Mensagens recentes

Páginas: [1] 2 3 4 5 6 ... 10
1
Portugal / Re: A seca em Portugal Continental
« Última mensagem por Luso em Hoje às 03:13:40 pm »
Concordo Luso. E não disse isso por acaso. Acredito que existe aqui mais qualquer coisa que as já esperadas alterações climáticas.

Se abrirem o site do IPMA, https://www.ipma.pt/pt/otempo/obs.satelite/index.jsp#
em observações de satélite - Oceano atlântico -  podemos observar o mesmo efeito a repetir-se. As nuvens e chuva que se prevê para os próximos dias parece que se desvia da Península Ibérica.

Aposto que se o Costa se oferecer para aceitar mais uns milhares de "migrantes" e hostilizar a Rússia ou a China até temos um dilúvio...
4
Portugal / Re: A seca em Portugal Continental
« Última mensagem por tenente em Hoje às 02:12:48 pm »






Como se pode ver pela evolução da Baixa, a vontade de chegar Portugal não é muita !!
5
Portugal / Re: A seca em Portugal Continental
« Última mensagem por tenente em Hoje às 02:09:29 pm »
Concordo Luso. E não disse isso por acaso. Acredito que existe aqui mais qualquer coisa que as já esperadas alterações climáticas.

Se abrirem o site do IPMA, https://www.ipma.pt/pt/otempo/obs.satelite/index.jsp#
em observações de satélite - Oceano atlântico -  podemos observar o mesmo efeito a repetir-se. As nuvens e chuva que se prevê para os próximos dias parece que se desvia da Península Ibérica.

É o que eu penso, vão cair uns pingos mas até á nova mudança da lua, a chuva será muito escassa.

Abraços
6
Armadas/Sistemas de Armas / Re: Armada Espanhola
« Última mensagem por Menacho em Hoje às 02:09:27 pm »






7
The Way of the Warriors

 
Mais uma foto dos novos equipamentos que estão a equipar os Paraquedistas Portugueses. Neste caso o 1º BIPara que já está em aprontamento para a missão na Republica Centro Africana.

8
Conflitos do Presente / Re: Separatismos em Espanha
« Última mensagem por Daniel em Hoje às 01:53:02 pm »
Catalunha: Puidgemont avaliou sobrevivência da nação antes da independência
http://www.jornaleconomico.sapo.pt/noticias/catalunha-puidgemont-avaliou-sobrevivencia-da-nacao-antes-da-independencia-235405

Citar
“Associação Independente e Económica da Catalunha e Europa: Cenários Possíveis” é nome do documento elaborado pelo Governo Regional de Puidgmont que avalia a sobrevivência política e económica de uma Catalunha independente.Um documento elaborado pelo Governo Regional da Catalunha, a Generalitat, utilizou os exemplos da República Turca do Norte de China, Taiwan e Kosovo para considerar válida a independência da Catalunha e estabelecer uma saudável relação entre uma república catalã e a Europa.

O relatório da Generalitat, cujas propostas e previsões deveriam vigorar desde a proclamação da independência da Catalunha, analisa, segundo o El mundo, o posicionamento da Catalunha dentro da União Europeia e deveria de ter servido para “obrigar” Espanha a negociar com o Governo de Carles Puidgemont as circunstâncias económicas e os interesses de multinacionais.

O documento defende que “a Catalunha seria a 14.ª potência económica da União Europeia”. O seu PIB colocaria a nação mais a leste da Península Ibérica atrás da Dinamarca mas à frente de países como Finlândia, Irlanda, Grécia e outros 18 estados europeus. Mais, uma Catalunha independente ficaria “à frente de Itália e Espanha”, no que respeita a rendimentos per capita.

“Apesar do protesto de Madrid, dezenas de empresas privadas e internacionais têm interesse em investir” na Catalunha, prossegue o relatório defendendo que a consultora Ernst & Young considera aquela região “a quarta mais dinâmica” de toda a Europa. Apenas Londres, Paris e Darmstad, na Alemanha, têm melhor cotação.  É ainda referido  que um dos objetivos da Catalunha, enquanto república, seria o de criar novos trâmites legais e fiscais mais favoráveis para a criação de empresas.

O documento sustém ainda a ideia de que a “médio e longo-prazo a Catalunha beneficiaria” com a independência, esboçando três cenários possíveis: a de a Catalunha não ser reconhecida nem por Espanha nem pela UE; a do estado da Catalunha ser reconhecido por todo o mundo; e o cenário da independência catalã não ser reconhecida por Espanha, mas ser aceite por alguns países europeus.

O primeiro cenário foi o mais desenvolvido. Segundo o El Mundo, embora o relatório reconheça a situação como “incomum e surreal”, o Governo de Puidgemont  conluiu que Espanha não pode continuar “a ignorar o clamor popular”.

O documento “Associação Independente e Económica da Catalunha e Europa: Cenários Possíveis” encontra-se agora nas mãos do 13.º Tribunal de Instrução de Barcelona.
9
Conflitos do Presente / Re: Separatismos em Espanha
« Última mensagem por Menacho em Hoje às 01:49:45 pm »
Todo un éxito el independentismo en Cataluña:

Se frena la fuga de empresas: 2.573 compañías han abandonado Cataluña desde el 1-O

Citar
Un total de 2.573 compañías han trasladado su sede social de Cataluña desde la celebración del referéndum del pasado 1 de octubre, según datos del Colegio de Registradores Mercantiles de España.

Y aunque el cambio de sede no tiene porqué ir acompañado del de domicilio fiscal, hasta los primeros días de noviembre, cerca de 1.000 empresas han cambiado su domicilio fiscal de Cataluña a otras Comunidades, según la Agencia Tributaria (AEAT). El traslado social no implica ningún cambio operativo para la empresa, pero el fiscal sí exige que se trasladen las juntas y parte de la gestión operativa a la nueva sede.

Sin embargo, las salidas se han frenado después de que el viernes 27 de octubre el Parlament aprobara la DUI (Declaración Unilateral de Independencia) y, posteriormente, el Senado autorizara la aplicación del artículo 155 de la Constitución para restablecer la legalidad en Cataluña. Además, esta desaceleración de la salida de empresas de Cataluña está en línea con las declaraciones del presidente del Gobierno, Mariano Rajoy, que ha solicitado que estas sociedades vuelvan a la región catalana cuando la situación se tranquilice.

En la jornada de ayer -la última con datos disponibles-, trasladaron su sede social fuera de Cataluña 33 empresas, la segunda cifra más baja desde que se inició la salida masiva de sociedades después de la registrada el pasado martes (27). En lo que va de semana, el número de salidas se ha situado todos los días por debajo de cincuenta, muy lejos de las 268 del 19 de octubre y de las 212 del 9 de octubre, las dos jornadas con más movimientos.

Las 62 principales empresas que han trasladado su sede social fuera de Cataluña suponen un impacto directo en el PIB de 11.540 millones de euros, lo que representa un 5,4% de la economía catalana y un 1% de la economía española en su conjunto, según ha publicado EXPANSIÓN.

El clima de inestabilidad política que se vive tras el referéndum del 1 de octubre ha supuesto ya el traslado de seis de las siete cotizadas catalanas del Ibex: Sabadell, Gas Natural, CaixaBank, Abertis, Cellnex y Colonial. Grifols es la única empresa que se resiste a abandonar la región. Dentro del Mercado Continuo ya son siete las empresas que mudan su sede: Oryzon, Dogi, Service Point, Catalana Occidente, eDreams, Applus y Cementos Molins.

El argumento que esgrime la mayor parte de las empresas que se han marchado es que el cambio de domicilio o sede social es un movimiento estratégico para proteger los intereses de sus accionistas, clientes y empleados.

http://www.expansion.com/empresas/2017/10/06/59d74d6e22601d64698b469f.html

Independentismo es igual a ruina económica...
10
Marinha no ForumDefesa.com / Re: Notícias da Marinha
« Última mensagem por Lightning em Hoje às 01:48:18 pm »
Marinha apoia Polícia Marítima pela primeira vez no alto mar
https://www.dn.pt/portugal/interior/marinha-apoia-policia-maritima-pela-primeira-vez-no-alto-mar-8928988.html

Parece que vamos começar a ter agentes da Policia Maritima a bordo de navios da Armada a operar nas nossas águas.
Páginas: [1] 2 3 4 5 6 ... 10