E depois da recruta?

  • 72 Respostas
  • 16523 Visualizações
*

abatista

  • Membro
  • *
  • 209
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #60 em: Agosto 22, 2008, 12:21:01 am »
Pois! É isso, não é? Tirando oficiais em que, obviamente, é mesmo esse o seu papel (logistica, etc), os oficiais n passam a vida num escritório, certo? Claro que a sua função é a de liderar/movimentar/planear, mas isso faz parte de ser oficial, e já todos contavamos com tal. :P
 

*

tyr

  • Analista
  • ***
  • 881
  • Recebeu: 2 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #61 em: Agosto 22, 2008, 02:09:16 am »
Não, eu sublinhei somente algumas das funções onde oficiais superiores (e ocasionalmente capitães) têm praticamente só trabalho de papelada, mesmo que quisessem andar no meio da massa.
 Um oficial de estado maior é quase só papelada (e a maioria dos oficiais superiores são oficis de estado maior), os comandantes de unidades e batalhões, têm que decidir o que fazem as suas subunidades, mas não vão meter o bedelho no trabalho dos subalternos (pois isso é chamalos de incompetentes, ou demonstra que o comando não confia nos seus graduados, o que é pessimo para a moral e espirito de missão), supervisam esse trabalho e o bem estar, mas tambem têm que assinar uma tonelada de papeis (e se forem minimamente competentes, lêm-nos antes de os assinar, o que implica mais tempo no escritorio :lol: )
A morte só é terrivel para quem a teme!!
 

*

abatista

  • Membro
  • *
  • 209
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #62 em: Agosto 22, 2008, 01:47:00 pm »
E quanto tempo passa de Alferes a Major? És "obrigado" à promoção, ou existe curso de promoção a oficial superior?
 

*

Cabecinhas

  • Investigador
  • *****
  • 1518
  • Recebeu: 5 vez(es)
  • Enviou: 11 vez(es)
  • +2/-0
(sem assunto)
« Responder #63 em: Agosto 22, 2008, 02:19:00 pm »
Tens que passar primeiro por tenente e depois capitão, para poderes frequenter a "escola" de oficiais superiores
Um galego é um português que se rendeu ou será que um português é um galego que não se rendeu?
---
 

*

Xô Valente

  • Perito
  • **
  • 411
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #64 em: Agosto 22, 2008, 02:52:36 pm »
Boas!
Voltando ao assunto dos oficiais que "passam o tempo" com trabalhos de secretaria, tenho uma dúvida sobre os sargentos. Isso do trabalho de secretariado e administração também se passa com sargentos, nomeadamente sargento-mor?
Cumprimentos. :wink:
http://valente-city.myminicity.com/  -  Cria a tua minicidade também.
 

*

Cabecinhas

  • Investigador
  • *****
  • 1518
  • Recebeu: 5 vez(es)
  • Enviou: 11 vez(es)
  • +2/-0
(sem assunto)
« Responder #65 em: Agosto 22, 2008, 03:20:27 pm »
Iepe, epá mas quando um gajo chega a sargento-mor (se chegar) já só quer sopas e descanço  :lol:
Um galego é um português que se rendeu ou será que um português é um galego que não se rendeu?
---
 

*

Xô Valente

  • Perito
  • **
  • 411
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #66 em: Agosto 22, 2008, 03:27:24 pm »
E em sargento-chefe e ajudante acontece o mesmo? É que lembrei-me daquela série da Unidade, em que o sargento-mor (Dennis Haysbert) faz aquelas missões. Sei que é uma força especial e é ficção, mas...
Cumprimentos.
http://valente-city.myminicity.com/  -  Cria a tua minicidade também.
 

*

tyr

  • Analista
  • ***
  • 881
  • Recebeu: 2 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #67 em: Agosto 23, 2008, 09:41:05 am »
sargento chefe e mor é trabalho de estado maior, sargento ajudante ja depende, na maior parte dos sitios é tambem trabalho de estado maior, mas existem sitios onde pode continuar operacional. como por exemplo num GOE dos OE ou numa equipa EOD, para dar só 2 exemplos.
A morte só é terrivel para quem a teme!!
 

*

jmg

  • Analista
  • ***
  • 642
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #68 em: Agosto 23, 2008, 11:20:43 am »
Eu acho que as vezes posso ser mal interpretado.
Ter por principal funções análisar mensagens, elaborar cartas de situação e modalidades de acção, não significa que se passe o resto da vida encarcerado. Mas é uma função de grande importância e responsabilidade.
Agora um comandante que anda a passarinhar muito também não é bom.
Eu por exemplo gosto de receber as minhas ordens, pôr as dúvidas se as tenho e de seguida que me deixem trabalhar.
Isso é igual para todos os escalões.
E não se esqueçam que chega uma altura (para todos) em que a força dos 20 já la vai.
Temos de saber deixar espaço para os mais novos. :wink:
Não te fies de mim, se te faltar valentia.
(Inscrição gravada num antigo punhal.Autor desconhecido)

ΜΟΛΩΝ ΛΑΒΕ
 

*

triton

  • 361
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #69 em: Agosto 28, 2008, 07:54:53 pm »
a minha intenção não foi de denegrir os primeiros sargentos.

até porque respeito qualquer militar de qualquer patente :!:
 

*

lazaro

  • 473
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #70 em: Agosto 30, 2008, 02:57:44 pm »
Citação de: "jmg"
Citação de: "lazaro"
Repito, os oficiais que estão metidos no gabinete e não "saiem à rua" para sentir o pulsar da massa sobre a qual tem elevadas responsabilidades não podem estar a fazer um bom trabalho. A recepção, leitura e análise de relatórios no PC só é parte do trabalho, assim como o planeamento. Falta depois a outra parte bastante importante: "sair à rua" porque os relatórios não dizem tudo.

Parece-me que há pessoal que tem andando a ver maus exemplos e tira conclusões erradas sobre o que é/devia ser o trabalho do oficial, independentemente da sua graduação.

O lazaro é que anda algo enganado e deve verificar que a categoria de Oficiais divide-se em subalternos/capitães/oficiais superiores/oficiais generais.
Cada um nas suas funções e atribuições. Deixe os Capitães comandar.
Não se esqueça que um comandante de Batalhão que passa demasiado tempo em cima das companhias acaba por abafar os comandantes de companhia....
Experimente ver "Irmãos de armas" grande serie e tem muito que se lhe diga.
Muitos ensinamentos subjacentes......


Não estou enganado quanto às categorias de oficiais. Basta lembrar que até dei o link do EMFAR.

Parece que não me expliquei convenientemente: Não afirmei que os oficiais em funções de comando se deviam atropelar uns aos outros nas suas funções. Na area de comando, os oficiais devem supervisionar o trabalho dos seus comandantes subordinados, mais nada. da mesma forma os oficiais de Estado-Maior também deviam fazer (de acordo com directivas do Comandante) inspecções de Estado-Maior às unidades subordinadas, mais nada. Portanto ficar no PC não chega.
 

*

lazaro

  • 473
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #71 em: Agosto 30, 2008, 03:06:30 pm »
Citação de: "jmg"
Citação de: "lazaro"
Citação de: "jmg"
Citação de: "abatista"
Citação de: "tyr"
e depois ha outra, ha quem seja sargento porque não quer ser oficial (eu adoro ter as mãos na massa, e para mim a carreira de oficial morre em capitão, enquanto que como sargento, se estiver no local certo, ainda consigo estar operacional como ajudante. E sabendo disso quando foi altura de concorrer, concorri a ESE e nunca me passou pela cabeça concorrer à AM).

Mas, então, depois de capitão, a vida de oficial é de secretária?

Sim a 95%.
E mesmo quando os oficiais superiores (de Major para cima) vão para o campo (outros 5%) por exemplo, é para estarem no PC do Batalhão a analisarem cartas, mensagens e decidirem quais as Modalidades de acção a adoptar.
Não pode ser olhado com desdenho porque é uma tarefa de extrema importancia na qual também participam subalternos e sargentos (estado maior, EM coordenador e tecnico).
Para este desempenho é que se tira o curso de promoção a oficial superior (CPOS).

Se os oficiais do Estado-Maior, bem como o seu comandante, passam a vida enfiados no PC do Batalhão, deixe-me dizer-lhe que tem andado mal enquadrado.

A formação para efeitos de Estado-Maior de Batalhão é o Curso de Promoção a Capitão (CPC), para os oficiais, e o Curso de Sargento de Operações e Informações, para os sargentos.

Meu caro novamente venho avisar que não há necessidade de inventar.
O CPC visa a preparar o futuro capitão a comandar a companhia.
O CPOS e o curso de técnicas de estado maior talvez visam mais aquilo que pretende dizer.
Já agora o LAZARO vai me dizer qual a sua experiência miltar para ser assim tão contundente.
O Spinola era Comandante de Zona operacional e sabia dividir a sua vida entre PC e frente (muitas horas de voo em Alouette), mas as suas "visitas" eram só isso: visitas!
Verificar se as suas decisões eram aplicadas no terreno e dar ânimo aos Homens. Porque para a parte operacional estavam aí os capitães e principalmente os milicianos.
Exercícios tenho muitos, curso de operações informações também tenho, por isso seja mais assertivo e não venha aí com meias verdades num tom tão agressivo.


O CPC tem duas vertentes na area de campanha: Comando de Companhia e Técnica de Estado-maior de Batalhão.

O CPOS tem duas vertentes na area de campanha: comando de Batalhão e Técnica de Estado Maior de Grandes Unidades, no caso: Brigada.
 

*

nvidia

  • 1
  • +0/-0
Re: E depois da recruta?
« Responder #72 em: Dezembro 29, 2012, 12:25:11 am »
Boa noite.
Alguém sabe o que faz um Sargento RC na área SAP Engenharia?

Cumprimentos
 

 

Reforma da RTVE depois de dívida histórica de 7,6mil M€ 2005

Iniciado por MarauderQuadro Mundo

Respostas: 0
Visualizações: 1047
Última mensagem Fevereiro 28, 2006, 12:49:25 pm
por Marauder
OPERAÇÃO «NEMA» (QUIPEDRO-ANGOLA):50 ANOS DEPOIS

Iniciado por Miguel Silva MachadoQuadro Conflitos do Passado e História Militar

Respostas: 0
Visualizações: 1037
Última mensagem Novembro 09, 2011, 12:59:23 pm
por Miguel Silva Machado
OGMA recruta na escola

Iniciado por Cabeça de MarteloQuadro Indústrias de Defesa

Respostas: 3
Visualizações: 2958
Última mensagem Junho 09, 2007, 04:38:54 am
por NBSVieiraPT
Recruta dos Seals

Iniciado por SubillaumbraQuadro Livros-Revistas-Filmes-Documentários

Respostas: 2
Visualizações: 1955
Última mensagem Dezembro 29, 2007, 06:54:58 pm
por Subillaumbra
Nota na Recruta

Iniciado por rorinhoQuadro Exército Português no ForumDefesa.com

Respostas: 49
Visualizações: 10765
Última mensagem Janeiro 11, 2009, 10:45:22 pm
por DRAXX