Indústria de Defesa do Brasil

  • 158 Respostas
  • 19435 Visualizações
*

Vitor Santos

  • Investigador
  • *****
  • 2351
  • Recebeu: 152 vez(es)
  • Enviou: 107 vez(es)
  • +9/-6
Re: Indústria de Defesa do Brasil
« Responder #150 em: Abril 21, 2017, 03:02:41 pm »
AGRALE ESTREIA NOVAS VERSÕES DO MARRUÁ DURANTE A LAAD 2017



Citar
Entre os dias 4 e 7 de abril a Agrale estará expondo diferentes modelos da viatura Marruá a um seleto público na LAAD Defence & Security 2017 – Feira Internacional de Defesa e Segurança, nos pavilhões do Riocentro, no Rio de Janeiro. Nesta edição da LAAD, a Agrale estreia a Nova Geração Militar do Marruá VTNE ½ ton Ambulância UTI de 14 m3, e também a VTNE ¾ ton. AM21 versão GLO (Garantia da Lei e da Ordem), que incorpora características especiais para missões de pacificação e manutenção da ordem. Outros destaques são o Marruá VTL REC RHD, o Marruá VTNE 2 ½ ton. AM41, a VTL Rec, implementada com sistema de visão termal (em parceria com a AEL sistemas), e uma versão blindada do Marruá AM200 Cabine Dupla Nova Geração, uma opção para uso tanto das Forças de Segurança e Policias como para uso civil.

“É uma honra participar de um evento da grandeza da LAAD, pelo público qualificado que reúne e pela expressão internacional. É mais uma ocasião para reforçar relacionamentos, gerar oportunidades e ampliar a nossa presença junto às Forças Armadas brasileiras e países que já são nossos clientes, além de apresentar nossas viaturas a outras Forças de Defesa internacionais”, destaca Edson Ares Sixto Martins, diretor Comercial da Agrale.

A Agrale é uma fornecedora homologada pelo Exército Brasileiro com 20 Produtos Estratégicos de Defesa, tendo viaturas Marruás em diversas Organizações Militares no Brasil e em missões de paz da ONU no Haiti e no Sudão. “Este é um aval muito importante para a ampliação das vendas de nossas viaturas durante a LAAD. Vale ressaltar que nossas viaturas integram também missões e organizações em países como Argentina, Equador, Namíbia, Paraguai e Gana”, observa Martins.

A família de viaturas Agrale Marruá tem o conceito de aplicação DUAL, Militar e Civil, oferecendo diversas versões. No portfólio militar há viaturas 4x4 que variam de ½ ton. a 2 ½ ton, passando por versões de Reconhecimento, Transporte de Tropa, Ambulância e Comando e Controle, por exemplo. Os utilitários podem ser configurados com teto fixo ou com teto de lona removível, de acordo com os requisitos prévios de cada cliente. Já na aplicação civil, a Agrale oferece uma alternativa que é diferente das pick-ups convencionais, pois adiciona a versatilidade das pick-ups a robustez de um verdadeiro caminhão 4×4 “Seguimos desenvolvendo versões para atender às demandas das Forças de Defesa e Segurança Brasileiras e do Exterior, bem como do mercado de uso civil”, comenta Martins.

Desempenho e robustez no DNA do Marruá

As viaturas Agrale Marruá foram amplamente testadas e aprovadas pelos usuários mais rigorosos que exigem robustez, desempenho e disponibilidade em qualquer tipo de terreno. A base unificada permite obter racionalização de componentes, redução dos custos de estoque, logística e manutenção para o cliente. Possuem amplo curso de suspensão, com ângulos de ataque de até 64º e de saída até 52º, inclinação lateral de 30% e rampa máxima de 60%, que garantem melhor desempenho em terrenos acidentados. Fabricados de acordo com rigorosas especificações, destacam-se por sua versatilidade, robustez e capacidades técnicas.

A viatura Agrale Marruá AM 41 – VTNE 2 ½ toneladas 4X4 atende às necessidades das Forças Armadas no transporte de equipamento, carga e pessoal em qualquer terreno – com capacidade total para 2.500 kg de carga + 2.500 kg de reboque. Possui amplo curso de suspensão e espaço interno da cabine, com ângulo de ataque de 37º e de saída de 30º, motor MWM de 165 cv e caixa de transferência de dupla velocidade.

O Agrale Marruá AM31 – VTNE ½ t 4X4 é indicado para transporte de tripulantes ou carga de 1.500kg mais reboque de 1.500 kg, possui carroceria metálica, cabine com teto rígido e motor de 150 cv de potência e 360 Nm de torque, com caixa de transferência de dupla velocidade. O modelo possui ângulo de ataque de 60º, saída de 30º e rampa máxima de 60%.
 
Já a viatura Agrale Marruá AM21 - VTNE 3/4 é destinada para o transporte de tripulantes ou carga de 750kg mais reboque de 750 kg, com capota removível e carroceria metálica com teto de vinil. Possui tração 4X4, motor de 140 cv de potência e ângulos de ataque de 62º e de saída de 40º.

FONTE: http://www.agrale.com.br/pt/imprensa/noticias/detalhes/441/agrale-estreia-novas-versoes-do-marrua-durante-a-laad-2017#.WPoQ-PnyvIU








Crédito da foto: Marcos Riboldi
« Última modificação: Abril 21, 2017, 03:24:20 pm por Vitor Santos »
"O fato de ser brasileiro só me enche de orgulho!", Ayrton Senna. Brasil, Acima de Tudo!
 

*

Vitor Santos

  • Investigador
  • *****
  • 2351
  • Recebeu: 152 vez(es)
  • Enviou: 107 vez(es)
  • +9/-6
Re: Indústria de Defesa do Brasil
« Responder #151 em: Abril 21, 2017, 03:13:50 pm »
Guará e projetos estratégicos da Avibras com as Forças Armadas são destaques na LAAD 2017



Citar
Mais uma vez a Avibras brilhou na LAAD Defence & Security realizada de 4 a 7 de abril no Riocentro, no Rio de Janeiro. O evento é considerado uma referência internacional em tecnologia, inovação e geração de negócios. Nesta edição, o protótipo da viatura Guará 4WS Blindada Leve sobre Rodas ficou em destaque no estande, atraindo muitos visitantes.

A viatura pertence à mais nova família de blindados leves da companhia, que nesta versão de Reconhecimento Armado tem capacidade para cinco tripulantes devidamente equipados com excelente nível de proteção, elevada agilidade e extrema mobilidade com tração 4X4 e direção nas quatro rodas. O protótipo do MAN-SUP (Míssil Antinavio lançado de Superfície) também foi atração no evento.

A Avibras recebeu várias delegações estrangeiras e autoridades brasileiras, além de representantes das Forças Armadas e de jornalistas da mídia especializada.

Além da viatura Guará, a empresa evidenciou durante a feira a sua parceria com as Forças Armadas do Brasil por meio dos programas A-Darter (Força Aérea Brasileira), MAN-SUP (Marinha do Brasil) e Sistema ASTROS 2020 (Exército Brasileiro).

Projeção – A Avibras busca consolidar sua presença nos mercados onde já está presente e, constantemente, identificar novas oportunidades, de forma a ampliar sua participação no mercado objetivando gerar um backlog que proporcione o retorno esperado para a sociedade onde está inserida, seus colaboradores e acionistas.

A companhia sempre priorizou a sua participação em grandes feiras especializadas em Defesa, pelos benefícios que um evento deste porte proporciona às empresas na promoção de seus negócios, de sua marca, de seus produtos e serviços.

Presente em todas as edições da LAAD, a Avibras reforça que os eventos especializados são importantes plataformas para consolidar vendas no Brasil e no exterior, em paralelo, trazendo excelentes perspectivas para a empresa.

FONTE: https://www.avibras.com.br/site/midia/noticias/220-guara-e-projetos-estrategicos-da-avibras-com-as-forcas-armadas-sao-destaques-na-laad-2017.html




"O fato de ser brasileiro só me enche de orgulho!", Ayrton Senna. Brasil, Acima de Tudo!
 

*

Vitor Santos

  • Investigador
  • *****
  • 2351
  • Recebeu: 152 vez(es)
  • Enviou: 107 vez(es)
  • +9/-6
Re: Indústria de Defesa do Brasil
« Responder #152 em: Abril 23, 2017, 03:56:58 pm »
FT-200FH



Citar
Brasília — Uma grande feira como a LAAD oferece uma carga enorme de informação. Em meio a centenas de estandes, pequenas maquetes se perdem, às vezes com conceitos extremamente interessantes e inovadores. Protótipos promissores e com poucos concorrentes no mercado deixam de chamar a atenção desviada por pavilhões de superpotências.

Apresentamos o Projeto do FT-200FH Concebido pela FT Sistemas, empresa brasileira pioneira no segmento de Aeronaves Remotamente Pilotadas (ARP).

BRASIL - ARP FT-200FH

Concebido para ampliar a capacidade de vigilância sobre o mar e nas fronteiras brasileiras, o FT-200FH apresenta características extremamente atrativas. Concebido pela FT Sistemas, empresa brasileira pioneira no segmento de Aeronaves Remotamente Pilotadas (ARP), o aparelho é mais leve, possui maior autonomia e tem a mesma carga útil de seu concorrente mais próximo, o CAMCOPTER 100 da empresa austríaca Schiebel.

O segredo para isto está na escolha do sistema de propulsão e sustentação. Em lugar de uma configuração tradicional, a equipe de projeto decidiu empregar um sistema de rotores contrarrotativos paralelos (intermesh) feitos em nylon. Criada durante a Segunda Guerra Mundial pela empresa alemã Flettner e desenvolvida pela Kaman norte-americana, a configuração permite uma maior capacidade de levantamento e mais estabilidade.



O custo de desenvolvimento, apoiado pelo Ministério da Defesa e pela Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP), foi relativamente baixo, superior a R$ 9 milhões. O aparelho pode ser empregado em aplicações duais de defesa, segurança pública, agronegócio e vistoria de infraestrutura. O helicóptero não tripulado tem alcance de 100 quilômetros (limite do datalink, que pode ser ampliado para 200 quilômetros) e autonomia de mais de 10 horas de voo, podendo transportar até 50kg de carga útil. Seu peso é extremamente reduzido: 80 kg, menos da metade do CAMCOPTER 100, que possui menor permanência em voo que o concorrente brasileiro.

O potencial do FT-200FH em missões de vigilância marítima, a partir de barcos-patrulha de 500 toneladas, e de monitoramento de solo e de áreas de alto risco de segurança, como na proteção de fronteiras e de comunidades com alto índice de criminalidade.



FONTEhttp://www.defesanet.com.br/laad2017/noticia/25483/III---Perolas-escondidas---Brasil--FT-200FH/
"O fato de ser brasileiro só me enche de orgulho!", Ayrton Senna. Brasil, Acima de Tudo!
 

*

Vitor Santos

  • Investigador
  • *****
  • 2351
  • Recebeu: 152 vez(es)
  • Enviou: 107 vez(es)
  • +9/-6
Re: Indústria de Defesa do Brasil
« Responder #153 em: Abril 28, 2017, 02:11:48 pm »
Apresentação do Taurus T4SA



Citar
O fuzil/carabina  T4 Series da Taurus tem calibre 5,56 NATO e capacidade para 30 cartuchos e vem em duas versões. O modelo A1 vem com guardamão em polímero enquanto o A2 tem a proteção fabricada em alumínio. Ambos serão disponibilizados com canos em duas configurações, 11,5’ e 14,5’.
FONTE: http://www.planobrazil.com/video-apresentacao-do-taurus-t4/

"O fato de ser brasileiro só me enche de orgulho!", Ayrton Senna. Brasil, Acima de Tudo!
 

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 13434
  • Recebeu: 495 vez(es)
  • Enviou: 564 vez(es)
  • +31/-9
Re: Indústria de Defesa do Brasil
« Responder #154 em: Abril 28, 2017, 04:06:45 pm »
A origem desta espingarda semi-automática:

https://diamondbackfirearms.com/

A Taurus é a dona.  ;)

7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

*

Vitor Santos

  • Investigador
  • *****
  • 2351
  • Recebeu: 152 vez(es)
  • Enviou: 107 vez(es)
  • +9/-6
Re: Indústria de Defesa do Brasil
« Responder #155 em: Maio 23, 2017, 07:18:39 pm »
H225M: Exército e FAB recebem as primeiras das 4 unidades previstas para 2017



Citar
A Helibras entregou dois novos H225M no mês de maio. As aeronaves que seguiram para o Exército Brasileiro e a Força Aérea Brasileira são as primeiras unidades dentre as quatro previstas para entrega em 2017.

O primeiro helicóptero, do Exército, é o quarto em configuração operacional, com sistemas exclusivos para as operações do Exército, e a nona aeronave do modelo recebida pela Força. O helicóptero ficará baseado em Taubaté, no 1º Batalhão de Aviação do Exército (1º BAvEx).

Já o H225M da FAB, também o quarto em versão operacional para a Força, seguiu para a Base Aérea do Rio de Janeiro somando agora 10 helicópteros do modelo à disposição da Força Aérea.

Com essas duas unidades, a Helibras já contabiliza 28 H225M entregues do contrato de 50 unidades do programa H-XBR, que tem previsão de conclusão em 2022.

Os H225M das Forças Armadas são fabricados em Itajubá desde a inauguração da nova linha de produção da empresa, em 2012. Com o objetivo de atingir um importante nível de conteúdo nacional, a Helibras desenvolveu uma cadeia de suprimentos e fornecedores locais que atualmente conta com 37 empresas brasileiras, além de seu Centro de Engenharia próprio que desenvolve sistemas de missão específicos para os diferentes helicópteros de cada Força.

Outro importante marco do H225M neste ano inclui a qualificação da versão naval H225M, prevista para o segundo semestre.

DIVULGAÇÃO: Convergência Comunicação Estratégica
FOTOS: Helibras



FONTE: http://www.defesaaereanaval.com.br/h-xbr-helibras-entregou-dois-h225m-em-maio/
"O fato de ser brasileiro só me enche de orgulho!", Ayrton Senna. Brasil, Acima de Tudo!
 

*

Vitor Santos

  • Investigador
  • *****
  • 2351
  • Recebeu: 152 vez(es)
  • Enviou: 107 vez(es)
  • +9/-6
Re: Indústria de Defesa do Brasil
« Responder #156 em: Maio 27, 2017, 08:18:24 pm »
Embraer A-29 enfrentará AT-6 e Scorpion na avaliação OA-X da USAF


Citar
Pensando na futura desativação do incrível A-10 Thunderbolt II, a USAF vai realizar uma competição entre aeronaves de ataque leve para acessar as capacidades das soluções existentes no mercado, visando orientar uma eventual aquisição.

As aeronaves que vão participar da avaliação denominada OA-X são o A-29 Super Tucano da Embraer e Sierra Nevada Corp., o AT-6 Wolverine e o Scorpion, os dois últimos do conglomerado Textron.

O Beechcraft AT-6 competiu com o A-29 Super Tucano na concorrência LAS da USAF em 2012 para equipar a Força Aérea do Afeganistão e acabou perdendo. Naquela época a Beechcraft ainda não tinha sido adquirida pelo grupo Textron.

A Embraer levou quase um ano enfrentando as ações legais da Beechcraft contestando a vitória do A-29. Um futuro contrato do OA-X provavelmente enfrentará brigas mais acirradas, pois a aquisição poderá envolver até 300 aeronaves com valor total de mais de US$ 6 bilhões.

Desta vez, a disputa será mais difícil para a Embraer, porque a Textron vai oferecer além do AT-6, o jato Scorpion.

Além de voar mais rápido e mais alto que o A-29 Super Tucano, o Scorpion leva também uma carga maior de armas. O preço divulgado do jato, de menos de US$ 20 milhões, está um pouco abaixo do preço do turboélice da Embraer na competição LAS.

Foi divulgado que a USAF busca uma aeronave com custo da hora de voo de US$ 4 a US$ 5 mil. O Scorpion custa US$ 3 mil por hora, enquanto o Super Tucano custa US$ 1.000.

De qualquer maneira, o grupo Textron entra em vantagem na avaliação, pois tem dois tipos de aeronaves que se complementam e se a USAF decidir combinar um jato e um turboélice para substituir o A-10 Thunderbolt, pode adquirir as aeronaves da mesma companhia.

Definitivamente não será uma disputa fácil para o Super Tucano da Embraer.

FONTE: http://www.aereo.jor.br/2017/05/25/embraer-enfrentara-at-6-e-scorpion-na-avaliacao-oa-x-da-usaf/
"O fato de ser brasileiro só me enche de orgulho!", Ayrton Senna. Brasil, Acima de Tudo!
 

*

Vitor Santos

  • Investigador
  • *****
  • 2351
  • Recebeu: 152 vez(es)
  • Enviou: 107 vez(es)
  • +9/-6
Re: Indústria de Defesa do Brasil
« Responder #157 em: Junho 07, 2017, 02:04:33 pm »
LAAD Defence & Security 2017

Materiais e veículos da indústria brasileira de defesa em exposição na LAAD edição de 2017












Créditos: Roberto Caiafa
"O fato de ser brasileiro só me enche de orgulho!", Ayrton Senna. Brasil, Acima de Tudo!
 

*

Vitor Santos

  • Investigador
  • *****
  • 2351
  • Recebeu: 152 vez(es)
  • Enviou: 107 vez(es)
  • +9/-6
Re: Indústria de Defesa do Brasil
« Responder #158 em: Junho 12, 2017, 06:52:09 pm »
Exército Argentino testa caminhão 4×4 Agrale Marrua AM-41 em condições extremas


Citar
As  Forças Armadas da Argentina testaram o novo  Agrale Marruá AM41 . Em condições extremas. Os testes foram conduzidos nas regiões dos Andes em fevereiro deste ano. O inicio da avaliação ocorreu em  Punta Alta Buenos Aires, cujas instalações com pistas de testes, piscinas infantis, pistas e circuitos artificiais e naturais com diferentes tipos obstáculos e pavimentação, são particularmente adequados para este tipo de ensaio. Posteriormente o veiculo foi enviado a Tartagal (Salta) e finalmente  Barreal (San Juan) onde om mesmo foi testado em uma altitude de 4.312 metros acima do nível do mar.

No Final de 2015, a Agrale Argentina e Agrale SA, entregaram uma unidade de caminhão militar Agrale Marruá AM41 para ser avaliado e testado pelo Exército Argentino. Posteriormente os testes também incluíram a participação da Armada e Força Aérea Argentina. Desde então o veiculo vem sendo submetido a um longo período de testes e avaliações para a sua definitiva homologação nas Forças Armadas Argentinas. De acordo com informações a sua homologação nas Forças Armadas Argentinas deve ocorrer no final do ano.

O Agrale AM41 possui capacidade de carga de 5.000 kg em estrada ou 2.500 em qualquer terreno. O AM-41 possui carroceria metálica, e cabine com estrutura tubular de segurança. . O propulsor do modelo é o MWM de 4.8 litros, que gera 165 cv de potência e 61,1 mkgf de torque. Caixa de transferência de dupla velocidade (reduzida) Eaton, de 5 velocidades com acionamento por tecla no painel.

FONTE: http://www.planobrazil.com/exercito-argentino-testa-caminhao-4x4-agrale-marrua-am-41-em-condicoes-extremas/







"O fato de ser brasileiro só me enche de orgulho!", Ayrton Senna. Brasil, Acima de Tudo!
 

 

Movimento "Fundir Portugal" quer anexar Portugal ao Brasil

Iniciado por SertorioQuadro Área Livre-Outras Temáticas de Defesa

Respostas: 7
Visualizações: 2488
Última mensagem Março 19, 2012, 06:29:36 pm
por cromwell
Polícia contra Polícia no Brasil

Iniciado por Xerif3Quadro Países Lusófonos

Respostas: 1
Visualizações: 1438
Última mensagem Março 01, 2009, 03:04:02 pm
por HSMW
"Quero mais Brasil"

Iniciado por J.RicardoQuadro Países Lusófonos

Respostas: 11
Visualizações: 5992
Última mensagem Setembro 06, 2010, 12:58:28 pm
por |FIT|_Benny
182 anos da independencia "politica" do Brasil

Iniciado por fredomQuadro Países Lusófonos

Respostas: 4
Visualizações: 2116
Última mensagem Setembro 08, 2004, 05:28:42 pm
por Ricardo Nunes
Brasil testa "Combat boat 90" de origem sueca

Iniciado por Ricardo NunesQuadro Armadas/Sistemas de Armas

Respostas: 9
Visualizações: 2184
Última mensagem Junho 12, 2004, 12:08:28 am
por Nautilus