Sector Portuário

  • 203 Respostas
  • 34494 Visualizações
*

PedroI

  • 120
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • Enviou: 5 vez(es)
  • +0/-0
Re: Sector Portuário
« Responder #75 em: Julho 26, 2011, 09:43:07 am »
Boas,

Citar
Revolta a bordo de navio obriga a intervenção da Polícia Marítima

26 de Julho, 2011
O Grupo de Acções Tácticas da Polícia Marítima (GAT/PM) interveio hoje de madrugada a bordo de um navio ao largo de Cascais devido a uma rebelião da tripulação que terá ameaçado matar o comandante, disse fonte policial.

O pedido socorro foi feito às autoridades marítimas «cerca das 00h30 de hoje», pelo «comandante do navio de pavilhão maltês» de acordo com o qual a tripulação o estava a tentar matar, adiantou a fonte.

Face à ameaça e após insistência do comandante, a «polícia marítima abordou o navio», com proveniência de Leixões e destino ao porto de Lisboa, «com um grupo de 10 elemento mais um graduado do GAT/PM», afirmou.

O grupo táctico «dominou os 18 tripulantes de nacionalidade filipina» e trouxe o navio ‘Almahboobah’ para o rio Tejo, estando atracado junto a Porto Brandão, na margem sul, acrescentou a mesma fonte.

A Polícia Marítima «desconhece oficialmente o que esteve na origem deste conflito interno», mas de acordo com as impressões recolhidas junto dos elementos da tripulação «tudo leva a crer estar relacionado com trabalho de carga e descarga do navio», concluiu a mesma fonte.

O 'Almahboobah' é um navio tanque de transporte, com cerca de 100 metros de comprimento, de pavilhão registado em Malta, e fazia o transporte de produtos petrolíferos.

Cumprimentos,
 

*

PedroI

  • 120
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • Enviou: 5 vez(es)
  • +0/-0
Re: Sector Portuário
« Responder #76 em: Agosto 05, 2011, 10:31:32 am »
Boas,

Para não ser sempre portador de mas noticias

Citar
Português eleito para a Autoridade Internacional dos Fundos Marinhos


Foi eleito na 17ª sessão da Autoridade Internacional dos Fundos Marinhos, em Kingston, na Jamaica, o Professor Doutor Pedro Madureira, candidato de Portugal, como membro da Comissão Jurídica e Técnica da Autoridade, para um mandato de 5 anos, com início a 1 de Janeiro de 2012.

A Comissão Jurídica e Técnica é um órgão do Conselho da Autoridade. Os seus membros são eleitos pelo Conselho com base nas habilitações pessoais, relevantes em matéria de exploração, aproveitamento e tratamento de minerais, oceanologia, protecção do meio marinho ou assuntos económicos ou jurídicos relativos à mineração oceânica e outros domínios conexos.

Nascido em 1970, Pedro Madureira doutorado em Geologia, é desde 2006 professor de geologia marinha e recursos geológicos, no departamento de Geociências da Universidade de Évora. Colabora desde 2007, na Estrutura de Missão para a Extensão da Plataforma Continental, actualmente Estrutura de Missão para os Assuntos do Mar, tendo participado activamente na elaboração da Proposta de Extensão da Plataforma Continental de Portugal (entregue a 11 de Maio de 2009, nas Nações Unidas).
http://www.mne.gov.pt/mne/pt/noticiaspt/201107271600.htm

Cumprimentos,
 

*

miguelbud

  • Analista
  • ***
  • 691
  • Recebeu: 22 vez(es)
  • Enviou: 13 vez(es)
  • +1/-0
Re: Sector Portuário
« Responder #77 em: Agosto 17, 2011, 01:40:47 pm »
Portugal e Espanha querem eixo ferroviário Sines-Madrid-França

Portugal e Espanha vão criar, nos próximos dias, um grupo de trabalho que impulsione a vontade conjunta de criar um eixo ferroviário de mercadorias, em bitola europeia, entre Sines e a fronteira franco-espanhola, por Madrid.

O anúncio foi feito em Madrid pelo ministro da Economia, Álvaro Santos Pereira, e pelo ministro do Fomento espanhol, José Blanco, que analisaram esta quarta-feira vários temas relacionados com as infra-estruturas transfronteiriças e dos dois países.

Santos Pereira explicou, citado pela Lusa, que a ligação ferroviária de mercadorias é uma «prioridade» dos dois Governos, referindo que no que toca à rede de alta velocidade ferroviária, o Executivo português tomará uma decisão sobre o TGV «no mês de Setembro». Espanha não quer que o projecto fique na gaveta.

«Em relação ao comboio de alta velocidade, comuniquei ao senhor ministro que a intenção é chegar internamente a uma decisão em Setembro, articulando essa decisão com as autoridades espanholas», afirmou.

Os dois governantes falavam aos jornalistas depois de uma reunião de cerca de 90 minutos que mantiveram na sede do Ministério do Fomento em Madrid.

Santos Pereira prestou apenas uma declaração, sem direitos a perguntas, tendo José Blanco permanecido depois da sala de imprensa para responder aos jornalistas.

Entretanto, o país vizinho aprovou ainda na terça-feira a ligação do TGV entre Badajoz e Caia, precisamente um dia antes da reunião com o ministro português da Economia.

http://www.agenciafinanceira.iol.pt/eco ... -1730.html
 

*

Malagueta

  • 261
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +0/-0
Re: Sector Portuário
« Responder #78 em: Agosto 23, 2011, 09:39:06 am »
Porto de Setúbal cresce 60% na exportação de veículos no primeiro semestre
O porto de Setúbal registou, no primeiro semestre, um crescimento de 60% na exportação de veículos, devido ao desempenho da fábrica da Volkswagen Autoeuropa na produção dos seus atuais modelos Sharan, EOS, Sirocco e Seat Alhandra.

Ao todo foram exportados 55.524 veículos pelo Terminal Ro-Ro, mais 59,5% relativamente a igual período de 2010, e correspondente a 65,5% do total de viaturas movimentadas no Porto de Setúbal.

A ferrovia é o meio mais utilizado entre a fábrica de Palmela e o terminal portuário de Setúbal, com cerca de 80% dos veículos exportados a serem transportados por comboio, e com os benefícios ambientais daí decorrentes.
 

*

miguelbud

  • Analista
  • ***
  • 691
  • Recebeu: 22 vez(es)
  • Enviou: 13 vez(es)
  • +1/-0
Re: Sector Portuário
« Responder #79 em: Agosto 23, 2011, 01:10:00 pm »
Marrocos e Açores podem ser novas rotas desde Portimão

“Há empresários portugueses que estão interessados em constituírem-se como armadores de cruzeiros e iniciarem, a partir do Porto de Portimão, rotas para o sul da Europa, norte de África e ilhas atlânticas”, revelou, em entrevista ao Barlavento, Graco Trindade, chefe do Departamento de Pilotagem da Autoridade Portuária.

Os interessados são investidores portugueses que, após terem visitado o porto e verificado as suas condições, manifestaram motivação para criar rotas no verão, servidas por um navio para 500 passageiros. No inverno, a ideia seria procurarem outros destinos, onde a atividade fosse exequível, diversificando a oferta.
 
O objectivo seria aproveitar as condições para tornar o espaço em Portimão num porto turn-around, ou seja, de começo e término das rotas. Por sua vez, seriam integrados nos itinerários portos como os de Lisboa, Leixões, Açores, Funchal, outros da Península Ibérica, Canárias e norte de África.
 
“Esta possibilidade, que seria benéfica para a economia local, dá-nos a perspectiva de alargar uma experiência que já tivemos no passado, pois agora temos sido somente um porto de passagem”, sublinhou Graco Trindade. Por outro lado, “saber que um empresário português quer investir neste porto deixa-nos satisfeitos e tudo faremos para o sucesso dessa operação”.
É que a indústria dos cruzeiros, que mostra uma tendência de crescimento, é apoiada em armadores norte americanos, ainda que a construção naval seja europeia. Por isso, na visão de Graco Trindade, Portugal teria todas as vantagens em ter uma frota própria, começando a construir navios, apetrechados por empresas portuguesas.

Seria uma mais valia, tendo em conta o crescimento desta atividade no país, espelhado no caso do porto de Portimão. Desde 2007, o porto algarvio mostra uma tendência de aumento do movimento, conseguido através da parceria entre Autoridade Portuária e o Município de Portimão, que tem atraído companhias de cruzeiros em feiras da especialidade.
 
Só no ano passado, ancoraram nesta cidade 34 mil passageiros, em 52 escalas, duplicando os números de 2009. E “as expetativas para este ano são muito positivas, porque há 60 escalas previstas, num movimento de quase 50 mil passageiros, a acrescentar aos 30 mil na ligação à Madeira e às Canárias pelo ferry” da companhia Naviera Armas. Para responder à procura em tempo de época alta, dentro de pouco mais de uma semana, o atual navio da linha regular, com capacidade para 650 passageiros, será substituído por outro onde podem viajar mais de mil pessoas.
 
Além de ser a primeira estrutura ibérica de transporte de passageiros para os arquipélagos da Madeira e Canárias, o Porto de Portimão é também a primeira plataforma portuguesa de abastecimento de produtos frescos para estas ilhas. “A diversidade de valências que este porto tem é a sua maior riqueza e faz com que seja uma porta de entrada atlântica no sul do país”, ilustrou. Por estas razões, Portimão é atrativo para qualquer empresário que queira tirar partido destas condições, como é o caso da criação de novas rotas.
 
A cereja no topo do bolo, que poderá fomentar mais intenções como as dos empresários portugueses que se querem constituir como armadores, será a concretização dos projectos previstos para o Porto de Portimão, com um custo global de 50 milhões de euros. Para o espaço ficar com todas as condições, falta realizar a dragagem a uma cota de dez metros na bacia do Arade, o prolongamento do cais para os 700 metros, basear um rebocador neste porto e modernizar o terminal de passageiros. Para este último projecto, segundo avanço ao Barlavento o vice presidente da Câmara de Portimão, Luís Carito, já há uma “candidatura a fundos comunitários”. Os outros investimentos estão parados, sendo que terá que haver agora uma reunião com o novo Governo para fazer o ponto da situação. Estas intervenções podem elevar o movimento de passageiros para os 300 mil anuais (200 mil em cruzeiros e 100 mil no ferry). Um estudo internacional que analisou os números de 2010, mostra que viajaram 18,8 milhões de pessoas no mundo, enquanto na Europa foram 5,5 milhões, mais dez por cento do que em 2009.
 

*

PedroI

  • 120
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • Enviou: 5 vez(es)
  • +0/-0
Re: Sector Portuário
« Responder #80 em: Agosto 25, 2011, 09:55:13 am »
Boas,

Se funcionar nos Açores funciona em todo lado...... :lol:

Citar
DIPLOMA PUBLICADO Administração portuária na mão de uma só empresa
Publicado na Quarta-Feira, dia 24 de Agosto de 2011, em Actualidade

As quatro empresas que, até agora, tinham responsabilidades em matéria de administração portuária nos Açores foram fundidas numa única empresa, nos termos de um decreto legislativo regional publicado ontem em Jornal Oficial.

Com esta reforma da administração portuária nos Açores, que entra em vigor nesta terça-feira, o Governo estima uma poupança anual da ordem dos 2,2 milhões de euros.

Esta redução de custos será conseguida com a redução do número de administradores, que passa dos anteriores 11 para três, e com outros ganhos na aquisição de bens e serviços.

Para o secretário regional da Economia, Vasco Cordeiro, a reforma da administração portuária é justificada pelo “estado de maturação” do sistema até agora em vigor, e traduz-se na “implementação de uma solução institucional mais simples e mais flexível”.

O governante destaca, igualmente, o facto de ser garantida “a autonomia operacional de cada um dos portos”.

Sedeada na cidade da Horta, a Portos dos Açores, S.A. resulta da incorporação, por fusão, das sociedades Administração dos Portos das Ilhas de São Miguel e Santa Maria, S.S., Administração dos Portos da Terceira e Graciosa, S.A., e Administração dos Portos do Triângulo e do Grupo Ocidental, S.A.

A nova empresa terá por objecto a administração dos portos de Ponta Delgada (São Miguel), de Vila do Porto (Santa Maria), da Praia da Vitória e Pipas (Terceira), da Praia (Graciosa), da Horta (Faial), de São Roque, da Madalena e das Lajes (Pico), de Velas e da Calheta (São Jorge), de Lajes e de Santa Cruz (Flores) e da Casa (Corvo).

Nos termos deste diploma, o exercício dessa administração visa a sua “exploração, conservação e desenvolvimento e abrangendo o exercício das competências e prerrogativas de autoridade portuária que lhe estejam ou venham a ser cometidas”.

O diploma procede também à distribuição dos portos dos Açores por cinco classes, ficando os das classes A, B e C sob responsabilidade da autoridade portuária (a Portos dos Açores, S.A.), e os restantes na dependência do departamento do Governo Regional com competência em matéria de pescas (os da classe D) e de administração do domínio público marítimo (os da classe E).

A anterior reestruturação e reorganização do modelo de gestão portuária regional tinha ocorrido em 2003, quando foram extintas as juntas autónomas portuárias herdadas das bases da exploração portuária de 1949 e do Estatuto das Juntas Autónomas dos Portos de 1950.

 

*

Malagueta

  • 261
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +0/-0
Re: Sector Portuário
« Responder #81 em: Agosto 26, 2011, 09:55:34 am »

O "MOL Celebration" escalou, esta quinta-feira, o porto de Sines, inserido na rota Japão-Norte da Europa, tornando-se no primeiro navio do armador japonês a escalar o Terminal de Contentores de Sines.

O mothership “MOL Celebration", que está inserido na rota Japão-Norte da Europa, tem uma capacidade de 9.000 TEUs, 320 metros de comprimento, 46 metros de boca e um calado máximo de 15 metros. Seguiu-se o navio “MOL Sassandra" que opera na rota Europa-África Ocidental e, como tal, de dimensão ligeiramente inferior ao primeiro.

Está agendada uma terceira escala para a próxima segunda-feira, 29 de agosto, desta vez do navio “MOL Modern”, que integra igualmente o serviço que liga o Japão à Europa."


"Porto de Sines: MSC Ravenna escalou Terminal XXI em viagem inaugural
O Terminal XXI do porto de Sines recebeu, nesta quarta-feira, mais um dos maiores porta-contentores do mundo, o MSC Ravenna, um dos megacarriers integrado no Lion Service, que saiu dos estaleiros da Daewoo (Coreia do Sul) apenas há quatro semanas.

Com um comprimento de 365.79 metros e uma boca de 51.2 metros, o navio tem um calado máximo de 16m e uma capacidade de 14.000 TEU’s.

Integrado no Lion Service, o MSC Ravenna fez a sua última paragem em Singapura, sendo Sines o seguinte porto de escala, onde efectua uma movimentação total de 3.156 TEU, dirigindo-se depois para o Le Havre.

Para além da movimentação de carga de e para o Hinterland Ibérico, são também movimentados contentores para as linhas dos Estados Unidos e Canadá, bem como para o Brasil.

De forma a celebrar a ocasião, foi entregue pela Administração do Porto de Sines uma placa Comemorativa ao comandante do navio, referente à sua escala no Terminal XXI, em viagem inaugural."


"Cruzeiros geraram impacto económico direto de 178 milhões em 2010
Nos últimos 10 anos, o turismo de cruzeiros na Europa cresceu 175%, não sofrendo quebras mesmo nos períodos em que a crise económica mais se fez sentir, segundo os números do European Cruise Council.

Em 2010, apenas quatro em cada mil portugueses fizeram um cruzeiro, mas o número de cruzeiristas está a aumentar rapidamente, uma vez que a taxa de crescimento anda próxima dos 30% ao ano.

Em Portugal, os números do European Cruise Council, só agora começam a refletir a realidade, com o organismo a estimar que os cruzeiros, em 2010, tenham tido um impato económico directo de cerca de 178 milhões de euros para o nosso país, rendendo, de forma indireta, mais de 400 milhões de euros.

Só em Lisboa, o porto de escala número um entre os portos do Norte da Europa, os gastos dos passageiros e tripulantes terão rondado 32 milhões de euros. Quase 450 mil passageiros passaram pela capital, numa das 299 escalas. Este ano, estão previstas 340 escalas (14%), que trarão mais negócio"
 

*

Malagueta

  • 261
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +0/-0
Re: Sector Portuário
« Responder #82 em: Agosto 30, 2011, 08:44:53 am »
O porto de Sines fechou o mês de julho com uma movimentação total de 43.986 teu, valor que lhe permitiu estabelecer um novo recorde mensal e, pela primeira vez, ser o maior porto nacional também neste segmento. O Terminal XXI foi, igualmente em julho, o maior terminal nacional de contentores.

Este importante resultado teve fortes repercussões ao nível das exportações por contentor, com um crescimento nos primeiros sete meses do ano acima dos 26%. Nas principais mercadorias exportadas por contentor destacam-se o papel, tabaco, mármore, vidro, vinho, polietileno, cerâmicas e pedra calcária, provenientes das Zonas Sul e Centro de Portugal.

De destacar ainda neste âmbito, o incremento das mercadorias provenientes da Andaluzia e Extremadura Espanholas, principalmente do sctor agro-alimentar, zonas que fazem parte do hinterland natural do porto de Sines.

O crescimento acentuado registado na movimentação de contentores fica também associado ao início do serviço regular que liga Sines ao Brasil desde o passado 1 de julho.
 

*

Malagueta

  • 261
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +0/-0
Re: Sector Portuário
« Responder #83 em: Agosto 31, 2011, 09:42:04 am »
João Franco: "Aspiramos a concorrer com grandes portos de Valência e Barcelona"
Em entrevista concedida ao "Sol", João Franco, administrador da APS, revelou que a administração do porto alentejano quer fazer deste porto "a porta atlântica da Europa", revelando dados que confirmam o desenvolvimento da última década e a consolidação do projeto.

"O aumento de dimensão e de capacidade, assim como a implementação de uma estratégia de diversificação, designadamente no que se refere aos granéis sólidos e carg geral, transformou-o progressivamente, à escala ibérica e europeia, num hub do grande tráfego marítimo transcontinental", refere João Franco, enaltecendo o "endividamento zero e provisões prudentes e confortáveis" atuais.

João Franco abordou ainda sobre a relação com os outros portos nacionais, referindo que não existe uma competiçõ com Leixões, Lisboa, Setúbal ou Aveiro: "O que nos interessa prioritariamente é explorar todo o potencial do hinterland ibérico de Sines, servindo de mega-estrutura de transbordo e através da distribuição por feeder a portos da Península como Figueira da Foz, Gijón, Bilbau, Vigo, Leixões ou Cádis".

"Aspiramos a concorrer com os grandes portos de Valência, ou mesmo com Barcelona, e a ter uma forte presença na área metropolitana de Madrid, mas o sonho de chegar ao centro do continente depende da criação de um canal onde possa ser instalada uma linha ferroviária de bitola europeia", acrescentou João Franco, que relembrou que os calados do porto alentejano serão "aumentados para 19 metros" até 2012, tornando a oferta de Sines "absolutamente imbatível".
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 8594
  • Recebeu: 286 vez(es)
  • Enviou: 202 vez(es)
  • +15/-3
Re: Sector Portuário
« Responder #84 em: Setembro 08, 2011, 11:50:47 am »
Leixões e Salamanca assinam acordo de presença logística


A Administração dos Portos do Douro e Leixões (APDL) e a Zona de Atividades Logísticas de Salamanca (Zaldesa) assinaram um acordo de presença mútua nos respectivos espaços, com a possibilidade de a entidade portuguesa entrar no capital da Zaldesa.
Este acordo vem concluir um "longo processo", referiu a APDL em comunicado, uma vez que já desde, pelo menos, 2008, que aquela entidade demonstrava interesse em alargar a área de influência do porto de Leixões a Castela e Leão.

"Em concreto, a APDL disponibilizará uma área de cerca de 5.000 metros quadrados para instalação da Zaldesa na sua plataforma portuária e, em contrapartida, Leixões irá dispor de um espaço na plataforma logística de Salamanca", escreveu a APDL.

O acordo significa que, "numa perspectiva de intercâmbio", o porto de Leixões pode alargar a sua área de influência a "uma comunidade espanhola com a dimensão de Portugal", com a reciprocidade de Castela e Leão poderem dispor de um espaço em Leixões.

Em Maio de 2009, o presidente da Zaldesa salientava que as relações entre Aveiro, Porto e Salamanca, têm vindo a fortalecer-se desde 2004, ano em que foi firmado um acordo entre a Conselheria de Economia de Castilla & Leon, o Ayuntamento de Salamanca e os dois portos portugueses de Leixões e Aveiro, com vista ao desenvolvimento do noroeste peninsular.

Na altura, o acordo coincidiu com o arranque da Zaldesa que era utilizada, segundo números de 2009, por mais de 200 empresas e tem 20 empresas residentes, movimentando cerca de cinco mil veículos por semana e sendo já um dos mais importantes pólos de actividade de Salamanca.

Lusa
 

*

miguelbud

  • Analista
  • ***
  • 691
  • Recebeu: 22 vez(es)
  • Enviou: 13 vez(es)
  • +1/-0
Re: Sector Portuário
« Responder #85 em: Setembro 15, 2011, 09:12:59 am »
Tráfego de contentores em Sines vai crescer 40% em 2012

O terminal de contentores do porto de Sines vai atingir um crescimento de 40% no tráfego durante o próximo ano, devendo passar para o patamar dos 600 mil TEUS (medida equivalente a um contentor com 20 pés de comprimento).

Jorge d'Almeida, director-geral da PSA Sines, empresa que gere esta infra-estrutura, revela ao Diário Económico que, depois de o Terminal XXI ter terminado o ano passado com um total de 375 mil TEUS, espera atingir este ano um total de 425 mil TEUS. "Estamos com constrangimentos ao nível da capacidade do terminal", avança.

"Para 2012, quando já estiverem ultrapassados estes problemas, deveremos registar um crescimento de 40% no tráfego de contentores do Terminal XXI". Número que, a confirmar-se, irá elevar o total de movimentações de contentores para cerca de 595 mil TEUS.

http://economico.sapo.pt/noticias/trafe ... 26673.html
 

*

PedroI

  • 120
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • Enviou: 5 vez(es)
  • +0/-0
Re: Sector Portuário
« Responder #86 em: Setembro 20, 2011, 12:25:21 pm »
Boas,

Sobre a temática da Pirataria.

Citar
US Congress moves to arm ships against pirates - Thu 15th Sep
http://www.ifw-net.com - Pete Goldin

The US House Transportation Committee has approved a landmark act which authorises armed security on vessels carrying government cargo.

The aim is to protect equipment, materials, or commodities from piracy in high-risk waters.

Owners or operators of these vessels will be reimbursed by the US government for the cost of providing armed personnel.

The Piracy Suppression Act of 2011 also provides training for seafarers on the use of force against pirates, including firearms safety for crew members of vessels carrying government cargo.

The bill also says the US will seek reimbursement from the country of origin for the cost of any action taken to protect “foreign-flagged” ship from pirates. The purpose is to encourage other countries to support efforts to suppress piracy, such as joining the Combined Maritime Forces, a coalition of naval forces from around the world.

“Many nations are reaping the benefits of our presence without pulling their own weight,” said  Congressman Frank LoBiondo, who introduced the bill.

“To rectify this situation, my legislation allows the US to seek reimbursement from vessel flag states for the protection they receive from the US military.”

The Piracy Suppression Act of 2011 now moves on to the full House for consideration.

Earlier this year, IFW reported how pirate attacks off the coast of Somalia and in the Gulf of Aden/Indian Ocean region had climbed dramatically over the first six months of 2011.

According to figures from the International Maritime Bureau (IMB), there were 266 attacks on vessels in the period, compared with 196 last year.

More than 60% were by Somali pirates, the majority of which were in the Arabian Sea area. On 30 June, Somali pirates were holding 20 vessels and 420 crew, demanding ransoms of millions of dollars for their release.
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 8594
  • Recebeu: 286 vez(es)
  • Enviou: 202 vez(es)
  • +15/-3
Re: Sector Portuário
« Responder #87 em: Setembro 22, 2011, 06:33:24 pm »
Citação de: "PedroI"
Boas,

Sobre a temática da Pirataria.

Citar
US Congress moves to arm ships against pirates - Thu 15th Sep
http://www.ifw-net.com - Pete Goldin

The US House Transportation Committee has approved a landmark act which authorises armed security on vessels carrying government cargo.

The aim is to protect equipment, materials, or commodities from piracy in high-risk waters.

Owners or operators of these vessels will be reimbursed by the US government for the cost of providing armed personnel.

The Piracy Suppression Act of 2011 also provides training for seafarers on the use of force against pirates, including firearms safety for crew members of vessels carrying government cargo.

The bill also says the US will seek reimbursement from the country of origin for the cost of any action taken to protect “foreign-flagged” ship from pirates. The purpose is to encourage other countries to support efforts to suppress piracy, such as joining the Combined Maritime Forces, a coalition of naval forces from around the world.

“Many nations are reaping the benefits of our presence without pulling their own weight,” said  Congressman Frank LoBiondo, who introduced the bill.

“To rectify this situation, my legislation allows the US to seek reimbursement from vessel flag states for the protection they receive from the US military.”

The Piracy Suppression Act of 2011 now moves on to the full House for consideration.

Earlier this year, IFW reported how pirate attacks off the coast of Somalia and in the Gulf of Aden/Indian Ocean region had climbed dramatically over the first six months of 2011.

According to figures from the International Maritime Bureau (IMB), there were 266 attacks on vessels in the period, compared with 196 last year.

More than 60% were by Somali pirates, the majority of which were in the Arabian Sea area. On 30 June, Somali pirates were holding 20 vessels and 420 crew, demanding ransoms of millions of dollars for their release.



 :arrow: viewtopic.php?f=14&t=6691&start=135
 

*

Malagueta

  • 261
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +0/-0
Re: Sector Portuário
« Responder #88 em: Setembro 23, 2011, 09:24:25 am »
Portuguesa SMM conclui contrato de 40 M€ no Porto de Roterdão

A SMM - Sociedade de Montagens Metalomecânicas concluiu uma empreitada no valor de 40 milhões de euros no Terminal Gate, de Gás Natural Liquefeito (GPL), do Porto de Roterdão, o maior a nível europeu, anunciou hoje a empresa portuguesa.
A nova infra-estrutura, que vai ser inaugurada amanhã foi adjudicada em 2008 e previa a montagem de três tanques criogénicos de Gás Natural Liquefeito (GNL), com uma capacidade de 180.000 metros cúbicos cada.

"A SMM foi [a empresa] responsável pela montagem da parte mecânica dos tanques e respectiva tubagem de interligação ao processo, tendo trabalhado como subempreiteira da construção mecânica para o Grupo Entrepose, empresa francesa responsável pelo EPC (Engineering Procurement & Construction) dos tanques de LNG", refere a empresa em comunicado.

O trabalho da SMM desenvolveu-se ao longo de 28 meses, tendo sido "integralmente realizado", desde a gestão do projecto até à produção por engenheiros, técnicos e mão-de-obra portuguesa, num total de 300 pessoas que trabalharam na obra, no pico da laboração, explica.


Os três tanques foram construídos em simultâneo, o que se traduziu "numa logística complexa e numa grande alocação de meios", tendo todos os prazos sido integralmente respeitados, segundo a empresa.

Na SMM trabalham 125 colaboradores e, em 2010, a facturação registada ascendeu a 50 milhões de euros, mais 20% do que no ano anterior.

A empresa prevê manter, em 2011, o mesmo nível do valor dos negócios obtido no ano passado.

A SMM foi constituída em 1987, tendo resultado da reestruturação das actividades das empresas Mompor e Sorefame.

Volvidos três anos, passou a integrar o grupo SENETE, conjuntamente com as empresas Mague, Sorefame e Sepsa, cujo capital era detido em 40% pelo grupo multinacional sueco-suíço ABB, que se tornou maioritário em 1994.


Em 1997, a ABB adquiriu a totalidade da SENETE e dez anos depois, um grupo de quadros dirigentes da SMM comprou-a à ABB, através de uma operação de "managemente buy-out", tendo comprado a totalidade do seu capital e assumido a gestão.
 

*

Malagueta

  • 261
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +0/-0
Re: Sector Portuário
« Responder #89 em: Outubro 10, 2011, 10:38:06 am »
Carlos Lopes: "Natalia A permitirá estreitar a ligação do porto de Setúbal ao Médio Oriente"
O porto de Setúbal passou a receber, desde o final de setembro, um novo navio com ligações ao Médio Oriente, tal como foi devidamente noticiamos na CARGO, de forma a aumentar “significativamente a oferta do porto aos clientes e operadores”. Carlos Lopes, presidente do Conselho de Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra (APSS), afirma que o novo serviço oferecido pelo “Natalia A” vai permitir “estreitar a ligação do porto de Setúbal ao Médio Oriente”.

O “Natalia A” junta-se assim ao “Vento di Zéfiro”, Vento de Tramontana” e “Vento di Nortada” na lista de navios afetos à linha que liga a Turquia ao Egipto, à Síria e ao Líbano. O porto de Setúbal fica, com este novo navio, ligado a Beirute e Istambul, oferecendo uma “melhor alternativa para as empresas da região que pretendam exportar ou importar, não tendo de se deslocar a outros portos”, afirma Carlos Lopes.

“Esta melhoria significa mais e melhor oferta, mais destinos e uma maior rentabilização das infra estruturas portuárias existentes”, admite Carlos Lopes, afirmando “ser ainda impossível avaliar o aumento do volume de carga que advirá do novo navio”. O presidente do Conselho de Administração da APSS declara ainda a intenção de “atrair investimento por parte dos operadores”, de forma a “reduzir o tempo de trânsito das mercadorias”.

A oferta proporcionada pelo novo serviço, em termos de transbordo, vai englobar ligações com portos da Turquia, Itália, Grécia, Turquia, Egipto e Marrocos. Carlos Lopes afirma que “a vinda de novas ligações e a melhoria das já existentes servem os propósitos da APSS em dinamizar a atividade no porto de Setúbal”. O presidente da APSS declara a medida da Administração em “manter inalterados os valores de taxa de uso do Porto relativa à carga no ano de 2012, de forma a tornar ainda mais aliciante o Porto de Setúbal, tanto para armadores como clientes



" Porto de Setúbal: Movimento de contentores já bateu números de 2010
O Terminal Multiusos Zona 2 do Porto de Setúbal, concessionado à Sadoport, bateu o recorde absoluto de 2010 na movimentação de contentores ao atingir, de janeiro a setembro de 2011, 54 048 TEU, ultrapassando já em 6,5% o anterior máximo anual, de 50 744 TEU, quando ainda faltam três meses para o final do ano. Só no mês de setembro de 2011, foram movimentados 11 052 TEU, um crescimento de 161,5% comparativamente aos 4 227 TEU do mesmo mês, em 2010.

O aumento na carga contentorizada que tem vindo a ser verificado, ao longo de 2011, demonstra uma vitalidade premiada com o crescente interesse por parte dos grandes armadores que escalam Setúbal, como a Maersk e a Tarros Line, que recentemente melhoraram a oferta nas suas linhas regulares.

Recorde-se que o Porto de Setúbal é escalado regularmente por linhas de contentores da Portline, para África e Europa; da Great White Fleet, para a América; da Seatrade, para a Europa e América; da WEC Lines, para a Europa; da Eurocondor, para África e Europa, da Safmarine, para África e Europa; da Tarros Line, para a Europa, África e Médio Oriente; e da Maersk Lines, para a Europa, Mediterrâneo e África"
 

 

Sector público nacional melhorou nos anos 90

Iniciado por Tiger22Quadro Portugal

Respostas: 0
Visualizações: 1156
Última mensagem Fevereiro 06, 2004, 02:12:50 am
por Tiger22
TIMOR-LESTE, O SECTOR PORTUGUÊS DA UNTAET/PKF

Iniciado por Miguel Silva MachadoQuadro Exército Português no ForumDefesa.com

Respostas: 2
Visualizações: 1363
Última mensagem Fevereiro 25, 2011, 01:22:25 pm
por alphaiate
Sector do Turismo e Hotelaria

Iniciado por MarauderQuadro Portugal

Respostas: 204
Visualizações: 44200
Última mensagem Janeiro 07, 2017, 01:14:59 am
por HSMW
Sector da Saude - Hospitais, etc..

Iniciado por MarauderQuadro Portugal

Respostas: 121
Visualizações: 19897
Última mensagem Outubro 09, 2014, 02:04:19 pm
por Cabeça de Martelo
Sector da Agricultura e pecuária

Iniciado por MarauderQuadro Portugal

Respostas: 12
Visualizações: 3712
Última mensagem Dezembro 25, 2006, 06:54:01 pm
por Luso