Votação

Energia Nuclear

A - Concordo plenamente
54 (62.1%)
B - Não concordo com o nuclear
33 (37.9%)

Votos totais: 84

Votação encerrada: Março 19, 2006, 12:21:35 pm

Energia Nuclear

  • 126 Respostas
  • 30405 Visualizações
*

Marauder

  • Investigador
  • *****
  • 2127
  • +0/-0
Energia Nuclear
« em: Março 19, 2006, 12:21:35 pm »
Muito se têm falado da opção da energia nuclear em Portugal. Relativamente ao uso da energia nuclear para combater o nosso défice energético, qual é a sua opinião?
 

*

Marauder

  • Investigador
  • *****
  • 2127
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #1 em: Março 19, 2006, 12:23:27 pm »
Aparentemente as sondagens dão os seguintes resultados, mas gostaria de saber a opinião dos meus colegas foristas..


Citar
Maioria é a favor de central nuclear em Portugal, diz sondagem

A maioria dos eleitores (51,7%) votaria a favor da construção de centrais nucleares em Portugal e 33,5% contra, de acordo com os resultados de uma sondagem Expresso/Eurosondagem divulgada este sábado pelo semanário.

 

O estudo de opinião mostra, no entanto, que a maioria dos portugueses «não está disposta a deixar o carro para usar mais os transporte», realça o jornal.
Inquiridos também sobre as várias formas de energia, os portugueses consideram que o petróleo é o mais forte no impacto negativo sobre o ambiente (41,8%).

Segue-se o carvão (30,5%), a nuclear (13,1%) e o gás natural (3,5%).

18-03-2006 10:39:05
 

de:
http://diariodigital.sapo.pt/dinheiro_d ... news=64735
 

*

Get_It

  • Investigador
  • *****
  • 1713
  • Recebeu: 181 vez(es)
  • Enviou: 407 vez(es)
  • +7/-1
(sem assunto)
« Responder #2 em: Março 19, 2006, 03:29:21 pm »
Ainda não percebi porque nos temos de fazer de vulneráveis à energia nuclear quando temos a possibilidade de optar por energias renováveis e amigas do ambiente (como por exemplo, a energia hidráulica, solar, eólica, marmotriz e geotérmica).

Cá para mim isto é tudo uma mania dos nossos governantes para entrarmos para o clube dos utilizadores de energia nuclear e nada mais. Como as coisas são por cá, astantas acontece um acidente como o da central nuclear de Chernobyl. :?

Cumprimentos,
:snip: :snip: :Tanque:
 

*

Shar[K]

  • 44
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #3 em: Março 19, 2006, 03:52:26 pm »
Se acontecer em espanha 1 desastre tambem somos afectados, alias até em frança ou mesmo italia.

O problema das energias renovaveis é que não garantem continuidade isto é não se pode abastecer uma casa só em energia eolica ou solar (á noite  e sem vento deixava de haver energia) Energia das ondas sem duvidas é uma aposta FORTISSIMA...mas não estou a ver a terriola no interior a aproveitar essa energia.
Barragens...bem com a seca e com dependencia directa das barragens espanholas convem esquecer a dependencia nisso.

O nuclear é o mais barato acessivel...e mesmo agora se planearem construir uma central nuclear só daqui a 10anos é que esta está pronta..até lá o petroleo bate nos 120$ e depois?....

Fazia-se era já 3... norte centro e sul!
 

*

Marauder

  • Investigador
  • *****
  • 2127
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #4 em: Março 19, 2006, 04:28:54 pm »
Caro Get_in,

             o desastre de Chernobyl representa sem dúvida o lado negativo de quem não aposta da manutenção quer de centrais de segurança, quer de restantes armas que precisam disso ---> URSS...Chernobyl e os decadentes submarinos russos e outro material para citar.

    Os EUA, França, Espanha, etc etc etc....todos tem centrais nucleares, ora bolas, os EUA até tem umas 20, e nunca tiveram acidentes, ou seja, desde que haja cuidado e manunteção não existe problemas...

    A Energia nuclear é também a mais limpa quando comparada com as fósseis. O petróleo vai aumentar e tudo, devendo se esgotar lá para 2100..isto é....a oferta de petróleo vai continuar estabilizada ou mesmo diminuir enquanto que a procura vai sem duvida aumentar...maus ventos se avizinham..

    É claro que toda a gente afirma que se deve apostar nas energias não fósseis, eu também, mas o que parece é que não são elas que vão acabar com a nossa dependencia energética no longo prazo (talvez no muito LOOONGO prazo).

    Que venha o gasóleo de Coco da de Bougainville e o carro a hidrogénio da FIAT...agora a situação energética de Portugal e do Mundo é que não pode continuar na mesma.

   Não querendo ser pessimista, quantas torres eólicas é que seria preciso construir para equivaler uma central nuclear?
 

*

Marauder

  • Investigador
  • *****
  • 2127
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #5 em: Março 19, 2006, 04:44:17 pm »
Hoje por sinal foi o dia do revivar a manifestação anti-nuclear de Ferrel..


Citar
Nuclear: revivida primeira manifestação 30 anos depois

Ambientalistas de vários pontos do país e popu lares de Ferrel relembraram hoje os 30 anos do primeiro movimento anti-nuclear do país e reafirmaram a sua oposição a uma nova tentativa de construção de uma central nuclear em Portugal.




Mais de duas centenas de pessoas concentraram-se hoje ao fim da manhã e m Ferrel após o que rumaram de automóvel ao «Moinho Velho», local onde há 30 anos decorriam trabalhos preparatórios para a construção de uma central nuclear.

A 15 de Março em 1976, os 1500 habitantes de Ferrel também se deslocaram a este local, situado a cerca de quatro quilómetros da aldeia, e conseguiram impedir o avanço dos trabalhos.

Esta manifestação marcou início de um processo que culminaria com a des istência do projecto, tendo-se realizado até 1978 outras manifestações que contaram com o apoio de organizações ambientalistas internacionais.

«A plataforma está voltada não só para este local mas para o país no seu conjunto (...) e pretende provar que as ideias (pró-nuclear) são superficiais e em alguns casos desonestas porque, por exemplo, a questão da radioactividade é uma questão central», afirmou à Lusa José Carlos Marques, porta-voz da Platafor ma Não ao Nuclear.

José Carlos Marques disse que a Plataforma Não ao Nuclear «arranca a pa rtir de amanhã» indo organizar debates sobre o tema já que até agora serviu apen as para apoiar as comemorações dos 30 anos das manifestações de Ferrel.

«Passados 30 anos há novas gerações e novos capitalistas e muitos dos p roblemas de há 30 anos são hoje exactamente iguais, ouço defensores do nuclear u tilizarem os mesmos argumentos que já foram desacreditados há 30 anos», afirmou por seu lado Delgado Domingos, professor jubilado do Instituto Superior Técnico.

Delgado Domingos, que hoje se deslocou a Ferrel, disse que há 30 anos e screveu artigos contra o nuclear e que nessa altura esteve em Peniche a esclarecer a população.

«O nuclear não tem novidades. Contrariamente ao que tentam vir agora dizer, as novas centrais são iguais às antigas», afirmou referindo-se ao projecto privado de construção de uma central liderado por Patrick Monteiro de Barros.

No mesmo sentido, o presidente da associação ambientalista Quercus, Hélder Spínola, frisou que «é preciso chamar a atenção quanto às alternativas que são mais sustentáveis e que representam uma melhor viabilidade para o país e que passam por melhorar a eficiência energética e por apostar nas energias renováveis».

O eurodeputado Miguel Portas, também presente, considerou que o nuclear é uma «péssima solução».

Comentando um estudo de opinião publicado sábado no semanário Expresso segundo o qual 51,7% dos eleitores é favorável à construção da central, o eurodeputado disse que «o assunto tem estado fora da agenda e as pessoas sentem o problema do preço do petróleo».

«Quando lhes acenam com uma solução do tipo D.Sebastião a primeira reacção habitual em Portugal é esta. A segunda é a de pensar e quando as pessoas começam a pensar as opiniões das sondagens também mudam», vaticinou.

Miguel Portas frisou ainda que «o projecto (de Patrick Monteiro) não tem pernas para andar e não resolve nenhum problema».

«O problema resolve-se com menos dinheiro e mais rapidamente só poupando e aumentando a eficiência do uso da energia que temos», defendeu o eurodeputad o bloquista.

No «Moinho Velho», jovens activistas do não ao nuclear escreveram vária s faixas com frases a favor das energias renováveis.

No local para onde estava prevista a central os campos encontram-se hoj e cultivados com produtos hortícolas.

Os 150 hectares permanecem terrenos baldios, mas são ocupados por uma centena de agricultores.

Diário Digital / Lusa


de:
http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?s ... ews=219891
 

*

Get_It

  • Investigador
  • *****
  • 1713
  • Recebeu: 181 vez(es)
  • Enviou: 407 vez(es)
  • +7/-1
(sem assunto)
« Responder #6 em: Março 19, 2006, 04:45:27 pm »
Citação de: "Shar[K
"]Se acontecer em espanha 1 desastre tambem somos afectados, alias até em frança ou mesmo italia.
Mesmo com o desastre de Chernobyl já fomos afectados. :shock:

Cumprimentos,
:snip: :snip: :Tanque:
 

*

Marauder

  • Investigador
  • *****
  • 2127
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #7 em: Março 19, 2006, 05:02:34 pm »
Citação de: "Get_It"
Citação de: "Marauder"
Não querendo ser pessimista, quantas torres eólicas é que seria preciso construir para equivaler uma central nuclear?
A ideia não é equivaler uma central nuclear com torres eólicas mas sim com todo o tipo de energias renováveis, energia por ondas, energia através do vento, energia geotérmica, etc.


  Quando digo torres eólicas, queria englobar tudo. Se juntarmos todos esses projectos, continuamos a ter uma gigante diferença de produção.

  Penso que a ideia de o governo em 1976 era Ferrel, Peniche. Provavelmente extraído do mar essa água. Mas concordo com a existência de grande preocupação e apreensão da comunidade e seus protestos. Principalmente se é possivel provar os efeitos negativos que a central terá nos terrenos envolventes, tal como citou um ecologista dos casos espanhóis e franceses.

    Até as chamadas energias renováveis tem os seus efeitos negativos, embora de outra ordem. Quem é que no seu perfeito juizo gosta de ver as nossas montanhas lindas com aquelas torres..... terá um efeito negativo no turismo se de repente enchermos o país dessas torres... e mesmo a energia das ondas....aonde é que estão os nossos politicos a viabilizar isso nas nossas praias (como Algarve)?

     Eu acho que se deve apostar nas energias renováveis, mas sem ultrapassar os limites lógicos extremistas que referi. E, o facto de a produção de facto não ser muito elevada, pode dar uma ideia de viabilidade a uma central nuclear (isto num cenário sem centrais a carvão!!)

    Isto é, com uma central nuclear e o resto da produção energética a vir dos nossos recursos naturais....secalhar seria um bom resultado para o país ( e no futuro longíquo....simplesmente desmantelar a central nuclear por outras energias limpas, hehehehe a muito popular fusão a frio que aparece normalmente nos filmes de Holywood).

    Penso que, se realmente o governo ou o tecido empresarial português quer enverdar por esse caminho deverá analisar realmente profundamente os efeitos negativo e postivos da energia nuclear, e todas as outras energias e seus potenciais.
 

*

JLRC

  • Investigador
  • *****
  • 2536
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +1/-1
(sem assunto)
« Responder #8 em: Março 19, 2006, 05:18:32 pm »
Citação de: "Marauder"
       
    Até as chamadas energias renováveis tem os seus efeitos negativos, embora de outra ordem. Quem é que no seu perfeito juizo gosta de ver as nossas montanhas lindas com aquelas torres..... terá um efeito negativo no turismo se de repente enchermos o país dessas torres... e mesmo a energia das ondas....aonde é que estão os nossos politicos a viabilizar isso nas nossas praias (como Algarve)?


Não sou perito em centrais exploradoras da energia das ondas mas julgo que as centrais não se constroem nas praias mas sim bastante afastadas destas para poderem aproveitar o "balanço" da ondulação. É esse sobe e desce que vai accionar as turbinas que produzirão a energia.
 

*

Shar[K]

  • 44
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #9 em: Março 19, 2006, 05:19:29 pm »
Citação de: "Marauder"
Hoje por sinal foi o dia do revivar a manifestação anti-nuclear de Ferrel..


Citar
Nuclear: revivida primeira manifestação 30 anos depois

Ambientalistas de vários pontos do país e popu lares de Ferrel relembraram hoje os 30 anos do primeiro movimento anti-nuclear do país e reafirmaram a sua oposição a uma nova tentativa de construção de uma central nuclear em Portugal.




Mais de duas centenas de pessoas concentraram-se hoje ao fim da manhã e m Ferrel após o que rumaram de automóvel ao «Moinho Velho», local onde há 30 anos decorriam trabalhos preparatórios para a construção de uma central nuclear.

A 15 de Março em 1976, os 1500 habitantes de Ferrel também se deslocaram a este local, situado a cerca de quatro quilómetros da aldeia, e conseguiram impedir o avanço dos trabalhos.

Esta manifestação marcou início de um processo que culminaria com a des istência do projecto, tendo-se realizado até 1978 outras manifestações que contaram com o apoio de organizações ambientalistas internacionais.

«A plataforma está voltada não só para este local mas para o país no seu conjunto (...) e pretende provar que as ideias (pró-nuclear) são superficiais e em alguns casos desonestas porque, por exemplo, a questão da radioactividade é uma questão central», afirmou à Lusa José Carlos Marques, porta-voz da Platafor ma Não ao Nuclear.

José Carlos Marques disse que a Plataforma Não ao Nuclear «arranca a pa rtir de amanhã» indo organizar debates sobre o tema já que até agora serviu apen as para apoiar as comemorações dos 30 anos das manifestações de Ferrel.

«Passados 30 anos há novas gerações e novos capitalistas e muitos dos p roblemas de há 30 anos são hoje exactamente iguais, ouço defensores do nuclear u tilizarem os mesmos argumentos que já foram desacreditados há 30 anos», afirmou por seu lado Delgado Domingos, professor jubilado do Instituto Superior Técnico.

Delgado Domingos, que hoje se deslocou a Ferrel, disse que há 30 anos e screveu artigos contra o nuclear e que nessa altura esteve em Peniche a esclarecer a população.

«O nuclear não tem novidades. Contrariamente ao que tentam vir agora dizer, as novas centrais são iguais às antigas», afirmou referindo-se ao projecto privado de construção de uma central liderado por Patrick Monteiro de Barros.

No mesmo sentido, o presidente da associação ambientalista Quercus, Hélder Spínola, frisou que «é preciso chamar a atenção quanto às alternativas que são mais sustentáveis e que representam uma melhor viabilidade para o país e que passam por melhorar a eficiência energética e por apostar nas energias renováveis».

O eurodeputado Miguel Portas, também presente, considerou que o nuclear é uma «péssima solução».

Comentando um estudo de opinião publicado sábado no semanário Expresso segundo o qual 51,7% dos eleitores é favorável à construção da central, o eurodeputado disse que «o assunto tem estado fora da agenda e as pessoas sentem o problema do preço do petróleo».

«Quando lhes acenam com uma solução do tipo D.Sebastião a primeira reacção habitual em Portugal é esta. A segunda é a de pensar e quando as pessoas começam a pensar as opiniões das sondagens também mudam», vaticinou.

Miguel Portas frisou ainda que «o projecto (de Patrick Monteiro) não tem pernas para andar e não resolve nenhum problema».

«O problema resolve-se com menos dinheiro e mais rapidamente só poupando e aumentando a eficiência do uso da energia que temos», defendeu o eurodeputad o bloquista.

No «Moinho Velho», jovens activistas do não ao nuclear escreveram vária s faixas com frases a favor das energias renováveis.

No local para onde estava prevista a central os campos encontram-se hoj e cultivados com produtos hortícolas.

Os 150 hectares permanecem terrenos baldios, mas são ocupados por uma centena de agricultores.

Diário Digital / Lusa

de:
http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?s ... ews=219891


Esse gajos de atrasados mentais n tem nada.. eu vi a reportagem na tv. Uma senhora que tinha lá estado á 30 anos dizia:
"ahhh é bom bom é não meteram cá a tal ..coisa eletrica..agora podemos plantar os campos e isto dá emprego"

De notar que o plantar os campos era agricultura de subsitencia ou muito mal organizada..tudo a trabalhar á mão nada de maquinas...os empregos eram sem duvida ás centenas...ou não!
Se hoje não tivessem um defice de 5/6% n tivessem eletricidade cara e afins então a central "era a melhor coisa jamais construida".

Concordo que seja necessario ter atenção a problemas ambientais...mas isto roça a estupidez.
 

*

NVF

  • Investigador
  • *****
  • 1960
  • Recebeu: 526 vez(es)
  • Enviou: 1382 vez(es)
  • +27/-0
(sem assunto)
« Responder #10 em: Março 19, 2006, 06:19:51 pm »
Citação de: "Marauder"
Caro Get_in,

         


E outra coisa, uma central nuclear, segundo o que li, precisa de uma fonte de água para arrefecer o reactor nuclear. Onde é que a nossa central nuclear seria instalada? É que se fosse no Douro iria aquecer demasiado a água do rio e destruir ou simplesmente danificar as nossas colheitas de vinho e de outros produtos agrícolas. :shock:

Cumprimentos,


Ha' varias formas de arrefecer o nucleo de um reactor nuclear, nomeadamente agua e grafite. A agua nao tem que ser despejada directamente num rio ou num lago, pode ficar em tanques de arrefecimento, alem disso, sai mais limpa do que quando entrou.

O problema da aversao ao nuclear, esta' essencialmente ligado 'a fraca formacao cientifica do povo portugues — nao e' 'a toa que a grande maioria dos nossos estudantes foge a sete pes da matematica e da fisica. Enquanto as pessoas nao forem devidamente informadas dos riscos, nomeadamente da probabilidade de ocorrencia de acidentes, nao ha' nada a fazer. Ha' ainda que contar com o poder de Hollywood, e com os seus 'preciosos' contributos para a educacao das massas, atraves dos filmes catastrofe.

Na realidade, em 60 anos, so' houveram dois acidentes graves em centrais nucleares e so' um deles — Chernobyl — provocou mortes e danos ambientais graves. Estamos a falar em cerca de 50 mortes e eventualmente mais umas 4 ou 5 mil vitimas no longo prazo, que obviamente sao de lamentar, mas alguem sabe dizer quantas mortes foram provocadas, mundialmente e nos ultimos 60 anos, por acidentes em centrais termicas ou em barragens? Ja' para nao falar, de tudo o resto que esta' por detras do comercio do petroleo e do carvao: como acidentes em minas, refinarias, pocos de petroleo, petroleiros, pipelines, e as mortes e os danos ambientais causados por estes desastres. Acho que ninguem sabe as respostas, mas obviamente, e' sempre mais facil apontar o dedo ao desconhecido do que compreende-lo.
 

*

Yosy

  • Especialista
  • ****
  • 1105
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #11 em: Março 19, 2006, 07:59:53 pm »
Sou completamente contra o nuclear - um país da nossa dimensão não precisa disso. Além de que, à excpeção da França e do Japão, todos os países estão a diminuir as suas centrais nucleares.
 

*

Shar[K]

  • 44
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #12 em: Março 19, 2006, 08:03:47 pm »
Citação de: "Yosy"
Sou completamente contra o nuclear - um país da nossa dimensão não precisa disso. Além de que, à excpeção da França e do Japão, todos os países estão a diminuir as suas centrais nucleares.

Então diz-me lá como podemos ter energia não dependente do petroleo/carvão a preço aceitavel e de forma continua! (paineis solares são dão de dia, torres eolicas só dão quando há vento).
 

*

Marauder

  • Investigador
  • *****
  • 2127
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #13 em: Março 19, 2006, 08:16:43 pm »
Citação de: "Yosy"
Sou completamente contra o nuclear - um país da nossa dimensão não precisa disso. Além de que, à excpeção da França e do Japão, todos os países estão a diminuir as suas centrais nucleares.

  Hum...junta lá a esses estes:
 :arrow: India (acordo com EUA, acesso à tecnologia nuclear americana, semana passada)
 :arrow: Irão (pois...no comments)


   Curiosidade..

Citar
The USA has over 100 nuclear reactors providing 20% of its electricity. These have improved their performance markedly.

de:
http://www.world-nuclear.org/info/inf41.htm

  Caro JRLC...eu também não percebo muito do processo, mas sim, é algo como assim descreve. Mas esse mecanismo que captura a energia não criará alguma limitação da superfície marítima?
 

*

TOMKAT

  • Investigador
  • *****
  • 1217
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #14 em: Março 19, 2006, 09:31:47 pm »
Já fui declaradamente contra o nuclear, hoje... tenho bastantes dúvidas...
em especial quando pago a conta ao fim do mês, apesar das restrições ao aquecimento de origem eléctrica, durante o inverno.
Citação de: "Marauder"
Os EUA, França, Espanha, etc etc etc....todos tem centrais nucleares, ora bolas, os EUA até tem umas 20, e nunca tiveram acidentes, ou seja, desde que haja cuidado e manunteção não existe problemas...



Os EUA têm mais de 100 centrais a funcionar e vão construir mais.

Em 2003 o nuclear produzia 16% da electricidade a nível mundial.

Produção Mundial

Produção-versus-Consumo:

Lituânia.......................79,9%
França........................77,7%
Eslováquia..................57,4%
Bélgica.......................55,5%
Suécia........................50,0%
Ucrânia.......................45,9%
Eslovénia....................40,4%
Rep. P. Coreia.............40,0%
Suíça..........................39,7%
Bulgária......................37,7%
Arménia......................35,5%

Os 10 maiores países produtores de electricidade "nuclear":

(Milhões MW/H)
USA...........................788,6
França........................426,8
Japão.........................273,8
Alemanha...................158,4
Rússia........................133,0
Rep. P. Coreia............124,0
Canadá.......................85,3
Ucrânia.......................81,8
China.........................79,0
Grã-Bretanha..............73,7

Para os opositores da electricidade "nuclear" é de lembrar que grande parte da electricidade consumida nos nossos lares é importada de França, produzida por centrais nucleares.

O fantasma do acidente, até agora não passa de isso mesmo,... um fantasma.
Chernobil é um caso isolado, consequência duma tecnologia ultrapassada, e de uma manutenção deficiente.
Após de 50 anos de centrais nucleares a funcionar, o argumento Chernobil tem pouca coerência, tão pouca como quando nos sentamos nas nossas viaturas e saímos para a estrada, sabendo que todos os dias morrem várias pessoas em acidentes de viação em Portugal
IMPROVISAR, LUSITANA PAIXÃO.....
ALEA JACTA EST.....
«O meu ideal político é a democracia, para que cada homem seja respeitado como indivíduo e nenhum venerado»... Albert Einstein
 

 

Energia "astronautica"

Iniciado por Fábio G.Quadro Área Livre-Outras Temáticas de Defesa

Respostas: 6
Visualizações: 1601
Última mensagem Maio 20, 2004, 09:27:51 pm
por Spectral
Bragança recusa cemitério nuclear espanhol junto a fronteira

Iniciado por MarauderQuadro Área Livre-Outras Temáticas de Defesa

Respostas: 10
Visualizações: 2704
Última mensagem Agosto 06, 2006, 02:36:18 pm
por ricardonunes
Telemóveis podem ser armas para evitar ataque nuclear

Iniciado por AndréQuadro Tecnologia Militar

Respostas: 0
Visualizações: 3605
Última mensagem Janeiro 27, 2008, 05:55:03 pm
por André
Paquistão testou míssil balístico com capacidade nuclear

Iniciado por Tiger22Quadro Mundo

Respostas: 3
Visualizações: 1927
Última mensagem Junho 05, 2004, 12:07:33 pm
por Fábio G.
França pode usar armamento nuclear na defesa da UE

Iniciado por Ricardo NunesQuadro Mundo

Respostas: 5
Visualizações: 1885
Última mensagem Julho 07, 2004, 03:58:26 pm
por dremanu