Energias Renováveis

  • 227 Respostas
  • 47036 Visualizações
*

Viajante

  • Especialista
  • ****
  • 1103
  • Recebeu: 277 vez(es)
  • Enviou: 155 vez(es)
  • +37/-8
Re: Energias Renováveis
« Responder #210 em: Outubro 17, 2017, 12:41:16 pm »

Nem de propósito. Publicado pela Toyota no dia 12.

Citar
Toyota Project Portal is a hydrogen fuel cell system designed for heavy-duty truck use, emitting nothing but water vapor. The Project Portal heavy-duty truck concept generates more than 670 horsepower and 1,325 pound feet of torque from two Mirai fuel cell stacks and a 12kWh battery. The zero-emission class 8 truck’s gross combined weight capacity is 80,000 lbs., and its estimated driving range is more than 200 miles per fill, under normal drayage operation.

É uma machadada na Tesla que preparava-se para apresentar um camião totalmente eléctrico (que entretanto foi adiada)......
350Km de autonomia já é bom. O camião da Tesla vai ter também uma autonomia de 200 a 300 milhas!
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 9252
  • Recebeu: 301 vez(es)
  • Enviou: 209 vez(es)
  • +15/-5
Re: Energias Renováveis
« Responder #211 em: Outubro 29, 2017, 02:20:11 pm »
Governo aprova investimentos de 50 milhões de €€ no setor da energia eólica


O secretário de Estado da Energia, Jorge Seguro Sanches, aprovou dois projetos de parques eólicos da EDP Renováveis, nos concelhos da Batalha e de Tarouca. "O seu fornecimento será assegurado com uma considerável incorporação industrial nacional, de acordo com as contrapartidas do contrato, assumidas pelo promotor com o Estado," garante Sanches.

O secretário de Estado da Energia, Jorge Seguro Sanches, aprovou dois projetos de parques eólicos da EDP Renováveis. Os projetos encontravam-se ao abrigo da Fase B do concurso para atribuição de licenças eólicas, lançado em 2008, e representam um investimento de cerca de 50 milhões de euros. Trata-se dos parques eólicos de Maunça (20 megawatts), no concelho da Batalha, e de Vigia (28 megawatts), no concelho de Tarouca.

“A instalação destes projetos, ainda com tarifas ‘feed-in’, insere-se na lógica de estabilidade contratual e regulatória assumida pelo Governo para o setor, mas o seu fornecimento será assegurado com uma considerável incorporação industrial nacional, de acordo com as contrapartidas do contrato, assumidas pelo promotor com o Estado,” salienta o gabinete do secretário de Estado da Energia, através de um comunicado.

“A evolução tecnológica, entretanto registada nos últimos anos, combinada com o forte potencial solar nacional, impôs, no entanto, uma mudança de paradigma no setor das energias renováveis, reforçada pela necessidade de redução do défice tarifário e dos preços da eletricidade, e por conseguinte, para o aumento da competitividade da economia portuguesa. É neste contexto que assenta atual aposta do Governo na promoção de projetos renováveis, sem tarifa ‘feed-in’ (subsídios pagos pelos consumidores), que penalizem a fatura de energia, em especial das famílias,” acrescenta.

“Até ao momento, o secretário de Estado da Energia já aprovou 14 centrais solares fotovoltaicas, com uma capacidade instalada de 521 megawatts, correspondendo ao pagamento pelos promotores de cerca de 8 milhões de euros em cauções e um investimento potencial de 381 milhões de euros. Em fase de trâmite processual encontram-se ainda mais de 2.000 megawatts de pedidos de licenciamento de solar fotovoltaico e eólico. Em curso estão também investimentos na área da biomassa, 182 megawatts relativos a oito centrais de biomassa, a que se juntarão em breve mais 60 megawatts, a atribuir a municípios e comunidades intermunicipais,” destaca.

“Na energia eólica ‘offshore’ o destaque vai para o projeto do Windfloat que traduz um investimento de cerca de 125 milhões de euros, a realizar nos próximos anos e cujo concurso de ligação a terra está neste momento, através da REN, em fase de audiência prévia dos concorrentes à construção do cabo, para a sua adjudicação final. Este investimento não irá ser pago pelos consumidores, ao contrário do inicialmente previsto. A esta lista junta-se o anúncio da EDP Renováveis de instalação de mais 216 megawatts em parques eólicos em território nacional,” lê-se no comunicado.


>>>>>  http://www.jornaleconomico.sapo.pt/noticias/governo-aprova-investimentos-de-50-milhoes-de-euros-no-setor-da-energia-eolica-226747
 

*

HSMW

  • Moderador Global
  • *****
  • 8108
  • Recebeu: 633 vez(es)
  • Enviou: 923 vez(es)
  • +37/-5
    • http://youtube.com/HSMW
Re: Energias Renováveis
« Responder #212 em: Novembro 01, 2017, 12:53:56 pm »

Aqui está aquilo que tenho falado. Hidrogénio. Produzido a partir de energia eólica que separa o H2O em Hidrogénio e Oxigénio.
Autonomia de 600Km e abastece em 5 minutos.

Os elétricos são mais do mesmo. As baterias são feitas de Lítio que tem de ser extraído da terra e é limitado.
Tal como o petróleo.
« Última modificação: Novembro 01, 2017, 12:56:49 pm por HSMW »
http://www.youtube.com/profile_videos?user=HSMW

"Tudo pela Nação, nada contra a Nação."
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Lightning, perdadetempo, Viajante

*

Viajante

  • Especialista
  • ****
  • 1103
  • Recebeu: 277 vez(es)
  • Enviou: 155 vez(es)
  • +37/-8
Re: Energias Renováveis
« Responder #213 em: Novembro 01, 2017, 10:11:48 pm »
É verdade.
Finalmente a comunicação social está a dar mais relevo aos carros movidos a hidrogénio!

https://pplware.sapo.pt/informacao/hidrogenio-combustivel-ecologico-futuro/comment-page-1/#comment-2033949

Devem ter feito as contas ao brutal aumento de consumo de energia eléctrico que é necessário para mudarmos do paradigma de veículos a combustão para veículos 100% eléctricos! Já para não falar na matéria-prima poluente necessária para fazerem milhões de baterias!!!!!
 

*

perdadetempo

  • Perito
  • **
  • 438
  • Recebeu: 142 vez(es)
  • Enviou: 266 vez(es)
  • +15/-1
Re: Energias Renováveis
« Responder #214 em: Novembro 01, 2017, 11:51:11 pm »
Tem piada que ainda no Sec XX ( Numa revista  Science et Vie Special Aviation senão estou em erro), se chegou inclusive em falar na hipótese de utilizar o hidrogénio para combustível dos aviões de transporte de passageiros. O problema na altura era o volume ocupado e os riscos de segurança por causa dos depósitos na altura terem que ser instalados na fuselagem. Talvez com os novos avanços tecnológicos seja altura de alguma companhia mais corajosa voltar a visitar o assunto.

Cumprimentos,
 

*

Viajante

  • Especialista
  • ****
  • 1103
  • Recebeu: 277 vez(es)
  • Enviou: 155 vez(es)
  • +37/-8
Re: Energias Renováveis
« Responder #215 em: Novembro 02, 2017, 10:13:35 am »
Há líderes de marcas que consideram absurda a ideia de utilizar carros movidos a hidrogénio, como Elon Mask da Tesla (porque é um paradigma concorrente) e por exemplo o CEO da Jaguar:
http://www.aquelamaquina.pt/noticias/actualidade/detalhe/jaguar-afirma-que-carros-a-hidrogenio-sao-completamente-absurdos.html

"Acabas com uma eficiência de cerca de 30 por cento no caso do hidrogénio, em oposição com uma eficiência de 70 por cento para carros com baterias eléctricas. A eficiência de colocar a energia eléctrica directamente dentro de uma bateria é duas vezes mais alta face à eficiência de produzir e usar hidrogénio."

Já a Mercedes e BMW apostam nos veículos a hidrogénio (apesar de apostarem também nos 100% eléctricos)!
 

*

HSMW

  • Moderador Global
  • *****
  • 8108
  • Recebeu: 633 vez(es)
  • Enviou: 923 vez(es)
  • +37/-5
    • http://youtube.com/HSMW
Re: Energias Renováveis
« Responder #216 em: Novembro 15, 2017, 10:03:36 pm »

Mais vantagens do hidrogénio nos carros.
Será que com as emissões de vapor de água resolvíamos o problema da seca em Portugal?  ;D
http://www.youtube.com/profile_videos?user=HSMW

"Tudo pela Nação, nada contra a Nação."
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 9252
  • Recebeu: 301 vez(es)
  • Enviou: 209 vez(es)
  • +15/-5
Re: Energias Renováveis
« Responder #217 em: Fevereiro 19, 2018, 12:15:05 pm »
Galp estreia-se na produção fotovoltaica com central em Odemira


A Galp Energia avançou com o pedido de licenciamento da sua primeira central fotovoltaica, em S. Teotónio, concelho de Odemira, com uma capacidade de produção de seis megawatts (MW), em regime de mercado, projeto considerado de relevante interesse municipal.

Este pedido de licenciamento aguarda parecer da Direção Geral de Energia e Geologia (DGEG), mas, entretanto, a Câmara e a Assembleia Municipal de Odemira aprovaram, por unanimidade, a Declaração de Projeto de Relevante Interesse Municipal para a criação de uma Central Fotovoltaica no concelho.

Na página da Internet, a autarquia refere que "não significa qualquer compromisso vinculativo por parte da autarquia [com a Galp Power] e não dispensa o necessário procedimento de licenciamento", explicando que "a Declaração de Projeto de Relevante Interesse Municipal é requisito para a obtenção de licença de produção emitida pela Direção Geral de Energia e Geologia (DGEG)".

A Galp pretende implementar o projeto na zona sul do concelho, próximo do aglomerado rural da Choça, na Freguesia de S. Teotónio, uma área que não está inserida no Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina nem nos Sítios da Rede Natura 2000, lê-se na mesma nota.

Questionada pela Lusa, a Galp recusou confirmar este projeto, reafirmando apenas a intenção de investir em energias alternativas.

Há precisamente um ano, em fevereiro de 2017, o presidente executivo da petrolífera revelou a intenção da Galp Energia investir em produção de energia renovável, acompanhando a tendência de descarbonização do setor, o que remeteu para lá de 2018, ano em que a petrolífera deverá ter fluxo de capitais positivo.

Na apresentação aos analistas e investidores em Londres, Carlos Gomes da Silva, manifestou, na altura, "a ambição de acompanhar a transição para o baixo carbono".

"Não podemos ser indiferentes àquilo que se passa à nossa volta: todas as tendências levam a uma descarbonização da energia. Chegamos [às renováveis] na altura em que a tecnologia começa a ser competitiva em base de mercado sem ter de receber qualquer tipo de subsidiação. Acho que este é que é o modelo. Nunca antes de 2018. Enquanto não tivermos 'cash flow' [fluxo de caixa] positivo não nos vamos expor a projetos que não fazem parte do 'core business' [atividade central]" da empresa, disse então o gestor.

De acordo com o semanário Expresso, a petrolífera nacional terá já um acordo para a aquisição de centrais fotovoltaicas que receberam luz verde para avançar, referindo que em causa estão alguns dos projetos de Miguel Barreto, antigo diretor-geral da DGEG.

Na terça-feira, a Galp Energia apresenta um novo plano de negócios para os próximos cinco anos, num encontro com investidores em Londres, dia em que também divulga os resultados relativos a 2017.


>>>>>>>>   http://24.sapo.pt/atualidade/artigos/galp-estreia-se-na-producao-fotovoltaica-com-central-em-odemira
 

*

Viajante

  • Especialista
  • ****
  • 1103
  • Recebeu: 277 vez(es)
  • Enviou: 155 vez(es)
  • +37/-8
Re: Energias Renováveis
« Responder #218 em: Abril 07, 2018, 12:18:24 pm »
Os três dias em que Portugal só usou eletricidade de origem renovável estão a ser usados como exemplo internacional



 No mês passado, Portugal esteve quase 70 horas seguidas a utilizar eletricidade produzida apenas por energias renováveis e o caso continua a ser dado como exemplo além fronteiras

"Um debate internacional sobre se é possível ter 100% de energia renovável nos países está a ganhar força. O feito de Portugal, resultado de décadas de investimento em tecnologia de baixo carbono, mostra que isso é possível", escreveu esta semana o site de notícias americano Quartz, relativamente aos resultados obtidos no mês passado.

Entre os dias 9 e 12 de março, o consumo de eletricidade no País foi assegurado na íntegra por fontes renováveis, sobretudo energia eólica. A eletricidade de origem renovável produzida entre as 16 horas dessa sexta-feira e as 13 horas de segunda-feira foi de 521 Giga Watts por hora (GWh), enquanto o consumo elétrico nacional foi de 408 GWh, disse a APREN - Associação Portuguesa de Energias Renováveis - em comunicado, acrescentando que as centrais eólicas nacionais só por si abasteceram o consumo elétrico em 65% daquele período.

"Durante a mesma altura do ano anterior, as energias renováveis forneceram apenas 6% da electricidade de Portugal (graças, em parte, a uma seca que reduziu a sua capacidade hídrica)", lê-se no artigo do Quartz.

Em Portugal, as centrais de energia renovável (hídricas, eólicas, solares, geotérmicas e de biomassa) produzem anualmente, em média, 54% das necessidades elétricas nacionais, o que permite reduzir as importações de combustíveis fósseis em perto de 750 milhões de euros por ano, afirmou a APREN no comunicado, citando dados da REN - Redes Energéticas Nacionais.

"As condições meteorológicas em Portugal foram uma ajuda para a produção de eletricidade a partir de fontes renováveis, já que o tempo húmido e ventoso significaram maior criação de energia a partir das turbinas eólicas e barragens", escreveu o site inglês The Independent, também esta semana.

O popular site "I Fucking Love Science", que tem 25 milhões de seguidores no Facebook, também destaca os resultados de Portugal como "impressionantes", considerando que o País já tem, por si só, "uma pegada de carbono relativamente pequena e uma situação única de fornecimento de energia". A partilha do artigo recebeu mais de 18 mil reações e já foi partilhada, até agora, mais de 3500 vezes.

http://visao.sapo.pt/actualidade/sociedade/2018-04-07-Os-tres-dias-em-que-Portugal-so-usou-eletricidade-de-origem-renovavel-estao-a-ser-usados-como-exemplo-internacional
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 9252
  • Recebeu: 301 vez(es)
  • Enviou: 209 vez(es)
  • +15/-5
Re: Energias Renováveis
« Responder #219 em: Julho 25, 2018, 09:07:10 pm »
Primeira grande central solar da Europa sem tarifas garantidas já produz em Ourique


A primeira grande central solar da Europa a produzir energia sem tarifas garantidas ou outros subsídios estatais já está a funcionar no concelho de Ourique, no Alentejo, após um investimento de cerca de 35 milhões de euros.

A Central Solar Fotovoltaica Ourika!, que ocupa uma área de 100 hectares situada perto da aldeia de Grandaços, no concelho de Ourique, no distrito de Beja, ficou concluída em junho, começou a produzir energia no início deste mês e vai ser inaugurada na quinta-feira, disse hoje à agência Lusa fonte da empresa promotora, a MorningChapter.

Segundo a empresa, a central, que tem 30 anos de vida útil e uma potência total instalada de 46 megawatts-pico (MWp), distribuídos por 142 mil painéis solares, vai produzir 80 gigawatts-hora (GWh) de energia por ano, o suficiente para garantir o consumo de aproximadamente 25 mil famílias.

Trata-se da “primeira” central solar fotovoltaica “de grandes dimensões” a ser construída na Europa para operar em regime de mercado, ou seja, sem tarifas garantidas ou outros subsídios estatais que acarretam custos para os consumidores e contribuintes, refere a MorningChapter.

De acordo com a empresa, a central, que envolveu cerca de 150 trabalhadores na fase de construção e vai empregar “pelo menos cinco pessoas” nos serviços de operação e manutenção, é “pioneira”, porque “vem provar o novo paradigma para a energia solar na Europa” baseado no regime de mercado.

A central foi projetada para provar que é “possível” produzir energia através de uma grande central semelhante à de Amareleja, no concelho de Moura, também no distrito de Beja, que tem uma potência total instalada de 46,41 megawatts-pico (MWp) e chegou a ser maior do mundo, “mas sem o impacto negativo no preço da energia”, refere a empresa.

A central de Amareleja, no total dos seus 25 anos de vida útil, pode implicar um sobrecusto em tarifas garantidas de aproximadamente 200 milhões de euros e que deverá ser pago por todos os portugueses, frisa a empresa.

Segundo a MorningChapter, a central está “alinhada com todas as exigências do novo regulamento de ligação de geradores às redes da União Europeia” e é a primeira ligada diretamente à rede nacional de transporte (RNT) de eletricidade, gerida pela empresa REN – Redes Energéticas Nacionais, ao contrário das já existentes, que estão ligadas à Rede Nacional de Distribuição, gerida pela empresa EDP Distribuição.

A energia produzida pela Ourika!, a primeira central solar a ser licenciada em Portugal para operar em regime de mercado, é vendida no mercado ibérico ou exportada para qualquer outro mercado da União Europeia.

A central tem dimensão para “fazer a diferença na redução da necessidade de importação de combustíveis, aumentando a independência energética nacional e europeia” tanto de gás natural importado da Rússia como de energia nuclear, frisa a empresa.

A inauguração, com a presença do ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, vai decorrer a partir das 15:00 e incluir uma cerimónia de apresentação do projeto, no auditório da Biblioteca Municipal de Ourique, seguindo-se uma visita à central e o descerramento da placa de inauguração.


:arrow:  https://24.sapo.pt/economia/artigos/primeira-grande-central-solar-da-europa-sem-tarifas-garantidas-ja-produz-em-ourique
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 9252
  • Recebeu: 301 vez(es)
  • Enviou: 209 vez(es)
  • +15/-5
Re: Energias Renováveis
« Responder #220 em: Agosto 02, 2018, 12:32:13 pm »
Energia renovável cobriu 57% do consumo em Portugal


 

*

Viajante

  • Especialista
  • ****
  • 1103
  • Recebeu: 277 vez(es)
  • Enviou: 155 vez(es)
  • +37/-8
Re: Energias Renováveis
« Responder #221 em: Agosto 02, 2018, 12:47:52 pm »
Energia renovável cobriu 57% do consumo em Portugal



A REN infelizmente já não é um empresa pública, como refere a notícia. Infelizmente esta empresa estratégica está nas mãos de estrangeiros!!!!!!
 

*

HSMW

  • Moderador Global
  • *****
  • 8108
  • Recebeu: 633 vez(es)
  • Enviou: 923 vez(es)
  • +37/-5
    • http://youtube.com/HSMW
Re: Energias Renováveis
« Responder #222 em: Agosto 14, 2018, 03:05:48 pm »
Primeiro carro com bateria carregada pelo sol.
Já tinha pensado nisto à mais de 10 anos...  ::)
http://www.youtube.com/profile_videos?user=HSMW

"Tudo pela Nação, nada contra a Nação."
 

*

Viajante

  • Especialista
  • ****
  • 1103
  • Recebeu: 277 vez(es)
  • Enviou: 155 vez(es)
  • +37/-8
Re: Energias Renováveis
« Responder #223 em: Agosto 14, 2018, 03:16:00 pm »
É uma excelente solução, mas só estende a autonomia em pouco mais de 10% da já parca autonomia das baterias!!!!!
« Última modificação: Agosto 14, 2018, 03:24:28 pm por Viajante »
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 9252
  • Recebeu: 301 vez(es)
  • Enviou: 209 vez(es)
  • +15/-5
Re: Energias Renováveis
« Responder #224 em: Agosto 22, 2018, 01:48:10 pm »
Alentejo vai ter quatro novas centrais fotovoltaicas num investimento de 110 milhões de euros


Quatro novas centrais fotovoltaicas, sem subsídios públicos, vão ser criadas no Alentejo, nos concelhos de Nisa, Évora, Ourique e Aljustrel, num investimento superior a 110 milhões de euros, revelou hoje à agência Lusa a empresa promotora.

“Vamos desenvolver quatro projetos no Alentejo por causa dos recursos existentes, mas estamos também interessados em fazer projetos por todo o país desde que haja condições para tal”, disse o representante da empresa Energi-innovation na Península Ibérica, Francisco Ribeiro.

Segundo a empresa promotora, as quatro novas centrais fotovoltaicas vão produzir cerca de 270 gigawatts-hora (GWh) de energia por ano, o equivalente ao consumo médio anual de quase 60.000 habitações.

Em Nisa, no distrito de Portalegre, já foi atribuída a licença para a construção de uma central fotovoltaica na Herdade do Couto Gamo, numa área de 115 hectares, com uma capacidade total instalada de 50 megawatts (MW).

O projeto deverá estar concluído no terceiro trimestre de 2019.

“Todo o trabalho de preparação de construção da linha, que é o que demora mais tempo, já está a decorrer. Quanto à construção propriamente dita, gostaríamos que avançasse no primeiro trimestre do próximo ano. A produção surgirá mais tarde, talvez em setembro ou outubro”, disse.

Em Ourique, no distrito de Beja, a Energi-innovation vai iniciar no final deste ano a obra de uma central fotovoltaica na Herdade do Quintal, numa área de 120 hectares, tendo este equipamento, depois, uma capacidade total instalada de 50 MW.

De acordo com a empresa promotora, esta central deverá estar a funcionar em pleno no “segundo trimestre de 2019”.

Já em Évora, na Herdade da Barba Rala/Casinha, está a ser construída uma central fotovoltaica numa aérea de 80 hectares, com uma capacidade instalada de 25 MW.

“Esta central já está em construção e nós gostaríamos que estivesse operacional até ao final do ano”, disse o representante da empresa Energi-innovation na Península Ibérica.

Em Messejana, no concelho de Aljustrel, distrito de Beja, está a ser criada uma outra central, numa área de 10 hectares, com uma capacidade instalada de 10 MW, devendo estar concluída no segundo trimestre de 2019.


:arrow: https://24.sapo.pt/atualidade/artigos/alentejo-vai-ter-quatro-novas-centrais-fotovoltaicas-num-investimento-de-110-milhoes-de-euros

 

 

Ambinergia 2009 - a presença do Portal Energias - CEPEN

Iniciado por CEPENQuadro Países Lusófonos

Respostas: 0
Visualizações: 1861
Última mensagem Maio 02, 2009, 09:26:58 am
por CEPEN
Energias do Brasil: Notícias

Iniciado por MarauderQuadro Países Lusófonos

Respostas: 0
Visualizações: 1922
Última mensagem Junho 29, 2006, 11:07:56 am
por Marauder
Energias renovaveis e etanol

Iniciado por GI JorgeQuadro Portugal

Respostas: 10
Visualizações: 1858
Última mensagem Novembro 17, 2010, 06:17:51 pm
por GI Jorge
Energias Renováveis

Iniciado por LightningQuadro Mundo

Respostas: 32
Visualizações: 5269
Última mensagem Outubro 18, 2018, 11:00:55 am
por Lusitano89