Piratas à Abordagem

  • 169 Respostas
  • 39599 Visualizações
*

Crypter

  • Especialista
  • ****
  • 1001
  • Recebeu: 137 vez(es)
  • Enviou: 148 vez(es)
  • +8/-2
Re: Piratas à Abordagem
« Responder #165 em: Março 26, 2015, 07:59:38 pm »
Citar
Contra-almirante português vai comandar força da NATO de combate à pirataria
LUSA26 de Março de 2015, às 19:19
O contra-almirante Silvestre Correia vai comandar a "Standing NATO Maritime Group 1", entre junho e dezembro deste ano, a força naval da organização no combate à pirataria no Índico, que será liderada pela fragata Dom Francisco de Almeida.
null
O porta-voz da Marinha adiantou à agência Lusa que a fragata portuguesa será o navio chefe desta força da Aliança Atlântica durante o segundo semestre de 2015.

Segundo um decreto do Presidente da República publicado hoje em Diário da República, o contra-almirante Alberto Silvestre Correia irá assumir as funções de comandante desta força entre 07 de junho e 20 de dezembro.

Licenciado em Ciências Militares Navais, o contra-almirante Silvestre Correia já foi comandante da Esquadrilha de Escoltas Oceânicos e também da Força de Reação Imediata.

ATF// ZO

Lusa/Fim
 

*

Get_It

  • Investigador
  • *****
  • 1705
  • Recebeu: 179 vez(es)
  • Enviou: 400 vez(es)
  • +7/-1
Re: Piratas à Abordagem
« Responder #166 em: Maio 05, 2015, 09:27:41 pm »
AW109 sueco em operações navais na costa da Somália abordo do navio holandês Johan de Witt:

Swedish AW109 performing well for EU off Somali coast
Citação de: "Craig Hoyle, Flightglobal"
The Swedish Defence Helicopter Wing has made a successful operational debut aboard a surface ship operated by another nation, with an AgustaWestland AW109 having supported the EU’s Operation Atalanta activity off the coast of Somalia for almost three months.

Sweden early this year deployed two AW109s and 14 personnel aboard the Royal Netherlands Navy amphibious assault ship Johan de Witt, alongside a Dutch NH Industries NH90. One of the Swedish rotorcraft, which is ordinarily based in Ronneby, is maintained in an operational condition, with the other acting as a spare.

“The foreign ship is a big difference for us,” says Col Per Skanz, unit commander for Sweden’s four-month helicopter detachment in support of the ME04 multinational anti-piracy mission. Stockholm’s previous two such deployments were made aboard Swedish navy vessels.

“The catchword for us has been integration,” says Skanz. “We think the same way, and we have the same procedures.”

Used for intelligence, surveillance and reconnaissance, and equipped with an electro-optical camera payload and machine gun, the AW109 has a 60nm (111km) operating range and a flight endurance of 1.5h.

“The AW109 is quick to start, and provides a fast reaction time,” Skanz says, adding that people aboard maritime vessels also “don’t see or hear you”.

(...)
Fonte: http://www.flightglobal.com/news/articles/swedish-aw109-performing-well-for-eu-off-somali-coast-411929/

Cumprimentos,
:snip: :snip: :Tanque:
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 6885
  • Recebeu: 432 vez(es)
  • Enviou: 521 vez(es)
  • +23/-2
Re: Piratas à Abordagem
« Responder #167 em: Novembro 28, 2015, 03:48:27 pm »
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 6885
  • Recebeu: 432 vez(es)
  • Enviou: 521 vez(es)
  • +23/-2
Re: Piratas à Abordagem
« Responder #168 em: Dezembro 09, 2015, 02:15:51 am »

Pirataria: Tripulação polaca está livre
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 8899
  • Recebeu: 293 vez(es)
  • Enviou: 208 vez(es)
  • +15/-5
Re: Piratas à Abordagem
« Responder #169 em: Abril 25, 2017, 01:20:33 pm »
Pirataria no Golfo da Guiné requer atenção imediata, diz comandante da Marinha Portuguesa


A fragata Alvares Cabral participou recentemente no exercício anual “Mar Aberto”, em Cabo Verde, e no OBANGAME Express, do comando norte-americano para África (AFRICOM), ao largo da costa do Senegal.

“Se considerarmos que o Golfo da Guiné vai desde o Senegal até Angola e que a pirataria está a aumentar de uma forma considerável quando comparada com há uma década, julgo que é algo que estes países têm que tomar atenção e no imediato”, disse à agência Lusa o comandante Gonçalves Simões.

Para o comandante da Alvares Cabral, se os países deixarem que a pirataria se implante e se torne efetiva nesta zona, “a sua dissuasão e combate terá que ser muito mais robusta e com mais meios no mar”.

“É quando está na sua fase embrionária ou inicial que devemos atacar para que não aumente exponencialmente”, disse, apontando como exemplo o caso da Somália.


“Os países não deram muita atenção e aquilo tomou proporções de tal forma que depois tivemos que ter forças multinacionais a colaborar para que aquele flagelo fosse debelado”, sublinhou.

Para o comandante Gonçalves Simões, os fenómenos da pirataria, tráfico ilícito de droga e pessoas devem ser áreas no pensamento de qualquer governante de um país que tenha águas internacionais porque, considerou, “atrás dessa insegurança vem tudo o que é um prejuízo económico”, nomeadamente associado ao turismo e à pesca.

Gonçalves Simões adiantou que já existem várias estratégias de promoção da vigilância e segurança marítimas estabelecidas para esta zona, faltando agora operacionalizá-las.

“A operacionalização demora sempre mais algum tempo. Estamos a falar de interesses entre Estados, partilha de recursos e muitas vezes a partilha de elementos de informação. É essa partilha de informação que temos de começar desde o início”, disse.

Para o responsável, exercícios como o OBANGAME são “uma boa forma de operacionalizar o que está nas diversas estratégias marítimas implantadas ao longo da costa africana porque visa também a troca de informação entre os diversos centros de operações marítimas de cada um dos países”.


>>>>>   http://24.sapo.pt/atualidade/artigos/pirataria-no-golfo-da-guine-requer-atencao-imediata-diz-comandante-da-marinha-portuguesa
 

 

Os Piratas de Malaca (not the movie..)

Iniciado por MarauderQuadro Conflitos do Presente

Respostas: 0
Visualizações: 1330
Última mensagem Agosto 02, 2006, 10:17:53 am
por Marauder