aparelhos caírem, que se desenrasquem..... pagam só pelas horas de utilização!!!!!!

Eu em relação a isso tenho a minha opinão que é enquanto portugal pagar por horas de utilização de meios aereos e não tiver meios proprios em quantidade mais do que suficiente para todas as necessidades vão continuar a existir incendios com fartura sendo ateados a meio da noite.

Não estou a dizer que portugal ficava sem incendios mas digo que iriam secalhar reduzir para 1/4.

Basta ver a área florestal ardida este ano comparada com a dos restantes países europeus, por sinal muitos deles com frotas de Canadair ao seu dispor. A nossa é bastante superior, mas lá está: continuamos a preterir uma aeronave como o CL-415 porque somos mais inteligentes que todos os nossos congéneres, inclusivé há quem ache que ele não serve para a nossa realidade, e que é mais fácil e barato acionar mecanismos de auxílio e ficar à espera. Se tiver que arder, que arda, agora dotar-nos de meios pesados próprios é que não.  ::)
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: Viajante em Agosto 24, 2017, 04:20:33 pm
Vai uma aposta em como a ANPC não tinha os 15 a 50% da verba para efectuar a compra? :)
Mesmo com o dinheiro dado (não é reembolsado) à UE!

Não me admira essa decisão. A ANPC deve ter feito contas ao que precisava de investir para comprar os aviões, ao quadro permanente de pilotos, mecãnicos........ peças..... combustível...... para operar os mesmos e chegou à conclusão que é mais prático pagar a privados, as despesas são deles e se os aparelhos caírem, que se desenrasquem..... pagam só pelas horas de utilização!!!!!!

Eu em relação a isso tenho a minha opinão que é enquanto portugal pagar por horas de utilização de meios aereos e não tiver meios proprios em quantidade mais do que suficiente para todas as necessidades vão continuar a existir incendios com fartura sendo ateados a meio da noite.

Não estou a dizer que portugal ficava sem incendios mas digo que iriam secalhar reduzir para 1/4.

Basta ver a área florestal ardida este ano comparada com a dos restantes países europeus, por sinal muitos deles com frotas de Canadair ao seu dispor. A nossa é bastante superior, mas lá está: continuamos a preterir uma aeronave como o CL-415 porque somos mais inteligentes que todos os nossos congéneres, inclusivé há quem ache que ele não serve para a nossa realidade, e que é mais fácil e barato acionar mecanismos de auxílio e ficar à espera. Se tiver que arder, que arda, agora dotar-nos de meios pesados próprios é que não.  ::)

São as chamadas capelinhas cá do sítio :)

E há outro pormenor que de certeza também ajudou à festa. Se comprarmos aviões novos, vão direitinhos ao déficite público, no caso do aluguer dos mesmos não, até podem ser usados 10 aviões! É a chico-espertice saloia, sem pensar nas consequências! (os outros emprestam, se não forem necessários). E depois há as comissões que já toda a gente sabe!
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: Menacho em Setembro 11, 2017, 02:07:51 pm
Os franceses no saben volar!!... max1x1 max1x1 :nice: :nice:

Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: perdadetempo em Março 25, 2018, 06:17:14 pm

Talvez um dia a voltar a ser fabricado.

Citar
Viking Air
(https://i0.wp.com/fireaviation.com/wp-content/uploads/2018/03/Viking.jpg?w=1000)
The Viking Air display at the conference.

Viking Air director of Special Projects, Sales, and Marketing Christian Bergeron said the company is currently gathering information from potential customers about what they would like to see on a new version of the CL-415 water scooping air tanker.  The company expects to decide by the third quarter of this year if they will proceed with the project, which will be named CL-515. At this stage, Mr. Bergeron said, they expect it to have a larger cargo door, glass cockpit, updated avionics, and will be able to land with a full load of water. Available options will include an infrared camera system and night vision compatibility. Viking’s manufacturing facility is in Calgary, Canada.

http://fireaviation.com/2018/03/15/news-from-the-aerial-firefighting-conference-in-sacramento-part-two/ (http://fireaviation.com/2018/03/15/news-from-the-aerial-firefighting-conference-in-sacramento-part-two/)

Cumprimentos,
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: Stalker79 em Março 25, 2018, 06:35:51 pm
Podem fabrica-los. Espero é que haja um certo governo com vontade de comprar alguns em vez de andarmos com centenas de milhões anuais em "alugueres.

 ys7x9
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: tenente em Julho 22, 2019, 05:51:01 pm
Hoje dia 22JUL19, uma vez mais, Portugal pediu ajuda a Espanha para reforçar o dispositivo aéreo de combate aos FF, e vão ser enviados dois CL215/415.

Hoje, uma vez mais, os responsáveis constataram, muito tardiamente, que, o numero de aeronaves pesadas de asa fixa que integram o dispositivo de meios aéreos, para o combate aos FF é insuficiente.

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/923/yr6xzW.jpg) (https://imageshack.com/i/pnyr6xzWj)
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/921/FG7BZe.jpg) (https://imageshack.com/i/plFG7BZej)
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/924/NTOVlF.jpg) (https://imageshack.com/i/poNTOVlFj)
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/923/92nrb5.jpg) (https://imageshack.com/i/pn92nrb5j)
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/922/ECAS82.jpg) (https://imageshack.com/i/pmECAS82j)
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/924/RukOXZ.jpg) (https://imageshack.com/i/poRukOXZj)
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/922/UHcYNQ.jpg) (https://imageshack.com/i/pmUHcYNQj)
Á semelhança dos anos anteriores Portugal aluga apenas duas unidades pesadas, quando o que deveria fazer, era comprar um mínimo de quatro/seis unidades e coloca-las sob a responsabilidade da FAP ! 

Hoje, uma vez mais, concluo que Portugal não possui nem os meios aéreos necessários para efectuar eficazmente os referidos combates aos FF nem o apoio aos meios terrestres, nem tão pouco conseguiu fazer o trabalho de casa em termos de prevenção e limpeza das nossas Matas.

É extremamente triste e doloroso ver o que está a acontecer ao nosso País.
Porque carga de água não se agravam as penas relativas aos crimes de fogo Posto ?
Pensa-se em alterar a Constituição da Républica no que diz respeito aos crimes de violência Domêstica e muito bem, porque não se faz o mesmo para com os criminosos que ateia fogos ??

https://jornaleconomico.sapo.pt/noticias/portugal-pede-ajuda-a-espanha-para-combater-incendios-470607

Abraços
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: Igor em Julho 22, 2019, 10:21:01 pm
Um pouco off topic, mas cá vai mais um exemplo de como as coisas funcionam no nosso pais

https://sicnoticias.pt/pais/2019-07-21-Deputado-do-PSD-denuncia-que-3-helicopteros-Kamov-estao-parados-no-norte-do-pais (https://sicnoticias.pt/pais/2019-07-21-Deputado-do-PSD-denuncia-que-3-helicopteros-Kamov-estao-parados-no-norte-do-pais)

Enquanto o pais arde acontecem casos  da excelente incompetencia tuga, alugam se aeronaves sem certificação para operar, paga se o aluguer das aeronaves que por coincidência são exatamente iguais aos kamov do estado português  que estão abandonadas num qualquer hangar à espera que alguma mente brilhante se lembre de as mandar reparar.
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: goldfinger em Julho 23, 2019, 07:09:56 am
Hoje dia 22JUL19, uma vez mais, Portugal pediu ajuda a Espanha para reforçar o dispositivo aéreo de combate aos FF, e vão ser enviados dois CL215/415.


España se suma a las labores de extinción del incendio de Portugal

(https://fly-news.es/wp-content/uploads/AGA-75-Canadair-CL-215T-16.jpg)

España se ha sumado en la tarde de hoy a las labores de extinción del incendio que asola a Portugal. El ministro de Agricultura en funciones, Luis Planas, ha autorizado el envío de dos aviones anfibios Canadair de gran capacidad, de 5.500 litros de descarga, para colaborar en el fuego declarado el pasado sábado en Vila de Rei. España responde así a la petición de ayuda formulada por el Gobierno de Portugal, en virtud del acuerdo firmado entre ambos países para colaborar en la lucha contra los incendios forestales. Unas laborares a las que se suman cuatro militares de la UME para coordinar con las autoridades locales portuguesas la misión y zona de actuación de los dos anfibios Canadair.



El incendio De Vila de Rei continúa sin estar controlado. En la zona había 1.087 bomberos combatiendo las llamas, así como 17 medios aéreos y 331 terrestres, según «Fogos.pt», portal que también informó de nuevos incendios en el país. La situación, según la prensa lusa, se complicó durante la tarde con muchas reactivaciones y nuevos frentes, y existe la preocupación de que las llamas avancen hacia aldeas como las de Roda o Chaveiras. Y es que aunque el incendio está controlado en un 90%, el temor a que avance continúa debido a las elevadas temperaturas y rachas de viento. De hecho, las llamas, que han avanzado unos 25 kilómetros desde el sábado, han arrasado 8.500 hectáreas y han dejado unos 30 heridos, aunque solo uno permanece en estado de máxima gravedad: en coma inducido.

Y a medida que ha ido avanzando el incendio, también lo fueron haciendo las críticas. Así, el teniente de alcalde de Vila de Rei, Paulo César, tras agradecer el trabajo de los bomberos y los voluntarios, manifestó, en declaraciones recogidas por la Prensa lusa, que este condado «está harto» de que haya llamas año tras año y manifestó que el «estado ha fallado nuevamente» en la prevención. «El condado ha tenido suficiente dice nuestro alcalde (Ricardo Aires), cansado de estos incendios sucesivos con criminal y está cansado de ver que el estado falla de nuevo a la población».

(https://fly-news.es/wp-content/uploads/AGA-75-Canadair-CL-215T-15-1320x742.jpg)

En cuanto a la situación en Extremadura, desde la Consejería de Medio Ambiente y Rural, Políticas Agrarias y Territorio explicaron a este periódico que «aunque el humo ha llegado a gran parte de la región, hoy hay menos que ayer y no hay ningún riesgo para la población por lo que no hay que alertarse, ya que el incendio está a más de 25 km de distancia. De momento no tenemos medios desplazados». Eso sí, la región se encuentra en riesgo extremo de incendio (hoy, mañana y pasado mañana) debido a la meteorología.

https://www.larazon.es/sociedad/espana-se-suma-a-las-labores-de-extincion-del-incendio-de-portugal-DE24317051
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: Charlie Jaguar em Julho 23, 2019, 09:56:21 am
É sempre mais fácil estar de mão estendida do que passar a ser auto-suficiente, e mesmo a contribuir com meios próprios para o mecanismo europeu de combate a incêndios. Por este andar Canadairs na FAP será algo que nunca chegaremos a ver... ::)
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: Red Baron em Julho 23, 2019, 11:05:33 am
É sempre mais fácil estar de mão estendida do que passar a ser auto-suficiente, e mesmo a contribuir com meios próprios para o mecanismo europeu de combate a incêndios. Por este andar Canadairs na FAP será algo que nunca chegaremos a ver... ::)
Boa sorte convencer os políticos a dar mais de 35M por um avião que só é útil durante 3 meses.

A Viking bem tenta nos vender uns:
(https://i.postimg.cc/yDBvqNry/1.png) (https://postimg.cc/yDBvqNry)

(https://i.postimg.cc/p9LCT6v9/2.png) (https://postimg.cc/p9LCT6v9)
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: Barlovento em Julho 23, 2019, 12:12:26 pm
É sempre mais fácil estar de mão estendida do que passar a ser auto-suficiente, e mesmo a contribuir com meios próprios para o mecanismo europeu de combate a incêndios. Por este andar Canadairs na FAP será algo que nunca chegaremos a ver... ::)
Boa sorte convencer os políticos a dar mais de 35M por um avião que só é útil durante 3 meses.

A Viking bem tenta nos vender uns:
(https://i.postimg.cc/yDBvqNry/1.png) (https://postimg.cc/yDBvqNry)

(https://i.postimg.cc/p9LCT6v9/2.png) (https://postimg.cc/p9LCT6v9)

Sin ser experto, pienso que estos aviones son imprescindibles en cualquier país, sirven también para patrulla marítima y se me ocurre que podría establecerse un plan para hacerlos todavía mas rentables, podrían alquilarse durante el invierno a países de América del Sur con grandes problemas de incendios como puede ser Chile. De esta manera se compartirían los gastos de alguna manera.

A pensar Srs. políticos, a pensar!!!
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: goldfinger em Julho 23, 2019, 12:32:04 pm
É sempre mais fácil estar de mão estendida do que passar a ser auto-suficiente, e mesmo a contribuir com meios próprios para o mecanismo europeu de combate a incêndios. Por este andar Canadairs na FAP será algo que nunca chegaremos a ver... ::)
Boa sorte convencer os políticos a dar mais de 35M por um avião que só é útil durante 3 meses.



Por desgracia el cambio climático hace y va a hacer que esos 3 meses se convierten ya en 4, y dentro de poco 5....meses al año, e incluso mas.
En el sur de Europa de 1 de mayo a 1 de octubre va a haber riesgo muy alto de incendios y no descartemos mas meses si como por desgracia ocurre con frecuencia no llueve. :( :( :(
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: tenente em Julho 23, 2019, 01:21:06 pm
É sempre mais fácil estar de mão estendida do que passar a ser auto-suficiente, e mesmo a contribuir com meios próprios para o mecanismo europeu de combate a incêndios. Por este andar Canadairs na FAP será algo que nunca chegaremos a ver... ::)
Boa sorte convencer os políticos a dar mais de 35M por um avião que só é útil durante 3 meses.

A Viking bem tenta nos vender uns:
(https://i.postimg.cc/yDBvqNry/1.png) (https://postimg.cc/yDBvqNry)

(https://i.postimg.cc/p9LCT6v9/2.png) (https://postimg.cc/p9LCT6v9)

Porquê durante três meses Red Baron ?
O 415MP ??
deves estar a brincar !

Abraços
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: mafets em Julho 23, 2019, 02:12:48 pm
É sempre mais fácil estar de mão estendida do que passar a ser auto-suficiente, e mesmo a contribuir com meios próprios para o mecanismo europeu de combate a incêndios. Por este andar Canadairs na FAP será algo que nunca chegaremos a ver... ::)
Boa sorte convencer os políticos a dar mais de 35M por um avião que só é útil durante 3 meses.

A Viking bem tenta nos vender uns:
(https://i.postimg.cc/yDBvqNry/1.png) (https://postimg.cc/yDBvqNry)

(https://i.postimg.cc/p9LCT6v9/2.png) (https://postimg.cc/p9LCT6v9)
O 515 não se sabe quando será produzido, já que empresa quer no mínimo uma vintena de unidades para começar a produção. Agora dos 215 que a Viking converteu para Cl415 EAF, foram vendidos parte à Indonésia e salvo erro restam 4.

https://www.flightglobal.com/news/articles/fidae-viking-nears-cl-415-eaf-start-cl-515-launch-447283/ (https://www.flightglobal.com/news/articles/fidae-viking-nears-cl-415-eaf-start-cl-515-launch-447283/)

Citar
As the Chilean government emerges as a potential customer, Calgary-based Viking Air has moved within months of inducting the first of 11 CL-415 Enhanced Aerial Firefighter (EAF) airframes into modification, says executive vice-president of sales and marketing Rob Mauracher.

Bombardier closed production of the family of amphibious water-bombers in 2015 and sold the type certificate to Viking Air the following year.

In 2017, Viking launched the CL-415 EAF as a re-engined and heavily updated version of the CL-215 Series V, using 11 aircraft purchased from the used market. In addition to replacing the CL-215´s piston engines with Pratt & Whitney Canada PW100 turboshaft engines, Viking Air also is upgrading the avionics with a modern integrated flight deck system and replacing obsolescent flight controls and aircraft hydraulic and fuel systems.

The first CL-415 EAF is scheduled to be delivered to an unnamed launch customer in the first quarter of 2020, Maurcher tells FlightGlobal.

With the CL-415 EAF modifications set as a new baseline, Viking Air also continues to evaluate the possibility of launching production of new aircraft with the same configuration rebranded as the CL-515, he says. A final decision on whether to move forward with the CL-515 is scheduled in the second half of this year, Mauracher adds.

The supplier of the new avionics for the CL-415 EAF and potential CL-515 will be announced before Viking Air decides to move forward with new series production.

Meanwhile, Viking Air is in discussions with Chilean military and government officials about a potential acquisition of aerial firefighting aircraft, Mauracher says.

The Canadian manufacturer also is in talks with the Chilean military about replacing an aging fleet of DeHavilland Twin Otter Series 300 aircraft with new Viking 400s, Mauracher says.

(https://assets.skiesmag.com/wp-content/uploads/2018/08/20180809_163256-768x576.jpg)

(https://i.ytimg.com/vi/yKU60-9ejso/maxresdefault.jpg)

(https://i1.wp.com/fireaviation.com/wp-content/uploads/2018/05/cl-215t-landing.jpg?fit=768%2C281&ssl=1)

Saudações
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: tenente em Julho 23, 2019, 02:54:40 pm
É sempre mais fácil estar de mão estendida do que passar a ser auto-suficiente, e mesmo a contribuir com meios próprios para o mecanismo europeu de combate a incêndios. Por este andar Canadairs na FAP será algo que nunca chegaremos a ver... ::)
Boa sorte convencer os políticos a dar mais de 35M por um avião que só é útil durante 3 meses.

A Viking bem tenta nos vender uns:
(https://i.postimg.cc/yDBvqNry/1.png) (https://postimg.cc/yDBvqNry)

(https://i.postimg.cc/p9LCT6v9/2.png) (https://postimg.cc/p9LCT6v9)
O 515 não se sabe quando será produzido, já que empresa quer no mínimo uma vintena de unidades para começar a produção. Agora dos 215 que a Viking converteu para Cl415 EAF, foram vendidos parte à Indonésia e salvo erro restam 4.

https://www.flightglobal.com/news/articles/fidae-viking-nears-cl-415-eaf-start-cl-515-launch-447283/ (https://www.flightglobal.com/news/articles/fidae-viking-nears-cl-415-eaf-start-cl-515-launch-447283/)

Citar
As the Chilean government emerges as a potential customer, Calgary-based Viking Air has moved within months of inducting the first of 11 CL-415 Enhanced Aerial Firefighter (EAF) airframes into modification, says executive vice-president of sales and marketing Rob Mauracher.

Bombardier closed production of the family of amphibious water-bombers in 2015 and sold the type certificate to Viking Air the following year.

In 2017, Viking launched the CL-415 EAF as a re-engined and heavily updated version of the CL-215 Series V, using 11 aircraft purchased from the used market. In addition to replacing the CL-215´s piston engines with Pratt & Whitney Canada PW100 turboshaft engines, Viking Air also is upgrading the avionics with a modern integrated flight deck system and replacing obsolescent flight controls and aircraft hydraulic and fuel systems.

The first CL-415 EAF is scheduled to be delivered to an unnamed launch customer in the first quarter of 2020, Maurcher tells FlightGlobal.

With the CL-415 EAF modifications set as a new baseline, Viking Air also continues to evaluate the possibility of launching production of new aircraft with the same configuration rebranded as the CL-515, he says. A final decision on whether to move forward with the CL-515 is scheduled in the second half of this year, Mauracher adds.

The supplier of the new avionics for the CL-415 EAF and potential CL-515 will be announced before Viking Air decides to move forward with new series production.

Meanwhile, Viking Air is in discussions with Chilean military and government officials about a potential acquisition of aerial firefighting aircraft, Mauracher says.

The Canadian manufacturer also is in talks with the Chilean military about replacing an aging fleet of DeHavilland Twin Otter Series 300 aircraft with new Viking 400s, Mauracher says.

(https://assets.skiesmag.com/wp-content/uploads/2018/08/20180809_163256-768x576.jpg)

(https://i.ytimg.com/vi/yKU60-9ejso/maxresdefault.jpg)

(https://i1.wp.com/fireaviation.com/wp-content/uploads/2018/05/cl-215t-landing.jpg?fit=768%2C281&ssl=1)

Saudações

Quatro é mesmo o mínimo dos mínimos que precisamos !

Abraços
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: Red Baron em Julho 23, 2019, 03:18:36 pm
É sempre mais fácil estar de mão estendida do que passar a ser auto-suficiente, e mesmo a contribuir com meios próprios para o mecanismo europeu de combate a incêndios. Por este andar Canadairs na FAP será algo que nunca chegaremos a ver... ::)
Boa sorte convencer os políticos a dar mais de 35M por um avião que só é útil durante 3 meses.

A Viking bem tenta nos vender uns:
(https://i.postimg.cc/yDBvqNry/1.png) (https://postimg.cc/yDBvqNry)

(https://i.postimg.cc/p9LCT6v9/2.png) (https://postimg.cc/p9LCT6v9)

Porquê durante três meses Red Baron ?
O 415MP ??
deves estar a brincar !

Abraços
A ser comprado seria sempre para a ANPC para termos acesso a financiamento e apoios da EU.
Ora, a ANPC tem basicamente os combate aos fogos e a evacuação medica, não me parece que o CL-415 vá fazer evacuação medica.
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: mafets em Julho 23, 2019, 03:38:34 pm
É sempre mais fácil estar de mão estendida do que passar a ser auto-suficiente, e mesmo a contribuir com meios próprios para o mecanismo europeu de combate a incêndios. Por este andar Canadairs na FAP será algo que nunca chegaremos a ver... ::)
Boa sorte convencer os políticos a dar mais de 35M por um avião que só é útil durante 3 meses.

A Viking bem tenta nos vender uns:
(https://i.postimg.cc/yDBvqNry/1.png) (https://postimg.cc/yDBvqNry)

(https://i.postimg.cc/p9LCT6v9/2.png) (https://postimg.cc/p9LCT6v9)

Porquê durante três meses Red Baron ?
O 415MP ??
deves estar a brincar !

Abraços
A ser comprado seria sempre para a ANPC para termos acesso a financiamento e apoios da EU.
Ora, a ANPC tem basicamente os combate aos fogos e a evacuação medica, não me parece que o CL-415 vá fazer evacuação medica.

Aparentemente os Malaios fazem e os Indonésios têm tensão de fazer, alem de SAR e Patrulha Marítima.   :-P :-P

https://www.janes.com/article/89396/indonesian-mod-to-acquire-amphibious-aircraft-from-viking-air (https://www.janes.com/article/89396/indonesian-mod-to-acquire-amphibious-aircraft-from-viking-air)

Citar
Canada-based utility aircraft manufacturer Viking Air announced on 18 June that it has been awarded a contract to supply six new Viking Canadair CL-515 and one upgraded Canadair CL-415EAF amphibious aircraft to Indonesia's Ministry of Defence (MoD).

Four of the CL-515 twin-turboprop aircraft will be delivered in "first responder" multi-mission configuration, while the remaining two will be handed over "in optimised aerial firefighter configuration", said the company in a statement.

It also pointed out that, due to its flexible architecture, the CL-515 is capable of integrating mission equipment for a variety of roles, including aerial firefighting, maritime patrol, surveillance, medevac, environmental monitoring, insect control, oil spill detection and dispersal.

The deal, the value of which was not disclosed, also includes a Canadair CL-415EAF aircraft converted from a Canadair CL-215 to Enhanced Aerial Firefighter (EAF) standard by Longview Aviation Services.

Viking Air, which is a subsidiary of Longview Aviation Capital, pointed out that while the deal is a "firm commitment", it is conditional on Longview Aviation Capital's board of directors approving the production launch programme.

"We are very well advanced in all aspects of programme planning, including our supply chain, and we are nearing a final decision on manufacturing and final assembly sites. We expect to complete the remaining programme milestones in the near future, and deliver the first new CL-515 on schedule in 2024," said David Curtis, chairman and chief executive officer of Longview Aviation Capital.

(https://assets.nst.com.my/images/articles/1haze.transformed.jpg)

(https://imgproc.airliners.net/photos/airliners/3/5/8/2249853.jpg?v=v40)

(http://airshow-party.de/LIMA09_Fotos_gross/Water_JH%20%282%29.JPG)

(http://www.defense-aerospace.com/base/util/203571_1.jpg)

Saudações
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: Red Baron em Julho 23, 2019, 03:51:15 pm
A vantagem do 515 como MPA é que a capacidade é através de pods.

Mas nunca na vida a FAP ia permitir que civis ficassem com esse tipo de missões.

Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: Stalker79 em Julho 23, 2019, 04:01:44 pm
A vantagem do 515 como MPA é que a capacidade é através de pods.

Mas nunca na vida a FAP ia permitir que civis ficassem com esse tipo de missões.



Por isso é que os aviões deviam de ficar na FAP sobre a alçada da Proteção civil.
Fora da época de incendios podiam ser utilizados para SAR perfeitamente.
 :-P
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: tenente em Julho 23, 2019, 05:36:12 pm
É sempre mais fácil estar de mão estendida do que passar a ser auto-suficiente, e mesmo a contribuir com meios próprios para o mecanismo europeu de combate a incêndios. Por este andar Canadairs na FAP será algo que nunca chegaremos a ver... ::)
Boa sorte convencer os políticos a dar mais de 35M por um avião que só é útil durante 3 meses.

A Viking bem tenta nos vender uns:
(https://i.postimg.cc/yDBvqNry/1.png) (https://postimg.cc/yDBvqNry)

(https://i.postimg.cc/p9LCT6v9/2.png) (https://postimg.cc/p9LCT6v9)

Porquê durante três meses Red Baron ?
O 415MP ??
deves estar a brincar !

Abraços
A ser comprado seria sempre para a ANPC para termos acesso a financiamento e apoios da EU.
Ora, a ANPC tem basicamente os combate aos fogos e a evacuação medica, não me parece que o CL-415 vá fazer evacuação medica.

Não, Porquê ?
Se a aeronave está preparada para realizar SAR, MEDEVAC e outras missões, que poderia muito bem efectuar, pelo menos, nos meses de inverno.

Boas a Todos,

Este seria o hidroavião ideal não só para os combates aos fogos florestais mas também para ser usado em operações SAR pois tem, na realidade na sua versão 415 MP, Multi purpose, todas  essas capacidades.

Quanto a mim poderíamos/deveríamos possuir pelo menos seis unidades deste modelo e incorporá-las na nossa FA, como por exemplo os Espanhóis tem feito nos últimos anos com os Canadairs CL215/415, esquadra essa que tem alguns pilotos Portugueses, da ex aerocondor, pilotos esses certificados não só para este equipamento mas também para os PBY Catalina, aeronaves que já operaram em anos anteriores, no combate aos fogos florestais, em Portugal.
Junto as características destas aeronaves, publicadas pelo fabricante :

http://www.bombardier.com/en/aerospace/ ... craft.html (http://www.bombardier.com/en/aerospace/amphibious-aircraft.html)

Bombardier 415 MP
Combining a state-of-the-art surveillance suite with direct water intervention capabilities.

Strength and Versatility

Flexibility and ruggedness are the hallmarks of the Bombardier 415 MP amphibious aircraft. Combining a state-of-the-art surveillance suite with direct water intervention capabilities, this versatile mission-specific aircraft offers exceptional low-level, low-speed manoeuvrability, making it the perfect choice for a wide range of special missions on inland, coastal and offshore waters.

Special Missions

With Western civil certification for both the aircraft and its surveillance suite, the Bombardier 415 MP aircraft is a proven ally in:

Search and rescue (SAR)
•Civil SAR
•Disaster SAR

Utility transport
•Cargo
•Personnel

Law enforcement
•Illegal immigration
•Drug and other smuggling
•Illegal fishery
•Terrorism
•Piracy at sea

Environmental control
•Oil pollution
•Forest fires

Special Mission Equipment
•Autopilot and military mission management system (MMMS)
•Forward-looking infrared (FLIR)
•Side-looking airborne radar (SLAR)
•Fully integrated weather radar
•Direction finder antenna (DF)
•Still and video cameras
•Cabin accommodation for stretchers and berths
Enlarged aft cargo door
•Available floor space for customer supplied boat or other
•Marine radio package
•Secure intercom


Engine - 2 X Pratt & Whitney Canada PW123AF
Power - 2,380.00 Horsepower
Avionics -

Maximum Cruising Speed - 359.00 km per hr    223.08 mph
Service Ceiling - 4,480.56 metres   14,700.00 feets
Rate of Climb - 487.68 mpm   1,600.00 fpm
Numbers Ordered/Sold - 67

Cabin Height - 1.90 metres  6.23 feets
Cabin Width - 2.40 metres  7.87 feets
Cabin Length - 9.40 metres  30.84 feets
Exterior Length - 19.80 metres  64.96 feets
Wingspan / Rotor Diameter - 28.60 metres  93.83 feets
Fuselage Diameter - 2.69 metres  8.83 feets
Baggage Volume - 1.40 cubic metre  49.44 cubic feet

Maximum Take Off Weight - 19,890.36 kgs  43,850.00 lbs
Maximum Payload - 2,903.04 kgs  6,400.00 lbs
Fuel Tank Capacity - 1,529.85 gallon  5,791.09 litres
Fuel Economy - 0.42 km per litre  0.99 NM per gallon
Minimum Take Off Distance - 813.82 metres  2,670.00 feets
Minimum Landing Distance - 664.46 metres  2,180.00 feets

Cumprimentos

https://aerialfirefighter.vikingair.com/sites/aerialfirefighter.vikingair.com/files/docs/cl-515_translations_05-2019_cl-515fr_ds_specsheet_portuguese_05-19.pdf

https://aerialfirefighter.vikingair.com/aircraft/cl-415mp

Abraços
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: ocastilho em Julho 23, 2019, 05:44:28 pm
Caríssimos, deixemo-nos de invenções e desculpas de mau pagador. A FAP pode sim pedir financiamento comunitário. Exemplo disso são os Merlin SIFICAP ou a modernização dos sistemas dos DA50.

A única razão pela qual a FAP não tem meios aéreos é que acaba com o negócio das empresas de aluguer de aeronaves e a mama subsequente, o resto perdoem-me os colegas, mas é conversa para adormecer meninos.
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: Stalker79 em Julho 23, 2019, 05:48:47 pm
Caríssimos, deixemo-nos de invenções e desculpas de mau pagador. A FAP pode sim pedir financiamento comunitário. Exemplo disso são os Merlin SIFICAP ou a modernização dos sistemas dos DA50.

A única razão pela qual a FAP não tem meios aéreos é que acaba com o negócio das empresas de aluguer de aeronaves e a mama subsequente, o resto perdoem-me os colegas, mas é conversa para adormecer meninos.


Exactamente a mesma razão pelo qual os incendios não param.
Enquanto houver alguem a ser pago á hora pra combater incendios, há-de sempre de haver quem os ateie.
E sim, estou a acusar as empresas dos meios aereos de aluguer.
Isto de incendios que começam "naturalmente" as tantas da manhâ...  não me fo***m que não ando aqui á dois dias.
 >:(
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: NVF em Julho 23, 2019, 10:00:04 pm
No dia em que a FAP tiver meios próprios de combate a FF, como é que os seus pilotos vão passar férias a ganhar 8 ou 10 milenas por mês?
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: mafets em Julho 24, 2019, 02:11:10 pm
No dia em que a FAP tiver meios próprios de combate a FF, como é que os seus pilotos vão passar férias a ganhar 8 ou 10 milenas por mês?
Se não vão perdem as licenças de voo que na FAP não conseguem o número de horas para manter. Desde que desactivaram os "puxa-empurra" só restam os teco-teco dos Epsilon para voar bem e barato...  :mrgreen: :mrgreen:

Cumprimentos

Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: tenente em Julho 24, 2019, 08:31:18 pm
No dia em que a FAP tiver meios próprios de combate a FF, como é que os seus pilotos vão passar férias a ganhar 8 ou 10 milenas por mês?
Se não vão perdem as licenças de voo que na FAP não conseguem o número de horas para manter. Desde que desactivaram os "puxa-empurra" só restam os teco-teco dos Epsilon para voar bem e barato...  :mrgreen: :mrgreen:

Cumprimentos

olhó Simulador.

Abraços
Título: Re: Os BOMBARDIER 415 MP QUE PORTUGAL DEVERIA TER
Enviado por: Lightning em Julho 24, 2019, 11:18:44 pm
No dia em que a FAP tiver meios próprios de combate a FF, como é que os seus pilotos vão passar férias a ganhar 8 ou 10 milenas por mês?

Acho que uma coisa não impede a outra :mrgreen:.
A FAP não tem nem pilotos de helicópteros nem vai ter a quantidade de helicópteros para substituir completamente os meios alugados.