EMBRAER

  • 158 Respostas
  • 30921 Visualizações
*

J.Ricardo

  • Perito
  • **
  • 316
  • +0/-0
EMBRAER
« em: Maio 04, 2005, 06:25:47 pm »
Citar
EMBRAER EXPANDE SEU PORTFÓLIO DE JATOS EXECUTIVOS
Embraer lança os jatos Very Light e Light


São José dos Campos, 3 de maio de 2005 – A Embraer anunciou hoje que está fortalecendo a sua posição no mercado de aviação executiva com novos produtos e serviços. O primeiro passo para expandir seu portfólio de produtos é a complementação da oferta do Legacy com jatos para as categorias Very Light e Light.

Criada recentemente, a categoria Very Light é composta por aeronaves que transportam entre 6 e 8 pessoas ou até 10.000 libras (4.536 kg). O segmento Light, já estabelecido, é composto de jatos que usualmente transportam até 8 ou 9 pessoas.

A Embraer vai oferecer uma completa gama de soluções integradas de serviços para apoiar a expansão do portfólio de produtos. No futuro próximo, a Empresa revelará essas soluções, que abrangerão desde vendas até o suporte integral ao cliente.

“O Legacy abriu caminho para a construção do nome Embraer no mercado de aviação executiva. Esta foi uma experiência enriquecedora da qual lições valiosas foram extraídas.

O conhecimento acumulado irá moldar a nossa entrada nos segmentos de jatos Very Light, Entry e Light, mantendo a Embraer na vanguarda do desenvolvimento de novos produtos e da inovação”, disse Maurício Botelho, Diretor-Presidente da Embraer.

A inserção da Embraer nas categorias Very Light e Light foi aprovada pelo Conselho de Administração da Empresa em abril. O investimento nos novos jatos totalizará US$ 235 milhões. Este programa será suportado por parceiros, instituições financeiras e pela própria geração de caixa da Embraer. Baseada em análises minuciosas de mercado, a Embraer estimou demanda por aproximadamente 3.000 jatos Very Light, Entry e Light na próxima década.

Esta estimativa não inclui o mercado de táxi aéreo.

“A Embraer se compromete a fazer investimentos de longo prazo neste negócio para assim oferecer produtos revolucionários e soluções completamente integradas a uma sofisticada clientela. Nosso objetivo é construir uma pujante unidade de negócio para a aviação executiva, bem como a infra-estrutura global para sustentá-la”, disse Luís Carlos Affonso, Vice-Presidente - Mercado de Aviação Executiva da Embraer.

Os jatos Very Light e Light serão os melhores da sua classe. Conforto superior,
desempenho excepcional e baixo custo de operação constituem requisitos imprescindíveis no projeto desses jatos.

Eles serão projetados para alta utilização e alta disponibilidade. A funcionalidade da cabine de comando e as qualidades de vôo das duas novas aeronaves permitirão a operação por apenas um piloto, e uma fácil transição para pilotos menos experientes.

O jato Very Light da Embraer transportará até oito pessoas e será equipado com o motor PW617F da Pratt & Whitney Canada, que tem 1.615 libras de empuxo. Com quatro pessoas a bordo e velocidade máxima de Mach 0,7, o alcance do jato Very Light é de 1.160 milhas náuticas (com reservas NBAA IFR e alternativa de 100 milhas náuticas). O avião é projetado para decolar em distâncias curtas e é capaz de voar a 41.000 pés de altitude.

O jato Very Light deverá entrar em serviço em meados de 2008 e terá preço de US$ 2,75 milhões, nas condições econômicas de 2005.

O jato Light será equipado com o motor PW535E da Pratt & Whitney Canada, que tem 3.200 libras de empuxo. Confortavelmente acomodando até nove pessoas, o alcance do jatoLight será de 1.800 milhas náuticas (reservas NBAA IFR e alternativa de 100 milhas náuticas) com seis pessoas a bordo, e sua velocidade máxima será de Mach 0,78. O avião também é projetado para decolar em distâncias curtas e é capaz de voar a 45.000 pés dealtitude.

O jato Light deverá entrar em serviço em meados de 2009 e terá preço de US$ 6,65 milhões, nas condições econômicas de 2005 Embraer lança os jatos Very Light e Light
 

*

JLRC

  • Investigador
  • *****
  • 2536
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +1/-1
Embraer abre nono centro de manutenção em Gavião Peixoto
« Responder #1 em: Julho 13, 2005, 01:55:55 pm »
Embraer Opens New Service Center in Gavião Peixoto Site
 
 
(Source: Embraer; issued July 12, 2005)
 
 
 SÃO JOSÉ DOS CAMPOS, Brazil --- Embraer announced today it opened a new service center for maintenance, repair and overhaul of Embraer aircraft at its Gavião Peixoto site, 230 miles from São José dos Campos, State of São Paulo, where the company’s headquarters are located.  
 
The new service center, with 32,300 square feet, complies with Brazilian aeronautical regulations as well those laid out by the Federation Aviation Administration (FAA) of the U.S. and the European Aviation Safety Agency (EASA) of Europe.  
 
Currently, there are 48 employees at the new service center, some of whom were transferred from Embraer’s São José dos Campos Unit. By the end of 2005, it is estimated that 74 people will be working at the new facility.  
 
Embraer has five service centers. In Brazil, they are located in São José dos Campos, Gavião Peixoto and Botucatu, where the crop-duster aircraft Ipanema is produced. In the Northern Hemisphere, there is one in Nashville, U.S., and another in Alverca, Portugal.  
 
The Gavião Peixoto site occupies an area of 6.56 square miles, of which 1.15 square mile is being re-forested with native species of vegetation. Gavião Peixoto has seven buildings, being five hangars and two administrative offices. The total built area is 478,000 square feet.  
 
 
Embraer (Empresa Brasileira de Aeronáutica S.A.) is the world’s leading manufacturer of commercial jets up to 110 seats with 35 years of experience in designing, developing, manufacturing, selling and providing after sales support to aircraft for the global airline, Defense and Corporate markets. With headquarters in São José dos Campos, state of São Paulo, the Company has offices and customer service bases in China, France, Portugal, Singapore and the United States. Embraer is among Brazil’s leading exporting companies. As of March 31, 2005 Embraer had a total workforce of 16,409 people, including the employees of OGMA in Portugal, and its firm order backlog totaled US$ 9.9 billion.  
 
-ends-
 

*

J.Ricardo

  • Perito
  • **
  • 316
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #2 em: Outubro 07, 2005, 12:20:18 pm »
O DESIGN DO INTERIOR DOS JATOS VERY LIGHT E LIGHT

BMW Group Projetará Interiores dos Jatos VLJ e LJ
Embraer vislumbrou um interior espaçoso com o máximo
de conforto e acabamento refinado


São José dos Campos, 6 de outubro de 2005 – A Embraer anunciou hoje que escolheu a BMW Group DesignworksUSA para conceber o design interior dos recém lançados jatos Very Light e Light. Inspirada por pesquisas feitas junto a pilotos, donos de aeronaves, operadores e executivos, a Embraer vislumbrou um interior espaçoso com o máximo de conforto e acabamento refinado. Sempre com o proprietário / operador em mente, a Embraer concebeu uma cabine de comando harmoniosamente integrada ao interior da aeronave.

A BMW Group DesignworksUSA forneceu a solução de design interior que cria serenidade no momento do embarque, através de uma atmosfera de simplicidade e elegância conferidas na primeira impressão. Iluminação e poltronas relaxantes aumentam a sensação de conforto e funcionalidade. Outros itens a bordo incluem o lavabo privativo, copa, mesa executiva, além de entretenimento e aparato de comunicação ao alcance dos dedos do passageiro.

“Em estreita colaboração com o cliente e com a BMW Group DesignworksUSA, o projeto final de interior reflete os requisitos dos clientes, combinando estilo e funcionalidade”, disse Luís Carlos Affonso, Vice-Presidente para o Mercado de Aviação Executiva da Embraer. “Por meio do desenvolvimento integrado em parceria, a seção transversal da aeronave foi aumentada para oferecer mais espaço para as pernas e conforto pessoal ao ocupante, tornando o melhor avião ainda superior.”

“A BMW Group DesignworksUSA está encantada por ter feito esta parceria com a Embraer para conceber o design interior dos programas VLJ e LJ”, disse Neil Booker, Vice-Presidente da BMW Group DesignworksUSA. “Esses programas de design nos permitem alavancar o conhecimento acumulado na concepção de interiores de meios de transporte, e desta forma ajudar a Embraer a definir o futuro de viagens em jatos leves.”

Modelos em tamanho real dos novos interiores serão mostrados na convenção anual da National Business Aviation Association (NBAA), a ser realizada em Orlando, Estados Unidos, entre 9 e 11 de novembro, no Estande 5559.



Os Jatos Very Light e Light


Os jatos Very Light e Light serão os melhores da sua classe. Conforto superior,
desempenho excepcional e baixo custo de operação constituem requisitos imprescindíveis no projeto desses jatos.

Ambas as aeronaves oferecem aos pilotos e passageiros conforto e estilo sem paralelo em suas categorias. A sensação relaxante do ambiente é aumentada pelas generosas janelas e a maior cabine de suas respectivas classes. A bordo, há uma copa, lavabo privativo, além de comunicação e entretenimento por satélite.

A funcionalidade da cabine de comando e as qualidades de vôo das duas novas aeronaves permitirão até mesmo a operação por apenas um piloto. Aproveitando a herança do projeto do avião Legacy, os jatos Very Light e Light serão construídos para alta utilização e alta disponibilidade. Essas características tornam o VLJ da Embraer particularmente adequado para operação no mercado de táxi aéreo.

O jato Very Light da Embraer transportará até oito pessoas e será equipado com o motor PW617F da Pratt & Whitney Canada, que tem 1.615 libras de empuxo. Com quatro pessoas a bordo e velocidade máxima de Mach 0,7, o alcance do jato Very Light é de 1.160 milhas náuticas (com reservas NBAA IFR e alternativa de 100 milhas náuticas). O avião é projetado para decolar em distâncias curtas e é capaz de voar a 41.000 pés de altitude.

O jato Very Light deverá entrar em serviço em meados de 2008 e terá preço de US$ 2,75 milhões, nas condições econômicas de 2005. O jato Light será equipado com o motor PW535E da Pratt & Whitney Canada, que tem 3.200 libras de empuxo. Confortavelmente acomodando até nove pessoas, o alcance do jato

Light será de 1.800 milhas náuticas (reservas NBAA IFR e alternativa de 100 milhas náuticas) com seis pessoas a bordo, e sua velocidade máxima será de Mach 0,78. O avião também é projetado para decolar em distâncias curtas e é capaz de voar a 45.000 pés de altitude.

O jato Light deverá entrar em serviço em meados de 2009 e terá preço de US$ 6,65 milhões, nas condições econômicas de 2005.

Para mais informações, visite o site http://www.embraerexecutivejets.com


Light Jet e Very Light Jet


Light Jet


Very Light Jet
 

*

Maginot

  • 76
  • Recebeu: 3 vez(es)
  • +0/-0
    • http://www.emfa.pt/
(sem assunto)
« Responder #3 em: Novembro 15, 2005, 01:26:00 pm »
Era giro fabricarem qualquer coisa nas OGMA
EX MERO MOTU
 

*

J.Ricardo

  • Perito
  • **
  • 316
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #4 em: Fevereiro 20, 2006, 02:52:13 pm »
Citar
SALÃO AERONÁUTICO DA ÁSIA
Aeronave de treinamento militar será apresentada no
Asian Aerospace 2006

(nota Defesa@Net recomendamos a leitura do release na versão em
inglês liberado pela Embraer, mais rico em informações -http://www.defesanet.com.br/embraer/super_tucano_asia_06_e.htm)


São José dos Campos, 17 de fevereiro de 2006 – A Embraer presentará o avião de treinamento militar Super Tucano pela primeira vez no continente asiático. O turboélice será exibido no Asian Aerospace 2006, um dos três maiores eventos de aviação do mundo.

O salão aeronáutico abre em 21 de fevereiro no Changi Exhibition Center, em Cingapura.

Os sistemas de Inteligência, Vigilância e Reconhecimento (ISR) da Embraer serão igualmente promovidos no evento.

A Empresa apresentará também Luiz Carlos Aguiar, recém-empossado Vice-Presidente Executivo para o Mercado de Defesa e Governo, que aparecerá pela primeira vez em um show aéreo depois de assumir o cargo, em dezembro último. Até então, Aguiar exercia a função de Presidente do Conselho de Administração da Embraer.

Após o show, o Super Tucano fará uma turnê de demonstração na Ásia e Oriente Médio, quando várias forças aéreas terão a oportunidade de avaliar o avião. A aeronave partiu do Brasil no início de fevereiro e percorreu 11.500 milhas náuticas (21.298 km).

A Embraer prevê uma demanda de 150 a 200 aeronaves Super Tucano na Ásia e Oriente Médio nos próximos cinco anos.

Super Tucano

O Super Tucano é uma evolução da plataforma do Tucano. Atualmente, 650 Tucanos estão em operação em cerca de 17 forças aéreas pelo mundo, inclusive no Brasil, Grã Bretanha, França, Egito e Kuwait.

A Força Aérea Brasileira (FAB) encomendou 99 aviões Super Tucano, dos quais 25 já estão em operação. A frota realiza missões avançadas de treinamento e também é utilizada juntamente com oito aeronaves ISR no programa SIVAM.

Em dezembro de 2005, a força aérea da Colômbia encomendou 25 Super Tucanos para ataque leve, marcando a primeira exportação deste avião realizada pela Embraer.


http://www.defesanet.com.br/embraer/super_tucano_asia_06.htm

 

*

Marauder

  • Investigador
  • *****
  • 2127
  • +0/-0
Embraer: Notícias
« Responder #5 em: Julho 11, 2006, 04:53:50 pm »
Citar
Embraer vende oito aviões à Mandarin Airlines

A brasileira Embraer, a quarta maior fabricante mundial de aviões e accionista das OGMA, anunciou na segunda-feira a venda de oito jatos à empresa Mandarin Airlines, de Taiwan.


Os aparelhos foram vendidos por contrato de leasing assinado com a GE Commercial Aviation Services (GECAS), com entregas programadas para o segundo semestre de 2007.

Citado num artigo da Lusa-Brasil, Michael Lo, presidente da companhia, disse que estes novos Embraer 190/195 foram escolhidos para serem os principais componentes da futura frota da Mandarin Airlines.

A empresa aérea utilizará os Embraer para substituir aviões Focker 100 e Focker 150 em ligações domésticas, além de pretender desenvolver outras rotas de curta distância na Ásia.

A Mandarin Airlines é uma subsidiária da China Airlines e realiza 65 partidas diárias para 19 destinos em Taiwan e restante região.

Em 2002, uma parceria com a China Aviation Industry Corporation permitiu à Embraer criar a sua primeira unidade no estrangeiro: a Harbin Embraer Aircraft Industry Company.

Esta empresa está localizada na cidade de Harbin, capital da província de Heilongjiang, no nordeste da China.

11-07-2006 10:24:23


de:
http://diariodigital.sapo.pt/dinheiro%5 ... news=69334
 

*

Bravo Two Zero

  • Especialista
  • ****
  • 1015
  • Recebeu: 13 vez(es)
  • Enviou: 16 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #6 em: Agosto 11, 2006, 08:11:22 am »
Do Diário Económico:

Citar
Embraer assina acordo para o fabrico de peças para aviões em Portugal
A construtora aeronáutica brasileira anunciou hoje que assinou um acordo de cooperação industrial com Portugal, nos termos do qual a sua filial portuguesa OGMA vai fabricar as estruturas dos aviões da empresa.

DE com AFP

"A Embraer vai realizar estudos com vista a uma cooperação com a OGMA, com o objectivo de desenvolver a sua capacidade de projectar e fabricar estruturas dos aviões para o mercado mundial", adianta a Embraer em comunicado hoje emitido.

O protocolo do acordo foi assinado pela Embraer com a OGMA e a Agência Portuguesa para o Investimento (API), na ocasião da visita oficial do primeiro-ministro José Sócrates ao Brasil.




http://diarioeconomico.sapo.pt/edicion/ ... 79092.html
"Há vários tipos de Estado,  o Estado comunista, o Estado Capitalista! E há o Estado a que chegámos!" - Salgueiro Maia
 

*

Bravo Two Zero

  • Especialista
  • ****
  • 1015
  • Recebeu: 13 vez(es)
  • Enviou: 16 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #7 em: Agosto 11, 2006, 08:19:50 am »
Entretanto, no Público de hoje:

Embraer adia decisão de construir aviões
11.08.2006 - 07h57   Ricardo Dias Felner PÚBLICO São Paulo
 


Afinal tudo não passou de um processo de intenções. O primeiro-ministro português sairá do Brasil sem qualquer garantia de que a Embraer, líder mundial no sector da aeronáutica e principal accionista das Ogma, venha a construir componentes de aviões em Portugal.

O gabinete de José Sócrates, antes da visita oficial, havia anunciado que o acordo com a Embraer seria "muito importante", um dos pontos altos da viagem - em paralelo com o protocolo que deverá ser hoje assinado entre a Galp e a Petrobras.

Ontem, contudo, durante a visita da comitiva oficial à sede da empresa em São João do Campo, perto de São Paulo, ficou a saber-se que se trata apenas de um compromisso com as Ogma para a realização de estudos no sentido de "projectar e fabricar estruturas de aeronaves". Às intenções do Governo, a Embraer, terceira maior construtora de jactos particulares, respondeu "vamos ver".

Um responsável do staff do primeiro-ministro disse ao PÚBLICO que a decisão deverá ser tomada até ao final do ano. Mas o assessor de imprensa da empresa brasileira, Ricardo Santos, disse desconhecer qualquer prazo, reconhecendo apenas o objectivo "de avaliar" o investimento na construção de estruturas para aviões através das Ogma.

Questionado pelos jornalistas, Sócrates voltou a manifestar o desejo de que a Embraer possa vir a criar um "cluster aeronáutico" em Portugal, realçando que o acordo é "um primeiro passo nessa nova ambição".

O ministro da Economia, Manuel Pinho, falando ao PÚBLICO, reforçou a ideia, já expressa pelo primeiro-ministro, de que a entrada da Embraer nas Ogma fora uma "aposta estratégica" de Lisboa, no sentido de que as antigas oficinas de manutenção aeronáutica se tornassem numa "unidade mais importante".

Durante a visita ao Brasil - que hoje termina -, Sócrates tem repetido que um dos principais objectivos é levar mais investimento brasileiro para Portugal. O primeiro-ministro referiu essa intenção no Palácio do Planalto, após a reunião com Lula da Silva, e voltou a salientá-lo anteontem à noite, num jantar no consulado português em São Paulo. Falando para dezenas de responsáveis de grandes empresas sediadas no Brasil e em Portugal, lembrou que, se já existem perto de 600 empresas portuguesas implantadas no Brasil, empregando perto de 110 mil trabalhadores, esse investimento não tem a mesma expressão em Portugal. "Portugal é também um bom destino" para a "crescente internacionalização da economia brasileira", apelou.

Nessa ocasião, o primeiro-ministro inaugurou um centro virtual de distribuição de produtos portugueses, um investimento da Cisa Trading, que pretende aumentar as exportações nacionais para o Brasil.

Ainda no âmbito das diligências governativas no sector da economia, o ministro das Obras Públicas, Mário Lino, encontrou-se com o ministro da Defesa brasileiro para o persuadir a aumentar as linhas aéreas entre os dois países (actualmente 47 ligações semanais). De acordo com Lino, o Congresso brasileiro ainda não ratificou o protocolo bilateral, já aprovado por Portugal em 2003. Brasília parece mais preocupada em diversificar as rotas aéreas, tendo proposto uma ligação entre Lisboa e Brasília, que Portugal ainda está a estudar.

Durante a visita de hoje a uma plataforma da Petrobras, no Rio de Janeiro, a Galp e a petrolífera brasileira deverão concretizar os termos de uma nova cooperação, que prevê a prospecção de petróleo na costa alentejana. O PÚBLICO viajou a convite do gabinete do primeiro-ministro



http://publico.clix.pt/shownews.asp?id= ... idCanal=31

Um tiro em falso............coisa pródiga neste cantinho à beira mar
"Há vários tipos de Estado,  o Estado comunista, o Estado Capitalista! E há o Estado a que chegámos!" - Salgueiro Maia
 

*

pedro

  • Investigador
  • *****
  • 1498
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #8 em: Agosto 11, 2006, 09:29:16 am »
Outro tiro na culatra. :wink:
 

*

J.Ricardo

  • Perito
  • **
  • 316
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #9 em: Agosto 30, 2006, 05:25:27 pm »
Citar
30/08/2006 - 10h58
Embraer fecha contrato de US$ 2,7 bi para vender cem aviões à China
Da Redação
Em São Paulo

A Embraer anunciou nesta quarta-feira a venda de cem jatos para a quarta maior empresa aérea da China, o Grupo HNA, no valor de US$ 2,7 bilhões, segundo preço de tabela das aeronaves, mas pode haver desconto pela quantidade envolvida.

De acordo com comunicado da fabricante brasileira, a HNA comprou 50 jatos ERJ-145 e 50 aviões modelo 190. As entregas das aeronaves começam no segundo semestre do próximo ano.

Os aviões Embraer 190 têm 106 assentos e serão produzidos na sede da empresa no Brasil em São José dos Campos (SP). Trata-se das primeiras aeronaves desse modelo a serem vendidas a empresas da China territorial.

Os aviões ERJ 145, de 50 assentos, serão produzidos na China, na Harbin Embraer Aircraft Industry, uma joint-venture estabelecida em 2003 entre a Embraer e a chinesa China Aviation Industry Corporation 2. O contrato viabiliza a continuidade das operações da Embraer na China, que estavam abaixo do esperado.

Até 30 de junho, a Embraer havia entregue 163 E-Jets (família de jatos em que está classificado o Embraer 190) e 858 aviões comerciais ERJ 145 em todo o mundo. Os E-Jets e os ERJ 145 voam atualmente para mais de 70 empresas aéreas em 43 países.
 

*

sierra002

  • 436
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #10 em: Agosto 30, 2006, 05:36:31 pm »
En cuanto lleguen los despiezaran y los copiaran. De aquí a un año en China fabricaran las copias de los Embraers y diran que lo habían creado ellos.
 

*

Marauder

  • Investigador
  • *****
  • 2127
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #11 em: Setembro 06, 2006, 12:22:31 am »
Citar
Embraer vende 50 jactos a companhia norte-americana

A Embraer anunciou esta terça-feira a venda de 50 jactos executivos para a empresa norte-americana Magnum Jet, com sede em Houston, por 137,5 milhões de dólares (cerca de 107,4 milhões de euros).


O contrato assinado entre as duas empresas inclui ainda a opção de compra de outros 50 jactos executivos do modelo Phenom 100, o que poderá elevar o valor total da encomenda para 275 milhões de dólares (cerca de 215 milhões de euros).

A empresa norte-americana deverá receber os primeiros jactos executivos, com capacidade para até quatro passageiros, no início de 2009, informou a fabricante brasileira de aeronaves em comunicado.

«A Embraer está honrada pela escolha do Phenom 100 pela Magnum Jet e satisfeita por oferecer a solução ideal para o seu negócio», disse o vice-presidente da Embraer, Luís Carlos Affonso, citado no comunicado.

Na semana passada, a Embraer havia anunciado a venda de 100 aviões para o grupo HNA, quarta maior empresa aérea da China, por 2,7 mil milhões de dólares (2,1 mil milhões de euros), com entregas a partir de Setembro de 2007.

A companhia chinesa adquiriu 50 aviões do modelo ERJ 145, com capacidade para 50 assentos, e outros 50 aviões do modelo 190, com 106 assentos.

No dia 10 de Agosto, a OGMA e o Estado português assinaram um acordo de «cooperação industrial» com a Embraer, que se compromete a avaliar «futuras oportunidades» para a empresa portuguesa se tornar parceira no fabrico de material aeronáutico.

O acordo foi assinado durante a visita do primeiro-ministro de Portugal, José Sócrates, à fábrica da Embraer, na cidade de São José dos Campos, a 90 quilómetros de São Paulo.

A Embraer é, em consórcio com a EADS, o maior accionista da OGMA, detendo ambos perto de 65% do capital daquela empresa portuguesa, instalada em Alverca, arredores de Lisboa.

A Embraer emprega actualmente cerca de 17.500 trabalhadores nas suas unidades no Brasil, China, Europa e Estados Unidos da América, com uma carteira de pedidos firmes de 10,2 mil milhões de dólares (7,98 mil milhões de euros).

Criada há 37 anos, a Embraer já produziu cerca de 3.900 aviões, que hoje operam em 70 empresas aéreas em 43 países. De 2006 a 2025, a Embraer projecta construir 7.950 aviões.

Diário Digital / Lusa

05-09-2006 19:53:48

de:
http://diariodigital.sapo.pt/dinheiro%5 ... news=71260
 

(sem assunto)
« Responder #12 em: Outubro 05, 2006, 03:31:53 pm »
Citação de: "Maginot"
Era giro fabricarem qualquer coisa nas OGMA


   Desculpe colega, mas o que significa a expressão "era giro".

   Walter
So há dois tipos de navios:
Os SUBMARINOS e os ALVOS...
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 6936
  • Recebeu: 452 vez(es)
  • Enviou: 543 vez(es)
  • +23/-2
(sem assunto)
« Responder #13 em: Outubro 05, 2006, 03:52:04 pm »
Citação de: "projetociclone"
Citação de: "Maginot"
Era giro fabricarem qualquer coisa nas OGMA

   Desculpe colega, mas o que significa a expressão "era giro".

   Walter


 :shock:

E também gostava de saber o que é "qualquer coisa", é que já se produzem "coisas" nas OGMA.
 

*

JLRC

  • Investigador
  • *****
  • 2536
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +1/-1
(sem assunto)
« Responder #14 em: Outubro 05, 2006, 07:43:48 pm »
Citação de: "projetociclone"
Citação de: "Maginot"
Era giro fabricarem qualquer coisa nas OGMA

   Desculpe colega, mas o que significa a expressão "era giro".

   Walter


Era giro neste caso significa "era engraçado".
 

 

WEBASAS-LABACE 2008-Embraer/Hawker/Cessna/Bombardier/Cirrus

Iniciado por WEBASASQuadro Internet-Jogos-Simulações

Respostas: 0
Visualizações: 1300
Última mensagem Agosto 26, 2008, 03:29:57 am
por WEBASAS
Lockheed Martin-Embraer, Vencem Aerial Common Sensor

Iniciado por Fábio G.Quadro Indústrias de Defesa

Respostas: 3
Visualizações: 2206
Última mensagem Agosto 18, 2004, 05:21:41 pm
por JLRC
Projecto Embraer/OGMA para Novo Avião de Transporte

Iniciado por Mar VerdeQuadro Indústrias de Defesa

Respostas: 26
Visualizações: 19624
Última mensagem Fevereiro 23, 2010, 01:17:04 pm
por pedro
WEBASAS - EMBRAER LINHA DE PRODUÇÃO PHENOM 100 - FOTOS!!

Iniciado por WEBASASQuadro Internet-Jogos-Simulações

Respostas: 0
Visualizações: 2430
Última mensagem Agosto 16, 2007, 05:21:15 am
por WEBASAS
Brasileira Embraer quer comprar 65% das OGMA

Iniciado por DinivanQuadro Indústrias de Defesa

Respostas: 13
Visualizações: 3605
Última mensagem Setembro 24, 2004, 06:22:02 pm
por J.Ricardo