FAB - Força Aérea Brasileira

  • 952 Respostas
  • 133072 Visualizações
*

Charlie Jaguar

  • Investigador
  • *****
  • 1426
  • Recebeu: 320 vez(es)
  • Enviou: 147 vez(es)
  • +20/-2
Re: FAB - Força Aérea Brasileira
« Responder #870 em: Abril 20, 2017, 11:39:23 am »
Muito interessante.  ;)



Saudações

É a DOAB (Daughter Of All Bombs)!  ;D
Saudações Aeronáuticas,
Charlie Jaguar

         "PER ASPERA AD ASTRA"
               (Por Caminhos Árduos, Até Às Estrelas)
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: mafets

*

Vitor Santos

  • Investigador
  • *****
  • 2803
  • Recebeu: 192 vez(es)
  • Enviou: 141 vez(es)
  • +30/-31
Re: FAB - Força Aérea Brasileira
« Responder #871 em: Abril 21, 2017, 02:09:13 pm »

Aviação de Caça 2017
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 7900
  • Recebeu: 253 vez(es)
  • Enviou: 175 vez(es)
  • +12/-3
Re: FAB - Força Aérea Brasileira
« Responder #872 em: Abril 22, 2017, 04:23:09 pm »
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Vitor Santos

*

Vitor Santos

  • Investigador
  • *****
  • 2803
  • Recebeu: 192 vez(es)
  • Enviou: 141 vez(es)
  • +30/-31
Re: FAB - Força Aérea Brasileira
« Responder #873 em: Abril 24, 2017, 02:33:22 pm »








Créditos: Roberto Caiafa
 

*

Vitor Santos

  • Investigador
  • *****
  • 2803
  • Recebeu: 192 vez(es)
  • Enviou: 141 vez(es)
  • +30/-31
Re: FAB - Força Aérea Brasileira
« Responder #874 em: Abril 25, 2017, 03:04:50 pm »
ONU vistoria aeronaves da FAB para emprego em missões de paz

Cinco aeronaves militares foram colocadas à disposição da ONU, sendo um C-105 Amazonas, dois H-60 Black Hawk e dois A-29 Super Tucano


Citar
Empregar aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB) em missões de paz. Esse é o objetivo da vistoria de uma comitiva da Organização das Nações Unidas (ONU) a esquadrões aéreos em Manaus (AM) e Porto Velho (RO) a partir desta semana. A visita de assessoramento e aconselhamento faz parte de um programa da instituição que avalia as condições de emprego aéreo dos países voluntários, chamado United Nations Peacekeeping Capability Readiness System (UNPCRS).

Militares do Ministério da Defesa (MD), do Centro Conjunto de Operações de Paz no Brasil (CCOPAB), do Comando de Preparo (COMPREP) e do Estado-Maior da Aeronáutica (EMAER) também acompanham a comitiva que visitou, nesta segunda-feira (24/04), o Esquadrão Arara (1º/9º GAV), operador do C-105 Amazonas.

Cinco aeronaves da FAB foram colocadas à disposição para atuarem em missões de paz: um C-105 Amazonas, dois H-60L Black Hawk e dois A-29 Super Tucano. A visita da ONU visa avaliar as condições de emprego, assim como o histórico de missões. O Brasil, atualmente, está no nível 1 do UNPCRS, quando coloca à disposição os meios aéreos e se candidata a operações de paz.

Ao todo, o UNPCRS possui quatro fases. A vistoria in loco pode elevar o Brasil ao nível 3, quando a operacionalidade é aprovada pela ONU dentro de todos os pré-requisitos necessários (nível 2) e se dá início ao planejamento das missões de paz (nível 3). A última etapa é a prontidão para o emprego em, no máximo, 90 dias.

Doze países em situação de conflito fazem parte da lista da ONU, como Chipre, Líbano, República Centro Africana e Congo. Quatro países tiveram baixa aceitação depois de avaliação minuciosa do Ministério das Relações Exteriores (MRE) e do MD, por questões logísticas e de risco, como Sudão do Sul e Mali.


Segundo o Coronel Humayun Chohan Zia, líder da comitiva da ONU, o Brasil é um dos países que tem oferecido considerável contribuição às Nações Unidas, como o apoio ao Haiti (Minustah), e também grandes representações individuais em inúmeras missões, como staff e observadores. “O Brasil tem grande possibilidade de empregar meios aéreos na África e em outras missões muito bem”, pontua.

Para o Subchefe de Operações de Paz, Contra-Almirante Rogério Ramos Lage, o Ministério da Defesa está sempre atuando no sentido de mostrar à ONU que o Brasil possui condições de apresentar tropas, material e pessoal para o emprego em missões de paz. “Tenho orgulho de mostrar nossa capacidade de cumprimento de missão de paz e atendimento aos compromissos assumidos diante dessa organização e à comunidade internacional”, avalia.

Aprovação

Major Dailo Gonçalves de Aquino Júnior, do EMAER, explica que existe um processo com inúmeras etapas, cuja previsão é que as aeronaves da FAB, caso sejam aprovadas, possam ser empregadas no segundo semestre de 2018. Segundo ele, depois da visita e do sinal verde, o próximo passo é uma consulta informal da ONU ao MRE sobre o interesse do Brasil em empregar seus meios aéreos em determinada missão.

A partir daí, são feitas reuniões entre MRE, MD e FAB e, caso seja de interesse o emprego na missão ofertada, os custos são enviados ao Ministério do Planejamento e Congresso Nacional para se verificar a disponibilidade de recursos financeiros. “Com o orçamento pré-aprovado, a ONU é informada da resposta positiva do Brasil e é, então, disparado o processo formal com documentação, que irá seguir o mesmo trâmite, porém com votação no Congresso. Numa previsão otimista e célere, o emprego deve acontecer no segundo semestre de 2018”, comenta.

Vistoria

Parte da comitiva da ONU segue com a visita aos esquadrões aéreos da FAB até quarta-feira (26/04). Nesta terça-feira, o grupo viaja para Porto Velho (RO), onde está sediado o Esquadrão Grifo (2º/3º GAV), com aeronaves de caça A-29 Super Tucano. Na quarta-feira, a vistoria a unidades aéreas finaliza em Manaus, no Esquadrão Harpia (7º/8º GAV), com os helicópteros H-60L Black Hawk.

FONTE:http://www.fab.mil.br/noticias/mostra/29937/INTERNACIONAL%20%E2%80%93%20ONU%20vistoria%20aeronaves%20da%20FAB%20para%20emprego%20em%20miss%C3%B5es%20de%20paz
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 7900
  • Recebeu: 253 vez(es)
  • Enviou: 175 vez(es)
  • +12/-3
Re: FAB - Força Aérea Brasileira
« Responder #875 em: Abril 26, 2017, 07:40:05 pm »
 

*

Vitor Santos

  • Investigador
  • *****
  • 2803
  • Recebeu: 192 vez(es)
  • Enviou: 141 vez(es)
  • +30/-31
Re: FAB - Força Aérea Brasileira
« Responder #876 em: Abril 27, 2017, 03:20:38 pm »

Aeronaves de caça da FAB são inspecionadas pela ONU
 

*

Vitor Santos

  • Investigador
  • *****
  • 2803
  • Recebeu: 192 vez(es)
  • Enviou: 141 vez(es)
  • +30/-31
Re: FAB - Força Aérea Brasileira
« Responder #877 em: Abril 28, 2017, 01:26:32 pm »

Comitiva da ONU inspeciona H-60 Black Hawk para missões de paz
 

*

Vitor Santos

  • Investigador
  • *****
  • 2803
  • Recebeu: 192 vez(es)
  • Enviou: 141 vez(es)
  • +30/-31
Re: FAB - Força Aérea Brasileira
« Responder #878 em: Abril 28, 2017, 01:28:47 pm »

C-105 Amazonas (Casa-295) é inspecionado pela ONU
 

*

Vitor Santos

  • Investigador
  • *****
  • 2803
  • Recebeu: 192 vez(es)
  • Enviou: 141 vez(es)
  • +30/-31
Re: FAB - Força Aérea Brasileira
« Responder #879 em: Maio 04, 2017, 07:45:47 pm »
FAB se prepara para atuar em missões de paz em 2018


Citar
Participar de missões humanitárias da Organização das Nações Unidas (ONU) com o emprego de aeronaves militares pode ser uma das novidades da Força Aérea Brasileira (FAB) em 2018. Para atender aos pré-requisitos exigidos, uma comitiva da ONU fez vistorias em três esquadrões aéreos e uma unidade logística da Aeronáutica, localizados em Manaus (AM), Porto Velho (RO) e Rio de Janeiro (RJ) na última semana. O objetivo foi avaliar as condições de emprego dos meios disponibilizados.

As visitas de assessoramento e aconselhamento fazem parte de um sistema da instituição que avalia as condições de emprego dos países voluntários, chamado United Nations Peacekeeping Capability Readiness System (UNPCRS). Ao todo, o sistema possui quatro níveis. O Brasil estava no nível 1 quando colocou à disposição os meios aéreos e se candidatou a participar de operações de paz.

A vistoria in loco e a aprovação podem elevar o País ao nível 3, quando a operacionalidade é aprovada pela ONU dentro de todos os requisitos necessários (nível 2) e se dá início às assinaturas de contratos entre Brasil e ONU (nível 3). A última etapa é a prontidão para o emprego em, no máximo, 90 dias.

Cinco aeronaves da FAB foram colocadas à disposição para atuarem em missões de paz: o cargueiro C-105 Amazonas, dois helicópteros H-60L Black Hawk e dois caças A-29 Super Tucano. Durante a semana, a comitiva esteve em Manaus (AM), conhecendo os esquadrões Arara (1º/9º GAV), que emprega o C-105 Amazonas; Harpia (7º/8º GAV), que utiliza o H-60L Black Hawk; além de Porto Velho (RO), conhecendo o emprego dos caças A-29 Super-Tucano do Grifo (2º/3º GAV).

Embora os esquadrões da Região Norte tenham sido apresentados à comitiva da ONU, todos os esquadrões que possuem o modelo apresentado pela FAB concorrem à oportunidade de participar de uma missão humanitária. Segundo o Tenente-Coronel Cláudio Faria, Comandante do Esquadrão Onça (1º/15º GAV), que também emprega o C-105 Amazonas, pode haver seleção de pilotos e tripulantes de esquadrões diferentes. “O objetivo é somar as habilidades individuais de cada esquadrão em benefício de um grupo maior a ser montado. Por exemplo, no caso dos (helicópteros) Black Hawk, há dois esquadrões em condições semelhantes em que os pilotos e tripulantes podem ser unidos formando um grupo”, explica.

Doze países em situação de conflito fazem parte da lista da ONU, como Chipre, Líbano, República Centro Africana e Congo. No entanto, quatro países tiveram baixa aceitação do Ministério das Relações Exteriores (MRE) e do MD, por questões logísticas e de risco, como Sudão do Sul e Mali.

Logística e comunicações

Para dar apoio às aeronaves que podem ser empregadas em missões de paz, é indispensável uma infraestrutura básica de suporte logístico e comunicações. Na última sexta-feira (28/04), o Esquadrão Profeta (1º/1º GCC), localizado no Rio de Janeiro (RJ), também foi vistoriado pela comitiva da ONU.

A unidade de apoio de comunicação e estrutura está disponibilizando à ONU barracas operacionais iluminadas e climatizadas, computadores, comunicação via rádio e satélite, geradores de energia, rede elétrica, entre outros. A mesma infraestrutura já foi utilizada em operações e no apoio a vítimas de desastres naturais no País e até no exterior, como na enchente de Mariana (MG) em 2015 e terremoto no Haiti em 2010.

Segundo o Comandante da unidade, Major Daniel Lames, o objetivo é que toda a infraestrutura seja utilizada para ajudar nações amigas. “A nossa expectativa é que consigamos uma inserção num ambiente de emprego real, de modo a prestar o melhor suporte às unidades aéreas”, acrescenta.

Aprovação

Da vistoria até a aprovação final é um processo longo que está sendo acompanhado passo a passo pelo Estado-Maior da Aeronáutica (EMAER). Após a visita e o sinal verde da ONU, o próximo passo é uma consulta informal da ONU ao Ministério das Relações Exteriores (MRE) sobre o interesse do Brasil em empregar seus meios aéreos em um país específico. A partir daí, são feitas reuniões entre MRE, Ministério Defesa (MD) e FAB e, caso seja de interesse o emprego na missão ofertada, os custos são enviados ao Ministério do Planejamento e ao Congresso Nacional para se verificar a disponibilidade de recursos financeiros. Com a resposta positiva, todo o trâmite se repete dentro de um processo formal e documentado, finalizando na votação da Câmara dos Deputados e Senado Federal.

Segundo Major Dailo Gonçalves de Aquino Júnior, chefe da comitiva da FAB, a impressão deixada pela equipe da ONU dá indícios de que os recursos do Brasil devem ser utilizados para outras nações. “Eles demonstraram satisfação e surpresa com as capacidades apresentadas para emprego em missões de paz. Informalmente, eles afirmaram estar satisfeitos em encontrar aeronaves, equipamentos e serviços em excelente estado de manutenção e uma equipe motivada e treinada para cumprir uma possível missão”, acrescenta.

FONTE: Portal FAB

 

*

Vitor Santos

  • Investigador
  • *****
  • 2803
  • Recebeu: 192 vez(es)
  • Enviou: 141 vez(es)
  • +30/-31
Re: FAB - Força Aérea Brasileira
« Responder #880 em: Maio 04, 2017, 08:05:59 pm »








 

*

Vitor Santos

  • Investigador
  • *****
  • 2803
  • Recebeu: 192 vez(es)
  • Enviou: 141 vez(es)
  • +30/-31
Re: FAB - Força Aérea Brasileira
« Responder #881 em: Maio 07, 2017, 05:48:58 am »
Primeiro satélite brasileiro foi lançado com sucesso


Lançamento foi acompanhado em tempo real por autoridades nas dependências do Comando de Operações Aeroespaciais

Citar
Quinta-feira, 4 de maio de 2017, 18h51min: o Brasil lançou, com sucesso, seu primeiro satélite – o Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC). O lançamento aconteceu a partir do Centro Espacial de Kourou, na Guiana Francesa, a bordo de um veículo Ariane 5, que também levava um satélite coreano.

O êxito da operação, confirmado 25 minutos após o lançamento, foi acompanhado em tempo real por autoridades que encabeçaram o projeto. O Presidente da República, Michel Temer, o Ministro da Defesa, Raul Jungmann, o Ministro de Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações, Gilberto Kassab, o Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato, e o Presidente da Telebras, Antônio Loss, assistiram à decolagem e à trajetória do veículo lançador a partir de um telão nas dependências do Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), em Brasília (DF).

Segundo o Presidente da República, o lançamento representa a entrada do Brasil em uma área de modernidade e avanço tecnológico, pois haverá a democratização do fenômeno digital. “Esta é uma vitória do Brasil”, disse Temer. O Comandante da Aeronáutica concorda; segundo o Tenente-Brigadeiro Rossato, o SGDC eleva a questão espacial brasileira a um novo e mais elevado patamar.


O satélite terá uso dual, ou seja, vai atuar tanto na área civil quanto militar. A banda Ka irá permitir acesso à conexão de banda larga em todos os locais do País. Segundo o Ministro Kassab, já há parcerias firmadas com outros ministérios para utilizar o satélite em melhorias na vida da população, especialmente nas áreas de saúde e educação.

Já a banda X vai servir à defesa do País, possibilitando comunicações militares e governamentais mais seguras. Para o Ministro Jungmann, segurança nas comunicações é um fator decisivo na soberania e na independência do País. Ele também destaca que, apesar de depender de dotação orçamentária, já está sendo negociada a continuidade do projeto. “Existe uma decisão da Presidência da República de que esse projeto deve continuar. E ele vai continuar”, disse.


No máximo até o dia 16 de junho, o controle do satélite passará para o Brasil. Antes disso, o SGDC leva entre 7 e 12 dias para entrar em órbita geoestacionária, a aproximadamente 36 mil quilômetros de altura; e mais 20 a 30 dias para realização de testes orbitais.

FONTE: FAB

 

*

Vitor Santos

  • Investigador
  • *****
  • 2803
  • Recebeu: 192 vez(es)
  • Enviou: 141 vez(es)
  • +30/-31
Re: FAB - Força Aérea Brasileira
« Responder #882 em: Maio 07, 2017, 05:54:37 am »








 

*

Vitor Santos

  • Investigador
  • *****
  • 2803
  • Recebeu: 192 vez(es)
  • Enviou: 141 vez(es)
  • +30/-31
Re: FAB - Força Aérea Brasileira
« Responder #883 em: Maio 08, 2017, 02:28:56 pm »
 

*

Vitor Santos

  • Investigador
  • *****
  • 2803
  • Recebeu: 192 vez(es)
  • Enviou: 141 vez(es)
  • +30/-31
Re: FAB - Força Aérea Brasileira
« Responder #884 em: Maio 08, 2017, 02:40:50 pm »
 

 

"A Força da Razão"

Iniciado por LusoQuadro Livros-Revistas-Filmes-Documentários

Respostas: 66
Visualizações: 15892
Última mensagem Janeiro 17, 2007, 05:02:22 pm
por Luso
Força militar "pronta" para ir ao Congo

Iniciado por LanceroQuadro Conflitos do Presente

Respostas: 9
Visualizações: 3682
Última mensagem Abril 01, 2007, 04:21:19 pm
por comanche
WEBASAS - BASE AÉREA SP- F-5"MIKE"/C-130FAV/DC-8/K

Iniciado por WEBASASQuadro Internet-Jogos-Simulações

Respostas: 0
Visualizações: 1925
Última mensagem Outubro 13, 2007, 07:00:25 am
por WEBASAS
Reino Unido e França querem nova força militar

Iniciado por Tiger22Quadro Mundo

Respostas: 3
Visualizações: 1531
Última mensagem Fevereiro 10, 2004, 09:14:56 pm
por filcharana
Qual a melhor força especial das forças armadas da Nato?

Iniciado por InstrutorQuadro Exércitos/Sistemas de Armas

Respostas: 204
Visualizações: 45734
Última mensagem Junho 13, 2013, 11:57:06 am
por Cabeça de Martelo