Armada Espanhola

  • 1964 Respostas
  • 415336 Visualizações
*

JLRC

  • Investigador
  • *****
  • 2536
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +1/-0
Armada Espanhola
« em: Novembro 23, 2004, 11:50:14 pm »
Citar
Spain Plans to Upgrade Navy’s Projection Group

IZAR Construcciones Navales and the Spanish Navy signed an engineering contract Aug. 3 for the project definition phase for the upgrade to the Spanish Navy’s Projection Group. The Projection Group consists of the aircraft carrier Principe de Asturias, the six Santa Maria-class frigates and the Fleet Replenishment Ship Patino.

These units have reached a third of their design life and require systems upgrades as well as modernization to improve crew living. Included in the package will be the upgrade of support centers to allow for maintenance of the new systems installed onboard the eight vessels.

Under the project definition phase, IZAR with its working team consisting of its Technical Department, IZAR Carenas and IZAR Systems, will develop the roadmap to identify, define and integrate all of the components in the modernization package. This phase is expected to last through May 2005, at which time the sea service will probably begin to conduct the individual modernization packages.

The Santa Maria class, of which the first units began to enter service in the mid-1980s, will probably be the first units to enter the modernization cycle. Upgrades reportedly include the addition of a new weapons direction system, the Thales Naval Nederland Sting EO tracker, an infrared camera, K-band radar and laser range finder. Units that have not received the Ensa Elnath communications intercept system will do so during this modernization package.

The Principe de Asturias aircraft carrier, commissioned in 1988, will probably receive its mid-life refit from 2006 through 2008 and the Patino, commissioned in 1995, will probably follow by around 2009. Details of the Asturias’ refit are not yet defined, but most major weapons and sensor systems are expected to receive, at a minimum, the latest software upgrades, communications upgrades for better interoperability with allied forces, as well as a major hull and power plant maintenance package. For the Patino, the focus will more than likely be hull and power plant maintenance.

 

*

Moi

  • Membro
  • *
  • 151
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #1 em: Dezembro 03, 2004, 11:47:53 pm »
Aproveito este tópico para fazer uma pergunta que há muito me pergunto, pode ser que me saibam responder.

Não tendo a Espanha a necessidade de intervir, ajudando na resolução de alguns problemas, como Portugal, por exemplo, nas suas ex-colónias instáveis...

Porquê a necessidade de possuir uma Marinha tão poderosa?
 

*

ferrol

  • 724
  • +0/-0
¿Mariña poderosa?
« Responder #2 em: Dezembro 08, 2004, 07:45:09 pm »
Hola, amigo Moi. Respóndolle nun minuto. A grandes rasgos España non ten unha mariñapoderosa. Ten unha mariña escasa para as súas responsabilidades. Ten presencia permanente no despliegue da OTAN no mediterráneo e no Atlántico. Ten presencia no despliegue nas costas de Irak, debe vixia-las rutas en alta mar, axudar ós pesqueiros nas pesquerías internacionais, participar en despliegues humanitarios, persegue narcos (recentemente unha patrulleira capturou 3 tons de cocaína diante de Cabo Verde), e asemade debe manter reservas para manobras internacionais, a ISAF na que recentemente entrou Portugal, no Eurocorpo hispano-franco-alemán, no Euroexército...

En fin, que é bastante pequena para o que ten que facer.

Un saúdo.
Tu régere Imperio fluctus, Hispane memento
"Acuérdate España que tú registe el Imperio de los mares”
 

*

Moi

  • Membro
  • *
  • 151
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #3 em: Dezembro 08, 2004, 11:10:52 pm »
Cumprimentos Ferrol

A meu ver, as responsabilidades de Espanha no espaço europeu não são maiores que outros países.
Acho sim que a armada espanhola, assim como as outras forças (aérea e exército), servem como vector de afirmação política. O que é legítimo.

Agora em termos de necessidade, é igual á dos outros.

Se não vejamos, há países com costas maiores, com missões humanitárias para honrar, até em países com laços históricos, zonas de mar mais instáveis... Talvez a Itália tenha necessidade de tal, agora Espanha...

Penso que é sobretudo uma questão política.

A questão de Cabo Verde é engraçada, visto NÓS é que deviamos lá andar, já que até a polícia judiciária é a nossa... :roll:
 

*

nestor

  • 229
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #4 em: Dezembro 09, 2004, 11:56:25 am »
España tiene un litoral maritimo muy extenso, de los mayores de Europa, a eso hay que añadir que por su situación geoestrategica ocupa una zona muy delicada ya que es la puerta del Mediterraneo, vecino proximo de los paises musulmanes del norte de Africa donde cualquier día puede llegar al poder un gobierno fundamentalista islamico y hay que estar preparado para ello.

Por otro lado decir que el gasto en defensa de España, con relación al PIB, es inferior a cualquier pais de la OTAN, incluida Portugal.

Segun los datos de la Cia, estos son los datos:
España:
Military expenditures - percent of GDP:    
1.2% (2003)  

http://www.cia.gov/cia/publications/factbook/geos/sp.html

Portugal:
Military expenditures - percent of GDP:    
2.3% (2003)  

http://www.cia.gov/cia/publications/factbook/geos/po.html

Así que no me hableis de armamentismo español cuando Portugal gasta el doble en defensa que España, porcentualmente hablando.

¿Que pasaria entonces si nosotros gastesemos el 2,3% como Portugal?
¿Se tomaria eso como un acto hostil hacia vuestro pais?

Saludos.
 

*

Lynx

  • Membro
  • *
  • 120
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #5 em: Dezembro 09, 2004, 12:28:34 pm »
Citação de: "nestor"
Así que no me hableis de armamentismo español cuando Portugal gasta el doble en defensa que España, porcentualmente hablando.


Caro nestor nós não gastamos o dobro.
O 1,2% Espanhol equivale a $9,906.5 million (2003) (dados da CIA) e os nossos 2,3% representa $3,497.8 million (2003) (dados da CIA).
 

*

nestor

  • 229
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #6 em: Dezembro 09, 2004, 12:47:23 pm »
Citação de: "Lynx"
Citação de: "nestor"
Así que no me hableis de armamentismo español cuando Portugal gasta el doble en defensa que España, porcentualmente hablando.

Caro nestor nós não gastamos o dobro.
O 1,2% Espanhol equivale a $9,906.5 million (2003) (dados da CIA) e os nossos 2,3% representa $3,497.8 million (2003) (dados da CIA).



Proporcionalmente SI gastais el doble.

Para saber cuanto se gasta un pais en armamento hay que proporcionarlo en el % del PIB que es lo que realmente define la voluntad politica de armarse y el esfuerzo que el pais hace para mantener sus FAS.

España gasta 9.906,5 Million de dolares porque su PIB es mucho mayor que el portugues, pero el esfuerzo es la mitad. Si el esfuerzo español fuese igual al portugues entonces tendriamos que gastar 18.000 millones de dolares, con lo cual tendriamos el doble de barcos, el doble de aviones y el doble de tanques.

Por lo que hay que deducir que España no es un pais armamentista, al menos comparado con Portugal  :roll:

No se si me he explicado.

Saludos.
 

*

Lynx

  • Membro
  • *
  • 120
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #7 em: Dezembro 09, 2004, 01:31:06 pm »
Citação de: "nestor"
Proporcionalmente SI gastais el doble.

Para saber cuanto se gasta un pais en armamento hay que proporcionarlo en el % del PIB que es lo que realmente define la voluntad politica de armarse y el esfuerzo que el pais hace para mantener sus FAS.

España gasta 9.906,5 Million de dolares porque su PIB es mucho mayor que el portugues, pero el esfuerzo es la mitad. Si el esfuerzo español fuese igual al portugues entonces tendriamos que gastar 18.000 millones de dolares, con lo cual tendriamos el doble de barcos, el doble de aviones y el doble de tanques.

Por lo que hay que deducir que España no es un pais armamentista, al menos comparado con Portugal  

No se si me he explicado.

O ano de 2003 foi o ano em que orçamento do Ministério da Defesa Português aumentou devido á Lei de Programação Militar, não esqueça que o material de guerra Português está na sua maioria obsoleto para tal houve um esforço para a assinatura de contratos entre os quais:

Citação de: "lf2a (noutro tópico)"
Marinha:
- Contrato para a construção de 10 NPO (sendo 2 destes NCP): Em execução (Já iniciada a construção)
- Contrato para a construção de 5 lanchas de fiscalização: Em execução (Em fase de projecto)
- Contrato para a construção de 2 U209/214PN (com opção de compra de um 3º): Em execução (Em fase de projecto final nos estaleiros da HDW)
- Projecto para o futuro NPL oferecido (Decorrente da aquisição dos submarinos) o que representa uma poupança de tempo de, diría eu, cerca de 5 anos de planeamento: Estatuto desconhecido
- Recuperação económica dos ENVC (decorrente das contrapartidas do contrato dos submarinos e dos contratos dos NPO): A decorrer
- Aquisição de 2 fragatas de defesa de área OHP usadas, a um custo mínimo: Em execução (Já iniciada a activação e reparação)
- Contrato para a aquisição de VTS (Radares de Vigilância Costeira): Em execução (A instalar em 2005 com activação plena em 2007)

Força Aérea:
- Modernização dos 40 F-16A/B para o parâmetro MLU: Em execução (Pelo menos 3 aeronaves já foram entregues)
- Aquisição de armamento diverso, incluindo misseis AMRAAM para as esquadras de F-16: Em execução
- Substituição dos P-3P pelos P-3C Holandeses (muito mais recentes): Em execução (já foi iniciada a activação e a reparação das células que se encontravam nas OGMA)
- Concurso para a substituição dos C-212 Aviocar: A decorrer
- Contrato para a aquisição de Radar 3D de Defesa Aérea para a futura UVD da Madeira (com opção de compra de mais 3 para a(s) futura(s) UVD dos Açores): A activação está prevista para 2008
- Recuperação económica das OGMA: A decorrer

Exército:
- Concurso para a aquisição de 322 VBR (20 para os Fuzileiros): A decorrer (o anúncio do vencedor deveria estar para muito em breve)
- Contrato para a aquisição de 1200 Rádios Tácticos de última geração: Em execução
- Fim do Serviço Militar Obrigatório e consequente profissionalização do Exército: Executado
- Resolução do problema das pensões devidas aos ex-Combatentes: Em execução


Por isso quanto ao facto de considerar que Portugal é um país armamentista discordo mesmo com as novas aquisições que Portugal irá fazer vamos ficar muito aquém das necessidades Portuguesas principalmente na marinha cuja a sua ZEE é das maiores da Europa.
 

*

papatango

  • Investigador
  • *****
  • 5580
  • Recebeu: 9 vez(es)
  • +1/-0
    • http://www.areamilitar.net
(sem assunto)
« Responder #8 em: Dezembro 09, 2004, 02:30:36 pm »
A questão dos gastos militares é muito controversa.

Principalmente porque nunca ninguém está de acordo com o que é de facto gasto militar.

A questão prende-se com vários factores, nomeadamente a inclusão de gastos com forças militares e militarizadas e com os pagamentos de salários aos militares, nomeadamente áqueles que estão na reserva e reforma.

Lembro também que os equipamentos e contratos assinados por Portugal, serão pagos ao longo de vários anos, não influindo no orçamento de um determinado ano.

Portugal teve, proporcionalmente, as maiores forças armadas da Europa, em situação de guerra, nos anos 60 e 70 (mais de 200.000 efectivos), para um país que na altura tinha 9 milhões de habitantes. Muitos desses militares, continuam na reforma. Além disso, lembro que as Forças Armadas não foram completamente desmobilizadas logo em 1974.

Portanto, temos uma quantidade de compromissos que os espanhois (e não só os espanhois, claro) não têm.

Porque de resto, como todos sabemos, os valores destinados à aquisição de novos equipamentos são absolutamente irrisórios. Bastaria dizer que, se Portugal gastasse essa dinheirama toda em armamentos, em vez de 3 Vasco da Gama e duas Perry, teriamos, neste momento, pelo menos cinco LCF's ou equivalente, os carros M-60 já trocados por Leopard-2A6, os chaimite já teriam sido substituidos e o programa F-16 MLU, já estaria concluido. E, ainda sobrava dinheiro, para comprar C27J, C-130 e Navpol's novinhos em folha.
Infelizmente os dados estatísticos são o que são.

Cumprimentos
 

*

ferrol

  • 724
  • +0/-0
Pois ten razón...
« Responder #9 em: Dezembro 09, 2004, 02:53:44 pm »
Hola, amigo moi:
Gracias polos seus comentarios. Aporta vostede unha visión de política sobre as FAS que non acabo de comprender e quixera que vostede ma explicara un pouco mellor. Por exemplo:
Citação de: "Moi"
Acho sim que a armada espanhola, assim como as outras forças (aérea e exército), servem como vector de afirmação política
¿Como serve a Armada, xa que estamos no tópico da Armada, de "vector de afirmación política"?

Citação de: "Moi"
A meu ver, as responsabilidades de Espanha no espaço europeu não são maiores que outros países.
Pois é certo. Cada país colabora voluntariamente no nas organizacións internacionais, polo que haberá países con máis e outros con menos participación.
No caso Armada, participa con 2 escoltas na Stanavforlant, xunto con EE.UU, Canadá, Holanda e Gran Bretaña.
Participa con outros 2 escoltas na Stanavformed,xunto con Estados Unidos, Alemania, Reino Unido, Grecia, Holanda, Italia e Turquía.
Participa con 2 dragaminas na MCMFORMED e 2 na MCMFORHOTH.
Tamén provee 1 LPD na Euromarfor e outro na ISAF.
Asemade, ten 2 escoltas rotatorios na operación "Endurance Freedom" no golfo pérsico.

É dicir, que ten permanente comprometido no estranxeiro 6 escoltas, 4 dragaminas e 2 LPD´s. A esto debemos sumar o grupo de 4 escoltas do PdA, as patrulleiras de altura que colaboran no tráfico marítimo e na vixiancia das amplas costas españolas, as manobras internacionais que se celebran case todos os meses... en fin, que non é un número amplo para cumplir con todas as responsabilidades da Armada. En calquera momento do ano, non hai máis de 3-4 escoltas na Península. O resto está "por esos mundos de Deus".

Sí estou dacordo en que "poderosa" pode referirse ás capacidades de cada barco, pero non ó seu número. É o normal dun exército profesional, pouca xente e material, pero os mellores posibles.

Citação de: "Moi"
A questão de Cabo Verde é engraçada, visto NÓS é que deviamos lá andar, já que até a polícia judiciária é a nossa... :roll:

Esa cuestión é totalmente accesoria. Capturar droga é bon, o faga quen o faga e por quen sexa e onde sexa. A Armada pode facelo, logo o fai. Outro día o fará a policia judiciaria ou quen sexa, eso non é importante.

Saúdos.
Tu régere Imperio fluctus, Hispane memento
"Acuérdate España que tú registe el Imperio de los mares”
 

*

P44

  • Investigador
  • *****
  • 7186
  • Recebeu: 158 vez(es)
  • Enviou: 261 vez(es)
  • +12/-1
(sem assunto)
« Responder #10 em: Dezembro 09, 2004, 03:34:41 pm »
Citação de: "ferrol"
No caso Armada, participa con 2 escoltas na Stanavforlant, xunto con EE.UU, Canadá, Holanda e Gran Bretaña

...e con Portugal tanbien... :shock:
"[Os portugueses são]um povo tão dócil e tão bem amestrado que até merecia estar no Jardim Zoológico"
-Dom Januário Torgal Ferreira, Bispo das Forças Armadas
 

*

ferrol

  • 724
  • +0/-0
Correxindo...
« Responder #11 em: Dezembro 09, 2004, 03:47:18 pm »
Citação de: "P44"
Citação de: "ferrol"
No caso Armada, participa con 2 escoltas na Stanavforlant, xunto con EE.UU, Canadá, Holanda e Gran Bretaña

...e con Portugal tanbien... :wink:

 
Certo, referíame neste caso ós países con presencia permanente.
Tu régere Imperio fluctus, Hispane memento
"Acuérdate España que tú registe el Imperio de los mares”
 

*

Moi

  • Membro
  • *
  • 151
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #12 em: Dezembro 09, 2004, 04:27:40 pm »
Não quis dizer com o meu post que Espanha era um país «armentista», pró-bélico ou que quer que seja. Nada disso.

Portugal nunca teve medo de Espanha, nem nunca terá, muito menos naquilo que ao futuro nos reserva. Não há aqui nenhum pensamento virado para o passado.

O que quis dizer é que para que é que Espanha necessita, por exemplo de um porta-aviões? Em termos objectivos não. Em termos políticos sim.

É indissociável o poderio militar e o político. Sempre o foi.
Os EUA são o exemplo mais cabal disso.
Quem quer alguma coisa, tem de ser dispor a oferecer.

Ora, para mim, esse é o caso de Espanha, que necessita projectar a sua imagem, a sua economia, perante a Europa e o mundo.

Em termos de costa Portugal tem juntamente com Espanha umas das maiores da Europa, além do mais se Espanha é um ponto essencial estratégico, o que dizer de Portugal, com um «marzão» à nossa frente...

Em relação a Cabo Verde, a questão é claro que é secundária.
Ainda há dias, foram apreendidas três toneladas de droga (num pequeno veleiro) pelas nossas autoridades marítimas, o que nem é necessáriamente uma tarefa de uma Marinha de Guerra, porque é o que se trata... Mas em tempos de paz há que justificar os meios operacionais, concordo.

Quanto aos gastos militares outros forumnistas explicaram.

Penso (posso estar errado) que Espanha nunca chegou a ter um poderio militar igual ao português, como aquele que tivemos nas três frentes da guerra colonial. Gostava que me esclarececem.

É claro que todo o investimento nas FA mudará se a Europa um dia deixar de ser o tal «anão político».
 

*

manuel liste

  • Especialista
  • ****
  • 1054
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #13 em: Dezembro 09, 2004, 08:42:11 pm »
Citação de: "Moi"
Penso (posso estar errado) que Espanha nunca chegou a ter um poderio militar igual ao português, como aquele que tivemos nas três frentes da guerra colonial. Gostava que me esclarececem.


O exército español tiña na segunda metade da década dos setenta uns 380.000 soldados en activo. Valore vostede a súa importancia en relación ao poderío militar portugués.

Relativo á importancia da Armada española, supoño que ten a importancia que merece para as súas obrigas na defensa nacional. Non vexo a diferencia entre que España teña un portavións e que Portugal teña submariños, penso eu que serven para o mesmo: defender o país.
 

*

nestor

  • 229
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #14 em: Dezembro 10, 2004, 01:13:30 am »
El gasto militar de España es del 1,2% del PIB, pero para comparar hay que ver el de los paises de nuestro entorno geografico y politico:


Gran Bretaña:

Military expenditures - percent of GDP:    
2.4% (2003)  

Francia:

Military expenditures - percent of GDP:    
2.6% (2003)  

Italia:

Military expenditures - percent of GDP:    
1.9% (2003)  

Grecia:

Military expenditures - percent of GDP:    
4.3% (2003)  

Turquia:

Military expenditures - percent of GDP:    
5.3% (2003)  


Alemania:

Military expenditures - percent of GDP:    
1.5% (2003)  

Holanda:

Military expenditures - percent of GDP:    
1.6% (2003)  

Belgica:

Military expenditures - percent of GDP:    
1.3% (2003)  


Argelia:

Military expenditures - percent of GDP:    
3.5% (2003)  

Marruecos:

Military expenditures - percent of GDP:    
4.8% (2003)  


Libia:

Military expenditures - percent of GDP:    
3.9% (FY99)  

Suecia:

Military expenditures - percent of GDP:    
2.1% (FY01)

Como se puede comprobar los paises europeos mediterraneos TODOS tienen mayor gasto militar que España con diferencia. Los del norte de Africa, que son los que mas nos preocupan, esos si que tienen un gasto muy superior a España.

Pero resulta que los paises del norte de Europa, con menor riesgo que nosotros, tambien tienen mayor gasto.

Ahora dejo a los gurús del foro para que saquen sus propias conclusiones.

Saludos.
 

 

NPO "Piloto Pardo" da Armada Chilena

Iniciado por P44Quadro Armadas/Sistemas de Armas

Respostas: 50
Visualizações: 14808
Última mensagem Maio 19, 2009, 02:46:09 pm
por luis filipe silva
Armada, Alemanha, França,Inglaterra, TOPS Pesquisa

Iniciado por Heer.SkudaQuadro Armadas/Sistemas de Armas

Respostas: 46
Visualizações: 12951
Última mensagem Julho 04, 2007, 09:29:20 pm
por P44
DIFERENCIAL DE VENCIM. ENTRE SARG. DO EXÉRCITO E DA ARMADA

Iniciado por grifoQuadro Exército Português no ForumDefesa.com

Respostas: 3
Visualizações: 2362
Última mensagem Agosto 18, 2009, 10:22:46 pm
por Lightning
Navios da Armada vão ao fundo e viram museu subaquático

Iniciado por RicardoQuadro Marinha no ForumDefesa.com

Respostas: 32
Visualizações: 7983
Última mensagem Maio 27, 2016, 12:19:02 pm
por P44
Futuro dispositivo da Armada Portuguesa (a uma geração)

Iniciado por Rui EliasQuadro Marinha no ForumDefesa.com

Respostas: 10
Visualizações: 4258
Última mensagem Abril 02, 2004, 05:55:49 pm
por Spectral